Sermão Nº 1279, Maravilhosa Graça, por Charles Haddon Spurgeon

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Sermão Nº 1279, Maravilhosa Graça, por Charles Haddon Spurgeon

  • MARAVILHOSA GRAA C. H. SPURGEON

  • Issuu.com/oEstandarteDeCristo

    Traduzido do original em Ingls

    Amazing Grace Sermon N 1279

    The Metropolitan Tabernacle Pulpit Volume 22

    By C. H. Spurgeon

    Via SpurgeonGems.org

    Adaptado a partir de The C. H. Spurgeon Collection, Version 1.0, Ages Software.

    Traduo e Capa por William Teixeira

    Reviso por Camila Almeida

    1 Edio: Maro de 2015

    Salvo indicao em contrrio, as citaes bblicas usadas nesta traduo so da verso Almeida

    Corrigida Fiel | ACF Copyright 1994, 1995, 2007, 2011 Sociedade Bblica Trinitariana do Brasil.

    Traduzido e publicado em Portugus pelo website oEstandarteDeCristo.com, com permisso de

    Emmett ODonnell em nome de SpurgeonGems.org, sob a licena Creative Commons Attribution-

    NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International Public License.

    Voc est autorizado e incentivado a reproduzir e/ou distribuir este material em qualquer formato,

    desde que informe o autor, as fontes originais e o tradutor, e que tambm no altere o seu contedo

    nem o utilize para quaisquer fins comerciais.

  • Issuu.com/oEstandarteDeCristo

    Maravilhosa Graa (Sermo N 1279)

    Pregado por C. H. Spurgeon, no Tabernculo Metropolitano, Newington.

    Eu vejo os seus caminhos, e o sararei, e o guiarei, e lhe tornarei

    a dar consolao, a saber, aos seus pranteadores. (Isaas 57:18)

    Existem alguns objetos na criao que nunca deixam de surpreender o espectador. Eu acho

    que Humboldt disse que nunca poderia olhar para as coxilhas, sem espanto. E eu suponho

    que alguns de ns nunca sero capazes de olhar para o oceano, ou ver o nascer ou pr do

    sol sem sentir que temos diante de ns algo sempre fresco e sempre novo. Agora, eu tenho

    sido, no s por amar isto, mas por causa da minha vocao de pregar isso, um leitor cons-

    tante da Sagrada Escritura, e mais que frequentemente deso a passagens bem conheci-

    das, e as passagens ainda depois desses 25 anos me surpreendem tanto quanto sempre.

    Como se eu nunca tivesse ouvido falar delas antes, elas vm a mim, e no apenas com

    frescor, mas mesmo causando espanto em minha alma!

    Esta uma dessas pores da Escritura. Quando eu li o captulo que descreve a maldade,

    a impiedade horrvel de Israel, quando percebo os fortes termos que a inspirao utiliza e

    nenhum deles muito forte para expor a maldade horrvel da nao, isso me desconcerta! E

    depois vejo a misericrdia que segue, em vez de julgamento! Isto me esmaga! Eu vejo os

    seus caminhos, e no adicionado, irei destru-lo, ou varr-lo para longe mas, o

    sararei. Em verdade, a graa de Deus, como as grandes montanhas, no pode ser dimen-

    sionada! Assim como as profundezas do mar, ela nunca pode ser compreendida e, como o

    espao, ela nunca pode ser medida!

    Ela , como o prprio Deus, maravilhosa, incomparvel, sem limites. Oh, as profundezas!

    Oh, as profundezas. Tentarei expor a surpreendente graa de Deus, como Seu Esprito

    me capacitar, ao mostrar, primeiro, que o pecador contemplado por Deus: Eu vejo os se-

    us caminhos. E ainda assim o pecador o objeto da misericrdia Divina: e o sararei, e o

    guiarei, e lhe tornarei a dar consolao, a saber, aos seus pranteadores.

    I. O texto declara que O PECADOR TEM SIDO OBSERVADO PELO SENHOR. Muitos ho-

    mens aliviaro uma pessoa desconhecida em perigo a quem no pensariam em ajudar se

    conhecessem o seu carter. Alguns coraes generosos esto perpetuamente vitimados

  • Issuu.com/oEstandarteDeCristo

    desta forma, eles dispensam seu dinheiro para aqueles que so totalmente indignos, mas

    se soubessem desta indignidade no seriam to liberais com suas ddivas. Agora, o Senhor

    est ciente da indignidade daqueles a quem Ele d a sua graa, e a glria desta graa

    que Ele a derrama sobre o absolutamente indigno. Ele sabe exatamente o que os homens

    so e ainda assim Ele bondoso para com o mau e para com os ingratos. Ele d a Sua

    graa para aqueles que, como Manasss, e Saulo de Tarso, e o ladro moribundo, no tm

    nada, seno o pecado sobre eles e merecem a Sua ira em vez de Seu amor misericordioso.

    Observe, em primeiro lugar, que a oniscincia de Deus tem observado o pecador. O ho-

    mem, ao viver em rebelio contra Deus, est tanto sob os olhos de seu Criador, como as

    abelhas em uma colmeia de vidro esto sob seus olhos quando voc est assistindo todos

    os seus movimentos. Os olhos de Jeov nunca dormem. Eles nunca so retirados de uma

    nica criatura que Ele fez. Ele v o homem, o v em toda parte, o v por completo, de modo

    que Ele no apenas ouve as suas palavras, mas conhece os seus pensamentos! Deus no

    se limita a contemplar suas aes, mas pesa suas motivaes e sabe o que est no homem,

    bem como o que sai do homem. Um deles muitas vezes levado a clamar, Tal conheci-

    mento maravilhoso demais para mim! to alto, que eu no posso alcan-lo. Que Deus

    saiba de tudo, at mesmo todas as pequenas coisas sobre o pecado do homem uma

    coisa terrvel para as almas no perdoadas pensarem.

