Revista Abinee 64

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Text of Revista Abinee 64

  • 2012, um ano de incertezas

    Delfim Netto

    Associao Brasileira daIndstria Eltrica e EletrnicaAno XIV - No 64 - dezembro/2011

    Problema do Brasil de gesto e no de recursos

    Plenria Abinee: crise e eleies 2012 | pag. 16

  • Revista Abinee n 64 | dezembro 2011 | 2

  • Revista Abinee n 64 | dezembro 2011 | 3

    Publicao bimestral da Associao Brasileira da Indstria Eltrica e Eletrnica - Abinee

    Conselho editorialHumberto barbatoDrio bampaFabin Yaksiccarlos cavalcanti

    editorJos carlos De oliveira - mtb 12.723zecarlos@abinee.org.br

    redaoJean carlo martins - mtb 48.950

    revisorosngela Dariva

    Fotosarquivo abinee

    Produo GrFiCamorganti publiciDaDe - www.morganti.com.br

    imPresso e CtPDuograF

    tiraGem 7.000 exemplares

    assoCiao Brasileira da indstria eltriCa e eletrniCaav. paulista, 1313 - 7 anDar - 01311-923pabx: 55 11 2175.0000 - Fax: 55 11 2175.0090www.abinee.org.br

    Dezembro De 2011nmero 64

    As correspondnciAs pArA A revistA devem ser encAminhAdAs redAo viA correio ou e-mAil. Ao editor reservAdo o direito de publicAo de pArte ou ntegrA dA cArtA. AutorizAdA A reproduo dos textos publicAdos nestA edio desde que citAdA A fonte ou AutoriA. As opinies expressAs nAs mAtriAs so de inteirA responsAbilidAde de seus Autores.

    ndice

    encontro com Delfim NettoO problema do Brasil de gesto e no de recursosPgina 10

    energia Abinee pede polticas ousadas para gerao fotovoltaicaPgina 30

    perspectivas O que

    esperar de 2012Pgina 22

    regionais Planejamento para uma ao institucional eficazPgina 46

    normalizao Brasil comea a

    conhecer a norma de gesto de energia

    Pgina 32

    plenria Abinee Eleies: questo econmica ser importantePgina 19

    plenria AbineeCrise: s recesso

    mundial afetar o BrasilPgina 16

    editorial2012, ano de

    incertezasPgina 8

  • Revista Abinee n 64 | dezembro 2011 | 4

    em foco

    No incio de novembro, o Centro de Estudos e Sistemas Avanados do Recife (C.E.S.A.R) apresentou, na Abinee, em So Paulo, o SIBMA - Sistema Brasileiro de Multimedio Avanada, que visa automatizar a medio de energia

    eltrica distncia, desde a conces-sionria, sem a presena humana.

    Utilizando linguagem que aten-de a todos os padres de medidores eletrnicos, o SIBMA um protocolo de comunicao aberto e padroni-zado que permitir a integrao dos medidores aos sistemas de teleme-dio das distribuidoras de energia.

    O desenvolvimento do Sistema s foi possvel aps um intenso tra-

    balho da Abinee junto ao Ministrio de Cincia e Tecnologia para a incluso do desenvolvimento do SIBMA nas contra-partidas da Lei de Informtica, permitin-do a utilizao dos recursos de P&D.

    Aps um ano de trabalho junto co-misso de estudos CE 03 - 13.1 Medidores

    de Eletricidade, do COBEI/ABNT, a primeira fase do projeto foi concluda em outubro ltimo, chegando-se a uma arquitetura vi-vel para a implementao do SIBMA.

    Segundo Fabio Maia, gerente do proje-to no C.E.S.A.R, o sistema indito, uma vez que no h no mundo quem esteja usando uma arquitetura semelhante para o problema da medio inteligente. O Si-BMA essencialmente uma adaptao da arquitetura e tecnologias da web para o contexto de ambientes com maiores limi-taes de recursos computacionais e de comunicao. Alm disso, o sistema est preparado, tambm, para agregar futu-ramente outras aplicaes do Smart Grid como, por exemplo, controle de carga e pr-pagamento.

    Em sua prxima fase, que dever tomar os prximos seis meses, o sistema passar por um refinamento e validao, quando ser apresentado para consulta pblica e posterior publicao pela ABNT - Associa-o Brasileira de Normas Tcnicas.

    Primeiro passo para medio inteligente e o Smart Grid no Brasil

    Opresidente da Abinee, Hum-berto Barbato, recebeu, no dia 23 de novembro, em So Paulo, o novo presi-dente da ANATEL, Joo Batista de Re-zende, para reunio

    que marcou o incio de uma maior aproximao entre as duas entidades. Rezende destacou que a indstria tem muito a contribuir com o traba-lho da ANATEL. Ele disse que, em sua gesto, espera contar sempre com a colaborao da Abinee nos diversos assuntos da agncia ligados ao setor eletroeletrnico.

    Novo presidente da ANATEL faz visita de cortesia ABINEE

  • Revista Abinee n 64 | dezembro 2011 | 5

    http://twitter.com/abinee

    Acompanhe a Abinee pelo twitter

    Opr e s iden-te da Abi-nee, Hum-berto Barbato, recebeu no dia 26 de novembro, o presidente da MAF - Manufac-turers Association of Florida -, Al Stimac, que este-ve no Brasil numa misso composta por cerca de 200 empresrios da Flri-da, dos mais diversos setores, liderada pelo governador do estado, Rick Scott.

