of 80/80
Avaliação 2011 Plano de Desenvolvimento Institucional 2010 - 2014 Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças

Relatorio de Avaliação PDI - 2010-2014 - Ano base 2011 · Edna Scremin Dias Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Amâncio Rodrigues da Silva Junior Centro de Ciências Humanas

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Relatorio de Avaliação PDI - 2010-2014 - Ano base 2011 · Edna Scremin Dias Centro de Ciências...

1 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

333333333333

Avaliao 2011

Plano de Desenvolvimento Institucional

2010 - 2014

Fundao Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Pr-Reitoria de Planejamento, Oramento e Finanas

2 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Reitora

Clia Maria Silva Correa Oliveira

Vice-Reitor

Joo Ricardo Filgueiras Tognini

Pr-Reitor de Administrao

Claudionardo Fragoso da Silva

Pr-Reitor de Ensino de Graduao

Henrique Mongelli

Pr-Reitor de Extenso e Assuntos Estudantis

Valdir Souza Ferreira

Pr-Reitor de Pesquisa e Ps-graduao

Dercir Pedro de Oliveira

Pr-Reitora de Planejamento, Oramento e Finanas

Marize Terezinha Lopes Pereira Peres

Diretores de Centros

Centro de Cincias Biolgicas e da Sade

Edna Scremin Dias

Centro de Cincias Exatas e Tecnologia

Amncio Rodrigues da Silva Junior

Centro de Cincias Humanas e Sociais

lcia Esnarriaga de Arruda

Diretores de Campus

Campus de Aquidauana

Antonio Firmino de Oliveira Neto

3 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Campus de Bonito

Noslin de Paula Almeida

Campus de Chapado do Sul

Gustavo de Faria Theodoro

Campus de Coxim

Gedson Faria

Campus de Navira

Josiane Peres Gonalves

Campus de Nova Andradina

Marcelino de Andrade Gonalves

Campus do Pantanal (Corumb)

Wilson Ferreira de Melo

Campus de Paranaba

Eliana da Mota Bordin de Sales

Campus de Ponta Por

Amaury Antnio de Castro Junior

Campus de Trs Lagoas

Jos Antonio Menoni

Diretores de Faculdades

Faculdade de Computao

Nalvo Franco de Almeida Junior

Faculdade de Direito

Ldia Maria Lopes Rodrigues Ribas

Faculdade de Medicina

Aurlio Ferreira

Faculdade de Medicina Veterinria e Zootecnia

Ricardo Antnio Amaral de Lemos

Faculdade de Odontologia

Rosana Maria Giordano Barros

4 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Diretores de Ncleos

Ncleo de Hospital Universitrio

Jos Carlos Dorsa Vieira Pontes

Ncleo de Tecnologia da Informao

Ronaldo Alves Ferreira

5 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Elaborao

Pr-Reitoria de Planejamento, Oramento e Finanas (PROPLAN)

Marize Terezinha Lopes Pereira Peres

Coordenadoria de Planejamento Institucional (PROPLAN)

Homero Scapinelli

Diviso de Avaliao e Acompanhamento (PROPLAN)

Cludia Freire da Silva Kishi

Colaborao

Guilherme Souza Castro Henrique Pasquati Diehl

Marcos Paulo Massao Iseki Odilson Luiz Ocampos

Rogers Barros de Paula

Cooperao

Pr-Reitoria de Administrao

Pr-Reitoria de Ensino de Graduao

Pr-Reitoria de Extenso e Assuntos Estudantis

Pr-Reitoria de Pesquisa e Ps-graduao

Pr-Reitoria de Planejamento, Oramento e Finanas

Ncleo de Hospital Universitrio

Ncleo de Tecnologia da Informao

6 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Sumrio

Apresentao 10 A Avaliao e suas Finalidades 11

Mensurao do Padro de Alcance das Metas 11 Nvel de Alcance das Metas 12

Ensino de Graduao 12 Diretriz 1 - Ampliao da Oferta de Educao Superior Pblica 12 Diretriz 2 - Reestruturao Acadmico-Curricular 13 Diretriz 3 - Renovao Pedaggica da Educao Superior 14 Diretriz 4 - Mobilidade Intra e Interinstitucional 16

Extenso e Apoio Estudantil 18 Diretriz 5 - Compromisso Social da Instituio 18

Pesquisa e Ps-graduao 21 Diretriz 6 - Expanso e Fortalecimento da Pesquisa, Ps-graduao, Tecnologia e

Inovao e Suporte da Ps-graduao ao Desenvolvimento e Aperfeioamento Qualitativo dos Cursos de Ps-graduao

21

Fortalecimento Institucional 27 Diretriz 7 - Modernizao e Ampliao da Infraestrutura e Preservao do

Patrimnio da UFMS 27

Diretriz 8 - Modernizao da Gesto e Fortalecimento do Desenvolvimento Institucional

29

Diretriz 9 - Capacitao e Qualificao dos Recursos Humanos e Qualidade de Vida 31 Diretriz 10 Atendimento Comunidade por meio da Assistncia Mdico-Hospitalar

e Laboratorial 32

Avaliao Quanti-qualitativa 34

Ensino de Graduao 34 Nvel de Alcance das Metas 34 Indicadores de Desempenho 36

Extenso e Apoio Estudantil 50

Nvel de Alcance das Metas 50 Indicadores de Desempenho 50

Pesquisa e Ps-graduao 56

Nvel de Alcance das Metas 56 Indicadores de Desempenho 56

Fortalecimento Institucional 64

Nvel de Alcance das Metas 64 Indicadores de Desempenho 66 Bibliografia Consultada 79

7 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Abreviaes e Siglas

ANDIFES - Associao Nacional dos Dirigentes das Instituies Federais do Ensino Superior BEP - Base de Estudo do Pantanal BPRAM - Base de Pesquisas Histricas e Culturais das Bacias dos Rios Aquidauana e Miranda CAE - Coordenadoria de Assuntos Estudantis CAPES - Coordenao de Aperfeioamento do Pessoal de Nvel Superior CCBS - Centro de Cincias Biolgicas e da Sade CCET - Centro de Cincias Exatas e Tecnologia CCHS - Centro de Cincias Humanas e Sociais CCS - Coordenadoria de Comunicao Social CESP - Companhia Energtica de So Paulo CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico COEG - Conselho de Ensino de Graduao COPP - Conselho de Pesquisa e Ps-graduao COUN - Conselho Universitrio CPA - Comisso Prpria de Avaliao CPAN - Cmpus do Pantanal. CPAQ - Cmpus de Aquidauana CPAR - Cmpus de Paranaba. CPBO - Cmpus de Bonito CPCS - Cmpus de Chapado do Sul CPCX - Cmpus de Coxim. CPNA - Cmpus de Nova Andradina CPNV - Cmpus de Navira CPPP - Cmpus de Ponta Por CPTL - Cmpus de Trs Lagoas. CT-INFRA - Fundo de Infraestrutura COPEVE - Comisso Permanente de Vestibular ENEM - Exame Nacional do Ensino Mdio FACOM - Faculdade de Computao FADEMS - Fundao de Apoio ao Desenvolvimento da Educao de Mato Grosso do Sul FADIR - Faculdade de Direito FAMED - Faculdade de Medicina FAMEZ - Faculdade de Medicina Veterinria e Zootecnia FAODO - Faculdade de Odontologia FAPEC - Fundao de Apoio Pesquisa, ao Ensino e Cultura FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos FUNDECT - Fundao de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Cincia e Tecnologia do Estado de MS. IFES - Instituies Federais de Ensino Superior INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial IPHAN - Instituto do Patrimnio Histrico e Artstico Nacional LAC - Laboratrio de Anlises Clnicas LADE - Laboratrio de Anlise e Desenvolvimento de Edificaes MCT - Ministrio da Cincia e Tecnologia MEC - Ministrio da Educao MS - Mato Grosso do Sul MuArq - Museu de Arqueologia NDE - Ncleo Docente Estruturante NHU - Ncleo de Hospital Universitrio NTI - Ncleo de Tecnologia de Informao PBEXT - Programa de Bolsa de Extenso PDI - Plano de Desenvolvimento Institucional

8 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

PEC-G - Programa de Estudantes-Convnio de Graduao PET - Programa de Educao pelo Trabalho PIBIC - Programa Institucional de Bolsas de Iniciao Cientfica PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciao Docncia PNAES - Plano Nacional de Assistncia Estudantil PRAD - Pr-reitoria de Administrao PREAE - Pr-reitoria de Extenso, Cultura e Assuntos Estudantis PREG - Pr-reitoria de Ensino de Graduao PRODER - Programa de Desenvolvimento Rural PROEXT - Programa de Extenso Universitria PROJELE - Projeto de Extenso Cursos de Lnguas Estrangeiras PROMEP - Programa de Melhoria das Condies de Estudo e Permanncia de Acadmicos de Graduao PROPLAN - Pr-reitoria de Planejamento, Oramento e Finanas PROPP - Pr-reitoria de Pesquisa e Ps-graduao REUNI - Programa de Apoio a Planos de Reestruturao e Expanso das Universidades Federais RH - Recursos Humanos SECADI - Secretaria de Educao Continuada, Alfabetizao, Diversidade e Incluso SIAI - Sistema de Informao de Avaliao Institucional SIASS - Subsistema Integrado de Ateno Sade do Servidor SIGPROJ - Sistema de Informao e Gesto de Projeto SISREG - Sistema de Regulao e Identificao do Usurio SIMEC - Sistema Integrado de Monitoramento Execuo e Controle do Ministrio da Educao SUS - Sistema nico de Sade TCC - Trabalho de Concluso de Curso TCU - Tribunal de Contas da Unio UFMS - Fundao Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UNINOVE - Universidade Nove de Julho UTI - Unidade de Terapia Intensiva

10 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Apresentao

A estratgia uma prtica que est a servio das instituies antes mesmo de elas existirem de fato e de

direito, uma vez que ao se constiturem so submetidas a um processo estratgico sistematizado ou intuitivo e, ao

consolidar a sua funo em sua ambincia, procedem validao e ao alinhamento desse processo. As premissas do

planejamento estratgico acompanharam a emancipao do homem como gestor do seu meio e detentor de uma

razo ampliada sobre as converses decorrentes da sua marcha evolutiva. Com efeito, a apropriao das prticas em

planejamento trouxe muitos benefcios ao homem admoestado pelas circunstncias da sua ambincia, porm,

necessrio reconhecer que a concepo em planejamento ainda bastante simplificada e sua utilizao condicionada a

um evento indesejado. Mesmo sob o signo da obteno de vantagens competitivas, instituies se apropriaram mal do

planejamento estratgico para alavancar os seus negcios; foi necessria uma revoluo industrial e uma globalizao

para que o planejamento fosse efetivamente concebido tal como : prtica imanente ao processo de consolidao de

todo e qualquer empreendimento. Os sistemas de governo tambm lanam mo do planejamento estratgico desde

muito, porm, so nos pases cuja plataforma liberal capitalista assumiu inconteste influencia no modelo gerencial

pblico, este, fortemente centrado na habilidade do Estado em construir consensos polticos, econmicos e sociais com

um mximo de racionalizao, que o planejamento se d em maior consonncia com seus princpios basilares.

