SPED Fiscal Contabil

  • View
    17.233

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of SPED Fiscal Contabil

Conselho Regional de Contabilidade do Estado de So Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3662-0035 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br | web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 | Higienpolis 01230 909 | So Paulo SP Presidente: Sergio Prado de Mello Gesto 2008-2009

SeminrioSPEDContbil e SPEDFiscal

A reproduo total ou parcial, bem como a reproduo de apostilas a partir desta obra intelectual, de qualquer forma ou por qualquer meio eletrnico ou mecnico, inclusive atravs de processos xerogrficos, de fotocpias e de gravao, somente poder ocorrer com a permisso expressa do seu Autor (Lei n. 9610) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS: PROIBIDA A REPRODUO TOTAL OU PARCIAL DESTA APOSTILA, DE QUALQUER FORMA OU POR QUALQUER MEIO. CDIGO PENAL BRASILEIRO ARTIGO 184.

Elaborado por:Fbio Rodrigues de Oliveira Flavia Kilhian Martin O contedo desta apostila de inteira responsabilidade do autor (a).

Agosto 2008

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

Sistema Pblico de Escriturao Digital

SPED

I - Histrico Por fora do princpio federativo, a Unio, os Estados, o Distrito Federal e os Municpios so dotados de autonomia poltica, administrativa e financeira, cujas atribuies, competncias e respectivas limitaes esto previstas na Constituio Federal. Cada ente tem competncia para instituir e administrar os respectivos tributos. Dessa forma, cada um desses entes, com a finalidade de fiscalizar a atividade dos contribuintes, pode estabelecer a obrigao acessria que entender mais interessante, o que gera multiplicidades de rotinas de trabalho e muita burocracia, tornando o custo para o cumprimento de obrigaes tributrias muito alto.

2

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

I Histrico (2) Com o intuito de racionalizar os procedimentos a serem observados pelos contribuintes do ICMS e do IPI, em 1970, o Ministro da Fazenda e os Secretrios de Fazenda ou de Finanas dos Estados e do Distrito Federal, se reuniram e assinaram o Convnio sem nmero de 1970, criando o:

Sistema Nacional Integrado de Informaes Econmico-Fiscais determinando que os entes federados incorporassem s suas respectivas legislaes tributrias as normas relativas aos documentos e livros fiscais consubstanciadas nos seus artigos.

I Histrico (3) Apesar dessas obrigaes comuns, ainda existem diversas declaraes e outras obrigaes acessrias que so especficas para cada ente tributante, dificultando o exerccio das atividades por empresas que se sujeitam s regras estabelecidas pela Unio, pelo Estado e pelo Municpio onde esto estabelecidas. Por outro lado, as administraes tributrias tambm esto sujeitas a investir recursos para captar, tratar, armazenar e disponibilizar informaes sobre as operaes realizadas pelos contribuintes, administrando um volume de obrigaes acessrias que acompanha o surgimento de novas hipteses de evaso.

3

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

I Histrico (4) A integrao e o compartilhamento de informaes tm o objetivo de racionalizar e modernizar a administrao tributria brasileira, reduzindo custos e entraves burocrticos, facilitando o cumprimento das obrigaes tributrias e o pagamento de impostos e contribuies Tambm fortalece o controle e a fiscalizao por meio de intercmbio de informaes entre as administraes tributrias. Nesse sentido foi aprovada a Emenda Constitucional n 42/2003, determinando s administraes tributrias da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios que atuem de forma integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de informaes fiscais.

I Histrico (5)

Para atender ao disposto da Emenda Constitucional n 42, foi realizado, em julho de 2004, o 1 Encontro Nacional de Administradores Tributrios ENAT, reunindo os titulares das administraes tributrias federal, estaduais, do Distrito Federal e dos municpios de capitais

4

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

I Histrico (6)Objetivos: Maior integrao administrativa, padronizao e melhor qualidade das informaes; Racionalizao de custos e da carga de trabalho operacional no atendimento; Maior eficcia da fiscalizao; maior possibilidade de realizao coordenadas e integradas; de aes fiscais

maior possibilidade de intercmbio de informaes fiscais entre as diversas esferas governamentais; cruzamento de dados em larga escala com padronizados e uniformizao de procedimentos. dados

I Histrico (7)

No ENAT foram aprovados dois protocolos de cooperao tcnica nas reas de: cadastramento Sincronizado); Nota Fiscal Eletrnica. (Projeto do Cadastro

5

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

I Histrico (8) No segundo semestre de 2005, no evento do II ENAT Encontro Nacional de Administradores Tributrios, foi assinado o

Protocolo ENAT 02/2005 Objetivo: Desenvolvimento do Sistema Pblico de Escriturao Digital, o SPED.

