SHT GuiaTecnico V15

  • View
    226

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of SHT GuiaTecnico V15

  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    1/12

    O Portal da Construo

    O Portal da ConstruoImpasse Rua General Taborda,

    11 A, 1070-138 LisboaTel: 213 822 110 Fax:213 822 128

    [email protected]

    Guia Tcnico

    Segurana e Higiene doTrabalho

    Volume XV Higiene noTrabalho

    um Guia Tcnico de O Portal da Construo

    www.oportaldaconstrucao.com

    Dezembro de 2008

    Copyright O Portal da Construo, todos osdireitos reservados.

    Este Guia Tcnico no pode ser reproduzido oudistribudo sem a expressa autorizao de

    O Portal da Construo.

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 1O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    mailto:[email protected]://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/mailto:[email protected]://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    2/12

    O Portal da Construo

    ndice

    1.Introduo ......................... 3

    2. Ramos da Higiene do Trabalho ........ 4

    3. Agentes agressivos ............... 6

    4. Composio do ar .......... 7

    5. Aco fisiolgica dosagentes qumicos .......... 9

    6. Dose ............. 11

    Sobre os autores deste Guia Tcnico .. 12

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 2O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    3/12

    O Portal da Construo

    1.Introduo

    No decurso dos volumes anteriores deste Guia Tcnico, temosreflectido sobre os vrios campos da Segurana do Trabalho.Agora, neste Volume XV, vamos dedicar-nos ao outro ramo qued nome a este Manual: a Higiene do Trabalho.

    Amide, e quando necessrio, fomos aflorando temasrelacionados com este campo, mas neste captulo iremos trat-lo de forma condensada e sistematizada.

    A Segurana do Trabalho a actividade decorrente daanlise de riscos, preveno, proteco, gesto dos riscos edemais medidas necessrias, no decurso dos riscos deoperao (por exemplo, mquinas desprotegidas ou pisosmolhados).

    A Higiene do Trabalho, por sua vez, pode ser consideradacomo:

    A actividade que contm a preveno e controlo dosriscos do ambiente (por exemplo, as atmosferas perigosas, o

    rudo, o calor, etc...);

    As tcnicas de actuao sobre os contaminantesfsicos,qumicos e biolgicos que tm por finalidade prevenirdoenas profissionais.

    Em suma, questes relacionadas com a Segurana do Trabalhocolocam-se sempre que uma pessoa est a produzir, enquantoquestes relacionadas com a Higiene do Trabalho colocam-sesempre, uma vez que se tratam, primeiro que tudo, deproblemas ambiental. Esta rea estuda o efeito cumulativo decontaminantes que podero degenerar em doenas

    profissionais.

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 3O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    4/12

    O Portal da Construo

    2. Ramos daHigiene do

    Trabalho A Higiene do Trabalho pode ser subdividida em quatro ramos.

    Higiene Terica

    A Higiene Terica estuda a relao dose/resposta(contaminante tempo de exposio Homem).

    Estabelece valores padro de referncia, bem como os nveisadmissveis de concentrao ou os valores limite de exposio.

    Higiene Analtica

    Este campo identifica qualitativa e quantitativamente oscontaminantes presentes no meio ambiente.

    Higiene Operativa

    O ramo da Higiene Operativa encarrega-se de oferecersolues para manter as condies de trabalho dentro doslimites da no-perigosidade. Por exemplo:

    Substituio das substncias ou dos processos por

    outros menos agressivos; Isolamentos do contaminante face ao ambiente dos

    trabalhadores;

    Captao do contaminante no ponto da sua origem;

    Ventilao geral;

    Confinamento das operaes perigosas, para limitar onmero de pessoas expostas ao risco;

    Diminuio dos tempos de exposio (por exemplo,fomentar a rotatividade);

    Proteco individual (esta a ltima barreira, uma

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 4O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    5/12

    O Portal da Construo

    vez que prevenir sempre muito mais eficaz que proteger. Asegurana deve sempre passar sempre mais por uma boaprtica preventiva do que pela utilizao do Equipamento de

    Proteco Individual).

    Higiene de Campo

    O ramo da Higiene de Campo recolhe, no ambiente detrabalho, os dados para o estudo do problema, distribuindo-os,

    posteriormente, pelos outros ramos da Higiene do Trabalho.

