ROGÉRIO MENEZES 43 PREFEITO- Prof. Gustavo Merlo- Vice ...· ROGÉRIO MENEZES 43 PREFEITO- Prof

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ROGÉRIO MENEZES 43 PREFEITO- Prof. Gustavo Merlo- Vice ...· ROGÉRIO MENEZES 43 PREFEITO- Prof

PLANO DE GOVERNO CAMPINAS PODE MUITO MAIS

ROGRIO MENEZES 43 PREFEITO- Prof. Gustavo Merlo- Vice

PARTIDO VERDE CAMPINAS - 2012

Este plano antes de tudo uma contribuio do PV para o processo poltico atual e a cidade de Campinas,

tendo envolvido em sua elaborao pr-candidatos a vereana, filiados, simpatizantes, especialistas, cidados

preocupados em organizar ideias, propostas e metas factveis que contribuam para qualificar o debate sobre uma

cidade mais justa, moderna, inteligente e sustentvel e que, com ideias inovadoras, possa estar preparada para um

novo ciclo de desenvolvimento e para as oportunidades que a transio para a economia de baixa intensidade de

carbono nos oferecer nas prximas dcadas do sculo XXI.

Por motivos apenas didticos as informaes que compem o diagnstico esto dispostas em itens e as

propostas e metas agrupadas em trs eixos. So as limitaes do mtodo cartesiano, porm necessrio para

organizar os contedos. Na prtica, acreditamos que a boa gesto pblica, qualificada, transparente, eficiente, justa,

inovadora e moderna deve buscar permanentemente a integrao transversal das polticas setoriais, numa viso

ampliada, holstica, matricial e integrada dos problemas e solues.

A cidade pode ser comparada a um organismo vivo, complexo e dinmico. Assim, a viso do

ecodesenvolvimento pode e deve permear todas as polticas setoriais, sempre com o foco na qualidade de vida das

pessoas, na busca permanente da reduo de conflitos sociais e com objetivo de proporcionar um desenvolvimento

scio-econmico-ambiental inclusivo. As propostas contidas nos trs eixos esto obrigatoriamente interligadas. O

saneamento reduz o risco das pessoas adoecerem, que assim aprendem melhor nas escolas. As atividades culturais

e esportivas melhoram as condies de vida e previnem doenas. A recuperao ambiental pode ser fonte de novos

empregos e a economia pode avanar com ganhos de eficincia no uso dos recursos naturais e responsabilidade

social-ambiental.

O conceito de Cidades Inteligentes outro aspecto central na viso de futuro do Partido Verde para

Campinas. A maioria das pessoas j vive em cidades e cada vez mais esta a tendncia. Faz-se necessrio para administrar com eficincia e racionalidade esta complexa rede de pessoas, demandas, servios e infraestruturas

utilizar as tecnologias mais avanadas para dotar a cidade de capacidade de analisar dados, antecipar problemas e

orientar a aplicao dos recursos, em especial em reas como segurana pblica, transporte eficiente e mobilidade,

sade, acessibilidade e incluso, participao social e democracia direta, entre outras. Os tomadores de decises

devem utilizar sistema integrado de informaes e indicadores que os ajudem a antecipar problemas ao invs da

atual postura reativa e assim gerenciar o desenvolvimento urbano em bases modernas e sustentveis, com melhoria

progressiva da qualidade de vida das pessoas.

Acrescenta-se que a gerao de novos empregos e renda depender no sculo XXI do apoio ao

desenvolvimento das atividades que integram a chamada Economia Criativa (nas reas culturais, de moda,

eventos, games e animao, entre outras), como muito bem sublinhado e defendido por Fabio Feldmann e Rogrio

Menezes, ento candidato a vice-governador do Estado de So Paulo, nas eleies 2010.

Campinas tem condies privilegiadas em termos de capital humano, pesquisa e tecnologia, de localizao,

aspectos logsticos e dinamismo econmico, para liderar a travessia que j est em curso e se consolidar como a

Capital do Desenvolvimento Sustentvel, contribuindo para uma nova sntese e na vanguarda, como alis sempre

esteve, do desenvolvimento do pas.

DESCRIO DA CIDADE DE CAMPINAS

1. Caractersticas Gerais

Em poucos dias, em 14 de julho de 2012 Campinas completa 238 anos (170 aps emancipao em 1842),

ocupando rea de 795.697 km, sendo que 238.323 km esto em permetro urbano e os 557.334 km restantes

constituem a zona rural. A populao campineira foi estimada em 2011 em 1.088.611 habitantes pelo IBGE, tendo

sido considerado em 2010 o terceiro municpio mais populoso de So Paulo, ficando atrs somente de Guarulhos e

da Capital e na 14 colocao em populao considerando-se todos os municpios do Brasil.

