Revista Olhar Sustentavel

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Trabalho desenvolvido para a faculdade.

Text of Revista Olhar Sustentavel

  • Olhar

    ?Reserva particular do patrimnio natural

    ?Micheline Drumond, consultora socioambiental, fala sobre sustentabilidade

    Vestindo o verde nas empresas

    ?Cozinhas mais eficientes com conceito sustentvel

    SustentavelN 0

    Saiba o que fazer para a sua empresaobter um

    certificado

    Tecnologia e SustentabilidadeParceria que traz resultdos

    Energia NuclearUma alternativa realista

  • OlharSustentvel

    De 16 a 20 de agostoCentro de Convenes do Cear

    Fortaleza - CEwww.icid18.org

    Segunda Conferncia Internacional - Clima, Sustentabilidade e Desenvolvimento em Regies Semiridas - ICID 2010

  • OlharSutentvel

    muito comum pensar na natureza apenas emtermosdequantidade.Quantosmilhesdelitrosdeguadoceaindanosrestam,quantasrvoresfaltamcair,quantosmineraispodemosextrair.Esquecemosqueomeioambientefuncionacomoumfiltro;osrecursosqueaTerrapossui sopossveisporquehumcicloconstantedetransformao.A degradao ambiental se assemelha a umaintoxicao alimentar. Quando comemos algoestragado no conseguimos fazer a absoro dedeterminadoselementos.Omesmoocorrecomanatureza.Ela consegue digerir grandeparte dapoluio que causamos e renovar seus recursos,porm esse processo leva tempo. Dependendoda quantidade e da gravidade da destruio, sonecessriasdcadaseoucentenasdeanos.Noritmoemqueestamosentupindoofunilambientalocicloderecomposionoconseguesequercomear.Anossaeconomianod importnciaavarivelnatureza,tratando-acomoumafonteinesgotvelde matria-prima e comportadora de quantidadeinfinita de bens. Um mito fez os demgrafosdarem nfase aos nmeros relativos e no aosabsolutos. Esses mitos fizeram os economistasolharem tambmparaocrescimento relativodosfluxos e no os absolutos. Ningum se importacom o aumento gigantesco de casas e veculosem termos absolutos, apenas com a taxa decrescimento.Focamosemfluxoseemcrescimentorelativo, as variveis econmicas principais sofluxos.Issofrutodomitoqueestcolocandoahumanidadenumarotasuicida,tantodopontode

    vista ecolgico quanto econmico. Disse HugoPenteado,economista-chefedoBancoRealeautordo livro Ecoeconomia: Uma nova abordagem.Os lixes das cidades representam muito bemesta viso. Esto lotados e as iniciativas paraorden-los so apenas paliativas. Tecnologiascomo o fosfogesso, que aceleram o processo dedecomposio de produtos orgnicos atravs desulfetos,novoconseguireliminaroproblema,poisademandado lixograndeecresceacadadia.Oproblemadolixoanlogoatodosasquestesda poluio como emisso de gases txicos econtaminao dos rios. Os produtos da nossasociedade no desaparecem instantaneamente,ignoramosseusdestinos.EmumanosomoscapazesdeproduzirmaisbenseserviosquedesdeoinciodahumanidadeataSegundaGuerraMundial.(idem)precisomudaraconcepodesustentabilidadedentrodasempresas,estudandoaquestoparavisualizarsuaimportnciaimediata. Tratar a questo do desenvolvimentosustentvelapenascomoestratgiaorganizacionaleimagemnovemfuncionandomais,poislderesmundiais,cientistaseeconomistasestolevandosociedadeoproblemaparaserpensado.Osefeitosdapoluiosocadavezmaisconstatadospornsatravsdasmudanasclimticasedoenascausadaspelosgasesdafrotadecarrosdasgrandescidades,indstriasepecuria,almdodesaparecimentodeespciesdepeixedosrios.

