Click here to load reader

Sexta 13 12 13

  • View
    225

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição com o editorial da vergonha na cara, e as inúmeras teses sobre o futuro da Secretaria dos Transportes;

Text of Sexta 13 12 13

  • Fundado em 17 de Dezembro de 2010 | O Sexta Empresa Jornalstica Livre e Atuante, um produto exclusivo do Grupo Sexta de Comunicao | jornalsexta.com.br | R$ 1,00

    Jornal Sexta | Ano 3 | Edio 140 | Sexta, 13 de Dezembro de 2013 | Viamo |Rio Grande do Sul

    >> VELOCIDADE

    Guerreiros viamonensesGuerreiros viamonensesGuerreiros viamonenses

    FO

    TO

    S:

    Dan

    iel Jaeg

    er M

    arq

    ues

    Trio de pilotos de Viamo, completou as12 Horas de Tarum com o Fusca Hot

    #55. Jorginho e Leonardo Flores eRogrio Bareta ficaram na 11

    colocao no geral e em 4na Categoria V | PGINA 13

    Ateno Funcionrio Municipal. Temos umatima notcia pra voc. Leia a contracapa

  • >> Editorial

    EXPEDIENTEJornal SextaEmpresa JornalsticaLivre e Atuante |Viamo | Rio Grandedo Sul | Brasil.CNPJ = 12.942.789/0001-89

    Diretor = DanielJaeger Marques

    JornalistaResponsvel:Daniel Jaeger MarquesReg.Prof. 15.160

    Semanrio(sextas-feiras)Tiragem: 5 milexemplares

    DiagramaoEletrnica: DanielJaeger Marques.

    Contato pelo [email protected]

    Chefe deReportagem:Arruda Filho.

    O Jornal Sexta estinscrito sob o nmero06, s folhas 001, doLivro B, nmero 2, do

    Servio de Registro

    Civil das Pessoas

    Jurdicas, Jornais, Ofi-cinas Impressoras,Empresas de Radiodi-fuso e Agncia de No-tcias de Viamo.

    O Jornal Sexta umproduto exclusivo do

    Grupo Sexta deComunicao de

    Viamo/RSTELEFONES:

    (51) 9772.5707 (Vivo)

    (51) 9414.4742 (Claro)(51) 8444.4877 (Oi)

    (51) 8106.4767 (Tim)

    As opinies doscolunistas no refletem

    necessariamente aopinio

    do JornalSexta de Viamo.

    PGINA 2 2

    O Sexta quer disponibilizar ao leitor uma agendacom o que acontece na cidade e na regio. Mande aatividade do seu bar, sua entidade, sua igreja, seu

    CTG, sua banda, seu stio de lazer para [email protected] Se o evento no tiver cobrana de ingressoou entrada, a divulgao gratuita. ATENO: isto

    para eventos, no para estabelecimentos comerciais emgeral. Consulte o departamento comercial.

    PGINA 2Viamo - 13 de Dezembro 2013 www.jornalsexta.com.br | www.viamaoagora.com.br

    Agora, acabou-se de vez todo o resqucio de pudorque o atual governo municipal pudesse ter. Queremcobrar uma taxa de iluminao pblica.

    Alguns andam dizendo que esta taxa j existe, naconta de luz. Outros acham que algo diferente. Vamosaos fatos.

    A Prefeitura Municipal mantm um cadastro das ruasque tm lmpadas instaladas. Ela informa CEEE quan-tas lmpadas tem, a potncia e o tipo delas. Com isso, feito um clculo de quanta energia essas lmpadas gas-tam, e o custo loteado entre os consumidores quemoram nas ruas iluminadas.

    Ento, na conta de luz, pagamos pela ENERGIA. Ataxa que o prefeito quer inventar, pagaria a MANU-TENO. Como se as pessoas j no pagassem IPTU eoutros impostos! Se bobear, at quem no tem ilumina-o na sua rua, vai pagar.