Retendo a sntese, observa-se que a necessidade de antecipar os fatos para melhorar a capacidade de lidar

com eles sinaliza ter resultado da necessidade, arbitrria ou no, de evoluir; que os campos da atividade produtiva

continua sendo um espao vigoroso para testar e aperfeioar o entendimento e a prtica em planejamento estratgico.

No obstante, na seara do planejamento pblico, muitas organizaes reduzem a estratgia a uma prestao de contas

e, ao fazerem isso, reduzem junto a sua capacidade de governo. Apesar da vanguarda patrimonialista, o que tem se

destacado no contexto da Nova Administrao Pblica (NAP) que o prprio Estado tem buscado melhorar a

performance dos servios em que ele atua direta ou indiretamente, restando a seus entes duas opes: ou

potencializam os resultados das suas aes em alto nvel de accountability, focada no cliente-usurio, ou ficam

margem desse movimento isoladas em seus feudos espera de uma providncia divina para sarem do estado de

negao ao novo panorama que se consolida dia aps dia.

Utilizando o planejamento estratgico para proporcionar uma experincia agregada de aprendizado e

melhoria contnua, a UFMS tem apoiado a insero de novos gerenciais para empreender mudanas de mdio e longo

prazo, perpassadas no compromisso de gerar uma conscincia coletiva da relao que existe entre o trabalho que se

realiza e os resultados que produz. O Plano de Desenvolvimento Institucional PDI, perodo 2010 a 2014, produto da

maturidade gerencial por ora experimentada, pelo que nele se encontram as diretrizes que levaram, e levam,

dirigentes, gestores e colaboradores a depositarem o melhor de si nesse projeto em que a sociedade figura como

principal benemrita do esforo que se tem empreendido para consolidar o papel da Educao Superior como bem

pblico fundamental ao exerccio da cidadania.

Plano de Desenvolvimento Institucional Avaliao 2011

11 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

A Avaliao e suas Finalidades

O processo de gerar viso sistmica tendo por referncia os ambientes com os quais a organizao interage

uma tarefa desafiadora. Mesmo nas organizaes privadas o Planejamento Estratgico ainda no uma unanimidade;

talvez porque ele traz consigo um forte aspecto de mudanas e muitas organizaes no lidam bem com elas. De

qualquer modo, no h mais razo que se levante quanto a desconsider-lo ou, pior, conceb-lo de forma equivocada.

Conceber superficialmente o planejamento estratgico resulta na valorizao do imediatismo em que a gesto de

apagar incndio prevalece em detrimento de uma gesto proativa, coletiva e integrada misso e aos valores

institucionais. Adotar o planejamento somente para prestar contas ao Governo o mesmo que melhorar a

embalagem. O planejamento um processo mais exigente que precisa ser conduzido com honestidade e competncia

para que os resultados de sua prtica possam melhorar e fortalecer o contedo Gesto Universitria.

A avaliao do Planejamento Estratgico um componente essencial para confirmar o valor dos seus

propsitos e gerar discernimento coletivo de que o sentido de urgncia e a sensao de estabilidade, comum s

organizaes pblicas empobrecem substancialmente o desempenho institucional, a imagem junto sociedade e,

sobretudo, a cultura da organizao. Avaliar a conformidade da programao estratgica resulta no fortalecimento da

capacidade de autocrtica respaldada em uma perspectiva programada de melhoria e superao, tornando a prtica

estratgica um exerccio compartilhado por funes e talentos diversos na busca pelo aprimoramento institucional.

O presente trabalho almeja proporcionar comunidade universitria uma apreciao sistemtica sobre os

resultados produzidos pela Instituio no contexto do PDI 2010-2014, ajudar a desvendar as causas da performance

deficiente em algumas reas de atuao, a manter e a potencializar as vantagens obtidas e viabilizar a construo de

uma prtica administrativa que seja reconhecida pela qualidade, eficincia e responsabilidade no trato com as suas

demandas.

Mensurao do Padro de Alcance das Metas

Para demonstrar os resultados quanti-qualitativos alcanados no Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI

2010-2014, exerccio 2011, a equipe que coordenou o presente trabalho dividiu as dez Diretrizes que compem o plano

em quatro reas Estratgicas, quais sejam: Ensino de Graduao; Extenso e Apoio ao Estudante; Pesquisa e Ps-

graduao e Fortalecimento Institucional. As Metas destas reas foram submetidas s seguintes avaliaes:

1) Anlise das Metas previstas e realizadas no ano de 2011 por Diretriz estabelecida, adotando-se, para aferir o nvel de

desempenho no alcance das metas, os seguintes parmetros: NA = No Alcanada (< 40%); PA = Parcialmente

Alcanada (> 40% < 80%); AP = Alcanada Plenamente (>80%). Ressalta-se que esses mesmos parmetros sero

utilizados para aferir o desempenho geral das reas estratgicas; 2) Anlise do desempenho quantitativo das Metas

contempladas nas Diretrizes. Para demonstrar este desempenho, foram utilizados grficos que representam o

quantitativo numrico e percentual do conjunto de Metas em seus respectivos parmetros; 3) Anlise do desempenho

qualitativo da rea Estratgica considerando os resultados dos indicadores que foram possveis mensurar.

Campo Grande, Julho de 2012.

12 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Nvel de Alcance das Metas

Ensino de Graduao

DIRETRIZ 1 Ampliao da Oferta de Educao Superior Pblica

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Ampliao das Vagas de Ingresso

Criar cursos superiores de graduao e tecnologia presenciais (diurno e noturno) de acordo com a demanda da sociedade.

8 8

Foram implantados os seguintes cursos: Engenharia Civil (CCET); Engenharia da Computao (FACOM); Engenharia de Produo (CCET); Geografia (CCET); Nutrio (CCBS); Tecnologia em alimentos (CCBS); Tecnologia em Construo de Edifcios (CCET); Tecnologia em Saneamento Ambiental (CCET).

Vagas criadas

Aumentar o nmero de vagas nos cursos superiores de graduao (presencial). 505 505

Foram criadas 505 vagas novas, sendo 370 provenientes da criao dos oito novos cursos de graduao e tecnolgicos e 135 da ampliao de vagas dos cursos j existentes.

Ocupao de

Vagas Ociosas

Prover a ocupao das vagas ociosas. 100% 17%

Foram realizados 4 (quatro) processos seletivos disponibilizando as vaga remanescentes para ingresso em 2011 de alunos provenientes de cursos presenciais de outras instituies de ensino superior de graduao e para portadores de diploma de cursos de graduao.

ndice de ocupao das vagas ociosas

Reduo das Taxas de Evaso

Implantar Projeto Piloto de Tutoria/Acompanhamento Acadmico junto aos cursos.

5 20 Em 2010 foi implantado o projeto piloto. Em 2011, foi implantado o projeto Pr-nvel, iniciativa conjunta das Pr-reitorias de Graduao e de Extenso, Cultura e Assuntos Estudantis.

-

Ampliar o quantitativo atual de bolsistas do programa Monitoria. 40%

-8,24%

Participaram do programa 345 bolsistas no segundo semestre letivo. A distribuio nas seguintes unidades a seguinte: [CCBS(12), CCET(72), CCHS(30), CPAN(24), CPAQ(37), CPAR(39), CPCS(30), CPCX(8), CPPP(12), CPTL(50), FACOM(12), FADIR(3), FAMEZ(8), FAODO(8)]. No primeiro semestre no foram distribudas bolsas em funo do atraso no levantamento das necessidades e edio do Edital prejudicando deste modo o alcance da meta estabelecida.

Bolsas concedidas

Manter o quantitativo atual de bolsas do programa PROMEP. 100% 100%

Atravs do Edital PREG n 52, de 11 de maro de 2011 foram ofertadas 70 bolsas aos acadmicos da UFMS no PROMEP. Foram beneficiados 146 alunos com bolsa PROMEP.

Legenda: (QP) Quantitativo Previsto; (QR) Quantitativo Realizado; (NA) No Alcanada; (PA) Parcialmente Alcanada; (AP) Alcanada Plenamente. Fonte: PREG

13 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

DIRETRIZ 2 Reestruturao Acadmico-Curricular

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO NA PA AP

Reestruturao dos Projetos Pedaggicos

Implantar e avaliar os projetos pedaggicos dos cursos de graduao, sua matriz curricular e metodologias implantadas.

100% 100%

Todos os cursos da UFMS possuem seus respectivos Projetos Pedaggicos de Cursos aprovados. No ano de 2011, foram elaborados e implantados os Projetos Pedaggicos dos novos cursos de: Engenharia Civil (CCET); Engenharia da Computao (FACOM); Engenharia de Produo (CCET); Geografia (CCET); Nutrio (CCBS); Tecnologia em alimentos (CCBS); Tecnologia em Construo de Edifcios (CCET); Tecnologia em Saneamento Ambiental (CCET); e ainda, procedido a reviso e avaliao da demanda de Projeto Pedaggicos

Projetos

pedaggicos implantados

Viabilizar a implantao e manuteno de um Ncleo Docente Estruturante para acompanhamento dos projetos pedaggicos dos cursos de graduao.

100% 95%

Com a aprovao do regulamento do Ncleo Docente Estruturante NDE, Resoluo COEG n 167, de 24 de novembro de 2010, a responsabilidade pela constituio e implantao dos NDE's ficou ao encargo das Unidades de Administrao Setorial, sendo instituda em 95% dos cursos.

Cursos com NDE implantados

Reorganizao dos Cursos de Graduao

Ampliar o percentual de cursos de graduao com Conceito de Curso CC igual ou maior que 4, no processo de avaliao/INEP.

50% - O INEP/MEC ainda no divulgou os resultados das avaliaes do ano de 2011. Conceito de Curso

Fonte: PREG

14 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

DIRETRIZ 3 Renovao Pedaggica da Educao Superior

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Atualizao de Metodologias e Tecnologias de

Ensino e Aprendizagem

Manter o quantitativo de grupos PET. 18 18

Foram mantidos os 18 grupos PET, a saber: Cincia da Computao (FACOM), Educao Fsica (CCHS), Enfermagem (CPTL), Engenharia Eltrica (CCET), Farmcia (CCBS), Fsica (CCET), Geografia (CPTL); Qumica (CCET); Matemtica (CPTL), Pedagogia/Cincias Sociais (CPNV), Conexes Matemtica (CPTL), Conexes Matemtica (CPPP), Agronomia Engenharia Florestal (CPCS), Sistemas (FACOM), Conexes Histria (CPTL), Conexes Pedagogia/Psicologia (CPAN), Zootecnia (FAMEZ), Fronteira (CPPP)

Grupos de Pesquisas mantidos

Manter o quantitativo de grupos PET-Sade. 3 3 Foram mantidos os Grupos: Sade Mental; Sade da Famlia e Sade e Vigilncia Sanitria.

