of 9 /9
Capítulo 1 Lesão Celular Perguntas Escolha a melhor resposta. 1. As células da medula óssea de um doador de órgão são culti- vadas in vitro a 37 o C na presença de eritropoietina recombinante. Vê-se a fotomicrografia de uma “unidade formadora de explo- são” típica. Essa colônia, comprometida com a via eritrocitária de diferenciação, representa um exemplo de qual das seguintes adaptações fisiológicas à sinalização transmembrana? (A) Atrofia (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Hipertrofia (E) Metaplasia 2. Um alcoólico crônico de 50 anos de idade chega à emergência com 12 horas de dor abdominal intensa. A dor se irradia para as costas e está associada à vontade de vomitar. O exame físico revela sensibilidade abdominal intensa. Os exames laboratoriais mostram amilase sérica elevada. Qual das seguintes alterações morfológicas deve ser esperada no tecido peripancreático desse paciente? (A) Necrose caseosa (B) Necrose de coagulação (C) Necrose de liquefação (D) Necrose fibrinóide (E) Necrose gordurosa 3. Um homem de 68 anos de idade, com história de doença de refluxo gastroesofágico, sofre um AVC maciço e morre. A foto- grafia mostra o esôfago à necropsia. O exame histológico do teci- do anormal revela epitélio semelhante ao do intestino, composto de células caliciformes e células superficiais semelhantes àquelas de mucosa gástrica incompletamente intestinalizada. Não há evi- dências de atipia nuclear. Qual dos seguintes termos mais ade- quadamente descreve essa resposta morfológica à lesão persis- tente no esôfago de tal paciente? (A) Hiperplasia atípica (B) Hiperplasia complexa (C) Hiperplasia simples (D) Metaplasia escamosa (E) Metaplasia glandular

Rubin 01-Lesão Celular

Embed Size (px)

Text of Rubin 01-Lesão Celular

Captulo 1

Leso CelularPerguntasEscolha a melhor resposta.

1. As clulas da medula ssea de um doador de rgo so cultivadas in vitro a 37oC na presena de eritropoietina recombinante. V-se a fotomicrograa de uma unidade formadora de exploso tpica. Essa colnia, comprometida com a via eritrocitria de diferenciao, representa um exemplo de qual das seguintes adaptaes siolgicas sinalizao transmembrana? (A) Atroa (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Hipertroa (E) Metaplasia 2. Um alcolico crnico de 50 anos de idade chega emergncia

com 12 horas de dor abdominal intensa. A dor se irradia para as costas e est associada vontade de vomitar. O exame fsico revela sensibilidade abdominal intensa. Os exames laboratoriais mostram amilase srica elevada. Qual das seguintes alteraes morfolgicas deve ser esperada no tecido peripancretico desse paciente? (A) Necrose caseosa (B) Necrose de coagulao (C) Necrose de liquefao (D) Necrose brinide (E) Necrose gordurosa

3. Um homem de 68 anos de idade, com histria de doena de reuxo gastroesofgico, sofre um AVC macio e morre. A fotograa mostra o esfago necropsia. O exame histolgico do tecido anormal revela epitlio semelhante ao do intestino, composto de clulas caliciformes e clulas superciais semelhantes quelas de mucosa gstrica incompletamente intestinalizada. No h evidncias de atipia nuclear. Qual dos seguintes termos mais adequadamente descreve essa resposta morfolgica leso persistente no esfago de tal paciente? (A) Hiperplasia atpica (B) Hiperplasia complexa (C) Hiperplasia simples (D) Metaplasia escamosa (E) Metaplasia glandular

2

Captulo 1bem degenerao hidrpica. Essa manifestao de leso neuronal subletal foi mediada mais provavelmente por comprometimento de qual dos seguintes processos celulares? (A) Biossntese de ribossomo (B) Organizao do fuso mittico (C) Peroxidao de lipdio (D) Sntese de DNA (E) Transporte de sdio da membrana plasmtica7. Um homem de 62 anos de idade levado emergncia em es-

4. Uma mulher de 75 anos de idade, com doena de Alzheimer,

morre de insucincia cardaca congestiva. A fotograa mostra o crebro necropsia. O crebro dessa paciente exemplica qual das seguintes respostas leso crnica? (A) Anaplasia (B) Atroa (C) Displasia (D) Hiperplasia (E) Hipertroa

tado de desorientao. O exame fsico revela ictercia, esplenomegalia e ascite. Os nveis sricos de ALT, AST, fosfatase alcalina e bilirrubina encontram-se elevados. A biopsia do fgado revela hepatite alcolica com corpsculos de Mallory. Essas estruturas citoplasmticas so compostas de feixes entrelaados de qual das seguintes protenas? (A) 1-Antitripsina (B) -Amilide (A ) (C) Filamentos intermedirios (D) Protena de pron (PrP) (E) -Sinuclena8. Uma mulher de 32 anos de idade, com diabetes melito mal

controlado, d luz um menino saudvel com 38 semanas de gestao. Em decorrncia da hiperglicemia materna durante a gravidez, as ilhotas pancreticas no neonato provavelmente mostram qual das seguintes respostas morfolgicas leso? (A) Atroa (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Metaplasia (E) Necrose

