of 52 /52
Revista de informação ANO I — Nº 8 BSB EDITORA www.revistafale.com.br/brasilia A DISPUTA PELOS ROYALTIES DO PRÉ-SAL O governador do Distrito Federal é acusado pela Polícia Federal de comandar um esquema de corrupção que recebia propina de fornecedores do Governo e repassava, em forma de “mensalão”, para deputados. Mas nada parece demovê-lo de continuar onde está ARRUDA ROUBA A C ENA B B S E D I T O R A R$ 9,00 9 771519 953002 00008 B RASÍLIA

Revista Fale! Brasília. Edição 08

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista Fale! Brasília. Edição 07. História de Capa. Arruda rouba a cena. O governador do Distrito Federal é acusado pela Polícia Federal de comandar um esquema de corrupção que recebia propina de fornecedores do Governo e repassava, em forma de “mensalão”, para deputados. Mas nada parece demovê-lo de continuar onde está

Text of Revista Fale! Brasília. Edição 08

  • Revista de informaoANO I N 8BSB EDITORAwww.revistafale.com.br/brasilia

    a disputa pelos royalties do pr-sal

    o governador do distrito Federal acusado pela polcia Federal de comandar um esquema de corrupo que recebia propina de fornecedores do Governo e repassava, em forma de mensalo, para deputados. Mas nada parece demov-lo de continuar onde est

    arruda rouBa a ceNa

    B BSe d i t o r a

    R$ 9,00

    9 771519 953002

    00008

    Braslia

  • Pa

    rqu

    e E

    li

    co

    de

    Be

    be

    rib

    e,

    Ce

    ar

    .

    TO IMPORTANTE QUANTO SABER QUE O

    CEAR EST PASSANDO DE IMPORTADOR

    A EXPORTADOR DE ENERGIA SABER

    QUE ELE EST FAZENDO ISSO COM

    RESPONSABILIDADE.

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    ANREV_RESPONSABILIDADE_41x26.5cm.pdf 1 11/12/09 20:37

  • Pa

    rqu

    e E

    li

    co

    de

    Be

    be

    rib

    e,

    Ce

    ar

    .

    TO IMPORTANTE QUANTO SABER QUE O

    CEAR EST PASSANDO DE IMPORTADOR

    A EXPORTADOR DE ENERGIA SABER

    QUE ELE EST FAZENDO ISSO COM

    RESPONSABILIDADE.

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    ANREV_RESPONSABILIDADE_41x26.5cm.pdf 1 11/12/09 20:37

  • respeite a velocidade, a sinalizao e sultrapasse pelaesquerda.

    No trnsito preciso ter sempre em mente o perigo

    que voc pode causar aos outros e a si mesmo.

    O excesso de velocidade causa muitos acidentes

    e aumenta bastante a chance de vtimas fatais.

    Respeite a vida. dirija com conscincia.

    motorista legal motorista consciente.

    www.eusoulegalnotransito.com.br

    Ad_Dupla_Velocimetro_410x265.indd 1 01.12.09 17:02:13

  • respeite a velocidade, a sinalizao e sultrapasse pelaesquerda.

    No trnsito preciso ter sempre em mente o perigo

    que voc pode causar aos outros e a si mesmo.

    O excesso de velocidade causa muitos acidentes

    e aumenta bastante a chance de vtimas fatais.

    Respeite a vida. dirija com conscincia.

    motorista legal motorista consciente.

    www.eusoulegalnotransito.com.br

    Ad_Dupla_Velocimetro_410x265.indd 1 01.12.09 17:02:13

  • B BSe d i t o r a

    diretores

    Lus-Srgio SantosMarcos Linhares

    EditorES dE ArtE Everton Sousa de Paula Pessoa e Jon romanorEdAo Gabriel Alves, Vitor Ferns, rafael oliveira

    ArtE Lus Srgio Santos Jr SErVioS EditoriAiS E FotoGrAFiA Agncia Brasil, Agncia Estado, reuters, omni coLABorAdorES Aline Almeida, carlos Henrique Arajo, Adriana Almeida, igor Macedo rEViSo Lvia Pontes rEdAo E PuBLicidAdE BSB Editora

    EndErEo SHin cA 05 Bloco i Loja 112 Ed. Saint regis Lago norte cEP 71.503-505, Braslia, distrito Federal FonE (61) 3468.5697 SucurSAL FortALEzA omni Editora rua Joaquim S, 746 FonES (85) 3247.6101 cEP 60.130-050, Aldeota,

    Fortaleza, cear e-mail: [email protected] web-page www.revistafale.com.br/brasilia

    coPyriGHt 2009 BSB Editora Ltda. todos os direitos reservados. proibida a reproduo total ou parcial do contedo desta obra de qualquer forma ou meio eletrnico, mecnico, fotogrfico e gravao ou qualquer outro, sem a permisso

    expressa da BSB Editora (lei n 5.988 de 14.12.73). Fale!Braslia publicada pela BSB Editora Ltda. Preo da assinatura anual no Brasil (12 edies): r$ 86,00 ou o preo com desconto anunciado em promoo. Exemplar em venda avulsa: r$ 9,00, exceto em promoo com preo menor. nmeros anteriores podem ser solicitados pelo correio ou fax. reprintes podem ser adquiridos pelo telefone (85) 3247.6101. os artigos assinados no refletem necessariamente o pensamento

    da revista. Fale!Braslia no se responsabiliza pela devoluo de matrias editoriais no solicitadas. Sugestes e comentrios sobre o contedo editorial de Fale!Braslia podem ser feitos por fax, telefone ou e-mail. cartas e mensagens devem trazer o nome e endereo do autor. iMPrESSo Halley impresso no Brasil/Printed in Brazil. Fale!Braslia is published

    monthly by BSB Editora Ltda. A yearly subscription abroad costs uS$ 99,00. to subscribe call (55+85) 3247.6101 or by e-mail: [email protected] All rights reserved. reproduction in whole or in part without permission is prohibited.

    diretor de redao

    Marcos Linhareseditor executivo

    Lus-Srgio Santos

    www.revistafale.com.br/brasilia

    iSSn 1519-9533

    C a r t a d o e d i t o r ,

    C hegamos a dezembro. InfelIzmente, no ofertamos os presentes que gostaramos. a cIdade vive dias de luto e vergonha. braslia tem seu nome manchado de novo. J tivemos aqui o primeiro senador cassado da histria daquela casa: luis estevo. ele foi acusado de envolvimento no desvio de r$ 169 milhes das obras do tribunal regional do trabalho (trt) de so paulo. hoje, dos trs senadores do df, dois, gim argello (ptb) e adelmir santana (dem), so suplentes. o deputado federal tadeu felippelli (pmdb) tambm est com seu nome envolvido nas denncias, sendo citado pelo dono do dirio brasiliense, tribuna do brasil, alcyr collao, de receber me-sada para supostamente armar arapuca para evitar que Joaquim roriz concorresse com arruda. h que se investigar.

    o governador arruda, ento, nem se fala. perdeu o cargo quando era senador, mentindo publicamente usando o nome dos filhos. Depois, assumiu a mentira e pediu uma segunda chance. Agora, vemos no que resultou a tal nova oportunidade. continuaremos viajando pelo brasil, recebendo chacotas de toda sorte, por morarmos na suposta ilha da fantasia, dos marajs, das maracutais, da corrupo. demos motivo. elegemos esses senhores.

    e quando vemos alguns poucos sobreviventes dessa sujeira, em sua grande maioria, jogam mais para mdia, usam e abusam de factides do que fazem algo de concreto para mudar ou melhorar algo. empunham bandeiras mais para angariar prestigio e estima do que por acreditar e lutar por causas concretas.

    nesta edio, o triste fato do jovem violentamente impedido de entrar em um shopping de brasilia. coincidentemen-te, de propriedade de paulo octavio. ele de novo. parece um ser onipresente na cidade.

    em nome de toda nossa equipe, recebam nossos votos sinceros de feliz natal! que em 2010, possamos ser portado-res de melhores notcias.

    at janeiro. Marcos LinharesdIretor de redao

  • ||pause

    uMa caMpaNha, uMa provocaoAs entidades ambientalistas no-governamentais Greenpeace e

    TicTacTicTac (TckTckTck), aproveitaram a oportunidade da 15 Reunio das Naes Unidas para Mudanas Climticas (COP15) em Copenhague, Dinamarca, para veicular inmeras peas publicitrias com uma grande provocao. Desculpe-me, dizem alguns dos mais importantes lderes mundiais, dentre os quais o presidente Lula. Daqui h 11 anos, em 2020, os ldederes pedem desculpas e lamentam a falta de ao, ou a lentido, para conter mudanas climticas catastrficas. As peas so montagens com 10 lderes mundiais envelhecidos como Barack Obama (EUA), Angela Merkel (Alemanha) e Gordon Brown (Reino Unido). Lanada em dezembro, no ms do encontro que reuniu representantes de 192 pases, a campanha foi feita pela agncia de publicidade Arc Communications, da Inglaterra. Para o diretor executivo do Greenpeace International, Kumi Naidoo, a campanha um grande alerta. Se dirigentes como Obama, Sarkozy, Merkel e Brown no trabalharem para um acordo robusto, o legado deles ser a fome e a migrao em massa. Se isso acontecer, um pedido de desculpas no vai resolver.

    iMaGeMFoto greenpeaCe

    eu espero que eles consigam avanar para, no mnimo, assumir alguns princpios bsicos para que a gente

    consiga diminuir os gases de efeito estufa. Presidente Luiz incio LuLa da SiLva

    arenapolticatalkingheadsonlineBrasliaoffBlogosfera

    S ee S8 talking Heads11 arena poltica

    12 online13 Blogosfera48 persona

    ecoNoMia

    18Crise no gDFMensalo do DF deixou o governador Jos Roberto Arruda, o vice Paulo Octvio e presidente da Cmara Legislativa Leonardo Prudente com a corda no pescoo

    46po de aucarNo ltimo dia 4 de dezembro o anncio de uma megafuso pegou de surpresa o mercado varejista brasileiro. O gigante Po de Acar comprou 51% das aes das Casas Bahia

    poltica

    28Desmonte na culturaDenncias agora atingem Secretaria de Cultura. O Secretrio da pasta, Silvestre Gorgulho responde a quatro processos no Tribunal de Justia do DF, que analisam contratos mal explicados incluindo sobrepreo

    44Lei geral, 3 anos Entre os avanos da lei das micro e pequenas empresas esto ampliao do nmero de participantes no Simples Nacional, maior acesso do segmento s compras governamentais e ao programa Empreendedor Individual

    36 royalties do pr-salA regio mais atingida pela desigualdade no Brasil tambm a que mais cresce. Governadores do nordeste querem ampliar a participao nos royalties do pr-sal

    ||pause

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 7www.revistafale.com.br

  • talkingheads

    algo que coloca em xeque o sistema poltico e afeta politicamente meu partido. isso no algo agradvel nem frvolo.

    JoS Thomaz non (dEm), ex-deputado escolhido relator do processo disciplinar contra o governador Jos Roberto Arruda (DEM-DF)

    esse um escndalo em relao ao governador arruda. No do deM. Vamos aguardar as investigaes. arruda tem amplo direito de defesa e o Pt defende o estado democrtico de direito.

    cndido vaccarEzza, lder do PT na Cmara dos Deputados

    Vamos ser francos. No fui condescendente, no quis condenar. a Polcia Federal est investigando, o Ministrio Pblico est investigando. No posso condenar algum. tem que esperar o processo.

