of 44 /44
1 758178v18 - 2277 - 5 SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR SBACV ESTATUTO SOCIAL TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS E SEDE Artigo 1º. A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, também designada SBACV ou SBACV-Nacional, é uma associação, pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos, constituída em 1° de novembro de 1952, para duração por tempo indeterminado, inscrita no CNPJ/MF sob o n° 30113997/0001-57, regida pelo presente Estatuto Social e pela legislação que lhe for aplicável. § Único: A SBACV poderá dispor de Regimento Interno, regulamentos e procedimentos disciplinares, com a finalidade de normatizar seu funcionamento, a relação com os associados e seus programas e projetos, sempre subordinados ao presente Estatuto Social. Artigo 2º. A SBACV tem sede e foro na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Estela, 515, bloco E, sala 21, CEP 04011-002. Artigo 3º. A SBACV tem o objetivo de defender os interesses dos médicos das especialidades de Angiologia e de Cirurgia Vascular e das suas respectivas Áreas de Atuação, bem como promover o aprimoramento profissional, estimular a produção científica e divulgar as especialidades e as áreas de atuação que representa. § 1º: Para a consecução de seus objetivos sociais a SBACV poderá: I Coordenar, defender e representar os interesses de seus associados perante ou em conjunto com o poder público, autoridades administrativas e judiciais, entidades privadas ou mistas, nacionais e internacionais, que possam ser caracterizados como coletivos lato sensu e/ou que possam acarretar benefícios diretos ou indiretos para a classe médica objetivo da SBACV. II Promover e apoiar as associações de âmbito local com objetivos análogos aos da SBACV que mantiverem relação jurídica de convênio com a SBACV, nos termos deste Estatuto Social, doravante denominadas simplesmente “Regionais”, orientando- as e dando assistência institucional, inclusive com a prestação de serviços intermediários, fornecendo informações gerais, orientações administrativas, éticas,

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA …09,10-50dd8.pdf · 1 758178v18 - 2277 - 5 sociedade brasileira de angiologia e de cirurgia vascular sbacv estatuto social tÍtulo

Embed Size (px)

Text of SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA …09,10-50dd8.pdf · 1 758178v18 - 2277 - 5...

1

758178v18 - 2277 - 5

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR SBACV

ESTATUTO SOCIAL

TTULO I

DA DENOMINAO, FINS E SEDE Artigo 1. A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, tambm designada SBACV ou SBACV-Nacional, uma associao, pessoa jurdica de direito privado sem fins lucrativos, constituda em 1 de novembro de 1952, para durao por tempo indeterminado, inscrita no CNPJ/MF sob o n 30113997/0001-57, regida pelo presente Estatuto Social e pela legislao que lhe for aplicvel. nico: A SBACV poder dispor de Regimento Interno, regulamentos e procedimentos disciplinares, com a finalidade de normatizar seu funcionamento, a relao com os associados e seus programas e projetos, sempre subordinados ao presente Estatuto Social. Artigo 2. A SBACV tem sede e foro na Cidade de So Paulo, Estado de So Paulo, na Rua Estela, 515, bloco E, sala 21, CEP 04011-002. Artigo 3. A SBACV tem o objetivo de defender os interesses dos mdicos das especialidades de Angiologia e de Cirurgia Vascular e das suas respectivas reas de Atuao, bem como promover o aprimoramento profissional, estimular a produo cientfica e divulgar as especialidades e as reas de atuao que representa. 1: Para a consecuo de seus objetivos sociais a SBACV poder: I Coordenar, defender e representar os interesses de seus associados perante ou em conjunto com o poder pblico, autoridades administrativas e judiciais, entidades privadas ou mistas, nacionais e internacionais, que possam ser caracterizados como coletivos lato sensu e/ou que possam acarretar benefcios diretos ou indiretos para a classe mdica objetivo da SBACV. II Promover e apoiar as associaes de mbito local com objetivos anlogos aos da SBACV que mantiverem relao jurdica de convnio com a SBACV, nos termos deste Estatuto Social, doravante denominadas simplesmente Regionais, orientando-as e dando assistncia institucional, inclusive com a prestao de servios intermedirios, fornecendo informaes gerais, orientaes administrativas, ticas,

2

758178v18 - 2277 - 5

operacionais e jurdicas, podendo, na busca de seus objetivos comuns, aplicar diretamente seus recursos financeiros, humanos e fsicos, permitir e licenciar o uso de marcas e selos, promover a elaborao e/ou fornecer cdigos de condutas, regulamentos especficos e outras normas e/ou metodologia de trabalho, a fim de estabelecer critrios de organizao e identificao. III Atuar pela execuo direta ou em conjunto com entidades pblicas e privadas, nacionais ou internacionais, inclusive outras organizaes sem fins lucrativos de objetivos afins, Regionais ou no, mediante apoio institucional e/ou financeiro, projetos conjuntos, convnios, contratos e parcerias voltados a promover, apoiar, estimular e fortalecer o intercambio cientfico, a produo cientfica e o aprimoramento profissional. IV Atuar em conjunto ou perante o poder pblico e/ou a iniciativa privada, na defesa, proteo, ou promoo do interesse geral da populao, quando este interesse estiver relacionado direta ou indiretamente s Especialidades e/ou reas de Atuao dos associados da SBACV, podendo, inclusive participar e promover de campanhas, pesquisas, e defender seus interesses perante as empresas de plano de sade. V Participar, na condio de associada ou parceira, a qualquer ttulo, de associaes cientficas, nacionais ou internacionais, de reconhecida idoneidade, mediante autorizao do rgo interno competente e desde que no contrariem seu objetivo social, prestigiando e respeitando-os. VI Atuar, estabelecer parcerias e colaborar com os poderes pblicos, rgos da administrao direta e indireta, inclusive Conselho Federal de Medicina, Associao Mdica Brasileira, e suas representantes regionais ou sucessoras, como rgo consultivo no estudo e orientao para soluo de problemas que se relacionem com os interesses dos associados, elaborao e divulgao de normas e regulamento, estatstica, estudos e pesquisas relacionados ao seu mbito de interesse, promoo e realizao de provas para a concesso de Ttulos de Especialistas em Angiologia e em Cirurgia Vascular e nas respectivas reas de Atuao, nos termos da Lei e de acordo com os regulamentos e regimentos prprios. VII Reconhecer, distinguir e homenagear personalidades que tenham, no entendimento dos rgos pertinentes, contribudo de forma relevante para desenvolver, divulgar, e congregar as especialidades e reas de atuao objetivo social da SBACV, com os ttulos de Honorrios, Emritos e/ou com a Ordem do Mrito Rene Fontaine, conforme as regras e critrios estabelecidos neste Estatuto

3

758178v18 - 2277 - 5

Social e em Regimento Interno. VIII Promover, organizar, colaborar, apoiar e participar de eventos em geral, produtos e servios para comunicao educacional e informativa, inclusive campanhas de cunho social e de preveno, publicao de matrias, gerao e tratamento de editorial, revistas e informativos vinculados ao objetivo social da SBACV, podendo promover a captao de recursos para viabiliz-los, inclusive atravs de negociao de servios e materiais promocionais, sendo que os resultados dessas atividades sero integralmente revertidos para a realizao dos objetivos sociais. 2: A SBACV um Departamento Cientfico da Associao Mdica Brasileira - AMB, onde representa as especialidades: Angiologia, Cirurgia Vascular e respectivas reas de Atuao, bem como representa os mdicos que atuam nas especialidades de Angiologia e de Cirurgia Vascular, nas reas de Atuao de Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular, Radiologia lntervencionista e Angiorradiologia, Ecografia Vascular e outras de atuao que venham a ser incorporadas. 3: A SBACV promover, no mnimo a cada 2 (dois) anos, um evento de cunho cientifico denominado Congresso da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular. 4: A SBACV, para a consecuo eficaz de seus objetivos, atuar em cooperao com associaes anlogas de atuao em cada unidade da federao, composta pelos seus associados e criadas em conformidade com as regras deste Estatuto Social, sem que por isso fique configurada qualquer forma de relao associativa ou societria entre a SBACV e essas associaes, denominadas Regionais ou SBACV Regionais. 5: Em razo dos objetivos e associados comuns entre a SBACV e as Regionais, e das funes complementares exercidas pelas Regionais aos associados da SBACV, facultado SBACV a criao de projetos e recursos especficos destinados ao auxilio institucional de regularizao legal e documental, bem como da adequao das Regionais aos critrios deste Estatuto Social, desde que no comprometa os objetivos sociais da SBACV e que no configure desvio da sua finalidade. 6: A participao da SBACV em qualquer evento ou projeto cientfico, ainda que somente pelo licenciamento de uso de suas marcas e selos, inclusive os promovidos pelas Regionais, estar condicionada aprovao das programaes cientficas de cada evento, se houver, nos termos e prazos definidos pela SBACV.

4

758178v18 - 2277 - 5

Artigo 4. A SBACV observar, em sua atuao, os princpios e normas do Cdigo de tica Mdica, bem como os princpios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficincia, sem qualquer discriminao ou preconceito em razo de raa, cor, credo religioso, classe social, gnero ou opo sexual, concepo poltica partidria ou nacionalidade.

TTULO II DO QUADRO ASSOCIATIVO, DOS DIREITOS E DEVERES

Artigo 5. A SBACV composta por nmero ilimitado de associados, pessoas fsicas, mdicos que atuam nas especialidades de Angiologia e de Cirurgia Vascular e suas respectivas reas de atuao, que estejam comprometidas com suas finalidades, atendam e se obriguem a obedecer aos requisitos, preceitos e critrios estabelecidos neste Estatuto Social e em Regimento Interno. 1: Os associados adquirem seus direitos e deveres a partir do ingresso no quadro associativo. 2: A SBACV possui as seguintes categorias de associados: Aspirante, Efetivo e Titular. Artigo 6. O ingresso de associados no quadro associativo da SBACV, bem como a progresso para categoria de Efetivo ou de Titular, depender de aprovao do candidato nos termos do Estatuto Social e de Regimento Interno. 1: facultada Diretoria Nacional da SBACV solicitar novos documentos caso as informaes contidas na proposta de associao no sejam suficientes para comprovar os quesitos deste Estatuto Social. 2: Em caso de negativa de ingresso no quadro associativo, caber recurso ao Conselho Superior, mediante justificao escrita dos motivos pelos quais entende o candidato que qualificado. O recurso no tem efeito suspensivo e ser julgado em prxima reunio. Artigo 7. Sero associados da categoria Aspirante os mdicos que preencherem os seguintes requisitos, cumulativamente: a) Estar regularmente inscrito no Conselho Regional de Medicina do Estado onde exeram sua atividade profissional, encaminhando cpia do registro;