    E quem no tem luz normalmente so os moradoresdas vilas mais pobres da zona urbana, e dos cantes dazona rural. Ou seja, os pobres pagando por um servioque atende classe mdia e aos ricos.

    A est o engodo. Um plano maquiavlico, s con-cebvel pela mente de pessoas srdidas, mal intencio-nadas: os pobres pagaro mais do que os ricos.

    Outro truque inventado pelo governo da Mudanade Mentira a TAXA DO LIXO, essa sim, um golpe demestre. Cada imvel pagaria essa taxa, seja a humildecasinha da idosa sozinha, que mal produz alguns res-duos, ou o supermercado, a loja, que produzem tonela-das de dejetos diariamente.

    Como o custo dessa taxa no levaria em conta aquantidade de lixo produzido pelo imvel, claro que ospobres acabaro pagando mais do que devem - e osgrandes empresrios do comrcio, menos.

    O prefeito Bonatto prova mais uma vez que umRobin Hood invertido, que tira dos pobres para dar aosricos.

    As pessoas normalmente no percebem a relaode uma coisa com a outra, mas tudo muito simples: porexemplo, o fechamento do galpo da reciclagem na Es-talagem - a quem interessou aquilo? Ao grande empre-srio, oras. H uma empresa que recolhe lixo nas ruasde Viamo, e ela ganha por tonelada de entulhos entre-gues no lixo da cidade.

    Se h galpo de reciclagem, h catadores trabalhan-do. E catadores (essas pessoas aparentemente sem im-portncia, malvestidas, despenteadas, que puxam carri-nho pelas ruas) so timos para o meio ambiente. Re-movem toneladas de lixo todos os dias, das ruas dacidade. Mas, fazendo isso, acabam tornando-se umador de cabea para quem, ao dar destino bem menosecolgico para o lixo, lucra milhes.

    Tudo se encaixa. Tudo faz sentido. No governo daMudana de Mentira, o sentido um s: encher osbolsos dos grandes bares do dinheiro. Bonatto go-verna para os seus, para sua classe. E nem se d aotrabalho de esconder. Acabou-se mesmo a vergonha nacara.

    ACABOU-SE

    A VERGONHA

    NA CARA

    (51) 3108-7330 | (51) 9986-3865

    VISITE: www.JORNALSEXTA.com.br>> CMARA DE VEREADORES

    Cmara se manifesta contrrio volta do imposto da luzBonatto prope a volta de taxa de iluminao pblica. Vereadores

    so contra e pretendem derrubar iniciativaA Cmara deve analisar nos prximos dias, o projeto de lei (PL) 231/2013, de autoria do prefeito

    Valdir Bonatto (PSDB), que prev uma nova matriz tributria para o municpio, o chamado CdigoTributrio. Entre os pontos polmicos da proposio est a possibilidade da Prefeitura voltar acobrar a taxa de iluminao pblica, popularmente chamado de imposto da luz, que era cobrada em2005 (Lei Municipal 3428), mas que foi invalidada devido inconsistncia da legislao.

    Segundo o presidente da Cmara Municipal, vereador Lus Armando Azambuja (PT), a falta deregulamentao na poca e uma emenda de sua autoria, isentando contribuintes viamonenses doimposto da luz, foram determinantes para que a taxa de iluminao pblica no vingasse, o que foibastante positivo e que beneficiou milhares de contribuinte.

    COBRANA ABUSIVA E EM DUPLICIDADE - No h razo para a cobrana. A comuni-dade j contribui para a manuteno da iluminao pblica atravs da taxa de servios pblicos,vinculada ao pagamento anual do IPTU. Aprovar uma nova taxa, atrelada conta de luz, desneces-srio e constitui em duplicidade de cobrana que considerada abusiva. Este novo imposto seria umretrocesso, destaca o vereador Armando.