    Na oportunidade, os presidentes debateram possibilidades de parcerias entre as entidades, no sentido de in-centivar as exportaes de produtos do Brasil para a Flrida, bem como as im-portaes de produtos daquele estado norte-americano.

    Acredito que esta aproximao com a Abinee de grande importncia para as duas entidades e, tambm, para os membros que representam, disse Sti-mac.

    Ele destacou que o setor eletroele-trnico, especialmente o de informti-ca, um dos mais ativos da regio e,

    Barbato recebe presidente da associao de fabricantes da Flrida

    Acredito que esta aproximao com a Abinee de grande importncia para as duas entidades e, tambm, para os membros que representam Al Stimac

    por este motivo, a MAF tem atuado in-tensamente, junto aos governos federal e estadual, na conquista de condies melhores de financiamento para os empresrios da Flrida, principalmente para pequenas e mdias empresas, ao mesmo tempo em que atua no fomento inovao tecnolgica.

    Ao final do encontro, Humberto Barbato afirmou que o setor eletro-eletrnico tem grande interesse em receber fabricantes americanos que tenham interesse em estabelecer ati-vidade produtiva no pas. Coloco a estrutura da Abinee disposio para apoiar e orientar as empresas que ve-nham a produzir no Brasil, concluiu Barbato.

  • Revista Abinee n 64 | dezembro 2011 | 6

    em foco

    Mario Roberto Branco, gerente do Departamento de Relaes In-ternacionais da Abinee, acom-panhou, de 8 a 11 de novembro, em Montevidu, Uruguai, o XXIII Comit de Negociaes Birregionais (CNB) entre Unio Europeia e Mercosul. Segundo ele, o Embaixador Evandro Didonet, chefe da Delegao Brasileira, afirmou, durante o evento, que h forte expectativa de que a Cpula Amrica Latina/Europa, a ser re-alizada em junho de 2012, venha a ser o momento mais propcio para o intercm-bio de ofertas mais concretas para Acesso a Mercados. O embaixador destacou, po-rm, que no houve avanos nos textos normativos fundamentais para o acordo, de forma que pontos e temas importantes no progrediram o suficiente para incen-tivar uma futura troca de ofertas. H, na impresso do embaixador, uma margem mnima de possibilidade de evoluo em temas como indstria nascente e requisi-tos especficos de origem, por exemplo, destacou o representante da Abinee.

    Na ocasio, Didonet salientou, tam-bm, que os negociadores brasileiros, acompanhados pelos demais do Merco-sul, esperam maior flexibilidade dos eu-ropeus nos pontos mais importantes do acordo, principalmente no captulo de Acesso a Mercados.

    Em relao aos bens remanufatu-rados - posto na mesa de negociaes pelos europeus nos CNBs anteriores -, Mrio Branco ressaltou que o tema foi claramente excludo das negociaes do presente acordo. Isto significa dizer que o conceito de bens remanufaturados se-guir com base nas legislaes nacionais

    (para o Brasil, um remanufaturado tem o mesmo conceito de bem usado). Alm disso, de qualquer forma, os benefcios tarifrios (desgravao) que venham a ser negociados, no se aplicaro aos bens remanufaturados, afirmou.

    Sobre defesa comercial, a informa-o dada pelo chefe do Departamento de Defesa Comercial do MDIC e nego-ciador do tema, Felipe Hees, que no houve avanos sobre cinco pontos que faltavam para fechar o captulo, a saber: durao do mecanismo; possvel diferen-a de tratamentos das salvaguardas para bens agrcolas e industriais; possibilidade de compensao; possibilidade de pror-rogao - e o prazo dessa prorrogao - e o intervalo entre uma medida e outra; possibilidade de abertura de processos exofcio pelos governos e/ou exclusiva-mente a pedido do setor privado afetado.

    Segundo Mrio Branco, a estes cin-co grandes temas, juntou-se, agora, uma nova questo a ser tratada, que um pleito europeu de que no seja possvel a aplicao simultnea de Salvaguarda Bi-lateral e de Salvaguarda Geral.

    Sobre os Requisitos de Origem, o Dr. Carlos Vagner, do Departamento de Negociaes Internacionais do MDIC,

    Abinee acompanha reunio sobre negociaes entre Mercosul e UE

  • Revista Abinee n 64 | dezembro 2011 | 7

    informou que as discusses sobre o tema no alcanaram o setor eletroeletrnico nesta oportunidade.

    Da parte da UE, o embaixador por-tugus Joo Aguiar Machado, chefe da Delegao Europeia, reforou que o compromisso poltico dos presidentes dos pases est mais do que confirmado. Lembrou, no entanto, que est clara a dificuldade de avanos nas negociaes, mas que, em sua opinio, os negociado-res deveriam imprimir maiores esforos, pois trata-se de uma oportunidade de as economias do Mercosul e da UE se jun-tarem e se complementarem para fazer frente concorrncia dos asiticos.

    Informou que as delegaes continu-am trabalhando no aprimoramento dos textos com a expectativa de fazer o pri-meiro intercmbio de ofertas de acesso a mercados no ms de junho de 2012, destacando que, com certeza, essa troca

    ser um impulso muito forte para a efe-tiva concluso do acordo.

    Enfatizou que a inteno dos europeus (que aparentemente conta com apoio dos negociadores do Mercosul) de que a par-tir dessa troca de propostas se