SCHWARZ, KATIA KALKO.pdf

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of SCHWARZ, KATIA KALKO.pdf

K TIA KALKO SCHWARZ

SUBSTITUiO DE ANTIMICROBIANOS POR PROBITICOS E PREBITICOS NA ALIMENTAO DE

FRANGOS DE CORTE

Dissertao apresentada ao Curso de Ps-Graduao em Cincias Veterinrias, Setor de Cincias Agrrias da Universidade Federal do Paran, como requisito parcial obteno do ttulo de Mestre em Produo Animal.

Orientador: Prot. Or. Sebastio Gonalves Franco

Co-orientadores: Prof. Dr. Luiz Mrio Fedalto

CURITIBA

2002

Or. Sebastio Aparecido Borges

PARECER

A Comisso Examinadora da Defesa de Dissertao da Candidata ao Ttulo de Mestre em Cincias Veterinrias.. rea Produo AnimaI KA TIA KALKO SCHW ARZ aps a realizao desse evento, exarou o seguinte Parecer:

1) A Tese. intitulada "Substituio de Antimicrobianos por Probiticos e Prebiticos na Alimentao de Frangos de Corte' foi considerada, por todos os Examinadores. como um louvvel trabalho. encerrando resultados que representam importante progresso na rea de sua pertinncia.

2) A Candidato se houve muito bem durante a Defesa de Dissertao, respondendo a todas as questes que foram colocadas.

Assim, a Comisso Examinadora, ante os mritos demonstrados pela Candidata, atribuiu o conceito "~,, concluindo que fazjus ao Ttulo de Mestre em Cincias Veterinrias, rea de Produo Animal.

Curitiba, 11 de junho de 2000.

Praf. Dr. SEBAS G NAL VES F ANCa Presidente rientader

k- Ji~ ~d.r-~ Prefa. Ora. NA VITRIA FISHER DA SILVA

Membro

Dr. SEBASTI Membro

iii

AGRADEO

A Deus, por ter me dado a vida, a minha famlia, inteligncia, sade e a

oportunidade de continuar meus estudos.

Aos meus pais Vitaly Kalko (in memorian) e Myra FofanoffKalko, por me

mostrarem a importncia do estudo e o bom uso da inteligncia.

DEDICO

Ao Roberto Luiz Schwarz, meu marido, que sem ele teria sido muito mais

dificil minha formao profissional, sempre me apoiando, sendo um grande

companheiro e incentivador nas horas mais dificeis da minha vida.

Ao Douglas Kalko Schwarz, meu filho que veio ao mundo durante este

curso, me trazendo a verdadeira felicidade ...

iv

AGRADEC~ENTOSESPECVUS

Ao orientador Prof. Dr. Sebastio Gonalves Franco pelas horas de

desapego vida familiar em prol da pesquisa, pela humildade e amizade.

Ao Prof. Dr. Luiz Mrio Fedalto pela dedicao e realizao das anlises

estatsticas desta dissertao.

A NUTRIS - Nutrio Tecnologia & Sistemas, que gerou recursos

fmanceiros e literrios para a execuo do presente trabalho.

Ao Co-orientador Dr. Sebastio Aparecido Borges, por me fazer

compreender que orientar aceitar e tentar corrigir os erros do orientado ... ser

cmplice.

A ProF Dr Ana Vitria Fischer da Silva por trazer conhecimentos

fundamentais para a realizao deste trabalho.

Ao Prof. Dr. Pedro Martinez Albanez, por permitir a utilizao do

Laboratrio de Anlise e Manipulao de Imagem do Departamento de Ps-Graduao

de Zoologia da UFPR e tambm por sua valiosa ajuda.

Ao Centro de Diagnstico "Marcos Enrrietti" / Mariela M. M. Goularte,

pelo fornecimento gratuito das anlises bacteriolgicas.

Ao Laboratrio de Histotecnologia e F otomicrografia do departamento de

Biologia Celular da UFPR, principalmente Sr. Herculano Salviano dos Reis Filho

(Nino) pelo auxilio e dedicao constante.

Que Deus abenoe a todos vocs!

v

AGRADECIMENTOS

A grande amiga e confidente das horas de angstia e felicidade durante todo

o mestrado Pror' Mrcia de Oliveira Lopes.

