SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA - .... abrangendo a empresa pública e a sociedade de economia mista

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA - .... abrangendo a empresa pública e a sociedade de economia mista

  • Fernanda Marinela fernandamarinela @FerMarinela

    www.marinela.ma contato@marinela.ma

    ORGANIZAO DA ADMINISTRAO - PARTE II e ATOS ADMINISTRATIVOS

    ROTEIRO DE AULA

    ORGANIZAO DA ADMINISTRAO PBLICA(Continuao)

    EMPRESAS ESTATAIS (CONTINUAO) - A expresso empresa estatal ou

    governamental utilizada para designar todas as sociedades, civis ou empresariais, de

    que o Estado tenha o controle acionrio, abrangendo a empresa pblica e a sociedade de

    economia mista e outras empresas que no tenham essa natureza. As duas pessoas

    jurdicas que interessam, neste tpico, so a empresa pblica e a sociedade de economia mista, porque compem a Administrao Indireta. Embora ambas sigam regimes

    parecidos, tm importantes diferenas quanto ao seu conceito, finalidade e constituio,

    que analisaremos abaixo:

    EMPRESA PBLICA:

    Art. 3 da Lei n 13.303/2016: Empresa pblica a entidade dotada de personalidade jurdica de direito privado,

    com criao autorizada por lei e com patrimnio prprio, cujo capital social

    integralmente detido pela Unio, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos

    Municpios.

    Pargrafo nico. Desde que a maioria do capital votante permanea em

    propriedade da Unio, do Estado, do Distrito Federal ou do Municpio, ser admitida, no capital da empresa pblica, a participao de outras pessoas

    jurdicas de direito pblico interno, bem como de entidades da administrao

    indireta da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios.

    SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA:

    Art. 4 da Lei n. 13.303/2016: Sociedade de economia mista a entidade dotada

    de personalidade jurdica de direito privado, com criao autorizada por lei, sob a

    forma de sociedade annima, cujas aes com direito a voto pertenam em sua

    maioria Unio, aos Estados, ao Distrito Federal, aos Municpios ou a entidade da

    administrao indireta.

    http://www.marinela.ma/mailto:contato@marinela.ma

  • Fernanda Marinela fermarinela @FerMarinela

    www.marinela.ma contato@marinela.ma

    PRINCIPAIS

    DIFERENAS

    EMPRESA PBLICA SOCIEDADE DE

    ECONOMIA MISTA

    Forma de

    organizao

    Qualquer forma empresarial

    admitida em direito

    Somente sob a forma

    de sociedade annima

    Composio do capital social

    Exclusivamente Pblico. No

    se exige que seja de um

    nico ente, podendo ser de

    mais de uma pessoa jurdica

    da Administrao Direta ou

    da Direta com a Indireta .

    desde que seja todo pblico.

    Capital misto pblico

    e privado, exigindo a

    participao majoritria

    do Poder Pblico que

    poder ser

    Administrao Direta ou

    Indireta

    Competncia para

    julgamento das

    aes

    As aes em que a empresa

    pblica federal seja autora,

    r, assistente ou oponente,

    sero julgadas pela Justia Federal (art. 109, I, da CF).

    A competncia da

    Justia Estadual, ainda

    que se trate de empresa federal.

    A Smula no 556 do

    STF prescreve:

    competente a

    justia comum

    para julgar as causas em que

    parte sociedade

    de economia

    mista.1

    No entanto, no se

    pode esquecer que, se

    houver interesse da Unio, a competncia

    ser transferida para a

    Justia Federal. Nessa

    vertente, tem-se a

    Smula no 517 do

    mesmo Tribunal

    http://www.marinela.ma/mailto:contato@marinela.ma

  • Fernanda Marinela fermarinela @FerMarinela

    www.marinela.ma contato@marinela.ma

    Traos comuns e importantes entre as empresas pblicas e sociedades de

    economia mista

    Essas pessoas jurdicas recebem o mesmo tratamento para criao e extino,

    vale dizer, autorizao por lei especfica e registro dos atos constitutivos no rgo

    competente. Na ausncia da lei, ela no ser uma empresa pblica ou sociedade de

    economia mista, e sim mera empresa estatal sob controle acionrio do Estado.

    importante ressaltar que no poder o Poder Legislativo fazer uma autorizao genrica.

    preciso que a lei designe que entidade pretende gerar, que escopo dever por ela ser

    cumprido e quais as atribuies que para tanto lhe confere.

