TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE .Tabela de Honorários, aprovado no 86º. COSU-IAB, ... 3.3

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE .Tabela de Honorários, aprovado no 86º. COSU-IAB, ... 3.3

  • Pgina 1 de 62

    TABELAS DE HONORRIOS DE SERVIOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL

    Em atendimento ao disposto na Lei 12.378, de 31.12.2010: (...)Artigo 28- Compete ao CAU/BR: Inciso XIV - aprovar e divulgar tabelas indicativas

    de honorrios dos arquitetos e urbanistas.

    MDULO I-

    REMUNERAO DO

    PROJETO ARQUITETNICO DE EDIFICAES

    Braslia- DF, 16 de agosto de 2.013

    ________________________________________________________________________

    -Documento elaborado com base no: MANUAL DE PROCEDIMENTOS E CONTRATAO DE SERVIOS DE ARQUITETURA E URBANISMO -1a. edio aprovada pela Resoluo 01/138- COSU- So Paulo, de 31.10.2011, do 138o. Encontro do Conselho Superior- COSU do Instituto de Arquitetos do Brasil- IAB, realizado em So Paulo (SP). -Complementado e modificado com contribuies do: CEAU- Colegiado Permanente das Entidades de Arquitetos e Urbanistas do CAU/BR, composto por: -ABAP- Associao Brasileira de Arquitetos Paisagistas -ABEA- Associao Brasileira de Ensino de Arquitetura -ASBEA- Associao Brasileira de Escritrios de Arquitetura -FNA- Federao Nacional de Arquitetos -IAB- Instituto de Arquitetos do Brasil -FENEA- Federao Nacional de Estudantes de Arquitetura -Presidncia do CAU/BR; -Ouvidoria do CAU/BR; -CEP- Comisso de Exerccio Profissional do CAU/BR; -CEF- Comisso de Ensino e Formao do CAU/BR. Relator: Odilo Almeida Filho- IAB

  • Pgina 2 de 62

  • Pgina 3 de 62

    NDICE

    - CAPTULO I- DAS DISPOSIES GERAIS: 1.0. INTRODUO 2.0. FUNDAMENTOS LEGAIS 3.0 ATRIBUIES PROFISSIONAIS DO ARQUITETO E URBANISTA 4.0. CONCEITOS E DEFINIES - CAPTULO II- HONORRIOS PROFISSIONAIS: 5.0 CONDIES BSICAS PARA A REMUNERAO 6.0. MODALIDADES DE REMUNERAO 6.1. MODALIDADE DE REMUNERAO 01- PERCENTUAL SOBRE O CUSTO DA OBRA; 6.2. MODALIDADE DE REMUNERAO 02- CLCULO PELO CUSTO DO SERVIO. 7.0. REMUNERAO DO PROJETO ARQUITETNICO DE EDIFICAES 7.1. LEGISLAO E NORMAS ESPECFICAS; 7.2. DEFINIES; 7.3. CLCULO DE HONORRIOS; 7.4. PARCELAMENTO DE HONORRIOS 7.5. FORMA DE PAGAMENTO; 7.6. PRODUTOS FINAIS (OU ESCOPO) DE CADA ETAPA. - CAPTULO III - INFORMAES COMPLEMENTARES: 8.0 FORMAS DE CONTRATAO DOS PROJETOS E SERVIOS DE ARQUITETURA E URBANISMO 9.0 DISPOSIES TRANSITRIAS 10.0 ANEXOS 11.0 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS 12.0 CRDITOS

  • Pgina 4 de 62

  • Pgina 5 de 62

    - CAPTULO I- DAS DISPOSIES GERAIS:

