REQUISITOS DE ADMISSIBILIDADE DOS RECURSOS .2014-10-23 · A análise da teoria geral dos recursos

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of REQUISITOS DE ADMISSIBILIDADE DOS RECURSOS .2014-10-23 · A análise da teoria geral dos recursos

1

REQUISITOS DE ADMISSIBILIDADE DOS RECURSOS EXTRAORDINRIOS: OBSTACULIZAO DO ACESSO AOS TRIBUNAIS SUPERIORES

Fernanda Louise Lachowski1

Os recursos extraordinrios, assim considerados os recursos especial e extraordinrio, possuem traos comuns aos demais recursos previstos na legislao brasileira, mas tambm possuem peculiaridades que lhes permitem ser chamados de recursos excepcionais. Ademais, tm eles certas semelhanas que fazem com que possam ser estudados juntos, para uma melhor compreenso de suas caractersticas prprias. O presente trabalho trata sobre a temtica dos requisitos de admissibilidade dos recursos extraordinrios lato sensu numa perspectiva de obstaculizao do acesso aos tribunais superiores. Visando melhor entender o assunto, a teoria geral dos recursos abordada, especialmente a fim de se verificar o conceito e natureza jurdica dos recursos, a distino entre juzo de admissibilidade e juzo de mrito e a classificao dos recursos em ordinrios e extraordinrios. So estudadas as hipteses de cabimento dos recursos extraordinrio e especial e as especificidades que as permeiam. Analisar-se-o tanto os requisitos genricos de admissibilidade aplicveis a todos os recursos, como os requisitos constitucionais de admissibilidade, e suas atuais implicaes no acesso aos tribunais superiores. Palavras chave: Requisitos. Admissibilidade. Recurso extraordinrio. Recurso especial. Supremo Tribunal Federal. Superior Tribunal de Justia. 1 INTRODUO

Verifica-se, atualmente, uma forte mudana na estrutura da sociedade moderna, cuja evoluo resultou em uma sociedade de massa, tornando as relaes

humanas mais complexas. Essas relaes, por sua vez, acabam por aumentar o

nmero de conflitos levados ao Poder Judicirio, o qual tem o dever de prestar uma

tutela rpida e eficaz e que resolva o conflito de acordo com o direito positivo

vigente.

1 Bacharel em Direito pela Pontifcia Universidade Catlica do Paran, Ps-Graduanda em Direito Processual Civil Contemporneo pela Pontifcia Universidade Catlica do Paran, Advogada militante na cidade de Curitiba.

2

Entretanto, para que o rgo estatal aplique o direito, necessrio que se

saiba, com preciso, o alcance da norma jurdica. Seu contedo tem que ser

previamente identificvel, tanto pelos cidados quanto pelos profissionais do direito,

para que a segurana jurdica no fique prejudicada. A lei deve ser igual para todos,

devendo possuir a mesma autoridade em todo o territrio nacional,

independentemente de como este esteja dividido.

Nesse sentido, no que tange ao direito constitucional e infraconstitucional,

esse dever de uniformizar o entendimento acerca das normas cabe,

respectivamente, ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justia,

cortes superiores da Justia brasileira.

So meios para essa uniformizao os recursos extraordinrio e especial,

considerados recursos extraordinrios lato sensu, os quais possuem peculiaridades

que sero aqui estudadas, especialmente no que tange ao seu juzo de

admissibilidade. Este tem sido uma rdua tarefa para os advogados, que buscam

transpor as barreiras do acesso aos tribunais superiores, existentes para diminuir a

demanda de recursos que chegam s cortes superiores.

Inicialmente o assunto introduzido com a anlise da teoria geral dos

recursos, a fim de demonstrar um panorama geral sobre o tema. Assim,

primeiramente se conceitua o recurso, que se configura em um meio de impugnao

de decises judiciais, e aps passa-se verificao das teorias que existem sobre

sua natureza jurdica, quais sejam, teoria da ao, teoria da extenso e teoria do

nus.

No mesmo captulo so feitas distines sobre o juzo de admissibilidade, que

o exame sobre a existncia ou no dos requisitos formais que a lei exige para a

interposio dos recursos, e o juzo de mrito, o qual realizado com o fito de julgar

o contedo do recurso, resultando no seu provimento, total ou parcial, ou no seu

desprovimento.

Ainda, trazem-se duas classificaes dos recursos. A primeira delas a

classificao em ordinrios e extraordinrios, e em segundo lugar explica-se a

classificao em relao ao critrio de fundamentao do recorrente, podendo, sob

este ngulo, os recursos serem divididos em recursos de fundamentao livre e de

fundamentao vinculada. Isso importante porque tais classificaes permitem

3

uma melhor compreenso das peculiaridades inerentes aos recursos extraordinrio

e especial, objetos do presente estudo.