    LuLa, corrigindo declarao de que as imagens no falam por si, sobre o vdeo mostrando a corrupo no DF

    r e i N C i d e N t e

    Vocs! Querendo dar uma de arautos da moralidade. Quero ver aonde que vocs vo chegar.

    aLbErTo Fraga, secretrio de Transportes do governo de Jos Roberto Arruda, do Distrito Federal, na reunio da Executiva do DEM que abriu processo de expulso contra seu chefe

    Foto janine moraes _ aBr

    Foto jos Cruz_aBr

    Gente, eu errei, eu no quero ser igual aos outros polticos que erram e ficam mentindo.ento vou falar a verdade logo, eu vi mesmo a lista. No matei, no roubei e no desviei recursos pblicos.

    JoS robErTo arruda, em maio de 2000, renunciando ao mandato, aps quebra do sigilo do painel de votao no Senado

    as pessoas que fizeram coisa errada tm que pagar. Vi algumas imagens. acho que grave. [...] deplorvel para a classe poltica. eu no entendo por que no se aprova a reforma poltica.

    PrESidEnTE Luiz incio LuLa da SiLva, sobre o esquema de corrupo investigado pela Polcia Federal (PF) no governo do Distrito Federal, em Braslia||p

    ause

    8 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • S e o

    o aumento do iPtU [em So Paulo] pode chegar a 45%. o estilo demotucano de arrochar o contribuinte.

    ricardo bErzoini, presidente nacional do PT, pelo endereo twitter.com/ricardoberzoini

    o governador arruda, do dF, apanhado num esquema de propina, era apontado como exemplo pela Veja. Ser mais um que a publicao secou.

    JoS amrico, vereador do PT da cidade de So Paulo, pelo endereo twitter/JoseAmericoPT

    iPtu rima tambm com tu @ricardoberzoini se contra em SP deve tb ser contra aumento do iPtu em Fortaleza.

    norTon Lima Jr, jornalista, pelo endereo twitter/nortonlimajr

    Sobre possveis erros durante invaso na Cmara Legislativa dF: prefiro jovem que comete erros por ao, do que os que no cometem por omisso.

    criSTovam buarquE, senador, no endereo twitter/Sen_Cristovam

    Foto DivuLgao

    a V o z d e L U L aO jornal O Globo resgatou algumas declaraes feitas pelo presidsente Lula desde

    2005

    o que o Pt fez, do ponto de vista eleitoral, o que feito no Brasil sistematicamente.

    Luiz incio LuLa da SiLva, sobre o mensalo do PT em 2005

    Quando perceberam que ele no seria oposio ao meu governo, derrubaram ele. Parte da elite paulista, se encontrar com ele, no cumprimenta. eu cumprimenmto Severino onde o encontrar.

    Sobre Severino Cavalcanti, que renunciou ao mandato de deputado e presidncia da Cmara em setembro de 2005 aps ser subornado pelo dono de um restaurante

    Uma coisa voc matar, outra coisa voc roubar, outra coisa voc pedir um emprego, outra coisa a relao de influncias, outra coisa o lobby.

    Sobre o senador Jos Sarney, presidente do Senado, acusado de empregar parentes e amigos no Senado

    PoPStar. Eu no sinto saudade de sexo porque eu me resolvo sozinha. Entendeu o que eu quis dizer?

    rihanna, cantora caribenha de sucesso internacional, em novembro de 2009

    O governador Arruda, do ponto de vista da gesto, faz um governo que reconhecido pela populao de Braslia como extremamente eficiente.

    acio nEvES (PSdb), governador de Minas Gerais

    No conheo detalhes das provas, mas as cenas so chocantes e as acusaes me parecem extremamente graves.

    Idem

    Foto marCeLLo CasaL jr _ aBr

    G e S t o e r e a o

    ||pause

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 9www.revistafale.com.br

  • talkiNGheads

    o aquecimento global vai matar a maioria, e transformar o restante em canibais.

    TEd TurnEr, controverso fundador da do canal de TV norte-americano CNN

    a tecnologia favorece a poltica conservadora, porque no barata nem de acesso universal.

    SErgio Fabbrini, cientista poltico italiano autor do livro El ascenso del Prncipe Democrtico (Ed. Fondo de Cultura Econmica)

    o partido est louco para ter um candidato, est louco para sair pregando, falando das nossas propostas, do que ns enxergamos para o futuro do Brasil.

    TaSSo JErEiSSaTi (PSdb), senador

    No fundo, no fundo, os estados Unidos querem tratamento de pas em desenvolvimento.

    cELSo amorim, ministro das Relaes Exteriores, sobre as metas tmidas de reduo de gases estufa americanas

    possvel governar sem safadeza.

    ciro gomES, pr-candidato Presidncia da Repblica sobre o escndalo no Governo do Distrito Federal

    eu tenho muito apreo pelo Ciro. como se fosse um irmo. LuLa, antes de admitir que pode pedir Ciro que retire

    sua candidatura.

    paraDa gay De BrasLia, _ Foto FaBio roDrigues pozzeBom _ aBr

    Reconhecemos perfeitamente nosso papel histrico na poluio da atmosfera, mas rejeito categoricamente qualquer ideia de culpa ou de reparao.

    Todd STErn, enviado especial dos EUA para a COP-15, na maneira norte-americana de negar os danos causados pela super-potncia

    o Pt deve seguir o seu rumo falando de investimentos, crescimento econmico, desenvolvimento do pas. No deve agir como oportunista em situao como essa.

    ricardo bErzoini, presidente do PT, sobre o escndalo no Governo do Distrito Federal

    [Ciro]pegou o pau de arara na direo errada. Um monte de gente veio para So Paulo e ele foi para l [Cear].

    aLoizio mErcadanTE, senador (PT-SP), defendendo candidatura de Ciro Gomes (PSB) para o Governo de So Paulo.

    Modestamente falando, o Brasil deu a tnica.

    LuLa, presidente avalia paticipao do Pas na 15 Conferncia do Clima das Naes Unidas, em Copenhague

    ||pau

    se

    10 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • CLaQUe Faz PaNCadaria No LaNaMeNto do LiVro SoBre SarNey

    arenapolticaseNadores seM urNa

    Aumentou o nmero de suplentes no Senado, com a posse de acir Gurgacz (PDT-RR), em substituio ao cassado Expedito Filho (PSDB). Agora so 20 os parlamentares da bancada dos sem voto, de um total de 81. O que salta aos olhos a ficha corrida de muitos suplentes, como o prprio Gurgacz, que responde a vrios processos na justia roraimense... E o projeto da Ficha limpa segue encalhado no Congresso Nacional. Jingle Bell

    Quinta cassao do prefeito de Macap

    rede de proteo social

    O projeto Turismo Sustentvel e Infncia TSI, do Ministrio do Turismo tem como objetivo o combate a explorao sexual no turismo. A professora Iara Brasileiro, membro do Centro de Excelncia em Turismo da UnB e integrante do projeto, viajou por todo o Pas para sensibilizar o trade turstico para a importncia de abraar a proposta do Ministrio de conscientizar a populao de que as crianas e os jovens so patrimnio brasileiro. Esta campanha no pode ter como foco apenas a Copa, em 2014., disse. A deputada Thelma de Oliveira, da Comisso de Turismo e Desporto, tambm defendeu a necessidade de proteo para crianas, adolescentes e mulheres. A opinio compartilhada pela deputada Ldice da Mata, ressaltou que a prostituio um dos grandes pontos negativos na imagem do Brasil.

    i nsatIsfeItos com o lanamento do livro honorveis bandidos, do jornalista palmrio dria (gerao editorial), na capital maranhense, no incio de novembro, suposta claque de roseana sarney e do pmdb maranhen-se protagonizou um espetculo de hor-ror, digno da torcida organizada. dria compareceu com militantes da esquerda maranhense como o governador cassado Jackson lago (pdt) que fazem oposio ao eterno reinado sarney que se abateu pelo estado h dcadas. ningum contava com bandalheiros, supostamente lidera-dos por uma funcionria comissionada da secretaria de esportes e Juventude do go-verno roseana sarney, ana paula ferrei-ra ribeiro, apareceriam e promoveriam o maior quebra-pau. o grupo atirou ovos no autor e entoavam palavras de ordem. no deu outra: o auditrio do sindicato dos bancrios virou arena: vidros quebra-dos, cadeiras voaram e pedras aparece-ram. tudo pode ser conferido no site You tube. o livro faz um resumo crtico da tra-jetria de Jos sarney mostrando que m-

    todos ele usou para chegar aonde chegou no cenrio nacional. para quem no sabe: o paraense palmrio dria foi criado por um padre e teve como primeiro emprego espanar os livros da biblioteca do cnego de belm (pa). dria foi chefe de repor-tagem na rede globo, nos jornais folha de s. paulo e estado de so paulo. como escritor adotou o tom polmico e lanou entre outros, mataram o presidente me-mrias do pistoleiro que mudou a hist-ria do brasil, de 1976, sobre a crise que culminou com o suicdio de getlio Var-gas, e a guerrilha do araguaia, de 1978.

    A juza da 10a Zona Eleitoral Sueli Pine condenou o prefeito de Macap, roberto Ges (PDT), assim como a vice, Helena Guerra, por abuso de poder poltico, e tiveram os mandatos cassados e, de quebra, ficaram inelegveis por trs anos. Resta saber se eles conseguiro nova liminar para permanecer nos cargos, como nas vezes anteriores:

    1 cassao- 03/12/2008. Antes de ser diplomado e empossado como prefeito, Ges teve seu registro de candidatura cassado pelo juiz da 10 Zona Eleitoral de Macap, Marconi Pimenta. A vice tambm. Os direitos polticos dos dois foram suspensos por trs anos. Motivo: abuso do poder poltico e econmico e compra de votos.

    2 cassao 12/12/2008. O juiz da 10 Zona Eleitoral Marconi Pimenta cassou o registro da

    candidatura de Ges e suspendeu os direitos polticos por trs anos. Motivo: abuso do poder poltico e econmico e captao ilcita de votos.

    3 cassao 03/03/2009. Trecho da sentena da juza Sueli Pini da 10 Zona eleitoral de Macap. Os investigados se preparavam para praticar a famigerada distribuio de cestas bsicas em troca de votos, o toma l da c, a vantagem pessoal de obter votos.

    4 cassao. 05/08/2009 Ges e sua vice foram novamente condenados perda do registro de

    candidatura, ou seja, aos mandatos, devido a compra de votos em troca de tquetes combustvel. A juza Sueli Pini da 10 Zona eleitoral foi a responsvel pela deciso.

    ||pause

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 11www.revistafale.com.br

  • SPaMtwitter supera orkutEmbora o Facebook seja uma ameaa ao reinado do Orkut entre as redes sociais no Brasil, foi o Twitter que primeiro destronou o site de relacionamentos do Google. Uma pesquisa sobre o perfil e o comportamento dos internautas brasileiros da classe A mostrou que o Twitter a rede social mais utilizada no Brasil, seguido pelo Orkut e pelo YouTube. Cerca de 87% dos entrevistados acessa o site de microblog todos os dias da semana, contra 72% do Orkut.

    Apesar de perder em frequncia, o Orkut ainda a rede social com o maior nmero de usurios cadastrados: quase 90%, contra 80% do Twitter e YouTube, e 57% do Facebook. A pesquisa ainda ressalta que a forma de interao do usurio com o site varia entre as redes analisadas, com o Twitter sendo mais usado para a leitura de notcias, enquanto o Orkut serve para contato entre amigos.

