sesi goiás

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Senai GoisParceria com TeuToincremenTa caPaciTao

    Sesi Goisas vanTagens do ensinoem TemPo inTegral

    Ano 59# 246

    Junho 2012

    Revista do Sistema Federaodas Indstrias do Estado de Gois

    EntREvIStAO ensino a distncia demonstra ser to eficiente quanto o convencional, com a vantagem de vencer barreiras geogrficas que a educao presencial no alcana, afirma Stavros Panagiotis Xanthopoylos, diretor executivo da FGV Online

    A indstriA fArmAcuticAsob AtAqueo vertiginoso crescimento do setor e a caducidade de patentes bilionrias reavivam o apetite de grandes grupos estrangeiros e nacionais, que preparam a segunda onda de aquisies no estado

  • No para de chegar citao.Desse jeito no sai um livro,

    sai uma coleo.

    SESI. Indstria e educao sempre juntas.

    Sist

    ema

    Fieg

    /Asc

    om

    Depois da fuso entre Sadia e Perdigo, o SESI foi a melhor parceria que fizemos. A maior quantidade de servios e parcerias em Gois. O presidente Pedro Alves est de parabns por estar aqui em uma coisa muito simples, que a inaugurao da Unidade Sesi Indstria do Conhecimento, mas de grande importncia para ns e para nossos colaboradores.

    Amarildo Carlos Rodriguesgerente administrativo regional de Gois e Minas Gerais da Brasil Foods (Perdigo)

    SESI. Indstria e educao sempre juntas.

  • Gois industrial Junho 2012 3

    dilma rousseff presta inestimvel servio ao desenvolvimento econmico e social do brasil, o que ser bom para os trabalhadores, as empresas e a sociedade brasileira

    Pedro Alves de oliveira Presidente da Federao das Indstrias do Estado de Gois

    Artigo>>

    JuRoS mEnoRES E BRASIl mAIoRReivindicao antiga e insistente das classes pro-dutoras, as exorbitantes taxas de juros bancrios e spreads (diferena entre a taxa de captao do banco e o juro final) esto caindo, graas cora-gem e determinao da presidente Dilma Rous-seff, para atingir e se manter em padres interna-cionais. Com isso, ela presta inestimvel servio ao desenvolvimento econmico e social do Brasil, o que ser bom para os trabalhadores, as empre-sas e a sociedade brasileira. A princpio, essa transformao atingiu o Banco do Brasil e a Caixa Econmica Federal, que se si-tuam entre as maiores e mais slidas instituies financeiras do Pas, e diminuiu significativamen-te as taxas de juros de suas vrias linhas de crdi-to. A presso presidencial no cessou e ocorreram os primeiros sinais de que os bancos particulares tambm iniciaram a reviso de seus clculos, aderindo ao bom senso, o que no aconteceu no ano passado, mesmo tendo o Congresso Nacio-nal aprovado o Cadastro Positivo, a listagem dos credores pontuais que eles aspiravam.Nunca demais repetir exemplos dos valores irreais dos juros aqui impostos produo e ao consumo. Enquanto nos Estados Unidos e na Eu-ropa, no rigor da crise financeira que os sufoca, sua mdia de 8% ao ano, entre ns os juros ul-trapassam 60%. Com eles, no fim de 12 meses de pagamentos, o brasileiro j pagou a geladeira que comprou e mais da metade do preo de outra. Em dois anos, pagou duas geladeiras e boa parte de uma terceira. o chamado CDC (Crdito Direto ao Consumidor), importante para apoiar as ven-das do comrcio. Na linha de financiamento dos cartes de crdito, a taxa de juros mdia atualizada chega a 180%,

    diante de uma inflao de 6% ao ano, numa autntica expropriao, praticada justamente contra gente simples, de parcos recursos, que se utiliza desse financiamento por no dispor de outras fontes.Revolta o crdito consignado, praticado contra os aposentados e servidores pbli-cos de menores salrios. Essa linha, que no apresenta ris-cos a quem empresta, alcan-a 40% ao ano. Deixando clara sua disposio de luta e apoio a quem tra-balha e produz, no comeo de abril, a presidente anun-ciou novas medi-das para aque-cer a economia e ajudar a inds-tria a enfrentar a crise econmica mun-dial, dentro do Plano Brasil Maior. O governo reforou aes sobre cm-bio e medidas tributrias, com desonerao da folha de pagamento e estmulos produo na-cional. Buscou a reduo do custo do comrcio exterior. Criou melhores linhas de crdito, por meio do Banco Nacional do Desenvolvimento Econmico Social (BNDES), e condies mais fa-vorveis para a indstria automobilstica.As medidas anunciadas podem no ter sido as ideais, mas se situam dentro das possibilidades e, certamente, j esto produzindo bons frutos.