Ao Prof. Henrique Soares Koehler por ensinar e fazer compreender a

ferramenta maravilhosa que a estatstica.

Prof. Dr Luiz Ernandes Kozicki pela compreenso e auxlio.

Ao Laboratrio de Nutrio Animal (UFPR) , em particular ao Prof. Jos

Sidney Flemming.

As estagirias que participaram ativamente durante o experimento Jaqueline

de Cssia da Silva, Suzane Bodziak e Gisele Aparecida Trinoski.

Ao Departamento de Zoologia da UFPR.

Ao Departamento de Biologia Celular da UFPR.

Aos colaboradores que tiveram sua participao direta ou indireta na

pesqUIsa:

Antnio Carlos Pedroso, pela colaborao durante a execuo do

experimento.

As colegas do curso Patrcia Pimenta de Sillos e Pro:F Maria Jos Dutra.

Aos funcionrios da Ps-graduao em Cincias Veterinrias da UFPR

Francisco Gerber e Natlia Vieira Borges.

A todos os funcionrios da Fazenda Experimental do Canguiri da UFPR.

Muito obrigado

vi

VOZES DO ESPRITO

Deus meu Pai.

A Natureza minha Me.

O Universo meu Caminho.

A Eternidade meu Reino.

A Imortalidade minha Vida.

A Mente meu Lar.

O Corao meu Templo.

A Verdade meu Culto.

O Amor minha Lei.

A Fonna em si minha Manifestao.

A Conscincia meu Guia.

A Paz meu Abrigo.

A Experincia minha Escola.

O Obstculo minha Lio.

A Dificuldade meu Estmulo.

A Alegria meu Cntico.

A Dor meu Aviso.

A Luz minha Realizao.

O Trabalho minha Bno.

O Amigo meu Companheiro.

O Adversrio meu Instrutor.

O Prximo meu Inno.

A Luta minha Oportunidade.

O Passado minha Advertncia.

O Presente minha Realidade.

O Futuro minha Promessa.

O Equilbrio minha Atitude.

A Ordem minha Senha.

A Beleza meu Ideal.

A Perfeio meu Destino.

(psicografia de Francisco Cndido

Xavier/por um esprito que no se

identificou, assinando apenas "O

Esprito ").

Vil

VIVER MORRER,

RENASCER AINDA

TALALEI

Allan Kardec

V111

sUMRIo

LISTA DE ILUSTRAES ........................................................................................................................ ix

LISTA DE SIMBOLOS ............................................................................................................................... xi

RESUMO ....................................................................................................................................................... xii

ABSTRACT .................................................................................................................................................. xiii

1 INTRODUO ........................................................................................................................................ 1

2 REVISO DA LITERATURA ................................................................................................................ 2

2.1 ADITIVOS NA ALIMENTAO DE AVES ........................................................................................ 2

2.2 PROBITICO ......................................................................................................................................... 6

2.2.1 Leveduras Vivas (Saccharomyces cerevisae) ....................................................................................... 9

2.3 PREBITICOS ....................................................................................................................................... 11

2.3.1 Parede Celular de Levedura (Mananoligossacarideo-MOS) ................................................................ 12

2.3.2 Frutoligossacarideos ............................................................................................................................. 12

2.4 SAPONINAS .......................................................................................................................................... 13

2.5 MORFOLOGIA INTESTINAL .............................................................................................................. 14

3 MATERIAL E MTODOS ..................................................................................................................... 18

3.1 MANEJO DA CAMA .............................................................................................................................. 19

3.2 MANEJO NA FASE INICIAL ................................................................................................................ 20

3.3 MANEJO NA FASE DE CRESCIMENTO E FINAL ............................................................................ 20

3.4 MORFOLOGIA INTESTINAl AOS 45 DIAS ....................................................................................... 21

3.5 DELINEAMENTO EXPERIMENTAL .................................................................................................... 23

3.6 ALIMENTAO .................................................................................................................................... 24

4 RESULTADOS E DISCUSSO .............................................................................................................. 25

5 CONCLUSES ......................................................................................................................................... 40

REFERNCIAS .......................................................................................................................................... 41

TABELA

TABELA

TABELA

TABELA

QUADRO

QUADRO

QUADRO

FIGURA

LISTA DE ILUSTRAES

1 - COMPOSIO PERCENTUAL E CALCULADA