Rh nocoes de adm rh

  • Published on
    18-Dec-2014

  • View
    22.253

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

<ul><li> 1. Noes de Administrao de Recursos Humanos Prof: Andria Ribas Email: rh_andreiaribas@hotmail.com 1 </li> <li> 2. Conceito de Administrao de RH Constitui uma especializao tcnica amplamente desenvolvida de forma a enfocar a relao homem/trabalho. RH - Capital humano das organizaes No adiantaria uma empresa ter um alto poder de recursos financeiros e materiais se no dispusesse de pessoas capazes de proporcionar ativao e aplicao desses recursos. 2 </li> <li> 3. uma rea interdisciplinar e envolve conceitos de psicologia, sociologia, antropologia, engenharia industrial, direito do trabalho, etc. ARH - Responsabilidade de linha e de Staff INSTITUICIONAL: Diretor DEPARTAMENTAL: Chefe de cada setor A Administrao de Recursos Humanos uma responsabilidade de linha, isto , de cada chefe em relao a seus subordinados. 3 </li> <li> 4. PLANEJAMENTO ESTRATGICO ORGANIZACIONAL PLANEJAMENTO ESTRATGICO DE RH 4 </li> <li> 5. Planejamento estratgico de RH Misso da Organizao Objetivos Organizacionais Planejamento de RH Expanso Ajustamento Mudana Enxugamento novas adequao inovao reduo admisses ao mercado criatividade de pessoal 5 </li> <li> 6. SISTEMA DE RH: Subsitemas Captao ou proviso (Planejamento de RH recrutamento e seleo) Aplicao (Programa de integrao dos novos membros na organizao, Desenho de cargo, descrio e anlise de cargos, avaliao de desempenho) Manuteno: (Remunerao, benefcios, higiene e segurana no trabalho, relaes sindicais) Desenvolvimento (T&amp;D e DO) Monitoramento (Banco de dados e auditoria) 6 </li> <li> 7. CESPE/UNB TST/2008 Analista Judicirio ( ) Um sistema de recursos humanos compreende os subsistemas de captao, aplicao, recompensa, desenvolvimento, manuteno e monitoramento de pessoas na organizao. OBS: Questo anulada. RECOMPENSA, ou seja, compensao (remunerao) e benefcios sociais passam a integrar o Subsistema de Manuteno de pessoas. (Recursos Humanos O Capital Humano das Organizaes Idalberto Chiavenato, Atlas, 2006) 7 </li> <li> 8. Interesses pessoais versus Interesses organizacionais Quase sempre os interesses organizacionais e os interesses pessoais so antagnicos entre si: So organizacionais: a reduo de custos, maior produtividade, para uma maior participao no mercado, maior dedicao por parte do funcionrio, etc. So objetivos pessoais: melhor remunerao, segurana no emprego, melhores benefcios sociais, melhor qualidade de vida, etc 8 </li> <li> 9. Interesses individuais x interesses organizacionais Uma das formas de minimizar os conflitos (pessoais x organizao) a de motivar os funcionrios Segundo as modernas teorias de motivao, o que satisfaz e motiva os funcionrios a satisfao de suas necessidades internas. 9 </li> <li> 10. MOTIVAO Motivao tudo aquilo que impulsiona a pessoa a agir de alguma forma; O impulso ao pode ser: estmulo interno (pensar ou sentir) ou estmulo externo (provindo do ambiente) O comportamento humano: causado (tanto a hereditariedade como o meio ambiente influenciam o comportamento), motivado (existe um desejo, impulso, necessidade) e orientado para objetivos (dirigido para algum objetivo) 10 </li> <li> 11. CICLO MOTIVACIONAL Comea com uma necessidade: uma fora dinmica e persistente que provoca o comportamento ETAPAS DO CICLO MOTIVACIONAL necessidade tenso ao satisfao equilbrio interno A satisfao das necessidades temporal e passageira, ou seja, a motivao humana cclica 11 </li> <li> 12. Teorias motivacionais de: Maslow, Skinner, Vromm, Herzberg: A diferena entre necessidade e motivao, Teoria do Reforo Comportamental Teoria da Expectncia Teoria dos Dois Fatores 12 </li> <li> 13. Os Fatores Motivadores, segundo Maslow Tipos de Necessidades Auto O desejo dos indivduos de renovar e reciclar Realizao seu potencial; tornar-se cada vez mais o que cada um seria capaz de ser. Secundrias O sentimento das pessoas de sentirem-se valorizadas Estima pelos que as rodeiam; sua auto-estima; o desejo de sentir-se importante, competente e valorizado. A necessidade endgena de amar e ser amado, ter Social amizade, vnculos familiares, intimidade etc. A contrapartida da insegurana natural das pessoas; estabilidade, Primrias