    Eu estava lendo, no outro dia, uma observao muito bonita sobre uma das frases de nosso

    Salvador e eu no posso deixar de cit-la para voc. Voc se lembra Ele diz que dois passa-

    rinhos so vendidos por um asse e ainda um deles no cai no cho sem o seu Pai? Mas

    em outra passagem Ele diz: No se vendem cinco passarinhos por dois asses? E nenhum

    deles est esquecido de Deus. Voc percebe isso? Dois por um asse, cinco por dois asses,

    para que haja lance mpar em tomar uma quantidade dupla. Apenas um pardal! Ningum

    se importa com um pardal mpar, mas nenhum deles esquecido por seu Pai celestial, nem

    mesmo o pardal sem par! E assim, no h pensamento dos seus, nem imaginao, nem

    ninharia que voc tenha esquecido completamente, o que, na verdade, voc nunca teve a

    menor ateno de, tenha escapado ateno do seu Pai celestial. O texto verdadeiro em

    mxima medida possvel. Tenho visto os seus caminhos. Deus tem visto os seus cami-

    nhos em casa, os seus caminhos no exterior, os seus caminhos na loja, suas maneiras no

    quarto de dormir, os seus caminhos interiores, bem como os seus caminhos fora, as formas

    de seu julgamento, os caminhos de sua esperana, as formas de seu desejo, os caminhos

    de sua luxria maligna, os caminhos de suas murmuraes, as formas de seu orgulho. Ele

    viu todos eles e os v perfeita e completamente!

    E a maravilha que, depois de ver tudo, Ele no abateu, mas em vez disso, tem proclamado

    esta incrvel palavra de misericrdia, Tenho visto os seus caminhos, e o sararei. Eu vi tudo

  • Issuu.com/oEstandarteDeCristo

    o que ele fez, e ainda por tudo isso eu no vou expuls-lo da Minha presena, mas vou co-

    locar Minha misericrdia e Minha sabedoria para operarem com habilidade Divina para cu-

    rarem este pecador da maldade de sua alma. Enquanto estvamos lendo o captulo eu

    no podia deixar de sentir que era um captulo quase demasiado forte para ler em pblico!

    Olhei-o por completo, e eu disse: Quer que eu leia?. Algumas de suas aluses so to

    dolorosas que algum pode consider-las, mas no gostaria de explic-las.

    A sabedoria Divina no conseguiu encontrar nada, seno os vcios que esto apenas sendo

    mencionados, para descrever a maldade do corao humano. uma coisa suja que Ele

    deve compar-lo com a lascvia e impureza daqueles que esto entregues ao apodrecimen-

    to total da licenciosidade. E, no entanto, depois de descrever o carter, o Senhor diz: Tenho

    visto os seus caminhos, e o sararei. Eu vi tudo de ruim em seus caminhos e eu no tenho

    percebido nada de bom neles, porm, embora eu saiba de toda a sua conduta e veja a

    imundcie de tudo isto, ainda virei a ele, e Eu o sararei.

    Voc percebeu, enquanto eu estava lendo, que as pessoas descritas eram um povo que

    antes zombavam da religio. De quem fazeis o vosso passatempo? Contra quem escanca-

    rais a boca, e deitais para fora a lngua?. Eles tinham feito o nome e a honra de Deus os

    temas de profano esporte! Eles haviam ridicularizado o povo de Deus, chamando-os de hi-

    pcritas, fanticos, entusiastas, ou qualquer outra coisa que ocorresse ser os nomes signi-

    ficativos os quais eles lanaram contra os santos naqueles dias. Eles tinham brincado com

    a virtude e escarnecido da piedade, e ainda assim, o Senhor diz: Tenho visto os seus cami-

    nhos. Tenho ouvido suas piadas irreverentes e insultos ridculos. Conheo seus sarcasmos.

    Eu sei das tuas falsidades, que calnia derramam em Meu prprio povo amado, e Minha

    ira se levanta contra aqueles que tocam em Meu ungido. Mas por tudo isso Eu vou cur-lo.

    Eu o vi colocar a lngua para fora, ao nome de Jesus. Eu o vi se comportar excedendo

    orgulho quando Meu Evangelho tem sido o assunto da conversa. Mas por tudo isso, embora

    Eu tenha visto os seus caminhos altivos, o sararei.

    Oh, o esplendor desta graa! este o tipo de homens, Senhor Deus? Certamente, to

    altos como os cus esto acima da terra, assim so os Teus caminhos acima nossos cami-

    nhos! Essas pessoas parecem ter sido bastante apaixonadas pelo pecado. De acordo com

    as Escrituras, voc ver que eles no poderiam ter o suficiente. Que montanha havia sobre

    a qual Israel no tinha posto seus altares? Que pedra estava l, polida pelo fluxo da cor-

    rente, que no haviam consagrado a um dolo? O carvalho gigante havia por todo o Bas

    em que no haviam realizado rituais msticos e diablicos ao falso deus? A terra foi mancha-

    da com o sangue de seus filhos oferecidos a Moloque! Sim, ela