    Governo prorroga MP do Bem at 2014

    O Governo Federal anunciou a prorrogao at 2014, da medida provisria que isenta computadores de at R$ 4 mil da incidncia dos tributos de PIS e Cofins. Alm disso, o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, apresentou medidas de desonerao para computadores adquiridos para a rede pblica de ensino. A MP do Bem [como ficou conhecida] um programa muito bem-sucedido que multiplicou mercado de computadores e eliminou a linha cinza, por isso, estamos renovando por mais cinco anos, afirma Mantega.

    online

    ameaa de calado na telefoniaO alerta partiu do

    prprio presidente da Agncia Nacional de Telecomunicaes Anatel, ronaldo sardemberg. Calado seria possibilidade de o sistema telefnico do pas passar por uma pane semelhante que recentemente afetou o sistema eltrico.

    Segundo Sardemberg, a criao de uma comisso para avaliar a situao das redes de comunicaes do Pas surgiu a partir de alguns alarmes dados pela imprensa. H muita informao ou desinformao sobre a perspectiva de um apago no setor. Seria um calado. Isso tem me preocupado muito e estou tomando as providncias, afirmou.

    De acordo com Jos Fernandes Pauletti,

    presidente da Associao Brasileira de Concessionrias de Servio Telefnico Fixo Comutado Abrafix, o servio de telefonia fixa do pas

    no est crescendo e est estacionado em 40 milhes de usurios. Ele tambm no considera a hiptese de que o crescimento da demanda por

    banda larga mvel e celulares possa levar a um colapso.

    Se voc uma autoridade pblica, no pode simplesmente ignorar [essas notcias], afirmou Sardemberg.

    Ele no quis comentar o impacto do Plano Nacional de Banda Larga, proposto pelo presidente Lula, que sugeriu a criao de uma estatal para prover ao cliente final o acesso internet em banda larga.

    Segundo dados da Anatel o acesso a banda larga 3G cresceu cerca de 20% s em outubro. Para o superintendente da Anatel, Jarbas Valente, se a oferta do servio estivesse liberada, esse crescimento poderia ser mais que o dobro registrado, j que hoje 70% das novas vendas da telefonia mvel esto associadas internet.

    O Google prepara para 2010, quando completa 12 anos, o novo visual

    de sua pgina inicial. A nova pgina ainda est em fase de testes, mas j possvel acess-la em Ingls por meio de um cdigo especial saiba como em nosso site. No h significativas mudanas nas

    buscas. O novo projeto concentra-se em proporcionar mais conforto aos usurios. O logotipo, novos cones, caixa de busca, e botes coloridos, so algumas novidades. O site lista tambm funes adicionais, como mapas, imagens e compras, alm dos termos relacionados, que aparecem automaticamente no menu lateral.

    Experimente o novo Google

    O QUE NOVO

    Brasil o lder

    n o um dado que deVamos nos orgulhar, mas o brasil acaba de ultrapassar os eua, e alcanou a liderana no ranking de maiores propagadores de spam mensagens indesejadas de e-mail do mundo.

    a nova lista foi divulgada pela diviso de segurana da cisco. o brasil foi responsvel pelo envio de 7,7 trilhes de spams nos ltimos doze meses, contra 6,6 trilhes dos eua (no ranking anterior, os estados unidos somavam 8,3 trilhes).

    a exploso do spam no brasil no um mistrio. o pas est sofrendo a mesma epidemia de lixo eletrnico j vivenciada por outras naes de crescimento rpido que se conectaram internet, divulgou a revista forbes, com base em declaraes do pesquisador patrick peterson, da cisco.

    o brasil, no entanto, no o nico que apresentou crescimento na quantidade de spams enviados. a ndia, que segundo a publicao produzia relativamente pouco spam em comparao ao tamanho de sua economia, foi responsvel por 3,6 trilhes de mensagens. o nmero representa mais que o dobro da medio anterior, segundo a cisco.

    ||pau

    se

    12 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • internautas debatem Marco civil em Fortaleza. O caso do blogueiro Emlio Moreno serviu de mote para a conferncia Marco Civil da Internet o debate j comeou, que ocorreu no incio do ms de

    dezembro em Fortaleza, no Auditrio do Centro Drago do Mar de Arte e Cultura. A iniciativa de um grupo de internautas cearenses vai de encontro a determinao do presidente Lula, que pretende apresentar um projeto de marco

    civil regulatrio para a Internet brasileira em 2010. A Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministrio da Justia a responsvel por promover a consulta pblica. Segundo o Ministrio da Justia, a inteno do marco civil a ser proposto

    no restringir o acesso ou uso da Internet. O que o governo pretende com marco civil definir diretrizes para uma legislao que permita ao judicirio atuar com preciso na resoluo de conflitos envolvendo a utilizao da rede.

    por conta do comentrio de um internauta annimo em seu blog, o estudante de jornalismo Emlio Moreno da Silva Neto, 33, foi condenado pela Justia do Cear no ms de julho a pagar uma

    indenizao de R$ 16 mil. Para piorar, Emlio perdeu o prazo para recorrer e recebeu uma notificao de penhora de bens para o pagamento do valor.

    O caso teve incio em maro de 2008, quando Emlio Moreno noticiou em seu blog, o Liberdade Digital, uma briga envolvendo dois estudantes do Colgio Santa Ceclia, em Fortaleza. Na ocasio, um internauta postou um comentrio crtico atuao da freira Eullia Maria Wanderley de Lima, diretora do Colgio.

    No demorou muito, e a diretora entrou com ao por danos morais contra o blogueiro. Aps cinco audincias, a Justia cearense determinou a Emlio Moreno o pagamento de 40 salrios mnimos, a ttulo de indenizao.

    Emlio argumenta que no possui bens mveis e imveis para penhorar e diz que tentou resolver o caso de forma amigvel. O que eu realmente lamento que no tenha havido um dilogo mais tranquilo, sem que houvesse a necessidade de uma ao na Justia, disse. Ofereci direito de resposta, apaguei de imediato o comentrio. Enfim, acho que tudo isso fruto de um equvoco. Lamento realmente.

    O advogado Helder Nascimento, que defende a diretora da escola, tem outra verso. Pedimos para retirar e ele no retirou dizendo que era cerceamento da liberdade de expresso. Solicitamos que informasse quem era o titular do e-mail e ele se recusou. No podemos deixar um cliente ser violentado.

    Na verso do blogueiro Emlio Moreno, cerca de dois meses aps o post e o comentrio, um escritrio de advocacia da capital cearense entrou em contato com ele. Eles queriam, por telefone, que eu identificasse o autor do comentrio.

    Os riscos da Liberdade Digital

    plugado...Liberdade Digitalwww.liberdade.blogueisso.comEmlio Moreno no Twitterwww.twitter.com/emiliomorenoMundoTecnowww.culturadigital.br/marcocivil/Fale! no Twitterwww.twitter.com/revistafaleBlog da Fale! Brasliawww.revistafale.com.br/blog/brasilia

    Vaquinha para pagar dvidaNo restou Emlio Moreno outra alternativa seno recorrer conhecida vaquinha, para quitar sua dvida. Sem possuir bens a serem penhorados, e aps negociar com o advogado, conseguiu reduzir o valor da indenizao para R$5,5 mil. Ele iniciou ento, atravs de um site, a arrecadar dinheiro para pagar o valor devido. At o fechamento dessa edio, contando com a solidariedade de internautas, Emilio j havia conseguido 20% do valor pretendido. Para colaborar com o blogueiro acesse o blog liberdade digital e doe qualquer valor atravs do carto de crdito ou pagamento por boleto bancrio.

    aprendizadoNo tenho inteno de me tornar mrtir ou posar de vtima nessa histria, foi o que escreveu Emlio Moreno em seu blog. Sobre o acontecimento, ele tambm afirma ainda, o que importa mesmo o aprendizado de tudo isso, e destaca a importncia da discusso do marco civil da Internet brasileira. Emlio j havia sido destaque na edio de nmero 62 da Revista Fale!, quando divulgamos sua iniciativa de mapear os buracos nas ruas de Fortaleza. No auge da campanha, que contou com o apoio em massa dos internautas, mais de 500 buracos foram cadastrados. A pgina recebeu 50 mil visitas em apenas um ms. Tudo comeou aps desastrada declarao da prefeita Luizianne Lins (PT) que em entrevista disse que o fortalezense tivesse cuidado para no cair nos buracos.

    ||pause

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 13www.revistafale.com.br

  • LuCiANO NEgREiROS 10perGuNtasPARA

    a rrojado e conhecedor dos problemas de obesidade, at mesmo porque enfrentou esse problema na infncia, quando ganhou, inclusive o apelido de bolochinha, o mdico luciano negrei-ros endocrinologista e cresceu gordinho e permaneceu assim at a sua entrada na faculdade de medicina. nessa poca, to-mou uma grande deciso resolvendo emagrecer para sempre. a partir da, manteve seu peso e descobriu como manter-se saudvel e em forma. com essa motivao, resolveu especializar-se em endocrinologia e ainda, para compreender melhor como funcionava a cabea da pessoa obesa, apro-fundou seus estudos em medicina psicossomtica. lanou seu primeiro livro, bolochinha guia de emagrecimento e alimentao saudvel para Jovens e crianas, obtendo grande sucesso.

    o mdico explicou que a ideia de informar os jovens obe-sos de uma forma mais atraente pioneira. mas as aven-

    turas de bolochinha e sua turma no se resumem ao li-vro. h uma pgina na internet com todo o material, alm de palestras em escolas. o objetivo conscien-tizar as crianas da importncia de uma alimenta-o saudvel para evitar problemas na vida adulta, como diabetes e doenas cardiovasculares, que j se manifestam na juventude, devido ao alto consumo de comidas gordurosas. luciano reconhecido por

    seu trabalho srio no tratamento da obe-sidade, participa de vrios congres-

    sos nacionais e Internacionais. o queridinho de socialites e artistas

    cariocas por seu trabalho na rea de emagrecimento e acaba de

    lanar um livro para adultos, emagrecimente. como es-

    tamos em poca de festas, doces e tentaes mil,

    negreiros concedeu en-trevista exclusiva para

    a fale!braslia, que recebeu as pergun-tas de um grupo de leitores que pos-suem filhos obe-sos.

    Fale! Braslia. Qual o limite en-tre uma criana gordinha e uma criana obesa?Luciano Negreiros. na minha ex-perincia prtica no h uma di-ferena entre a criana gordinha, que na teoria seria o sobrepeso, e a criana obesa, pois ambos precisam do mesmo tratamento especfico. o peso e altura dessas crianas me-didos e o ndice de massa corpo-ral (Imc) calculado (peso dividido pela altura ao quadrado) variam de acordo com a idade e o sexo. assim utilizamos as curvas de crescimento como o grfico de IMC para sexo/idade do us center for disease (dcm). logo na teoria as crianas entre o percentual 85 a 95 seriam as gordinhas (sobrepeso), j as que estariam acima do percentual 95 se-riam as obesas. assim a importncia do acompanhamento das crianas junto ao pediatra e ao endocrino-logista, pois logo no primeiro sinal do aumento do peso em relao a curva de crescimento e peso, seriam tomadas as primeiras providncias para que esse aumento de peso seja controlado.

