Revenda 236

  • View
    320

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista Revenda edição 236

Text of Revenda 236

  • MUITO LUXO, BOM PREO, BONS LUCROS

    FEICON

    EU TENHO A FORA!

    CHUVEIROS E

    PRESSURIZADORES

    BELEZA PARA TODOS OS BOLSOS

    ENTREVISTA

    SERGIO WATANABE, PRESIDENTE DO SINDUSCON-SP

    E MAIS

    REVESTIMENTO CERMICO ARGAMASSAS E REJUNTAMENTO

    PISOS

    ano XXIIMaio 2010

    236no

  • R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U O | 3

    AR

    TIG

    OS

    E S

    E

    E

    S

    Edio 236 - ano XXII - Maio 2010

    82

    88

    94

    CORTADORES

    ARGAMASSA

    PISOS

    Produtos indispensveis para revestimentos

    Onde tudo comea

    As mltiplas escolhas

    ENTREVISTA

    FEICON

    CHUVEIROS

    REVESTIMENTO

    08

    16

    66

    74

    Sergio Watanabe, presidente do Sinduscon-SP

    A Feicon mostrou a nossa fora

    Design e qualidade so suas marcas

    A cermica ainda tem seu charme

    Painel 12Artigo Fischer 100Agenda 102Indicadores 104Sua Loja 110Doutores da construo 114

  • 4 | R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U O

    CARTA DO EDITOR

    Pelo menos os empresrio do setor da construo no tm do que reclamar. Durante a Feicon, realizada no incio de abril, em So Paulo, foi difcil encontrar um de cara amarrada. S mesmo os que no quiseram expor na Feira e foram at l morrer de inveja dos seus concorrentes exibidores.E todos tm motivos para comemorar. A economia deixou de pa-tinar. Espera-se um crescimento em torno de 12 a 15% este ano no setor. As poucas perdas do incio do ano passado foram compen-sadas com o boom do ultimo trimestre de 2009 e do primeiro de 2010. Enquanto o PIB zerou, o que no foi de todo ruim j que a economia mundial fez gua, o setor da construo continuou investindo em aumento de produo, ampliao de instalaes e lanamento de novos produtos.H muito tempo no se via uma Feicon com tantos lanamentos. E estandes criativos. Uma verdadeira Disneyland da construo civil. A fartura podia ser medida pela quantidade de sacolas promocio-nais distribudas aos presentes. E dentro, catlagos e brindes dos mais variados. Os bons tempos voltaram. ano de eleio, dizem alguns para justificar a euforia do mercado; teremos Copa do Mundo em 2014, dizem outros. E alguns, finali-zam dizendo que as Olimpadas de 2016, no Rio de Janeiro, tam-bm aquecero o mercado.T certo que esses eventos pontuais devero ajudar na economia. Mas o que est ajudando mesmo a estabilidade econmica e o au-mento do poder aquisitivo das classes C/D/E. Esses so os grandes consumidores da nova dcada. Esto investindo no bem-estar, co-brindo suas casas, pintando as paredes h muito no reboco ou tijolo aparente, colocando piso e trocando as louas sanitrias e metais. a eles que o mercado deve agradecer. Afinal, um pas s gran-de quando seu povo no passa fome e tem moradia digna. Parece que estamos no caminho certo.

    Boa leitura,

    Roberto Ferreira

    Cu de brigadeiro

    MAIO 2010 | Edio 236

    Diretoria:Ivete Nunes (ivetenunes@revenda.com.br)

    Jussara Rocha (jussararocha@revenda.com.br)

    Diretor Editorial e Jornalista responsvel:

    Roberto Ferreira (roberto@revenda.com.br)

    Arte:

    Editora de Arte: Thais Terra (thais@revenda.com.br)

    Diagramao: Dupla Ideia Design

    Reviso:

    Bebel Nepomuceno

    Diretora Comercial:

    Jussara Rocha (jussararocha@revenda.com.br)

    Gerentes de Contas:

    Alessandra Bertuzzi (alessandrabertuzzi@revenda.com.br)

    Carla Passarelli (carla@revenda.com.br)

    Juliana Tagliapietra (juliana@revenda.com.br)

    Marli Moo (marli@revenda.com.br)

    Solange Castilho (solange@revenda.com.br)

    Administrativo:

    Tatiana Carlini (tatiana@revenda.com.br)

    Financeiro:

    Magda do Nascimento (magda@revenda.com.br)

    Thiago Souza (thiago@revenda.com.br)

    Tecnologia:

    Mislene Fernandes (mislene@revenda.com.br)

    Ronaldo Guedes (ronaldo@revenda.com.br)

    Departamento Jurdico:

    Dr. Jos Geraldo Louz Prado

    Assinaturas:

    Vera Lcia M. Lopes (vera@revenda.com.br)

    Tel.: (11) 5503-2061

    Redao, Administrao e Publicidade:

    Rua Geraldo Flausino Gomes, 78 - conj. 53

    Brooklin - CEP 04575-060 - So Paulo - SP

    Tel./Fax (011) 5503-2033

    uma publicao da Quinta Essncia Editora, enviada mensalmente a execu-

    tivos, proprietrios, compradores, gerentes e encarregados das principais lojas

    de material de construo, material eltrico, material para pintura e atacadistas

    que trabalham com construo, responsveis por 85% do volume de vendas

    do setor. Opinies e conceitos emitidos pelos colunistas e colaboradores no

    representam, necessariamente, os da revista. Todos os direitos so reservados.

