Relatrio de Gesto - cm- e do result ado econmico/patrimonial da entidade que o realiza, aspetos que ... Notas ao balano e demonstrao de resultados;

  • View
    214

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Relatrio de Gesto - cm- e do result ado econmico/patrimonial da entidade que o realiza, aspetos que...

  • Relatrio de

    Gesto

    Exerccio 2014

  • Relatrio de Gesto - Exerccio 2014

    2

    1. INTRODUO ....................................................................................................................... 3

    2. EXECUO ORAMENTAL .................................................................................................... 9

    2.1 Controlo Oramental da Receita e da Despesa .............................................................. 9

    2.1.1 Aprovao do Oramento e Grandes Opes do Plano de 2014 ................................ 9

    2.1.2 Execuo Oramental da Receita ............................................................................. 11

    2.1.3 Execuo Oramental da Despesa ........................................................................... 13

    2.1.4 Execuo Oramental das Grandes Opes do Plano de 2014 ................................. 17

    3. ENDIVIDAMENTO MUNICIPAL ............................................................................................ 21

    4. LCPA Lei dos Compromissos e dos Pagamentos em Atraso ............................................. 26

    5. ANLISE ECONMICO-FINANCEIRA .................................................................................... 29

    6. SNTESE EVOLUO DO ATIVO IMOBILIZADO ................................................................. 32

    7. CONTABILIDADE DE CUSTOS .............................................................................................. 43

    8. CLC ..................................................................................................................................... 44

  • Relatrio de Gesto - Exerccio 2014

    3

    1. INTRODUO

    O documento de prestao de contas referente ao ano de 2014 reflete entre outras, uma linha

    de atuao que constitui um ponto de viragem e entrada numa rota de rigor, alcanando-se

    uma lgica de equilbrio entre a receita e a despesa, aliando-se de forma sustentada a

    obrigatoriedade de cumprimento de compromissos herdados, a necessidade de reduo de

    despesa ao mesmo tempo que se assegura uma estratgia de investimento rigorosa e seletiva.

    Enaltece-se a reduo em 21 % de dvidas a fornecedores e a reduo de 16 % referentes a

    emprstimos por comparao com o perodo homlogo.

    Apesar da brutal reduo de despesa no deixou o executivo camarrio de realizar um

    significativo processo de investimento, do qual se destaca:

    O Parque empresarial, onde para alm de se ter assegurado o necessrio

    financiamento para o retomar das obras paradas durante dois anos, conseguiu-se um

    financiamento adicional que permitiu ampliar as reas disponveis com aptido

    industrial. O montante de execuo at 31 de Dezembro de 2014 de 106.504,78 euros.

    A beneficiao e reabilitao da antiga escola primria, espao que nos prximos

    meses ir acolher entre outras valncias os servios regionais de segurana social e os

    servios de ao social da cmara municipal, constituindo este um verdadeiro exemplo

    de otimizao e racionalizao de recursos em simultneo com a melhoria das

    condies de atendimento e prestao de apoio aos muncipes, esta interveno teve

    at data um custo de aproximadamente 25.000 euros.

    A interveno na Rua Dr. Manuel Simes Barreiros, onde com um investimento de

    18.000 euros, conseguiu-se melhorar radicalmente as condies de segurana para os

    pees, bem como introduzir enormes melhorias nos estacionamentos.

    A Prestao de Contas consiste assim, na realizao de um exerccio destinado a dar uma

    imagem to fiel quanto possvel do patrimnio, da situao financeira, da execuo do

    oramento e do resultado econmico/patrimonial da entidade que o realiza, aspetos que

    devem ser enquadrados com a sua caracterizao geral, de modo a permitir uma avaliao

    rigorosa da sua atividade.

  • Relatrio de Gesto - Exerccio 2014

    4

    Neste pressuposto e de acordo com o preceituado no n. 2 do artigo 27. da Lei n. 75/2013

    de 12 de setembro que estabelece o regime jurdico das autarquias locais, a Assembleia

    Municipal deve proceder, na sua segunda sesso ordinria, apreciao e votao dos

    documentos de prestao de contas do ano transato, os quais devem igualmente dar conta do

    inventrio dos bens, direitos e obrigaes patrimoniais.

    De acordo com o quadro em legal vigor no exerccio em apreciao, o regime financeiro das

    autarquias assenta no princpio da coerncia com o quadro de atribuies e competncias que

    legalmente lhes est cometido, designadamente ao prever regras que visam assegurar o

    adequado financiamento de novas atribuies e competncias, possuindo ainda os Municpios,

    de patrimnio e finanas prprias, bem como autonomia financeira, sendo a sua gesto da

    competncia dos respetivos rgos.