5. Um homem de 64 anos de idade, com angina de peito crnica e hipertenso arterial, morre de hemorragia intracerebral espontnea. necropsia, o corao encontra-se globide. O ventrculo esquerdo mede 2,8 cm em corte transverso (ver gura). Essa adaptao leso crnica foi mediada primariamente por alteraes na concentrao intracelular de qual dos seguintes componentes? (A) gua (B) DNA (C) Glicognio (D) Lipdio (E) mRNA 6. Um homem de 30 anos de idade, com complexo de demncia ligado AIDS, desenvolve pneumonia aguda e morre de insucincia respiratria. necropsia, muitos neurnios do SNC exi-

9. Uma mulher de 31 anos de idade queixa-se de corrimento vaginal de 1 ms de durao. A fotograa mostra o esfregao de Papanicolaou da crvice. As clulas epiteliais superciais so identicadas com setas. Quando comparadas s clulas da camada intermediria mais profunda (parte superior), o ncleo dessas clulas superciais exibe qual das seguintes caractersticas citolgicas? (A) Carilise (B) Cariorrexe

Leso Celular(C) Corpsculos de incluso viral (D) Picnose (E) Segmentao10. Uma mulher de 30 anos de idade sofre uma convulso clnico-tnica e apresenta delrio e hidrofobia. A paciente arma que foi mordida na mo por um morcego cerca de 1 ms antes. A paciente subseqentemente morre de insucincia respiratria. necropsia, so encontradas partculas virais por todo o tronco enceflico e o cerebelo. Alm da citotoxicidade viral direta, a necrose de neurnios infectados por vrus nessa paciente foi mediada basicamente por qual dos seguintes mecanismos? (A) Fagocitose mediada por neutrlo (B) Imunidade humoral e celular (C) Liberao de histamina de mastcitos (D) Liberao de radicais de oxignio de macrfagos (E) Vasoconstrio e isquemia 11. Um homem de 82 anos de idade apresenta sangramento profundo devido a uma lcera pptica e morre de choque hipovolmico. necropsia, o fgado revela necrose centrolobular. Comparadas com hepatcitos viveis, as clulas necrticas contm concentraes intracelulares mais elevadas de qual elemento? (A) Clcio (B) Cobalto (C) Cobre (D) Ferro (E) Selnio

3

13. Qual dos seguintes mecanismos de doena melhor descreve a patogenia do acmulo de pigmento nos hepatcitos da paciente descrita na Questo 12? (A) Degradao de pigmentos de melanina (B) Inibio da biossntese de glicognio (C) M-absoro e aumento da deposio de ferro (D) Oxidao progressiva de bilirrubina (E) Peroxidao de lipdios da membrana

14. Um homem de 45 anos de idade apresenta aumento da cintura abdominal e amarelamento da pele e da esclera. O exame fsico revela hepatomegalia e ictercia. A colorao por azul-daprssia de uma biopsia de fgado mostrada na fotograa. Qual a principal protena de depsito de ferro intracelular nos hepatcitos desse paciente? (A) Bilirrubina (B) Haptoglobina (C) Hemoglobina (D) Hemossiderina (E) Transferrina 15. Um homem de 60 anos de idade levado ao hospital com insucincia heptica aguda. Ele submetido, com xito, a transplante de fgado ortotpico; no entanto, o fgado transplantado no produz muita bile nos primeiros 3 dias. Acredita-se que a funo inadequada do enxerto nesse paciente decorra de leso por reperfuso. Qual das seguintes substncias a mais provvel de causar leso por reperfuso no fgado transplantado desse paciente? (A) cido hidrocloroso (B) Formas de oxignio reativas (C) Hidrolases cidas lisossmicas (D) on frrico livre (E) Protenas catinicas 16. Uma mulher de 68 anos de idade, com histria de hiperlipi-

12. Uma mulher de 90 anos de idade, com diabetes melito bran-

do e doena de Alzheimer, morre durante o sono. necropsia, observa-se que os hepatcitos contm grnulos citoplasmticos dourados que no se coram pelo azul-da-prssia. Qual das seguintes alteraes melhor explica o acmulo de pigmento no fgado dessa paciente? (A) Cetoacidose diabtica (B) Doena de Alzheimer (C) Hemocromatose hereditria (D) Idade avanada (E) Insucincia cardaca congestiva

demia, morre de arritmia cardaca sucedendo infarto miocrdico macio. A peroxidao de qual das seguintes molculas foi o principal responsvel pela perda da integridade da membrana em micitos cardacos nessa paciente?