    Fale! Braslia. Qual a melhor forma de reduo alimentar, sem tirar o prazer da criana na sua alimenta-o?Luciano Negreiros. a tarefa do trata-mento da perda de peso em crianas e adolescentes uma tarefa difcil.

    especiaLista. Luciano Negreiros endocrinologista, especialista em obesidade, autor dos livros Bolochinha - Guia de emagrecimento e alimentao saudvel para Jovens e crianas e emagrecimente. Foto DivuLgao

    ||pau

    se

    14 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • porm, com a ajuda dos familiares, professores, amigos e de uma equi-pe multidisciplinar composta por mdicos, nutricionistas, psiclogos, professores de educao fsica e fi-sioterapeutas, tornam a forma de re-duo alimentar dessas crianas me-nos complicada. a melhor forma a conscientizao e a motivao dessas crianas para o sucesso do tratamen-to. No devemos sacrificar, mentir, esconder situaes. possvel ir s festas, sair com os amigos, apenas tendo um controle satisfatrio. o mtodo do tratamento psicossom-tico, que a relao entre a mente e o corpo, que usamos no projeto bo-lochinha, tratando no a obesidade, mas sim a criana obesa vista na sua complexidade no tira o prazer da alimentao, e sim gera um prazer diferente que conseguido atravs do processo de emagrecimento. ten-tamos apenas mudar o foco do pra-zer, deslocando-o da comida para o prazer do corpo saudvel.

    Fale! Braslia. a ansiedade excessi-va influencia muito nesse processo engordativo?Luciano Negreiros. certamente a ansiedade e todos outros fatores psicolgicos tm influncia direta no processo da obesidade. logo, como endocrinologista com for-mao psicossomtica no consigo enxergar o tratamento simplesmen-te do emagrecimento. temos que emagrecer tanto o corpo como a ca-bea do obeso, seno o efeito san-fona ser certo.

    Fale! Braslia. O que fazer para con-trolar essa ansiedade?Luciano Negreiros. o tratamen-to que uso com os meus pacientes com relativo sucesso uma tcnica derivada da terapia cognitivo com-portamental, que em linhas gerais seria conscientizar o obeso dos seus repetidos erros e transform-los em acertos. mais uma vez ressalto a im-portncia do tratamento psicolgico aliado reeducao alimentar e a prtica da atividade fsica, que por sua vez induz liberao de endorfi-nas melhorando o bem estar geral reduzindo a ansiedade.

    Fale! Braslia. difcil mudar a for-ma de pensar de uma criana obe-sa, principalmente quando tem von-

    tade de comer o que no se pode dar. O que fazer?Luciano Negreiros. uma tare-fa difcil, porm no impossvel. no devemos proibir, pois o proibi-do acaba sendo o mais desejado. a conscientizao associada ao apoio, enfocando sempre o prazer que o emagrecimento gera torna esse pro-cesso menos penoso. se a criana quiser algum alimento mais calri-co devemos mostrar que ela poder comer, porm em algumas situaes e em pequena quantidade.

    Fale! Braslia. se a criana, s vezes, perguntar por que ela no pode levar batata frita, bolachas e chocolate para a escola, como os amiguinhos, o que fazer? Negar no prejudicaria o lado social da criana?Luciano Negreiros. por isso a im-portncia das escolas nesse proces-so. as crianas atualmente passam a maior parte de seu dia nas esco-las, logo os professores tm a res-ponsabilidade da sua boa educao alimentar. preocupado com esse aspecto criei o projeto bolochinha nas escolas, enfatizando a boa ali-mentao no s para os gordinhos, mas tambm para todas as crianas que comem de forma irregular. as-sim todas as crianas j tem uma alimentao no diferenciada e sau-dvel durante o seu dia na escola.

    Fale! Braslia. Qual o papel dos fa-miliares que lidam no dia-a-dia com a criana obesa na sua alimenta-o diria?Luciano Negreiros. os familiares so responsveis na educao alimentar das crianas. a famlia deve sempre estimular e apoiar, ajudando essas crianas j to fragilizadas e discri-minadas, a torn-las mais fortes dos que elas so. no devemos nunca criticar e reprimir, pois isso pode

    desmotivar o tratamento. no 14 ca-ptulo do livro bolochinha, trazemos vrias dicas de como os familiares podem ajudar essas crianas.

    Fale! Braslia. atividade fsica. como convencer a criana a sair da vida sedentria, cheia de preguia que a obesidade leva? Qual o limite para a criana?Luciano Negreiros. a obesidade vira um ciclo vicioso, pois quan-to mais sedentria a criana for, maior a tendncia a obesidade. e quanto mais obesa mais sedentria essa criana ficar. Temos portan-to, que incentivar a prtica da ati-vidade fsica prazerosa e criativa. o tratamento desse tipo de obesida-de muito complexo, mas quando bem trabalhado e individualizado o sucesso ser certo. no existe um limite especfico para atividade f-sica. quanto maior for a prtica de esportes, melhor repercutir no su-cesso desse tratamento.

    Fale! Braslia. Qual o melhor tipo de exerccio fsico?Luciano Negreiros. tudo de acor-do com a habilidade e o gosto da criana. assim no devemos impor a atividade fsica e sim deixar que a criana descubra o melhor para ela, evitando o desprazer e o abandono do esporte.

    Fale! Braslia. Fale sobre o livro emagrecimente.Luciano Negreiros. fui convida-do a escrever um livro direcionado ao pblico adulto, para trazer um mtodo novo, srio e revolucion-rio no tratamento da obesidade. ento, associei os conhecimentos clssicos da endocrinologia com os fundamentos da terapia cognitivo comportamental (tcc). observei que grande parte dos pacientes fica-va no efeito sanfona, pois entravam em uma dieta durante um curto perodo, emagreciam o corpo, po-rm a cabea mantinha-se gorda. nascia ento o Emagrecimente, um mtodo no qual a pessoa, atravs de passos, muda inicialmente os seus pensamentos para depois mudar o comportamento (alimentao + ati-vidade fsica). em Emagrecimente, falo sobre reeducao alimentar e sua dieta dos passos, que acaba com o efeito sanfona.

    os familiares so

    responsveis na educao alimentar das crianas.

    ||pause

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 15www.revistafale.com.br

  • Vacina para a aidSMais de vinte anos aps

    a descoberta do vrus HIV, pesquisadores desenvolveram a primeira vacina que poder imunizar quem a recebe. Aps seis anos de pesquisa, o estudo mostrou que a vacina, que tem duas doses, modestamente eficaz, reduzindo em 31% a infeco em relao aos candidatos que s receberam placebo. Cientistas, no entanto, ainda tentam descobrir como a imunizao diminui o risco de infeco, j que as vacinas no diminuram o nvel de vrus no sangue dos voluntrios na pesquisa.

    teletransporte de tomos Cientistas americanos transportaram dados de um tomo para outro a um metro de distncia. O quantum information processing no transporta corpos; um tomo s transforma o outro, que ento imita o primeiro. Pode no ser to emocionante como nos filmes, mas o teletransporte de tomos traz grandes inovaes para a criao de computadores super-seguros e rpidos.

    Um joelho por 20 dlares Amputados em pases pobres tinham sua disposio uma prtese de perna com preo acessvel, o Jaipur Foot. Mas para quem perdeu a articulao do joelho, um substituto de titnio custava em torno de 10,000 dlares. Agora, estudantes de engenharia na Universidade de Stanford desenvolveram um joelho que, alm de barato, imita o movimento natural da articulao. O JaipurKnee, ainda em fase de teste, custa s 20 dlares e j ajudou mais de 300 voluntrios na ndia.

    Em abril deste ano, um estudante de doutorado na Universidade de Wisconsin escreveu 23 caracteres em seu twitter s com a mente. Como parte de sua pesquisa acadmica, ele concentrou sua ateno nas letras que apareciam na tela do

    computador, usando uma touca com eletrodos que controlavam as mudanas no crebro. O feito um marco para pesquisas de psicologia em comunicao com possuidores da sndrome do encarceramento, doena que deixa a mente alerta enquanto o corpo

    est paralizado. At agora, as mensagens por esse mtodo so lentas: os twitteiros mais geis s conseguem enviar 8 caracteres por minuto para eles, ainda bem que o limite so 140.

    TWITTER POR

    TELEPATIA

    as melhores

    cachorro por encomendaQuando o clone da ovelha Dolly foi anunciado

    em 1997, lou hawthorne comeou a pensar no que seria necessrio para que uma rplica gentica do cachorro de sua me fosse feita. Em 2007, sua companhia BioArts clonou Missy, e neste ano Lou entregou cinco filhotes a clientes que pagaram em torno de US$ 144,000. A empresa reconhece que o mercado para clonagem de caninos limitado, mas os seletos clientes que tiveram a oportunidade de ter seu cachorro novamente acham que tiveram sorte.

    invenes2009

    Os carros de corrida da Frmula 3 agora podem ajudar o meio ambiente, preservando sua potncia. Desenvolvido na Inglaterra, o primeiro projeto F3 tem fibras

    de cenoura na direo, polvilho de batata nos espelhos laterais e nozes nas pastilhas de freio. Tudo isso abastecido por biodiesel que ainda mistura chocolate e leo vegetal.

    carro comestvel, ecologicamente correto

    a revista time fez um ranking das 50 melhores invenes de 2009. aqui,

    algumas delas.Por Lvia Pontes

    ||pau

    se

    16 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • Na rea tributria, a responsabilidade dos administradores de pessoas jurdicas decorrente de

    determinao do prprio cdigo tributrio nacional. Segundo a lei, apenas o exerccio abusivo ou irregular dos atos de administrao da sociedade que faz nascer a responsabilidade pessoal prescrita pelo dispositivo. Essa interpretao foi consolidada pelo Superior tribunal de Justia (StJ) que, em diversas decises, assentou que o simples inadimplemento da obrigao tributria no caracteriza infrao legal para fins de responsabilizao do scio-gerente.

    Apesar desse posicionamento, a Fazenda Pblica insiste em redirecionar as execues fiscais, movidas originariamente em face das pessoas jurdicas, para todos os seus administradores. trata-se de prtica reiterada nos executivos fiscais, sendo irrelevante, na esfera fiscal, a condio dessas pessoas possurem ou no vnculo empregatcio. A questo se restringe a apurar a existncia ou no do poder de gesto, bem como da existncia de atos que materializem a incidncia da norma de responsabilidade.

    Em um primeiro momento, a jurisprudncia dos tribunais Superiores outorgava Fazenda Pblica o dever de provar a existncia de infrao lei, vez que assim no procedendo no haveria suporte ftico para incidncia da norma de responsabilizao, no sendo

    possvel o redirecionamento da execuo. no entanto, essa linha de entendimento parece estar sendo flexibilizada pelo StJ que, em recentes julgamentos, vem entendendo que caberia aos administradores o dever de provar que no agiram com excesso de poderes ou cometendo infrao lei, sempre que seus nomes constassem da certido de dvida ativa (ttulo executivo elaborado pela prpria administrao tributria e que goza de presuno de liquidez e certeza).

    com base nesse entendimento, para que a responsabilidade tributria recaia sobre o administrador de uma sociedade ser requisito imprescindvel a comprovao de que houve, em sua gesto, a prtica de atos com excesso de poderes ou contra a lei ou estatuto social, cabendo o nus da prova dessa situao (i) ao Fisco: quando o nome do administrador no for expressamente mencionado na certido de dvida ativa; e (ii) ao administrador: quando seu nome constar da certido de dvida ativa.

    Assim, a defesa judicial dos administradores da pessoa jurdica depender, essencialmente, dos elementos de prova reunidos ao longo da administrao que comprovem boas prticas de governana corporativa, impondo que cada um dos administradores comparea aos autos (por meio de incidente processual prprio), demonstrando que no se trata de hiptese de responsabilizao pessoal. As chances de xito so variveis em funo da

    peculiaridade de cada caso, bem como do volume e capacidade de prova dos documentos juntados pelo administrador durante o tempo em que geriu a sociedade.

    Ganha importncia, nesse cenrio, a implementao de uma governana tributria no dia a dia das empresas, fomentando decises responsveis, documentadas e coerentes no trato da matria fiscal. trata-se de soluo que deve ser levada em conta ao lado do j recorrente d&o - directors and officers (seguro de responsabilidade civil com escopo de proteo do patrimnio dos administradores) e das chamadas comfort letters.

