Sistemas de Cidades - ?· população urbana mundial vive em cidades com menos de 500.000 habitantes,…

  • Published on
    09-Nov-2018

  • View
    219

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Sistemas de CidadesUsando a urbanizao em prol do crescimento e da mitigao da pobreza

    ESTRATGIA URBANA E DE GOVERNO LOCAL DO BANCO MUNDIAL

    BANCO MUNDIAL

  • Sistemas de CidadesIntegrando Polticas Nacionais e Locais

    Ligando Instituies e Infraestrutura

    O quadrado dentro do circulo simboliza a cidade ideal, disseminando culturas pelo

    mundo afora, do Oriente Mdio sia, da Amrica Latina frica e Europa. O

    quadrado uma metfora para a casa e o crculo o universo que a circunda.

    Transformando as polticas em prol dos pobres em uma prioridade da cidade

    Concentrando nos principais elementos do

    sistema da cidade

    Promovendo um ambiente seguro e

    Apoiando a economia das

    cidades

    Incentivando mercados

    fundirios e habitacionais

  • Prefcio

    1

    Desde os tempos mais remotos, as cidades tm servido de centro da democracia, cria-tividade e atividade econmica. Por que? Como nos dizem a economia e a geografia, a densidade e a aglomerao so essenciais para a produtividade e o crescimento. As ci-dades tambm servem de catalisadoras para aes coletivas, tomada de deciso e presta-o de contas.

    O Banco Mundial est desenvolvendo sua nova Estratgia Urbana e de Governo Local em um momento crtico. Pela primeira vez na his-tria, mais da metade da populao mundial vive em cidades. Mais de 90% do crescimento urbano se d no mundo em desenvolvimento, aumentando em cerca de 70 milhes ao ano o nmero de habitantes em reas urbanas. Nas prximas duas dcadas a populao urbana das duas regies mais pobres do mundo Sul da sia e frica Subsariana deve duplicar.

    Estima-se que hoje em dia um bilho de pes-soas morem nas favelas urbanas nos pases em desenvolvimento. Como demonstram v-rios programas bem sucedidos no mundo todo, a melhoria das condies urbanas nos mostra que as favelas podem se tornar par-tes vibrantes e bem integradas de uma cidade, como ocorreu no Senegal, Singapura, Tailn-dia e Vietnam.

    As exigncias associadas reduo da po-breza, mudana climtica e ao crescimento sustentvel colocaro em prova as cidades em desenvolvimento do mundo atual. Cerca de 70% das emisses de gs efeito estufa vem das cidades, e mais de 70% da energia consumida nas reas urbanas. Assim, as cidades esto em primeiro plano na agenda de mudana climtica, onde as cidades mais densas e compactas sero a principal forma urbana nos prximos anos.

    A nova estratgia tambm d incio Dca-da da Cidade, uma dcada que ser lembra-da por reconhecer as cidades como o ponto central do crescimento e do desenvolvimento humano. Jamais houve tanto interesse nas cidades: associaes da cidade, programas que cobrem toda a cidade, universidade da cidade e parcerias com o setor privado. Nos pases em desenvolvimento, as cidades so o lugar por excelncia onde os polticos eleitos

    encontrem seu eleitorado, os governos cole-tam impostos, os contribuintes demandam por servios eficientes, os investidores co-meam novos negcios. na cidade que as vozes coletivas so ouvidas e a prestao de contas realmente importa.

    As cidades bem sucedidas mudam seus ca-minhos, melhoram suas finanas, atraem in-vestidores privados e cuidam dos pobres. A nova Estratgia Urbana e de Governo Local visa apoiar os governos de todos os nveis nos seus esforos para que as cidades sejam mais igualitrias, eficientes, sustentveis e res-peitem o meio ambiente. A estratgia se ba-seia em dois princpios. Primeiramente, que a densidade, aglomerao e proximidade so fundamentais para o progresso humano, a produtividade econmica e a igualdade social. Em segundo lugar, as cidades devem ser bem administradas e sustentveis.

    A estratgia se desenvolve ao redor de cinco linhas de ao: (1) gesto da cidade, gover-nana e finanas; (2) pobreza urbana; (3) cida-des e crescimento econmico; (4) planejamen-to da cidade, solo urbano e habitao; e (5) ambiente urbano e mudana climtica. Estas linhas estabelecem os objetivos e os referen-ciais para que o Banco monitore seu finan-ciamento e sua assessoria poltica. A maioria de nossos clientes em pases pobres enfrenta uma enorme falta de recursos e levar tempo at que a pobreza urbana seja totalmente in-tegrada ao tecido da cidade. Por isso, a nova estratgia sugere uma abordagem abrangente e escalonada em relao pobreza urbana, se concentrando mais do que nunca nas polticas e aes que possam aumentar o bem estar e a qualidade de vida das cidades. .

    A nova Estratgia Urbana e de Governo Local do Banco Mundial pretende ser um elemento chave para ajudar os lderes civis e as auto-ridades nacionais a pensar e implantar polti-cas e programas urbanos que beneficiem a populao, as cidades e seus pases. Convi-damos o leitor a debruar-se sobre este texto e descobrir como pretendemos levar a cabo esta tarefa.