5

758178v18 - 2277 - 5

b) Apresentar proposta de associao conjunta em 2 (duas) vias e assinadas por 2 (dois) associados da SBACV pertencentes categoria Efetivo ou Titular; c) Anexar proposta de associao 2 (duas) vias do seu Curriculum Vitae; d) Anexar proposta de associao 2 (duas) cpia do RG, do CPF e do diploma de mdico; e e) Ter sua proposta de associao aprovada pela Regional. 1: Os requisitos e as condies tcnicas exigidas para admisso do candidato devero ser expostas na proposta de associao conjunta SBACV e Regional, e apresentada em 2 (duas) vias Diretoria da Regional onde o candidato exerce suas atividades profissionais, que analisar e, cumpridos os requisitos, aprovar seu ingresso na Regional e encaminhara 1 (uma) via da proposta, em at 30 (trinta) dias da solicitao, Diretoria Nacional da SBACV, que expedir uma declarao de associado onde constar, obrigatoriamente, os seguintes dizeres: este certificado no confere nenhuma comprovao de Ttulo de Especialista. Artigo 8. Sero associados da categoria Efetivo os mdicos que preencherem os seguintes requisitos, cumulativamente: a) Ser associado da SBACV, na categoria Aspirante, por, pelo menos, 2 (dois) anos e estar quites com a tesouraria da SBACV; b) Estar regularmente inscrito no Conselho Regional de Medicina do Estado onde exeram sua atividade; c) Ser associado da Associao Mdica Brasileira AMB; d) Possuir o Ttulo de Especialista em Angiologia e/ou Cirurgia Vascular; e e) Ter sua proposta de progresso de categoria perante a Regional da Unidade da Federao onde exera suas atividades profissionais. nico: Na progresso de associado Aspirante para categoria Efetivo, a proposta ser encaminhada, em 2 (duas) vias, Diretoria de uma Regional, que, em at 30 (trinta) dias aps a aprovao, informar a Diretoria Nacional da SBACV, para que altere sua categoria na SBACV. A progresso para a categoria Efetivo imediata

6

758178v18 - 2277 - 5

aps o recebimento da informao da Regional, e ser expedida declarao ao associado. Artigo 9. Sero associados da categoria Titular os mdicos que preencherem os seguintes requisitos, cumulativamente: a) Ser associado da categoria Efetivo por, pelo menos, 3 (trs) anos, constados da data de aprovao da proposta; b) Estar quites com a Tesouraria da SBACV e da AMB; c) Apresentar artigo original ao Jornal da Vascular Brasileiro, sendo aceito para publicao ou publicado h no mximo 6 (seis) meses da data da proposta, na qualidade de primeiro autor, OU, monografia original no publicada sobre tema da especialidade, OU ttulo de Livre-Docncia ou de Doutor obtido em Instituio de Ensino Superior reconhecido pelo MEC; e d) Apresentar proposta de progresso para esta categoria perante a Diretoria Nacional da SBACV, cuja recusa caber recurso ao Conselho Superior. nico: Na progresso de associado Efetivo para categoria Titular, a proposta ser encaminhada diretamente Diretoria Nacional da SBACV, sendo que aps a aprovao esta informar sobre a alterao Regional, para registro. A progresso para a categoria Titular ser imediata aps a aprovao, mas formalizada solenemente no primeiro Congresso da SBACV subsequente progresso. Artigo 10. Caso na Unidade da Federao onde o candidato exerce sua atividade profissional no haja associao Regional, o candidato a associado poder apresentar proposta de participao e ingressar no quadro de associados da Regional mais prxima, que seguir os trmites para ingresso j previstos neste Estatuto Social. nico: Em caso de rejeio de proposta por Regional, facultado ao associado encaminhar a proposta diretamente Diretoria Nacional, apresentando a negativa, sendo que, caso seja aceita, a SBACV encaminhar a informao para a Regional competente. Artigo 11. A SBACV contar, para a consecuo de seus objetivos, com pessoas fsicas ou jurdicas, que no se enquadrem nos critrios de categoria de associados, mas estejam dispostas a colaborar com seus objetivos e participar de seus projetos e

7

758178v18 - 2277 - 5

eventos, divididos em membros Correspondentes e as associaes conveniadas Regionais. Artigo 12. Os membros Correspondentes e as associaes Regionais podero participar de eventos, receber jornais, revistas e publicaes, apresentar trabalhos, tomar parte nos debates e participar dos rgos especficos da SBACV, nos termos deste Estatuto Social e de Regimento Interno. 1: Podero ser membros Correspondentes os mdicos, brasileiros ou no, com domicilio em outro pas e que apresentarem solicitao assinada por 2 (dois) associados, Efetivo ou Titular. 2: O ingresso de membros Correspondentes na SBACV, depender de aprovao da solicitao do candidato pela Diretoria Nacional da SBACV. 3: Os membros Correspondentes podero receber a formalizao de seu ingresso no quadro de colaboradores da SBACV, que, se enviado, dever conter a informao expressa: este certificado no confere nenhuma comprovao de Ttulo de Especialista. 4: As associaes anlogas, de abrangncia local, que desejarem estabelecer relao de convenio/parceria com a SBACV observaro as regras especficas para sua criao e manuteno estabelecidas neste Estatuto Social. Artigo 13. Os associados no respondem direta, indireta ou subsidiariamente, pelas obrigaes e responsabilidades assumidas pela Associao. nico: No h entre os associados da SBACV, direitos e obrigaes recprocas, nos termos da Lei. Artigo 14. So direitos dos associados: a) Participar e votar nas Assembleias Gerais, discutindo e deliberando sobre todos os assuntos propostos; b) Votar e candidatar-se para cargos eletivos, obedecidas s regras, condies e limitaes da lei e deste Estatuto Social; c) Integrar quaisquer comisses e grupos de trabalho para os quais tenham sido nomeados;

8

758178v18 - 2277 - 5

d) Frequentar a sede e quaisquer outras dependncias do uso social; e) Utilizar-se dos servios de informaes, publicaes e assistncia mantidos pela SBACV; f) Participar dos eventos que a SBACV promover ou apoiar, apresentar propostas, estudos, sugestes Diretoria Nacional e trabalhos em reunies e eventos cientficos, obedecendo aos critrios estabelecidos; g) Requerer, com nmero igual ou superior a 1/5 (um quinto) dos associados com direito a voto, a convocao de Assembleia Geral; h) Desligar-se da SBACV, obedecidos aos critrios deste Estatuto Social; e i) Organizarem-se em associaes de atuao regional, com objetivos anlogos aos da SBACV, independentes administrativa, econmica e juridicamente, mas que representem os interesses regionais dos associados da SBACV por fora de convnio existente entre elas e a SBACV, nos termos deste Estatuto Social. 1: O uso e gozo dos direitos sociais dependem de situao regular do associado com a tesouraria e do cumprimento de eventuais penas administrativas impostas. 2: Aos membros Correspondentes so facultados os direitos e, f e h. Artigo 15. So deveres dos associados e Correspondentes: a) Colaborar para a completa realizao dos objetivos sociais; b) Respeitar e cumprir este Estatuto Social, Regimento Interno e regulamentos estabelecidos pelos rgos da SBACV, bem como as normas e princpios ticos e morais da profisso representada; c) Satisfazer os compromissos assumidos perante a SBACV, inclusive pagar suas contribuies, taxas e anuidades Associao, nos termos deste Estatuto Social e, sendo o caso, de Regimento Interno; d) Acatar as decises dos rgos da SBACV, respeitando seus membros; e) Manter atualizado seus dados cadastrais, inclusive seu endereo e endereo

9

758178v18 - 2277 - 5

eletrnico (e-mail); f) Participar e bem desempenhar o cargo para o qual foi eleito ou designado, quando for caso; g) Prestigiar a SBACV por todos os meios ao seu alcance, contribuir para a sua prosperidade, e propagar o esprito associativo zelando pelo bom nome da Associao, observando sempre os princpios de boa f, economia, educao e disciplina. 1: A enumerao feita neste Artigo exemplificativa e no limitativa, portanto, no exclui outras implcitas ou expressas neste Estatuto Social ou no Regimento Interno, bem como no exclui o dever de manuteno de condutas ticas e que no afrontem a moral e os bons costumes. 2: O atraso ou no-pagamento das contribuies associativas suspende automaticamente o associado ao exerccio ao direito de candidatura e voto, at sua quitao. Artigo 16. Os associados que infringirem o Estatuto Social, Regimento Interno, Resolues ou quaisquer outras disposies que regem a SBACV podero sofrer penalidades de (I) multa, (II) advertncia, (III) suspenso de direitos, e/ou (IV) de excluso do quadro associativo. 1: Em caso de atraso no pagamento da anuidade ser aplicada, pela Diretoria Nacional, a multa de 20% (vinte por cento) sobre o valor em atraso corrigido monetariamente, pelo IGPM ou outro ndice que venha a substitu-lo 2: A pena de advertncia ser aplicada pela Diretoria Nacional, facultada Diretoria Nacional a consulta Comisso de tica ou ao Conselho Superior, conforme o tema. 3: Sero suspensos os direitos do associado, inclusive de candidatura e voto, independentemente da aplicao das demais sanes cabveis, nos seguintes casos: a) Que atrasar o pagamento de contribuio anual; b) Que infringir qualquer dos deveres, implcitos ou explcitos, estabelecidos em lei ou constantes deste Estatuto Social, bem como condutas antiticas ou que afrontem a moral, os bons costumes ou o Cdigo de tica Mdica;

10

758178v18 - 2277 - 5

c) Tomar atitudes descorteses nas dependncias da SBACV e/ou em quaisquer reunies por ela promovidas ou de que esteja participando, em relao qualquer pessoa, inclusive aos empregados da SBACV; e/ou d) Que utilizar o nome ou as informaes da Associao indevidamente. 4: A pena de suspenso ser aplicada pela Diretoria Nacional, sendo imediata no caso do inciso a, e mediante deliberao do Conselho Superior ou da Comisso de tica, conforme o tema, nos casos dos demais incisos. 5: Ser aplicada penalidade de excluso do quadro associativo ao associado que: a) For reincidente em suas faltas; b) For reincidente na mora de suas obrigaes pecunirias por 2 (dois) anos consecutivos; c) Deixar de cumprir os critrios para integrar o quadro associativo; e/ou d) Por descumprimento grave dos dispositivos deste Estatuto Social, e/ou das demais normas e disposies adotadas pela SBACV. 6: A pena de excluso ser aplicada pela Diretoria Nacional aps deliberao da Comisso de tica ou do Conselho Superior, conforme o tema, sendo que haver audincia com o associado que poder realizar sua defesa, ou apresent-la por escrito, se o desejar, antes da aplicao da penalidade. 7: Da penalidade de excluso, caber recurso no suspensivo para a primeira Assembleia Geral subsequente. 8: O associado excludo do quadro associativo responsvel pelo pagamento das contribuies devidas at a data da excluso, sem prejuzo das demais sanes cabveis, no havendo restituio de contribuio paga. Artigo 17. A mora do associado em relao s suas obrigaes poder ser caracterizada pelo envio de carta registrada, com aviso de recebimento, ou atravs de notificao extrajudicial ao endereo cadastrado pelo associado na SBACV. Artigo 18. O associado que tenha sido excludo do quadro associativo por

11

758178v18 - 2277 - 5

inadimplncia poder reingressar na SBACV mediante aprovao de nova proposta, desde que em dia com suas obrigaes perante a Tesouraria. Artigo 19. Os membros Correspondentes podem ter sua participao suspensa ou extinta a qualquer momento, por deciso da Diretoria Nacional, facultada Diretoria Nacional solicitar de parecer do Conselho Superior. Artigo 20. O associado, Colaborador ou Regional, ou quem, sob sua responsabilidade, causar prejuzos SBACV, dever indeniz-la, sem prejuzo das penalidades cabveis.

