Resumo de Economia

  • Published on
    11-Dec-2015

  • View
    39

  • Download
    27

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Resumo para concursos.

Transcript

<p>1. DEMANDA (PROCURA)</p> <p>A demanda ou procura de um bem simplesmente a quantidade deste bem que os consumidores/compradores desejam adquirir a determinado preo, em determinado perodo de tempo. Curva de demanda de um bem informa, graficamente, a quantidade que os consumidores desejam comprar medida que muda o preo unitrio. A quantidade demandada ou procurada de um bem varia inversamente em relao ao seu preo. Esta a milenar lei da demanda.</p> <p>Assim, podemos dizer que a curva de demanda tem inclinao para baixo, decrescente, descendente ou negativa.Exceo lei da demanda: existe um tipo de bem que no obedece lei da demanda: o bem de Giffen. Para este bem, aumentos de preo geram aumentos de quantidade demandada e redues de preo geram reduo de quantidade demandada.</p> <p>Por exemplo, suponha uma situao em que temos uma famlia pobre diante da ocorrncia de um aumento no preo do po. Como a renda da famlia bastante baixa, o aumento do preo do po far com que sobre menos renda para o consumo de outros bens, de forma que a famlia optar por aumentar o consumo de pes. Neste caso, o po ser um bem de Giffen.Esclarecimento sobre os bens de Veblen:</p> <p>Para fins de concursos, esquea os bens de Veblen, e adote a seguinte definio para bem de Giffen: o bem que nega a lei da demanda. Pode ser tanto um bem de baixo valor como um bem de alto valor, desde que negue a lei da demanda. FATORES QUE AFETAM A DEMANDA</p> <p> Preo: j visto no item de introduo Demanda.</p> <p> Renda do consumidor: na maioria das vezes, o aumento de renda provoca o aumento da demanda.</p> <p> Preos de outros bens: se o consumidor deseja adquirir arroz, ele tambm verificar o preo do feijo, j que o consumo destes bens associado. Esses bens so complementares. De forma oposta, quando o consumo de um bem substitui ou exclui o consumo de outro bem, dizemos que estes bens so substitutos ou sucedneos. o que acontece, neste ltimo caso, com a manteiga e a margarina, refrigerante e suco, carne bovina e carne de frango, etc.</p> <p> Outros fatores: gostos, hbitos e expectativas dos consumidores que podem variar devido a inmeros fatores.</p> <p>Assim, podemos listar como outros fatores:</p> <p>1) Expectativas dos consumidores: quanto renda futura (se eles esperam que sua renda v aumentar, a demanda tende a aumentar). Quanto ao comportamento futuro dos preos (se eles esperam que os preos vo aumentar, a demanda tende a aumentar, para evitar comprar produtos mais caros no futuro). Quanto disponibilidade futura de bens (se o consumidor acredita que determinada mercadoria poder faltar futuramente no mercado, ele poder aumentar a demanda por esse bem, precavendo-se de sua falta no futuro).2) Mudana no nmero de consumidores no mercado: o aumento de consumidores aumenta a demanda pelo consumo de bens. 3) Mudanas demogrficas: a demanda por muitos produtos est, por exemplo, estreitamente ligada composio etria da populao, bem como sua distribuio pelo pas. 4) Mudanas climticas: a demanda por produtos estritamente ligados estao mais quente (culos de sol,</p> <p>sungas de banho, etc) so mais demandadas no vero e menos demandadas no inverno. </p> <p>Para que os economistas consigam analisar a influncia de uma varivel na demanda, utiliza-se a suposio de que todas as outras variveis permanecem constantes. No jargo econmico utilizado o termo coeteris paribus, que quer dizer: todo o restante permanecendo constante.