Relatório do Circuito Eletropneumático (Eletr. e PLC)

  • View
    163

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Relatório do Circuito Eletropneumático (Eletr. e PLC)

1

CENTRO DE INSTRUO ALMIRANTE BRAZ DE AGUIAR - CIABACURSO DE APERFEIOAMENTO PARA OFICIAL DE MQUINAS DA MARINHA MERCANTE ( APMA)

CIRCUITO ELETROPNEUMTICO COM COMANDO ELTRICO E PLC .

Antnio da Silva Hilrio Joo Damsio da Costa Filho Jonas Flix Gomes

Belm - Par 2011

2

CENTRO DE INSTRUO ALMIRANTE BRAZ DE AGUIAR - CIABACURSO DE APERFEIOAMENTO PARA OFICIAL DE MQUINAS DA MARINHA MERCANTE ( APMA)

CIRCUITO ELETROPNEUMTICO COM COMANDO ELTRICO E PLC .

Apresentao do trabalho sobre Circuito Eletropneumtico com comando eltrico e pneumtico da Disciplina Automao do Centro de Instruo Almirante Braz de Aguiar. Curso de Aperfeioamento para Oficiais de Mquina (APMA 2011). Professor: Carlos Rogrio dos Santos Vidal. Por: Antnio da Silva Hilrio , Joo Damsio da Costa Filho e Jonas Flix Gomes.

Belm Par 2011

3

S

I

I . . I . . .3 3. 4. 5. I I ES I I S I ES I I I

............................................................................................. ...... 4 E IV ..................................................................... ........................... 5 E E P SI I I E SP S E S PE E E I I E EE P E SIS E I I E E I I ......................................................... 5 ......................................... ................. 6 I I E ES I I E E E ...................... 6 ... 8 ............................................. 7 E ..................... 9 .................................

................................................................... ........................... ...... I ............................................................................................... ..

4

I

Si t t l ti i i . . I lifi i l i . At t

S it l t

i i i

, lti t l i l l f t . t ij t ,

i i i i fi i

E l i

i t

t i

5

1.

E IV

t l ti i Si t fi , i i tit

i

it l li , i

li L it i i

i

it i t . t i

2.

I

I

E E

P E

I

LE EN A B B t B i t i li f i t t ti

6

S S S3 S4 Y Y Y3 Y4 Y5 , l l l l l i i i i i 3

fi fi fi fi ili ili ili ili li l t ili .

ili ili ili ili 3 4

i i

. i ti l ili i , l

P SI it fl l i . l l t l il t V l

SISTE A ti t l 5 l i i l il t t i ti 5/ i t l, t t i l ili l

. A Si t ili t , #

ES

IES SUPE ili t

I IAL E UN I NA ENT i fi t t t l ili # ti t i fi i i i l i

SISTE A i l li i l ,

ili

# t ili ti t .

7

2.3 I

UIT

ELT I

E

AN

3.

ES

I

E

I

E

I

I

E

Com mbos os ili Q todos os o botoei

os B for

os

osi

o

os: ser energi ado

ionada o rel auxiliar

ontatos de intertravamentos da linha nesse instante estaro do rel auxiliar na linha de comando da avanar. ser

fechados NA S , NA S3 e N S4 , o contato de selo ser fechado e tambm o outro contato NA solenide Y , ue ser energi ada e far o cilindro # Quando o cilindro # desenergi ado. contato de intertravamento S

iniciar o deslocamento o sensor S

da linha do rel auxiliar

ser aberto, mas o rel Quando o cilindro #

continuar energi ado elo contato de selo. chegar no fim de curso o sensor S2 ser ativado.

contato de intertravamento NA de S2 da linha de comando do rel auxiliar S2

8

ser fechado e o rel 2 ser energi ado um outro contato NA de cilindro # cilindro #

ois o contato NA de S3 e N de 3

estavam fechados), um contato de selo na linha do rel auxiliar ser fechado e 2 na linha de comando das solenides Y2, recuo do osio avanada, ois a vlvula solenide Y 3 ser reparada, pois um , e Y3, solenide de avano do cilindro # 2 sero energi adas. ermanecer na

continua acionada. A linha de comando do rel

contato NA de S2 foi fechado. No momento do avano do cili ndro # 2 o sensor de fim de curso do cilindro ser desabilitado, um contato NA de S3 na linha do 2 ser aberto, mas o rel selo de 2 continuar energi ado atravs do contato de 2, um outro contato NA de S3 ser aberto na linha do rel auxiliar, o

mesmo no ir desenergi ar pois est atravs do selo. Quando o cilindro # 2 chegar no fim de curso o sensor S4 ser ativado, com isso o contato de intertravamento NA de S4 na linha do rel auxiliar N 3 da linha do 2 fazendo com 3 ser fechado e o rel 3 ser energi ado e abrir o contato de intertravamento de ue as solenides Y2 e Y3 sejam 3 desenergizadas, fechar tambm os contatos de selo do 3 e o contato NA para retornar, o contato de intertravamento N ser desenergizada a solenide Y 4 na linha do rel auxiliar

da linha da solenideY4 , ue energiza a solenide preparando o cilindro # 2 e ). responsvel pelo avano do cilindro #

Nesse instante ambos os cilindros retornaro. linha do rel auxiliar de selo. 3 abriro, mas o

s sensores S2 e S4

sero desenergizados e os intertravamentos dos contatos NA de S2 e S4 da 2 continuar energizado pelo contato de S4 ser fechado preparando a contato de intertravamento N

linha para a energizao do linha do 2 ser aberto .

e o contato de intertravamento NA de S2 na

Quando ambos os cilindros chegarem nos pontos iniciais de partida os sensores S e S3 sero acionados com isso ser fechado o contato de 2 e os contatos de intertravamento NA sero fechados tambm e o rel auxiliar intertravamento NA de S3 na linha do S e S3 da linha de alimentao do

ser energizado e inicia -se um novo ciclo no processo.

9

4.

I

I

E

E

I

E

E

E .

10

5.

I

SP

S

EE

ES I

11

CONCLUS O

A modernizao dos Sistemas como um todo est sempre em evoluo. Atualmente, falando -se em 2011, a maioria dos Navios de apoio martimo ffshore esto sendo construdos com Propulso simples ue seja vem acompanhado de um PLC. iesel Eltrica e todos os A Eletrnica igital e de ue o Sistemas acompanharam a evoluo, e cada u m dos Sistemas pelo mais Potncia fazem parte da automao como um todo e a tendncia

operador torne-se altamente ualificado cada vez mais para poder exercer a sua funo, caso o contrrio esse profissio nal poder ser excludo do mercado de trabalho.

12

BIBLIOGRAFIA

luidSI

Pneumtica V 3.6, verso para estudantes. isponvel em: . Acesso em: 05

Site de Busca de Abril de 2011.

oogle.