Grupos Pet e PIBID criados

Manter o quantitativo de grupos PIBID. 21 21 Foram mantidos os 21 grupos de PIBID.

Incentivar a criao de grupos PET. 5 -

O MEC no lanou edital para seleo de novos Grupos PET em 2011.

Incentivar a criao de grupos PET Sade. 2 - Meta no atendida, pois o edital n24 de 15/12/2011 para seleo de novos grupos conforme programao do Ministrio da Educao/Ministrio da Sade foi lanado somente para 2012.

Incentivar a criao de grupos PIBID. 5 13

Foi realizada consulta s coordenaes de cursos de licenciaturas da UFMS as quais implementaram 63 subprojetos que esto sob anlise (aprovao) da CAPES. Destes 63, 13 j obtiveram a aprovao.

Continua

15 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Modernizao e Dinamizao do

Sistema de Bibliotecas

Ampliar e atualizar o acervo bibliogrfico para o sistema de Bibliotecas da UFMS. 9.763 11.963

O acervo bibliogrfico foi ampliado em 11.963 exemplares adquiridos no ano de 2011, dos quais 11.079 exemplares so de procedncia nacional e 884 de procedncia estrangeira. At o ms de dezembro foram entregues 6.042 exemplares, os demais exemplares sero entregues em 2012. O acervo total cresceu 7, 7% passando de 271.080 para 291.908 exemplares, incorporando-se as aquisies e doaes.

Acervo adquirido

Estimular a frequncia diria de usurios na Biblioteca Central. 1.100 988

A frequncia mdia diria da Biblioteca Central foi de 844 usurios, sendo registradas 207.755 visitas de usurios nos 246 dias teis de atendimento. O laboratrio de informtica da CBC recebeu 308 visitas ao ano, enquanto a sala de estudos foi utilizada por 2.444 usurios.

Mdia mensal de

frequncia

Ampliar o emprstimo de materiais bibliogrficos. 2% 8,13%

Os emprstimos de material bibliogrfico (on-line e domiciliar) cresceram em 8,13%, passando de 116.720 em 2010 para 126.218 no ano de 2011. Esse aumento se deve a disponibilizao de novos livros, aumento de nmero de alunos de graduao e ps-graduao e o conhecimento por parte dos usurios da Biblioteca Central do servio de renovao on-line do emprstimo que teve o acesso ao Portal da Biblioteca 25% maior em relao ao ano de 2010, passando de 56.657 para 70.545 emprstimos.

Evoluo dos emprstimos

Ampliar o acesso a bancos de dados diversificados disponibilizados no Sistema de Bibliotecas da UFMS (portal de peridicos-CAPES, e-books, etc.).

4% 15%

O acesso ao Portal de peridicos- Capes cresceu 15% em relao a 2010, ou seja, de 348.514 acessos para 400.738 em 2011. Foram realizadas as seguintes aes: Treinamento de acesso aos bancos de dados Bases de Dados dos editores do

Portal de Peridicos (trs treinamentos); Treinamento das Bases de dados Scorpus e Science Direct na Biblioteca Central; treinamento a 41 participantes no CPNA; Treinamento em duas turmas das Bases de Dados Web of Science/End Not,

totalizando 231 usurios; Divulgado por e-mail aos usurios participantes de treinamentos e servios, para

coordenaes de cursos de graduao e ps-graduao o oferecimento de treinamentos do Portal de Peridicos Capes por agendamento e dias determinados semanalmente.

Evoluo dos emprstimos

Fonte: PREG

16 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

DIRETRIZ 4 Mobilidade intra e interinstitucional

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO NA PA AP

Mobilidade Estudantil

Normatizar no mbito da UFMS os procedimentos para a mobilidade estudantil em mbito internacional.

1 1 Elaborado o documento Acordo de Intenes que define os procedimentos de mobilidade estudantil internacional. Procedimentos normatizados

Ampliar a oferta de vagas para mobilidade estudantil nacional. 92 104

Foi ofertada uma vaga por curso de graduao conforme Resoluo COEG n 62/2009 que regulamentou no mbito interno da UFMS o Programa de Mobilidade Estudantil.

Estudantes atendidos

Ampliar a oferta de bolsas para mobilidade estudantil nacional. 12 -

No houve ampliao, manteve-se o quantitativo de bolsas (12) com mobilidade ANDIFES em convnio com o Banco Santander.

Estabelecer acordos de cooperao, convnios e/ou parcerias com universidades ou centros de pesquisa em mbito nacional.

1 - No houve estabelecimento de novos acordos, convnios ou parcerias. Manteve-se o acordo de Mobilidade Acadmica/Andifes. Acordos, convnios

e/ou parcerias celebrados.

Ampliar a oferta de vagas para mobilidade estudantil em mbito internacional.

40

53

Foram atendidos pelo programa de mobilidade estudantil em mbito internacional: 8 acadmicos de Angola e Moambique Projeto Capes: Programa de Incentivo

Formao Cientfica de Alunos de Angola e Moambique; 5 acadmicos via Programa de Mobilidade Mercosul Projeto Piloto bolsas

ofertadas em 2011 para estudo em 2012; 3 acadmicos via Capes Fipse FAMEZ; 37 estudantes convnio cultural e cortesia, sendo 5 novas vagas em 2011 e 32

remanescentes de anos anteriores.

Estudantes atendidos

Continua

17 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Mobilidade Estudantil

Ampliar o quantitativo de bolsistas para mobilidade estudantil em mbito internacional.

30 51

Foram atendidos com bolsa pelo programa de mobilidade estudantil em mbito internacional: 4 acadmicos estudando no exterior pelo programa Cincia sem Fronteiras bolsa

ofertada em 2011 para estudo em 2012 Chamada Pblica 1/2011 Capes; 9 acadmicos inscritos e aguardando seleo do Cincia sem Fronteiras

Chamada Pblica 1/2011 Capes; 1 doutorando (orientando prof. Peter Cheung) via Cincia sem Fronteiras - bolsa

ofertada em 2011 para estudo em 2012; 2 alunos - Santander Top Espanha bolsa ofertada em 2011 para estudo em

2012; 1 professor Santander Top Espanha bolsa ofertada em 2011 para estudo em

2012; 3 bolsas Programa de Mobilidade Mercosul para 2012 bolsas oferecidas em 2011

para estudo em 2012 3 acadmicos pela Capes Fipse FAMEZ; 28 vagas recebidas do programa Cincia sem Fronteiras CNPQ ;

Estudantes atendidos

Estabelecer acordos de cooperao, convnios e/ou parcerias com unidades ou centros de pesquisa em mbito internacional.

10 4

Foram iniciados no ano os procedimentos para assinar e/ou renovar os acordos de cooperao com as seguintes Universidades: China Universidade de Hubei; Japo - Universidade de Kochi; Espanha Universidade de Salamanca; Bolvia Universidade Ren Moreno;

Acordos, convnios

e/ou parcerias celebrados

Fonte: RTR

18 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Extenso e Apoio Estudantil

DIRETRIZ 5 Compromisso Social da Instituio

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Apoio ao Estudante

Realizar levantamentos anuais do perfil socioeconmico dos acadmicos solicitantes de programas assistenciais.

4000 4.200

Anualmente so realizados estudos do perfil socioeconmico dos acadmicos solicitantes dos benefcios: Auxlio-alimentao, Restaurante Universitrio, Bolsa Permanncia e Incentivo Participao em Eventos (Ipev). No ano, foram analisados 5% a mais de perfis em relao meta prevista.

Perfil

socioeconmico levantado

Ampliar o quantitativo de acadmicos beneficiados com a Bolsa Permanncia.

1287 1.561

O quantitativo de acadmicos beneficiados com bolsa permanncia superou a meta prevista em 21%. Foram realizados dois processos seletivos para a oferta de bolsas; no segundo processo todas as solicitaes foram atendidas. Ressaltando-se que em 2011 houve melhor divulgao do programa com postos de informao nas Unidades, cartazes fixados nos Cmpus, bem como a disponibilidade de toda a equipe para esclarecimentos.

Estudantes atendidos

Ampliar o quantitativo de acadmicos beneficiados com o Auxlio-alimentao. 1238 1.962

Meta superada em 58% em funo da melhor divulgao do programa com postos de informao nas Unidades, cartazes fixados nos Cmpus, bem como a disponibilidade de toda a equipe para esclarecimentos.

Estudantes atendidos

Ampliar o nmero de acadmicos beneficiados com a ao: Incentivo Participao em Eventos.

275 382

A prioridade quanto ao recebimento do auxlio financeiro para acadmicos que iro apresentar trabalho cientfico nos eventos, porm, do total de acadmicos participantes da ao somente 143 apresentaram trabalhos o que demonstra a necessidade de incrementar e incentivar a participao de acadmicos como autores de trabalhos.

Estudantes atendidos

Ampliar a oferta de bolsas para acadmicos desenvolverem atividades de Ensino em benefcio dos discentes em vulnerabilidade socioeconmica (Nivelamento, Lngua Estrangeira e Informtica).

200 126

A oferta foi iniciada somente no ms de agosto, obtendo-se poucas propostas apresentadas pelos docentes. Nem todos os Cmpus participaram da ao apesar de todos necessitarem dos cursos de nivelamento para acadmicos, especialmente aqueles em vulnerabilidade socioeconmica. Desde o 2 Edital est ocorrendo ampla divulgao entre os docentes por meio da Pr-Reitoria de Ensino de Graduao.

Bolsas destinadas a Projeto de ensino

Ampliar o nmero de acadmicos atendidos na ao Apoio Pedaggico (Nivelamento, Lngua Estrangeira e Informtica).

1000 1.131

Os 20 projetos da ao viabilizaram o atendimento a 1.131 acadmicos nas diferentes etapas dos cursos oferecidos: curso de lnguas, interpretao de texto, matemtica, biologia, qumica, informtica, entre outros. Os cursos de Lnguas Estrangeiras e Informtica sero executados no incio de 2012.

Estudantes atendidos

Ampliar o nmero de cursos de graduao atendidos pela ao Apoio Pedaggico com a aquisio de Kits Instrumentais.

8 9

Foram adquiridos 43 Kits para atender 9 cursos de graduao (arquitetura, artes visuais, enfermagem, engenharia civil, engenharia eltrica, medicina, msica, odontologia e fsica). Estes Kits so compostos por materiais de uso pedaggico para o desenvolvimento de atividades do curso tais como calculadora cientfica, telescpio, estetoscpio, rguas para desenho, entre outros.

Estudantes atendidos

Continua

19 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Apoio ao Estudante

Ampliar o nmero de alunos atendidos em Projetos de Ensino na Ao Assistncia Sade e ao Desporto.

300 -

Meta no atendida. O exerccio de 2011 foi dedicado s articulaes com os Coordenadores dos Cursos de Odontologia, Nutrio, Fisioterapia, Educao Fsica e Enfermagem, buscando propostas de projetos de ensino que pudessem atender aes de sade do PNAES. No ano foi viabilizada a aquisio de materiais e equipamentos aos projetos. A ao ser executada a partir de 2012 atendendo acadmicos da Cidade Universitria e de todos o Campus.