  • 4 Gois industrial Junho 2012

    ndice>>

    26 Depois de movimentar quase R$ 2 bilhes nos ltimos trs anos em aquisies de indstrias goianas do setor farmacutico, grandes grupos estrangeiros e nacionais embarcam numa segunda onda de compras, que poder alcanar mais R$ 1,65 bilho nos prximos meses

    senAi Gois

    36 Em parceria com o Senai e o Sesi, por meio das unidades operacionais de Anpolis Roberto mange, Jundia e Jaiara , o laboratrio teuto incrementa seu projeto de formao e capacitao de pessoal para sua unidade instalada no Distrito Agroindustrial de Anpolis

    cAPA>> entrevistA

    8 os resultados mais recentes do Exame nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), do ministrio da Educao e Cultura (mEC), mostram que a educao a distncia tem sido to efetiva quanto os meios convencionais. A vantagem, afirma Stavros Panagiotis Xanthopoylos, diretor executivo da FGv online, que o ensino a distncia consegue ultrapassar barreiras geogrficas que a educao presencial no consegue.

    sesi Gois

    12 o grau de sucesso da experincia da Escola de tempo Integral em unidades do Sesi de Goinia e Anpolis pode ser medido por seus resultados, com oferta de ensino de qualidade, maior tranquilidade para as famlias de trabalhadores na indstria e ganhos de produtividade nas fbricas, o

    que tem provocado grande demanda pelo servio

    iel Gois

    16 o estgio transforma a vida de centenas de milhares de jovens estudantes, ao aproximar o mundo acadmico do mercado de trabalho, facilitando o acesso ao emprego

    >>

    >>

    >>

    >>

  • Gois industrial Junho 2012 5

    icq brAsil

    20 uma fora-tarefa, composta por entidades do setor da construo civil e da indstria, com a participao da Fieg e quatro sindicatos setoriais, instituies de ensino superior e a Caixa Econmica Federal, tenta adequar construtoras, incorporadoras e fabricantes de materiais de construo s exigncias de maior qualidade, conforto e segurana para edificaes habitacionais

    inovAo

    39 Apenas quatro empresas do Centro-oeste, das quais trs goianas, utilizaram os benefcios fiscais previstos na lei do Bem. o ponto relevante, afirma Andr Palma, diretor para o Brasil da Global Approach Consulting (GAC), que as empresas da regio no demonstram apetite para investir em inovao. A regio est ficando para trs, dispara ainda

    enerGiA

    40 Assinados os acordos de gesto e de acionistas entre a Eletrobras e a Celg, a concessionria saneia seus passivos, credencia-se para retomar o processo de reajuste de suas tarifas e recupera a capacidade de investimento, prevendo R$ 1,290 bilho at 2015 e o suprimento de uma demanda reprimida superior a 200 megawatts

    rodoviAs

    41 A Agncia Goiana de transportes e obras Pblicas (Agetop) espera concluir at julho a reconstruo de 2.081 quilmetros de rodovias estaduais, num investimento de R$ 386,0 milhes, e prepara o lanamento da segunda fase do programa, que prev a restaurao de outros 2.081

    quilmetros

    rio + 20

    42 A Confederao nacional da Indstria (CnI) quer aproveitar a Conferncia das naes unidas sobre Desenvolvimento Sustentvel, a Rio + 20, que ser realizada entre 13 e 22 junho prximo, para assumir o papel de protagonista no projeto nacional de desenvolvimento sustentvel

    mAde in Gois

    43 A uSE mveis para Escritrio anuncia plano de investimentos que dever exigir desembolsos entre R$ 65 milhes a R$ 70 milhes nos prximos cinco anos, dos quais R$ 35 milhes j esto sendo aplicados em sua nova planta, em Goianira, dobrando sua capacidade atual

    >>

    >>

    >>

    >>

    >>

    >>

    >>

  • 6 Gois industrial Junho 2012

    direo Jos Eduardo de Andrade neto

    coordenao dejornalismo

    Geraldo neto

    ediolauro veiga Filho

    subeditorDehovan lima

    reportagemAndelaide Pereira, Clia oliveira, Daniela Ribeiro,

    Edilaine Pazini, Jvier Godinho, nathalya toaliari e Janaina

    Staciarini e Corra

    colaboraoWelington da Silva vieira

    fotografia:Slvio Simes, Alex malheiros e

    Srgio Arajo

    capa e ilustraesGabriel martins e Chico Santos

    Projeto grficoWesley Cesar

    diagramao e produoClarim Comunicao e

    marketingRua S-6 n 129, Sala 01,

    Setor Bela vista(62) 3242-9095

    www.clarimcomunica.com.brcontato@clarimcomunica.

    com.br

    Publicidadevalria Aquino

    (62) 9242-1377 e 8113-3148valeriaraquino@gmail.com

    fotolito e impressoGrfica Kelps

    As opinies contidas em artigos assinados so de responsabilidade de seus

    autores e no refletem necessariamente

    a opinio da revista

    sistema fieG

    federao das indstrias do estado de Gois

    Presidente:Pedro Alves de oliveira

    Av. Araguaia, n 1.544, Ed. Albano Franco, Casa da Indstria - vila nova CEP 74645-070 - Goinia-GoFone (62) 3219-1300Fax (62) 3229-2975

    Home page:www.sistemafieg.org.br

    e-mailfieg@sistemafieg.org.br

    ncleo reGionAl dA fieG em AnPolis

    Presidente: ubiratan da Silva lopes

    Av. Eng Roberto mange, n 239-A, Bairro Jundia, CEP 75113-630, Anpolis-GoFone/Fax (62) 3324-5768 / 3311-5565

    e-mail: nureaps@sistemafieg.org.br

    sesiServio Social da Indstriadiretor regional: Pedro Alves de oliveirasuperintendente: Paulo vargas

    senAiServio nacional de Aprendizagem Industrialdiretor regional: Paulo vargas

    ielInstituto Euvaldo lodidiretor: Hlio navessuper