Click here to load reader

Revista Estrategica - edicao 3

  • View
    226

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Sustentabilidade empresarial e o tema da terceira edicao da revista do PDF.

Text of Revista Estrategica - edicao 3

  • PENSAR E AGIR COM SUSTENTABILIDADEMicro, pequenas e grandes empresas apostam em processos sustentveis que garantem a qualidade do produto e ainda ajudam a preservar os recursos naturais

    Belm, janeiro de 2011 / edio: 03 / www.fornecedoresdopara.com.br

  • Solues em Transmisso de Potncia:seu objetivo, nosso diferencial.

    H mais de 20 anos a Vulkan vem atendendo o Setor de Minerao, at mesmo no que se refere s aplicaes mais crticas, tais como:

    sistemas de frenagem controlada para transportadores regenerativos; sistemas de contra-recuos de alto torque para transportadores ascendentes; sistemas de acionamentos com acoplamentos flexveis sem necessidade de

    lubrificao.

    A Vulkan Drive Tech tem uma linha completa de produtos e solues, customizados de acordo com a sua necessidade. Confira ao lado o exemplo de uma de nossas aplicaes para este setor.

    Vulkan do Brasil Ltda.PABX: (55 11) 4894 7300

    www.vulkan.com.br

  • Estratgica | 3

    Estratgica gEsto E NEgcios

    uma publicao bimEstral do

    programa dE dEsENvolvimENto

    dE ForNEcEdorEs

    www.fornecedoresdopara.com.br

    produo

    Nathalia petta

    Estagiria

    roberta paraense

    publicidadE

    (91) 4009-4863 / 4862

    (91) 9100-5611

    [email protected]

    o pdF um programa mantido pelas

    empresas albras, alunorte, alcoa, celpa,

    companhia de alumina do par (cap),

    colossus, down corning, imerys, minerao

    rio do Norte, ppsa, rio tinto, schincariol,

    sebrae, sinobras, vale e votorantim metais.

    o programa tambm conta com apoio das

    empresas: alubar, Jm terraplenagem, u&m,

    minerao caraba e scs.

    ENtrEvista..................................................................................................................................................................................4

    vitriNE ..........................................................................................................................................................................................................................................7

    mErcado ....................................................................................................................................................................................................................8

    matria dE capa .................................................................................................................................................................................10

    artigo ......................................................................................................................................................................................................................................13

    suprimENtos ......................................................................................................................................................................................................14

    dicas & idEias .................................................................................................................................................................................................16

    iNFormE publicitrio........................................................................................................................................................17

    av. conselheiro Furtado, n 2865

    Edifcio sntese 21 - 12 andar

    bairro so brs | cep: 66040-100

    (91) 3205-6500

    www.temple.com.br | [email protected]

    Edio E artE

    coordenao: rosana maciel

    projeto grfico: antonio machado

    tratamento de imagem e diagramao: antonio

    machado

    reviso: Karlene silva

    imagens: Yuri age (5, 6), marcelo campos (7),

    bruno carachesti (11, 12) marco Nascimento (8),

    istockphoto (capa,14)

    impresso: marques Editora

    tiragem: 4 mil exemplares

    * as opinies contidas em artigos assinados so de

    responsabilidade de seus autores, no refletindo

    necessariamente o pensamento da revista.

    NDICE

    O consultor Olivier Girard explica a concepo do Projeto Norte Competitivo, que avalia a logstica e infraestrutura do Estado.

    Atuando no mercado de peas e servios para caminhes, a Molas Asa Branca investe na qualificao profissional como diferencial.

    O consultor Rodrigo Garcia fala sobre a importncia dos indica-dores de desempenho na competitividade das empresas.

    A busca por um novo posicionamento de mercado leva empresas a investir nas filiais, principalmente no interior do Par.

    Fornecedores devem ficar atentos s oportunidades oferecidas por empresas locais que buscam parceiros de negcios.

    Investir em aes sustentveis uma das premissas para a sobre-vivncia de empresas no mercado competitivo.

    Micro, pequenas e grandes empresas apostam em processos sustentveis que garantem a qualidade do produto e ainda ajudam a preservar os recursos naturais

    Belm, dezembro de 2010 / edio: 03 / www.fornecedoresdopara.com.br

    Um espao com indicaes de livros, filmes, sites e cursos que vo ajudar a dar uma nova perspectiva ao empresrio.

  • 4 | Estratgica

    O Projeto Norte Competitivo faz um levantamento da logstica na Amaznia e prope solues para integrar os 9 estados da regio Norte

    ENtr

    Evis

    ta

    Estratgica - O Projeto Norte competitivo intitulado uma revoluo logstica na ama-znia. como surgiu?