TITULO III DAS REGIONAIS

Artigo 21. A SBACV, para a consecuo dos seus objetivos sociais, trabalhar em conjunto com associaes que atuem localmente nas Unidades da Federao, com objetivos sociais congneres, reputao e valores compatveis com a SBACV, e que cumpram os critrios estabelecidos neste Estatuto Social, denominadas simplesmente Regionais. 1: A SBACV fornecer para as Regionais a metodologia de trabalho, regras e normas de conduta, permitindo sua participao nos rgos internos da SBACV, nos termos deste Estatuto Social, mediante a assinatura de Termo de Convnio, e poder licenciar e permitir o uso de marcas e selos, mediante autorizao especfica. 2: Fica vedado SBACV estabelecer convnio ou qualquer relao com mais que 1 (uma) Regional na mesma Unidade da Federao (UF). 3: As associaes Regionais sero representadas perante a SBACV, na qualidade de pessoa jurdica, por seu representante legal regularmente constitudo e/ou comprovadamente designado para esse fim, nos termos de seu Estatuto Social. 4: As Regionais comprometem-se a permitir que seus associados participem e a participar dos rgos da SBACV, em conformidade com as regras especficas de nomeao, estabelecidas neste Estatuto Social, para cada rgo, comisso e grupo de trabalho. Artigo 22. A SBACV, nos termos deste Estatuto Social, estabelecer convnio com as associaes aptas a serem Regionais.

12

758178v18 - 2277 - 5

1: Alm dos demais quesitos estabelecidos neste Estatuto Social, SBACV poder firmar convnio com associao Estadual se no existir Regional conveniada SBACV na mesma Unidade de Federao (UF). 2: Compete Diretoria Nacional da SBACV a anlise dos quesitos das associaes interessadas em atuarem como Regional, aprovao do convnio e ingresso da associao como Regional, bem como, eventuais orientaes sobre alteraes e adequaes necessrias. 3: Configura pr-requisito da possibilidade de convnio com associao Regional que exista no mnimo, 10 (dez) associados da SBACV, sendo pelo menos 2 (dois) das categorias Efetivo e/ou Titular atuando profissionalmente naquela Unidade da Federao (UF). Artigo 23. A SBACV e as Regionais preservaro sua autonomia administrativa e jurdica, no estabelecendo qualquer relao societria ou associativa entre elas. nico: Fica facultado SBACV, a critrio da Diretoria Nacional, delegar poderes especficos para que as Regionais a representem no exerccio das atividades que lhes so comuns, bem como fazer parcerias para atividades e projetos especficos. Artigo 24. As associaes congneres, para estarem aptas a participarem da SBACV na qualidade de Regionais, devero cumprir os seguintes requisitos, cumulativamente: a) Estar juridicamente constituda na forma de associao, registrada em Cartrio e na Receita Federal (CNPJ), de forma autnoma e conforme as leis em vigor no Pas; b) Possuir como objetivo social o mesmo objetivo social da SBACV, com remisso expressa ao mbito de atuao da Unidade da Federao (UF) onde exerce suas atividades; c) Estabelecer em seu Estatuto que, em razo dos objetivos comuns, exerce suas atividades em parceria com a SBACV, motivo pelo qual se obriga a respeitar as regras estabelecidas no Estatuto Social, Regimento Interno e demais normas da SBACV, e a estabelecer relao de convnio/parceria com a SBACV mediante assinatura do Termo de Convnio com a SBACV; d) Possuir no seu Estatuto Social as categorias Aspirante, Efetivo e Titular,

13

758178v18 - 2277 - 5

estabelecendo critrios de ingressos anlogos aos estabelecidos pela SBACV para Aspirante e Efetivo, e que a progresso para a categoria de Titular ser vinculada progresso do associado na SBACV, nos termos deste Estatuto Social; e) Estabelecer que a excluso de seus associados do quadro associativo est vinculada excluso do quadro associativo da SBACV; f) Manter a contabilidade e escriturao em ordem, de acordo com as leis em vigor; g) Previso de Assembleia Geral anual para deliberao sobre as contas dos Administradores, at o ms de maio de cada ano; h) No remunerar dirigente eleito, sendo que os cargos eletivos so exclusivos dos associados Efetivos e Titulares; i) Possuir rgo administrativo composto por, pelo menos: Presidente, Vice-Presidente, Tesoureiro e Secretrio, e zelar pela transparncia do modelo de governana, sendo que nas Regionais com mais que 10 (dez) associados, o cargo de Presidente deve ser exclusivo a associados Titular, exceto quando no houver disponibilidade de nenhum dos associados Titulares, declarado por escrito; j) Previso expressa de reverso do patrimnio social SBACV em caso de dissoluo; k) Ter os mandatos dos cargos de administrao coincidente com o mandato da Diretoria Nacional da SBACV, com eleio do Presidente ocorrendo sempre entre 1 de novembro at 30 de novembro do ano imediatamente anterior ao mandato, e posse sempre no 1 (primeiro) dia do ms de janeiro do primeiro ano do mandato; l) Possuir em seu Estatuto Social informao expressa sobre a competncia do Conselho Superior da SBACV e do Conselho de tica, nos termos deste Estatuto Social, bem como referncia obrigao de acatar suas decises; m) Possuir em seu Estatuto Social a obrigao de eleio e envio de seus membros Cmara de Representantes, em conformidade com as regras de eleio definidas neste Estatuto Social, bem como a obrigao em acatar as decises deste rgo para as competncias aqui definidas, que lhes couberem; e n) Estar contratualmente e formalmente compromissada com a metodologia de

14

758178v18 - 2277 - 5

trabalho desenvolvida pela SBACV para a consecuo de seus fins sociais, mediante assinatura dos instrumentos especficos de autorizao, contendo direitos e obrigaes assumidas pelo uso da metodologia, marcas e selos de propriedade intelectual da SBACV. Artigo 26. As associaes conveniadas Regionais, a partir da assinatura do convenio, e denominadas simplesmente Regionais, obrigam-se a: a) Respeitar e obedecer este Estatuto Social, bem como as decises internas e dos rgos da SBACV; b) Prestigiar as atividades, eventos, cursos, publicaes e demais iniciativas da SBACV; c) Respeitar seu mbito de atuao local/regional, no interferindo ou aceitando associados de outras regies, salvo quando no houver associao conveniada com a SBACV na Unidade da Federao onde o associado exera sua atividade profissional e at que seja conveniada uma Regional naquela Unidade da Federao; d) No tomar iniciativas ou atividades de mbito nacional sem a parceria ou autorizao da SBACV; e) Acatar a ficha de associao conjunta, nos moldes fornecidos pela SBACV, seguindo a operacionalidade para ingresso de associados no seu quadro associativo, bem como informando SBACV qualquer alterao em seu quadro de associados; f) Encaminhar anualmente, at 30 de junho de cada ano, e sempre que a SBACV solicitar, a relao completa e atualizada de associados e colaboradores, bem como a informao sobre a existncia de mora com a tesouraria; g) Encaminhar, no prazo estipulado neste Estatuto Social, a relao dos eleitos para a Cmara de Representantes; h) Acatar as deliberaes dos rgos da SBACV nos assuntos que forem de sua competncia, nos termos deste Estatuto Social; i) Suportar financeiramente pelos seus eventos e encontros regionais, responsabilizando-se pela programao cientfica; j) Acatar as deliberaes da SBACV no que tange aos critrios de anuidade e

15

758178v18 - 2277 - 5

alterao de seu valor, comprometendo-se a controlar e receber o valor integral de seus associados e repassar SBACV o valor correspondente taxa da SBACV, sem qualquer nus para a SBACV em virtude deste controle; k) Encaminhar, em at 60 (sessenta dias) aps cada eleio da Diretoria da Regional, cpia da Ata de Eleio de seus representantes registrada em Cartrio; l) Adotar o nome fantasia Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular e a marca SBACV, acrescida da sigla do seu Estado ou Unidade de Federao respectivo, enquanto perdurar esta condio perante a SBACV, indicando esta condio em seus impressos, sites, informativos, e outros meios de comunicao, podendo adotar a logomarca da SBACV adaptada para cada regional, incluindo caractersticas regionais.e m) Utilizar a logomarca da SBACV perante terceiros somente quando esta autorizar, nos termos deste Estatuto Social. nico: No caso de Regional recm-criada, os associados da SBACV que estiverem associados em outra Regional, por inexistncia de uma em sua localidade, sero excludos do quadro desta associados da Regional pela prpria Regional, a fim de respeitar a localidade de atuao, e convidados ingressarem na Regional respectiva. Artigo 27: A associao conveniada Regional que deixar de cumprir os quesitos de manuteno nesta condio ter seu convnio rescindido, por deliberao da Diretoria Nacional da SBACV, deixando de ser considerada Regional para todos os efeitos. 1: O convnio com associao de atuao regional ser rescindido mediante justificativa formal. 2: A Diretoria Nacional poder, a seu critrio, estabelecer prazo para que a Regional regularize sua situao legal e/ou adequar seus instrumentos (assim entendidos Estatuto Social, Regimento Internos, fichas de associao, registro nos rgos pblicos), e/ou seus procedimentos (assim consideradas as pendncias no envio de documentos), situao em que, a critrio da Diretoria Nacional, podero ficar suspensos os direitos da Regional, inclusive de participao de seus representantes nos rgos da SBACV, at a completa regularizao. Artigo 28: No caso de cancelamento de convnio com Regional, os associados

16

758178v18 - 2277 - 5

comuns entre esta Regional e a SBACV sero informados pela SBACV que indicar outra Regional conveniada apta a represent-los. nico: Do cancelamento de Conveniada Regional cabe recurso, no suspensivo, ao Conselho Superior.

