Sociologia ( durkheim)

Embed Size (px)

Text of Sociologia ( durkheim)

  • 1. Alice da CostaBrbara FelisardoClaudinia SilvaCristiane NicolinaFlvia de MelloJeane MarquesJuliana SantosLeidizu PereiraNatlia GervsioMaria AparecidaPatrcia PereiraRassa FurtadoSandra LourenoSilvania Pereira1

2. 2Identificar na literatura oconhecimento produzido pormile Durkheim sobre aEducao. 3. Nascimento 15 de abril de 1858 em pinal,FranaMorte 15 de novembro de 1917 aos 59 anos em Paris,FranaNacionalidade FrancsOcupao Acadmico,socilogo,antroplogo,filsofoInfluncia Comte,Spencer,Montesquieu,Rousseau, Maquiavl,Hobbes,Darwin,Saint-Simon,BonaldEscola Positivismo,Funcionalismo,EvolucionismoInteresses Sociologia,Antropologia,Cincia,Epistemologia,Religio,Suicdio,Direito,tica,EducaoIdias Fato Social,Conscincia Coletiva,AnomiaObras As obras pstumas possuem relevante importncia3 CONSIDERADO UM DOS FUNDADORES DA SOCIOLOGIA 4. 4O homem inserido em umdeterminado grupo social,seriacapaz de aprender hbitos,costumese valores deste grupo social e assimpoder conviver em seu meio.Fazparte do processo de Socializao 5. 5Advm de tudo aquiloque habita nossas mentese que nos orienta comoser social. 6. 6 7. FATO SOCIALFenmenos transformadores de aocoercitiva sobre o indivduoA norma, enquanto fato social stem poder coercitivo e vigncia namedida em que for aceita e seguidapelos membros que integram asociedade. 7 8. 8FATO SOCIAL E A EDUCAODurkheim abordou a Educao como umFato Social:Estou convicto de que no hmtodo mais apropriado parapr em evidncia a verdadeiranatureza da educao. 9. 9A sociedade dividida porpartes.Cada parte exerce asua funo e mantm omeio balanceado. 10. 10Durkheim no desenvolveumtodos pedaggicos,massuas idias ajudaram acompreender o significadosocial do trabalho doprofessor. 11. "A educao a ao exercida, pelas geraesadultas,sobre as geraes que no se encontramainda preparadas para a vida social; tem porobjeto suscitar e desenvolver,na criana, certonmero de estados fsicos, intelectuais e morais,reclamados pela sociedade poltica, no seuconjunto,e pelo meio especial a que a criana,particularmente, se destina11Pode-se perceber que Durkheim entende aEducao como um fenmeno social a serexaminado a partir de uma anlise critica. 12. 12A Educao tem por objetivo suscitar e desenvolver nacriana estados fsicos e morais que so requeridos pelasociedade poltica no seu conjunto.Como que o indivduo pode pretender reconstruir,por meiodo nico esforo da sua reflexo privada,oque no obra dopensamento individual?O indivduo s poder agir na medidaem que aprender a conhecer o contexto em que estinserido,a saber quais so suas origens e as condies e ascondies de que depende.E no poder sab-lo sem ir escola,comeando por observar a matria bruta que est lrepresentada. 13. 13A criana deve exercitar e reconhecer a autoridadena palavra do educador e a submeter-se ao seuascendente; por meio dessa condio quesaber,mais tarde,encontr-la na sua conscincia e ase conformar a ela.Para Durkheim,o educador deve passar seuconhecimento cuidadosamente afim de no tirar aliberdade de pensamento dos jovens. 14. Todo passado da humanidadecontribuiu para fazer o conjunto demximas que dirigem os diferentesmodelos de Educao,cada uma com ascaractersticas que lhe so prprias.Associedades crists da Idade Mdia,porexemplo,no teriam sobrevivido setivessem dado ao pensamento racional olugar que lhe dado atualmente.14 15. Para compreend-la preciso levar emconsiderao as ideias deconscincia coletiva econscincia individual15 16. Para Durkheim:A Educao o processo atravs do qualformam os membros da sociedade.Osindivduos aprendem a ser esses membrosatravs da socializao.Educao # Pedagogia Cincia da Educao # Pedagogia 16 17. 17O legado que o educador transmite aos seusalunos est diretamente ligado ao seu futurocomo ser Social,ou seja,como cidado.Oprofessor precisa acreditar no valor que tem oseu ministrio:ele no estar somente capacitando para o futuroprofissional,mas,principalmente,para a formaodeste ser social que agir segundo a moral querege a sociedade que vive.Cada sociedade temum ideal para sua educao e o seu sucesso estintrnseco ao trabalho exercido peloseducadores,sejam eles pais ou mestres. 