Sinalização Trem (1)

Embed Size (px)

Text of Sinalização Trem (1)

  • Sistemas de Sinalizao

    VALeR - eDuCAo VALe

  • Colaboradores:

    Antonio Marcos Serra >Deodato Ramos >Fernando Dellacqua >Jefferson Luis Gomes Andrade >Manuel Gueiral >Paulo Henrique Lima >Paulo Rubiale >

  • Caro Empregado,

    Voc est participando da ao de desenvolvimento Sistema de Sinalizao de sua Trilha Tcnica.

    A Valer Educao Vale construiu esta Trilha em conjunto com profissionais tcnicos da sua rea com o objetivo de desenvolver as competncias essenciais para o melhor desempenho de sua funo e o aperfeioamento da conduo de suas atividades dirias.

    Todos os treinamentos contidos na Trilha Tcnica contribuem para o seu desenvolvimento profissional e reforam os valores sade e segurana, que so indispensveis para sua atuao em conformidade com os padres de excelncia exigidos pela Vale.

    Agora com voc. Siga o seu caminho e cresa com a Vale.

    Vamos Trilhar!

    mensagem Valer

  • mdulo i: FundamentoS de Sinalizao Ferroviria 6

    Primrdios da sinalizao Ferroviria 7linhas de Circulao e de Ptio 15bloqueio e licena 17rels 19Circuito de via 21Circuito eltrico Tpico Circuito de via alternada 31

    mdulo ii: SiStemaS de Sinalizao 44

    sistemas de sinalizao 45Centro de Controle 59Intertravamento 61sinalizao de Campo 77

    modulo iii: SintomaS e FalHaS 86

    Correlao sintomas X Falha 87

  • Primrdios da sinalizao ferroviria

    Fazer uma breve apresentao das origens da sinalizao ferroviria. >

    Linhas de circulao e de ptio >

    Conceituar linha de circulao e linha de ptio. >

    Bloqueio e licena

    Apresentar os conceitos de bloqueio e licena. >

    Rels >

    Conceituar rels e rels vitais. >

    Circuitos de via

    Conceituar circuito de via. >

    Descrever rel de via e seus tipos: neutro e polarizado. >

    Descrever o funcionamento dos circuitos de via. >

    Listar as funes dos circuitos de via. >

    Circuito eltrico tpico

    Descrever circuitos eltricos tpicos. >

    Demonstrar o funcionamento de circuitos tpicos. >

    Circuitos de via de corrente alternada

    Descrever circuitos de via de corrente alternada. >

    Descrever o funcionamento de circuitos de corrente alternada. >

    Listar as funes e aplicaes deste tipo de circuito. >

    Descrever circuitos de via de corrente alternada de trilho nico e com dois elementos >de controle (tipo Vane).

    mdulo iFundamentoS de Sinalizao Ferroviria

  • | 7 | Prim

    rdios d

    a sinalizao ferroviria

    Primrdios da Sinalizao FerroviriaImAgIne ConDuzIR um tRem sem nenhuma sinalizao.

    Imagine no ter nenhum sistema que lhe informe sobre as condies frente.

    era nesta condio insegura que os maquinistas eram obrigados a trabalhar at o incio do sculo XX.

    A era ferroviria teve incio na Inglaterra, em 1825, quando foi inaugurada a primeira ferrovia pblica do mundo.

    o aumento da frequncia, do peso e da velocidade dos trens foi acompanhado por um nmero cada vez maior de acidentes.

    FerrovIa anTIga: 1825, na InglaTerra.

    Para tentar garantir a segurana na circulao de trens, inicialmente um homem a cavalo sinalizava para o maquinista com uma bandeira vermelha, indicando as condies frente. na ferrovia Liverpool-manchester (1 a adotar um sistema de sinais), vigilantes distribudos ao longo da linha mantinham as pessoas afastadas da via e sinalizavam para os condutores. Com o brao estendido, eles comunicavam que o trem poderia prosseguir, pois a via estava livre; j quando abaixavam o brao, indicavam que havia problemas frente e o trem deveria parar.

  • VALeR - eDuCAo VALe

    | 8 |

    Inicialmente, as ferrovias possuam uma nica linha frrea, por onde circulava somente um trem. o aumento do nmero de trens levou necessidade da criao de desvios ou ptios localizados em pontos estratgicos, eles tornaram possvel o cruzamento e a ultrapassagem entre os trens.

    desvIo Para CruzamenTo de Trens

  • | 9 | Prim

    rdios d

    a sinalizao ferroviria

    Inspirando-se nas prticas adotadas pela marinha, foram inseridos sinais luminosos giratrios na traseira dos trens, favorecendo a segurana nas viagens noturnas.