TTULO IV DO PATRIMNIO E FONTES DE RECURSOS

Artigo 29. O patrimnio da SBACV constitudo por bens mveis e imveis, rendas provenientes dos resultados de suas atividades e de seu patrimnio, e direitos que vier a adquirir a qualquer ttulo, inclusive veculos, aes e ttulos da dvida pblica. 1: O patrimnio social permanecer sob a guarda e a responsabilidade direta da Diretoria Nacional, cabendo aos associados a obrigao de zelar pelos bens e direitos. 2: A alienao do patrimnio da SBACV depender de deliberao colegiada da Diretoria Nacional, nos termos do Estatuto Social, sendo que em caso de bens imveis ou de propriedade intelectual dever ser autorizadas tambm pelo Conselho Superior. 3: O licenciamento da marca SBACV para evento e publicaes ser concedido exclusivamente pela SBACV a cada caso. Artigo 30. Os recursos financeiros necessrios manuteno da SBACV e consecuo de seus objetivos sero obtidos atravs de: a) Contribuies fixas e/ou regulares de associados ou no-associados, bem como taxa de adeso e manuteno a projetos, comisses, grupos de trabalho e programas, inclusive manuteno regular, taxas administrativas e aplicao de penalidade pecuniria; b) Rendas de seu patrimnio, tais como aluguel, juros de ttulos e depsitos, licenas de marcas e selos e propriedade intelectual em geral, direitos autorais e cesso de direitos vinculados imagem; c) Doaes de bens e direitos, subvenes, legados que lhe fizerem pessoas fsicas e jurdicas, nacionais ou estrangeiras, desde que no impliquem em subordinao, compromissos ou interesses que conflitem com as finalidades da

17

758178v18 - 2277 - 5

SBACV; d) Convnios, contratos, patrocnios, acordos e parcerias firmados com pessoas fsicas ou jurdicas, nacionais ou internacionais, privadas, do poder pblico, ou mistas, firmados para unio de esforos e/ou financiamento de projetos no seu mbito de atuao ou para divulgao das suas atividades, inclusive projeto de selos e certificaes; e) Promoo de feiras, congressos, seminrios, palestras e outros eventos relacionados ao seu objetivo, ou, ainda, patrocnio e negociao de produtos e servios decorrentes da atividade meio, inclusive certificao, organizao e aplicao de provas de ttulos, licenciamento de marcas e selos, elaborao de normas tcnicas, entre outros, desde que no contrariem os fins e objetivos da SBACV; e f) Rendas eventuais. nico: Nenhuma doao ou subveno SBACV comprometer sua autonomia ou independncia perante os doadores. Artigo 31. O patrimnio e recursos financeiros da SBACV sero aplicados exclusivamente e obrigatoriamente para a consecuo das suas finalidades e objetivos. Artigo 32. Os associados pagaro uma contribuio anual, nos termos e valores estabelecidos pelo rgo competente da SBACV. 1: Os membros Correspondentes pagaro uma contribuio anual nos mesmos termos e valores aplicados aos associados. 2: Os associados da SBACV que participarem da SBACV por mais que 30 (trinta) anos de contribuio ininterrupta, tiverem mais que 65 (sessenta e cinco anos) e estiverem quites com a Tesouraria, podero requerer Diretoria Nacional a condio de associado no contribuinte, mediante solicitao com comprovao do perodo em referencia, e passaro, aps aprovao, a ser chamado remido, sem alterao de sua categoria. 3: Em caso de associado com grave enfermidade fica facultado Diretoria Nacional da SBACV isentar o associado do pagamento da anuidade, que deve ser feito por prazo determinado, podendo ser renovado enquanto perdurar essa condio

18

758178v18 - 2277 - 5

de sade. Artigo 33: Compete s Regionais organizar o recebimento, recolher e repassar os valores de anuidade dos associados e membros da SBACV. nico: Fica estabelecido que o valor total da anuidade a ser recolhido pelas Regionais a soma do valor da anuidade da SBACV com o valor da anuidade da Regional. Ou seja, o valor da anuidade da SBACV sempre a metade do valor total pago pelos associados, cabendo a outra metade Regional respectiva. Artigo 34. A SBACV no distribui entre seus associados, conselheiros, diretores ou doadores eventuais excedentes operacionais, brutos ou lquidos, dividendos, bonificaes, benefcios ou vantagens, participaes ou parcelas do seu patrimnio, auferidos em razo das competncias, funes ou atividades que lhe so atribudos por este Estatuto Social, aplicando-os integralmente na consecuo de seus objetivos sociais. 1: A SBACV no remunera, sob qualquer forma, os membros de cargos eletivos de sua administrao, pelas atividades exercidas na SBACV, cujas atuaes so inteiramente gratuitas. 2: Fica destacado, apenas por precauo, que os servios profissionais especficos, que no se confundem com as atribuies dos rgos da SBACV elencadas neste Estatuto Social, podero ser remuneradas, desde que autorizados pelos rgos competentes, nos termos deste Estatuto Social, e respeitados os valores de mercado da regio onde so exercidas as atividades. 3: A contratao de assessoria de imprensa, relaes pblicas, assessoria jurdica e assessoria contbil que atue e/ou esteja localizada fora da cidade onde est a sede da SBACV est subordinada anuncia do Conselho Superior. Artigo 35. Em caso de dissoluo da SBACV e havendo saldo remanescente de seu patrimnio lquido, este ser revertido em favor de pessoa jurdica constituda sob a forma de associao, e preferencialmente que tenha o mesmo objetivo social. Artigo 36. O exerccio social ter seu incio em 1o (primeiro) de janeiro e encerrar-se- em 31 (trinta e um) de dezembro de cada ano civil.

TTULO V DOS RGOS

19

758178v18 - 2277 - 5

Artigo 37. So rgos da SBACV: a) Assembleia Geral; b) Diretoria Nacional; c) Cmara de Representantes; d) Conselho Superior; e) Conselho de Presidentes das Regionais; f) Conselho Cientfico; g) Comisso de tica; e h) Conselho Fiscal. Artigo 38. Os integrantes dos rgos da SBACV no respondem pessoalmente pelas obrigaes que contrarem em nome dela na prtica de atos regulares de gesto, mas assumem responsabilidade pelos prejuzos que causarem mediante infrao de lei, ou em desacordo com o Estatuto Social e Regimento Interno. Artigo 39. A SBACV adotar prticas de gesto administrativa necessrias e suficientes a coibir a obteno, de forma individual ou coletiva, de benefcios e vantagens pessoais, em decorrncia da participao nos processos decisrios. nico: O exerccio de cargos eletivos exclusivo dos associados da SBACV, nos termos dos critrios estabelecidos para cada rgo.

CAPTULO I DA ASSEMBLEIA GERAL

Artigo 40. A Assembleia Geral o rgo mximo da SBACV, constituda pelos associados, em pleno gozo de seus direitos, e soberana nas resolues que no conflitarem com a Lei. 1: Cada associado, em dia com suas obrigaes sociais, tm direito a um voto nas deliberaes da Assembleia Geral. 2: Podero votar os associados quites com a tesouraria da SBACV quanto anuidade do ano civil imediatamente anterior Assembleia Geral. Artigo 41. Compete exclusivamente Assembleia Geral, sem excluso das demais atribuies institudas por este Estatuto Social:

20

758178v18 - 2277 - 5

a) Alterar o Estatuto Social, nos termos aprovados e enviados pela Cmara de Representantes, ou, em caso de negativa de aprovao integral dos termos recebidos pela Cmara de Representantes, encaminhar a minuta para que a Cmara de Representante faa alteraes e reenvie; b) Destituir os membros da Diretoria Nacional e do Conselho Fiscal, conforme orientao do Conselho Superior e da Comisso de tica; c) Deliberar sobre a dissoluo da SBACV e a destinao dos bens integrantes do patrimnio social, nos termos deste Estatuto Social e mediante Parecer da Cmara de Representantes e do Conselho Superior; d) Deliberar sobre os assuntos encaminhados pela Diretoria Nacional; e) Eleger a Diretoria Nacional e o Conselho Fiscal; f) Escolher, aps parecer da Cmara de Representantes, a Regional que sediar o Congresso da SBACV; e g) Examinar, discutir e, se for o caso, aprovar as contas dos administradores, demonstraes financeiras do exerccio, balano e relatrio de atividades da SBACV, em conformidade com parecer do Conselho Fiscal, da Cmara de Representantes, e, sendo o caso, do Conselho Superior. 1: A assembleia Geral reunir-se-, no mnimo, durante o primeiro semestre de cada ano, com data e local coincidentes com inicio ou final de grande evento da SBACV em parceria com uma Regional, para deliberar sobre o item g deste Artigo, e, em caso de no aprovao encaminhar o assunto para providncias do Conselho Superior. 2: O quorum para instalao da Assembleia Geral ser, em primeira convocao a maioria absoluta dos associados, em pleno gozo de seus direitos, ou, meia hora aps, em segunda convocao, com qualquer nmero de associados, exceto para as Assembleias Gerais destinadas a deliberar sobre os itens a, b e c do caput deste artigo, em que quorum de instalao em segunda convocao ser 1/5 (um quinto) dos associados, em pleno gozo de seus direitos. 3: O Quorum para as deliberaes em Assembleia Geral ser sempre a maioria de votos dos presentes, excludos, quando houver unanimidade, os votos brancos e nulos.

21

758178v18 - 2277 - 5

4: A Assembleia Geral destinada eleio acontecer sempre no ltimo semestre do mandato, na sede da SBACV, e a lista de presena ser assinada, tambm pelos membros da Comisso Eleitoral. Artigo 42. As Assembleias Gerais sero presididas e secretariadas por associado da categoria Titular, eleito entre os presentes, cabendo, em caso de Assembleia Geral destinada a Eleio, sua presidncia e secretria a membros da Comisso Eleitoral. Artigo 43. A Assembleia Geral poder ser convocada pelo Presidente da Diretoria Nacional da SBACV ou pelo Presidente e Secretrio da reunio do Conselho Superior que deliberou pela convocao, ou, ainda, por, no mnimo 1/5, dos associados com direito a voto. 1: A Assembleia Geral ser convocada atravs de Edital publicado no Dirio Oficial da Unio, afixado na sede e endereo eletrnico (site) da SBACV, e enviada aos associados, por correio ou correio eletrnico (e-mail), no endereo informado pelo associado, com antecedncia mnima de 30 (trinta) dias corridos da data da sua realizao, salvo no caso de Assembleia Geral para eleio, que dever ter antecedncia mnima de 90 (noventa dias) 2: O Edital de Convocao mencionar obrigatoriamente, data, local e horrio da Assembleia Geral (1 e 2 convocao), e Ordem do Dia, alm das informaes especficas quando destinadas eleio.