Estudantes atendidos

Ampliar os suportes mdicos, odontolgicos e psicolgicos. 200 388

Foi realizado atendimento a 388 estudantes pelo Grupo de Acolhimento e Apoio Biopsicossocial que o responsvel pelo atendimento psicolgico e encaminhamento para atendimento mdico e odontolgico

Estudantes atendidos

Ampliar o nmero de visitas s Escolas Pblicas do Ensino Mdio com a Ao Orientao Profissional.

6 29

Quatro(4) escolas receberam a UFMS, representadas por tcnicos da PREAE, docentes e acadmicos dos diversos cursos de graduao para divulgar as aes da assistncia estudantil e a estrutura dos cursos. Das escolas de ensino mdio de Campo Grande que foram convidadas para participar do Evento II UFMS de Portas Abertas, 25 escolas receberam in loco a visita da servidora da PREAE, cujo objetivo era estimular e mobilizar para a participao no evento que proporcionava, dentre outras aes, a aproximao dos alunos de ensino mdio e a universidade; e, das 25 escolas visitadas, 12 participaram efetivamente do evento, cada uma trazendo aproximadamente 40 alunos, o que somente foi possvel dado disponibilidade de nibus gratuito, resultado de articulao conjunta PREAE, Empresa de nibus, Coordenao do Evento e Poder Legislativo Municipal.

Escolas contempladas

Ampliar o nmero de acadmicos participantes em aes culturais e desportiva que envolvam a comunidade universitria e externa a UFMS, por meio de projetos de extenso ou ensino.

8000 25.468 Os 55 projetos de extenso, tanto na rea de cultura quanto do desporto, registraram a participao de 25.468 discentes de graduao.

ndice de evoluo da participao acadmica

Revitalizar espaos voltados ao atendimento ao estudante na promoo da assistncia acadmica.

8 12

Foram revitalizados 12 espaos, a saber: Complexo Aqutico; Diretrio Central dos Estudantes; Laboratrio de Informtica/PNAES; Centrinho/FAODO; Ginsio Eric Tinoco Marques Moreninho; Restaurante Universitrio; Sala de Dana; Sala de Canto e Coral, Sala de Desenvolvimento de Projetos Culturais; Alojamento Feminino e Masculino e Cercamento do Auto Cine.

Espaos revitalizados

Realizar, na Sede e nos Cmpus, levantamento anual dos acadmicos com necessidades educacionais especiais para serem atendidos na Acessibilidade.

1 1 Foi realizada pesquisa retrospectiva, descritiva e documental no perodo de 2009 a 2011, com 71 Gestores e Diretores das Unidades de Administrao Setorial os quais identificaram que 167 acadmicos apresentaram algum tipo de deficincia.

Levantamento

realizado

Continua

20 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Consolidao da Extenso

Universitria

Elaborar programas e editais que promovam a articulao da extenso com reas de ensino de graduao, de ps-graduao e pesquisa.

9 -

A deciso de implementar os programas de mobilidade acadmica ocorreu no 2 semestre de 2011, juntamente com a PREG. Contudo, no houve tempo hbil e nem oramento previsto para esta ao em 2011. Desta forma cumpriremos esta meta em 2012, a partir de trabalhos do PET Sade que ser assumido pela PREAE, tendo Edital do Ministrio da Sade para promover, entre outras atividades de mobilidade dos discentes da rea de sade. O principal programa de mobilidade ser realizado entre os alunos da FAMEZ e os do campus de Chapado (agronomia e engenharia florestal). O Projeto Gesto de Estratgica da Inovao j cadastrada na plataforma do SIGPROJ com data prevista para iniciar em maro/2012. Este projeto cumpriu com a meta articulao entre PREAE e PROPP. Est prevista ainda a realizao do evento intitulado III UFMS PORTA ABERTA, articulao entre a PREAE e PREG.

Nvel de participao

estudantil

Ampliar a oferta de bolsas de extenso com fomento interno (F. I) e externo (F. E). 187 213

Do total de 213 bolsas de extenso concedidas 167 foram com fomento interno e 46 com fomento externo. Houve um nmero maior de aes de divulgao dos editais de extenso pela internet e nos campus da UFMS. Foram realizadas oficinas de orientao para elaborao de projetos de extenso e diversas aes extensionistas foram contempladas por editais externos, a exemplo do PROEXT que possibilitou um aumento significativo de recursos.

Nmero de bolsas com F.E.

Nmero de bolsas com F.I.

Socializar os resultados das aes extensionistas. 11 11

Foram realizados 11 Encontros de Extenso, sendo um em Campo Grande e um em cada campus da UFMS. No total foram apresentados 169 trabalhos de extenso, dentre os quais resultaram diversas publicaes, bem como TCCs, Dissertaes e Teses executados.

Artigos publicados

Fortalecer a relao universidade sociedade (aes implementadas).

41 579

Foram executados 17 programas, 320 projetos, 83 cursos, 157 eventos e 2 prestaes de servio, totalizando 579 aes. A meta foi superada em razo da celebrao de contratos, convnios, descentralizaes de crditos e outras parcerias que no implicaram repasses financeiros diretos. Destacamos os programas Casa da Cincia, Cursinho Pr-ENEM, desenvolvimento da cultura e do desporto (PRODER), Escola de Conselhos, Escola de Qualificao Rural, Ncleo de Educao, Recreao e Desenvolvimento Social (Nerds) e Sorriso Pantaneiro como os que mais propiciaram a interlocuo universitria com a sociedade.

Nmero de participantes nas aes de extenso

ndice de ampliao das

aes extensionistas

Promover aes de incentivo extenso na rea do desporto e cultura. 10 110

Houve um aumento expressivo do nmero de aes de Desporto e Cultura em 2011 em virtude de recursos advindos de Editais Externos e aes de Incentivo a alunos do PNAES na Participao em projetos de cultura e desporto.

ndice de ampliao das aes extensionistas

Fonte: PREAE

21 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Pesquisa e Ps-Graduao

DIRETRIZ 6 Expanso e Fortalecimento da Pesquisa, Ps-Graduao, Tecnologia e Inovao e Suporte da Ps-Graduao ao Desenvolvimento e Aperfeioamento Qualitativo dos cursos de Ps-Graduao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Ps-Graduao

Implantar programas de ps-graduao stricto sensu - mestrado acadmico e profissionalizante, previamente submetidos aprovao da CAPES.

8 8

Implantado os cursos de Mestrado Acadmico em Agronomia, Biologia Animal, Comunicao, Farmcia, Psicologia, Odontologia e os Mestrados Profissionalizantes em Eficincia Energtica e Sustentabilidade, e Matemtica em Rede Nacional. Prestar apoio tcnico s comisses de elaborao de propostas de cursos novos, bem como o financiamento de visita de consultores externos para melhorar a qualidade das propostas apresentadas.

Evoluo dos cursos de

Ps-graduao

Implantar programas de ps-graduao stricto sensu doutorados, previamente submetidos aprovao da CAPES.

1 1 Implantado o Dinter em Administrao realizado por meio de convnio com a UNINOVE. -

Elevar os conceitos dos programas de ps-graduao stricto sensu na avaliao peridica da CAPES. (cursos com conceito elevados).

2 2

Na ltima Avaliao Trienal - 2007/2009 - dois programas de ps-graduao elevaram seus conceitos, o curso de mestrado em Qumica obteve conceito 4 e o programa em Sade em Desenvolvimento elevou seu conceito para 5. As estratgias foram: o estmulo produo cientfica de qualidade, abertura de concurso para professores doutores atuantes nas reas de pesquisa dos programas de ps-graduao, alm de apoio financeiro para desenvolvimento de projetos de pesquisa.

Cursos de Ps-graduao com Conceitos Elevados

(CAPES)

Ampliar as vagas nos cursos de ps-graduao da UFMS. 101 120

Aumento de 22,9% nas vagas ofertadas nos programas de ps-graduao stricto sensu. Isto se deu em virtude do aumento no nmero de cursos de ps-graduao aprovados, bem como no aumento do nmero de vagas dos cursos j existentes, considerando o aumento na capacidade de orientao.

Vagas criadas

Ampliar o quantitativo de bolsistas de ps-graduao (mestrado e doutorado).

130 143

A meta prevista foi superada em 10%. Em relao ao ano de 2010 houve um aumento de 43,46% no nmero de bolsas de Ps-Graduao concedidas, por meio dos Programas de Demanda Social e Reuni/Capes, passando de 329 para 472 no ano de 2011.

Bolsas ampliadas

Continua

22 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

Continua

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Ps-Graduao

Revitalizar as instalaes e a infraestrutura dos laboratrios que so utilizados pelos programas de ps-graduao da UFMS.

6 12

1) Alocao de recursos do oramento em Atas de Registro de Preos visando melhorar as instalaes de funcionamento dos cursos, bem como a infraestrutura dos laboratrios utilizados pelos programas de ps-graduao da UFMS. 2) CT-INFRA PROINFRA n. 01/2006 (Convnio n. 01.07.0448-00): reforma de espao fsico do Laboratrio de Cincias Farmacuticas, CCBS. 3) CT-INFRA Campi Regionais n. 03/2007 (Convnio n. 01.07.0544-00): construo do IPTL (Instituto de Pesquisa e Ps-Graduao do Cmpus de Trs Lagoas). 4) Aprovao, pela FINEP, de projeto elaborado pela PROPP, com recursos para obras e instalaes, Chamada Pblica MCT/FINEP/CT-INFRA PROINFRA 02/2010. Recurso financeiro a ser liberado em exerccio futuro.

Programas de PG atendidos

Incrementar os cursos de ps-graduao com a aquisio de equipamentos e materiais permanentes.

6 22

1) Alocao de recursos do oramento para aquisio de materiais permanentes para os programas de ps-graduao. 2) laborao do projeto institucional Pr-Equipamentos/CAPES/2011, para aquisio de equipamentos para a ps-graduao, que foi aprovado na ntegra pela CAPES, e executado em 2011. 3) CT-INFRA Cmpus Regionais n. 01/2010: aquisio de equipamentos para equipar a Base de Estudos do Cmpus de Aquidauana, executado em 2011. 4) Aprovao, pela FINEP, de projeto elaborado pela PROPP, com recursos para equipamentos, Chamada Pblica MCT/FINPE/CT-INFRA PROINFRA 02/2010. Recurso financeiro a ser liberado em exerccio futuro.

Viabilizar a contratao de professores visitantes para fortalecer os programas de ps-graduao.

8 9 Lanamento de edital para contratao de 9 professores visitantes. Professores contemplados

Iniciao Cientfica

Ampliar o quantitativo de bolsistas na Iniciao Cientfica CNPQ/PIBIC. 210 227

A meta foi ultrapassada em 8%. A partir de aes da PROPP junto ao CNPq foi possvel elevar o quantitativo de Bolsistas. O Total de alunos que participaram da Iniciao Cientifica com bolsa (CNPQ e UFMS) ou de forma voluntria tambm cresceu 8% passando de 354 em 2010 para 385 em 2011.

