Click here to load reader

Slides Vanguardas Europeias

  • View
    673

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Slides Vanguardas Europeias

LITERATURA Vanguardas Europias

As Vanguardas Europias Principais Caractersticas do Perodo: 1. Belle poque; 2. Euforia burguesa pelo advento da Era da Mquina; 3. Culto ao progresso, velocidade e aos confortos proporcionados pela tecnologia; 4. Surgimento do cinematgrafo, do automvel e das mquinas voadoras.

As Vanguardas Europias 1. 2. 3. 4. 5. Situao Histrica: I Grande Guerra Mundial (1914-1918); Runa econmica dos pases europeus; Declnio dos valores e falncia dos ideais; Desiluso, desencanto, perplexidade; Descrdito das antigas certezas cientficas e religiosas.

As Vanguardas EuropiasContexto Intelectual: Psicanlise (o inconsciente), de Sigmund Freud; 2. Intuicionismo (fonte do conhecimento), de Henry Bergson; 3. A morte de Deus e a filosofia de Friedrich Nietzsche ganham espao; 4. A arte acompanha o colapso do mundo burgus e reflete a tenso do momento. 1.

As Vanguardas Europias Em termos artsticos, as vanguardas so os movimentos que tentam expressar as contradies desencadeadas por tantas mudanas, tantos ganhos e simultaneamente tantas derrotas vividas na Era da Mquina.

Caractersticas Gerais das Vanguardas Fundao da modernidade: novas linguagens e temticas; Enfocam a euforia e o pessimismo; Crtica s convenes burguesas; Irracionalismo; Negao do academicismo; Negao das formas fixas; Defesa da interdependncia das linguagens artsticas.

O FUTURISMO Itlia Fillipo Tommaso Marinetti (1909) Defende uma arte sintonizada com a beleza da velocidade, as grande multides agitadas pelo trabalho, pelo prazer ou pela revolta. Torna-se porta-voz oficial do fascismo (1919). Semelhanas: antifeministas, anti-burgueses, anti-

socialistas e anti-democrticos; exaltavam a bofetada e o soco e glorificavam a guerra como a nica higiene do mundo .

O Futurismo Automvel Correndo, de Giacomo Balla.

ODE TRIUNFAL

lvaro de Campos dolorosa luz das grandes lmpadas eltricas da fbrica Tenho febre e escrevo. Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto, Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos. rodas, engrenagens, r-r-r-r-r-r eterno! Forte espasmo retido dos maquinismos em fria! Em fria fora e dentro de mim, Por todos os meus nervos dissecados fora, Por todas as papilas fora de tudo com que eu sinto! Tenho os lbios secos, grandes rudos modernos, De vos ouvir demasiadamente de perto, E arde-me a cabea de vos querer cantar com um excesso De expresso de todas as minhas sensaes, Com um excesso contemporneo de vs, mquinas! (...) Ah, poder exprimir-me todo como um motor se exprime! Ser completo como uma mquina! Poder ir na vida triunfante como um automvel ltimo-modelo! Poder ao menos penetrar-me fisicamente de tudo isto, Rasgar-me todo, abrir-me completamente, tornar-me passento A todos os perfumes de leos, calores e carves Desta flora estupenda, negra, artificial e insacivel! (...)

O CUBISMO Frana (entre 1907 e 1914) PINTURA: Pablo Picasso. LITERATURA: Guilhaume Apollinaire. Fracionamento da realidade. Esta passa a ser expressa atravs de planos superpostos e simultneos. Decomposio da realidade em figuras geomtricas.

O Cubismo CUBISMO PICTRICO: No desejo de transmitir a estrutura total do objeto, os cubistas comearam a decompor as formas em diferentes planos geomtricos e ngulos retos, que se interceptam e sucedem. Tentavam sugerir a representao do objeto sob todos os seus aspectos, de face e perfil, (...) como se tivesse sido contemplado por diferentes ngulos.

O Cubismo CUBISMO LITERRIO: Sistema potico de subjetivizao e desintegrao da realidade (...) uma poesia cujas caractersticas so o ilogismo, o humor, o antiintelectualismo, o instantanesmo, a simultaneidade e uma linguagem predominantemente nominal e mais ou menos catica.

O Cubismo Violino e Uvas, de Pablo Picasso.

O CACTO

Manuel BandeiraAquele cacto lembrava os gestos desesperados da estaturia: Laocoonte constrangido pelas serpentes, Ugolino e os filhos esfaimados. Evocava tambm o seco nordeste, carnaubais, caatingas... Era enorme, mesmo para esta terra de feracidades excepcionais.

Um dia um tufo furibundo abateu-o pela raiz, O cacto tombou atravessado na rua, Quebrou os beirais do casario fronteiro, Impediu o trnsito de bonde, automveis carroas, Arrebentou os cabos eltricos e durante vinte e quatro horas privou a cidade de iluminao e energia: Era belo, spero, intratvel.

O DADASMO Sua Tristan Tzara e outros artistas do Cabar Voltaire (1916). O mais demolidor e radical movimento de vanguarda; A guerra desvendou a barbrie por trs da civilizao burguesa ocidental. Era necessrio desmascarar os valores ditos civilizados.

O DADASMO Ilogismo; Nonsense; Humor niilista e irracionalista; Dinamitam-se a cultura e a linguagem; Substituio das palavras por rudos e gritos inarticulados; Ser dad ser

antidad; A arte no sria; Ns escarramos na humanidade.