18. POSITIVISMOO positivismo uma corrente filosfica que surgiu na Frana nocomeo do sculo XIX.Os principais idealizadores do positivismoforam os pensadores Augusto Comte e John Stuart Mill. Esta escolafilosfica ganhou fora na Europa na segunda metade do sculo XIXe comeo do XX.O positivismo defende a idia de que oconhecimento cientfico a nica forma de conhecimento verdadeiro.Para eles, o progresso da humanidade depende exclusivamente dosavanos cientficos.18 19. DURKHEIM E A EDUCAO NOBRASILPretende-se agora oferecer umpanorama da influncia queDurkheim exerceu sobre opensamento social brasileiro,notadamente na rea educacional.19 20. Evidencia-se que foi pela viado ensino da Pedagogia e pela mo ou pelafala dos educadores quea Sociologia veio a ter status universitrio,tendo esse ensino sido institucionalizado,no fim da dcada de 20 e incio da de 30,nos cursos normais,em Recife, no Rio de Janeiro e em SoPaulo.20 21. No Seminrio Internacional deSociologia da Educao, realizadona PUC-RJ em 1984significativamente,dentre osinscritos no Seminrio, a grandemaioria possua formao bsicaem Educao (...)21 22. A idia de normal e patolgico, segundoDurkheim, tem um outro fim prtico: prevenir-nos de buscar utopias que se afastam na medidaem que avanamos, e concentrar-nos nas coisasnormais para cada sociedade em seu tempo.Estefoi o primeiro choque causado por Durkheim noBrasil.NORMALXPATOLGICO22 23. O segundo choque causado porDurkheim deve-se publicao, em 1935,dos Princpios de Sociologia, de Fernandode Azevedo,substancialmentefundamentado nas contribuies da EscolaFrancesa,e, em particular, nas de seufundador. Era um tempo de polarizaesideolgicas, pouco propcio aceitao depropostas de anlises objetivas do real.Fernando de Azevedo importava asobras de Durkheim da Europa.23 24. POSITIVISMO NO BRASILNa tradio intelectual da burguesia brasileiraexiste vnculo com o positivismo de Comte.A frase Ordem e Progresso que encontramosna bandeira brasileira de inspiraopositivista.24 25. EDUCAO E SOCIOLOGIAMILE DURKHEIMEdita-se, em 1939, um livro que obteria boa aceitao juntoao pblico Brasileiro : EDUCAO E SOCIOLOGIA.Dos trs livros diretamente pedaggicos do autor, o nicoexistente em portugus e o nico citado em manuaisbrasileiros de Sociologia da Educao, com exceo do deFernando de Azevedo.25 26. EDUCAO E SOCIOLOGIAMILE DURKHEIMRAZES DO SUCESSO DA OBRA26A forma clara da exposio. Por ser livro eminentementedidtico (no sentido de compreensvel), indicado porprofessores de Sociologia Educacional nos cursos normais enos cursos superiores de Pedagogia.Pode-se conjecturartambm se o carter conservador da obra no corresponderia auma tendncia perceptvel na escola brasileira. H outraconjectura: que a racionalidade proposta nesse livro representaum avano no tocante ao carter patrimonialista da sociedade e, portanto,do sistema escolar brasileiro. 27. EDUCAO E SOCIOLOGIAMILE DURKHEIMRAZES DO SUCESSO DA OBRA27Seria injusto pensar que a permanncia da indicaode um livro se deva to somente rotina escolar ou amotivos extra-acadmicos. Deve-se tambm iniciativa de professores conscientes de que umclssico (mesmo quando dele se discorde) precisa serlevado em conta, para que seja conhecido pelos alunosem sua dimenso correta e confrontado com autoresproponentes de idias opostas ou mais atuais. 28. ESCOLA NOVAA racionalidade aproxima Durkheim de Dewey no Brasil aotempo da Escola Nova. A democratizao,defendida pelopedagogo americano, era tambm um avano face aopatrimonialismo.28"A Escola Nova tem como principalobjetivo proporcionar estmulos adequadospara o crescimento harmonioso, afetivo eintelectual do aluno". 29. SOCIOLOGIA EDUCACIONALFERNANDO DE AZEVEDO29Em 1940, ocorreria fato decisivo para o desenvolvimento dos estudoseducacionais no Brasil (e na Amrica Latina): edita-se o livro Sociologiaeducacional de Fernando de Azevedo . Considera-se a educao comoum dos campos de investigao sociolgica, armada de um sistema deconceitos, procurando definir o processo educacional no que tem desocializao, para, em seguida, estud-lo em conexo com as instituiessociais, tanto genricas como a famlia e o Estado, quanto especficas,como a escola.Surge assim a necessidade de analisar a emergncia dospapis sociais ligados a ele, a partir dos tipos primitivos de transmissoda experincia cultural. Para isto, Fernando de Azevedo desenvolve assugestes apontadas por Durkheim,utilizando os dados da antropologiamoderna e a sua prpria experincia. 30. CONCLUSOFica-nos a impresso de que Durkheim mantm umadifusa influncia no pensamento brasileiro (h cercade um sculo vem sendo lido e comentado aqui!),porm menos extensa no campo educacional do que jfoi em outras pocas. O fato no significa terem suasreflexes perdido a validade ou o poder deconvencimento. A razo que outras perspectivasterico-metodolgicas foram surgindo e se impuseramna condio de mais adequadas ao entendimento doconflito educativo em nosso tempo.30 31. CONCLUSOPara Durkheim o fundamental para uma sociedadealcanar uma evoluo ou desenvolvimento aEducao. necessrio que a nao ou pas focalizeseus investimentos na Educao,como base doprocesso,sendo que de acordo com o nvel deEducao elevado certamente iria produzir ummelhor desenvolvimento.Apesar do nosso trabalho se ater s ideias deDurkheim para a Educao no podemos deixar defrizar a atuao de Fernando de Azevedo,figuraligada tambm Escola Nova e implantao daUniversidade. 31 32. BIBLIOGRAFIAUTILIZADA32