    Registre-se que, por paralelismo jurdico, se a lei autoriza a sua criao, tambm

    se exige lei para autorizar a sua extino, no podendo mero ato administrativo, que

    inferior a ela, faz-lo.

    Contrariando as autarquias, essas empresas estatais, para que passem a existir

    efetivamente, dependem, alm da lei, do registro dos atos constitutivos no rgo

    competente, seja no Cartrio de Registro de Pessoas Jurdicas quando de natureza civil,

    ou na Junta Comercial quando de natureza empresarial. O texto constitucional tambm

    estabelece expressamente a exigncia de lei para autorizar a criao de pessoas

    jurdicas subsidirias a essas empresas, havendo, da mesma forma, a dependncia da lei

    para autorizar a sua extino.

    A personalidade jurdica de direito privado tambm se repete nas duas

    empresas, assim como a derrogao parcial do regime de direito privado por normas de

    direito pblico, quando tiver previso expressa na Constituio ou em leis, constituindo o

    denominado regime hbrido, misto, semipblico, o que fundamental para manter a

    vinculao entre a Administrao centralizada e a descentralizada. Essas derrogaes,

    nos mbitos estadual e municipal, devem obedecer previso constitucional e s leis

    federais de mbito nacional, visto que esses entes no tm competncia para legislar

    sobre Direito Civil e Comercial.

    Tambm comum quelas empresas a sujeio ao controle estatal, bem como

    a aplicao de regras oramentrias da entidade que as criou. Submetem-se

    superviso ministerial e a controle pelo Tribunal de Contas, alm da possibilidade de

    interposio de ao popular e dos demais controles previstos para o cidado.

    2 Smula no 517 do STF As sociedades de economia mista s tem foro na Justia Federal, quando a Unio intervm como assistente ou opoente.

    Superior.2

    http://www.marinela.ma/mailto:contato@marinela.ma

  • Fernanda Marinela fermarinela @FerMarinela

    www.marinela.ma contato@marinela.ma

    Submetem-se vinculao aos fins definidos na lei instituidora, como

    exerccio do princpio da especialidade ou at da legalidade, alm das finalidades:

    prestao de servios pblicos ou explorao da atividade econmica.

    Pontos relevantes do regime jurdico das empresas pblicas e sociedades

    de economia mista

    No que tange ao regime jurdico, deve-se alertar que no ser idntico para as

    duas empresas estatais, distinguindo-se, principalmente, em razo da finalidade por elas

    exercidas (servio pblico ou atividade econmica). Essas empresas estatais, apesar de

    terem personalidade jurdica de direito privado, no tm regime verdadeiramente

    privado. A doutrina prefere denomin-lo como regime hbrido ou misto, isso porque ele

    mistura regras de direito pblico com as de direito privado, ora se aproximando mais de

    um, ora de outro.

    Para as exploradoras de servios pblicos, em que pese a personalidade jurdica

    de direito privado, o seu regime em muito se aproxima do direito pblico, at porque so

    inafastveis do conceito de servios pblicos. No silncio da lei, aplicam-se as regras do

    regime jurdico-administrativo. De outro lado, encontram-se as exploradoras da

    atividade econmica cujo regime, em razo dessa finalidade, o que mais se aproxima

    do direito privado. Para essas pessoas jurdicas, a regra a aplicao do direito privado;

    o direito pblico a exceo e deve ser aplicado restritivamente, quando tiver previso

    expressa. Essas pessoas esto definidas no art. 173 da CF, que estabelecia no texto

    original que as empresas pblicas e sociedades de economia mista e as demais

    exploradoras da atividade econmica estavam sujeitas ao regime prprio das empresas

    privadas, inclusive quanto s obrigaes tributrias e trabalhistas. Entretanto, essa regra

    foi alterada pela Emenda Constitucional no 19/98.

    Hoje o art. 173, 1o, da CF3, reconhece a possibilidade de um regime especial

    para as empresas pblicas e as sociedades de economia mista e suas subsidirias, por

    intermdio de um estatuto jurdico prprio para sua funo e formas de fiscalizao, com

    regras quanto aos direitos civis, comerciais, trabalhistas e tributrios, licitao e

    contratos, conselhos de administrao e fiscal e mandatos dos administradores. O

    3 CF, art. 173, 1o A lei estabelecer o estatuto jurdico da empresa pblica, da sociedade de economia mista e de suas subsidirias que explorem atividade econmica de produo ou comercializao de bens ou de prestao de servios, dispondo sobre: I sua funo so