</p> <p>ALTERANDO A DEMANDA</p> <p>a) PREOS: quando os preos dos produtos sobem, a quantidade demandada cai, e vice-versa. A principal concluso a que chegamos que a mudana de preos ocasiona deslocamentos NA curva de demanda, AO LONGO DA CURVA. b) RENDA DO CONSUMIDOR: para os bens normais, aumentos de renda dos consumidores, coeteris paribus, provocam aumento da demanda (veja que estamos falando em aumento da demanda e NO aumento da quantidade demandada). Aps o aumento de renda, TODA a curva de demanda se desloca para a direita, indicando maiores quantidades demandadas ao mesmo nvel de preos. Caso tenhamos um bem inferior, que, por definio, o bem cuja demanda diminui quando o nvel de renda do consumidor aumenta, o raciocnio diferente. Neste caso, aumentos de renda faro com que a curva de demanda se desloque para a esquerda, indicando menor demanda. </p> <p>c) PREOS DE OUTROS BENS:</p> <p>1) Bens substitutos: Quando o consumo de um bem relacionado exclui o consumo de outro bem, dizemos que estes bens so substitutos </p> <p>Caso haja diminuio do preo de um bem substituto: </p> <p>PY aumenta QDY diminui QDX aumenta ao mesmo nvel de preos curva de demanda de X se desloca para a direita</p> <p>PY diminui QDY aumenta QDX diminui ao mesmo nvel de preos curva de demanda de X se desloca para a esquerda</p> <p>2) Bens complementares: quando o consumo de um bem associado ao consumo de outro bem, dizemos que estes so complementares. o que ocorre com o arroz e o feijo, terno e gravata, po e manteiga, etc. Temos as seguintes relaes para os bens X e Y, complementares:</p> <p>PY aumenta QDY diminui QDX tambm diminui ao mesmo nvel de preos curva de demanda de X se desloca para a esquerda.</p> <p>PY diminui QDY aumenta QDX tambm aumenta ao mesmo nvel de preos curva de demanda de X se desloca para a direita.</p> <p>d) OUTROS FATORES: aqui, conforme j comentado, podemos ter infinitas variveis que influenciam a curva de demanda de um bem. Aqui neste item, a exemplo do que aconteceu nos itens b) e c), estamos falando do deslocamento da curva de demanda como um todo, de forma que ela se desloca para a direita ou para a esquerda. </p> <p>Importante: Mudanas no preo de um bem X provocam deslocamentos NA, AO LONGO, SOBRE a curva de demanda (a curva fica no mesmo lugar), enquanto qualquer mudana em quaisquer outros fatores que no sejam o preo do bem provoca deslocamento DA curva de demanda (a curva inteira sai do lugar).2. OFERTA</p> <p>A oferta de um bem simplesmente a quantidade deste bem que os produtores/vendedores desejam vender a determinado preo, em determinado perodo de tempo.Curva de oferta de um bem informa, graficamente, a quantidade que os vendedores desejam vender medida que muda o preo unitrio.Do ponto de vista dos produtores, quanto maior for o preo de um bem melhor ser. Desta forma, h uma relao diretamente proporcional entre os preos e as quantidades ofertadas. Assim, o grfico da curva de oferta ter inclinao para cima, ascendente, crescente ou positiva.FATORES QUE AFETAM A OFERTA</p> <p> Preo do bem: j visto.</p> <p> Custos de produo: quanto maiores os custos de produo, menor o estmulo para ofertar o bem ao mesmo nvel de preos. Quanto menores os custos de produo, maior ser o estmulo para ofertar o bem. Como exemplo de custos de produo, podemos apresentar os tributos, salrios dos empregados, taxas de juros, preo das matrias-primas, etc.</p> <p> Tecnologia: o aumento de tecnologia estimula o aumento da oferta, tendo em vista que o desenvolvimento da tecnologia, geralmente, implica redues do custo de produo e aumento da produtividade.</p> <p> Preos de outros bens: se os preos de outros bens (que usam o mesmo mtodo de produo) subirem enquanto o preo do bem X no se altera, obviamente, os produtores procuraro ofertar aquele bem que possui o maior preo e lhe trar maiores lucros.