    EditorialOreversodamesmamoeda Marcel T. Otsuka

    De 16 a 20 de agosto

    Segunda Conferncia Internacional - Clima, Sustentabilidade e Desenvolvimento em Regies Semiridas - ICID 2010

    LazeRopelatorickCirqueira MarcosAntnioTeixeira

    FernandoLima MarcelOtsuka

  • OlharSustentvel

    Index

    EntrevistaMichelineDrumond 5

    TendnciaCamisasEcolgicasSustentabilidadeLaCarte

    9

    10

    EcologiaUmaflorestanomeuquintal 12

    PolmicaSr.Burns,oviloquepodesalvaromundo

    TecnologiaApertodemos:tecnologiaesustentabilidade 16

    Capa

    Comoobteroseloverde 18

    Artigo:MarcosAntnioTeixeiraLideranaSituacional 21

    14

    ExpedienteDiretoria Geral e Conselho editorialLaze Ropelato

    Gestor Administrativo e FinanceiroLaze Ropelato

    Editor ChefeMarcos Antnio Teixeira

    Especialista em SustentabilidadeJos da Silva

    Gesto de Distribuio, prospeco de anunciantes e Assisnaturas Fernando Lima

    Reprter/Fotgraforick Cirqueira

    Reprter/DiagramadorMarcel Otsuka

    Olhar Sustentavel

    ImpressoGrfica EtcOlhar Sustentvel uma publicao da Editora Atena Ltda.Caixa Postal 72650So Paulo/SPCEP 01429-230E-Mail: editora@atena.com.br

    www.olharsustentavel.com.br

    Conselheiro EditorialHugo Penteado

  • OlharSutentvel

    MichelineDrumondMichelineengenheirademinasformadapelaUFMG,Universi-dadeFederaldeMinasGerais,em000.Em00,setornouespe-cialistaemGestoAmbientaltambmpelaUFMG.TemmestradoemGeotecniaAmbientalaplicadoMineraopelaUFOP,Uni-versidadeFederaldeOuroPreto,em006,almdetercursadooprogramadegestoresponsvelparasustentabilidadepelaFunda-oDomCabral, em009.Trabalhah10 anos emprojetos demineraoemeioambiente,comgrandeexperinciaemlicencia-mentoambientalemempreendimentosdeminerao,siderurgiaeindstria.Atualmente est coordenando projetos socioambientais e de de-senvolvimentosustentveldentrodosprojetosdaempresaHatchConsultoria,emSoPaulo,principalmenteemplantassiderrgicase complexosminerrios,dando suporte asUnidadesdeNegciodoBrasil.Atuadiretamentenosaspectoseimpactosambientaisesociais,gerenciandoriscoseoportunidades,propondotecnologiaslimpasevisandoodesenvolvimentodeprocedimentossustentveisdentrodosprojetos.AlgunsprojetosqueMichelinejparticipou:ValeProjetoAlpaemMarab-Pa,duediligenceAngloAmricaProjetoMinasRio,Nucor-PlantaIntegradaMineroSiderrgica-Corumb/MS,Vo-torantim-ProjetoCobra-PlantaSiderrgicanaColmbia.

    O cenrio da sustentabilidade

    Entrevista

    OlharSustentvel

  • 6 OlharSustentvel

    Qual a importncia, para as empresas, da insero dos conceitos da sustentabilidade em suas atividades? Historicamente focado na obteno de resultados

    financeiros, omundo empresarial comea agora a se

    ver s voltas com cobranas da sociedade quanto ao

    impactodesuasatividades tantonasociedadequanto

    nomeio ambiente. Estamudana de atitude reflete a

    tendnciadoimpactodosconsumidoresnasempresas,

    nosentidodequestion-lassobreseudesempenhopara

    a sustentabilidade e tomar decises de compra que

    refletemseusvalorespessoais.Nososconsumidores

    masosinvestidoresnomundointeirosepreocupamcada

    vezmaiscomasaessociaispraticadaspelasempresas

    nas quais pretendem investir. Segundo Christopher

    Wells,ex-analistadoantigoBancoABNAmroReal,a

    prticavemprovandoqueapreocupaocomatica

    nomaisumaquestoapenasdeconscincia,masde

    lucromaioroumenorparaoinvestidor.

