RUIDO OCUPACIONAL.pdf

  • View
    62

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARAN

    EVELYN JOICE ALBIZU

    RUDO OCUPACIONAL E SEUS EFEITOS NA SADE AUDITIVA DO

    PESCADOR INDUSTRIAL

    CURITIBA

    2014

  • UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARAN

    EVELYN JOICE ALBIZU

    RUDO OCUPACIONAL E SEUS EFEITOS NA SADE AUDITIVA DO

    PESCADOR INDUSTRIAL

    CURITIBA

    2014

    Tese de Doutorado vinculada ao Programa de Mestrado e Doutorado em Distrbios da Comunicao, linha de pesquisa Sade Coletiva, da Universidade Tuiuti do Paran Orientadora: Prof. Dra. Claudia Giglio de Oliveira Gonalves

  • TERMO DE APROVAO

    EVELYN JOICE ALBIZU

    RUDO OCUPACIONAL E SEUS EFEITOS NA SADE AUDITIVA DO

    PESCADOR INDUSTRIAL

    Esta tese foi julgada e aprovada para a obteno do ttulo de Doutora no Programa

    de Mestrado e Doutorado em Distrbios da Comunicao da Universidade Tuiuti do

    Paran.

    Curitiba, 08 de abril de 2014.

    __________________________________________

    Mestrado e Doutorado em Distrbios da Comunicao Universidade Tuiuti do Paran

    Orientador: Prof. Dra. Claudia Giglio de Oliveira Gonalves UTP - Programa em Distrbios da Comunicao Prof. Dra. Adriana Bender Moreira de Lacerda UTP - Programa em Distrbios da Comunicao

    Prof. Dra. Angela Ribas UTP - Programa em Distrbios da Comunicao Prof. Dra. Thais Catalani Morata National Institute of Occupational Safety and Health - NIOSH Prof. Dr. Heraldo Lorena Guida Universidade Estadual Paulista - UNESP

  • DEDICATRIA

    Ao meu querido pai, por ser meu exemplo de vida, apaixonado pescador

    amador, quem me fez olhar o mar com muita paixo e os pescadores com muito

    respeito pelo rduo e desafiante trabalho.

    A todos os pescadores, que nas ondas do mar traam suas vidas, dedico

    este trabalho e acredito compartilharem comigo do pensamento da escritora

    dinamarquesa, Karen Blixen, conhecida pelo pseudnimo de Isak Dinesen:

    A cura para qualquer coisa gua salgada: suor, lgrimas ou o mar

  • AGRADECIMENTOS

    A minha querida me, por todo amor, carinho, ensinamentos, companhia em

    todos os momentos, apoio incondicional ao longo da minha vida, e a tantos

    exemplos a me espelhar.

    As minhas filhas, Patricia e Nicole, verdadeiras joias que Deus repassou aos

    meus cuidados, por preencherem meus dias de encantamentos e alegrias.

    A minha orientadora Professora Dra. Claudia Giglio de Oliveira Gonalves,

    pela competncia cientfica, pelos preciosos ensinamentos, pelas sugestes,

    correes e pacincia.

    A Professora Dra. Adriana Lacerda pelo apoio, ensinamentos, e sempre

    disponvel para uma troca de ideias.

    A Dra. Thais Morata, sempre atenciosa, profissional admirvel, e por

    possibilitar o incio das avaliaes audiolgicas nos pescadores artesanais, o

    pontap inicial para a avaliao dos pescadores industriais.

    A vocs trs, minha eterna amizade, admirao e respeito.

    Ao meu colega e amigo da FUNDACENTRO/SC, Mrio Srgio dos Santos,

    dedicado servidor ao cumprimento da misso de nossa instituio, como poucos que

    conheci, com quem muito aprendi sobre a segurana em embarcaes e sem o qual

    teria sido impossvel realizar as avaliaes de rudo deste estudo.

    Aos fonoaudilogos que realizaram o exame nos pescadores industriais e me

    acompanharam com muito nimo e determinao, enfrentando os desafios durante

    os anos da pesquisa: Dra. Claudia Giglio de Oliveira Gonalves, Dra. Adriana

    Lacerda, Fonoaudilogos Adriana Heupa MSc., Hugo Amilton Santos de Carvalho,

    Gerusa Barilari, Naara Martins Teixeira e as fonoaudilogas canadenses Sandie

    Paulin e Julie Baril da University of Montreal UdeM do Canad.

    Aos estagirios de fonoaudiologia e amigos Hugo Carvalho e Leonardo

    Devido Costa pela valiosa ajuda na coleta e organizao de todos os dados.

    Ao Prof. Dr. Jair Marques pela preciosa colaborao nas anlises estatsticas,

    fundamentais a esta pesquisa.

    Aos Professores do Programa de Mestrado e Doutorado em Distrbios de

    Comunicao, pelo aprendizado fornecido durante estes quatro anos e aos

  • coordenadores do Programa neste perodo Dra. Bianca Zeigelboim e Dra. Claudia

    Giglio de Oliveira Gonalves, o meu muito obrigado.

    Ao Prof. Dr. Tony Leroux pelas horas de ensinamentos e disponibilidade

    dedicadas a esta pesquisa.

    As mdicas Dra. Deborah Cristina Albizu Farchadi e Dra. Patricia Albizu

    Piaskowy por terem se disponibilizado, em suas horas poucas horas vagas, a

    realizar exames mdicos e coletas de sangue nos pescadores industriais, dados

    importantes que faro parte de futuros artigos.