Alunos beneficiados

Ampliar o quantitativo de bolsistas na Iniciao Cientfica CNPQ/PIBITI. 15 17

A partir de gestes da PROPP junto ao CNPq foi concedido um aumento de 02 (duas) bolsas de Inovao Tecnolgica. Alunos beneficiados

Ampliar o quantitativo de bolsistas na Iniciao Cientfica com fomento interno.

65 65 A meta prevista na proposta do PDI foi atingida. Alunos beneficiados

Iniciao Cientfica

Socializar com a comunidade interna e externa os resultados das aes em Iniciao Cientfica (eventos).

1 1

Realizao do XII Encontro de Iniciao Cientfica/UFMS em que foram desenvolvidas as seguintes atividades: - abertura do evento; - apresentao dos resultados dos planos de trabalho de acadmicos bolsistas e voluntrios; - avaliao do Encontro e dos relatrios pelo Comit Externo, constitudo por bolsistas produtividade -CNPq.

23 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance da

Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Residncia Mdica

Viabilizar a participao de bolsistas no Programa Bolsa de Residncia Mdica 126 115

Foram contemplados com bolsa de Residncia mdica, 115 mdicos residentes nas seguintes especialidades: Cancerologia cirrgica, Cardiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular, Clnica Mdica, Dermatologia, Infectologia, Infectologia Hospitalar, Medicina da Famlia e Comunidade, Medicina Intensiva Peditrica, Neonatologia, Ginecologia e Obstetrcia, Ortopedia, Oftalmologia, Pediatria, Pneumologia, Psiquiatria, Reumatologia e Urologia.

Alunos beneficiados

Viabilizar a participao de bolsistas no Programa Bolsa de Residncia Multiprofissional.

1 16 16 bolsistas foram contemplados no programa, cujas bolsas foram distribudas aos seguintes cursos: Nutrio, Enfermagem, Fisioterapia e Farmcia. Alunos beneficiados

Viabilizar a participao de bolsistas no Programa Bolsa de Residncia Odontolgica.

1 6 6 bolsistas participaram do Programa de Residncia em Odontologia Buco-Maxilo, em uma ao conjunta com o Ministrio da Sade e a Pr-Reitoria de Pesquisa e Ps-Graduao.

Alunos beneficiados

Viabilizar a participao de bolsistas no Programa de Residncia em Medicina Veterinria.

5 2 2 bolsistas foram contemplados com o Programa de Residncia em Medicina Veterinria, mediante a oferta de bolsas pela da Pr-Reitoria de Pesquisa e Ps-Graduao.

Alunos beneficiados

Produo Cientfica

Promover a expanso da produo cientfica.

1710 4.172

O total de 4.172 produtos diz respeito aos seguintes tipos de produo: bibliogrfica (1.612), tcnica (320); cultural (12); orientaes (624); e bancas (1.604). No quesito publicao de artigos em revistas indexadas no Sistema QUALIS / CAPES, os nmeros so os seguintes: 298 em peridicos internacionais; 122 em peridicos nacionais; e 83 em peridicos no identificados.

Artigos publicados (Sistema Qualis)

Capacitao Docente

Oportunizar e incentivar a qualificao do corpo docente, ampliando o quantitativo de professores doutores.

20

19

1.O Plano de Capacitao Docente possibilitou o afastamento de 10 docentes para cursar doutorado e 9 para cursar estgio ps-doutorado. 2.Quatro docentes concluram o doutorado e 1 o ps-doutorado; 3.Foi encaminhada proposta de reajuste do Plano Institucional de Formao de Quadros Docentes (PLANFOR), aprovada pela CAPES; 4.Readequada as normas para capacitao do corpo docente da UFMS Resoluo n 100/2011-COPP;

Docentes qualificados

Inovao Tecnolgica e

Interao UFMS/Empresas

Realizar eventos relacionados inovao, propriedade intelectual e transferncia de tecnologia.

6 8 Realizado o curso de extenso Gesto Estratgica da Inovao e 7 palestras ministradas nos Cursos de Ps-Graduao Participao no UFMS Portas Abertas

Aes de incentivo Inovao Tecnolgica Celebrar contratos de parceria,

cooperao, transferncia ou licenciamento de tecnologia com empresas.

5 - Vrios contatos foram estabelecidos, mas ainda estamos em fase de negociao, sendo que o maior obstculo a falta de recursos financeiros das empresas, as quais aguardam o lanamento de editais de incentivo.

Continua

24 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Inovao Tecnolgica e

Interao UFMS/Empresas

Implantar empresas juniores na UFMS. 2 -

Elaborada minuta de Normas para Criao do Programa de Empresas Juniores na UFMS, estamos aguardando aprovao do COUN para implantao de novas empresas. Os cursos de Engenharia Eltrica, Computao e Engenharia Ambiental j manifestaram interesse em criar suas empresas.

-

Fomentar e atender pedidos de registro de patentes.

6 4 Submisso de 04 Depsitos de Patente. Todos esto em processo de anlise, as demais demandas no atendiam aos requisitos de patenteabilidade.

Aes de incentivo Inovao Tecnolgica

Incentivar e apoiar a participao de docentes em eventos acadmicos e cientfico-tecnolgicos, enfatizando aqueles cujos resultados podero ser publicados em revistas cientficas e em anais de mbito nacional e/ou internacional.

100 249

Viabilizada a participao de 249 docentes em eventos acadmicos e cientfico-tecnolgicos e prestado apoio para publicao de produes: bibliogrficas (1.612), tcnicas (320); culturais (12); orientaes (624); e bancas (1.604) e ainda na publicao de artigos em revistas indexadas no Sistema QUALIS/CAPES: 298 em peridicos internacionais; 122 em peridicos nacionais; e 83 em peridicos no identificados.

Fomentar e atender pedidos de registro de software. 2 2

Iniciou-se o processo de 02 registros de software em parceria com outras instituies os quais sero submetidos ao INPI em fevereiro de 2012.

Pesquisa

Apoiar os projetos de pesquisa com fomento interno voltados para o fortalecimento da pesquisa, em aproximadamente 10% ao ano.

384 493 Houve um crescimento de aproximadamente 29% nos projetos de pesquisa apoiados com fomento interno. Estes projetos foram desenvolvidos em 17 Unidades da Administrao Setorial da Universidade.

ndice de ampliao Projetos de Pesquisa Fomento Interno e Fomento Externo

Incentivar a ampliao de projetos apoiados com fomento externo em aproximadamente 10% ao ano (projetos ampliados).

230 70 O nmero no correspondeu s expectativas projetadas, tendo em vista que no existe obrigatoriedade de cadastramento dos projetos com fomento externo na CPQ/PROPP.

Incentivar a criao de novos grupos de pesquisa. 199 206

O aumento, ainda que pequeno, deve-se especialmente ao aumento de Cursos de Ps-Graduao stricto sensu da UFMS. Um quantitativo maior de pesquisadores impulsionar a criao de grupos de pesquisa. Assim esto distribudos os grupos de pesquisa por rea de conhecimento: Cincias Agrrias: 20;Cincias Biolgicas: 20; Cincias da Sade: 26; Cincias Exatas e da Terra: 24; Cincias Humanas: 59; Cincias Sociais e Aplicadas: 27; Engenharias: 15; e Lingustica, Letras e Artes: 15

Grupos de Pesquisa criados

Continua

25 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Pesquisa

Incentivar a realizao de pesquisas arqueolgicas sobre a formao de etnias indgenas.

5 6

Implementados seis projetos com abordagem tnica indgena, aa seguir identificados: 1) Projeto Levantamento de stios relativos ao ciclo das mones em Mato Grosso do

Sul Bacia do Paran (Proc. 18 SR/ IPHAN - 01401.00051/2009-17 Contrato FADEMS/IPHAN n 04/2010).

Projeto Levantamento arqueolgico no municpio de Bodoquena, MS (Termo de Outorga: FUNDECT/UFMS n 079/09).

Projeto O incio do povoamento humano da bacia do Paran, MS: pesquisa de abrigos sob rocha na paisagem do Brasil Central (Bolsa de produtividade em pesquisa Processo CNPq n 307225/2009-7).

Projeto O incio do povoamento humano nas margens do rio Paran: arqueologia do stio Brasilndia 8 (Processo CNPq n 477946/2011-9).

Projeto Levantamento, monitoramento e resgate arqueolgico na margem direita dos reservatrios das Usinas Hidreltricas Engenheiro Srgio Motta, Jupi e Ilha Solteira alto curso do rio Paran perodo abril/2011 a maro/2013. (Contrato CESP/FAPEC Dispensa de Licitao n ASC/GAL/7008/2011).

Projeto Arqueologia preventiva na rea a ser impactada pela Unidade Fertilizantes Nitrogenados III da Petrobrs, em Trs Lagoas/MS: etapa de monitoramento arqueolgico e educao patrimonial (Contrato PETROBRS/FAPEC n 0802 0067168 11 2).

Pesquisa realizada

Pesquisa

Socializar a importncia da preservao da memria e do patrimnio cultural deste Estado, fomentando a visitao ao Museu de Arqueologia da UFMS (MuArq), especialmente por alunos de escolas pblicas e particulares da rede de ensino de Mato Grosso do Sul (pblico atendido)

12000 5011

Desde a sua instalao, no ano de 2008, o MuArq j recebeu 10557 pessoas, incluindo-se as visitas sua exposio de longa durao, s exposies temporrias em outras unidades, bem como em atividades de educao patrimonial junto a diversos municpios sul-mato-grossenses. O horrio de abertura do museu, bem como a disponibilidade de nibus para transporte de grupos escolares so fatores diretamente relacionados ao cumprimento da meta prevista.

ndice de evoluo de visitantes

Continua

26 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Produo Grfica

Realizar a publicao de livros, revistas cientficas e de material didtico oriundos de trabalhos de pesquisa e de extenso cultural realizados no mbito da UFMS.

289 442

a) Publicao de 58 ttulos/livros nas reas de Educao, Histria, Cincias Contbeis, Letras, Lingustica, Filosofia, Jornalismo, Direito etc. b) Publicao de 10 Revistas: Albuquerque (Histria); Intermeio (Educao); Pantaneira (Geografia); Desafio (Administrao); Papis (Letras); Revista Perspectiva do Mestrado em Educao Matemtica; Cadernos de Estudos Culturais, Revista do Mestrado em Estudos de Linguagens; Revista Rascunhos Culturais Letras (CPCX); Geopantanal (geografia, estudos fronteirios/CPAN). c) Atendimento a 374 Ordens de Servios, referentes execuo/impresso e acabamento de materiais didticos, tais como Apostilas, Livretos, Panfletos, Cartilhas, Folders, Informativos, Provas, Jornais, Certificados, Convites, Caderno de Resumos, Anais, etc.

-

Base de Estudos do Pantanal (BEP)

Garantir e prestar apoio tcnico e logstico aos visitantes em suas atividades de pesquisa (visitantes recepcionados).

1.240

1.270 Viabilizao de estada, alimentao, transporte, combustvel, dirias para motorista.

ndice de ampliao Projetos/BEP

Executar projetos relacionados ao bioma Pantanal nas reas de pesquisa, ensino e extenso (projetos implementados).

