sociedade da informacao

  • View
    217

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

sociedade da informacao

Text of sociedade da informacao

  • ndice de grficos

    Sociedade da Informao

  • Unidade Curricular: Tecnologias e Comunicao

    Docente: Lus Varela

    Autoras: Isabel Moiss e Sandra Santos

    Tema

    Sociedade da Informao

    Setbal,16 de Maio de 2011

  • Epgrafe

    A Web no est concluda, apenas a ponta do iceberg. As novas mudanas iro

    balanar o mundo ainda mais. Tim Berners-Lee cientista britnico criador da www

  • ndice

    Introduo ..................................................................................................................................... 5

    I Captulo ....................................................................................................................................... 6

    Portugal na sociedade de informao e os seus impactos ........................................................... 6

    Sub Captulo ........................................................................................................................... 7

    I.I Redes Sociedade Civil e Estado ............................................................................................ 7

    Concluso ...................................................................................................................................... 8

    Bibliografia .................................................................................................................................. 13

  • 5

    Introduo

    A sociedade da informao d origem a esperanas ambiciosas ao mundo dos negcios,

    da poltica e da sociedade civil. A evoluo da Internet criou uma expectativa de

    expanso do saber com muita mais rapidez e com mais intensidade, em toda a

    sociedade.

    Este trabalho tem como objectivo adquirir aprendizagens na forma como a sociedade

    da informao consegue influenciar variadas temticas sociais e de interveno e que

    nos pode abrir horizontes na comunicao, a privacidade, na dependncia, na liberdade

    quer por parte dos indivduos quer das instituies sejam governamentais ou no.

    Iniciamos o primeiro captulo, com a subtemtica Portugal na sociedade de informao

    e os seus impactos.

    No subcaptulo iremos abordar as Redes Sociedade Civil e Estado. E finalizamos com

    as concluses do trabalho.

  • 6

    I Captulo Portugal na sociedade de informao e os seus impactos

    Na sociedade da informao e do conhecimento existe uma enorme esperana pelo

    bem-estar no s social, mas pelas oportunidades criadas para as reas dos negcios, da

    poltica e da economia, ou seja pelas novas reas abertas pelas tecnologias de

    informao e das comunicaes, nomeadamente na cultura, na educao, no saber e no

    lazer.

    A sociedade da informao em que vivemos assenta no ajuntamento de 3 tecnologias

    digitais: As tecnologias da informao, das comunicaes e da mdia.

    Em Portugal existe uma clara vontade para que a sociedade da informao se

    desenvolva e os portugueses/as possam beneficiar o que da resulta como na criao de

    emprego qualificado, no aumento da competitividade e do desempenho das empresas,

    no melhoramento da eficincia e da eficcia da administrao pblica, na diversidade do

    lazer, acesso aos cuidados de sade, na educao, cultura e investigao cientfica, em

    sntese na melhoria da qualidade de vida.

    Castells prefere o termo sociedade informacional que sociedade da informao,

    ele diferencia o conhecimento e a informao sejam elementos decisivos em todos os

    modos de desenvolvimento. De acordo com Castells o termo informacional indica o

    atributo de uma forma especfica de organizao social na qual a gerao, o

    processamento e a transmisso de informao se convertem nas fontes fundamentais da

    produtividade e do poder por conta das novas condies tecnolgicas surgidas neste

    perodo histrico

  • 7

    Sub Captulo

    I.I Redes Sociedade Civil e Estado

    No contexto poltico e na participao da sociedade civil, a internet tem um papel

    importantssimo a cumprir a de acesso, ela consegue favorecer sempre a comunicao e

    tem capacidade para mostrar o que nunca foi visto.

    A internet permite a liberdade de expresso e uma mais-valia para debater diversos

    valores, desejos e ideias, contribuindo assim para um debate de ideais, o mais

    importante de tudo a sociedade saber escolher e aceitar este poder que por enquanto

    ainda est nas nossas mos.

    A informao com a dimenso dada pela internet tem uma geografia prpria onde os

    seus aspectos tcnicos e os utilizadores tem que estar informados, e ela distribui-se de

    forma desigual pelo globo, devido as infra-estruturas tecnolgicas de cada pas e

    tambm da educao, com isto a internet ganha mais poder nos pases mais

    desenvolvidos.

    Os desafios que a sociedade em rede nos arranja, s cada um elemento da sociedade tem

    que ter a responsabilidade e valer os seus direitos e deveres, para que as alteraes na

    sociedade sejam transparentes, na comunicao e na rea social e sejam tambm de

    incluso nas actividades humanas.

  • 8

    Concluso

    Ao finalizarmos o trabalho deparamos que no vale a pena lutar contra a tecnologia,

    mas antes tentarmos evoluir com ela mantendo sempre a nossa liberdade e termos

    sempre a capacidade de nos afastarmos quando necessrio.

    Estamos a viver uma poca de mudana e com transformaes que acompanham a

    acelerada introduo na sociedade da inteligncia artificial e as novas tecnologias da

    informao e da comunicao. Trata-se de uma etapa da sociedade dita aldeia global, ou

    sociedade do conhecimento so utilizados com a inteno de reconhecer e entender o

    alcance destas mudanas. Mas, enquanto os tericos debatem o assunto, a realidade

    avana e os meios de comunicao distinguem os nomes que temos de usar.

    Conclumos que sociedade da informao um processo de transformao da

    sociedade, multifacetada, com uma vertente poltica, social e organizacional, em que o

    elemento tecnolgico tem uma funo catalisadora, mas no representa o papel

    principal, este est reservado aos indivduos e s instituies.

    Ano Vendas

    2010 1800

    2011 1750

    Tabela 1 - Dados X

  • 9

    Fig. 1 - O Futuro

  • 10

    Grfico 1 - Dados 5

    Vendas

    1 Trim.

    2 Trim.

    3 Trim.

    4 Trim.

  • 11

    Grfico 2 - Dados 6

    Vendas

    1 Trim.

    2 Trim.

    3 Trim.

    4 Trim.

  • 12

    Ano Vendas

    2010 1800

    2011 1750

    Tabela 2 - Dados Y

    Fig. 2 - Globalizao

  • 13

    Bibliografia

    NP 405

    CASTELLS, Manuel (2001), A Galxia Internet: Reflexes sobre Internet, Negcios e

    Sociedade .(2 edio) Lisboa: fundao Calouste Gulbenkian.

    CORREIA, A. (1997), Planeamento Estratgico de Sistemas de Informao,

    Dissertao de Mestrado, Instituto Superior de Estatstica e Gesto de Informao,

    Universidade Nova de Lisboa

    ndice de Figuras

    FIG. 1 - O FUTURO ............................................................................................................................................ 9

    FIG. 2 - GLOBALIZAO .................................................................................................................................... 12

    ndice de grficos

    GRFICO 1 - DADOS 5 ..................................................................................................................................... 10

    GRFICO 2 - DADOS 6 ...................................................................................................................................... 11

    ndice de Tabelas

    TABELA 1 - DADOS X ......................................................................................................................................... 8

    TABELA 2 - DADOS Y ........................................................................................................................................ 12

  • 14