    Sinais fixos instalados ao longo da via foram utilizados pela primeira vez na ferrovia Liverpool-manchester. o posicionamento de uma bandeira vermelha no topo de um mastro indicava se a linha estava livre (CLeAR) ou com problemas.

    uma variao muito difundida desse modelo foi a sinalizao por bales: o balo era abaixado para indicar que o trem partia, e erguido para confirmar a sua chegada. Com isso, o avano do trem era sinalizado, a sua circulao no era controlada. Quando utilizados nas estaes, os bales autorizavam a partida dos trens, e, em cruzamentos em nvel entre linhas frreas, indicavam o direito de cruzar.

    desvIo Para CruzamenTo de Trens

    semForos

    A partir da dcada de 1840, os sinais semafricos, antes adotados em navios, passaram a ser utilizados na sinalizao ferroviria.

    o tipo de quadrante e o nmero de posies da lmina determinam a identificao do semforo. Abaixo, voc pode ver um semforo de quadrante alto de trs posies.

  • VALeR - eDuCAo VALe

    | 10 |

    noite, a visualizao das posies da lmina garantida por aspectos luminosos.

    Prossiga (Clear)Lmina no altoTrecho frente livre

    Aproximao (aPPrOaCH)Lmina 45Aproximao de parada, reduza para parar no prximo semforo

    Pare e Prossiga (STOP aND PrOCeeD)Lmina embaixoPare e observe. Se as condies frente permitirem, prossiga com velocidade permissiva, para poder parar a qualquer instante

    Tabela de TemPos

    A tabela de tempos foi a primeira regra bsica adotada no controle do trfego de trens. no princpio, o espaamento de tempo entre os trens era em geral de dez minutos.

    um agente sinalizador informava o condutor do trem sobre a possibilidade de prosseguir viagem, utilizando bandeiras coloridas.

    Bandeira vermelha: exibida durante cinco minutos aps a partida do primeiro trem parada >obrigatria para qualquer trem que chegar neste intervalo.

    Bandeira amarela: exibida aps cinco minutos da partida do trem alerta. >

    Bandeira verde: exibida aps 10 minutos da partida do trem autorizao para circular com >velocidade mxima.

    Como parte da tabela de tempos, o plano de trem relacionava classe, direo, nmero e movimento para um trem regular. As ordens para os trens eram usadas para controlar desvios ou excees no planejamento, como, por exemplo, a circulao de um trem extra, que no est autorizado no plano da tabela.

  • | 11 | Prim

    rdios d

    a sinalizao ferroviria

    regras de prioridade de circulao

    Para solucionar conflitos de circulao, eram aplicadas as regras de priorizao da circulao. Conhea cada uma delas a seguir.

    Prioridade por classe do trem

    Quando trens se encontram, a prioridade era o fator determinante para indicar qual deve ter precedncia para continuar a circular na via. os trens apresentavam as seguintes classificaes: primeira classe, segunda classe, terceira classe e assim por diante. os de classe superior so aqueles que devem passar primeiro.

    Veja a representao de um conflito de trens com classes diferentes e trfego igual:

    Veja a representao de um conflito de trens com classes e trfego diferentes:

  • VALeR - eDuCAo VALe

    | 12 |

    Prioridade por sentido de trfego

    e quando trens de mesma classe, com movimentos opostos, se encontravam para circular numa mesma via? neste caso, a precedncia para seguir em frente era decidida em funo da prioridade de sentido de trfego superior.

    no exemplo ilustrado abaixo, o sentido de trfego para trens subindo foi definido como prioritrio:

    Fragilidades do sistema

    A tabela de tempos se mostrou muito pouco eficaz na preveno de acidentes. Falhas na atuao do agente sinalizador e nos recursos utilizados para sinalizar as penes de trem; possibilidade de o condutor do trem descumprir a ordem de trem, circulando num tempo diferente do esperado; e equvocos na emisso de ordens de trem eram alguns dos problemas mais comuns.

    outra desvantagem desse sistema era a limitao da capacidade de circulao de trens. Com o aumento de nmero de trens em circulao, o tradicional intervalo de dez minutos foi reduzido, entretanto, as colises eram cada vez mais frequentes.

  • | 13 | Prim

    rdios d

    a sinalizao ferroviria

    TelgraFo

    A inveno do telgrafo eltrico revolucionou o desenvolvimento do controle do trfego de trens. o inseguro sistema de controle por tabela de tempos comeou a ser superado somente no final de 1950, quando uma linha telegrfica passou a interligar duas ferrovias americanas.

    estaes de ordenamento foram estrategicamente alocados em distribudas ao longo de toda a ferrovia, a intervalos regulares. os telegrafistas copiavam as ordens de trens, que alteravam ou se sobrepunham programao estabelecida na tabela de tempos, e as transmitiam ao agente despachador da estao frente do trem.

    Passagem de ordem de trem utilizando argola. neste caso, o trem no precisava parar na estao para que a ordem fosse transmitida ao maquinista.

  • VALeR - eDuCAo VALe

    | 14 |

  • | 15 | Lin

    has d

    e circulao e d

    e ptio

    Linhas de Circulao e de Ptio

    em ReLAo FoRmA de controle, os trechos das linhas ferrovirias podem ser classificados como de circulao ou de ptio.

    lInhas de CIrCulao

    So trechos de linha ferroviria controlados por sistema de sinalizao ou sistema de licenciamento.

    As linhas de circulao se ligam aos aparelhos de mudana de via (AMVs) de desvio para os ptios, que podem ser controlados por:

    travadores eltricos; >

    pedido de autorizao de entrada ou de sada; >

    i