Rosana Fachada

  • View
    42

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

PSICOMOTRICIDADE. “Acreditar no que se faz é a chave mestra para o bom exito de qualquer atividade”. Rosana Fachada. Do ato ao pensamento passando pelo sentimento. Ao explorar ao reconhecer tudo que a cerca, a criança os vai interagindo: Multisensorialmente; Neurofuncionalmente, - PowerPoint PPT Presentation

Text of Rosana Fachada

Apresentao do PowerPoint

Rosana FachadaPSICOMOTRICIDADE

Acreditar no que se faz a chave

mestra para o bom exito de qualquer atividade

111Do ato ao pensamento passando pelo sentimentoAo explorar ao reconhecer tudo que a cerca, a criana os vai interagindo: Multisensorialmente; Neurofuncionalmente, Edificando e Organizando a linguagem como o verdadeiro instrumento de expresso do pensamento e do sentimento.

222Confirmando uma aprendizagemque emerge da Ao `a Emoo, do Atoao pensamento e do gesto `a palavra.

333Aprendizagem:

um tipo particular de adaptao, consistindo numa alterao durvel da resposta como consequncia da prtica.A aprendizagem requer condies bsicas do organismo para que possa ocorrer.A aprendizagem uma aquisio de competncias devida prtica, mesmo que no se exprima numa melhor performance.

44Filogenia

Peixe rptil;

Mamfero;

Primata;

Ontogenia

Feto- recm-nascido;

10 meses;

12-24 meses;

Estgio do Desenvolvimento Humano

Neuromotricidade- hipotonia axial;Hipertonia das extremidades;Reptacao ventral

Tonico-Motricidade Quadrupedia;Simetria Funcional; Bimanualidade.

Sensrio-motricidade- controle postural; seguranca gravitacional; Lateralizacao funcional; Independencia do Polegar.

5555Filogenia/Ontogenia

Homem - 6 anos;

Homem- Adolescente

Estgio do Desenvolvimento Humano

Perceptivo-Motricidade- desenvolvimento da locomocao; dextralidade; assimetria funcional; Especializacao hemisferica, somatognosia

Psicomotricidade- Desenvolvimento Prxico; melodia cintica; Planificacao Motora; Maturidade Sociomotora666 SOCIOGENESE

A estrutura do organismo no determina seu comportamento, sua ocorrncia depende da interao entre o organismo que se comporta e seu ambiente... S o organismo, sem a interao com o ambiente ou o contrario, insuficiente para explicarmos qualquer comportamento e ou aprendizagem.

77Rosana FachadaPSICOMOTRICIDADECincia psicopedaggica que procura estudar o homem, atravs do corpo em movimento e entender todas as relaes que ele faz consigo mesmo e com o mundo externo

S.B.P (Lapierre,1984)

888Rosana FachadaCAMPO DE ATUAOEDUCAO- Psicomotricidade Funcional Psicomotricidade Relacional

REEDUCAO

TERAPIA

999Rosana FachadaREEDUCAO PSICOMOTORALe Camus ( apud - Guilmain, 1986) a trs propsitos principais: reeducar a atividade tnica ( com exerccios de atitude, de equilbrio e de mmica); melhorar a atividade de relao ( com exerccios de dissociao e de coordenao motora com apoio ldico); desenvolver o controle motor ( com exerccios de inibio para os instveis e de desinibio para os emotivos)

101010Rosana FachadaEducao PsicomotoraPsicomotricidade Funcional: baseia-se no desenvolvimento psicomotriz a partir de bases tericas de neuroanatomia funcional- processos de maturao.O desenvolvimento da sesso de psicomotricidade funcional estruturado de forma que o aluno imite os modelos de exerccios pr-programados, dentro do S.P.H e as valncias fsicas, ajudando aos alunos que apresentavam dificuldades escolares ( dislxicos, disgrficos, agitados).

111111

Aprendizagem Motora: Treinamento especfico1212Rosana FachadaPsicomotricidade RelacionalFundamenta-se nos aspectos psicanalticos da relao adulto com a criana.Em psicomotricidade relacional a tarefa do psicomotricista o de descobrir o tema sobre o qual o corpo est espontaneamente expressando. Utiliza-se do brincar como elemento motivador para a exteriorizao corporal da criana, permitido o seu desenvolvimento e aprendizagem na medida que media a relao do brincar ( limites, interagindo, estimulando, criando) junto criana.

131313Rosana FachadaTERAPIA PSICOMOTORAPara Aucuturier e Lapierre ( 1977): cabe ao terapeuta reconhecer na criana suas potencialidades e trabalhar com o que h de positivo na criana, partindo daquilo que ela faz espontaneamente, daquilo que sabe fazer, do que gosta de fazerNecessita da disponibilidade corporal do psicomotricista, pois atravs da escuta ele modifica sua interveno com a criana

141414Rosana FachadaAucouturier Quando falo de globalidade da criana, falo de respeitar sua senso-motricidade, sua sensorialidade, sua emocionalidade, sua sexualidade, tudo ao mesmo tempo, falo de respeitar a unidade de funcionamento da atividade motora, da afetividade e dos processos cognitivos; falo de respeitar o tempo da criana, sua maneira totalmente original de ser no mundo, de viver, de descobrir, de conhec-lo, tudo simultaneamente