SESSO I DAS ELEIES DA DIRETORIA E DO CONSELHO FISCAL

Artigo 44. As Assembleias Gerais destinadas eleio da Diretoria e do Conselho Fiscal sero convocadas por Edital, que indicar, alm dos demais itens, a data limite para registro de chapas candidatas no prazo de 60 (sessenta) dias anteriores da data da Assembleia Geral, ou, no sendo dia til, no dia imediatamente posterior. 1: Em at 10 (dez) dias aps o Edital de convocao para a eleio, a SBACV disponibilizar no site e encaminhar, por correio eletrnico, as instrues para o exerccio do voto por correspondncia, inclusive endereo da caixa postal aberta especialmente para este fim. 2: Na ausncia de chapa inscrita, ou, no havendo candidatos suficientes ao Conselho Fiscal, os candidatos podem ser escolhidos entre os presentes na

22

758178v18 - 2277 - 5

Assembleia Geral. Artigo 45. A eleio Diretoria Nacional e ao Conselho Fiscal ocorrer por voto secreto. nico: Compete ao Conselho Superior, facultado a ele a criao de Comisso Eleitoral, a fiscalizao do processo eleitoral, bem como a analise de eventuais impugnaes e dvidas, motivo pelo qual sua presena ser convocada na Assembleia Geral quando destinada Eleio. Artigo 46. Os associados candidatos Diretoria Nacional devero registrar-se por meio de chapa completa Diretoria Nacional, enquanto os candidatos aos cargos de Conselheiro Fiscal devero candidatar-se individualmente, mediante manifestao formal de interesse. 1: Os documentos de registro de candidatura devero ser entregues na sede da SBACV mediante recibo, at as 18:00 horas do prazo estipulado no Edital. 2: As chapas, em at 4 (quatro) dias subsequentes ao fim do prazo de registro, sero afixadas no sitio eletrnico (site) e na sede da SBACV e enviadas por carta no endereo eletrnico (e-mail) dos associados, por ordem de inscrio, a fim de que todas os associados possam tomar conhecimento dos nomes que as compem. Artigo 47. As chapas concorrentes Diretoria Nacional sero compostas apenas por associados da categoria Titular, candidatos aos seguintes cargos: a) Presidente, b) Vice-Presidente, c) Secretrio Geral, d) Vice-Secretrio, e) Tesoureiro Geral, f) Vice-Tesoureiro, g) Diretor Cientfico, h) Vice-Diretor Cientfico, i) Diretor de Publicaes, j) Vice-Diretor de Publicaes, k) Diretor de Patrimnio, l) Vice-Diretor de Patrimnio, m) Diretor de Defesa Profissional, e n) Vice- Diretor de Defesa Profissional.

23

758178v18 - 2277 - 5

1: Em caso de desistncia de at 2 (dois) dos membros da chapa, exceto ao cargo de Presidente,que no poder ser substitudo, em at 10 (dez) dias antes da eleio, facultada chapa a sua alterao no que tange queles cargos, respeitados os mesmos critrios aplicveis aos candidatos, devendo a Diretoria Nacional encaminhar a nova chapa em, no mximo, at 5 (cinco) dias antes da eleio, para conhecimento de todos os associados mediante a afixao e envio. 2: Os candidatos a Presidente, Secretrio Geral e Tesoureiro Geral da SBACV devem ter domicilio na mesma cidade, e registro no CRM na mesma Unidade da Federao (UF). 3: No caso de composio de chapas, formando chapa nica, os votos de ambas as chapas sero computados como endereados chapa composta. Artigo 48. Os candidatos ao Conselho Fiscal devem ser associados da categoria Titular ou Efetivo. nico: Os candidatos Conselheiro Fiscal devero encaminhar sua candidatura independentemente da chapa Diretoria Nacional, e sero eleitos 3 (trs) pessoas para Conselheiro Fiscal e 3 (trs) pessoas para Suplente do Conselho Fiscal, por ordem de nmero de votos. Artigo 49. Os associados candidatos devero estar em dia com as obrigaes pecunirias perante a SBACV e em pleno gozo de seus direitos sociais no prazo final do registro da candidatura, competindo a eles comprovar, se necessrio, a quitao mediante documento. 1: vedada a participao de associado em mais de um cargo eletivo. 2: Os candidatos devem ser associados da AMB, quites com suas obrigaes sociais. 3: No podem ser eleitos para cargos da Diretoria ou do Conselho Fiscal: a) Aqueles que no tiverem aprovadas as suas contas referentes ao exerccio nos cargos de administrao da SBACV ou nas Regionais, computadas para efeito deste Artigo apenas os exerccios sociais encerrados; b) Aqueles que comprovadamente fizerem mal uso do patrimnio da associao,

24

758178v18 - 2277 - 5

tendo sido julgados e penalizados pela Comisso de tica; e/ou c) Aqueles que possuem m conduta, devidamente comprovada em ao de danos, improbidade administrativa ou regresso movida pela SBACV, as Regionais ou rgos pblicos e/ou mistos. Artigo 50. O mandato dos integrantes da Diretoria e do Conselho Fiscal ser de 2 (dois) anos, admitida 1 (uma) reeleio para o mesmo cargo. nico: Os membros eleitos na Assembleia Geral assumem seus cargos no dia 1 (primeiro) de janeiro do ano subsequente. Artigo 51. Os associados exercero o seu direito de voto por correspondncia enviada atravs do correio caixa postal destinada eleio, em envelope fechado, indicando, externa e expressamente a finalidade eleitoral. 1: Na votao por correspondncia a SBACV enviar aos associados um envelope contendo: a) Carta com instrues para o exerccio do voto e endereo da caixa postal; b) Cdula eleitoral, contendo a relao nominal dos candidatos em cada chapa; c) Envelope branco sem identificao, para receber a cdula eleitoral; e d) Envelope resposta comercial, que poder estar identificado com o nome do associado votante. 2: Na votao por correspondncia, a carta enviada pelo associado dever conter: a) O nome do associado votante (remetente) no envelope externo de envio; b) Envelope branco lacrado dentro do envelope externo, sem identificao de remetente, contendo a cdula eleitoral (voto). 3: As cartas contendo os votos por correspondncia devem ser encaminhadas pelos associados para caixa postal aberta nos correios, desde o inicio do processo eleitoral, destinada a este fim, cujo contedo ser recolhido na presena de responsvel designado pelo Conselho Superior, ou, sendo o caso, pela Comisso

25

758178v18 - 2277 - 5

Eleitoral, que o manter sob vigilncia at o fim do processo eleitoral. 4: Cabe ao associado a responsabilidade de encaminhar o voto em prazo hbil, considerando que a caixa postal ser recolhida sede da SBACV na manh do dia Assembleia Geral que deliberar sobre o assunto. 5: Aberta a Assembleia Geral de eleio, associados que encaminharam os votos por correspondncia sero relacionados em lista, de forma que no ser permitido o voto em duplicidade, e, aps confirmao de regularidade em relao anuidade do ano anterior, ou do ano presente no caso de associado novo, o envelope interno, contendo o voto secreto, ser colocado na urna. 6: Em caso de um associado encaminhar dois votos por correspondncia, sero anulados os dois, sendo que, em caso de impossibilidade, ser computado apenas o primeiro e anulado o segundo. 7: Aps conferidos as cartas e separados todos os votos, a Comisso Eleitoral computar os votos e proclamar o resultado. Artigo 52. Compete Comisso Eleitoral: a) Elaborar e encaminhar ao Presidente da Diretoria Nacional as regras de campanha, e/ou Regimento Eleitoral, zelando por sua publicidade; b) Eleger, a cada eleio, 1 (um) Coordenador responsvel pela comunicao com os associados, receber e responder impugnaes e questionamentos, e acompanhar a contratao e retirada da caixa postal at a efetiva contagem dos votos, declarar aberta a apurao e o resultado; c) Receber a relao de associados e conferir a regularidade dos associados, confirmando aqueles aptos a votarem; d) Fiscalizar o processo eleitoral, desde o registro das chapas at a contagem dos votos; e) Receber as inscries de at 3 (trs) fiscais por cada chapa candidata Diretoria Nacional, a qualquer momento aps a divulgao das chapas candidatas, organizando suas atividades e permitindo seu acesso s informaes relacionadas ao processo eleitoral;

26

758178v18 - 2277 - 5

f) Julgar, inclusive de oficio, as impugnaes a votos, candidatos e chapas, comunicando sua deciso para providncias ao Presidente da Diretoria Nacional; e g) Zelar pela transparncia do processo eleitoral, podendo, se for o caso comunicar Comisso de tica. Artigo 53. A apurao ser iniciada aps conferidas as cartas contendo os votos, na presena da Comisso Eleitoral. Artigo 54. Em caso empate, o critrio de desempate ser o tempo em que o Presidente da chapa, ou candidato ao Conselho Fiscal, pertence categoria de Titular.

SESSO II DA PERDA DO MANDATO E DA VACNCIA

Artigo 55. Os membros da Diretoria Nacional e do Conselho Fiscal sero destitudos mediante deliberao da Assembleia Geral, nos termos e procedimentos deste Estatuto Social. nico: No caso da aplicao deste Artigo, aps a deliberao do Conselho Superior para convocao da Assembleia Geral especfica, o interessado ser notificado em at 5 (cinco) dias antes da Assembleia Geral para que exera seu direito de defesa, cabendo recurso, no suspensivo, primeira Assembleia Geral subsequente. Artigo 56. Em caso de vacncia definitiva nos cargos da Diretoria Nacional e ao Conselho Fiscal, proceder-se- conforme os Artigos especficos deste Estatuto Social, sendo facultado ao Presidente da Diretoria Nacional a convocao de Assembleia Geral para eleio dos cargos que, aps as substituies, ficarem vagos, procedendo-se nos termos gerais aplicveis eleio. Artigo 57. Os membros nomeados pela Diretoria para qualquer grupo de trabalho ou funo, bem como profissionais contratados para o exerccio de qualquer funo podero ser destitudos pelo Presidente da Diretoria, a qualquer tempo, observados os critrios estabelecidos neste Estatuto Social, independentemente de quaisquer motivos e justificao, e sem direito a recurso.

CAPTULO II DA DIRETORIA NACIONAL

27

758178v18 - 2277 - 5

Artigo 58. A Diretoria Nacional o rgo responsvel pelas atividades executivas e administrativas da SBACV, cabendo-lhe a execuo das polticas e diretrizes definidas neste Estatuto Social ou estabelecidas pela Cmara de Representantes. Artigo 59. A Diretoria ser composta por Presidente, Vice-Presidente, Secretrio Geral, Vice-Secretrio, Tesoureiro Geral, Vice-Tesoureiro, Diretor Cientfico, Vice-Diretor Cientfico, Diretor de Publicaes Cientficas, Vice-Diretor de Publicaes Cientficas, Diretor de Patrimnio, Vice-Diretor de Patrimnio, Diretor de Defesa Profissional e Vice-Diretor de Defesa Profissional. nico: Os membros da Diretoria Nacional devero estar em pleno gozo de seus direitos como associado, ficando vetada a participao dos membros do Conselho Fiscal e do Conselho de Presidentes das Regionais em cargos eletivos da Diretoria Nacional. Artigo 60. A Diretoria Nacional reunir-se- sempre que necessrio, convocada pelo Presidente com antecedncia mnima de 5 (cinco) dias, atravs de carta ou correio eletrnico, registrando em Ata suas decises. 1: Nas decises colegiadas da Diretoria Nacional, todos os membros eleitos da Diretoria Nacional votam, inclusive os eleitos como Vice. 2: Em caso de empate, o Presidente, alm do seu voto como membro, ter o voto de qualidade. Artigo 61. Compete, de forma colegiada por maioria simples, Diretoria: a) Elaborar e apresentar ao rgo competente o Regimento Interno, bem como eventuais alteraes; b) Deliberar sobre locao ou arrendamento de bens imveis, e, aps aprovao do Conselho Superior, deliberar sobre a alienao de patrimnio imvel ou de propriedade intelectual; c) Indicar, no 1 trimestre de sua gesto, 2 (dois) nomes para compor a Comisso de tica e 5 (cinco) nomes para compor o Conselho Cientfico, e, ainda, indicar novo nome sempre que houver vacncia; e d) Deliberar sobre os assuntos que o Presidente da Diretoria Nacional encaminhar