    RECURSIS FEDERAIS SO UTILIZADO EM MELHORIA - Para o vereador Armando, astributaes federais sobre a distribuio de energia, que j incide nas contas de luz tm sido respon-sveis pela qualificao dos servios de iluminao pblica em todo o pas, atravs do ProgramaReluz, do Governo Federal, cabendo aos municpios apenas a manuteno, como a troca de lmpadasqueimadas e reatores danificados, j so custeados com recursos oriundos do IPTU.

    O governo federal tem dado suporte aos municpios e tem sido assim em tambm em Viamo.Fomos contrrios taxao em 2005, e conquistamos a iseno para milhares de consumidores deViamo. Estamos novamente defendendo, no somente a iseno, mas a extino definitiva destataxa, concluiu Armando. A votao do PL 231/2013 est prevista para os prximos dias. Emendas devrios vereadores pretendem suprimir a cobrana da taxa da proposta do novo cdigo tributrio entreoutras modificaes e adaptaes que causem menos impacto no oramento dos contribuintes.

    ARMANDO CONTRA PROPOSTA DE BONATTO QUE REAJUSTA EM MAIS DE 500%A TAXA DE LIXO NO IPTU - Uma srie de modificaes na matriz tributria municipal, junto aoprojeto de lei (PL) 231/2013, o chamado Cdigo Tributrio, proposta pelo prefeito Valdir Bonatto(PSDB), tem preocupado os vereadores pela possibilidade de criar um abismo tributrio, gerandoinjustia social na cobrana de impostos. OPL 231/2013 esta para ser votado nos prxi-mos dias pela Cmara com diversos pontospolmicos onde a Prefeitura alm trazer devolta a taxa de iluminao pblica, popular-mente chamado de imposto da luz, ainda rea-justa diversos ndices do mercado de indica-dores de impostos de Viamo, como a Unida-de de Referncia Municipal (URM), o ITBI(Imposto de Transmisso de Bens ImveisInter-Vivos), o IPTU (Imposto Predial Terri-torial e Urbano) e as taxas de coleta de lixo e de servios urbanos, alm do ISS (Imposto SobreServios). Tambm est prevsita a atualizao dos valores venais dos imveis, principal indicadorpara cobrana do IPTU, entre outras taxas e tributaes municipais. Reunido com os demais vereado-res, o presidente da Cmara, vereador Lus Armando Azambuja (PT), props projeto de emenda paramanter os mesmos valores e parmetros atuais para o exerccio de 2014, como forma de garantir ummodo justo de cobrana.

    MAIS DE 500& A TAXA DE LIXO NO IPTU - De acordo com o vereador Armando, a implan-tao da Unidade de Referncia Municipal (URM), tambm vai gerar uma injustia social, realizandoum reajuste superior realidade no municpio e da infraestrutura oferecida. Para ele, os valores dereferncia pretendidos pelo projeto do Executivo vo onerar os contribuintes viamonenses, porquedesta maneira nivela-se as taxas cobradas. Pela proposta, independente do tamanho da edificaoresidencial, o contribuinte vai pagar R$ 270 reais, onde hoje cobrado R$: 47,00 reais, como taxa decoleta de lixo. Para um contribuinte de uma regio com infraestrutura completa e com uma casa acimade 400 metros quadrados, talvez isso no represente muito, mas para o morador de uma casa de 60metros quadrados, onde o esgoto corre a cu aberto e as ruas so esburacadas, isso demasiado eabusivo, pois somando aos valores do IPTU o aumento pode chegar a 500% dos valores atuais ,enfatizou Armando. Armando v como natural a manifestao de alguns vereadores contrrios votao imediata do projeto de lei, fato que irritou a bancada governista. Da maneira como foiapresentado, no vemos a possibilidade de aprovao, pois onera de forma significativa os tributos.No leva em considerao os princpios de justia social, e a realidade do povo viamonense, disse overeado

Search related