    1. INTRODUO O CEAU- Colegiado Permanente das Entidades de Arquitetos e Urbanistas do CAU/BR, apresentam ao conjunto dos arquitetos e urbanistas brasileiros e sociedade brasileira o presente documento, baseado no MANUAL DE PROCEDIMENTOS E CONTRATAO DE SERVIOS DE ARQUITETURA E URBANISMO do IAB, de 2011, e outros documentos citados como referencia. Este documento o resultado da compilao, sistematizao, complementao, detalhamento e atualizao de vrias publicaes, leis e normas sobre o tema, dentre as quais destacamos: Roteiro Para Desenvolvimento do Projeto de Arquitetura da Edificao, aprovado no 77o. COSU- IAB, realizado em Salvador-BA; Modalidades Alternativas de Contratao e Remunerao de Servios de Arquitetura e Urbanismo; Tabela de Honorrios, aprovado no 86. COSU-IAB, realizado em Porto Alegre-RS entre 18 e 21 de julho de 1991; NBR 13.531, que dispe sobre a elaborao de projetos de edificaes atividades tcnicas, vlida a partir de 29.12.1995; NBR 13.532, que dispe a elaborao de projetos de edificaes arquitetura, vlida a partir de 29.12.1995; Lei 12.378, de 31 de dezembro de 2010, que regulamenta o exerccio da Arquitetura e Urbanismo e cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU). Documento Anotaes sobre o PROJETO em Arquitetura- Contribuio para a sua regulao profissional, de 15.06.2013, elaborado pelo IAB e aprovado pelo CEAU; Resolues do CAU/BR Este Documento um referencial bsico para os servios e valores relativos aos projetos de arquitetura e urbanismo e servios correlatos. A entidade enfatiza, outrossim, que o seu filiado atue nos parmetros legais, das normas tcnicas, comerciais e ticas do exerccio profissional, visando sempre equilbrio nas relaes contratuais. As condies de contratao e remunerao, a seguir estabelecidas, so uma referncia segura para negociaes, visando estabelecer um acordo justo e equilibrado entre as partes. Objetivam, sobretudo, coibir a concorrncia desleal de preos e assegurar um padro de qualidade para os servios prestados. Procura-se atender, por outro lado, crescente diversificao observada no exerccio profissional dos arquitetos e urbanistas, hoje organizados em firmas, cooperativas e escritrios de prestao de servios, atuando como profissionais liberais autnomos ou ocupando posies de influncias em rgos, instituies e empresas pblicas e privadas, contratantes de servios de arquitetura. Finalmente, este Documento tem como objetivo: Balizar as condies justas de contratao de Projetos de Arquitetura e Urbanismo e servios correlatos; -Estabelecer critrios para o clculo dos valores de remunerao respectivos; -Fixar e detalhar os servios cobertos e descobertos pela remumerao estabelecida; -Definir e caracterizar os principais componentes da remunerao profissional; -Auxiliar na formalizao de propostas e contratos. -Orientar aos tomadores/contratantes de servios quanto aos justos valores a serem cobrados, evitando, ao mesmo tempo, prticas abusivas ou aviltantes de preos. Este Documento ser complementado por um programa de computador destinado a auxiliar na realizao dos clculos dos valores dos servios utilizando os mesmos parmetros aqui indicados.

  • Pgina 6 de 62

    2.FUNDAMENTOS LEGAIS Para a elaborao do presente Documento foram considerados e respeitados os dispositivos legais abaixo, dentre outros, listados em ordem cronolgica, cujo conhecimento indispensvel para o necessrio embasamento profissional. Lei Federal 8.078/90 (Cdigo Defesa Consumidor); 2.2. Decreto federal 2.181/97 (regulamenta o CDC); Lei Federal 8.666/93 (normas para licitaes e contratos da Administrao Pblica); Lei Federal 9.610/98 (altera, atualiza e consolida o Direito Autoral); Lei Federal 10.257/2001 (Estatuto da Cidade); Lei n 10.406/2003 (Cdigo Civil Brasileiro); Lei n 12.378/2010 Regulamenta o exerccio da Arquitetura e Urbanismo e cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo-CAU/BR; Resolues do CAU/BR; Legislao Federal, Estaduais e Municipais correlatas Arquitetura e Urbanismo; Normas da ABNT - Associao Brasileira de Normas Tcnicas.

