Sr. Holmes - Mitch Cullin

  • View
    88

  • Download
    77

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Holmes

Text of Sr. Holmes - Mitch Cullin

  • DADOS DE COPYRIGHT

    Sobre a obra:

    A presente obra disponibilizada pela equipe Le Livros e seus diversos parceiros,com o objetivo de oferecer contedo para uso parcial em pesquisas e estudosacadmicos, bem como o simples teste da qualidade da obra, com o fimexclusivo de compra futura.

    expressamente proibida e totalmente repudivel a venda, aluguel, ou quaisqueruso comercial do presente contedo

    Sobre ns:

    O Le Livros e seus parceiros disponibilizam contedo de dominio publico epropriedade intelectual de forma totalmente gratuita, por acreditar que oconhecimento e a educao devem ser acessveis e livres a toda e qualquerpessoa. Voc pode encontrar mais obras em nosso site: LeLivros.site ou emqualquer um dos sites parceiros apresentados neste link.

    "Quando o mundo estiver unido na busca do conhecimento, e no mais lutandopor dinheiro e poder, ento nossa sociedade poder enfim evoluir a um novo

    nvel."

  • MITCH CULLIN

    Sr. Holmes

    TRADUO DEAlexandre Raposo

  • Copyright 2005 by Mitch Cullin

    TTULO ORIGINALA Slight Trick of the Mind

    PREPARAOJuliana PitangaDenise Scofano

    REVISOBreno Barreto

    ADAPTAO DE CAPAJulio Moreira

    REVISO DE EPUBRodrigo Rosa

    GERACO DE EPUBIntrnseca

    E-ISBN978-85-8057-738-9

    Edio digital: 2015

    1 EDIO

    TIPOGRAFIACarre Noir

    Todos os direitos desta edio reservados Editora Intrnseca Ltda.Rua Marqus de So Vicente, 99, 3 andar22451-041 GveaRio de Janeiro RJTel./Fax: (21) 3206-7400www.intrinseca.com.br

  • Sumrio

    CapaFolha de rostoCrditosMdias sociaisDedicatriaEpgrafeAgradecimentosParte I123456Parte II7891011121314Parte III1516171819202122Origem das ilustraesSobre o autorLeia tambm

  • Para minha me, CharlotteRichardson, uma f dos mistrios edas estradas panormicas da vida;e para o falecido John BennettShaw, que certa vez me deixouno comando de sua biblioteca

  • Ao menos eu tinha certeza de que finalmente vira um rostoque desempenhara um papel essencial em minha vida, eque era mais humano e infantil do que em meu sonho.Mais do que isso eu no soube, pois j tinha ido emboraoutra vez.

    Morio Kita, Ghosts

    O que essa estranha voz silenciosa que fala para asabelhas e que ningum mais pode ouvir?

    William Longgood, The Queen Must Die

  • AGRADECIMENTOS

    Com gratido pelo apoio, informao, aconselhamento, amizade e inspirao dasseguintes pessoas: Ai, John Barlow, Coates Bateman, Richard E. Bonney, Bradam,Mike e Sarah Brewer, Francine Brody, Joey Burns, Anne Carey, AnthonyBregman e Ted Hope, Neko Case, Peter I. Chang, os Christians (Charise, Craig,Cameron, Caitlin), John Convertino, meu pai, Charles Cullin, Elise DHaene, JohnDower, Carol Edwards, Demetrios Efstratiou, Todd Field, Mary Gaitskill, Dr.Randy Garland, Howe e Sofie Gelb (www.giantsand.com), Terry Gilliam,Jemma Gomez, avs e avs, Tony Grisoni, Tom Harmsen, a famlia Haruta(cuja ajuda neste livro foi muito apreciada), a adorvel Kristin Hersh, TonyHillerman, Robyn Hitchcock, Sue Hubbell, Michele Hutchison, Reiko Kaigo, PattiKeating, Steve e Jesiah King, Roberto Koshikawa, Ocean Lam, Tom Lavoie,Patty LeMay e Paul Niehaus, Russell Leong, Werner Melzer, John Nichols,Kenzaburo Oe, Hikaru Okuizumi, Dave Oliphant, os Parras (Chay, Mark, Callen),Jill Patterson, Chad e Jodi Piper, Kathy Pories, Andy Quan, Michael Richardson,Charlotte Roybal, Saito Sanki, Daniel Schacter, Marty e Judy Shepard, PeterSteinberg, Nan Talese, Kurt Wagner e Mary Mancini, Billy Wilder e I. A. L.Diamond, Lulu Wu e William Wilde Zeitler.

    Um agradecimento extraespecial vai para William S. Baring-Gould e seuexcelente Sherlock Holmes of Baker Street (Bramhall House, 1962), que umdos meus livros preferidos desde a infncia e que se mostrou inestimvelenquanto eu escrevia este romance. A meno de My croft a seu velho amigoWinston foi tirada diretamente dessa edio.