    Em concluso, possvel afirmar que o exerccio da gesto empresarial no Brasil pela assuno de cargos em diretorias faz nascer a possibilidade de responsabilizao pessoal pelos dbitos tributrios da sociedade, devendo, para tanto, restar caracterizada infrao lei ou mesmo a conduo da empresa com excesso de poderes. o dever de prova dessa caracterizao, em razo do modo de confeco da certido de dvida ativa, poder recair sobre os membros da diretoria, sendo importante que o quadro de diretores se municie de provas da regularidade de sua gesto, instrumentalizando eventual defesa judicial, sob pena de atrair ao seu patrimnio pessoal risco que, normalmente, deveria ser suportado pelo patrimnio da pessoa jurdica.

    Diego Bomfim advogado do escritrio Machado, Meyer, Sendacz e Opice e Mes-tre em Direito Tributrio pela PUC/SP.

    responsabilidade tributria e o dever de prova da boa gesto

    por diego Bomfim

    artigo

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 17www.revistafale.com.br

  • Na Forcao

    VIce-lder do dem na cmara dos deputados, onYx lorenzonI (rs), garantiu que os envolvidos no episdio do mensalo do arruda, no distri-to federal, sero devidamente punidos. os distritais, principalmente o da meia [Leonardo Prudente], tm que seguir o mesmo caminho, que o da rua, afirmou. Como o governador do DF, Jos Roberto Arruda, pediu desfiliao do partido, sobrou para o vice-governador e presidente regional da legenda, paulo octvio e o presidente da cmara legislativa licenciado, leonardo pru-

    dente, ambos democratas, serem julgados pelo partido. por maioria dos votos, a execu-tiva regional votou pela abertura de processo de expulso do presidente licenciado da cmara legislativa, leonardo prudente. a situao de paulo octvio diferente, pois no h gravao dele. Se algum filiado pedir abertura de processo, vamos abrir, enfati-zou lorenzoni. prudente ganhou prazo para apresentar sua defesa. o prazo foi o mesmo concedido a arruda. paulo octvio deve se licenciar da presidncia da legenda regional.

    poltica

    18 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • Mensalo do dF deixou o governador Jos roberto Arruda, o vice Paulo octvio e presidente da cmara Legislativa Leonardo Prudente com a corda no pescoo Por Almir oliver e rafael oliveira

    segundo fontes ligadas cpula do dem local, a deciso quanto ao deputado leonar-do prudente j est acertada: expulso. o vi-ce-governador paulo octvio est numa si-tuao mais confortvel. ele no aparece em vdeo, foi apenas citado nas investigaes da Operao Caixa de Pandora, deflagrada pela polcia federal em novembro ltimo. o que compromete paulo octvio foi uma gra-vao de barbosa, em que aparece o diretor das organizaes paulo octvio, marcelo carvalho, recebendo dinheiro, supostamen-te destinado ao vice-governador. fonte liga-da ao governo local revelou que paulo oct-vio, caso arruda no renuncie ao governo, deve renunciar a vice-governadoria.

    segundo o senador demstenes torres (dem-go), a abertura ou no de proces-

    so disciplinar contra os dois ser tratada em reunio ordinria do partido. h uma comunicao do presidente do partido, deputado federal rodrigo maia (rJ), de que, aps a reunio que seria destinada anlise da situao do governador arruda, os demais casos sero tratados, como o do deputado prudente e o do vice-governador paulo octvio, disse.

    o da meia. o deputado distrital, le-onardo prudente, foi gravado pelo ex-se-cretrio de relaes Institucionais do df, durval barbosa, recebendo alta quantia de dinheiro, guardado nos bolsos do terno, e quando no havia mais espao e criativi-dade, os maos restantes foram parar nas

    huMor e viGliaO governador do Distrito Federal, Jos Roberto Arruda, e o vice-governador, Paulo Octvio. Manifestantes protestam em frente residncia oficial do governador do DF. Viglia em frente sede da Cmara Legislativa do DF.Fotos eLza Fiza_aBr, vaLter Campanato_aBr

    e FaBio roDrigues pozzeBom_aBr

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 19www.revistafale.com.br

  • meias. segundo o deputado, por questes de segurana.

    Nova acusao. prudente, que preside a cmara legislativa do df e encontra-se licenciado do cargo por 60 dias, alvo de nova acusao de barbosa. dessa vez, barbosa acu-sa prudente de comandar um gran-de esquema de corrupo no de-partamento de trnsito do distrito Federal Detran/DF, envolvendo empresas de vigilncia de familiares e amigos do distrital.

    de acordo com depoimentos de durval barbosa polcia federal, o deputado leonardo prudente pra-ticou extorso contra empresrios que disputam licitaes no gdf. ele relata tambm que prudente indi-cou parentes e aliados polticos em postos chaves do detran-df, como a procuradoria-geral, a comisso de licitao e a ouvidoria daquele r-go, com a finalidade de desviar di-nheiro pblico. o nome de prudente

    tambm aparece como patrocinador de empresas de vigilncia em alguns rgos do gdf e do governo federal.

    a empresa 5 estrelas sistema de segurana ltda, por exemplo, que est em nome do filho do deputa-do, tem contratos com a novacap desde 2007. de l pra c, o gdf j repassou mais de r$ 8,5 milhes. outra empresa, a g6 sistema de se-gurana Integrada ltda, criada por leonardo prudente e hoje, em nome de amigos do deputado, tem contra-tos com a secretaria de educao do distrito federal e com o detran-df, desde 2007, totalizando mais de r$ 52,2 milhes de repasses at hoje. tambm de acordo com barbosa, o presidente licenciado da cmara legislativa, leonardo prudente, tm atacado outros setores, como na co-leta de lixo hospitalar do distrito fe-deral. prudente tem uma empresa, em nome de um de seus filhos, a Ser-quip, com sede em ceilndia, que especializada em tratamento de lixo hospitalar e que atua em todo o pas.

    a empresa conseguiu contrato com o gdf, sem licitao e tambm em carter emergencial, renovado por duas vezes consecutivas, cujo cus-to mensal chega a r$ 330 mil, para operar usina de incinerao de lixo especial, em ceilndia.

    uma lei votada na cmara le-gislativa do distrito federal poder facilitar novos contratos para a em-presa de prudente. a lei distrital n 4.352/2009, de autoria do deputado cabo patrcio (pt), d prioridade na coleta de lixo especial (hospitalar principalmente) para empresas que estejam estabelecidas no df.

    para o deputado petista, a lei segue estritamente a legislao am-biental no mbito federal e tambm em relao aos processos licitat-rios. esta lei determina que toda e qualquer empresa interessada na coleta de lixo especial no df preci-sa se instalar aqui, com a finalidade de gerar empregos e oportunidades para os moradores de braslia, de-fendeu cabo patrcio. o problema

    poltica

    20 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • Empresas ligadas ao presidente da Cmara Legislativa do DF, deputado Leonardo Prudente

    Empresa: G6 sisteMa de seGuraNa iNteGrada ltdaSetor do governo onde presta servio: secretaria de educao, detran e FundebValor dos contratos em 2007: r$ 2,4 milhesValor dos contratos em 2008: r$ 19,6 milhesValor dos contratos em 2009: R$ 30,2 milhesTotal dos repasses em trs anos: r$ 52,2 milhes Empresa: 5 estrelas sisteMa de seGuraNa ltdaSetor do governo onde presta servio: NovacapValor dos contratos em 2007: r$ 2,9 milhesValor dos contratos em 2008: r$ 2,7 milhesValor dos contratos em 2009: r$ 2,9 milhes (*)Total dos repasses em trs anos: r$ 8,5 milhes

    relao imprudente

    que, em todo o df, s existe a em-presa serquIp que executa esse tipo de servio, cujo dono o filho de prudente, rafael prudente. esta empresa, considerada at agora pelo gdf como nica apta para assumir os contratos, abocanhou mais essa prestao de servios sem licitao. porm, no por falta de concor-rentes. existem ao menos duas que poderiam brigar com a empresa de prudente, cujas sedes situam-se pr-ximas ao df, em cidades goianas: uma fica em Cidade Ocidental (en-torno do df) e a outra, em anpolis (160 km da capital federal). segun-do ainda o autor da lei, ela ainda no entrou em vigor por que precisa ser regulamentada pelo executivo lo-cal. existe um forte bloqueio den-tro do gdf para regulamentar essa lei, acrescentou patrcio.

    detran-dF. em junho de 2006, o detran-df abriu licitao, na mo-dalidade prego (prego presencial

    n175/2006), para contratar empresa de vigilncia e segurana patrimonial. dentre as habilitadas no certame, ga-nhou a empresa reman segurana privada ltda. porm, passados seis meses, a empresa pediu resciso ami-gvel de contrato, acatado pela dire-toria do rgo do gdf. nessas cir-cunstncias, segundo a legislao vi-gente (Lei 8666/1993), o Detran-DF precisaria convidar uma das empre-sas remanescentes 2 e/ou 3 lugar para assumir o contrato, de forma emergencial. segundo o gerente-exe-cutivo e diretor da empresa life de-fense Ltda, que ficou em segundo lu-gar no referido prego, aldir carneiro frota Jnior, a comisso de licitao do detran poca os convidou, mas exigiu que sua empresa praticasse os mesmos preos da desistente. ns nos manifestamos reiteradas vezes que gostaramos de assumir o contra-to, mas mantendo os nossos preos, pois acreditvamos que aquele ofe-recido pela ganhadora, a reman, era impraticvel, disse aldir.

    a empresa segunda colocada no certame, apesar de haver manifes-tado desde o incio interesse em as-sumir o contrato, foi preterida pelos responsveis pela licitao, que ig-noraram a lei e o interesse pblico e firmaram contrato emergencial com a empresa g6, que at ento no constava do rol das participan-tes do prego inicial. com um deta-lhe agravante: o valor do contrato sofreu um reajuste considervel em pouco mais de seis meses de vign-cia. a reman, que desistira do con-trato, havia cotado seu preo em r$ 342.436,02 mensais. o preo mdio da segunda colocada life defense foi de r$ 392.273,32 mensais. no dia 14 de agosto de 2008 um ms aps a desistncia da primeira colo-cada - foi publicado no Dirio Oficial do distrito federal o contrato emer-gencial n 01/2007, contemplando a empresa criada por leonardo pru-dente e agora em nome de amigos do parlamentar para assumir o con-trato de forma emergencial por 180

    NeGcios MilioNriosO presidente da Cmara Legislativa do DF, deputado Leonardo Prudente, acusado por Durval Barbosa de possuir negcios milionrios com o GDF e de extorquir empresrios da cidade. direita, PM retira manifestantes que ocupavam o plenrio da Cmara Legislativa.Fotos marCeLLo CasaL jr e vaLter Campanato_aBr

    Fonte CB/04/12/2009

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 21www.revistafale.com.br

  • meses, com o valor majorado em 36,74%. agora o detran-df dever desembolsar mensalmente r$ 541,3 mil para a g6.

    no depoimento de durval barbo-sa PF, ele afirma que Prudente ne-gociou pessoalmente com o governa-dor arruda a no instalao de uma cpI df digital , em troca da reti-rada do detran da central de compras do gdf. logo em seguida, prudente indicou como diretor-geral daquele rgo o coronel da reserva da polcia militar do distrito federal pmdf, Jair tedeschi, hoje, ocupando a che-fia de gabinete do presidente licen-ciado da cmara legislativa.