</p> <p> Outros fatores: aqui, a exemplo da demanda, temos uma infinidade de fatores que podem alterar a oferta. Apenas para citar um exemplo, uma superoferta de qualquer produto agrcola pode ter sido causada por uma excelente safra, devido a boas condies climticas no campo. Da mesma maneira do que ocorre na curva de demanda, alteraes de preos provocam deslocamentos ao longo da curva de oferta (ela continua no mesmo lugar). Alteraes nos custos de produo, tecnologia, preos de outros bens e outros fatores provocam deslocamentos de toda a curva de oferta.</p> <p>Memorize apenas que aumentos de oferta ou de demanda fazem com que estas curvas se desloquem para a direita, caminhando, no eixo das abscissas do grfico, para maiores quantidades demandadas ou ofertadas.</p> <p>EQUILBRIO</p> <p>O preo e a quantidade de equilbrio estaro exatamente no ponto onde a demanda iguala a oferta.Quando o preo est abaixo do equilbrio, a quantidade ofertada menor que a quantidade demandada. A diferena entre a quantidade demandada e a quantidade ofertada representa a escassez no mercado deste bem. Para restabelecer o equilbrio, o preo deve ser elevado para que a quantidade ofertada aumente e a quantidade demandada diminua.</p> <p>Quando o preo est acima do equilbrio, a quantidade ofertada maior que a quantidade demandada. A diferena entre a quantidade ofertada e a quantidade demandada representa o excesso no mercado deste bem. Para restabelecer o equilbrio, o preo deve ser reduzido para que a quantidade ofertada diminua e a quantidade demandada aumente.</p> <p>ALTERANDO O EQUILBRIO</p> <p>Exemplo 1: Qual o efeito sobre preo e quantidade de equilbrio de um bem X, transacionado em um mercado competitivo, aps o aumento do preo de um bem Y, substituto de X?</p> <p>Aps o aumento de preo de Y, pela lei da demanda, a quantidade demandada de Y diminui. Como X e Y so substitutos, os consumidores substituiro o consumo de Y pelo consumo de X, isto , a demanda de X aumenta, provocando o deslocamento de toda a curva de demanda de X para a direita. Concluso: o aumento de preo de um bem substituto provoca aumento de preos e quantidades transacionadas do bem X.</p> <p>Exemplo 2: Qual o efeito sobre preo e quantidade de equilbrio de um bem X, transacionado em um mercado competitivo, aps o aumento do preo de um bem Y, complementar de X?</p> <p>Aps o aumento de preo de Y, pela lei da demanda, a quantidade demandada de Y diminui. Como X e Y so complementares, os consumidores, ao diminurem o consumo de Y, tambm diminuem o consumo de X, isto , a demanda de X diminui, provocando o deslocamento de toda a curva de demanda de X para a esquerda. Concluso: o aumento de preo de um bem complementar provoca reduo de preos e quantidades transacionadas do bem X.</p> <p>Exemplo 3: Qual o efeito sobre preo e quantidade transacionada do bem X, transacionado num mercado competitivo, aps um aumento de tributao sobre a produo?</p> <p>Aumentos de tributao sobre a produo aumentam os custos de produo e, como estamos falando em produo, este aumento de tributos influencia a oferta e no a demanda, mais precisamente, reduzir a oferta. Esta diminuio da oferta provoca deslocamento de toda a curva de oferta para a esquerda. Concluso: o aumento de tributao sobre a produo provoca aumento de preos e reduo de quantidades transacionadas. Cuidado: se o aumento de tributao for sobre a renda das pessoas, esta tributao vai alterar a demanda e no a oferta. Exemplo 4: Qual o efeito sobre preo e quantidade transacionada do bem X, transacionado num mercado competitivo, aps o desenvolvimento de uma nova tecnologia de produo?</p> <p>Desenvolvimento de tecnologia afeta a produo, desta forma, influenciar a oferta, mais precisamente, haver aumento de oferta e a curva ser deslocada para a direita. Isto acontece pois a tecnologia diminui os custos e aumenta a produtividade, elevando, assim, a oferta. Concluso: o desenvolvimento de nova tecnologia provocar reduo nos preos e aumento das quantidades transacionadas.