I Histrico (9) Pressupostos a serem seguido no desenvolvimento do SPED: bases de dados compartilhadas entre as Administraes Tributrias; reciprocidade na aceitao da legislao de cada ente signatrio, relativa aos livros contbeis e fiscais; validade jurdica dos livros contbeis e fiscais em meio digital, dispensando a emisso e guarda de documentos e livros em papel; eliminao da redundncia de informaes atravs da padronizao e racionalizao das obrigaes acessrias; preservao do sigilo fiscal, nos termos do Cdigo Tributrio Nacional.

6

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

II - Instituio Com base nos mencionados pressupostos, o Decreto n 6.022, de 22.01.2007, instituiu o SPED.

Definio: "instrumento que unifica as atividades de recepo, validao, armazenamento e autenticao de livros e documentos que integram a escriturao comercial e fiscal dos empresrios e das sociedades empresrias, mediante fluxo nico, computadorizado, de informaes"

II Instituio (2)

Critica-se a implantao do SPED por meio de Decreto, ato privativo do Poder Executivo. Devido sua abrangncia, o melhor seria a sua instituio por meio de Lei Complementar de mbito nacional, de competncia do Poder Legislativo, que tem justamente o condo de vincular matrias de interesse conjunto dos entes federativos.

7

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

III Objetivos A completa implantao do SPED busca atingir os seguintes objetivos, conforme prev seu portal na internet: reduo de custos com a dispensa de emisso e armazenamento de documentos em papel; eliminao do papel; reduo de custos com a racionalizao e simplificao das obrigaes acessrias; uniformizao das informaes que o contribuinte presta s diversas unidades federadas; reduo do fraudulentas; envolvimento involuntrio em prticas

III Objetivos (2) reduo do tempo despendido com a presena de auditores fiscais nas instalaes do contribuinte; simplificao e agilizao dos procedimentos sujeitos ao controle da administrao tributria (comrcio exterior, regimes especiais e trnsito entre unidades da federao); fortalecimento do controle e da fiscalizao por meio de intercmbio de informaes entre as administraes tributrias; rapidez no acesso s informaes;

8

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

III Objetivos (3) aumento da produtividade do auditor atravs da eliminao dos passos para coleta dos arquivos; possibilidade de troca de informaes entre os prprios contribuintes a partir de um leiaute padro; reduo de custos administrativos; melhoria da qualidade da informao; possibilidade de cruzamento entre os dados contbeis e os fiscais;

III Objetivos (4)

disponibilidade de cpias autnticas e vlidas da escriturao para usos distintos e concomitantes; reduo do "Custo Brasil"; aperfeioamento do combate sonegao; preservao do meio ambiente pela reduo do consumo de papel;

9

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

IV - Abrangncia

O SPED compreende trs grandes subprojetos, a serem posteriormente analisados: a Escriturao Contbil Digital ECD; a Escriturao Fiscal Digital - EFD; a Nota Fiscal Eletrnica - NF-e;

V - Livros e documentos em forma eletrnica

O SPED prev que os livros e documentos que integram a escriturao comercial e fiscal dos empresrios e das sociedades empresrias sero emitidos em forma eletrnica. Ser observado o disposto na Medida Provisria n 2.200-2, de 24.08.2001, que trata da Infra-Estrutura de Chaves Pblicas Brasileira - ICP-Brasil, cujo objetivo : "garantir a autenticidade, a integridade e a validade jurdica de documentos em forma eletrnica, das aplicaes de suporte e das aplicaes habilitadas que utilizem certificados digitais, bem como a realizao de transaes eletrnicas seguras.

10

CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional.

V - Livros e documentos em forma eletrnica (2)

O ICP-Brasil : "um conjunto de tcnicas, prticas e procedimentos, a ser implementado pelas organizaes governamentais e privadas brasileiras com o objetivo de garantir a autenticidade, a integridade e a validade jurdica de documentos em forma eletrnica, das aplicaes de suporte e das aplicaes habilitadas que utilizem certificados digitais, bem como a realizao de transaes eletrnicas seguras".

VI - Usurios do SPED Secretaria da Receita Federal do Brasil do Ministrio da Fazenda; administraes tributrias dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios, mediante convnio celebrado com a Secretaria da Receita Federal do Brasil; e os rgos e as entidades da administ