28

758178v18 - 2277 - 5

para debates. Artigo 62. Compete ao Presidente da Diretoria Nacional, dentre outras nos termos deste Estatuto Social, as seguintes atribuies: a) Representar a SBACV ativa e passivamente, em juzo ou fora dele, nas medidas de carter administrativo, financeiro e econmico necessrias consecuo dos objetivos sociais; b) Apresentar, at 30 (trinta) dias antes da Assembleia Geral sobre este assunto, ao Conselho Fiscal o relatrio geral, o balano e as demonstraes financeiras do exerccio social imediatamente anterior, e encaminhando seu parecer para deliberao da Assembleia Geral; c) Entregar, quando solicitado pelo Presidente da gesto anterior para apresentao de suas contas Assembleia Geral, nos termos do pargrafo deste artigo, os documentos necessrios prestao de contas do ano exerccio anterior; d) Convocar e presidir as reunies da Diretoria Nacional, as e dos demais rgos da SBACV, salvo quando houver manifestao expressa neste Estatuto Social sobre outra forma de organizao, bem como presidir eventos e congressos da SBACV; e) Criar e extinguir grupos de trabalho e comisses temporrias destinados a projetos e assuntos especficos, tais como comisso para elaborao de Regimento Interno e de Estatuto Social, deliberando sobre suas funes e funcionamento, nomeando seus participantes e coordenadores e destituindo-os a qualquer tempo; f) Apresentar ao Conselho Superior sugesto de alterao de consultoria contbil, assessoria jurdica e assessoria de marketing, sempre que houver interesse em contratao de empresa para atuar fora da cidade da sede da SBACV. g) Aplicar, aps deliberao do rgo competente, penalidades aos associados zelando pela observncia da Lei e deste Estatuto Social; h) Fixar a orientao geral das atividades da SBACV, manifestando-se sobre todos os assuntos de relevncia para os objetivos sociais; i) Presidir os grupos de trabalho, comisses para projeto especfico e o Conselho Cientfico, tais como, mas no se limitando : Comisso para Exames e Provas, Comisso de Doenas Arteriais, Comisso de Doenas Venosas, Comisso de

29

758178v18 - 2277 - 5

Doenas Linfticas, Comisso de Mtodos Diagnsticos No-lnvasivos, Comisso de Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular, Comisso de Cirurgia Experimental e Pesquisa, Comisso de Microcirculao, Comisso de Trauma Vascular, Comisso para o Frum Cientfico; j) Organizar a publicao de editais, regulamentos, normas internas, e, especialmente os Editais e Regulamentos de Concursos da SBACV; k) Apresentar Cmara de Representantes os critrios e sugestes sobre os valores da anuidade; l) Assinar em conjunto com o Tesoureiro, os instrumentos relativos s utilizao dos recursos financeiros e patrimoniais da SBACV, podendo, inclusive, em conjunto com o Tesoureiro, abrir, movimentar e fechar contas bancrias, emitir, assinar e endossar cheques e quaisquer ttulos de crditos ou ordens de pagamento e outros documentos referente a tais contas; m) Constituir procuradores da SBACV com poderes ad judicia e/ou ad negotia, devendo os instrumentos de mandato trazer expressa meno dos poderes conferidos e prazo determinado de vigncia. As procuraes para que o outorgado pratique atos de movimentao financeira devero ser assinadas sempre em conjunto com o Tesoureiro e conter limitao de valores; n) Indicar, quando entender necessrio, para a aprovao da Diretoria Nacional profissional de sua confiana para exercer o cargo de superintendente geral ou diretor executivo, e aps aprovao contrat-lo nos termos definidos, atribuindo e gerenciando suas funes e atividades, podendo destitu-lo a qualquer tempo, inclusive sem justa causa; o) Ressalvados os casos especficos, contratar empregados da SBACV, fixar vencimentos, sempre condizentes com os padres do mercado, estabelecendo funes dos profissionais tcnicos contratados, inclusive para os trabalhos de Edio, efetuar dispensa e assinar tudo o que for necessrio, sempre observando pela correta aplicao das normas legais; p) Coordenar os trabalhos editoriais das publicaes da SBACV, com exceo do Jornal vascular Brasileiro; e q) Prestar as informaes solicitadas pelo Conselho Superior, Cmara de Representantes, Conselho de Presidentes das Regionais, Conselho Fiscal e demais

30

758178v18 - 2277 - 5

rgos da SBACV. 1: Compete ao Vice-Presidente substituir o Presidente em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios e/ou definitivos, e, tambm, quando solicitado por este. 2: No ano imediatamente seguinte ao final do mandato, o, ento, ex-presidente apresentar as contas de sua gesto na Assembleia Geral destinada prestao de contas, esclarecendo as dvidas e questionamentos existentes. Artigo 63. Compete ao Secretrio, dentre outras, as seguintes atribuies: a) Secretariar as reunies da Diretoria Nacional e dos demais rgos da SBACV, salvo manifestao em contrrio neste Estatuto Social, bem como redigir suas respectivas Atas, ressalvados os casos especficos, nos termos deste Estatuto Social; b) Zelar pelo correto arquivamento dos Atos sociais e demais documentos da SBACV nos rgos pblicos, tais como Certides, Atas, Estatutos, contratos, bem como a guarda das Atas de reunies dos rgos internos; c) Organizar todos os aspectos burocrticos da SBACV, tais como arquivamento dos documentos dos associados, cadastramento dos dados, entre outros; d) Controlar e manter atualizada a equivalncia do cadastro da SBACV com o cadastro das Regionais; e) Zelar pelo correto arquivamento dos documentos de convnio com as Regionais, bem como os documentos institucionais encaminhados pelas Regionais, informando o Presidente sobre tudo o que possa interessar a SBACV; f) Organizar e expedir certificados de membros e de cursos, em conjunto com o Presidente; g) Administrar o portal eletrnico da SBACV, em conjunto com o Diretor de Publicaes, bem como a divulgao de informaes e do calendrio cientfico; e h) Disponibilizar os documentos institucionais da SBACV para consulta dos associados que solicitarem, sem permitir, contudo que os retirem da sede da associao.

31

758178v18 - 2277 - 5

nico: Compete ao Vice-Secretrio substituir o Secretrio Geral em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios ou definitivos, e, tambm quando solicitado por este. Artigo 64. Compete ao Tesoureiro Geral, dentre outras, as seguintes atribuies: a) Assinar em conjunto com o Presidente, em exerccio, os instrumentos relacionados aos recursos financeiros e patrimoniais da SBACV podendo, inclusive, em conjunto com o Presidente abrir, movimentar e fechar contas bancrias, emitir, assinar e endossar cheques e quaisquer ttulos de crditos ou ordens de pagamento e outros documentos referentes a tais contas; b) Assessorar o Presidente na elaborao do oramento e do balano patrimonial anual da SBACV; c) Administrar, organizar e contabilizar as contribuies dos associados, auxlios e donativos, bem como quaisquer rendas e receitas; d) Efetuar o controle das despesas ordinrias da SBACV, mantendo em dia sua escriturao fisco-contbil; e) Dirigir e fiscalizar as movimentaes financeiras e aplicaes, zelando para que seja feita de forma legal e dentro dos princpios e normas contbeis aplicveis, e manter sob sua guarda os livros e documentos necessrios para esses fins; f) Apresentar relatrios de receitas e despesas, e prestar informaes para a Cmara de Representantes, Conselho Superior e Conselho Fiscal sempre que solicitado; g) Receber e controlar os valores derivados de eventos, cientficos ou no, e, especialmente, a prestao de contas dos congressos oficiais da SBACV, enviados pela Regional responsvel Diretoria; h) Apresentar anualmente, e sempre que solicitado, ao Conselho Fiscal a escriturao da SBACV, incluindo os relatrios de desempenho financeiro e contbil e sobre as operaes patrimoniais realizadas; e i) Manter todo o numerrio em estabelecimento bancrio, mantendo ao menos 1 (uma) conta bancria na cidade da sede da SBACV.

32

758178v18 - 2277 - 5

nico: Compete ao Vice-Tesoureiro substituir o Tesoureiro Geral em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios ou definitivos, e, tambm quando solicitado por este. Artigo 65. Compete ao Diretor Cientfico, dentre outras, as seguintes atribuies: a) Assessorar o Presidente e coordenar as atividades cientficas da SBACV; b) Coordenar o Conselho Cientfico da SBACV e Presidir a Comisso Cientfica nos congressos brasileiros; c) Coordenar operacionalmente as comisses formadas para exames e concursos da SBACV, acompanhando seu desenvolvimento e desempenho; e d) Aprovar a programao cientfica de cada evento em que a SBACV licenciar ou ceder a marca SBACV, podendo, a seu critrio e sob sua responsabilidade, solicitar auxilio do Conselho Cientfico. nico: Compete ao Vice-Diretor Cientfico substituir o Diretor Cientfico em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios ou definitivos, e, tambm quando solicitado por este. Artigo 66. Compete ao Diretor de Publicaes, dentre outras, as seguintes atribuies: a) Coordenar a edio e publicaes da SBACV, exceo feita ao Jornal Vascular Brasileiro; b) Negociar e apresentar propostas ao Presidente com a finalidade de captar recursos para viabilizar as publicaes da SBACV, zelando sempre para que no conflitem com seus objetivos sociais; c) Manter atualizado o ndice Bibliogrfico Brasileiro de Angiologia e Cirurgia Vascular; d) Administrar em conjunto com o Secretrio Geral o portal eletrnico da SBACV; e) Participar do corpo editorial da revista da SBACV durante seu mandato, na condio de Editor Associado; e

33

758178v18 - 2277 - 5

f) Providenciar na revista da SBACV as publicaes de logos e selos autorizadas pela Diretoria que no dependem de aprovao do Conselho Editorial da Revista. nico: Compete ao Vice-Diretor de Publicaes, substituir o Diretor de Publicaes em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios ou definitivos, e, tambm quando solicitado por este. Artigo 67. Compete ao Diretor de Patrimnio, dentre outras, as seguintes atribuies: a) Zelar pela guarda dos bens mveis e imveis da SBACV, acompanhando todas as operaes que envolverem compras e reforma nestes bens; b) Providenciar o correto registro dos bens imveis da SBACV nos rgos competentes; c) Controlar o inventrio dos bens mveis da SBACV, mantendo registro de quantidade e qualidade; d) Em conjunto com o Secretrio Geral, providenciar o arquivamento, organizao e guarda dos documentos da SBACV; e) Zelar, em conjunto com o Secretrio Geral, pela guarda e proteo dos dados cadastrais dos associados da SBACV; e f) Zelar pelo arquivo histrico da SBACV. nico: Compete ao Vice-Diretor de Patrimnio, substituir o Diretor de Patrimnio em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios ou definitivos, e, tambm quando solicitado por este. Artigo 68. Compete ao Diretor de Defesa Profissional, dentre outras, as seguintes atribuies: a) Coordenar, acompanhar e encaminhar internamente os assuntos relativos aos associados, ou grupo de associados, e sua relao com o sistema pblico de sade, convnios e remunerao profissional; b) Formar, se necessrio, comisses tcnicas para tratar dos assuntos de seu mbito de atuao, solicitando auxilio e parceria de outros membros da Diretoria

34

758178v18 - 2277 - 5

Nacional; c) Coordenar os assuntos relacionados Associao Mdica Brasileira e suas federadas, encaminhando-os para deliberao dos rgos internos da SBACV, nos termos deste Estatuto Social; e d) Receber e dar andamento interno s solicitaes, reclamaes, denncias, dvidas, sugestes, ou qualquer contato feito pelos associados, inclusive quando relacionadas tica profissional. nico: Compete ao Vice-Diretor de Defesa Profissional, substituir o Diretor de Defesa Profissional em suas viagens, ausncias, faltas e impedimentos temporrios ou definitivos, e, tambm quando solicitado por este.