</p> <p>Exemplo 5: Quais as consequncias de um congelamento de preos, abaixo do equilbrio, por parte do governo?</p> <p>Antes de tudo, devemos atentar para o fato que foi falado to somente sobre alterao de preos. Desta forma, no haver deslocamento de nenhuma das duas curvas. Observe que, pelo fato de o preo estar abaixo do equilbrio, as quantidades demandadas superam as quantidades ofertadas, havendo, portanto, escassez de bens.</p> <p>Ao se deparar com um problema em que voc tenha que descobrir, a partir de um acontecimento, os efeitos sobre o preo e quantidade de equilbrio de determinado bem, siga os passos abaixo:1 primeiro, verifique se este acontecimento uma simples alterao de preo. Se for, haver deslocamento ao longo da curvas, provocando escassez se o preo for abaixo do equilbrio, ou excesso se o preo for acima do equilbrio.</p> <p>2 depois, verifique se o acontecimento afeta a demanda ou a oferta. Mudanas na renda do consumidor e nos preos de bens que tenham o consumo relacionado provocam deslocamentos da curva de demanda. Mudanas nos custos de produo (salrios, tributos, taxa de juros, preos de matrias-primas), tecnologia e nos preos de bens que tenham a produo relacionada provocam deslocamentos da curva de oferta.</p> <p>3 verifique para onde vai determinada curva, se para a direita ou esquerda. Aumentos, sejam na demanda ou oferta, iro deslocar as curvas para a direita, no sentido de aumento de quantidades transacionadas, que esto representados no eixo horizontal, das abscissas. Redues, sejam na demanda ou oferta, iro deslocar as curvas para a esquerda.</p> <p>4 aps deslocar as curvas, verifique, por si s, as consequncias sobre o novo preo e quantidade transacionada do bem.3. ELASTICIDADES</p> <p>3.1. ELASTICIDADE PREO DA DEMANDA (EPD)</p> <p>Muitas vezes desejamos saber quanto vai aumentar ou quanto vai cair a demanda ou a oferta. Utilizamos as elasticidades para responder a perguntas como essas. Elasticidade significa sensibilidade. A elasticidade mede quanto uma varivel pode ser afetada por outra.</p> <p>A elasticidade preo da demanda (EPD) indica a variao percentual da quantidade demandada de um produto em funo da variao percentual de 1% nos preos. A EPD geralmente um nmero negativo. Quando o preo de uma mercadoria aumenta, a quantidade demandada em geral cai, e, dessa forma, Q/P negativa, e, portanto, EPD um valor negativo. No entanto, usa-se seu valor absoluto, ou o seu mdulo. Por exemplo, se EPD = -1, dizemos simplesmente que a elasticidade 1. Quando a EPD maior que 1, isto , a queda nas quantidades demandadas percentualmente superior ao aumento de preos, dizemos que a demanda elstica aos preos.</p> <p>Quando EPD menor que 1, isto , a queda nas quantidades demandadas percentualmente inferior ao aumento de preos, dizemos que a demanda inelstica aos preos.</p> <p>Quando EPD igual 1, isto , a queda nas quantidades demandadas percentualmente igual ao aumento de preos, dizemos que a elasticidade preo da demanda unitria. </p> <p> Quanto mais essencial o bem, mais inelstica (ou menos elstico) ser a sua demanda: se o bem for essencial para o consumidor, aumentos de preo iro provocar pouca reduo de demanda, ou seja, EPD ser menor que 1. Quanto mais bens substitutos houver, mais elstica ser a sua demanda: se o bem tiver muitos substitutos, o aumento de seus preos far com que os consumidores adquiram os bens substitutos, desta forma, a diminuio das quantidades demandadas ser grande. Quanto menor o peso do bem no oramento, mais inelstica ser a demanda do bem: uma caneta das mais simples custa R$ 1,00 e pode durar bastante tempo. Se seu preo aumentar para R$ 1,30, seu consumo no diminuir significativamente, pois o produto muito barato, quase irrelevante no oramento das famlias. No longo prazo, a elasticidade preo da de...</p>