151515Rosana FachadaO Desenvolvimento HumanoComea no 1 trimestre de gestao e termina aproximadamente aos 6 anos e meio de idade.Progride verticalmente atravs da medula espinhal e de todas as outras reas at o crtex.O desenvolvimento final no crtex, e lateral, da esquerda para direita ou da direita para esquerda.O Crtex HumanoAtravs do ciclo evolutivoDifere de animais que tem estrutura neuroanatmica do homem.O ser intelectual e comunicativo desenvolveu simultaneamente a lateralidade cerebral.A supremacia do homem est na especializao de funo que se desenvolveu no uso do seu crtex.Comea nos trs meses de gestao e vai at os 6 anos e meio de Idade;Progride Verticalmente da medula at o encfalo e depois a maturao cfalo-caudal e prximo distal;Necessrio a condio tima da fisiologia; respeitando a Filogenia e a Ontogenia, observando a Sociogenia;

161616Rosana FachadaO Desenvolvimento HumanoProgride verticalmente at o crtex e se dirige na especializao hemisfrica( D/E)S o homem capaz de:Ficar completamente ereto;Ver em trs dimenses;Opor o polegar ao indicador; EscreverFalar;Ter a dominncia Lateral: olho, mo p. E ouvido;Pronar e supinar os braos.

171717Rosana FachadaIMAGINAODESEJOORGANISMOHUMANOCRIANAINFNCIAADOLESCNCIAADULTOIDOSOESTRUTURAODESENVOLVIMENTOH U M A N I Z A O ......................... S U J E I T OMOVIMENTOS REFLEXOSMOVIMENTOS RUDIMENTARESMOVIMENTOS FUNDAMENTAISMOVIMENTOS ESPECIALIZADOS

?

181818Rosana FachadaDependncia sensvel s condies iniciais de vida

Relao de interdependncia com o meio

Aparato biolgico

ia do comportamento resultado dos fatores ambientais sobre os circuitos neurais em desenvolvimentoBiolgicaSociogeniaAvaliao psicomotora e comportamentalResultado Proposta de trabalhoReavaliao191919Rosana Fachada

Perfil de Desenvolvimento202020ReflexosFASE DOS MOVIMENTOS REFLEXOS = A partir da 8 semana de vida intra-uterina at o 4 ms de nascimento, os movimentos que compem o repertrio motor do ser humano so de natureza predominantemente, reflexiva.

Fotomotor; Babinsky; Moro; RTCA; Preenso; Suco;

212121Inteligncia Sensrio - MotoraIntegrao dos analisadores e receptores sensoriais internos, perifricos e distais que nasce da interao da prpria ao e da afetividade que vai introduzindo novos dados: Tnicos, vestibulares, proprioceptivos, posturais, tteis, cinestsicos, auditivos e visuais, que vo integrar as funes Receptivas em Expressivas.

22222222Esta integrao na prtica a maturao do Tronco Cerebral ( reflexos incondicionados em condicionados)em automatismos motores, gerando equilbrio interoceptivo ( promove a segurana dos mov. rudimentares)para um equilbrio Proprioceptivo ( aquisies da postura bpede) e por fim ao equilbrio Externoceptivo ( mov. Fundamentais).

23232323Estgios do desenvolvimentoReflexos0/1 mesesSensrio-motor- 2/18 mesesSensrio Motor- 18/24 mesesReaes circularesPrimrias:Reaes circularesSecundrias:Retem e conserva os instrumentos de aoChupar o dedoManipulao de ObjetosCoordenaes de aes na relao espao-tempoSuga os objetosDiferenciao entre fins e meios(8/9)Relao diferenciada entre objeto e sujeitoEgocentrismo corporal e totalViso descobre a mo- explorar os objetosEstruturas de categorizao sensrio-motora e ttil-cinestsicaNo h noo de sujeito e objetoNoo de superfcie corporalInteligncia prticaHerana Biolgica, tendncias instintivas e primeiras emoes.Coordenao de esquemas secundrios(11/12)Regulaes afetivas elementaresDomnio da locomoo e marchaGesto como pr-linguagemTentativas intencionais, descoberta de novos meiosPrefigurao e descentralizao corporal. O sujeito torna-se um objeto no meio dos outros242424FASES DO DESENVOLVIMENTO SEGUNDO GALLAHUEFASE DOS MOVIMENTOS RUDIMENTARES = De 1 a 2 anos de idade, so as primeiras formas de movimentos voluntrios que permitem o controle postural, movimentos de manipulao e locomoo.

FASE DOS MOVIMENTOS FUNDAMENTAIS = De 2 a 7 anos de idade, a criana adquire uma srie de movimentos que ampliam sua capacidade de atuao no ambiente. Nesta fase ela passa por mudanas graduais que podem leva-la a atingir formas de movimento bem eficientes e comparveis execuo de movimentos do adulto.

252525Rosana Fachada

De 1 a 7 meses262626Rosana Fachada

De 8 a 15 meses

272727

Inteligncia Sensrio Motor

Locomoo:reptar,gatinhar,andar,correr,saltar,saltitar,galopar,transpor,danar.

-Braquiao: pendurar,suspender,balanar-se, subir,descer,escalar. -Preenso:Agarrar,transportar, agrupar, manipular, manusear, bater, abrir e fechar,puxar e empurrar, juntar e afastar, compor e decompor, construir e destruir, encher e esvaziar, pinar , atirar, lanar, apanhar, laar, atar.

282828Inteligncia Perceptivo-Motora

Maturao do Sistema Psicomotor Humano levando a criana aos 6 anos ao amadurecimento de suas relaes sensrios-persceptivas, pronta desta forma para a prxima etapa do espiral:

INTELIGNCIA SIMBLICA

29292929Rosana Fachada

Sistema Psicomotor Humano

TonicidadeEquilbrioLateralizaoNoo do Corpo (somatognosia)Estruturao Espao-TemporalPraxia Global Praxia Fina

3030