4(A) (B) (C) (D) (E)

Captulo 1Colesterol Fosfolipdios Glicoesngolipdios Protenas de transporte de glicose Sdio-potssio ATPase22. Um homem de 43 anos de idade apresenta leso eritematosa descamativa na superfcie dorsal da mo esquerda. A biopsia de pele revela queratincitos atpicos e clulas inamatrias, alm de numerosos corpsculos apoptticos dispersos. Qual das seguintes protenas a principal na mediao de morte celular programada nesses queratincitos? (A) Catalase (B) Citocromo c (C) Citoqueratinas (D) Mieloperoxidase (E) Superxido dismutase

17. Um operrio de construo civil de 22 anos de idade fere-se

com um prego enferrujado pontiagudo. Em 24 horas, a ferida aumenta, tornando-se uma rea de 1 cm que drena material purulento espesso. Essa ferida cutnea ilustra qual dos seguintes tipos morfolgicos de necrose? (A) Caseosa (B) De coagulao (C) De liquefao (D) Fibrinide (E) Gordurosa18. Um homem de 42 anos de idade submetido a biopsia hep-

tica para avaliao do grau e do estgio de infeco por vrus da hepatite C (HCV). A biopsia revela atividade inamatria lobular moderada com corpsculos acidlos. Qual dos seguintes processos celulares contribui mais para a presena de corpsculos acidlos nesse espcime de biopsia? (A) Agregao de protenas de lamento intermedirio (B) Depsito de colgeno (C) Incluses virais intracelulares (D) Morte celular apopttica (E) Necrose de coagulao19. Qual das seguintes alteraes bioqumicas caracteriza a formao 23. Uma moa de 16 anos de idade, com histria de depresso suicida, toma um solvente comercial. A biopsia do fgado realizada para avaliar o grau de leso do parnquima heptico. O exame histolgico demonstra tumefao intensa dos hepatcitos centrolobulares (ver gura). Qual dos seguintes mecanismos de doena explica as alteraes reversveis observadas nessa biopsia de fgado? (A) Aglutinao de protena devido a aumento do pH citoslico (B) Aumento do depsito de triglicerdios e cidos graxos livres (C) Diminuio das reservas de ATP intracelular (D) Ruptura intracitoplasmtica de lisossomos (E) Transio de permeabilidade da membrana mitocondrial 24. Um homem de 40 anos de idade resgatado do mar aps um acidente de barco e reanimado. Seis horas depois, o paciente desenvolve insucincia renal aguda. A biopsia de rim revela evidncias de cariorrexe e carilise nas clulas epiteliais tubulares renais. Qual dos seguintes eventos bioqumicos precedeu essas alteraes patolgicas? (A) Ativao de Na+/K+ ATPase (B) Aumento da produo de ATP (C) Aumento do pH intracelular (D) Diminuio do clcio intracelular (E) Diminuio do pH intracelular

de corpsculos acidlos no paciente descrito na Pergunta 18? (A) Acmulo de triglicerdios (B) Fragmentao do DNA (C) Perda de protena supressora de tumor p53 (D) Sntese de cido araquidnico (E) Tumefao mitocondrial20. Uma obesa (IMC = 32 kg/m2) de 56 anos de idade desenvol-

ve estenose progressiva da artria renal direita. Com o passar do tempo, o rim direito dessa paciente provavelmente demonstrar qual das seguintes adaptaes morfolgicas isquemia crnica? (A) Atroa (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Hipertroa (E) Neoplasia21. Um menino de 5 anos de idade sofre traumatismo contuso na per-

na em um acidente automobilstico. Seis meses depois, observa-se a formao de trabculas sseas no interior da musculatura esqueltica estriada no local da leso tecidual. Esse distrbio patolgico um exemplo de qual das seguintes adaptaes morfolgicas leso? (A) Atroa (B) Calcicao distrca (C) Calcicao metasttica (D) Displasia (E) Metaplasia

