REVISTA CNT 161.QXD

  • View
    223

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of REVISTA CNT 161.QXD

  • CNTedio infoRMAtivAdA cntT R A N S P O R T E A T U A L

    Ano XXi nMeRo 244JAneiRo 2016

    LeiA SoBRe A PESQUISA CNT DE FERROVIAS nA PginA 34

    Propostas para oBrasil crescer

    BR-235, em Juazeiro (BA)

    SP-326/BR-364, em Mato (SP)

    Plano CNT de Recuperao Econmicaprev incentivos a investimentos

    privados em infraestrutura de transportee Programa de Renovao de Frota

    Plano CNT de Recuperao Econmicaprev incentivos a investimentos

    privados em infraestrutura de transportee Programa de Renovao de Frota

  • CNT TRANSPORTE ATUAL JANEIRO 20164

    REPORTAGEM DE CAPA

    Ano XXi | nMeRo 244 | JAneiRo 2016

    o fotgrafo JoelSilva comenta suaviagem de carona

    PginA 8

    ENTREVISTA

    estudo da cntapresenta os problemas do setor

    PginA 34

    FERROVIRIO

    Srie especialretrata situao doSudeste do pas

    PginA42

    PESQUISA DE RODOVIAS

    Plano de Recuperao econmica proposto pela cntprev investimentos privados em infraestrutura detransporte. documento foi entregue presidentedilma Rousseff e a outras autoridades

    Pgina 16

    CONSELHO EDITORIALAloisio carvalhoBernardino Rios PimBruno Batistaetevaldo dias Lucimar coutinhonicole goulartEDITOR

    Americo venturaMtb 5125[americoventura@sestsenat.org.br]

    FALE COM A REDAO(61) 3315-7000 imprensa@cnt.org.br SAuS, quadra 1 - Bloco J - entradas 10 e 20 edifcio cnt 10 andar ceP 70070-010 Braslia (df)

    ESTA REVISTA PODE SER ACESSADA VIA INTERNET:www.cnt.org.br | www.sestsenat.org.br

    ATUALIZAO DE ENDEREO:atualizacao@cnt.org.brPublicao da cnt (confederao nacional do transporte), registrada no cartrio do

    1 ofcio de Registro civil das Pessoas Jurdicas do distrito federal sob o nmero 053.

    tiragem: 40 mil exemplares

    os conceitos emitidos nos artigos assinados no refletem necessariamente a opinio da CNT Transporte Atual

    EDIO INFORMATIVA DA CNT

    CAPA fotoS PeSquiSA cnt de RodoviAS

    EXPECTATIVA Representantes do setorde transporte esto pessimistas, mas buscamalternativas para contornar a crise econmica

    PginA26

    CNT T R A N S P O R T E A T U A L

  • Motoristas devemficar atentos s imunizaes

    PginA 60

    VACINAS

    Aes garantemsegurana e sadeaos porturios

    PginA 54

    AQUAVIRIO

    SEST SENAT

    duke 6

    opinio 7

    Mais transporte 12

    Boletins 68

    tema do ms 78

    Alexandre garcia 81

    cartas 82

    Sees

    COMBUSTVEL Reduo na cobrana de icMS sobreo querosene de aviao estimula o setor areo. insumorepresenta 40% dos custos das empresas

    PginA48

    www.cnt.org.brCdigo de Trnsito Brasileiro chega maioridade

    Combustveis mais caros no Brasil

    o ctB (cdigo detrnsito Brasileiro)completou, no dia22 de janeiro, 18anos de vigncia.ele coloca o Brasil frente da maioriadas naes em le-gislao de trnsito.A Agncia cnt denotcias preparoureportagens espe-ciais sobre o assunto. Para ler e ouvir, acesse:http://bit.ly/agenciacnt2240

    Por que os preos da gasolina e do diesel continuam subin-do no Brasil, enquanto, no mundo, o barril do petrleo estmais barato? A Agncia cnt ouviu um especialista sobre oassunto, para entender o que pesa nessa conta. Leia a entre-vista na ntegra: http://bit.ly/agenciacnt2241

    curso vai formar 60marinheiros paraatuar em hidrovia

    PginA 64

    T R A N S P O R T E A T U A L

  • CNT TRANSPORTE ATUAL JANEIRO 20166

    OPINIODuke

  • CNT TRANSPORTE ATUAL JANEIRO 2016 7

    cLSio AndRAdeOPINIO

    odo incio de um novo ano traz com ele a opor-tunidade de rever expectativas e refletir sobreacertos e erros. Aps um difcil e implacvel2015 para os brasileiros, faz-se necessrio re-novarmos nosso compromisso com o desen-volvimento do pas e planejar novas etapas e

    novos desafios. temos plena conscincia de queainda estamos em meio a uma crise econmicaintensa, que s se agrava medida que o cen-rio poltico se torna cada vez mais nebuloso. eessa realidade atingiu em cheio a atividadetransportadora. contudo, cabe a todos ns, ago-ra, tentar fazer deste ano um novo ciclo de reto-mada do desenvolvimento.

    infelizmente, os indicadores econmicosapontam para mais um perodo de retrao eajustes. As expectativas dos analistas de merca-do so de mais elevaes de juros e inflao e re-cuo do PiB (Produto interno Bruto). Alm disso, nombito do transporte, nossos transportadoresno confiam na gesto econmica do atual dogoverno e s esperam uma recuperao a partirde 2017. em virtude desse cenrio incerto, muitosdeles foram obrigados a reduzir seus quadros defuncionrios no ano passado, no investiro emcontratao formal de funcionrios e adiaroprojetos e investimentos. o que fazer, ento?