    Katherine Sierra

    Vice-Presidente, Desenvolvimento Sustentvel

  • ndice

    Direitos autorais 2009 Banco Internacional para Reconstruo e Desenvolvimento / Banco Mundial

    As fotos foram coletadas entre os funcionrios do Banco Mundial, a Biblioteca de Fotos do Banco Mundial, o Instituto

    para Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, e os fotgrafos da Stock.xchng, Jurgen de Clercq, David Garzn

    Rodrguez, Ccile Geng, e Jos A. Warletta

    Prefcio 1

    A nova Estratgia Urbana 3

    Um sistema de cidades impulsionando o crescimento, mitigando a pobreza 4

    Concentrando nos principais elementos do sistema da cidade 6

    Transformando as polticas em prol dos pobres em uma prioridade da cidade 10

    Apoiando a economia das cidades 12

    Incentivando mercados fundirios e habitacionais progressistas 16

    Promovendo um ambiente seguro e sustentvel 20

    Abordagens transversais para reforar a estratgia 24

    2

  • A nova Estratgia Urbana

    A urbanizao um fenmeno que define este sculo, e o mundo em desenvolvimento o local onde se d esta transformao de-mogrfica. A expectativa que nos prximos 20 anos surjam mais dois bilhes de novos residentes urbanos, e que as populaes do Sul da sia e da frica dupliquem. Grande parte do crescimento urbano ser observa-do nas cidades de pequeno e mdio porte. Mesmo hoje em dia, mais da metade da populao urbana mundial vive em cidades com menos de 500.000 habitantes, o que levanta questes sobre a gesto da urbani-zao e a prestao de assistncia do Banco Mundial para o desenvolvimento urbano na prxima dcada.

    O grande peso que as cidades tm no PIB mundial cerca de 70% -- e a nova aborda-gem da geografia econmica esto contri-buindo para uma nova abordagem do Banco em relao urbanizao. Um novo para-digma, apoiado por uma literatura crescente, enfatiza os benefcios da urbanizao, impul-sionado pelo aumento na produtividade, mer-cados de trabalho fluidos e maior acesso ao mercado. A questo fundamental hoje em dia no como conter a urbanizao, mas antes como se preparar para ela, tirando proveito do crescimento econmico associado ao cresci-mento urbano e, ao mesmo tempo, reduzindo a congesto, crimes, informalidade e favelas. Quando administrada de forma adequada, a poltica urbana pode ter um papel fundamental na agenda de mudana climtica encorajando cidades mais densas e compactas, que au-mentem a eficincia energtica e reduzam o tempo e custos de viagem para os moradores e agentes econmicos.

    As principais mensagens que norteiam a nova Estratgia Urbana e de Governo Local do Banco Mundial so:

    O crescimento urbano demasiado im-portante para ficar por conta somente das cidades. Um crescimento urbano eficiente necessita de apoio e ateno do gover-no nacional e regional para reas essen-ciais de poltica econmica, incluindo os mercados de terra e habitao, emprego e investimento pblico que esto alm do alcance da administrao de uma cidade.

    As cidades devem estar equipadas para lidar com os novos residentes para

    tanto, devem ser mais pr-ativas e an-tecipar-se na atualizao de seus regu-lamentos de planejamento urbano para possibilitar a densificao urbana e evitar que as presses da demanda por mora-dia e por terra urbana levem a aumentos de preos excessivos.

    Os custos de no cuidarmos agora do crescimento urbano esperado no futu-ro prximo so muito altos e de difcil reverso.

    Incentivar os benefcios associados ao au-mento de densidade econmica e minimi-zar os custos de congestionamento trar grandes retornos para o crescimento eco-nmico e a mitigao da pobreza.

    Para melhor apoiar um nmero crescen-te de cidades de porte secundrio, onde ocorre grande parte do crescimento ur-bano hoje em dia, o Banco aumentar a sua cobertura atravs de intermedirios financeiros, bem como desenvolver pro-gramas nacionais e estaduais de servios financeiros e apoio tcnico para os gover-nos locais.

    A nova Estratgia Urbana descreve o pro-grama urbano do Banco ao longo de cinco linhas de negcio consideradas crticas para as cidades e os governos locais na prxima dcada:

    Concentrao nos elementos crticos da cidade: administrao finanas e governana;

    Incluir as polticas em prol dos pobres urbanos como prioridade da cidade: isto inclui mitigar a pobreza urbana e melhorar as favelas;

    Apoiar a economia das cidades e favore-cer o crescimento econmico local;

    Incentivar os mercados fundirios e de moradia urbana promovendo polticas ha-bitacionais com nfase na terra urbana, moradia e planejamento urbanos;

    Promover um ambiente seguro e susten-tvel com nfase no ambiente urbano, conseqncias das mudanas climtica e melhor gesto de desastres naturais.

    3

Recommended

View more >