    Voc poderia citar algumas dicas para as empresas que querem aplicar estes conceitos em sua corporao?Asdicasmaissignificativasproporcionadaspelabusca

    efetivapornegciosmaissustentveisso:

    Economizarcustos,reduzindoosimpactosambientais

    e tratando bem os empregados; aumentar a receita,

    promovendo melhorias ambientais e beneficiando a

    economialocal;reduzirriscos,pormeiodoengajamento

    dosstakeholders;melhorarareputao,incrementando

    aeficinciaambiental;desenvolverocapitalhumano,

    comumagestode recursoshumanosmais eficiente;

    facilitar o acesso ao capital, com uma melhor

    governana;criaroutrasoportunidades,promovendoo

    desenvolvimentodacomunidadee lanandoprodutos

    quenoprejudiquemomeioambiente.

    Este , sem dvida, o assunto do momento. Como est o Brasil neste cenrio? Voc acredita que nosso pas ainda est atrasado com relao a outros pases?As economias emergentes tornam-se cada vez mais

    importantes nos negcios. A rpida industrializao

    levou ao crescimento demercados consumidores em

    pasescomoBrasil,Chinaendia.Modeobrabarata,

    progresso nos transportes de carga internacionais,

    facilidadedeextraodemineraisdosubsolosoalguns

    dos fatores que atraem as empresasmultinacionais a

    atuaremnessespases

    Comparando-seasituaodasempresasemmercados

    emergentes, como o Brasil, com as dos pases

    desenvolvidos,observa-seque, enquantoas empresas

    demercadosemergentesestoaindabastante focadas

    emreduodecustoseemaumentodereceitasnocurto

    prazo,asdepasesdesenvolvidostmgrandefocoem

    interessesmais intangveis, comoovalordamarca e

    questes relativas reputao da organizao. Em

    pasesdesenvolvidos,oinvestimentonacomunidadee

    seudesenvolvimentosoencaradoscomoprojetoscom

    custofixo.Jnosmercadosemergentesessesfatoresse

    mostramimportantesparaareduoderiscoseparaa

    prpriacontinuidadedasatividadesdaempresa.

    Voc acha que as Instituies de Ensino do Brasil deveriam conscientizar os jovens com relao a preservao do meio ambiente?Sim.OBrasil,nocontextointernacional,mesmocom

    os avanos observados nas ltimas dcadas, no se

    encontra em posio social favorvel, destacando-

    se por ser muito desigual e estar principalmente em

    posiodeatrasoeducacionalquepodeexigiranospara

    sersuperada.Nsatualmentenosencontramosabaixo

    dasmdiasdeanalfabetismoelongevidademundiais.

    Todo esforo do governo e de instituies relativos

    a educao, principalmente com conscientizao

    socioambiental,fundamental.

    Voc acredita que os empresrios esto mais cientes de seu papel e de suas responsabilidades com a sociedade e o meio ambiente e esto levando isso em considerao nos seus empreendimentos? Diversas iniciativas de empresas brasileiras

    so realizadas buscando o desenvolvimento de

    comunidades vizinhas. As empresas percebem que

    no h como se expandir em um ambiente limitado

    por problemas relacionados sade, educao, gua,

    saneamento.Emmuitoscasos,asempresasconsideram

    odesenvolvimentodacomunidadelocalcomoumfator

    indispensvelparaosucessodeseusnegcios,poisa

    escassez de infra-estrutura e capital humano se torna

    umproblemainsupervel.

    Para tornar uma empresa su