Leso Celular

5

27. Uma mulher de 32 anos de idade desenvolve uma crise de

Addison (insucincia supra-renal aguda) 3 meses aps sofrer hemorragia macia durante o parto de seu beb. Uma tomograa computadorizada (TC) do abdome revela glndulas supra-renais pequenas. Qual dos seguintes mecanismos de doena explica a atroa supra-renal nessa paciente? (A) Ausncia de sinais trcos (B) Inamao crnica (C) Isquemia crnica (D) Necrose hemorrgica (E) Tuberculose28. Um fazendeiro de 60 anos de idade apresenta mltiplas reas 25. Um homem de 50 anos de idade apresenta sintomas de in-

sucincia renal aguda. A presso arterial de 220/130 mm Hg (hipertenso maligna). Ainda no atendimento de emergncia, o paciente sofre um infarto e morre. O exame microscpico do rim necropsia mostrado na fotomicrograa. Qual das seguintes alteraes morfolgicas contribui para o material vermelho na parede da artria direita? (A) Apoptose (B) Necrose caseosa (C) Necrose de liquefao (D) Necrose brinide (E) Necrose gordurosa

de alterao de cor na face. A biopsia da pele da leso revela queratose actnica. Qual dos seguintes termos descreve essa resposta da pele exposio solar crnica? (A) Atroa (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Hipertroa (E) Metaplasia29. Uma tabagista de 59 anos de idade queixa-se de sangue inter-

mitente na urina. A urinlise conrma hematria 4+. O hemograma completo revela aumento da massa eritrocitria (hematcrito). A TC demonstra massa renal de 3 cm, e a biopsia guiada por TC revela carcinoma de clulas renais. Qual das seguintes adaptaes celulares na medula ssea explica o aumento do hematcrito nessa paciente? (A) Atroa (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Hipertroa (E) Metaplasia30. Um exame preventivo ginecolgico de uma mulher de 23

26. Uma menina de 10 anos de idade apresenta caractersticas avanadas de progeria (ver fotograa). Essa criana tem mutaes herdadas no gene que codica qual dos seguintes tipos de protenas intracelulares? (A) Helicase (B) Lamina (C) Oxidase (D) Polimerase (E) Topoisomerase

anos de idade mostra clulas atpicas. A biopsia da crvice revela clulas epiteliais escamosas com aumento do tamanho do ncleo, pleomorsmo e diminuio do citoplasma. A hibridizao in situ revela infeco por papilomavrus humano (HPV). Qual das seguintes adaptaes leso crnica descreve essas alteraes no epitlio da crvice? (A) Atroa (B) Displasia (C) Hiperplasia (D) Hipertroa (E) Metaplasia31. Uma mulher de 24 anos de idade acidentalmente ingere te-

tracloreto de carbono no laboratrio e desenvolve insucincia heptica aguda. Qual das seguintes protenas celulares esteve envolvida diretamente no desenvolvimento da hepatotoxicidade nessa paciente? (A) Acetaldedo desidrogenase (B) lcool desidrogenase (C) Glicose-6-fosfato desidrogenase (D) Oxigenase de funo mista (E) Superxido dismutase

6

Captulo 1lobo frontal. Os giros esto adelgaados, e os sulcos, alargados. Anaplasia (opo A) representa ausncia de caractersticas diferenciadas em uma neoplasia.Diagnstico: Doena de Alzheimer, atroa 5. A resposta E-mRNA. Micitos cardacos hipertrcos tm mais citoplasma e maiores ncleos do que clulas normais. Embora a elucidao dos mecanismos celulares e moleculares subjacentes resposta hipertrca ainda esteja sendo procurada, est claro que as etapas nais incluem incrementos de mRNA, rRNA e protena. A hipertroa decorre de regulao da transcrio. A aneuploidia (opo B) no uma caracterstica de hipertroa de bra muscular. O inuxo de gua (opo A), que tpico de tumefao hidrpica na leso aguda, no uma caracterstica freqente da hipertroa. Diagnstico: Cardiopatia hipertrca, hipertroa 6. A resposta E-transporte de sdio da membrana plasmtica. A tumefao hidrpica reete leso celular reversvel (subletal) aguda. Decorre do comprometimento da regulao do volume celular, um processo que controla concentraes inicas no citoplasma. Essa regulao, particularmente para o sdio, envolve (1) a membrana plasmtica, (2) a bomba de sdio da membrana plasmtica e (3) o suprimento de ATP. Agentes lesivos podem interferir com esses processos regulados pela membrana. O acmulo de sdio na clula provoca aumento do teor de gua para manter as condies isosmticas, e ento a clula incha. A peroxidao lipdica (opo C) freqentemente uma caracterstica de leso celular irreversvel. Diagnstico: Leso reversvel aguda 7. A resposta C-lamentos intermedirios. Hialina um termo que se