32 39 Foram implementados 39 projetos na BEP.

Fonte: PROPP

27 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Fortalecimento Institucional

DIRETRIZ 7 Modernizao e Ampliao da Infraestrutura e Preservao do Patrimnio da UFMS

Continua

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance

da Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Revitalizao de Equipamentos e

Materiais Permanentes

Revitalizar as Unidades da Administrao Central e Setorial, mediante aquisio de equipamentos, as dependncias destinadas s atividades administrativas.

24 24

O programa de modernizao e ampliao da infraestrutura de equipamentos e materiais permanentes atendeu as 24 Unidades da Administrao Central e Setorial, com investimento de aproximadamente R$ 7,2 milhes. Entretanto, o atendimento no correspondeu a 100% das demandas iniciais planejadas devido a problemas nas licitaes tais como falhas de especificaes, dificuldades na obteno de parecer (aceitao dos materiais cotados), preo incorretamente estimado, itens desertos (no houve interesse dos fornecedores) entre outros.

Unidades atendidas

Revitalizar as Unidades da Administrao Setorial, mediante aquisio de equipamentos para os laboratrios destinados s atividades de ensino.

18 18

O programa de revitalizao dos laboratrios atendeu as demandas prioritrias das Unidades de Administrao Setorial da UFMS. Foram contemplados os laboratrios de aulas praticas acadmicas das reas de humanas, biolgicas, cincia agrrias, engenharias, cincias sociais aplicadas, lingstica, letras e artes, informtica.

Unidades atendidas

Construes, Reformas e

Revitalizaes

Atender a demanda por obras das unidades da administrao central e setorial. 6 16

Em 2011 foram iniciadas 16 obras em 7 Unidades da Administrao Setorial; 8 obras foram concludas, 14 obras esto sendo executadas e 2 esto com sua execuo paralisada.

Obras realizadas

Atender a demanda por reformas das unidades de administrao central e setorial.

16 16 Foram atendidas 16 Unidades da Administrao Central e Setorial, localizados em Campo Grande, Trs Lagoas, Corumb e Aquidauana. Foram concludas 72 reformas e esto em processo de execuo 16 reformas.

Reformas realizadas

Elaborar Projetos de Adequao da Acessibilidade nas unidades da UFMS. 3 1

Projetos de Rampas de Acessibilidade foram executados em vrias localidades. O incio deu-se no Cmpus do Pantanal. Projetos Implantados

28 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance da

Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Construes, Reformas e

Revitalizaes

Implementar aes de gesto ambiental. 4 4

Encontra-se em execuo as seguintes aes: -Realizada a coleta de resduos qumicos; -Licena ambiental de Campo Grande em andamento; -Licena ambiental do CPAN em andamento; -Exigncia nos editais de licitao para que as empresas utilizem papel reciclado.

Aes implementadas

Realizar servios de melhorias nos espaos externos. 5 7

Unidades atendidas com a revitalizao do calamento externo: FAODO, FAMED, LAC/CCBS, QUMICA/CCET, CCBS E CCHS. Unidades atendidas com a revitalizao de gramado: Unidade VI, Rampa perto do Corredor Central; Qumica at o lago do Amor.

Unidades revitalizadas

Infraestrutura Tecnolgica

Implantar salas de videoconferncia na Sede e nos Campus. 8 11 Foram implantadas uma sala em cada Cmpus e uma em Campo Grande.

ndice de destinao oramentria a Infraestrutura Tecnolgica

Viabilizar pontos de acesso de rede sem fio (hot-spot) nas unidades acadmicas da Sede e dos Campus.

2 2 Foram implantadas redes sem fio com cobertura completa no Campus do Pantanal e na Faculdade de Computao

Implantar cabeamento estruturado na Sede e nos Campus. 1 1 Foi refeita toda a rede do Campus de Corumb.

Adquirir licenas de software. 50 65 Aermod, Aermod View, Aquifer Test Pro, Visual Modflow Pro, Topograph, Topogrfico Geoofice, Sufer, Kit Winslug, 12 Licenas de Autocad, 20 Licenas de Corel Draw, 25 Licenas de Adobe CS5

Frota Veicular Ampliar e renovar a frota veicular conforme demanda prioritria

4 2 No foram adquiridos veculos de passeio e coletivo por fora do Decreto 7.446 de 2011. Foram recebidos como doao dois veculos sendo 1 caminho ba e 1 caminhonete.

Veculos Adquiridos

Fonte: PRAD e PROPLAN

29 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

DIRETRIZ 8 Modernizao da Gesto e Fortalecimento do Desenvolvimento Institucional

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance da

Meta INDICADOR DE DESEMPENHO NA PA AP

Aper

fei

oam

ento

da

Ges

to

Acad

mic

a e

Adm

inis

trat

iva

Implementar sistema informatizado de controle de projetos de pesquisa. 1 1

Sistema desenvolvido e implantado. Sistemas de Gesto

implementados

Integrar sistemas institucionais. 4 4 Os sistemas de Patrimnio, RH, Registro de Documentos e Capacitao esto todos integrados e compartilhando dados via banco de dados nico.

Implementar o Plano Estratgico de Comunicao Social e consolidar suas aes (aes implementadas).

2 2 As aes do planejamento estratgico esto relacionadas na Relao III.

- Ampliar a Divulgao Institucional.

- Sistema de Catalogao implantado.

- Monitoramento de acessos e divulgaes via

clipping.

Fortalecer o processo de autoavaliao institucional mediante apoio tcnico e financeiro.

1 1

Em 2011 a CPA fortaleceu uma sistemtica avaliativa a qual previa uma participao mais efetiva da comunidade universitria no processo de autoavaliao institucional. Tambm foi previsto aos membros da CPA um maior quantitativo de horas reservadas aos trabalhos da Comisso.

Autoavaliao realizada

Aperfeioar a matriz de alocao de recursos OCC.

1 1 Foram testadas novas variveis visando aperfeioar a matriz, bem como avaliados os critrios atuais para distribuio financeira e oramentria.

Matriz aperfeioada

Implantar sistemtica de avaliao e adequao continua do PDI - 2010-2014. 1 1

Em 2011 foi desenvolvida uma sistemtica de avaliao para demonstrar os resultados quantitativos e qualitativos alcanados no Plano de Desenvolvimento Institucional PDI. O Relatrio de Avaliao do PDI 2010-2014 , exerccio 2010, encontra-se disponvel no sitio www.pdi.ufms.br.

-

Proceder, anualmente, avaliao do PDI. 1 1

Em 2011 foi realizada a primeira avaliao e adequao do Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 2010-2014, verificando-se em conjunto com os gestores das unidades a conformidade da programao estratgica. A nova verso do PDI 2010-2014 realinhado, encontra disponvel no sitio www.pdi.ufms.br, no cone downloads para consulta.

Avaliao realizada

Fonte: PRAD e PROPLAN

30 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Relao III: Em 2011, o Jornal da UFMS, principal publicao impressa produzida pela CCS ganhou novo formato o germnico que possibilita melhor manuseio e leitura mais dinmica. O contedo tambm foi valorizado a partir

da ampliao do nmero de pginas de quatro para oito pginas. Essa mudana reflete a preocupao da UFMS em evoluir sua comunicao procurando atender seu pblico com uma leitura mais rpida e eficiente. O jornal distribudo para todos os cmpus, alm de outras universidades e autoridades.

O relatrio de clipping, enviado rotineiramente para a administrao superior, foi remodelado em 2011. Ainda, foi organizada a lista de sites de notcias que so monitorados pela CCS, com a incluso de novos veculos e organizado o mailing de imprensa para facilitar e ampliar o envio de releases acerca de pautas institucionais importantes para a UFMS. Tambm passou a ser sistematizado o acompanhamento de inseres em mdias sociais como Twitter e Facebook. Desta forma, possvel fazer um acompanhamento dirio do que veiculado sobre a Instituio nas diversas mdias.

Em 2011, com a aquisio de trs cmeras profissionais, foi dado um salto grande em qualidade no registro fotogrfico, contribuindo tanto para melhorar as inseres no Jornal da UFMS, como para inseres das imagens no site da Instituio. Desta forma, o acervo fotogrfico de 2011, j est devidamente digitalizado e organizado por temas e salvo nos HDs.

A CCS deu incio a implantao do sistema de catalogao e digitalizao do clipping e do acervo fotogrfico. At 2010, o clipping dos jornais impressos est arquivado em papel. A partir de 2011, foi feita a digitalizao e as notcias veiculadas encontram-se arquivadas em mdias digitais (CDs e DVDs). Com relao ao acervo de fotos histricas, iniciou-se o trabalho de digitalizao e identificao.

A programao da TV Universitria, at 2010, era exibida apenas no canal 14 da NET e no link para a TV hospedado no site da Universidade. Em 2011, os materiais audiovisuais tambm passaram a ser divulgados por meio das redes sociais Youtube (http://www.youtube.com/tvuniversidade) e Facebook ( http://www.facebook.com/tvuniversidade). Em 2011 foi formalizada a implementao e a expanso dos pontos de propagao do contedo Capes WEB TV. O sistema Capes WebTV no emite sons, utiliza-se de legenda, de forma similar s TVs instaladas em aeroportos. Tem por objetivo propagar contedos produzidos pela Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior (Capes) e informaes e treinamentos do Portal de Peridicos. Tambm dispe de um canal para informaes voltadas comunidade acadmica local, produzidas pelas assessorias de comunicao das instituies envolvidas.

Alm de disponibilizar textos e imagens nas reas de Notcias, Evento e Pesquisa do site da UFMS, a CCS, em parceria com a Comisso de Segurana e o Ncleo de Tecnologia da Informao, criou um link na pgina principal do site, onde so agrupadas todas as notcias e informaes relativas ao setor de segurana da Universidade: http://www-nt.ufms.br/institution/view/id/39.

Ainda em 2011, foi elaborado pela CCS o projeto para produo de revista jornalstica que ir divulgar as pesquisas desenvolvidas na UFMS. A publicao tem como objetivo tornar pblico o que produzido pelos pesquisadores da Universidade, mais acessvel comunidade em geral, por meio da utilizao de linguagem jornalstica, assim como divulgar ao pblico interno e externo os trabalhos desenvolvidos nas mais diversas reas das cincias pela Instituio.

31 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

DIRETRIZ 9 Capacitao e Qualificao dos Recursos Humanos e Qualidade de Vida

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance da

Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Capacitao e Qualificao de

Pessoal

Promover a capacitao e qualificao profissional aos servidores da instituio (servidores contemplados)

700 437

Em 2011 foram oferecidos 24 eventos de capacitao com carga horria a partir de 20h at 180h, conforme diretrizes estabelecidas pelo MEC. No total foram beneficiados 437 servidores, sendo 48 servidores lotados em campus do interior e 389 na sede

Educao continuada

Incentivar a participao de tcnico-administrativos em cursos de graduao e de ps-graduao (aes implementadas).