    Registrada de acordo com a lei de imprensa. Marca Registrada no INPI.

    Nas pesquisas referentes ao Ranking de Conceito e Imagem da Indstria,

    Trofu Excelncia Atacadista/Distribuidor e Melhor Produto do Ano a

    auditoria do recebimento e tabulao dos votos realizada pela

  • R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U O | 5

    ecu-

    jas

    tas

    as

    o

    vados.

  • 6 | R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U OLinha de Duchas e Chuveiros Eltricos | Linha de Metais Sanitrios Linha de P

    TURBINE

    PgDuplaTR18810.indd 1

  • R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U O | 7

    www.lorenzetti.com.br0800 015 02 11anitrios Linha de Puriicadores e Filtros de gua | Linha de Aquecedores de gua a Gs

    E SUAS VENDAS

    4/16/10 1:50:59 PM

  • ENTREVISTA / Sergio Watanabe, presidente do Sinduscon-SPPOR ROBERTO FERREIRA / FOTOS FABIO ANDRADE

    oO engenheiro Sergio Watanabe, 64, preside o SindusconSp, o maior sindi-cato da construo da Amrica Latina que, em 2009, comemorou 75 anos de atividade. Com 9 mil empresas filiadas,

    esta entidade representa cerca de 30%

    do faturamento de toda a cadeia cons-

    trutiva brasileira.

    Em entrevista exclusiva Revista Re-

    venda, o presidente fala do setor, de

    investimentos, quedas de braos e ex-

    pectativas para este ano, principalmente

    quanto ao deficit habitacional brasileiro.

    Revenda Como o SindusconSP v

    o momento atual da construo civil no

    Brasil?

    Sergio Watanabe Muito bem.

    Apesar das dificuldades do ano passa-

    do, quando houve forte queda no cres-

    cimento que vinha ocorrendo com o

    aquecimento do mercado, em 2008,

    percebemos que h uma forte tendncia

    de recuperao este ano. No acredito

    em 15% de crescimento, como esto

    falando, mas certamente ficar em dois

    digtos, o que muito bom. A constru-

    o civil passou duas dcadas em ciclos

    8 | R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U O

  • R E V I S T A R E V E N D A C O N S T R U O | 9

    est aquecida

    A construo civil

    muito ruins. E comeou a reverter esta

    curva de queda do PIB da construo

    e postos de trabalho a partir de 2004,

    quando comeou a ofertar mais postos

    de trabalho do que demisses. Ento,

    estamos com uma curva ascendente.

    Apesar do ano passado ter sido um ano

    de crise, a construo civil continuou

    crescendo. Ou seja, um setor muito

    importante para a economia nacional.

    Revenda Houve maior oferta de em-

    preendimentos no ano passado?

    Sergio Watanabe A construo

    recuou um pouco no ano passado, mas

    como as obras no so realizadas com

    muita velocidade e sim com planeja-

    mento, os empreendimentos no para-

    ram e tambm tivemos o momento do

    acabamento das obras, o que manteve o

    setor aquecido.

    Revenda O nvel de emprego no se-

    tor da construo est crescendo?

    Sergio Watanabe O nvel de empre-

    go na construo civil brasileira aumen-

    tou 1,55% em fevereiro na comparao

    com janeiro, o que equivale contrata-

    o de mais 39.058 trabalhadores com

    carteira assinada. Com isso, apenas no

    acumulado dos dois primeiros meses de

    2010, o nvel de emprego no setor cres-

    ceu 4,14%, com a impressionante con-

    tratao de mais 101.813 trabalhadores

    formais. Utilizamos para essas estatsti-

    cas a pesquisa mensal da entidade com

    a FGV (Fundao Getulio Vargas). O

    resultado marca um novo recorde de

    2,558 milhes de trabalhadores com

    carteira na construo civil brasileira o

    mais alto patamar da srie histrica. Em

    12 meses, o nvel de emprego no setor

    aumentou 13,10%, o que corresponde a

    mais 296.276 trabalhadores emprega-

    dos. Esses nmeros reforam nossa esti-

    mativa de que o produto da construo

    dever crescer no patamar chins de

    cerca de 9% neste ano.

    Revenda Isso vale para todo o Brasil?

    Sergio Watanabe Tanto na constru-

    o brasileira como particularmente na

    paulista, o emprego aumentou em todos

    os segmentos: obras (preparao de

    terreno, edificaes, infraestrutura, obras

    de instalao e acabamento) e servios

    (incorporao de imveis, servios de en-

    genharia e outros). Somente no Estado de

    So Paulo, o nvel de emprego na constru-

    o, em fevereiro, aumentou 1,54%, com

    acrscimo de 10.755 trabalhadores. Com

    isso, o nmero de trabalhadores passou a

    709.475 tambm um recorde na srie

    histrica.

    Revenda O empresariado ainda

    est desconfiado com o aquecimento

    do mercado?

    Sergio Watanabe A percepo dos

    empresrios da construo sobre o de-

    sempenho de suas empresas melhorou

    e j est prxima dos patamares mais al-

    tos registrados em 2008, antes do incio

    da crise financeira global. Numa escala

    de 0 a 100 pontos, em que resu