RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL – AULA 08 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL PROFESSORA: BEATRIZ ABRAÃO www.beatrizabraao.com.br

  • View
    106

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL – AULA 08 PROAB 2012.2 DIREITO...

  • Slide 1
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL PROFESSORA: BEATRIZ ABRAO www.beatrizabraao.com.br Aula 8 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL PROFESSORA: BEATRIZ ABRAO www.beatrizabraao.com.br Aula 8
  • Slide 2
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08
  • Slide 3
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08
  • Slide 4
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 1.CONCEITO 2.FUNDAMENTOS 3.PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS 1.CONCEITO 2.FUNDAMENTOS 3.PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS
  • Slide 5
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08. Recurso de ofcio = duplo grau de jurisdio (art. 574, I e II CPP) ou reexame necessrio. Juzo de admissibilidade (anlise pressupostos objetivos e subjetivos) - Objetivos: Finalidade, forma e tempestividade. -Subjetivos: Interesse e legitimidade. P. Fungibilidade (art. 579 CPP). Desistncia (art. 576 CPP) s o querelante.. Recurso de ofcio = duplo grau de jurisdio (art. 574, I e II CPP) ou reexame necessrio. Juzo de admissibilidade (anlise pressupostos objetivos e subjetivos) - Objetivos: Finalidade, forma e tempestividade. -Subjetivos: Interesse e legitimidade. P. Fungibilidade (art. 579 CPP). Desistncia (art. 576 CPP) s o querelante.
  • Slide 6
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08. Proibio da Reformatio in Pejus (art. 617 CPP) apenas quando o recurso for exclusivo da defesa. Interposio por termo nos autos ou por petio (art. 578 CPP) Efeitos: Devolutivo - ex.: sentena absolutria Suspensivo ex.: sentena condenatria Regressivo - juzo de retratao (art. 589 CPP) Extensivo (art. 580 CPP) exceto carter pessoal. Proibio da Reformatio in Pejus (art. 617 CPP) apenas quando o recurso for exclusivo da defesa. Interposio por termo nos autos ou por petio (art. 578 CPP) Efeitos: Devolutivo - ex.: sentena absolutria Suspensivo ex.: sentena condenatria Regressivo - juzo de retratao (art. 589 CPP) Extensivo (art. 580 CPP) exceto carter pessoal
  • Slide 7
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 Mais detalhes do efeito Extensivo: Art. 580 CPP - No caso de concurso de agentes (Cdigo Penal, art. 25), a deciso do recurso interposto por um dos rus, se fundado em motivos que no sejam de carter exclusivamente pessoal, aproveitar aos outros. Mais detalhes do efeito Extensivo: Art. 580 CPP - No caso de concurso de agentes (Cdigo Penal, art. 25), a deciso do recurso interposto por um dos rus, se fundado em motivos que no sejam de carter exclusivamente pessoal, aproveitar aos outros.
  • Slide 8
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 Regressivo, iterativo ou diferido Ex.: art. 581 CPP; art. 197 lei 7210/84; Regressivo, iterativo ou diferido Ex.: art. 581 CPP; art. 197 lei 7210/84;
  • Slide 9
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 Pressupostos: OBJETIVOS a) cabimento; b) adequao; c) tempestividade; d) regularidade; e) inexistncia de fato impeditivo ou extintivo. Pressupostos: OBJETIVOS a) cabimento; b) adequao; c) tempestividade; d) regularidade; e) inexistncia de fato impeditivo ou extintivo.
  • Slide 10
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 Pressupostos SUBJETIVOS: interesse jurdico Art. 577 CPP- O recurso poder ser interposto pelo Ministrio Pblico, ou pelo querelante, ou pelo ru, seu procurador ou seu defensor. Pargrafo nico. No se admitir, entretanto, recurso da parte que no tiver interesse na reforma ou modificao da deciso. Pressupostos SUBJETIVOS: interesse jurdico Art. 577 CPP- O recurso poder ser interposto pelo Ministrio Pblico, ou pelo querelante, ou pelo ru, seu procurador ou seu defensor. Pargrafo nico. No se admitir, entretanto, recurso da parte que no tiver interesse na reforma ou modificao da deciso.
  • Slide 11
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08
  • Slide 12
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08
  • Slide 13
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 RECURSOS PROPRIAMENTE DITOS: a) recurso em sentido estrito (arts. 581-592); b) apelao (arts. 593-606); c) agravo (Lei 7.210/84); d) carta testemunhvel (arts. 639-646); e) embargos infringentes (arts. 609, par. nico); f) embargos de declarao (arts. 619-620); g) correio parcial (Leis n. 1.533/51, 5.010/66 etc.); h) recurso extraordinrio (CF, art. 102, III; Lei n. 8.038/90); i) recurso especial (CF, art. 105, III; Lei n. 8.038/90). RECURSOS PROPRIAMENTE DITOS: a) recurso em sentido estrito (arts. 581-592); b) apelao (arts. 593-606); c) agravo (Lei 7.210/84); d) carta testemunhvel (arts. 639-646); e) embargos infringentes (arts. 609, par. nico); f) embargos de declarao (arts. 619-620); g) correio parcial (Leis n. 1.533/51, 5.010/66 etc.); h) recurso extraordinrio (CF, art. 102, III; Lei n. 8.038/90); i) recurso especial (CF, art. 105, III; Lei n. 8.038/90).