A temperatura mdia anual de 22,4C, com predomnio da Mata Atlntica como vegetao original e a segunda

maior rea de Mata Atlntica urbana do Brasil, a Mata de Santa Genebra. Com taxa de urbanizao da ordem de

98%, o municpio contava em 2009 com 373 estabelecimentos de sade. O ndice de Desenvolvimento Humano

(IDH) de Campinas 0,852, um valor elevado em relao aos ndices de todos os municpios do pas, sendo o stimo

maior do estado. Campinas integra o Complexo Metropolitano Expandido, o qual ultrapassa os 29 milhes de

habitantes, representando cerca de 75% da populao do Estado de So Paulo. As regies metropolitanas de

Campinas e de So Paulo atualmente compem a primeira macrometrpole do hemisfrio sul.

Campinas foi fundada em 1774. Entre o final do sculo XVIII e o comeo do sculo XX, a cidade concentrava

principalmente na produo de caf e de cana-de-acar suas atividades econmicas. Entretanto, a partir da dcada

de 1930, a indstria e o comrcio desenvolveram-se muito e so as principais reas de produo do municpio, que

considerado um dos principais polos industriais de So Paulo. Atualmente est dividida para fins de zoneamento em

9 macrozonas. So quatro distritos, alm da sede, sendo ainda subdividida em 14 administraes regionais, cinco

regies e dezenas de bairros.

Campinas a dcima cidade mais rica do Brasil, sendo responsvel por pelo menos 15% de toda a produo

cientfica nacional, alm de representar o terceiro maior polo de pesquisa e desenvolvimento do pas. Destaca-se

pela rea de Cincia e Tecnologia (C&T), possuindo importante concentrao de instituies de Pesquisa e

Desenvolvimento (P&D), bem como Parques Cientficos e Tecnolgicos, tais como: Fundao Centro Tecnolgico da

Informao Renato Archer CTI; Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM); Centro de

Pesquisa e Desenvolvimento CPqD; Companhia de Desenvolvimento Tecnolgico Codetec; Instituto Agronmico

de Campinas IAC; Instituto Tecnolgico de AlimentosITAL; Laboratrio Nacional de Luz Sncroton LNLS;

Embrapa Informtica Agropecuria e Embrapa Monitoramento por Satlite; Coordenadoria de Assistncia Tcnica

Integral CATI; e Instituto de Zootecnia.

Tambm se destaca pela formao de recursos humanos e por gerao de inovaes tecnolgicas, com

participao de instituies de ensino superior como, por exemplo, a Universidade Estadual de Campinas

(UNICAMP), a Pontifcia Universidade Catlica de Campinas (PUCCAMP), a Universidade Presbiteriana Mackenzie

(MACKENZIE), a Faculdade de Campinas (FACAMP), dentre outras, alm da contribuio de Instituies de Ensino

Tcnico, como o Colgio Tcnico de Campinas (COTUCA) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP),

Escola Tcnica Estadual Conselheiro Antnio Prado (ETECAP), Escola Tcnica Estadual Bento Quirino (ETEC

Bento Quirino), vinculada ao Centro Paula Souza, Escola Tcnica de Campinas (ETEC So Jos), dentre outras.

Alm disso, Campinas apresenta diversos atrativos tursticos, com valor histrico, cultural ou cientfico, como

museus, parques e teatros. A Orquestra Sinfnica Municipal de Campinas, fundada em 1974, uma das mais

importantes do pas.

2. Anlise da Vocao de Campinas

Desde 1998, Campinas vem atravessando uma importante mudana na sua base econmica: com diminuio

relativa da importncia do setor industrial, tendo ocorrido a migrao de fbricas para cidades vizinhas ou para outras

regies do pas, e maior destaque para o setor de servios, como o comrcio, a pesquisa, servios de alta tecnologia

e empresas na rea de logstica.

A partir de 2000, graas a investimentos pblicos e privados, a cidade tem se aproximado mais de seu equilbrio

econmico e social, tornando-se na Regio Metropolitana de Campinas um municpio mais competitivo. A criao de

leis de incentivos para empresas e obras de ampliao da Rodovia dos Bandeirantes, cujo trajeto atravessa o

municpio, trouxe novas possibilidades de desenvolvimento. A ampliao prevista do aeroporto de Viracopos refora

a tendncia e acrescenta novos desafios quanto ao planejamento urbano e o atendimento das demandas por

servios que sero ampliadas.

Campinas atualmente representa a principal fora econmica da Regio Metropolitana de Campinas,

apresentando boa qualidade de vida, comprovada pelos seus ndices de Desenvolvimento Humano (IDH),

desemprego e violncia, os quais ainda se mantm baixos quando comparados s cidades vizinhas, mas ainda com

dficits importantes em habitao, saneamento e qualidade de servios pblicos. No municpio se encontram

modernos parques industriais e tecnolgicos e renomadas instituies de ensino superior e tcnico no cenrio

nacional, um potencial diferencial para uma gesto pblica mais eficiente e qualificada.

3. Regio Metropolitana de Campinas

O municpio de Campinas fica localizado a 225421 de latitude sul e 470339 de longitude oeste e est a uma

distncia de 96 quilmetros a noroeste da capital paulista. Encontram-se entre seus municpios limtrofes: Paulnia,

Jaguarina e Pedreira, a norte; Morungaba, Itatiba e Valinhos, a leste; Itupeva, Indaiatuba e Monte Mor, a sul; e

Horto