Respostas1. A resposta C-hiperplasia. A hiperplasia denida como aumen-

to do nmero de clulas em um rgo ou tecido. Assim como a hipertroa (opo D), freqentemente uma resposta a sinais trcos ou a aumento de demanda funcional e comumente um processo normal. A hiperplasia eritride quase sempre vista em pessoas que moram em grande altitude. A baixa tenso de oxignio provoca a produo de eritropoietina, que promove a sobrevida e a proliferao de precursores eritrides na medula ssea. Os mecanismos celulares e moleculares responsveis pela hiperplasia relacionam-se claramente com o controle da proliferao celular (ou seja, o ciclo celular).Diagnstico: Eritropoiese, hiperplasia 2. A resposta E-necrose gordurosa. A saponicao de gordura deri-

vada de adipcitos peripancreticos expostos a enzimas pancreticas uma caracterstica tpica da necrose gordurosa. A lipase, liberada de clulas acinares pancreticas durante uma crise de pancreatite aguda, hidrolisa a gordura, formando cidos graxos e glicerol. Os cidos graxos livres ligam-se ao clcio, formando sabes, processo conhecido como saponicao. A entrada de ons de clcio no tecido lesado reduz o nvel de clcio no sangue. Por conseguinte, a hipocalcemia um achado tpico nos pacientes que tiveram uma crise recente de pancreatite aguda. Os pacientes com pancreatite aguda apresentam incio sbito de dor abdominal, distenso e vmitos. As outras opes no so vistas tipicamente no tecido peripancretico sucedendo uma pancreatite aguda, embora a necrose de liquefao (opo C) possa ser observada.Diagnstico: Pancreatite aguda 3. A resposta E-metaplasia glandular. As principais respostas adaptati-

vas de clulas a leso subletal so atroa, hipertroa, hiperplasia, metaplasia, displasia e depsito intracelular. A metaplasia denida como a converso de uma via celular diferenciada em outra. Nesse caso, o epitlio escamoso esofgico substitudo por epitlio colunar em decorrncia de reuxo gastroesofgico crnico. A leso caracteriza-se histologicamente por epitlio semelhante a intestino, composto de clulas caliciformes e clulas semelhantes s de mucosa gstrica intestinalizada de modo incompleto. A metaplasia escamosa (opo D) ocorre no epitlio brnquico de tabagistas, dentre outros exemplos. As opes A, B e C so alteraes pr-neoplsicas mais freqentemente descritas no endomtrio uterino de mulheres na ps-menopausa.Diagnstico: Esfago de Barrett, metaplasia 4. A resposta B-atroa. Clinicamente, a atroa reconhecida como

refere a qualquer material que exiba aspecto avermelhado homogneo quando corado por hematoxilina e eosina (H&E). A terminologia padronizada inclui arteriolosclerose hialina, hialina alcolica no fgado, membranas hialinas no pulmo e gotculas hialinas em diversas clulas. A hialina alcolica (Mallory) compe-se de lamentos intermedirios citoesquelticos (citoqueratinas), ao passo que as membranas hialinas pulmonares consistem em protenas plasmticas depositadas nos alvolos. Molculas de 1-antitripsina estruturalmente anormais (opo A) acumulamse no fgado de paciente com decincia de 1-antitripsina. A -sinuclena (opo E) acumula-se nos neurnios na substncia negra dos pacientes com doena de Parkinson.Diagnstico: Hepatopatia alcolica 8. A resposta C-hiperplasia. Os bebs de mes diabticas apresentam incidncia de 5 a 10% de desenvolverem anomalias importantes, incluindo aquelas do corao e dos grandes vasos e defeitos do tubo neural. A freqncia dessas leses relaciona-se com o controle do diabetes materno durante o incio da gestao. Durante o desenvolvimento fetal, as clulas das ilhotas do pncreas apresentam capacidade proliferativa e respondem ao aumento da demanda por insulina por meio de hiperplasia siolgica. Os fetos expostos a hiperglicemia in utero podem desenvolver hiperplasia das clulas pancreticas, as quais podem secretar insulina de modo autnomo e provocar hipoglicemia ao nascimento. A me-

diminuio do tamanho ou da funo de um rgo. Com freqncia, observada em reas de insucincia vascular ou de inamao crnica e pode resultar de desuso. A atroa pode ser considerada uma resposta adaptativa a estresse, em que a clula paralisa suas funes diferenciadas. A reduo do tamanho de um rgo pode reetir atroa celular reversvel ou pode ser causada pela perda irreversvel de clulas. Por exemplo, a atroa do crebro nessa paciente com doena de Alzheimer secundria morte celular extensa, e o tamanho do rgo no pode ser restabelecido. O crebro da paciente mostra atroa acentuada do