    Mesmo diante de tamanho pessimismo, im-portante que as empresas de todos os segmen-tos no se acomodem. essa no a primeira,nem ser a ltima crise que enfrentamos. emmomentos como esse, precisamos analisar to-dos os processos internos para identificar onde possvel implementar melhorias e reduzir cus-tos. tambm necessrio avaliar o mercado e

    traar um planejamento estratgico focado emalternativas que permitam atender sociedadecom qualidade e eficincia. em paralelo a isso, fundamental que no haja aumento de insumose de tributos por parte do governo.

    com o objetivo de contribuir para um debatepropositivo, encaminhamos, em dezembro, presidente dilma Rousseff, a ministros da equipeeconmica e de transporte do governo e aospresidentes da cmara e do Senado o Plano cntde Recuperao econmica. o documento composto pelo Programa de investimento em in-fraestrutura 2015-2018, no qual elencamos proje-tos e aes de incentivo participao da inicia-tiva privada. tambm prevemos a implantaodo Programa de Renovao de frota, que instituiuma poltica que modernize e recicle a frota au-tomotiva brasileira.

    nesta primeira edio de 2016 da CNTTransporte Atual, detalhamos essas propos-tas e apresentamos as expectativas dostransportadores para o novo ano.

    Acreditamos fortemente que, ao adotar as me-didas do nosso plano de recuperao, o pas po-der estimular sua economia e retomar o cresci-mento sustentvel. importante aceitarmos queo governo no dispe de capacidade para investirtudo que o pas precisa para melhorar a infraes-trutura de transporte. Por esse motivo, no pode-mos prescindir da participao da iniciativa priva-da, brasileira ou estrangeira, ou seja, assim comorepetimos exaustivamente neste espao, ao longode 2015, necessitamos de um grande pacto nacio-nal voltado a assegurar a logstica e a competiti-vidade para tirar o Brasil da recesso.

    TNovo ano, velhos problemas

    Acreditamos que, ao adotar as medidas do plano de recuperao, o paspoder estimular sua economia e retomar o crescimento sustentvel

  • ENTREVISTA

    Afrase-tema do cine-ma novo uma c-mera na mo e umaideia na cabea po-

    de muito bem ser aplicada experincia vivida em 2015pelo fotgrafo Joel Silva. tro-que-se a cmera de vdeo pe-la fotogrfica e se apresentea ideia: percorrer o Brasil desul a norte de carona.

    As experincias vivencia-das durante os 5.000 km per-corridos foram relatadas dia-riamente no blog Maluco deBR, publicado no portal dafolha de S.Paulo, jornal pa-ra o qual Silva trabalha.

    durante o trajeto, ele con-

    viveu com caminhoneiros,dormiu beira de rodovias,visitou cidades pouco conhe-cidas e teve uma nica certe-za: o brasileiro ainda bas-tante solidrio.

    com uma mochila nas cos-tas e R$ 176,50 no bolso, o fo-tgrafo saiu de chu (RS), nodia 14 de outubro de 2015, emdireo ao norte do pas. oprojeto inicial era terminar aviagem em uma pequena vilano interior do Par, mas ascaronas mudaram seu plane-jamento e Silva acabou che-gando em Piranhas (AL), nonordeste brasileiro. Ao todo,foram 36 dias na estrada.

    nesta entrevista concedi-da CNT Transporte Atual,ele contou os detalhes da via-gem. Acompanhe os princi-pais trechos.

    Voc tem um currculobastante recheado de gran-des coberturas jornalsti-cas, como a revolta da Pri-mavera rabe na Lbia, ogolpe militar em Honduras,a ocupao do Exrcito noMorro do Alemo, no Riode Janeiro, e as Farc (For-as Armadas Revolucion-rias da Colmbia). Comosurgiu a ideia de realizaruma viagem de carona pe-

    lo Brasil e contar isso emum blog?

    essa viagem tem, basica-mente, dois aspectos: um pes-soal e um profissional. Pes-soalmente, isso funcionou pa-ra mim como uma vlvula deescape da correria diria. An-dar pelas estradas foi comoum refgio. eu queria sair umpouco dessa linha de grandescoberturas jornalsticas, deprotestos de ruas, das pautashard news. durante as minhasltimas frias, acessei um blogde um americano que viajoudo Mxico ao canad e foi as-sim que surgiu a ideia. conver-sei com a folha de S.Paulo, e

    o Brasil muito lindo e muito rico. Mas, apesar de toda essa beleza natural do nosso pas, o que mais me impressionou foi a solidariedade do brasileiro

    PoR LIVIA CEREZOLI

    JOEL SILVA - fotgRAfo

    Andanas pelo Brasil

  • acertamos os detalhes para apublicao do blog com as mi-nhas experincias dirias. noaspecto profissional, foi umaexperincia muito legal a pu-blicao do blog, justamentenesse momento em que o jor-nalismo caminha para um novomodelo, mais voltado para ainternet. Alm disso, ter umblog para contar histrias maisleves que fogem da pauta di-ria dos jornais, muitas vezes,recheada de tragdias, foi algobastante gratificante. o blogfoi um dos cinco mais lidos dafolha no ltimo ano, com umpouco mais de meio milho devisualizaes.

    O que voc levou emconta para montar o plane-jamento da viagem?

    eu tinha um pequeno plane-jamento que previa a sada doextremo sul do Brasil seguindopara o norte. A minha ideia ini-cial era terminar em uma vilano interior do Par. Porm, na-da impedia de alterar isso, co-mo aconteceu, e terminei aviagem no nordeste do pas. eutinha em mente que seguiria ocaminho que as caronas meper