    Este ramo tambm responsvel pela obteno e tratamentodos resultados, assim como pela elaborao de concluses etomada de medidas correctivas.

    Tendo em conta o que aqui expusemos, facilmente podemosconcluir que todos estes ramos da Higiene do Trabalhointeragem muito intimamente uns com os outros.

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 5O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    6/12

    O Portal da Construo

    3.Agentesagressivos

    Os agentes agressivos para o meio ambiente dividem-se emtrs categorias:

    Agentes agressivos qumicos

    Poeiras;

    Fumos;

    Neblinas;

    Aerossis;

    Gases; Vapores.

    Agentes agressivos fsicos

    Rudo;

    Vibraes;

    Ambiente trmico desadequado (temperatura,humidade,velocidade do ar, etc...);

    Radiaes ionizantes;

    Radiaes no ionizantes (menos fortes que as

    anteriores); Iluminao desadequada (por exemplo, luzes fracas

    devem ter tonalidade quente e vice-versa);

    Presses anormais.

    Agentes agressivos biolgicos

    Vrus;

    Bactrias;

    Fungos

    Outros microorganismos patognicos.

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 6O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    7/12

    O Portal da Construo

    4.Composio doAr

    Embora na prtica seja muito difcil de atingir, esta acomposio qumica do ar puro:

    Designao %

    Azoto 78,1

    Oxignio 20,9

    rgon 0,9

    Dixido de Carbono 0,03

    Hidrognio 0,01gua (vapor) Vestgios

    Outros gases raros Vestgios

    Em contraponto, podemos definir ar poludo (ou contaminado)como o ar que contm outras substncias diferentes das dacomposio do ar puro ou que, apesar de conter as mesmassubstncias da composio do ar puro, tem-nas em diferenteproporo.

    Para a contaminao do ar, contribuem vrios agentes em

    suspenso.

    Agentes qumicos slidos em suspenso

    Poeiras;

    Fibras;

    Fumos;

    Todos so normalmente chamados por p, distinguindo-seapenas pelo seu risco de inalao:

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 7O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    8/12

    O Portal da Construo

    P total (partculas de todos os dimetros);

    P respirvel (partculas de dimetro menor ou iguala 7 micron);

    Agentes qumicos lquidos em suspenso

    Aerossis (Suspenses de gotculas no visveis,provenientes de disperso mecnica de lquidos);

    Neblinas (Suspenses de gotculas visveis eproduzidas por condensao de vapor).

    Agentes qumicos gasosos em suspenso

    Gases (estado de certas substncias gasosas a 25 Ce 1 atmosfera);

    Vapores (fase gasosa de substncias lquidas ouslidas a 25 C e 1 atmosfera).

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 8O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/
  • 7/29/2019 SHT GuiaTecnico V15

    9/12

    O Portal da Construo

    5. Acofisiolgica dos

    agentes qumicos

    De seguida iremos verificar quais as aces fisiolgicas dosprincipais agentes qumicos:

    Poeiras

    As poeiras inertes podem ficar retidas nos pulmes e,quando em elevadas concentraes, podem apresentarproblemas.

    As poeiras fibrognicas (ou pneumoconiticas) sosusceptveis de provocar reaces qumicas ao nvel dosalvolos pulmonares, originando doenas graves. Exemplosdeste tipo de poeiras so as de slica livre ou as de amianto)

    As poeiras alergizantes so susceptveis de actuar sobre apele ou sobre o aparelho respiratrio.

    Finalmente, as poeiras txicas podem causar leses num oumais rgos viscerais, e de forma rpida, se em concentraoelevada (intoxicao aguda), ou lenta, quando emconcentrao mais baixa (intoxicao crnica).

    Tambm podem levar ao aparecimento de cancro ou alteraesno sistema nervoso central.

    Gases e Vapores

    Os irritantes inflamam os tecidos com que entram emcontacto. So exemplos o amonaco, o cloro e o cido sulfrico.

    Os asfixiantes subdividem-se em dois tipos:

    Simples reduzem a concentrao de

    Segurana e Higiene no Trabalho: Higiene do Trabalho 9O Portal da ConstruoPortal da Construo www.oportaldaconstrucao.com

    http://www.wb-internet.pt/http://www.wb-internet.pt/http://ww

Search related