Leso Celulartaplasia (opo D) denida como a converso de uma via celular diferenciada em outra.Diagnstico: Diabetes melito materno. Hiperplasia 9. A resposta D-picnose. A necrose de coagulao refere-se a alteraes em clulas mortas, visualizadas microscopia ptica. Quando corado pela associao usual de hematoxilina e eosina, o citoplasma de uma clula necrtica eosinoflico. O ncleo exibe um aglomerado inicial de cromatina sucedido por sua redistribuio ao longo da membrana nuclear. Na picnose, o ncleo torna-se menor e mostra colorao basoflica profunda medida que prossegue o acmulo de cromatina. Cariorrexe (opo B) e carilise (opo A) representam etapas posteriores na fragmentao e dissoluo do ncleo. Essas etapas no so evidentes nas clulas necrticas mostradas nesse esfregao de Papanicolaou. Diagnstico: Neoplasia intra-epitelial cervical, picnose 10. A resposta B-imunidade humoral e celular. Tanto o brao humoral quanto o celular do sistema imunolgico protegem contra os defeitos lesivos de infeces virais. Por conseguinte, a apresentao de protenas virais ao sistema imunolgico imuniza o corpo contra o invasor e desencadeia no apenas clulas destruidoras (killer) como tambm a produo de anticorpos antivirais. Esses braos do sistema imunolgico eliminam clulas infectadas por vrus por meio da induo de apoptose ou pelo direcionamento de citlise mediada por complemento. Nesse paciente, o vrus da raiva penetrou em um nervo perifrico e foi transportado por uxo axoplasmtico retrgrado para a medula espinhal e o crebro. A inamao concentra-se no tronco enceflico e dissemina-se para cerebelo e hipotlamo. As outras opes so vistas na inamao aguda, mas no representam respostas antgenoespeccas a infeces virais. Diagnstico: Raiva 11. A resposta A-clcio. A necrose de coagulao caracteriza-se por

7

13. A resposta E-peroxidao de lipdios da membrana. A lipofuscina encontrada em lisossomos e contm produtos de peroxidao de cidos graxos insaturados. Acredita-se que a presena desse pigmento reita peroxidao lipdica contnua de membranas celulares em decorrncia de defesas inadequadas contra radicais de oxignio ativado. Diagnstico: Lipofuscina, distrbio de depsito intracelular 14. A resposta D-hemossiderina. A hemossiderina uma forma parcialmente desnaturada de ferritina, que se agrega facilmente e reconhecida microscopia como grnulos amarelo-acastanhados no citoplasma, e que se cora de azul pela reao com azulda-prssia. Na hemocromatose hereditria, uma anormalidade gentica da absoro de ferro no intestino delgado, o ferro em excesso depositado principalmente sob a forma de hemossiderina, primariamente no fgado. A hemoglobina (opo C) o pigmento das hemcias que contm ferro. A bilirrubina (opo A) um produto do catabolismo do radical heme que pode acumular-se nos hepatcitos, mas no se cora pelo azul-da-prssia. A transferrina (opo E) liga-se ao ferro srico. Diagnstico: Hemocromatose hereditria 15. A resposta B-formas de oxignio reativas. A leso por isquemia/

reperfuso (I/R) um problema clnico comum que surge no contexto de doena cardiovascular oclusiva, infeco, transplante, choque e muitas outras circunstncias. A gnese da leso por I/R relaciona-se com a relao entre isquemia transitria e o restabelecimento do uxo sangneo (reperfuso). Inicialmente, a isquemia produz um tipo de dano celular que provoca a gerao de radicais livres. Subseqentemente, a reperfuso proporciona oxignio molecular (O2) em abundncia para se combinar com radicais livres, produzindo formas de oxignio reativas. Os radicais de oxignio so formados no interior das clulas pela via da xantina oxidase e so liberados de neutrlos ativados.Diagnstico: Infarto do miocrdio 16. A resposta B-fosfolipdios. Durante a peroxidao lipdica, radi-

um inuxo macio de clcio na clula. Sob circunstncias normais, a membrana plasmtica mantm um gradiente alto de ons de clcio, cuja concentrao nos lquidos intersticiais 10.000 vezes mais elevada do que no interior das clulas. A leso celular irreversvel danica a membrana plasmtica, que ento no consegue manter esse gradiente, permitindo o inuxo de clcio para o interior da clula. As outras opes representam elementos com maior probabilidade de serem liberados mediante morte celular.Diagnstico: Necrose de coagulao 12. A resposta D-idade avanada. As substncias que no conseguem ser metabolizadas so acumuladas nas clulas. Dentre os exemplos esto (1) substratos endgenos que no so processados porque falta uma enzima fundamental (doenas de depsito lisossmico), (2) pigmentos endgenos insolveis (lipofuscina e melanina), e (3) particulados exgenos (slica e carbono). A lipofuscina um pigmento de desgaste do envelhecimento, que se acumula em rgos como crebro, corao e fgado. Nenhuma das outras opes est associada ao acmulo de lipofuscina. Diagnstico: Envelhecimento, lipofuscina

cais hidroxila removem um tomo de hidrognio dos cidos graxos insaturados dos fosfolipdios da membrana. Os radicais lipdicos formados dessa maneira reagem com oxignio molecular e formam um radical perxido lipdico. Tem incio uma reao em cadeia. Os perxidos lipdicos so instveis e se degradam em molculas menores. A destruio dos cidos graxos insaturados de fosfolipdios resulta na perda da integridade da membrana. As outras opes representam alvos para formas de oxignio reativas, mas a ligao cruzada de protenas (opes D e E) no levam perda rpida da integridade da membrana em pacientes com infarto do miocrdio.Diagnstico: Infarto do miocrdio 17. A resposta C-de liquefao. Os leuccitos polimorfonucleares