3 1

Nos Anos de 2010 e 2011 foi feito contato com os coordenadores dos cursos de ps-graduao Stricto sensu da Instituio, visando promover a participao mais efetiva dos servidores tcnico-administrativos. Atualmente 30 servidores esto participando de programas de mestrado e doutorado oferecidos pela Instituio

Buscar a ampliao do quadro de servidores tcnico-administrativos, em conformidade com a demanda identificada em estudos especficos.

200 91

Todo o quantitativo de vagas autorizadas pelo Ministrio do Planejamento e Ministrio da Educao foi preenchido, ocorreu um atraso na liberao das vagas para 2011, sendo que sero preenchidas no primeiro quadrimestre de 2012

ndice de Ampliao do

corpo Tcnico Administrativo

Buscar a ampliao do quadro de servidores docentes, em conformidade com a demanda identificada em estudos especficos.

70 57 Todo o quantitativo de vagas autorizadas pelo Ministrio do Planejamento e Ministrios da Educao foi preenchido. Ocorreu um atraso na liberao das vagas para 2011, sendo que sero preenchidas no primeiro trimestre de 2012.

-

Qualidade de Vida

Promover aes que propiciem qualidade de vida aos servidores. 5 3

Os projetos implementados foram: Encontrando a Aposentadoria, Preveno aos Servidores da UFMS sobre o uso de lcool e outras drogas, e Conversando sobre os desafios nas inter-relaes no ambiente de trabalho.

Satisfao e Motivao de Pessoal

Realizar o dimensionamento da fora de trabalho e alocao de recursos humanos da UFMS.

1 - Foi mantida uma parceria com a UFPR no sentido de esta repassar conhecimento e experincias no dimensionamento da fora de trabalho.

Prover o acompanhamento da sade do servidor (servidores atendidos) 650 410

Foram convocados 410 servidores para exames peridicos. A meta inicial no foi atingida em virtude de atrasos na implantao do mdulo de exames peridicos do SIASS, sendo que as convocaes se deram somente a partir do ms de julho/2011

ndice de Acidentes de Trabalho e Doenas

Ocupacionais Prover a atualizao do Programa de

Preveno de Riscos Ambientais (ambientes vistoriados).

400 602 Em virtude das ampliaes, reestruturaes e novas construes a estimativa total dos ambientes de aproximadamente 1750, desta totalidade foram vistoriados 602.

Fonte: CGGP

32 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

DIRETRIZ 10 Atendimento Comunidade por meio da Assistncia Mdico-hospitalar e Laboratorial

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance da

Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Assistncia Ambulatorial e

Hospitalar

Ampliar o quantitativo de cirurgias geral/ginecolgica (urgncia e eletiva).

6.090 4893 Meta prevista cumprida em 80% (oitenta) por cento.

Demanda atendida

Ampliar o nmero de internaes eletivas/urgncias. 10.670 11.378 Meta superada.

Ampliar consultas ambulatoriais. 104.250 94.895 Meta prevista cumprida em 91% (noventa e um) por cento. Ampliar consultas realizadas no Pronto Atendimento Mdico e Maternidade.

23.620 20.737 Meta prevista cumprida em 88% (oitenta e oito) por cento.

Realizar exames clnico-laboratoriais. 567.300 682.920 Meta superada. Desenvolver e/ou implementar, gradativamente, rotinas e sistemas de gerenciamento mdico-hospitalares e laboratoriais, alm de procedimentos de mdia e alta complexidade, urgncia e emergncia no NHU.

1 1 Desenvolvimento e implantao do Sistema de Aplicativo de Gesto para os hospitais Universitrios, de acordo com o Planejamento do REHUF (Programa Nacional de Reestruturao dos Hospitais Universitrios).

Sistema implantado

Integrar o Hospital Universitrio ao Sistema de Regulao (SISREG) da Secretaria de Sade MS.

1 1 Foram inseridas 95% das especialidades no SISREG.

Elaborar e aperfeioar o plano operativo anual e a contratualizao dos servios (SUS), em conformidade com o planejamento interno do NHU.

1 1 O Plano operativo anual encontra-se implantado e tem acompanhamento mensal pelo Conselho Gestor Tcnico.

Viabilizar plano voltado para a preveno e o controle de doenas e agravos em conformidade com o perfil epidemiolgico local e regional.

1 - No implantado.

Aumentar o nmero de leitos de UTI de 27 para 30. 30 30 Encontra-se em funcionamento os trinta leitos de UTI conforme planejado. Leitos implantados

Rees

trut

ura

o

do H

ospi

tal

Univ

ersi

tri

o Revitalizar, gradativamente, as unidades de atendimento mdico-ambulatorial do NHU 1 1 Realizado 70% da reforma do Ambulatrio de Pneumologia. Unidade atendida

Proceder revitalizao, gradativa, das reas/espaos destinadas s internaes coletivas do NHU.

1 1 Concludas as reformas da Enfermaria da DIP, Enfermaria da Clnica Cirrgica II. Realizada parcialmente (50%) da reforma da Clnica Cirrgica I.

rea revitalizada

Continua

33 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

PROGRAMA META QP QR REALIZAES Nvel de Alcance da

Meta INDICADOR DE DESEMPENHO

NA PA AP

Rees

trut

ura

o d

o Ho

spit

al U

nive

rsit

rio

Revitalizar as unidades de apoio administrativo do NHU. 1 1

Realizadas parcialmente as reformas dos setores da Administrao, Tomografia, Raios-X e Passarela da Odontologia. Concluda a reforma da Farmcia e da passarela da DIP.

Recursos destinados a infraestutura

Elaborar estudo e analisar a viabilidade de introduo de novas tecnologias em sade. 1 1

Reativao do Servio de Endoscopia. -

Buscar a ampliao do quadro de recursos humanos para o NHU, conforme proposto no REHUF.

276 - Foi apresentado estudo das necessidades para o REHUF, porm continua sem ser atendido.

Novos servidores contratados

Ampliar, gradativamente, a estrutura fsica do Hospital Dia do NHU.

1 1 No exerccio de 2011 foi realizada a licitao com previso de incio e concluso no exerccio de 2012.

Reformar o espao fsico do Servio de Nutrio e Diettica do NHU. 1 -

No exerccio de 2011 foi assinado o contrato, com previso de incio e concluso no exerccio de 2012. rea revitalizada

Adequar, gradativamente, a estrutura fsica do Hospital Universitrio aos padres determinados pela Vigilncia Sanitria.

1 1 Os projetos esto sendo executados gradativamente atendendo a legislao pertinente. Norma implantada

Renovar e inovar, gradativamente, o parque de equipamentos mdicos hospitalares do NHU.

1 1 Adquiridos diversos equipamentos tais como: Aparelhos de Raios-X digital, monitores multiprocessados e outros.

Recursos destinados aquisio de Material

Permanente Promover a inovao tecnolgica concernente estrutura mdico-hospitalar e administrativa do NHU.

1 1 Em fase de implantao dos mdulos do Sistema Aplicativo de Gesto para os hospitais Universitrios (AGHU), de acordo com o planejado e sob responsabilidade da Diviso de Tecnologia da Informao do NHU.

-

Rever e propor a reestruturao organizacional do Hospital do NHU, conforme proposta apresentada no REHUF.

1 - Meta no cumprida. -

Humanizao Hospitalar

Implantar sistema de avaliao de satisfao dos usurios e qualidade no atendimento.

1 - No implantado. -

Melhorar o sistema de comunicao visual do Hospital. 1 - Est sendo tomadas as providncias para implantao no exerccio de 2012. -

Elaborar e implementar treinamentos aos recepcionistas.

1 - No realizado. Servidor capacitado

Fonte: NHU

34 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Avaliao Quanti-qualitativa

Ensino de Graduao

NVEL DE ALCANCE DAS METAS

Diretriz 1 Ampliao da Oferta de Educao Superior Pblica

66,67%

0,00%

33,33%

02 4

0

5

10

15

20

25

30

No Atendidas ParcialmenteAtendidas

AtendidasPlenamente

0%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

80%

90%

100%

Fonte: PREG Diretriz 2 Reestruturao Acadmico-Curricular

100,00%

0,00%0,00% 2000

10

20

30

40

No Atendidas ParcialmenteAtendidas

AtendidasPlenamente

0%10%20%30%40%50%60%70%80%90%100%

Fonte: PREG

35 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Diretriz 3 Renovao Pedaggica da Educao Superior

100,00%

0,00% 0,00%

8

0 00

2

4

6

8

10

No Atendidas Parcialmente Atendidas

Atendidas Plenamente

0%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

80%

90%

100%

Fonte: PREG Diretriz 4 Mobilidade intra e interinstitucional

57,14%

14,29%

28,57%

412

0

10

20

30

40

No Atendidas ParcialmenteAtendidas

AtendidasPlenamente

0%10%20%30%40%50%60%70%80%90%100%

Fonte: PREG

36 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Desempenho Geral da rea Ensino de Graduao: Parcialmente Atendido

78,26%

4,35%

17,39%

14

18

0

5

10

15

20

25

30

35

No Atendidas ParcialmenteAtendidas

AtendidasPlenamente

0%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

80%

90%

100%

Fonte: PREG e Biblioteca Central

INDICADORES DE DESEMPENHO Vagas Ociosas

53

136 147

283

156

465

24

142

11 7 2744

268319

201

280

56

11479

15 565

229204

0

6831

105

33

125

349

567

0

100

200

300

400

500

600

CCBS CCET CCHS FACOM FADIR FAMEZ CPAN CPAQ CPAR CPBO CPCS CPCX CPNA CPNV CPPP CPTL

2010 2011 Fonte: PREG

A distributiva das vagas ociosas revela que, proporcionalmente, 63,35% (1.862) destas vagas foram registradas

nos Cmpus e 36,65% (1.077) na Sede, de modo que a mdia geral de ociosidade para os Cmpus ficou em 21,18% e para a Sede 13,98%. O CPCS obteve a maior variao positiva de vagas ociosas (1.200%) e a FADIR, na Sede, foi a unidade acadmica que obteve a maior variao negativa (36,36%), seguida pelo CPCX (10,92%). Ressalta-se que o CPBO apresenta tambm uma variao negativa de 81%, sendo oportuno mencionar que esta unidade no ofertou vagas no processo seletivo 2011. A UFMS tem ofertado vagas no ocupadas em editais especficos para transferncia externa de portadores de diplomas. A evaso tema de estudo por parte do Ministrio da Educao e das IFES para diminuir estes ndices em todas as instituies federais de ensino superior.

37 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Evoluo das Vagas Ociosas

1.669

2.939

0

500

1.000

1.500

2.000

2.500

3.000

3.500

2010 2011

Fonte: PREG

Houve um aumento no quantitativo de vagas ociosas com relao a 2010. A evoluo chegou a 76,09%. Esse

percentual representa o somatrio das vagas ociosas acumuladas ao longo do perodo de durao dos cursos. ndice de Ocupao das Vagas Ociosas

1669

284

Tota l de va ga s ociosa s Vaga s ociosa s ocupa das

Fonte: PREG

O processo de ocupao de vagas ociosas apresentou um ndice de ocupao de 17%. Apesar de a oferta de

vagas, em editais especficos, no obter a correspondente procura. No ano de 2012, com a migrao para um novo regime de matrculas, no foram publicados editais para os processos de ocupao de vagas, ocasionando, dessa forma, um aumento de vagas ociosas em 2011.