CAPTULO III DA CMARA DE REPRESENTANTES

Artigo 69. A Cmara de Representantes o rgo deliberativo da SBACV, composto por associados escolhidos da seguinte forma: a) Toda a Diretoria da SBACV, em exerccio; b) Todos ex- Presidentes da SBACV; c) Presidentes das Regionais, em exerccio; d) Representantes das Regionais, sendo (dois) associados por Regional, eleitos especialmente para a Cmara de Representantes da SBACV; e e) Representantes dos associados da SBACV, eleitos nas Regionais, na proporo de: (I) 1 (um) representante associado da categoria Titular para cada grupo de 5 (cinco) associados da categoria Titular existente na Regional (II) 1 (um) representante associado da categoria Titular ou da categoria Efetivo para cada grupo de 20 (vinte) associados da categoria Efetivo existente na Regional (III) 1 (um) representante associado da categoria Titular ou da categoria Efetivo ou da categoria Aspirante para cada grupo de 40 (quarenta) associados da categoria

35

758178v18 - 2277 - 5

Aspirante existente na Regional 1: Para efeitos do item e retro, quanto no computo dos associados da Regional houver frao ser considerado grupo a frao maior que 50%, ou seja, 3 Titulares, 11 Efetivos e 21 Aspirantes, respectivamente. 2: Os associados para exercerem o direito de voto na Cmara de Representantes devem estar quites com a tesouraria da SBACV em relao anuidade do ano imediatamente anterior reunio da Cmara de Representantes, sem excluso dos associados que estiverem quites com a SBACV na data da reunio. 3: As Regionais devero encaminhar a relao de associados da Regional atualizada e a relao nominal de associados Representantes, nos termos do item d e e deste Artigo, at 15 (quinze) dias antes da data da reunio da Cmara de Representantes, sob pena de, no o fazendo, no ter Representantes da Regional naquela reunio. Artigo 70. A Cmara de Representantes reunir-se- sempre que os interesses sociais o exigirem. 1: As reunies da Cmara de Representantes sero instauradas com qualquer nmero de membros presentes e suas deliberaes tomadas em reunio, por maioria simples de votos, excludos os votos brancos e nulos quando houver unanimidade, e sero lavradas as respectivas atas das reunies. 2: Os membros da Cmara de Representantes no podero fazer-se representar por Procurao, uma vez que foram escolhidos por suas caractersticas pessoais. Artigo 71. Compete Cmara de Representantes, de forma colegiada, sem detrimento das demais funes estabelecidas neste Estatuto Social: a) Aprovar o oramento anual da SBACV e valores da anuidade dos associados, conforme esclarecimentos da Diretoria; b) Aprovar Regimento Interno, regulamentos e normas da SBACV, sendo que procedimentos que disporem sobre assuntos ticos devero ser aprovados pela Comisso de tica; c) Analisar, com 4 (quatro) anos de antecedncia, as condies tcnicas das propostas das Regionais para sediar os Congressos da SBACV e encaminhar

36

758178v18 - 2277 - 5

aquelas com condies tcnicas para deliberao da Assembleia Geral; d) Examinar e dar parecer sobre os assuntos administrativos da SBACV, sugestes apresentadas por seus associados, e assuntos diversos que forem apresentados pela Diretoria Nacional ou pelos prprios representantes nas Comisses e Grupos de Trabalho; e e) Analisar as propostas de alterao do Estatuto Social e encaminhar a minuta de alterao para a Assembleia Geral. Artigo 72. A Cmara de Representantes ser convocada pelo Presidente da SBACV ou pelo Presidente e Secretrio da reunio do Conselho Superior que deliberou sobre a convocao. 1: A Cmara de Representantes ser convocada atravs de Edital afixado nas dependncias da SBACV e no sitio eletrnico da SBACV (site) e enviado s Regionais, por correio (carta com AR) ou correio eletrnico (e-mail com aviso de recebimento), no endereo cadastrado na SBACV, com antecedncia mnima de 60 (sessenta) dias corridos da data da sua realizao. 2: O Edital de Convocao mencionar obrigatoriamente, data, local e horrio da reunio da Cmara de Representantes, e Ordem do Dia. 3: Em caso de deliberaes que demandem anlise prvia de documentos, facultado ao Presidente da Diretoria da SBACV encaminh-los aos membros do Conselho Superior e Presidentes das Regionais, competindo aos Presidentes das Regionais a responsabilidade de envi-los, aos Representantes eleitos no local de sua atuao, no podendo estes ltimos alegar desconhecimento do assunto na reunio, em caso de negligencia do Presidente da Regional. Artigo 73. As reunies da Cmara de Representantes sero instaladas pelo Presidente da SBACV, sendo que, aps a instalao ser escolhido um Presidente da mesa e um Secretrio da mesa, entre os associados da categoria Titular presentes. nico: O Presidente da mesa e Secretrio da mesa sero eleitos por aclamao, dentre os candidatos que se apresentarem ao Presidente da SBACV no momento do recebimento da credencial, facultado ao Presidente da SBACV o voto de qualidade.

CAPTULO IV CONSELHO SUPERIOR

37

758178v18 - 2277 - 5

Artigo 74. O Conselho Superior o rgo consultivo para assuntos gerais e deliberativo para assuntos especficos, nos termos do Estatuto Social. 1: O Conselho Superior composto pelos ex-presidentes da Diretoria da SBACV 2: Os membros do Conselho Superior no podero fazer-se representar por procurao nas reunies e decises que lhes competem, exercendo a funo pessoalmente. 3: Os membros do Conselho Superior ficaro afastados temporariamente de suas funes neste rgo a partir do registro de candidatura para quaisquer rgos eletivos na SBACV ou nas Regionais, voltando a participar do Conselho Superior caso no seja eleito ou aps finalizar seu mandato. Artigo 75. Compete ao Conselho Superior, dentre outras funes estabelecidas neste Estatuto Social, as seguintes atribuies: a) Assessorar a Diretoria em tudo o quanto for por esta solicitada; b) Atuar como rgo de recursos da SBACV, quando no houver rgo especfico definido neste Estatuto Social; c) Deliberar sobre a participao da SBACV em outras associaes nacionais e internacionais, inclusive na qualidade de associada; d) Estabelecer e fiscalizar critrios objetivos para a contratao de auditoria externa, quando a auditoria for deliberada pela Assembleia Geral; e) Emitir parecer sobre quaisquer assuntos, quando solicitado pela Diretoria Nacional; f) Deliberar sobre a aplicao de penalidades, exceto as de responsabilidade da Comisso de tica, nos casos definidos neste Estatuto Social; g) Deliberar sobre os casos omissos ou duvidosos deste Estatuto Social, Regimento Interno, ou quaisquer normas; h) Indicar, no 1 trimestre de cada nova gesto da Diretoria Nacional 3 (trs) nomes, no pertencentes aos seu pares, para compor a Comisso de tica e, ainda,

38

758178v18 - 2277 - 5

indicar novo nome sempre que houver vacncia; i) Deliberar, por meio do Conselho da Ordem do Mrito Ren Fontaine, sobre o oferecimento da homenagem Ordem do Mrito Angiolgico Ren Fontaine ou Ordem do Mrito Ren Fontaine; j) Deliberar sobre a sobre a outorga de ttulos de Honorrios e Emritos, conforme regras estabelecidas em Regimento Interno; e k) Elaborar regras e normas, acompanhar e zelar pela transparncia do processo eleitoral da SBACV, constituindo entre seus pares a Comisso Eleitoral, a cada eleio ou permanente, definindo inclusive responsabilidades e regras operacionais, nos termos deste Estatuto Social. nico: O Conselho da Ordem do Mrito Angiolgico Ren Fontaine composto pelo Presidente da SBACV em exerccio e por 6 (seis) membros do Conselho Superior, de forma vitalcia, competindo a ele escolher as pessoas fsicas ou jurdicas aptas a receberem a Ordem do Mrito Angiolgico Ren Fontaine ou Ordem do Mrito Ren Fontaine, criada em 8 de julho de 1983, que se constitui no mais alto galardo que a SBACV pode oferecer para premiar o mrito cultural e cientfico de personalidades que tenham contribudo de forma relevante para desenvolver, divulgar e congregar as especialidades da Angiologia e da Cirurgia Vascular, em conformidade com critrios estabelecidos em Regimento Interno. Artigo 76. Sempre que o assunto em pauta envolver interesse, direto ou indireto, de qualquer dos membros do Conselho Superior, este no poder participar da reunio que deliberar a respeito, nem como ouvinte, facultado a ele expor suas razes, se for o caso, antes de retirar-se. Artigo 77. O Conselho Superior reunir-se- sempre que os interesses sociais o exigirem, por convocao do Presidente da Diretoria Nacional ou por convocao de mais que 50% (cinquenta por cento) dos membros do Conselho Superior. 1: As reunies do Conselho de Superior sero convocadas mediante carta ou e-mail, indicando a data, hora, local da reunio e a Ordem do Dia, com antecedncia mnima de 15 (quinze) dias corridos, exceto por ocasio de Assembleia Geral e/ou reunio da Cmara de Representantes em fica dispensada a convocao prvia, podendo se reunir a qualquer momento para deliberar sobre os assuntos pauta destas reunies, uma vez que os membros do Conselho Superior tambm so membros destes rgos.

39

758178v18 - 2277 - 5

2: As reunies do Conselho Superior sero instaladas com qualquer nmero dos membros, e as deliberaes sero tomadas por maioria simples de votos, excludos os votos brancos e nulos, e sero lavradas as respectivas atas das reunies. 3: A cada reunio ser escolhido um Presidente e um Secretrio da reunio, cabendo ao Presidente da reunio, em caso de empate, o voto de qualidade. Artigo 78. As reunies do Conselho Superior sero fechadas aos no membros, salvo quando o Conselho Superior convidar algum participante para esclarecimentos, ou em caso de recurso, onde facultado o direito de defesa, situao em que, aps exposio do necessrio, voltar a ser privada.