(neutrlos segmentados) rapidamente se acumulam em locais de leso. Possuem hidroxilases cidas e so capazes de digerir clulas mortas. Um acmulo localizado dessas clulas inamatrias pode criar um abscesso com liquefao (pus) central. A necrose de liquefao tambm diagnosticada com freqncia no crebro. A necrose caseosa (opo A) vista nos granulomas ne-

8

Captulo 123. A resposta C-diminuio das reservas de ATP intracelular. A tumefa-

crosantes. A necrose gordurosa (opo E) quase sempre encontrada em pacientes com pancreatite aguda. A necrose brinide (opo D) vista em pacientes com vasculite necrosante.Diagnstico: Abscesso, inamao aguda 18. A resposta D-morte celular apopttica. A apoptose uma via pro-

gramada de morte celular, desencadeada por diversos sinais extracelulares e intracelulares. Com freqncia um mecanismo de autodefesa, destruindo clulas que foram infectadas por patgenos ou aquelas nas quais ocorreram alteraes genmicas. Aps a colorao por hematoxilina e eosina, as clulas apoptticas so visveis microscopia ptica como corpsculos acidlos. Esses corpsculos rosados (eosinoflicos) representam remanescentes celulares envoltos por membrana. As outras opes no se manifestam como corpsculos acidlos.Diagnstico: Hepatite viral 19. A resposta B-fragmentao do DNA. A fragmentao do DNA um marco em clulas que sofrem tanto necrose quanto apoptose, mas as clulas apoptticas podem ser percebidas pela demonstrao de formao de camadas, ou escadas (laddering) no nucleossomo. Esse padro de degradao de DNA caracterstico da morte celular apopttica. Decorre da clivagem de DNA cromossmico em nucleossomos por meio de endonucleases. Como os nucleossomos so espaados de modo regular ao longo do genoma, pode ser visto um padro de faixas regulares quando os fragmentos de DNA celular so separados por eletroforese. As outras opes esto associadas a leso celular, mas no servem como marcadores de morte celular programada. Diagnstico: Hepatite viral 20. A resposta A-atroa. A interferncia com o suprimento sangneo aos tecidos conhecida como isquemia. A isquemia total resulta em morte celular. A isquemia parcial ocorre aps a ocluso incompleta de um vaso sangneo ou em reas de circulao colateral inadequada, resultando em fornecimento cronicamente reduzido de oxignio, um distrbio freqentemente compatvel com a manuteno da viabilidade celular. Sob tais circunstncias, a atroa celular comum. Por exemplo, essa alterao encontrada com freqncia nas margens inadequadamente perfundidas de infarto no corao, no crebro e nos rins. Diagnstico: Estenose de artria renal 21. A resposta E-metaplasia. A miosite ossicante uma doena ca-

o hidrpica pode decorrer de muitas causas, inclusive toxinas qumicas e biolgicas, infeces e isquemia. Agentes lesivos provocam tumefao hidrpica por meio de (1) aumento da permeabilidade da membrana plasmtica ao sdio; (2) leso de sdio-potssio ATPase da membrana (bomba); ou (3) interferncia com a sntese de ATP, desse modo privando a bomba de seu combustvel. As outras opes so incorretas porque no regulam concentraes de sdio intracelular.Diagnstico: Tumefao hidrpica, hepatotoxicidade 24. A resposta E-diminuio do pH intracelular. Durante perodos de isquemia, a gliclise anaerbica leva produo excessiva de lactato e diminuio do pH intracelular. A ausncia de O2 durante isquemia miocrdica bloqueia a produo de ATP. O piruvato reduzido a lactato no citosol e diminui o pH intracelular. A acidicao do citosol inicia uma espiral de eventos em cascata que propulsionam a clula para necrose. As outras opes apontam para alteraes na direo oposta do que se esperaria em uma leso celular irreversvel. Diagnstico: Necrose tubular aguda 25. A resposta D-necrose brinide. A necrose brinide uma altera-

