Revista Opiniao Juridica 12 Edt

Embed Size (px)

Text of Revista Opiniao Juridica 12 Edt

  • Ano VIII - n. 12

    2010

    ISSN 1806-0420

  • RevistaOpinio Jurdica

  • Ficha Catalogrfica

    Opinio Jurdica Revista do Curso de Direito da Faculdade Christus - n. 12, ano VIII, 2010

    Faculdade Christus, 2010

    Opinio Jurdica- [n. 12] Fortaleza: Faculdade Christus.[2010]-v.I. Direito

    CDD : 340Dados internacionais de catalogao na publicao (CIP).

  • REVISTAOPINIO JURDICA

    Fortaleza, 2010

    FACULDADE CHRISTUS

  • Opinio JurdicaRevista do Curso de Direito da Faculdade Christus

    n. 12, ano 08, 2010

    DiretorProf. M. Sc. Roberto de Carvalho Rocha

    MantenedorEstevo de Carvalho Rocha

    Coordenadora-Geral do Curso de DireitoProfa. M. Sc. Gabrielle Bezerra Sales

    Coordenadora de Pesquisa e Monografia do Curso de DireitoProfa. M. Sc. Gretha Leite

    Editora-Responsvel pela Revista Opinio JurdicaProfa. Dra. Fayga Silveira Bed

    Comisso EditorialProf. M. Sc. Roberto de Carvalho Rocha

    Profa. M. Sc. Gabrielle Bezerra SalesProfa. Dra. Fayga Silveira Bed

    Profa. Dra. Cludia Sousa LeitoProfa. M. Sc. Gretha Leite Maia

    Prof. Dr. Etienne Picard (Paris I - Sorbonne)Prof. Dr. Joo Maurcio Adeodato (UFPE)

    Prof. Dr. Friedrich Mller (Universidade de Heidelberg - Alemanha)Prof. Dr. Paulo Bonavides (UFC)

    Prof. Dr. Willis Santiago Guerra Filho (UNIRIO)Prof. Dr. Horcio Wanderlei Rodrigues (UFSC)Prof. Dr. Roberto da Silva Fragale Filho (UFF)

    Prof. Dr. Joo Lus Nogueira Matias (UFC)

    BibliotecriaTusnelda Maria Barbosa

    CapaIvina Lima Verde

    Coordenao de DesignJonatas Barros (John)

    Programao Visual / DiagramaoDaniel Veras / Juscelino Guilherme

    CorrespondnciaFaculdade Christus

    Coordenao-Geral do Curso de DireitoAvenida Dom Lus, 911 5 andar

    Aldeota CEP 60.160-230Fortaleza Cear

    Telefone: (0**85) 3461.2020e-mail: revistaopiniaojuridica@gmail.com

    ImpressoGrfica e Editora LCR Ltda.

    Rua Israel Bezerra, 633 - Dionsio TorresCEP 60.135-460 - Fortaleza Cear

    Telefone: (0**85) 3272.7844 - Fax: (0**85) 3272.6069Site: www.graficalcr.com.br e-mail: atendimento01@graficalcr.com.br

    Tiragem mnima400 exemplares

  • APRESENTAO

    A Revista Opinio Jurdica chega ao seu dcimo segundo nmero, cumprindo rigorosamente os critrios do Programa Qualis, da CAPES. Para essa edio, primeira do trinio 2010/2012, reservamos 18 artigos, cujos temas de indiscutvel relevncia esto abraados por nossas linhas de pesquisa. Contamos com 6 trabalhos oriundos de outros Estados ou Pases, o que contabiliza 1/3 de exogenia da produo. Nesse sentido, destacamos as contribuies de Fredie Didier Jr. (BA) e Trsis Cerqueira (BA), na dou-trina nacional. No mbito da doutrina estrangeira, destaques para os artigos portugueses de Paulo Ferreira da Cunha, Carla Amado Gomes e Luis Carlos Batista, bem como para o artigo de Fabrice Bin (Frana).

    Nesse sentido, o sistema de dplice avaliao cega foi amplamente adotado. exceo de 16,66% de autores convidados, 15 trabalhos foram submetidos ao crivo de 30 pareceristas cegos, sendo 14 do Cear e 16 de outros seis Estados da Federao (SC/ PR/RS/SP/MA/BA). Desse modo, atingimos o patamar de mais de 50% de exogenia, no contexto de um amplo quadro de colaboradores. Quando o mesmo artigo foi avaliado por mais de dois pareceristas, acolhemos a posio predominante.

    Como estvamos com o peridico ainda em atraso, os pilotis dessa edi-ficante tarefa de atualizao da Opinio Jurdica foram, indene de dvidas: a pontualidade, a diligncia, a eficcia e o esprito de colaborao acadmica de nosso quadro de avaliadores. Pedra angular dessa vitria: a eles devemos a con-quista da tempestividade, nesse maro de 2011, to prenhe de promessas, em que nos colocamos, novamente, no caminho da requalificao junto CAPES.

    Agradecemos imensamente a todos os professores da casa, que per-manecem sonhando e dividindo conosco o brilho de sua expertise. So eles: Christianny Digenes Maia, Clovis Renato Costa Farias, Jnio Pereira da Cunha, Juraci Mouro Lopes Filho, Nagibe de Melo Jorge Neto e Trcio Arago Brilhante. Registramos, ainda, as preciosas contribuies de: Daniel Viana Teixeira; Elisianne Campos de Melo Soares e Geovana Maria Cartaxo de Arruda Freire; e Nathalie Carvalho Cndido.