  • PARTE I

  • 1CERTA TARDE DE VERO, ao chegar de suas viagens ao exterior, ele entrou nacasa de pedra de sua fazenda, deixando a bagagem porta da frente, aoscuidados da governanta. Ento, retirou-se para a biblioteca, onde se sentou emsilncio, feliz por estar cercado de seus livros e pela familiaridade do lar. Eleficara afastado durante quase dois meses; viajara em trens militares por toda andia e a bordo de um navio da Marinha Real at a Austrlia, e, por fim,desembarcara nas praias ocupadas do Japo ps-guerra. Indo e voltando, asmesmas rotas interminveis foram trilhadas geralmente na companhia desoldados rudes, poucos dos quais reconheciam o senhor que jantava ou se sentavaao seu lado (aquele velho de andar lento, buscando nos bolsos um fsforo quejamais encontraria, mastigando incansavelmente um charuto jamaicanoapagado). Apenas nas raras ocasies em que um oficial informado anunciavasua identidade, os rostos corados olhavam espantados, avaliando-o: emborausasse duas bengalas, seu corpo no estava curvado, e a passagem dos anos noesmaecera seus astutos olhos cinzentos; o cabelo branco como a neve, espesso ecomprido como a barba, era penteado para trs, moda inglesa.

    verdade? voc mesmo? Acho que ainda preservo tal distino. Voc Sherlock Holmes? No, eu no acredito. Est tudo bem. Eu mesmo quase no acredito.Finalmente, a viagem estava terminada, embora ele achasse difcil recordar

    os detalhes de seus dias no exterior. Em vez disso, suas frias apesar de otenham preenchido da mesma forma que uma boa refeio pareciam-lheinsondveis em retrospectiva, pontuadas aqui e ali por breves lembranas quelogo se tornavam vagas impresses, as quais, invariavelmente, eram esquecidasoutra vez. Contudo, ele tinha os cmodos imutveis de sua fazenda, os rituais desua vida metdica no campo, a confiabilidade de seu apirio coisas que noexigiam nem muita nem pouca lembrana; simplesmente tinham se entranhadodurante dcadas de isolamento. E havia as abelhas das quais cuidava: o mundocontinuava a mudar, assim como ele, no entanto, as abelhas permaneciam. Equando seus olhos se fecharam e ele ressonou, foi uma abelha quem lhe deu asboas-vindas ao lar: uma operria manifestando-se em seus pensamentos,encontrando-o em outra parte, pousando em seu pescoo e picando-o.

    claro que ele sabia que, quando picado por uma abelha no pescoo, omelhor a se fazer era beber gua com sal para evitar graves consequncias.Naturalmente, o ferro deveria ser retirado da pele quanto antes, de prefernciasegundos aps a liberao instantnea do veneno. Em seus quarenta e quatro anosde apicultura na costa sul de Sussex Downs morando entre Seaford e

  • Eastbourne, sendo que a vila mais prxima era a pequena Cuckmere Haven ,ele recebera exatamente sete mil oitocentas e dezesseis picadas de abelhas-operrias (a maioria nas mos ou no rosto, ocasionalmente nos lbulos dasorelhas ou pescoo, a causa e os efeitos de cada picada devidamente avaliados e,posteriormente, registrados em um dos vrios dirios que mantinha em seuescritrio no sto). Com o tempo, tais experincias moderadamente dolorosaslevaram-no a dispor de uma variedade de remdios, cada um criado comexclusividade para a parte do corpo picada e a profundidade do ferro: sal comgua fria, sabo neutro com sal, depois, metade de uma cebola crua aplicada irritao; quando em extremo desconforto, lama ou argila mida costumavaresolver, desde que fosse reaplicada de hora em hora, at desaparecer o inchao.No entanto, para passar a dor e tambm evitar a inflamao, tabaco umedecidoesfregado imediatamente na pele parecia ser a soluo mais eficaz.

    Agora enquanto cochilava em sua poltrona na biblioteca, ao lado da lareiravazia , ele estava em pnico em seu sonho, incapaz de recordar o queprecisava ser feito quanto quela repentina picada em seu pomo de Ado. Ele seviu ali, em seu sonho, em um amplo campo de calndulas, apertando o prpriopescoo com os dedos finos e artrticos. O inchao j comeara, avolumando-sesob suas mos como uma veia saltada. Um medo paralisante tomou conta dele,que ficou completamente imvel medida que o inchao aumentava, tanto parafora quanto para dentro (a trgida protuberncia por entre seus dedos, a gargantase fechando).

    E l, tambm, naquele campo de calndulas, viu-se em contraste ao vermelhoe ao amarelo-ouro embaixo dele. Nu, com a pele plida exposta acima dasflores, lembrava um esqueleto frgil, coberto por uma fina camada de papel dearroz. L se foram as vestes de sua aposentadoria as ls, os tweeds, as roupasdurveis que usara diariamente desde antes da Primeira Guerra Mundial, durantea Segunda Guerra, at seu nonagsimo terceiro aniversrio. No sonho, seu cabelocomprido fora cortado at o couro cabeludo, e sua barba, reduzida a pelosespetados em seu queixo saliente e suas bochechas encovadas. As bengalas que oamparavam em suas perambulaes as vrias bengalas que apoiara no seucolo na biblioteca tambm haviam desaparecido. Mas ele permaneceu de p,mesmo quando a garganta contrita bloqueou a passagem do ar e respirar tornou-se impossvel. Somente os lbios se moviam, gaguejando para o vazio sem fazerqualquer rudo. Todo o resto seu corpo, as flores desabrochando, as nuvens noalto no denunciava qualquer movimento perceptvel, tudo esttico, comexceo daqueles lbios trmulos e uma solitria abelha-operria caminhandocom suas patas negras e operosas por uma testa enrugada.

  • 2HOLMES OFEGOU, DESPERTANDO. Suas plpebras se ergueram e ele olhouem torno da biblioteca enquanto pigarreava. Ento, inspirou profundamente,observando a fraca e oblqua luz do sol que entrava por uma janela voltada paraoeste: o brilho e a sombra resultantes projetados atravs das ripas polidas doassoalho, arrastando-se como ponteiros de relgio, apenas o suficiente para tocara beirada do tapete persa sob seus ps, indicaram-lhe que eram precisamentedezessete horas e dezoito.

    Sono agitado? perguntou a Sra. Munro, sua jovem empregadadomstica, que estava ali perto, de costas para ele.

    Mais ou menos