Estes recursos, como ser visto, so chamados de recursos de estrito direito,

e sua extraordinariedade se d em funo de no visarem diretamente tutela do

direito subjetivo das partes, mas sim tutela do direito objetivo como um todo. A

fundamentao que neles pode utilizar o recorrente prevista na Constituio

Federal, razo pela qual essas formas de impugnaes so institutos de direito

processual com previso constitucional.

A seguir so estudadas as hipteses de cabimento dos recursos

extraordinrio e especial, previstas, respectivamente, nos artigos 102 e 105 da

Constituio Federal de 1988. Diferentemente da sistemtica anterior, quando o

regimento interno do STF dispunha sobre o cabimento do antigo recurso

extraordinrio, que veio a originar o atual recurso especial, hoje os tribunais

superiores no podem, por meio de suas arregimentaes, estabelecer restries

quanto ao cabimento dos mencionados recursos. E assim tambm no o pode fazer

qualquer lei infraconstitucional, a quem incumbe apenas regular o seu

processamento. Da mesma forma, as smulas dos tribunais superiores tambm no

tm o condo de impor restries possibilidade de interposio do recurso

extraordinrio e do recurso especial, podendo apenas esclarecer quanto ao

posicionamento que vem sendo adotado pelos julgadores acerca de determinado

assunto.

Para que os recursos cheguem aos tribunais superiores para sua apreciao,

no basta que estejam dentro das hipteses de cabimento previstas na Constituio.

tambm necessrio que preencham certos requisitos, os quais so gerais para

todos os recursos, sendo que o seu correto preenchimento analisado por ocasio

do juzo de admissibilidade. Assim, aps estudar o cabimento dos recursos

extraordinrios, so delineados esses requisitos genricos de admissibilidade,

previstos na legislao processual, sendo eles o cabimento, a legitimao para

recorrer, o interesse em recorrer, a tempestividade, o preparo, a regularidade formal

e a inexistncia de fato impeditivo ou extintivo do poder de recorrer.

Estando dentro das hipteses de cabimento, e preenchendo os requisitos

genricos de admissibilidade, os recursos extraordinrio e especial ainda precisam

estar cercados dos chamados requisitos constitucionais de admissibilidade desses

4

recursos. Eis o tema central do presente estudo, que pretende analisar quais so

essas exigncias constitucionais para a interposio dos recursos extraordinrio e

especial, e as questes delas decorrentes, vez que o assunto traz algumas

controvrsias, no s doutrinrias como jurisprudenciais.

Assim, nesse momento primeiramente ser abordado o requisito do

prequestionamento, cuja origem antiga e, por no estar expressamente

consignado na vigente Carta Magna, enseja inmeras divergncias acerca de sua

constitucionalidade. E no s isso. No que se refere ao prequestionamento, o

dissenso se configura quanto ao seu conceito, sua forma e ao seu modo de

surgimento, sua natureza jurdica e aos fundamentos de sua exigncia. Os

prprios tribunais superiores Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de

Justia apresentam posies controversas, especialmente no que concerne

temtica dos denominados embargos de declarao prequestionadores.

Em seguida, analisado o requisito da repercusso geral, implementado pela

Emenda Constitucional n. 45/2004, que acrescentou o 3 no artigo 103 da

Constituio Federal, constituindo-se em uma exigncia para a admissibilidade do

recurso extraordinrio. Dessa forma, deve o recorrente, em sede de preliminar,

invocar a transcendncia da controvrsia presente em seu recurso, devendo a

questo ultrapassar os interesses das partes e alcanar o interesse da sociedade

como um todo. Isso ser atingido a partir do momento em que a questo seja

relevante do ponto de vista econmico, poltico, social ou jurdico.

A idia do novel instituto possibilitar a uniformizao da interpretao

constitucional sobre questes que repercutam na vida de uma coletividade de

pessoas, e no somente na vida das partes. Ademais, com a nova sistemtica,

evita-se o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal de uma multiplicidade de

recursos com idntica questo constitucional, atravs da dinmica dos chamados

recursos repetitivos. Por meio desta, verificada a existncia de mltiplos recursos

com idntica matria constitucional, o tribunal local seleciona alguns recursos

representativos da controvrsia e os encaminha para a apreciao do STF,

sobrestando, na origem, os demais feitos, at ulterior pronunciamento definitivo da

corte superior. Trata-se de assunto que tambm apresenta inmeras controvrsias,

dada a subjetividade e impreciso que ce