    Olivier Girard - O Jos Conrado (presidente da FIEPA) queria atualizar um estudo sobre os por-tos do Par e solicitou ao David Leal, do PDF, al-gum que pudesse fazer este levantamento. Foi ento que o Dr. Eliezer Batista, grande conhece-dor da logstica da regio, foi contatado e, com sua grande sabedoria, sugeriu que se fizesse um estudo mais amplo, que levasse em considerao todos os sistemas logsticos da Amaznia Legal e no apenas os portos paraenses, que so a pon-ta do sistema. Ele tambm sugeriu que a FIEPA contratasse a Macrologstica, empresa que j ha-via desenvolvido um estudo similar para os es-tados de Gois, Minas Gerais e Esprito Santo. Conrado abraou entusiasticamente a ideia e a levou coordenadoria da Ao Pr-Amaznia, na CNI, que reagrupa as nove federaes de in-dstria da Amaznia Legal. Os presidentes das federaes aprovaram o plano e solicitaram ao presidente da CNI (Armando Monteiro) que aju-dasse a viabilizar o estudo, algo que foi pronta-mente aceito.

    Apenas a existncia de uma infraestrutura de trans-portes bem desenvolvida

    permitir que o Par possa interagir com o restante dos mercados globali-zados de forma competitiva. Quanto menos se pagar em custos logsticos, mais ficar no bolso do produtor e, consequentemente, mais ser inves-tido na regio.

    Estratgica - O Par est em foco devido aos diversos investimentos que iro aconte-cer no Estado. Voc acredita que a melhoria de infraestrutura agregar mais valor regio?

    Olivier Girard - No existe desenvolvimento industrial sem investimento prvio em infraes-trutura, seja ele em energia, saneamento ou, no nosso caso, em transportes. Apenas a existn-cia de uma infraestrutura de transportes bem desenvolvida permitir que o Par possa intera-gir com o restante dos mercados globalizados de forma competitiva. Quanto menos se pagar em custos logsticos, mais ficar no bolso do produ-tor e, consequentemente, mais ser investido na regio.

    Estratgica - a primeira vez que Par e a regio amaznica recebem um estudo apro-fundado sobre sua integrao de logstica e infraestrutura. Qual a impresso inicial do estudo?

    Olivier Girard - J se sabia que a Amaznia Le-gal carecia de uma infraestrutura de transportes que fosse compatvel com a importncia econ-mica que a regio tem para o Brasil. As imagens que vinham na nossa cabea, de atoleiros gigan-tescos, onde caminhes ficavam presos por dias, foram comprovadas in loco durante o estudo. Por outro lado, nos surpreendeu ver a importncia do empreendedorismo na regio, em particular

    Oli

    vier

    Gir

    ard,

    CO

    NSU

    LtO

    R D

    A M

    ACRO

    LOG

    StIC

    A Por uma regioMAIS COMPETITIvA

    um planejamento estratgico de logs-tica para a Amaznia. o que prope o Projeto Norte Competitivo, estudo apresentado pela Federao das In-dstrias do Estado do Par (FIEPA),

    para empresrios e investidores da regio, que possibilitar a integrao fsica e econmica dos 9 estados da regio Acre, Amap, Ama-zonas, Maranho, Mato Grosso, Par, Rond-nia, Roraima e tocantins e eliminar os cha-mados gargalos da economia amaznica. Para Olivier Girard, consultor da Macrologsti-ca, empresa responsvel pelo desenvolvimen-to do projeto, no existe desenvolvimento in-dustrial sem investimento prvio em infraes-trutura, seja ele em energia, saneamento ou, no nosso caso, em transportes.

  • Estratgica | 5

    coNtiNua

    a fora do agronegcio no Mato Grosso, em Ron-dnia e no Maranho; da minerao no Par e no Amap; e da indstria no Amazonas, Par, Mara-nho e Mato Grosso. E tudo isto sendo realizado com pouqussima infraestrutura logstica.

    Estratgica - como foram escolhidos os 71 projetos prioritrios? Qual o impacto de suas execues na economia local?

    Olivier Girard - Foram priorizados 9 eixos de integrao logstica na Amaznia Legal. Cinco destes so eixos j existentes que necessitam de melhorias, so eles: BR-364, hidrovia do Madei-ra, rodovia Manaus-Belm-Braslia, Ferronorte e Estrada Ferro Carajs. Os outros quatro so no-

    vos eixos de integrao: BR-163, hidrovia Jurue-na-tapajs, hidrovia do Paraguai e BR-242, jun-tamente com a hidrovia tocantins. A BR-163, por exemplo, apesar de j existir no mapa, no pode ser considerada como um eixo de integra-o existente na Amaznia Legal, pois pouqus-sima carga trafega comercialmente por ela. Para que estes nove eixo