Segurana proteo, livre do perigo; um abrigo; uma estrutura, uma ordem etc. Fisiolgicas So necessidades fsicas como; sexo, bebida, comida sono etc. 13 </li> <li> 14. Teoria do reforo comportamental de Skinner O trabalhador que experimenta o sucesso aps assumir uma atitude tende a repetir aquela atitude, na espera de um novo sucesso. Um comportamento recompensado tende a ser repetido 14 </li> <li> 15. O Modelo de Expectncia de Vromm Segundo Vromm, o comportamento humano sempre orientado para resultados: as pessoas fazem coisas esperando sempre outras em troca. Segundo o modelo desses autores, h duas variveis que determinam a motivao. o valor da recompensa; o que se espera como recompensa. 15 </li> <li> 16. Teoria dos Dois Fatores de Herzberg O desempenho das pessoas afetado pelas condies de trabalho e pelo prprio trabalho. Fatores higinicos (ambiente fsico, remunerao, e polticas, etc) (Refere-se as condies que rodeiam a pessoa que trabalha) Fatores motivacionais (oportunidade de aprendizagem, possibilidade de realizao, promoo, reconhecimento, etc) 16 (Refere-se ao cargo em si) </li> <li> 17. CLIMA ORGANIZACIONAL O conceito de motivao no nvel individual conduz ao de clima organizacional. Clima organizacional est intimamente relacionado com o grau de motivao dos membros de uma empresa. Elevada motivao: satisfao, interesse e colaborao,etc. Baixa motivao: insatisfao, desinteresse e apatia, inconformidade, etc. (greves) 17 </li> <li> 18. CLIMA ORGANIZACIONAL A QUALIDADE OU PROPRIEDADE DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL QUE: percebida ou experimentada pelos membros da organizao; e Influencia o seu comportamento. Favorvel: proporciona satisfao das necessidades pessoais Desfavorvel: proporciona frustrao das necessidades pessoais 18 </li> <li> 19. CLIMA DESFAVORVEL FAVORVEL RIGIDEZ MUTABILIDADE SUPERIORIDADE / INFERIORIDADE IGUALDADE SUBJETIVIDADE OBJETIVIDADE SUBTERFGIOS ESPONTANEIDADE FRIEZA EMPATIA 19 19 </li> <li> 20. Aes que o RH pode adotar para melhor o Clima Organizacional Negociao entre os subordinados e a direo da organizao buscando conciliar as metas organizacionais com os interesses individuais; Implantar um processo participativo que possibilite aos empregados exporem o que sentem e proporem solues para melhorar o clima organizacional 20 </li> <li> 21. CESPE/UNB Polcia Federal Com relao a administrao de RH, julgue o item abaixo: ( )Pessoas mais motivadas intrinsecamente tendem a estar mais comprometidas com o trabalho e a estabelecer relao mais profunda com a organizao e com as pessoas que a compe. 21 </li> <li> 22. COMUNICAO As pessoas no vivem isoladas nem so auto-suficientes. Elas se relacionam continuamente com outras pessoas ou com seus ambientes por meio da COMUNICAO 22 </li> <li> 23. Conceito o processo mediante o qual um emissor transmite uma mensagem por meio de um canal para um receptor. David K. Berlo 23 </li> <li> 24. Elementos da comunicao Emissor Quem fala Receptor- Que recebe/ouve Canal Meio pelo qual a mensagem transmitida Mensagem Contedo especfico / cdigo 24 </li> <li> 25. 25 </li> <li> 26. 26 </li> <li> 27. PERCEPO SELETIVA um processo que aparece na comunicao, pois os receptores vem e ouvem seletivamente com base em suas necessidades, experincias, formao, interesses, valores, etc. 27 </li> <li> 28. PERCEPO SOCIAL o meio pelo qual a pessoa forma impresses de uma outra na esperana de compreend-la. A empatia o meio pelo qual a pessoa consegue desenvolver impresses acuradas, a respeito dos outros. 28 </li> <li> 29. A percepo social influenciada por: Esteretipos (distores na percepo da pessoas) Generalizaes: (halo effect): o processo pelo qual um a impresso geral (favorvel ou no) influencia o julgamento e avaliao de outros traos especficos das pessoas. Projeo: um mecanismo de defesa julgar os outros como a si mesmo. 29 </li> <li> 30. Barreiras Comunicao: Distorcer o que vemos ou ouvimos de acordo com nossas necessidades e experincias; A incapacidade e a falta de habilidade em ouvir. Ouvimos apenas o que queremos; Resistncia a mudanas, rejeitamos novas idias; Julgamentos e preconceitos; clima organizacional; Como se percebe os fatos, dificuldades de percepo social; (problema Semntico- cincia dos Vocabulrio...</li></ul>