CAPTULO V CONSELHO DE PRESIDENTES DAS REGIONAIS

Artigo 79. O Conselho de Presidentes das Regionais o rgo consultivo da SBACV, composto pelos Presidentes das Diretorias das Regionais e pelo Presidente da Diretoria Nacional da SBACV. nico: O Conselho presidido pelo Presidente da Diretoria Nacional da SBACV, a quem compete o voto de qualidade. Artigo 80. Compete ao Conselho de Presidentes das Regionais auxiliar na comunicao entre a realidade de cada Regional e a SBACV, bem como a assessoria na elaborao, planejamento, organizao e auxilio de qualquer forma para estratgias de informao, marketing, pesquisas, divulgao de informaes que possam interessar aos seus associados comuns e metodologia de trabalho desenvolvida pela SBACV, cientficas ou no, soluo de problemas comuns, auxiliando a administrao da SBACV em tudo que lhe for solicitado pela Diretoria Nacional. Artigo 81. O Conselho de Presidentes das Regionais reunir-se- sempre que os interesses sociais o exigirem, por convocao do Presidente da Diretoria Nacional da SBACV. 1: As reunies do Conselho de Presidentes das Regionais sero convocadas com antecedncia mnima de 30 (trinta) dias corridos, mediante carta ou e-mail, indicando a data, hora e o local da reunio, assim como a Ordem do Dia.

40

758178v18 - 2277 - 5

2: As reunies do Conselho de Presidentes das Regionais sero instauradas com qualquer nmero de membros presentes e suas deliberaes tomadas em reunio, por maioria simples de votos, excludos os votos brancos e nulos quando houver unanimidade, e sero lavradas as respectivas atas das reunies.

CAPTULO VI DO CONSELHO CIENTFICO

Artigo 82. O Conselho Cientfico composto por 23 (vinte e trs) membros, sendo o Presidente da Diretoria Nacional em exerccio, o Diretor Cientfico da Diretoria Nacional em exerccio e 21 (vinte e um) Conselheiros Cientficos, da categoria Titular, nomeados pela Diretoria Nacional, sem mandato definido, que exercero o cargo at a nomeao de seu substituto. 1: A cada nova gesto de Diretoria Nacional sero renovados 5 (cinco) Conselheiros Cientficos, nomeados pela Diretoria Nacional entre os associados da categoria Titular. 2: Havendo cargo de Conselheiro Cientfico vago a Diretoria Nacional nomear novo Conselheiro Cientfico, entre os associados da categoria Titular. Artigo 83. As reunies do Conselho Cientfico sero convocadas e presididas pelo Presidente da Diretoria Nacional, sempre que entender necessrio. nico: Compete ao Presidente da Diretoria Nacional o voto de qualidade. Artigo 84. facultado ao Presidente instituir comisses e/ou grupos de trabalho especficos por prazo determinado ou trabalho determinado, tais como: Comisso de Ensino, Comisso para Concurso, Comisso de Exame de Suficincia, Comisses para Progresso de Categoria de Associados, entre outras. 1: Nos grupos de trabalho formados para atuarem como Comisso Examinadora o Presidente da Diretoria Nacional nomear, na sua constituio e entre seus membros, um Coordenador. 2: Nas comisses criadas especialmente para a execuo de Concursos fora do Estado da sede da SBACV, facultado a incluso na Comisso de at 2 (dois) associados da Regional onde ser aplicado o concurso, que exercero suas funes assessorando a Comisso na parte operacional do concurso, submetidos ao Presidente da SBACV.

41

758178v18 - 2277 - 5

Artigo 85. Compete ao Conselho Cientfico: a) Emitir opinies, anlises e pareceres a respeito de todas as atividades cientficas da SBACV, quando solicitado pela Diretoria; b) Estudar e sugerir medidas visando a consecuo dos objetivos da SBACV, bem como fazer o intercmbio cientfico com outras especialidades afins; c) Elaborar informativos, guias, manuais, panfletos, pareceres ou qualquer forma de comunicao, sobre temas especficos, sempre mediante avaliao de comisso, quando solicitado pela Diretoria; d) Estabelecer os critrios de reconhecimento dos servios que atuam nas especialidades com respectivas reas de atuao e de seus programas de ensino e treinamento; e) Estabelecer critrios, normas e avaliao para a realizao das provas para obteno do Ttulo de Especialista em Angiologia e em Cirurgia Vascular, Certificado de rea de Atuao em Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular, e Certificado de rea de Atuao em Ecografia Vascular e outras que venham a ser designadas pela legislao vigente, aplicando e operando a aplicao das provas pela SBACV; f) Elaborar a ata sobre as fases dos Concursos, a ser encaminhadas para a Diretoria da SBACV, que devero estar concludas ao final de cada concurso e assinadas pelos membros da Comisso; g) Julgar, por maioria absoluta dos membros, os ttulos dos candidatos at, no mximo, 3 (trs) meses antes da data de realizao dos Concursos; e h) Em at 2 (dois) meses aps o termino de cada concurso, elaborar o Edital e o Regulamento do Concurso para o mesmo objeto imediatamente posterior, encaminhando para a Diretoria junto com a tabela de pontos para julgamento dos ttulos.

CAPTULO VII DA COMISSO DE TICA

Artigo 86. A Comisso de tica o rgo deliberativo da SBACV nos assuntos que so de sua competncia, composto por 5 (cinco) associados da categoria Titular,

42

758178v18 - 2277 - 5

sendo 3 (trs) indicados pelo Conselho Superior e 2 (dois) indicados pela Diretoria Nacional, com mandato coincidente com o mandato da Diretoria Nacional. 1: A Diretoria Nacional e o Conselho Superior indicaro os nomes para a Comisso de tica sempre no 1 (primeiro) trimestre da gesto da Diretoria Nacional. 2: Em caso de vacncia na Comisso de tica, novo membro ser indicado pelo Conselho Superior, e permanecer no cargo at o final do mandato de seus pares. 3: Os membros da Comisso de tica no podero exercer cargos na Diretoria Nacional, Conselho Superior ou Conselho Fiscal. Artigo 87. Compete Comisso de tica: a) Deliberar sobre tudo o que envolver questes de tica dos associados da SBACV, incluindo questes de tica mdica, tica na relao dos associados com terceiros, na relao da SBACV com terceiros, nas relaes dos associados com as Regionais, das Regionais entre elas, na relao da SBACV com as Regionais ou qualquer outra relao no descrita, mas que envolva associados da SBACV; b) Fiscalizao da tica e transparncia, podendo instalar sindicncia e/ou agir espontaneamente ou mediante solicitao do Presidente da Diretoria Nacional ou do Conselho Superior; c) Emitir pareceres no que tange assuntos que envolvam tica, moral e bons costumes, mediante solicitao do Presidente da Diretoria Nacional; e d) Propor normas, regimentos e cdigos relacionados tica, conduta e transparncia, bem como sugerir alteraes nos regulamentos da SBACV, no que tange a estes assuntos. Artigo 88. A Comisso de tica reunir-se- sempre que os interesses sociais o exigirem, por convocao do Presidente da Diretoria Nacional da SBACV ou pelo Presidente e Secretrio da reunio do Conselho Superior que deliberou sobre a convocao. 1: As reunies da Comisso de tica sero convocadas com antecedncia mnima de 15 (quinze) dias corridos, mediante carta ou e-mail, indicando a data, hora e o local da reunio, assim como a Ordem do Dia.

43

758178v18 - 2277 - 5

2: As reunies da Comisso de tica sero instauradas com qualquer nmero de membros presentes e suas deliberaes tomadas por maioria absoluta, ou seja, mnimo de 3 (trs) votos concordes. 3: Os votos da Comisso de tica so secretos, e sero lavradas as respectivas atas das reunies, assinadas por todos os presentes, ou, pelo menos pelo quorum de deliberao.

CAPTULO VIII

DO CONSELHO FISCAL Artigo 89. O Conselho Fiscal o rgo fiscalizatrio, composto de 3 (trs) Conselheiros Fiscais e 3 (trs) Suplentes, eleitos em Assembleia Geral, com mandato coincidente com o da Diretoria Nacional. nico: Os membros do Conselho Fiscal no podero exercer cargos na Diretoria Nacional. Artigo 90. Compete ao Conselho Fiscal: a) Examinar os livros de escriturao da SBACV; b) Fiscalizar a gesto financeira da Diretoria Nacional, com o exame, a qualquer tempo, dos livros, balancetes, contas, relatrios da administrao, bem como da situao patrimonial e financeira, solicitando, quando julgar necessrio, informaes sobre contratos celebrados ou em via de celebrao, e quaisquer outros atos comprobatrios das operaes econmico-financeiras; c) Opinar sobre os balanos e relatrios de desempenho financeiro e contbil e sobre as operaes patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para a Diretoria Nacional, encaminhando os documentos e seu Parecer para a Cmara de Representantes; d) Comunicar Comisso de tica sobre apontamentos e eventuais irregularidades, enviando relatrio a, pelo menos, 3 (trs) de seus membros com cpia para a Diretoria Nacional; e e) Acompanhar o trabalho de eventuais auditores externos independentes. Artigo 91. No exerccio de suas funes de conselheiro fiscal, os Conselheiros

44

758178v18 - 2277 - 5

Fiscais emitiro Parecer individual em at 25 (vinte e cinco) dias aps o recebimento dos documentos, encaminhando-os ao Presidente da Diretoria Nacional, para que ele encaminhe Assembleia Geral. Artigo 92. O Conselho Fiscal reunir-se- sempre que os interesses sociais o exigirem, por convocao de qualquer Conselheiro Fiscal em exerccio ou do Presidente da Diretoria Nacional, com antecedncia mnima de 5 (cinco) dias, atravs de carta ou correio eletrnico, enviando os documentos a serem analisados. nico: As reunies do Conselho de Fiscal sero instaladas com no mnimo 3 (trs) membros, e as deliberaes sero tomadas por maioria simples de votos.

TTULO V

DAS DISPOSIES FINAIS E TRANSITRIAS Artigo 93. Ficam resguardados os direitos adquiridos dos associados pertencentes a categorias que foram extintas, bem como os direitos adquiridos anteriores a esta alterao de Estatuto Social, aplicando-se de imediato os direitos que lhes foram concedidos. Artigo 94. Este Estatuto Social entra em vigor na data de sua aprovao pela Assembleia Geral da SBACV, aplicando-se de imediato as mudanas de competncias e funes. nico: Em at 20 (vinte) dias da data da entrada em vigor Estatuto Social, sero nomeados o membros dos cargos criados por este Estatuto Social, e que no dependem de eleio na Assembleia Geral. Artigo 95. Ficam revogadas, para todos os efeitos, as normas e regulamentos, inclusive do Regimento Interno, que conflitem com o presente Estatuto Social. Artigo 96. As Regionais tero o prazo de at 30 (trinta) dias, a contar da data de aprovao deste Estatuto Social, para adequarem seus procedimentos operacionais s funes que lhes so especficas. Artigo 97. O prazo para as Regionais adaptarem seus Estatutos Sociais de 1 (um) ano a contar da data do registro em Cartrio deste Estatuto Social.