o de vasos sangneos lesados em que a insudao e o acmulo de protenas plasmticas leva a parede a se corar intensamente pela eosina. As outras opes no esto associadas de modo tpico diretamente a leso vascular.Diagnstico: Hipertenso maligna, necrose brinide 26. A resposta B-lamina. A progeria uma rara doena gentica caracterizada pelo surgimento precoce de catarata, perda do cabelo, atroa da pele, osteoporose e aterosclerose. O fentipo d a impresso de envelhecimento prematuro. A progeria uma de muitas doenas causadas por mutaes no gene da lamina A humana (LMNA). As laminas so protenas lamentosas intermedirias que formam uma trama brosa abaixo do envoltrio nuclear. Acredita-se que lamina defeituosa torne o ncleo instvel. O gene para a sndrome de Werner codica uma DNA helicase (opo A). Diagnstico: Progeria 27. A resposta A-ausncia de sinais trcos. A atroa de um rgo pode

racterizada pela formao de trabculas sseas no interior de msculo estriado. Representa uma forma de metaplasia ssea (ou seja, substituio de um tecido diferenciado por um outro tipo de tecido diferenciado normal).Diagnstico: Miosite ossicante, metaplasia 22. A resposta B-citocromo c. A membrana mitocondrial um regu-

ser causada pela interrupo de sinais trcos fundamentais. O infarto ps-parto da hipse anterior nessa paciente resultou em diminuio da produo de hormnio adrenocorticotrpico (ACTH, tambm denominado corticotrona). A falta de corticotrona resulta em atroa do crtex da glndula supra-renal, provocando sua insucincia. Os sintomas da insucincia adrenal aguda (crise de Addison) incluem hipotenso e choque, alm de fraqueza, vmitos, dor abdominal e letargia.Diagnstico: Sndrome de Sheehan, insucincia adrenocortical

lador fundamental da apoptose. Quando os poros mitocondriais se abrem, o citocromo c extravasa e ativa a Apaf-1, que converte pr-caspase-9 a caspase-9, a qual, por sua vez, ativa caspases seqenciais. As formas de oxignio reativas (relacionadas com as opes A, D e E) desencadeiam apoptose, mas no medeiam morte celular programada.Diagnstico: Apoptose, carcinoma escamocelular da pele

28. A resposta B-displasia. A queratose actnica uma forma de displasia em pele exposta ao sol. histologia, essas leses compem-se de clulas escamosas atpicas, que variam em tamanho e forma. No mostram sinais de amadurecimento regular medida que as clulas se movimentam da camada basal da epiderme para a superfcie. A displasia uma leso pr-neoplsica, no sentido de que um estgio necessrio na evoluo de mltiplas

Leso Celularetapas para o cncer. Entretanto, em oposio s clulas cancerosas, as clulas displsicas no so completamente autnomas, e o aspecto histolgico do tecido ainda pode reverter ao normal. Nenhuma das outras opes representa alteraes pr-neoplsicas na pele exposta ao sol.Diagnstico: Queratose actnica, displasia 29. A resposta C-hiperplasia. Os carcinomas de clulas renais fre-

9

qentemente secretam eritropoietina. Esse hormnio estimula o crescimento de precursores de eritrcitos na medula ssea por meio da inibio de morte celular programada. O aumento do hematcrito nessa paciente decorre de hiperplasia da medula ssea afetando a linhagem eritride. As outras opes no representam respostas siolgicas eritropoietina.Diagnstico: Carcinoma de clulas renais, hiperplasia 30. A resposta B-displasia. A distino entre displasia intensa e cncer em estgio inicial da crvice um problema diagnstico freqente para o patologista. As duas alteraes esto associadas a crescimento e amadurecimento desordenados do tecido. De modo semelhante ao desenvolvimento de cncer, acredita-se que

a displasia decorra de mutaes em uma populao de clulas em proliferao. Quando uma mutao particular confere uma vantagem de crescimento ou de sobrevivncia, a prognie da clula afetada tender a predominar. Por sua vez, sua proliferao continuada confere a oportunidade de mutaes adicionais. O acmulo de tais mutaes progressivamente distancia a clula de suas restries reguladoras normais e pode provocar uma neoplasia. Nenhuma das outras opes mostra atipia nuclear e pleomorsmo celular.Diagnstico: Neoplasia intra-epitelial cervical 31. A resposta D-oxigenase de funo mista. O metabolismo do tetracloreto de carbono (CCl4) um sistema de modelo para pesquisas toxicolgicas. O CCl4 metabolizado primariamente via sistema de oxigenase de funo mista (P450) do fgado at um on cloreto e um radical livre muito reativo, a triclorometila. Assim como o radical hidroxila, esse radical um iniciador potente da peroxidao lipdica, que danica a membrana plasmtica e leva morte celular. As outras opes no esto envolvidas na formao do radical livre triclorometila nas clulas hepticas. Diagnstico: Insucincia heptica, hepatotoxicidade