O Dadasmo A Fonte, de Marcel Duchamp.

RECEITA PARA FAZER UM POEMA DADASTA

Tristan TzaraPegue um jornal. Pegue uma tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que voc deseja dar a seu poema Recorte o artigo. Recorte em seguida com ateno algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedao um aps o outro. Copie conscienciosamente na ordem em que elas so tiradas do saco. O poema se parecer com voc. E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do pblico.

O SURREALISMO Frana Andr Breton (1918). O surreal subjaz noo de real at ento conhecida; Acrescenta-se razo a imaginao, o sonho e a fantasia criadora do inconsciente; Diz Breton: Creio na resoluo futura desses

dois estados, aparentemente to contraditrios, tais sejam o sonho e a realidade, em uma espcie de realidade absoluta, de superrealidade, se assim se pode chamar.

O Surrealismo Apario de um rosto e de uma fruteira numa praia, de Salvador Dali.

ESTUDO N 6

Murilo MendesTua cabea uma dlia gigante que se desfolha nos meus braos. Nas tuas unhas se escondem algas vermelhas, E da rvore de tuas pestanas Nascem luzes atradas pelas abelhas. Caminharei nesta manh para teus seios: Virei ciumento do orvalho da madrugada, Do tecelo que tece o fio para teu vestido. Virei, tendo aplacado uma a uma as estrelas, E, depois de rolarmos pela escadaria de tapetes submarinos, Voltaremos, deixando madrporas e conchas, Obedecendo aos sinais precursores da morte, Para a grande pedra que as idades balanam beira-nuvem.

O EXPRESSIONISMO Alemanha e Frana (fauvismo), fins do sculo XIX e incio do sculo XX. Diz Giulio Argan: o Expressionismo se pe

como anttese ao Impressionismo, mas o pressupe: ambos so movimentos realistas, que exigem a dedicao total do artista questo da realidade, mesmo que o primeiro a resolva no plano do conhecimento e o segundo no plano da ao.

O Expressionismo A arte no imitao. criao subjetiva, livre, expresso dos sentimentos; A realidade que circunda o artista horrvel e, por isso, ele a deforma ou a elimina, criando a arte abstrata; A razo objeto de descrdito; A arte criada sem obstculos convencionais, o que representa um repdio represso social; A vivncia da dor deriva do sentido trgico da vida e causa uma deformao torturada; A arte se desvincula do conceito de belo e feio e tornase uma forma de contestao.

O Expressionismo Na Literatura: 1. Linguagem fragmentada, elptica, repleta de frases nominais; 2. Despreocupao com a diviso em estrofes, com o uso de rimas ou musicalidade; 3. Combate fome, inrcia e aos valores do mundo burgus.

O Expressionismo O Grito, de Edvard Munch.

O MEU TEMPO

Wilheim KlemCantos e metrpoles, levianas febris, Terras descoradas, plos sem glria, Misria, heris e mulheres da escria, Sobrolhos espectrais, tumulto em carris. Soam ventoinhas em nuvens perdidas. Os livros so bruxas. Povos desconexos. A alma reduz-se a mnimos complexos. A arte est morta. As horas reduzidas.

EXERCCIOS

01. Relacione imagens e textos aos movimentos de vanguarda a quese referem:

CUBISMO Les demoiselles dAvignon, de Picasso.

01. Relacione imagens e textos aos movimentos de vanguarda a quese referem:

FUTURISMO Dinamismo de um co na coleira, de Balla.

01. Relacione imagens e textos aos movimentos de vanguarda a quese referem:

SURREALISMO O Grande Masturbador, de Dali.

01. Relacione imagens e textos aos movimentos de vanguarda a quese referem:

DADASMO A Batalha, de Ludwig Kassak.

01. Relacione imagens e textos aos movimentos de vanguarda a quese referem:

EXPRESSIONISMO O Bananal, de Lasar Segall.

02. (UCPR) Movimento literrio brasileiro que recebeu influncias das vanguardas europias tais como Futurismo e Surrealismo:

a) b) c) d) e)

Modernismo Parnasianismo Romantismo Realismo Simbolismo

03. (UFPA) Em fevereiro de 1919, Marinetti publicou na Europa um manifesto cujas idias desencadearam o:

a) b) c) d) e)

Dadasmo Futurismo Surrealismo Romantismo Simbolismo

04. (UEM-PR) Analise as proposies e assinale a alternativa correta: 1. No sculo XX, vanguardas so os movimentos artsticos que se desenvolvem antes, durante e depois da Primeira Guerra Mundial. Cubismo, Futurismo e Dadasmo so manifestaes da postura demolidora assumida pela arte do sculo XX. O Futurismo lanou-se contra o passado e sonhou uma superliteratura do sculo da velocidade. Para os dadastas, no havia nem passado nem futuro; o que havia era a guerra, o nada. Apenas 1, 3 e 4 so corretas. Apenas 1, 2 e 4 so corretas. Apenas 2 falsa. Todas so falsas. Todas so verdadeiras.

2. 3. 4.

a) b) c) d) e)

05. (UFV-MG) Considere o poema e assinale a alternativa correta:BOTAFOGO Desfilam algas sereias peixes e galeras E legies de homens desde a pr-histria Diante do Po