    As queridas colegas fonoaudilogas do Programa de Mestrado e Doutorado

    em Distrbios da Comunicao Dbora Luders, Denise Frana, Adriana Betes

    Heupa, Diolen Lobato, cujas participaes foram fundamentais realizao desta

    pesquisa; aprendi muito com vocs, sem contar que tornaram este trabalho um

    agradvel momento da minha vida.

    Aos colegas e amigos da FUNDACENTRO/PR, Marlene Lucas, Maria do

    Monte Correa e ao chefe do CEPR Adir de Souza pelo apoio durante a realizao

    desta pesquisa; e aos demais colegas e amigos, servidores e terceirizados por toda

    a colaborao prestada sem a qual no seria possvel o desenvolvimento deste

    estudo - aqui no nominados, mas a quem muito prezo.

    Ao estimado colega e amigo Antnio Lincoln Colucci, idealizador e primeiro

    coordenador do Programa Nacional do ACQUA FORUM, incansvel pesquisador

    para melhoria das condies de trabalho dos trabalhadores e trabalhadores das

    guas do Brasil.

    Agradeo a cada um dos pescadores e a todos por trocar horas de descanso

    pelas entrevistas e exames audiolgicos, e permitir-me embarcar e acompanhar a

    pescaria para as medies de rudo, quebrando o mito: mulher no barco d azar.

    Aos sindicatos patronal e dos trabalhadores, SINDIPI e SITRAPESCA por

    toda a colaborao prestada, acolhimento e disponibilidade prestada desde o incio

    deste trabalho em 2007.

    A Universidade Tuiuti do Paran por ser Centro de Excelncia em

    Fonoaudiologia e por permitir e possibilitar a integrao com outras reas para

    crescimento conjunto.

    A FUNDACENTRO, instituio em que completo 30 anos de trabalho e

    admirao por sua misso, e por permitir desenvolvimento de seus servidores na

  • busca de conhecimentos para melhoria das condies de trabalho dos diversos

    setores econmicos e qualidade de vida aos trabalhadores desta nao.

    Aos honrados membros da banca pelas valiosas contribuies, tornando este

    um trabalho ainda melhor.

    E a Deus, por proporcionar-me esta oportunidade e dar-me a chance de

    conviver com todas essas pessoas maravilhosas e, a permitir-me cumprir mais uma

    meta de vida.

  • As we sail through life

    Dont avoid storms

    And rough waters.

    Just let it pass

    Just sail

    Always remember

    Calm seas

    Never Make

    Skillful sailors

    Autor desconhecido

  • RESUMO

    A pesca comercial considerada uma das atividades profissionais mais perigosas do mundo e a exposio contnua ao rudo elevado, seus efeitos, aliados s condies de trabalho contribuem para a elevao do risco. Um trabalhador industrial possui uma jornada de trabalho de 08 horas, durante 05 dias por semana, enquanto os pescadores industriais permanecem embarcados 24 horas durante um perodo de 28 a 50 dias, dependendo da modalidade de pesca. Os estudos a respeito do nvel de presso sonora e os danos que podem causar sade auditiva do pescador industrial so escassos pela dificuldade de avaliao e acompanhamento da jornada de trabalho em alto mar, bem como pela pouca ateno que tem sido dada sade deste trabalhador. Este estudo objetivou investigar a relao entre a exposio do pescador industrial ao rudo ocupacional e os efeitos sobre sua sade auditiva. Trata-se de um estudo observacional, de coorte histrica retrospectiva, de abordagem quantitativa, desenvolvido no perodo de 2007 a 2013. Constituiu-se na aplicao de questionrios, avaliao de rudo em embarcaes de diversas modalidades de pesca, dosimetria de rudo em todas as funes e exames audiolgicos. Os questionrios foram aplicados para caracterizao do perfil sociodemogrfico, das condies de trabalho e anamnese audiolgica ocupacional. A avaliao dos nveis de presso sonora foi realizada nos compartimentos de 15 embarcaes pesqueiras, de 16,9m a 28m, das principais modalidades de pesca do estado de Santa Catarina, cerco, arrasto, emalhe, e isca-viva (atuneiro), e a dosimetria de rudo em pescadores em cinco destas embarcaes. O resultado das avaliaes ocupacionais de rudo, ambiental e dosimetria, indicou nveis de presso sonora acima dos limites de tolerncia preconizados pela legislao trabalhista brasileira, a Norma Regulamentadora NR 15 Anexo 1, da Portaria 3214/78 do Ministrio do Trabalho e Emprego, pela legislao internacional aplicada a embarcaes, a International Maritime Organization, e pelas normas tcnicas da FUNDACENTRO, a Norma de Higiene Ocupacional, NHO-01, e da American Conference of Governmental Industrial Hygienists. Os nveis de presso sonora obtidos em nvel equivalente na dosimetria foram calculados para o nvel de exposio normalizado e o critrio de referncia utilizado foi 80 dBA para 08 horas de exposio, com incremento de duplicao de dose igual a 5. Os nveis de exposio normalizados para 8 horas de exposio esto entre 81,2 dBA e 97,3 dBA. Embora o primeiro esteja abaixo do limite de tolerncia estabelecido na NR 15, ele est acima do nvel de ao de 80 dBA e no h repouso acstico. Nas avaliaes ambientais ocupacionais de cada um do