    Nossos agradecimentos aos estudantes e professores que se lanaram na desafiadora tarefa de construir conhecimento de forma democrtica e coope-rativa. So eles: Fayga Silveira Bed, Carla Marques Digenes, Valria Alves de Lima, Rebeca Guerreiro e Juliane Pires Morais; Germana Parente Neiva Belchior e Mirna Jacinto Moura; Gretha Leite Maia e Victor Menezes Barros. So co-autores em artigos suscitados pelos programas de iniciao cientfica, monitoria e grupos de estudo promovidos pela Faculdade Christus. A Revista

  • Opinio Jurdica tm a honra de constituir um dos espaos de divulgao dos resultados desses projetos. Culminando esse cardpio de possibilidades intelecti-vas e imaginativas, temos a charmosa entrevista com o jurista cearense Martnio MontAlverne Barreto Lima, prestada a Trcio Arago Brilhante.

    Como no poderia deixar de ser, registramos nossa gratido pelo apoio incondicional de Paulo Henrique Portela (elaborao e reviso de abstracts), Stela Mrcia Vasconcellos (formatao); Daniel Veras (diagramao) e pelo apoio institucional de Estevo de Carvalho Rocha, Vnia Costa e Tusnelda Barbosa.

    Por fim, agradecimentos especiais a Trcio Arago Brilhante, Germana Parente Neiva Belchior e Rodrigo Saraiva Marinho, pelo auxlio luxuoso que prestaram, renovadamente, ao sucesso da Opinio Jurdica.

    E so tantos e tanto, a agradecermos, que seria necessria outra revista para bem faz-lo.

    Finalmente, estamos em dia. Na ordem do dia.Divirtam-se.

    GABRIELLE BEZERRA SALESCoordenadora-Geral do Curso de Direito da Faculdade Christus

    FAYGA SILVEIRA BED

    Editora-Responsvel pela Revista Opinio Jurdica

  • SUMRIO

    APRESENTAO

    PRIMEIRA PARTE DOUTRINA NACIONAL

    Assessoria jurdica popular e acesso justia .....................................................9Christianny Digenes Maia

    O papel dos movimentos sociais como ferramenta de justia e emancipao social: um dilogo entre Boaventura de Sousa Santos e Zygmunt Bauman ..................28Clovis Renato Costa Farias

    Democracia sob a tica capitalista ....................................................................49Daniel Viana Teixeira Transformaes dos direitos autorais face s novas tecnologias ........................79Elisianne Campos de Melo Soares e Geovana Maria Cartaxo de Arruda Freire

    Disciplinas propeduticas no contexto de um ensino jurdico ps-moderno: desafios e solues ....................................................................................98Fayga Silveira Bed, Carla Marques Digenes, Valria Alves de Lima, Rebeca Guerreiro e Juliane Pires Morais

    Clusulas gerais processuais ...........................................................................118Fredie Didier Jr.

    Os desafios do magistrado no ps-positivismo a partir dos fundamentos filosficos da hermenutica .............................................................................................131Germana Parente Neiva Belchior e Mirna Jacinto Moura

    A experincia do oramento participativo no municpio de Fortaleza .............156Gretha Leite Maia e Victor Menezes Barros

    As smulas de jurisprudncia e o prazo da priso cautelar: uma questo de (in)constitucionalidade ................................................................................170Jnio Pereira da Cunha

    A democracia na administrao pblica e no Direito Administrativo brasileiro ...190Juraci Mouro Lopes Filho

  • Estado e direito no pensamento de Hans Kelsen ............................................210Nagibe de Melo Jorge Neto

    O direito ao conhecimento da origem gentica e as tcnicas de reproduo medicamente assistida heterloga .......................................................................................... 220Nathalie Carvalho Cndido

    Acesso justia. Novssima reflexo luz dos processos repetitivos ...............242Trsis Silva de Cerqueira

    O preenchimento dos conceitos indeterminados nos tipos disciplinares: consideraes sobre uniformizao, regime de sujeio especial e discricionariedade .............. 259Trcio Arago Brilhante

    SEGUNDA PARTE DOUTRINA ESTRANGEIRA

    The (green) heart of the matter: a vertente procedimental da tutela do ambiente e a reviso da lei de bases do ambiente ..............................................................273Carla Amado Gomes

    La charte constitutionnelle de lenvironnement devant les juges constitutionnels et administratifs franais ................................................................................287Fabrice Bin

    O direito subjectivo ao ambiente: um artifcio legislativo e jurisdicional ........308Luis Carlos Batista

    O avesso dos direitos humanos para uma histria pensada da escravatura ......330Paulo Ferreira da Cunha

    TERCEIRA PARTE ENTREVISTA

    Com Martnio MontAlverne Barreto Lima ................................................346Por Trcio Arago Brilhante

    NORMAS DE PUBLICAO .......................................................................355

  • R E V I S T A O P I N I O J U R D I C A 9

    ASSESSORIA JURDICA POPULAR E ACESSO JUSTIA

    Christianny Digenes Maia*

    RESUMOAtualmente, a idia de acesso justia significa mais do que o acesso formal ao Judicirio, compreendendo o direito a um processo jurisdicional justo e efetivo, que garanta a todos a tu-tela de seus direitos. No Brasil, a Constituio Federal de 1988 acolheu esse novo conceito de acesso justia, demonstrando uma preocupao com a criao de um acesso igualitrio e efi-ciente para todos, atravs de um sistema jurdico mais moderno, prevendo um conju