38 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Desempenho das Vagas Totais Ofertadas Vagas Totais Ofertadas

Unidade VTO VO %

Ocupao UFMS 16.495 2.939 82,18 CCBS 899 136 84,87 CCET 1.862 283 84,80 CCHS 2.644 465 82,41 FACOM 787 142 81,96 FADIR 617 7 98,87 FAMED 357 0 100,00 FAMEZ 368 44 88,04 FAODO 171 0 100,00 CPAN 1.959 319 83,72 CPAQ 1.598 280 82,48 CPAR 500 114 77,20 CPBO 152 15 90,13 CPCS 329 65 80,24 CPCX 679 204 69,96 CPNA 368 68 81,52 CPNV 349 105 69,91 CPPP 383 125 67,36 CPTL 2.473 567 77,07

A UFMS tem trabalhado para melhorar os ndices de ocupao, de forma a diminuir o quantitativo de vagas ociosas. Por meio dos editais de transferncia externa e portadores de diplomas, as vagas ociosas tm sido ocupadas.

Desempenho das Vagas Ofertadas no Ano

Vagas Ofertadas no Ano

Unidade VA ING % Ocupao UFMS 4.720 4.657 98,67 CCBS 305 259 84,92 CCET 610 612 100,00 CCHS 760 748 98,42 FACOM 320 313 97,81 FADIR 60 61 100,00 FAMED 60 60 100,00 FAMEZ 90 96 100,00 FAODO 50 52 100,00 CPAN 535 579 100,00 CPAQ 525 480 91,43 CPAR 130 120 92,31 CPBO 0 0 0,00 CPCS 100 100 100,00 CPCX 150 128 85,33

Continua

Legenda: (VTO) Vagas totais ofertadas (considera o contingente de vagas ofertadas desde a criao/oferta do curso); (VO) Vagas ociosas (considera o contingente de vagas ociosas desde a criao/oferta dos cursos). Fonte: PREG

39 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Continuao

Unidade VA ING % Ocupao

CPNA 110 144 100,00 CPNV 120 129 100,00 CPPP 140 131 93,57 CPTL 655 645 99,47

ndice de Diplomao (ID) ndice de Diplomao

Unidade 2010 2011 %* Ing. Dip. ID Ing. Dip. ID

UFMS 3.028 1.729 0,57 3.209 1.764 0,55 (3,51) CCBS 146 126 0,86 146 120 0,82 (4,56) CCET 334 203 0,61 334 191 0,57 (6,56) CCHS 569 313 0,55 629 368 0,59 7,27 FACOM 97 47 0,48 97 38 0,39 (18,75) FADIR 120 96 0,80 120 92 0,77 (3,75) FAMED 60 60 1,00 60 58 0,97 (3,00) FAMEZ 40 33 0,83 79 40 0,51 (38,55) FAODO 38 26 0,68 38 53 1,39 104,41 CPAN 381 167 0,44 381 195 0,51 15,91 CPAQ 369 226 0,61 411 181 0,44 (27,87) CPAR 129 50 0,39 129 61 0,47 20,51 CPCS - - - 40 7 0,18 - CPCX 140 42 0,30 140 59 0,42 40,00 CPNA 71 13 0,18 71 30 0,42 133,33 CPTL 534 327 0,61 534 271 0,51 (16,39)

Em relao ao ano anterior, observa-se uma variao negativa de 3,51% no comparativo geral do ID em 2011.

Os cursos que mais impactaram na apurao do indicador (apresentaram ID consideravelmente baixo) em suas respectivas unidades foram: Fsica (Bach. e Lic.), Matemtica (Lic.) no CCET; Tecnologia em Processos Gerenciais no CCHS; Zootecnia na FAMEZ, Cincia da Computao na FACOM; Administrao, Cincias Contbeis no CPAN; Geografia (Bach.), Letras Port/Ing (Lic.), Letras Port/Lit. (Lic.), Matemtica (Lic.) no CPAQ; Matemtica (Lic.) no CPAR; Agronomia no CPCS, Histria (Lic.), Sistemas de Informao no CPCX; Geografia (Lic.) no CPNA; Histria (Lic.), Matemtica (Bach. e Lic.) no CPTL.

Legenda: (VA) Vagas ofertadas no ano; (ING) Ingressantes no ano. * O Campus de Bonito no ofereceu vagas para ingresso em 2011. Fonte: PREG

Legenda: (Ing) Ingressantes (considera o contingente de matriculados no incio do perodo letivo do curso); (Dip) Diplomados no ano; (ID) ndice de diplomao. *%: Variao percentual do ID. Fonte: PROPLAN

40 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Quadro Geral de Excluses Excluses

Unidade 2010 2011 %

Variao UFMS 1.193 2.581 116,35 CCBS 42 99 135,71 CCET 204 226 10,78 CCHS 243 438 80,25 FACOM 61 163 167,21 FADIR 33 47 42,42 FAMED 3 3 - FAMEZ 26 28 7,69 FAODO 3 14 366,67 CPAN 239 380 59,00 CPAQ 67 250 273,13 CPAR 5 83 1.560,00 CPBO 6 22 266,67 CPCS 5 48 860,00 CPCX 2 76 3.700,00 CPNA 1 56 5.500,00 CPNV 0 99 - CPPP 28 59 110,71 CPTL 225 490 117,78

Fonte: PREG

Modalidades de Excluso

2.111

413

57

0300600900

1.2001.5001.8002.1002.400

Desistncia Solicitao doaluno

Transfernciapara outra IES

Fonte: PREG

As desistncias foram responsveis por 81,79% das excluses ocorridas em 2011, seguida pelas solicitaes de alunos que representam 16% . As transferncias representam apenas 2,21% do total das excluses.

41 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Matrculas Trancadas Matrculas Trancadas

Unidade 2010 2011 %

Variao UFMS 447 289 (35) CCBS 80 13 (84) CCET 37 32 (14) CCHS 75 37 (51) FACOM 14 22 57 FADIR 17 5 (71) FAMED 2 2 - FAMEZ 5 2 (60) FAODO 1 7 600 CPAN 68 48 (29) CPAQ 57 26 (54) CPAR 20 20 - CPBO 3 3 - CPCS 2 1 (50) CPCX 4 11 175 CPNA 2 8 300 CPNV 0 9 - CPPP 8 17 113 CPTL 52 26 (50)

Fonte: PREG Oferta de Vagas ao Ano Oferta de Vagas no Ano

Unidade 2010 2011 % Variao UFMS 4.480 4.745 6 CCBS 210 305 45 CCET 390 650 67 CCHS 735 760 3 FACOM 270 320 19 FADIR 120 120 - FAMED 60 60 - FAMEZ 80 90 13 FAODO 40 50 25 CPAN 530 530 - CPAQ 500 405 (19) CPAR 130 130 - CPBO 120 - - CPCS 150 100 (33) CPCX 200 200 - CPNA 50 110 120 CPNV 120 120 - CPPP 140 140 - CPTL 635 655 3

Fonte: PREG

42 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Evoluo da Oferta de Vagas

99

4.480

105

4.745

0500

100015002000250030003500400045005000

2010 2011

Cursos Vagas

Fonte: PREG A oferta de vagas nos Campus obteve o seguinte resultado: CPTL e CPAN foram responsveis por 50% da

oferta total de vagas (2.390). Na Sede, CCHS junto ao CCET ofertaram 60% das vagas totais (2.355). A distributiva das vagas totais ofertadas ao ano foi dividida basicamente em partes iguais entre a Sede e os

Cmpus: 49,63% e 50,37% respectivamente. O CPNA obteve a maior variao positiva de oferta (120%), contudo, tambm o Campus que apresenta um

quantitativo expressivo de vagas ociosas e de matrculas trancadas. O CCET bem como o CCBS obtiveram a segunda e a terceira maior variao positiva da oferta de vagas, respectivamente. Esses dois Centros tambm apresentaram uma variao positiva considervel de vagas ociosas.

Do total de vagas ofertadas, 48,79% foram disponibilizadas no perodo noturno, 46,58% no perodo integral, 1,26% e 3,37% nos perodos matutino e vespertino.

Monitoria de Ensino de Graduao

603534

438 411

0

100

200

300

400

500

600

700

Monitores Disciplinas

2010 2011 Fonte: PREG

O programa Monitoria de Ensino obteve um desempenho abaixo do ano anterior, tanto no quantitativo de monitores quanto no de disciplinas: -11,44% e -6,16% nessa ordem. O decrscimo se deu em razo da oferta de bolsas ter ocorrido no segundo semestre de 2011 e do alto nmero de desistncia dos bolsistas.

43 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Bolsas PET

139

403

143

193

142 144

9260

114

447

20

70

120

170

220

270

320

370

420

470

CCBS CCET CCHS FACOM FAMEZ CPAN CPCS CPNV CPPP CPTL

Fonte: PREG

Observa-se que praticamente a metade da oferta concentrou-se no CPTL (23,81%) e no CCET (21,47%). Na Sede foram concedidas 1.020 bolsas, representando 54,34% da oferta total. Nos Campus foram concedidas 857 bolsas, o que representa 45,66% do total da oferta.

Evoluo Bolsas PET

1.056

1.877

0

500

1.000

1.500

2.000

2010 2011

Fonte: PREG

Observa-se um crescimento de 77,75% na concesso de Bolsas PET em relao ao ano de 2010.

44 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Bolsas PET Sade

375

39

155

3

52

12

0

50

100

150

200

250

300

350

400

CCBS CCHS FAMED FAMEZ FAODO CPAR

Fonte: PREG

Do quantitativo total de bolsas concedidas, 58,96% das bolsas foram concedidas a acadmicos vinculados ao CCBS e 24,37% a acadmicos vinculados FAMED. No interior, somente o CPAR tem grupo no Programa Pet-Sade, demandando 1,89% das bolsas concedidas.

Evoluo Bolsas PET Sade

420

636

0

200

400

600

800

2010 2011

Fonte: PREG

A ampliao da oferta Bolsas PET Sade em relao a 2010 foi de 51,43%.

45 Plano de Desenvolvimento Institucional - Avaliao 2011

Bolsas PIBID

120156

132

630

132

336

108 108

282

0

100

200

300

400

500

600

700

CCBS CCET CCHS EAD CPAN CPAQ CPAR CPPP CPTL

Fonte: PREG

No PIBID, da totalidade de bolsas concedidas, 20,36% foram para a Sede, 31,44% para cursos oferecidos na modalidade a distncia e 48,20% para acadmicos de cursos localizados nos Campus.

Evoluo Bolsas PIBID

1.518

2.004

0

400

800

1.200

1.600

2.000

2.400

2010 2011

Fonte: PREG

A oferta de bolsas do PIBID apresentou um