    o sindicato dos servidores do detran-df sindetran, protocolou, em setembro de 2007, reclamao contra a contratao da empresa g6 junto ao tcdf e ao ministrio p-blico. segundo conselheiros daquele sindicato, a empresa g6 estava total-mente irregular e mesmo assim foi contratada s pressas. o sindicato detectou trfico de influncias entre

    a diretoria, poca comandada por dlio cardoso, e o deputado distri-tal, para a contratao da empresa. o sindetran tambm entrou com representao contra a indicao de uma amiga de leonardo prudente para chefiar a Ouvidoria do rgo. segundo diretores daquele sindicato, a chefe da ouvidoria, clarice calais, que ocupa cargo cne-6, quase nun-ca aparece para dar expediente na sede do detran-df. e no para por a. outra indicao de prudente para cargos de natureza especial no de-partamento de trnsito do df ocor-reu na assessoria Jurdica, onde o distrital levou pessoa de sua confian-a. E, para finalizar, era de Leonar-do prudente a indicao do dirigente mximo da instituio, o ex-coronel da pmdf e hoje assessor do parla-mentar licenciado, Jair tedeschi. o que se pode deduzir de tudo isso s uma boa investigao poder nos re-velar, mas, em relao ao detran-df, parece que estava tudo dominado por prudente.

    tCdF e MP. a 1 Inspetoria de controle externo Ice, do tribu-nal de contas do distrito federal tcdf, considerou a contratao da empresa g6, da forma como foi realizada, uma afronta lei das li-citaes (Lei 8.666/1993). Segundo parecer da Ice, a contratao da g6 sistema de segurana Integrada ltda superou o objeto do contrato firmado com a empresa vencedo-ra [Reman], ou seja, houve um aumento considervel dos preos praticados pela empresa desistente e pela nova contratada (g6). alm disso, os conselheiros do tcdf de-tectaram vrias irregularidades no contrato com a empresa criada por leonardo prudente, tais como, au-sncia de planilhas de preos, au-sncia da razo da escolha da em-presa g6, ausncia de justificativa do preo, falta de justificativa para a no convocao das empresas que ficaram em segundo e terceiro luga-res, dentre outros.

    poltica

    MaNiFestaes pr e coNtra arrudaManifestantes iluminam mensagem em frente sede do Legislativo. direita, grupos favorveis permanncia de Jos Roberto Arruda no governo tambm fizeram manifestao em frente Cmara Legislativa do DF.Fotos FaBio roDrigues pozzeBom_aBr

    22 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • em vista disso, a Inspetoria do tcdf determinou dentre ou-tras providncias, que a direo do detran-df cancelasse imedia-tamente o contrato emergencial. essa deciso foi submetida vota-o na sesso ordinria do tcdf, em 12/11/2009, onde foi derrotada. um dos conselheiros a favor da ma-nuteno dos contratos da g6 com o detran-df foi domingos lamo-glia, que aparece em vdeos e em depoimentos de durval barbosa, como suposto participante do es-quema do mensalo do democratas do distrito federal. os contratos emergenciais com dispensa de li-citao no detran-df passaram de onze milhes, em 2006, para r$ 46 milhes em 2009. o procura-dor demstenes albuquerque en-trou, em 07/12/2009, com recurso de anulao da deciso dos conse-lheiros do tcdf que consideraram regular o contrato da empresa liga-da ao presidente da cmara legis-lativa, leonardo prudente, com o

    detran-df. at o fechamento desta matria, o recurso ainda no havia sido apreciado pelo tribunal.

    Caso P.o. a situao do vice-governador mais fcil de ser con-tornada. o ex diretor-geral da hol-ding de empresas de paulo octvio, marcelo carvalho, foi filmado por durval barbosa recebendo dinhei-ro, supostamente a parte que seria repassada ao vice.

    Patrimnio. dados do tribunal superior eleitoral tse, revelam os incrveis bens do vice-governa-dor, que supera declaraes dos principais governadores do pas. paulo octvio declarou possuir r$ 319,4 milhes em cotas de capital da paulo octvio Investimentos Imobilirios, fundada em 1975. ele declarou tambm possuir obras de arte no valor de r$ 15 mil, cotas de hotis e apartamentos de r$ 249

    mil. o total chega a r$ 323,5 mi-lhes.

    o patrimnio do governador de so paulo, Jos serra (psdb), o de minas gerais, acio neves (psdb), e o do rio de Janeiro, srgio cabral (pmdb), todos eleitos em 2006, tm juntos patrimnio declarado de r$ 2,3 milhes. os tucanos regis-traram bens como apartamentos, salas comerciais, carros, que juntos deram r$ 872 mil para serra e r$ 831 mil para acio, enquanto o go-vernador do rio declarou r$ 647,5 mil. o patrimnio de Jos roberto arruda, de acordo com as declara-es junto Justia eleitoral, sal-tou de r$ 600 mil, em 2006, para r$ 7 milhes este ano.

    a ordem dos advogados do bra-sil, seccional braslia, acionar a Justia para garantir que o pedido de impeachment contra o vice-go-vernador seja apreciado na cmara legislativa, j que a casa rejeitou mais de 70% dos pedidos protoco-lados nos ltimos dias.

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 23www.revistafale.com.br

  • o governador do distrito Federal acusado pela Polcia Federal de comandar um esquema de corrupo que recebia propina de fornecedores do Governo e repassava, em forma de mensalo, para deputados. Mas nada parece demov-lo de continuar onde est

    arruda rouBa a ceNa

    acerteza da ImpunIdade o maIor estmulo corrupo no brasil. a rigor, os presdios brasileiros esto cheios de criminosos de pele escura, pobres e mi-serveis. rico criminoso no vai para a cadeia. e muito menos os arautos dos crimes de colarinho branco. por esses, as melhores bancas de advogados e mesmo seto-res do Judicirio se degladiam. o problema do brasil a impunidade. enquanto no colocarem os corruptos

    grados na cadeia, nada vai mudar, assegura denis lerrer ro-senfield, filsofo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O caso notrio em 2010 foi o banqueiro daniel dantas. mas existem muito mais. agora, a gangue que tomou conta do governo do dis-

    Foto vaLter Campanato _ aBr

    trito federal, gravada em v-deo, tenta negar a evidncia das imagens e os montes de dinhei-ro socados em meias, cuecas, bolsas e malas. uma reporta-gem no jornal O Globo mostra que cerca de 405 das aes con-tra autoridades no stJ pres-crevem ou caem no limbo as condenaes chegam a 1%.

    a polcia federal tem se desdobrado em investigaes

    deFesa. O governador do distrito Federal, Jos Roberto arruda, fala com jornalistas sobre as denncias de suposto esquema de corrupo no seu governo em 30 de Novembro de 2009 Foto: vaLter Campanato _ aBr

    poltica

    24 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • o governador do distrito Federal acusado pela Polcia Federal de comandar um esquema de corrupo que recebia propina de fornecedores do Governo e repassava, em forma de mensalo, para deputados. Mas nada parece demov-lo de continuar onde est

    arruda rouBa a ceNamas nem sempre seu esforo recompensado. na manh da sexta-feira, 27 de novembro, a pf cumpriu mandados de bus-ca e apreenso em residncia e local de trabalho de 16 pessoas fsicas e jurdicas, com o obje-tivo de coletar provas sobre su-posta distribuio de recursos ilegais base aliada do gover-no do distrito federal. gabine-tes da cmara legislativa e de secretrios do governo do dis-trito federal (gdf), alm de um anexo da residncia oficial do governador, foram os alvos da ao, batizada de operao caixa de pandora.

    o caso foi permeado por deze-nas de vdeos gravados por durval barbosa, ex-secretrio de relaes Institucionais do df, hoje includo no programa de proteo testemu-nha. cada vdeo mostra um banque-te com dinheiro pblico lavado via prestadoras de servio do governo do distrito federal.

    numa cena deprimente, est l o governador Jos roberto arruda, recebendo dinheiro em espcie. ar-ruda, pego em 2001 no escndalo da quebra de sigilo do painel de vota-o do senado, caiu novamente em desgraa. apontado pela polcia federal (pf) como um dos articula-dores do esquema de arrecadao e distribuio de propina a membros da base aliada de seu governo.

    Na meia. outro vdeo mostra o presidente da cmara legislativa do distrito federal (df), deputado Leonardo Prudente (DEM), filmado por durval barbosa rodrigues rece-

    H a disseminao de que corrupo no Brasil um problema moral e que esse problema est na pessoa.

    cLudio WEbEr abramo, diretor-executivo da ONG Transparncia Brasil

    bendo pacotes de dinheiro. pruden-te enche todos os bolsos do palet e, no cabendo mais, ele comea a colocar robustos pacotes de dinhei-ro nas meias. as cenas so chocan-tes e sensibilizam, diz o corregedor do conselho nacional de Justia cnJ, ministro gilson dipp. temos que apurar, no acredito que haja espao para a impunidade, o que pode haver espao para a morosi-dade, faz parte do sistema, informa.

    altamente preocupante o que est acontecendo, se espanta dipp. os fatos de corrupo se desenro-lam um atrs do outro. botar dinhei-ro em cueca, em meia, valise, nem precisa citar mais. a cada dia se nota um episdio diferente e revoltante.

    o escndalo reacendeu o debate sobre reforma poltica. o ministro da secretaria de relaes Institu-cionais da presidncia da repblica, alexandre rocha santos padilha, defende que acontecimentos como as denncias envolvendo o gover-nador Jos roberto arruda (dem), e a planilha secreta da construtora camargo corra revelada na opera-o castelo de areia tornam a refor-ma poltica ainda mais importante. mais do que nunca o tema da re-forma poltica e dos financiamentos das campanhas um tema priorit-rio a ser tratado pelo congresso na-cional, afirma o ministro.

    o presidente do supremo tribu-nal federal stf, ministro gilmar Mendes, defende mudanas no fi-nanciamento de campanhas eleito-rais. Esse modelo de financiamento exclusivamente privado e captado pelos candidatos ou envolvidos propiciador desse modelo [de cor-rupo]. Precisamos refletir sobre esse assunto, ressaltou.

    o senador aloizio mercadante (pt-sp), defende que uma refor-

    a Justia benfica com quem pratica crime contra o patrimnio pblico. No Brasil, difcil a produo de prova de corrupo. o Judicirio no reconhece facilmente uma prova. Uma imagem de algum pegando o dinheiro, como vimos, pode ser desconhecida por um juiz.

    marLon rEiS, juiz, um dos idealizadores da campanha Ficha Limpa e integrante do Movimento de Combate Corrupo Eleitoral

    o cidado refratrio: o que a autoridade pode fazer, ele tambm pode.

    riTa biaSon, cientista poltica da Universidade Estadual Paulista Unesp

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 25www.revistafale.com.br

  • ma poltica profunda instituindo financiamentos pblicos exclusivos s campanhas eleitorais reduziria substancialmente casos de corrup-o como os investigados no distrito federal. claramente o tipo de en-volvimento que no s da poltica. tem gente roubando, na minha vi-so e para isso precisa investigao e cadeia, refora mercadante. agora h uma motivao poltica em vrios casos, que o caixa dois, o finan-ciamento de campanha, e isso ns podemos resolver pelo menos uma parte relevante se fizermos uma re-forma poltica.

    tudo gravado. o escndalo de corrupo no governo do distrito federal comeou a ganhar forma em junho quando o ex-delegado e ento secretrio de relaes Institucionais do gdf, durval barbosa, o ex-delega-do, decidiu contar tudo que sabia ao ministrio pblico de braslia, acos-sado para aliviar penas em decorrn-cia de 32 processos que responde na Justia. assim, por este desvio, veio tona o milionrio esquema de cor-rupo no governo do DF, configura-do no pagamento do mensalo aos deputados da cmara distrital. dur-val entregou s autoridades vdeos de conversas que manteve nos ltimos anos com polticos, empresrios e lo-bistas, nos quais seus interlocutores inclusive arruda recebem dinhei-ro vivo e articulam negociatas.

    a operao caixa de pandora, deflagrada pela Polcia Federal, asse-gura que o governador Jos roberto arruda o principal articulador de um esquema de corrupo envol-vendo integrantes de seu governo, empresas com contratos pblicos e deputados distritais. de acordo com o inqurito, arruda teria recebido di-nheiro de empresas de forma ilegal e usado parte da verba para cooptar parlamentares na cmara legisla-tiva. a polcia federal tem em mos uma srie de vdeos que mostram parlamentares e empresrios rece-bendo maos de dinheiro das mos de durval barbosa.

    por meio de nota, arruda se disse inocente. segundo ele, seu governo foi vtima de um colaborador re-ferindo-se barbosa , que urdiu, de forma capciosa e premeditada, verso mentirosa dos fatos. com informaes das agncias

    poltica

    A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF) Estefnia Viveiros, lidera um movimento que tentatraduzir em resultados prticos toda a indignao do brasiliense em relao aos escndalos de corrupo no Governo do DF e Cmara Distrital. Ela concedeu a seguinte entrevista ao editor lus-srgio santos.