  • Pgina 7 de 62

    3.ATRIBUIES PROFISSIONAIS DO ARQUITETO E URBANISTA 3.1. A lei n 12.378 de 31 de dezembro de 2010, que regulamenta o exerccio da Arquitetura e Urbanismo e cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo, em seu artigo 2, enumera as atividades e atribuies e os campos de atuao aos quais elas se aplicam, conforme transcrio abaixo: Artigo 2. (...) 1.0. Atividades e atribuies: I - superviso, coordenao, gesto e orientao tcnica; II - coleta de dados, estudo, planejamento, projeto e especificao; III - estudo de viabilidade tcnica e ambiental; IV - assistncia tcnica, assessoria e consultoria; V - direo de obras e de servio tcnico; VI - vistoria, percia, avaliao, monitoramento, laudo, parecer tcnico, auditoria e arbitragem; VII - desempenho de cargo e funo tcnica; VIII - treinamento, ensino, pesquisa e extenso universitria; IX - desenvolvimento, anlise, experimentao, ensaio, padronizao, mensurao e controle de qualidade; X - elaborao de oramento; XI - produo e divulgao tcnica especializada; e XII - execuo, fiscalizao e conduo de obra, instalao e servio tcnico. 2.0. Campos de atuao: Pargrafo nico. As atividades de que trata este artigo aplicam-se aos seguintes campos de atuao no setor: I - da Arquitetura e Urbanismo, concepo e execuo de projetos; II da Arquitetura de Interiores, concepo e execuo de projetos de ambientes; III - da Arquitetura Paisagstica, concepo e execuo de projetos para espaos externos, livres e abertos, privados ou pblicos, como parques e praas, considerados isoladamente ou em sistemas, dentro de vrias escalas, inclusive a territorial; IV - do Patrimnio Histrico Cultural e Artstico, arquitetnico, urbanstico, paisagstico, Projeto de Monumentos, restauro, prticas de projeto e solues tecnolgicas para reutilizao, reabilitao, reconstruo, preservao, conservao, restauro e valorizao de edificaes, conjuntos e cidades; V - do Planejamento Urbano e Regional, planejamento fsico-territorial, planos de interveno no espao urbano, metropolitano e regional fundamentados nos sistemas de infraestrutura, saneamento bsico e ambiental, sistema virio, sinalizao, trfego e trnsito urbano e rural, acessibilidade, gesto territorial e ambiental, parcelamento do solo, loteamento, desmembramento, remembramento, arruamento, planejamento urbano, Plano Diretor, traado de cidades, desenho urbano, sistema virio, trfego e trnsito urbano e rural, inventrio urbano e regional, assentamentos humanos e requalificao em reas urbanas e rurais; VI - da Topografia, elaborao e interpretao de levantamentos topogrficos cadastrais para a realizao de projetos de arquitetura, de urbanismo e de paisagismo, foto-interpretao, leitura, interpretao e anlise de dados e informaes topogrficas e sensoriamento remoto; VII - da Tecnologia e Resistncia dos Materiais, dos elementos e produtos de construo, patologias e recuperaes;

  • Pgina 8 de 62

    VIII - dos Sistemas Construtivos e Estruturais, estruturas, desenvolvimento de estruturas e aplicao tecnolgica de estruturas; IX - de Instalaes e Equipamentos Referentes Arquitetura e Urbanismo; X - do Conforto Ambiental, tcnicas referentes ao estabelecimento de condies climticas, acsticas, lumnicas e ergonmicas, para a concepo, organizao e construo dos espaos; XI - do Meio Ambiente, Estudo e Avaliao dos Impactos Ambientais, Licenciamento Ambiental, Utilizao Racional dos Recursos Disponveis e Desenvolvimento Sustentvel. A Lei Federal diz ainda, no artigo 3, que os campos da atuao profiss