  • Slide 14
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 DO RECURSO EM SENTIDO ESTRITO Art. 581 CPP Caber recurso, no sentido estrito, da deciso, despacho ou sentena: I - que no receber a denncia ou a queixa; II - que concluir pela incompetncia do juzo; III - que julgar procedentes as excees, salvo a de suspeio; IV que pronunciar o ru; (Redao dada pela Lei n 11.689, de 2008) V - que conceder, negar, arbitrar, cassar ou julgar inidnea a fiana, indeferir requerimento de priso preventiva ou revog-la, conceder liberdade provisria ou relaxar a priso em flagrante; (Redao dada pela Lei n 7.780, de 22.6.1989) DO RECURSO EM SENTIDO ESTRITO Art. 581 CPP Caber recurso, no sentido estrito, da deciso, despacho ou sentena: I - que no receber a denncia ou a queixa; II - que concluir pela incompetncia do juzo; III - que julgar procedentes as excees, salvo a de suspeio; IV que pronunciar o ru; (Redao dada pela Lei n 11.689, de 2008) V - que conceder, negar, arbitrar, cassar ou julgar inidnea a fiana, indeferir requerimento de priso preventiva ou revog-la, conceder liberdade provisria ou relaxar a priso em flagrante; (Redao dada pela Lei n 7.780, de 22.6.1989)
  • Slide 15
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 VII - que julgar quebrada a fiana ou perdido o seu valor; VIII - que decretar a prescrio ou julgar, por outro modo, extinta a punibilidade; IX - que indeferir o pedido de reconhecimento da prescrio ou de outra causa extintiva da punibilidade; X - que conceder ou negar a ordem de habeas corpus; XI - que conceder, negar ou revogar a suspenso condicional da pena; Ateno!! XII - que conceder, negar ou revogar livramento condicional; Ateno!! XIII - que anular o processo da instruo criminal, no todo ou em parte; VII - que julgar quebrada a fiana ou perdido o seu valor; VIII - que decretar a prescrio ou julgar, por outro modo, extinta a punibilidade; IX - que indeferir o pedido de reconhecimento da prescrio ou de outra causa extintiva da punibilidade; X - que conceder ou negar a ordem de habeas corpus; XI - que conceder, negar ou revogar a suspenso condicional da pena; Ateno!! XII - que conceder, negar ou revogar livramento condicional; Ateno!! XIII - que anular o processo da instruo criminal, no todo ou em parte;
  • Slide 16
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 XIV - que incluir jurado na lista geral ou desta o excluir; XV - que denegar a apelao ou a julgar deserta; XVI - que ordenar a suspenso do processo, em virtude de questo prejudicial; XVII - que decidir sobre a unificao de penas; Ateno!! XVIII - que decidir o incidente de falsidade; XIX - que decretar medida de segurana, depois de transitar a sentena em julgado; ATENO!! XX - que impuser medida de segurana por transgresso de outra; ATENO!! XXI - que mantiver ou substituir a medida de segurana, nos casos do art. 774; ATENO!! XXII - que revogar a medida de segurana; ATENO!! XXIII - que deixar de revogar a medida de segurana, nos casos em que a lei admita a revogao; ATENO!! XIV - que incluir jurado na lista geral ou desta o excluir; XV - que denegar a apelao ou a julgar deserta; XVI - que ordenar a suspenso do processo, em virtude de questo prejudicial; XVII - que decidir sobre a unificao de penas; Ateno!! XVIII - que decidir o incidente de falsidade; XIX - que decretar medida de segurana, depois de transitar a sentena em julgado; ATENO!! XX - que impuser medida de segurana por transgresso de outra; ATENO!! XXI - que mantiver ou substituir a medida de segurana, nos casos do art. 774; ATENO!! XXII - que revogar a medida de segurana; ATENO!! XXIII - que deixar de revogar a medida de segurana, nos casos em que a lei admita a revogao; ATENO!!
  • Slide 17
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL PENAL AULA 08 XXIV - que converter a multa em deteno ou em priso simples. Art. 51 do CP: Transitada em julgado a sentena condenatria, a multa ser considerada dvida de valor, aplicando-se-lhes as normas da legislao relativa dvida ativa da Fazenda Pblica, inclusive no que concerne s causas interruptivas e suspensivas da prescrio. XXIV - que converter a multa em deteno ou em priso simples. Art. 51 do CP: Transitada em julgado a sentena condenatria, a multa ser considerada dvida de valor, aplicando-se-lhes as normas da legislao re

Recommended

View more >