    Fale! Braslia. A Sra. acha que a impunidade o grande estmulo corrupo no Brasil? Por qu?estefnia viveiros. Sim. Se no h punio efetiva, o criminoso se sente livre para praticar atos ilcitos. A corrupo se prolifera porque os corruptos acreditam que sempre sairo ilesos. So raros no Brasil os casos de condenaes por crimes do colarinho branco.

    Fale! Braslia. O que fazer para levar os corruptos priso j que a execrao pblica parece no intimid-los?estefnia viveiros. Em primeiro lugar, no podemos perder a esperana. A participao da sociedade fundamental. Sem

    mobilizao popular no h como cobrar um comportamento tico dos corruptos. Em segundo lugar, so necessrios alguns ajustes na legislao para fazer com que os crimes de corrupo tenham as penas adequadas. Por fim, o Poder Judicirio precisa dar vazo enorme quantidade de processos em tramitao. Chegar Justia hoje simples, o difcil chegar a uma condenao em ltima instncia.

    Fale! Braslia. No caso do governador Arruda qual deveria ser a postura dele neste caso de corrupo documentado em vdeo?estefnia viveiros. O governador Jos Roberto Arruda e o vice-governador Paulo Octvio deveriam se afastar de suas funes para que haja uma investigao e um julgamento com iseno. O que a Ordem dos Advogados do Brasil est pedindo o bsico: que aqueles considerados culpados sejam punidos. Alm disso, que os deputados que feriram o decoro parlamentar percam seus mandatos e, caso isso no ocorra, sejam impedidos de votar no processo de impeachment.

    esteFNia viveiros

    eles deveriam se afastar

    assinei como cidad e como representante de uma entidade que deliberou sobre o caso. a oaB est cumprindo seu dever institucional, pedindo o impeachment do governador e seu vice. o nosso entendimento que o vice-governador tambm passvel de uma ao na Justia.

    ESTEFnia vivEiroS, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF)

    Sem mobilizao popular no h como cobrar um comportamento tico dos corruptos.

    ESTEFnia vivEiroS, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF)

    26 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • Fale! Braslia. Quais as bases da campanha Braslia Limpa?estefnia viveiros. um movimento independente, apartidrio e sem objetivos eleitorais, com a finalidade de limpar Braslia da corrupo. Queremos mobilizar todos os cidados da Capital Federal a participarem

    ativamente dessa luta e dessa forma contribuir para a realizao de eleies limpas, alm de recuperar a imagem da cidade. Pedimos que todos utilizem a cor branca. Pode ser uma roupa, uma fita na antena do carro ou um pano pendurado na janela. simples, porm de um significado

    enorme. A campanha uma parceria entre a Ordem dos Advogados do Brasil, Seo Distrito Federal; a Associao Brasileira de Imprensa (ABI); o Sindicato das Agncias de Propaganda; a Associao dos Docentes da Universidade de Braslia; e o Sindicato dos Publicitrios.

    peLa tica. estefnia Viveiros presidente da Ordem dos advogados do Brasil do distrito Federal (OaB-dF)Foto vaLter Campanato_aBr

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 27www.revistafale.com.br

  • cultura DO DF

    acIdade acompanha estarrecIda a enxurra-da de denncias em udio e vdeo de polticos e em-presrios do df, escondendo propinas, ocultando dinheiro em meias e pastas, pagando e recebendo propina, agora chamada de pedgio. contudo, um rgo que parecia passar ao largo das denn-

    cias, pelo menos da mdia e da opinio pblica, apresenta fortes indcios de corrupo e trfico de influncia, ou seja, gesto voltada a prestigiar amigos em contratos duvidosos: a secretaria de estado da cultura do distrito federal. o secretrio da pasta, silvestre gorgulho, por exemplo, responde a quatro proces-sos, sendo trs aes civis pblicas e um por improbidade administrativa. nes-ses processos, o ministrio pblico do

    DESMONtE NA

    Denncias de corrupo no GDF, disparadas por Durval Barbosa, delator do Mensalo local, agora atingem a Secretaria de Cultura do Distrito Federal, reforando tese de parte da classe artstica de que a pasta vem sofrendo um desmonte sistemtico nos ltimos anos, objetivando a privatizao de alguns setores e o desvio de recursos pblicos. Secretrio titular do rgo, Silvestre Gorgulho j responde a vrios inquritos no TJDFT por improbidade administrativa Por Marcos Linhares, Gabriel Alves e Rafael Oliveira

    distrito federal mpdf, pede que gorgulho perca a funo pblica, fique inele-gvel por oito anos, devolva o dinheiro aos cofres pbli-cos e ainda fique impedido de realizar negcios com o governo por cinco anos.

    seM cOMeNtRiOs. O secretrio de cultura do distrito Federal, silvestre Gorgulho no quis comentar as denncias. Foto antonio Cruz_aBr

    poltica

    28 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • Cultura sem Fundo. uma parce-la significativa dos artistas brasilien-ses vem constantemente realizando protestos e manifestaes contra o desmonte da poltica cultural da cidade, alguns de forma velada, e outros chegando s raias do deses-pero, enjaulando-se em frente aos espaos pblicos sucateados, como ocorreu recentemente em protestos no cine braslia e no conic. a classe artstica, de um modo geral, revolta-se com a falta de clareza dos atos administrativos dos gestores da pas-ta da cultura e com o abandono de conquistas histricas, como o fundo de apoio cultura fac, criado para fomentar a produo cultural local, que sistematicamente atrasa os pagamentos. o repasse referente ao ano de 2008, por exemplo, ain-da no havia sido pago at o fecha-mento desta edio. alm do mais, os gestores do fac so acusados por artista de adotarem critrios duvi-dosos quanto s escolhas dos pro-jetos a serem contemplados, o que

    de certa maneira, tem privilegiado sempre os mesmos empresrios cul-turais. sem contar com os eventos que foram questionados pelo mpdf, por motivos como sobrepreo e falta de clareza nas prestaes de contas, dentre outros fatores.

    o fac foi criado em 1991 e recen-temente passou por modificaes. desde 2008, est atrelado receita corrente lquida do distrito fede-ral, cuja lei determina que os recur-sos destinados ao fundo correspon-dam a 0,3% da receita, um avano e, aparentemente, uma vitria da clas-se artstica da cidade. o fac apoia projetos nas reas de literatura, artes visuais, dana, artes cnicas, msica, cinema, projetos especiais, circo, cultura popular; gesto, pesquisa e capacitao. o acesso aos recursos do fac se d por meio da anlise de propostas pelo conselho de cultura do df, formado por representantes do governo e da sociedade. o fun-do administrado pela secretaria de cultura, por meio do conselho. apesar de tudo funcionar muito bem

    na teoria, na prtica artistas e pro-dutores culturais reclamam do des-respeito e falta de compromisso por parte dos gestores. diversos artistas da capital foram beneficiados com o fac em 2008, mas o dinheiro para realizarem os projetos at o presente momento no saiu. Isso corresponde a cerca de r$ 27 milhes empenha-dos e no pagos, causando uma situ-ao de desespero entre os produto-res que precisam saldar suas dvidas junto aos fornecedores e prestares dos servios executados.

    desrespeito. o mestre de frevo e presidente do centro da cultura po-pular brasileira cepop, h 25 anos em braslia, Jorge marino, dana v-rios ritmos brasileiros e faz diversas apresentaes pelo mundo. em ou-tros pases j me ofereceram cidada-nia e espao fsico para realizar meu trabalho e na cidade que escolhi para viver no sou reconhecido, lamenta o mestre. marino luta h vrios anos para ter um espao fsico na cidade

    pROtestOs. Manifestantes oferecem flor a policiais e so retribudos com violncia. Foto gaBrieL aLves

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 29www.revistafale.com.br

  • onde possa realizar trabalhos so-ciais e culturais. possibilitar cultura para as pessoas preveno, a dana cura, alerta Jorge.

    o descaso foi maior ainda quan-do, por exemplo, no aniversrio de 49 anos de braslia, Jorge marino deu entrada na brasiliatur, agncia de fomento ao turismo do governo do distrito federal, com um proje-to para tambm fazer parte da festa com alegria e cultura brasileira. sem pedir muito marino solicitou r$ 2 mil para a banda e r$ 4 mil para as fantasias , infelizmente, seu pe-dido no foi aprovado. resultado: os artistas locais foram preteridos de maneira inexplicvel e s conse-guiram, no apagar das luzes, alguma participao no evento por terem ido s ruas e protestado. o que vemos uma violncia contra a cultura, re-sume marino.

    os fatos parecem falar por si: nenhum artista local teve espao no palco principal da comemorao, na esplanada dos ministrios. grupos e bandas musicais de outras locali-dades, como os pagodeiros cariocas do sorriso maroto, os mineiros do Jota quest, a global xuxa meneghel, os goianos Jorge & matheus e a can-tora de ax cladia leitte ocuparam os espaos e os cachs. restou aos artistas locais resignarem-se e fazer apresentaes na abandonada torre de tv, dias antes do aniversrio da cidade, o que configura um total des-respeito com a classe artstica local.

    ser que, com tanto descaso com artistas da cidade, a juventude de braslia ainda ter oportunidade de ver surgir novas bandas ou mesmo apreciar canes como aquela que dizia que um telefone muito pouco pra quem ama como louco e mora no plano piloto, do inesquecvel rena-to mattos? ou ainda peas de teatro que alcanaram grande sucesso den-tro e fora do df; grupos de danas de diferentes ritmos e matizes podero surgir em cenrio to rido?

    Justia para quem? de acor-do com alguns artistas ouvidos pela fale! braslia mas que preferiram preservar a identidade, temendo represlias , o secretrio silvestre gorgulho e o chefe de administrao da secretaria de cultura, paulo ce-zar de albuquerque caldas, supos-

    seM espaO.