    A atividade financeira das autarquias locais observa igualmente os seguintes princpios

    fundamentais, o princpio da legalidade, o princpio da estabilidade oramental, o princpio da

    autonomia financeira, o princpio da transparncia, o princpio da solidariedade nacional

    recproca, o princpio da equidade intergeracional, o princpio da justa repartio dos recursos

    pblicos entre o Estado e as autarquias locais, o princpio da coordenao entre finanas locais

    e finanas do Estado e o princpio da tutela inspetiva.

    A Prestao de Contas e o respetivo Relatrio de Gesto de 2014, foram elaborados nos

    termos do ponto n. 13 do POCAL Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais,

    aprovado pelo Decreto-Lei n. 54-A/99, de 22 de fevereiro, de aplicao obrigatria a todas as

    autarquias locais, conforme estipula o n. 1 do artigo 2., observando-se igualmente toda a

    restante legislao complementar aplicvel.

    A sua estrutura e redao possibilitam uma anlise detalhada atividade desenvolvida pelo

    Municpio de Figueir dos Vinhos, bem como uma avaliao rigorosa e pormenorizada dos

    nveis de execuo oramental reportados ao ano de 2014.

    A anlise da situao econmica e financeira do Municpio pressupe a existncia de

    ferramentas que comportem toda a informao relevante nessa matria, essencial para a

    conferncia dos resultados alcanados e para a sua interpretao e avaliao.

    Efetivamente, os documentos que a seguir se apresentam foram construdos em moldes que

    facilitam a perceo clara e inequvoca dos indicadores econmico-financeiros relevantes e sua

    respetiva evoluo, como os nveis de execuo oramental no perodo sujeito a anlise.

  • Relatrio de Gesto - Exerccio 2014

    5

    De acordo com o disposto no ponto n. 2 das consideraes tcnicas do POCAL - Plano Oficial

    de Contabilidade das Autarquias Locais, a informao est contida nos documentos a seguir

    descriminados, de entre outros, conforme instrues sobre a matria, nomeadamente a n.

    1/2001 2. seco constante da Resoluo n. 4/2001 2. seco de 18 de Agosto do

    Tribunal de Contas, alterada pela Resoluo n. 26/2013 de 21 de novembro:

    Balano;

    Demonstrao de resultados;

    Mapas de execuo oramental, da receita e da despesa;

    Plano plurianual de investimentos;

    Mapa de fluxos de caixa;

    Mapa de operaes de tesouraria;

    Anexos s demonstraes financeiras;

    Caracterizao da entidade;

    Notas ao balano e demonstrao de resultados;

    Notas sobre o processo oramental e respetiva execuo;

    Relatrio de Gesto.

    Contrariamente ao que tem sido prtica em anos transatos e por fora do disposto no n. 3 do

    artigo 76. do novo regime financeiro das autarquias locais e das entidades intermunicipais

    decorrente da Lei n. 73/2013, de 3 de setembro, constituem igualmente o Relatrio de

    Gesto, o comprovativo da certificao legal de contas e respetivo parecer do Revisor Oficial

    de Contas do Municpio de Figueir dos Vinhos.

    O Relatrio de Gesto visa assim, relatar e realar com a maior fiabilidade possvel os fatos

    relevantes do exerccio de 2014, corroborados por elementos consistentes nos documentos de

    prestao de contas.

    Trata-se pois, de um exerccio que permite mltiplas anlises consoante a vertente que se

    pretenda aferir, nomeadamente, a anlise do grau de execuo oramental de 2014, fornecida

    pela leitura dos diferentes nveis de arrecadao de receita e de realizao da despesa,

    indicadores que esto devidamente suportados com quadros que evidenciam a sua evoluo e

    respetivos desvios, o nvel de concretizao das Grandes Opes do Plano, cujo documento,

  • Relatrio de Gesto - Exerccio 2014

    6

    como do conhecimento geral, agrega todos os projetos constantes do Plano Plurianual de

    Investimentos e das Atividades Mais Relevantes, a situao econmico-financeira da autarquia

    data de 31 de dezembro de 2014, a evoluo do endividamento municipal, conforme resulta

    da anlise referente s dvidas de curto, mdio e longo prazo de e a terceiros, a observncia de

    toda legislao relativa ao cumprimento dos limites de endividamento, a verificao do

    cumprimento da Lei relativa aos compromissos e aos pagamentos em atraso (LCPA), cuja

    entrada em vigor trouxe srias perturbaes autonomia das autarquias, a qual, para alm da

    contnua confuso acerca da interpretao das normas da Lei, das deficientes aplicaes em

    termos de software, impe regras que claramente pem um travo brutal ao investimento.

    Trata-se assim e pela primeira vez, da prestao de contas do atual executivo considerando um

    ano de mandato, coincidente com o exerccio econmico em anlise.

    O exerccio de 2014 demonstra, conforme se verificar, que o valor global das dvidas a

    fornecedores s