    O que vemos uma

    violncia contra a cultura,

    Jorge Marino, mestre de

    Frevo e presidente do centro da cultura

    popular Brasileira

    (cepOp), h 25 anos em

    Braslia. Foto gaBrieL aLves

    polticatamente preterem recursos e apoios aos artistas da cidade, assim como os espaos mais nobres, como o teatro nacional cludio santoro.

    aparentemente a cpula diri-gente do rgo da cultura local usa a Justia sob uma tica perversa e inversa: para os amigos, tudo; para os inimigos, a lei. os artistas locais poucos articulados politicamente no entram na dana da ciranda, ou por que no se permitem ser coop-tados, ou por no serem amigos dos gestores. se tudo isto realmente vem ocorrendo dentro da secretaria de cultura do distrito federal, o rgo merece uma investigao rigorosa e uma punio exemplar aos culpados.

    procuradas pela equipe de re-portagem da fale! braslia para dar maiores explicaes, as autoridades acima citadas no foram encontra-das ou no quiseram se pronunciar.

    Ministrio Pblico. silvestre gorgulho e paulo cezar caldas, por sinal, j foram denunciados pelo ministrio publico do df, pela 6 promotoria de Justia de defesa do patrimnio pblico e social, que em junho de 2008, exigiu a devoluo aos cofres pblicos de r$ 138 mil. a irregularidade foi detectada no con-trato de um show sertanejo da dupla csar menotti e fabiano. a denn-cia do ministrio pblico foi contra silvestre gorgulho e paulo cezar de albuquerque caldas. a dupla serta-neja cobrou r$ 120 mil pelo show, contudo, usando a empresa m.a.s. arajo, a secretaria de cultura con-tratou o show da mesma dupla, com uma nota fiscal emitida pela empre-sa mostrando o valor pago pelo gdf de r$ 258 mil. devido a isso, o mi-nistrio pblico pediu que gorgulho e caldas devolvessem os r$ 138 mil aos cofres pblicos, com juros retro-ativos data quando o contrato foi assinado.

    alm disso, o ministrio pblico requereu que ambos perdessem as funes pblicas e tivessem os direi-tos polticos suspensos por oito anos. tudo acabou em pizza. o correge-dor-geral do df, roberto giffoni, tambm citado no recente inqurito do stJ, aparentemente achou uma estratgia para aliviar gorgulho, ao propor um termo de ajustamento de conduta tac, para regularizar

    a contratao de shows e eventos promovidos pela secretaria de cul-tura e pela empresa brasiliense de turismo brasiliatur, que no incio do ano passou a comandar a rea de shows pblicos.

    esses dois rgos do gdf, tam-bm foram duramente questionados pelo mpdf sobre o show da dupla rio negro e solimes e a liberao de recursos pblicos para a realiza-o do carnaval de braslia 2009. o mp alegou que no teria ocorrido uma justificativa convincente sobre a seleo dos artistas e dos preos cobrados e ainda constatou sobre-preo, de acordo com processo n 2008.01.1.076557-7, que tramita na 1 Vara de fazenda pblica do distri-to federal. o curioso deste processo que os intermedirios que vende-ram o show ao gdf, apresentaram supostos contratos falsos ao mp para justificarem o sobrepreo cobrado.

    o processo est correndo com dificuldades no TJDFT, por que, apesar das vrias tentativas de noti-ficar o ru, aquele Tribunal no tem conseguido encontr-lo. gorgulho aparentemente usa de vrios estrata-gemas para driblar os oficiais de jus-tia, num jogo de esconde-esconde: ora tira licena do cargo, ora muda seu local de expediente, e assim vai

    30 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • eles, o ator adeilton lima, encenou um texto chamado um artista da fome, e ficou dentro de uma jaula durante vrias horas na praa zumbi dos palmares no conic, regio cen-tral da capital. para o ator, h um descaso total com a cultura local. no existe poltica, falta gente ca-pacitada para trabalhar com cultura nos rgos pblicos, denuncia.

    no dia 9 de dezembro, membros da sociedade civil fizeram manifes-tao pedindo o impeachment do governador da praa do buriti. cer-ca de 2,5 mil pessoas participaram segundo a polcia militar. os ma-nifestantes acabaram entrando em confronto com a pm em frente ao tribunal de Justia do df. a ca-valaria da pm agiu com violncia, usando bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar a

    conseguindo se esquivar de assinar a intimao. a ltima movimenta-o do processo foi registrada em 23/11/2009, data da expedio do mandado de citao do secretrio de arruda. at o fechamento desta edi-o, os oficiais do TJDFT no haviam encontrado o secretrio para entre-gar-lhe a intimao veja quadro com os processos contra gorgulho tramitando no tJdft. gorgulho, no entanto, parece cada vez mais forta-lecido junto ao governador arruda. colocou estrategicamente o cargo disposio, mas arruda o manteve assim mesmo. o governador parece manter com gorgulho uma relao de terna gratido. Segundo afirmam amigos prximos, o secretrio de cultura do df teria dado abrigo ao ento senador quando do episdio do painel do senado, em 2001. da viria a amizade entre os dois, res-ponsvel, supostamente, pela sobre-vida do secretrio no cargo.

    procurados pela equipe de fale! braslia, as autoridades acima cita-das no quiseram se pronunciar.

    Manifestaes. alm de Jorge Marino, outros artistas ficaram in-dignados com a situao e fizeram vrios manifestos pela cidade. entre

    iNteResse. Rnio Quintas, maestro e membro do Frum de cultura do distrito Federal e entorno. a proprietria do teatro Mapati e atriz, tereza padilha, alega que hoje, muitos artistas no colocam a boca no trombone porque esto entrelaados com o governo. Fotos gaBrieL aLves

    multido. mostraram as patas dos cavalos contra os manifestantes. no faltaram comparaes com as cenas do famoso estudante annimo que enfrentou os tanques de guerra, em 5 de junho de 1989, aps o final do massacre da praa da paz celes-tial. essa a resposta que temos, lamenta o ator adeilton lima, que participava do manifesto.

    Sumiram com projeto. a pro-dutora, dayse hansa, endossa o ar-gumento de lima. ela considera que para muitos artistas o fac a nica forma de viabilizar seus trabalhos. no tem dia certo para o dinheiro sair. muita burocracia e uma coi-sa certa, do jeito que est no d para ficar, completa. A produtora, depois de seis meses pesquisando e escrevendo um projeto sobre a his-tria cultural de braslia desde sua construo, aps dar entrada na bra-sliatur, simplesmente constatou que seu projeto desapareceu dentro do rgo. est cada vez mais difcil fazer cultura na cidade, indigna-se dayse. a produtora lamenta a situ-ao. percebemos que novamente cultura no prioridade. precisamos de uma agenda permanente, assim como tera dia de orquestra no te-

    DEZEMBRO DE 2009 | Fale! | 31www.revistafale.com.br

  • Em junho, durante uma Audincia Pblica realizada no Cine Braslia, a Secretaria de Estado em Planejamento e Gesto divulgou uma verba de R$ 50 mil destinada para a revitalizao de lugares como o Cine Braslia, Museu de Arte de Braslia MAB, o Cine Itapu, no Gama, entre outros. Como contra senso, destinaram verba de R$ 840 mil para a manuteno do Memorial JK, que um espao privado, gerido coincidentemente

    pela mulher do vice-governador, Paulo Octavio, Anna Christina Kubitschek Pereira. O Secretrio de Estado em Planejamento e Gesto, Ricardo Pena, um dos elencados pelo ex-Secretrio de Relaes Institucionais, Durval Barbosa, de participar no esquema de distribuio de propinas. Ele seria dono da empresa Soma, contratada para prestar servios de pesquisa de opinio para o governo.O vice-governador Paulo Octvio no

    foi localizado, em meio crise do maior esquema de corrupo j revelado no Distrito Federal.

    Para melhor anlise, o Cine Braslia foi inaugurado em 1960 e um dos mais importantes espaos culturais da cidade. nesse espao que anualmente realizado um dos principais festivais de cinema do pas: o Festival de Braslia do Cinema Brasileiro, que este ano chegou a sua 42 edio. Visivelmente sucateado pelo tempo, passou

    pelo ltima reforma completa em 1975.

    NOtA DO EDItOR: todos os citados na matria podem procurar a revista e prestar os esclarecimentos que julgarem necessrios. A revista democrtica e est aberta ao contraditrio. No julgamos ningum, apenas levantamos perguntas que precisam de respostas. A sociedade merece. tambm entregaremos cpias da revista ao Ministrio Pblico do Distrito Federal e OAB.

    revitalizao la paulo octavio

    poltica

    Fac-siMiLi. em destaque texto do parecer do Ministrio pblico sobre a contratao da dupla cesar Menotti e Fabiano, em que houve sobrepeo de R$ 138 mil.

    32 | Fale! | DEZEMBRO DE 2009 www.revistafale.com.br

  • ados com o governo. o artista tem que ter liberdade, esse o verdadeiro papel da arte, destaca.

    Frum. o secretrio silvestre gor-gulho, junto com o responsvel pela rea administrativa, paulo cezar de albuquerque caldas, parecem ter conseguido algo indito: a insatisfa-o de todas as reas de cultura do df. grupos se organizam e debatem. movimentos informais se renem. foi criado um movimento de resis-tncia para combater, entre outras coisas, as ms prticas de gesto p-blica da cultura de braslia, denomi-nado de frum de cultura do df e entorno fcdfe.

    Nem no discurso. para o ma-estro e membro do fcdfe, rnio quintas, o distrito federal vive um momento singular em sua histria cultural. a cultura livre e mesmo sem apoio, msicos continuam gra-vando seus discos, atores fazendo peas, diz. quintas explicou que uma empreiteira catalogou todos os discursos do governador do distrito federal, Jos roberto arruda e ele teve o cuidado de ler todos. o go-vernador no falou nenhuma vez em arte e cultura. arruda pode at gostar de arte, parece at que tem um filho msico, mas pelo que se v politicamente no tem interesse ne-nhum, observa.

    correM Na 1. vara da FazeNda pBlica do distrito Federal processo 2009.01.1.102072-0

    Envolve Gorgulho, a Liga das Escolas de Samba de Braslia Liesb e Frederico Augusto Pereira. o valor mal explicado de r$ 4.404.750,00 e refere-se ao Carnaval 2009.

    processo 2008.01.1.076557-7Envolve Gorgulho, Paulo Cezar de Albuquerque Caldas e a

    empresa M A S Arajo. o valor mal explicado de r$ 138 mil e refere-se ao contrato com a dupla Csar Menotti e Fabiano, contratados por r$ 120 mil. a secretaria de cultura pagou r$ 258 mil.

    corre Na 2. vara da FazeNda pBlica do dF processo 2008.01.1.100446-8

    Envolve Gorgulho e a Unio das Escolas de Samba e Bloco de Enredo do DF Uniesb. o valor mal explicado de r$ 2.469.000,00 e refere-se, em sntese, a existncia de irregularidades no convnio cujo objeto foi a realizao do Carnaval das Cidades 2008. Desde 7 de outubro de 2009, j se encontra como conclusos ao juiz para sentena.

    corre Na 8. vara da FazeNda pBlica do dF processo 2008.01.1.103017-9

    Envolve Gorgulho, Paulo Cezar de Albuquerque Caldas e a empresa TOTAL ENTRETENIMENTOS LTDA ME. o valor mal explicado de r$ 98 mil e refere-se ao contrato com a dupla Rio Negro e Solimes, contratados por r$ 100 mil. a secretaria de cultura pagou r$ 198 mil.

    O secretrio de Cultura do DF, Jos Silvestre Gorgulho, responde por vrios processos de improbidade administrativa, todos protocolados pela 6 Promotoria de Justia de Defesa do Patrimnio Pblico e Social, que na figura do promotor, Dr. Albertino de Souza Pereira Netto, tem feito um trabalho digno de nota

    histrico de processos

    Fonte triBunaL De justia Do Distrito FeDeraL

    atro nacional, aproveitar e colocar outros segmentos das artes nos ou-tros dias. por ex