Tamanho da porção e gordura trans: os rótulos de alimentos

  • View
    218

  • Download
    5

Embed Size (px)

Transcript

  • Demetra; 2015; 10(1); 43-60 43

    ARTIGOS DE TEMA LIVRE / FREE THEMED ARTICLES

    Tamanho da poro e gordura trans: os rtulos de alimentos industrializados brasileiros esto adequados?

    Serving size and trans-fat: are the brazilian nutrition labels adequate?

    ResumoObjetivo: Associar o tamanho da poro com a presena de gordura trans em rtulos de alimentos industrializados comercializados em supermercado brasileiro. Metodologia: A poro foi categorizada de acordo com a legislao e a presena de gordura trans foi estimada pela notificao de componentes com gordura trans na lista de ingredientes. Estimou-se a prevalncia de falsos negativos, considerando os produtos que na informao nutricional reportaram no ter gordura trans, mas que apresentavam componentes com gordura trans na lista de ingredientes. Foram utilizados os testes Qui-quadrado e Anova, sendo o valor-p

  • Demetra: alimentao, nutrio & saDe

    Demetra; 2015; 10(1); 43-6044

    AbstractObjective: To associate serving size and trans fat on nutrition facts of packaged foods commercialized in a Brazilian supermarket. Methods: The serving size was categorized according the Brazilian law and the trans fat occurrence was determined by the ingredient list notification of hydrogenated fats designations. The false negative prevalence was estimated considering the products that reported the nonoccurrence of hydrogenated fat on nutrition facts, but contained this fat in the ingredient list. Chi-square and ANOVA were tested, considering as a statistically significant value p

  • Tamanho da poro e gordura trans: os rtulos de alimentos industrializados brasileiros esto adequados?

    Demetra; 2015; 10(1); 43-60 45

    Assim, considerando que o uso da gordura trans de origem industrial apresenta potenciais efeitos deletrios para a sade, a Organizao Mundial da Sade (OMS) lanou, em 2004, a Estratgia Global para Promoo da Alimentao Saudvel, Atividade Fsica e Sade, estabelecendo como meta a eliminao do consumo de gordura trans industrial.9 Essa recomendao foi reforada pela OMS em 2013, quando a relacionou ao combate s doenas crnicas no transmissveis.10 A partir do incio desse movimento, em 2008 a Organizao Pan-Americana da Sade (PAHO/WHO), juntamente com rgos de representao da indstria de alimentos, acordaram reduzir as quantidades de gordura trans dos produtos industrializados na Amrica Latina e Caribe.11 Recentemente, a gordura trans foi citada como um dos pontos importantes abordados em artigos sobre os desafios para enfrentar a obesidade.12,13

    Com o intuito de informar o consumidor sobre a presena de gordura trans nos alimentos industrializados, a legislao brasileira, harmonizada para os pases do Mercosul, inclui desde 2003 esta notificao como item obrigatrio na rotulagem nutricional.14 A RDC n 360/200314 tornou obrigatria a declarao do contedo de gorduras trans em relao poro nos rtulos dos alimentos industrializados. Contudo, a resoluo14 estabelece que possam ser considerados e divulgados como zero trans os alimentos que apresentarem teor de gorduras trans menor ou igual a 0,2 gramas na poro, valor descrito como no significativo nesta resoluo.

    Proena & Silveira15 relatam que no est clara a fundamentao cientfica para o estabelecimento desses limites legais para notificao de gordura trans nos rtulos, bem como no esto de acordo com a recomendao da OMS9 de eliminao da gordura trans dos alimentos industrializados. Alm disso, as autoras destacam que no h valores de recomendao de consumo para gordura trans, pois esse tipo de gordura no um nutriente e pode trazer malefcios para a sade.6,8 Refletem ainda que a determinao de um limite para a declarao de gordura trans nos rtulos fragiliza a legislao, pois a indicao de ausncia de gordura trans na informao nutricional no segura e exige que o consumidor leia a lista de ingredientes para ter maior possibilidade de identificar a presena de gordura trans no alimento.15

    Hissanaga et al.16,17 analisaram os rtulos de alimentos industrializados brasileiros destacados como isentos de gordura trans e encontram na maioria deles a declarao de componentes fontes de gordura trans na lista de ingredientes. Gagliardi et al.18 analisaram laboratorialmente a presena de gordura trans em alimentos industrializados do tipo fast food brasileiros com alegao de 0% deste ingrediente e detectaram presena de gordura trans em todos os alimentos avaliados, com valores que oscilaram de 0,01g a 1,97g de gordura trans por poro.

    O tamanho da poro de referncia para rotulagem em gramas (g) ou mililitros (ml) regulamentado pela RDC n 359/2003,19 que permite que sejam declaradas pores at 30% maiores ou menores do que o valor recomendado. Entretanto, alguns alimentos industrializados no apresentam uma poro de referncia nesta legislao, como o caso dos pratos prontos para

  • Demetra: alimentao, nutrio & saDe

    Demetra; 2015; 10(1); 43-6046

    o consumo. Para estes produtos, a legislao determina que a poro seja a quantidade em gramas correspondente a at 500 kilocalorias (kcal) do produto.19 Sendo assim, a indstria de alimentos tem a possibilidade de escolher diferentes valores de poro para rotular alimentos industrializados, o que pode influenciar a informao disponibilizada sobre a quantidade de nutrientes presentes no produto. De acordo com Proena & Silveira,15 quando a quantidade de gordura trans no alcana o limite de 0,2 gramas por poro preconizada pela legislao, a empresa fica desobrigada de disponibilizar a quantidade dessa gordura no rtulo dos alimentos.

    Dessa forma, considerando a hiptese de que o tamanho da poro pode ser determinante na notificao de gordura trans no rtulo, esta pesquisa objetivou analisar a associao entre o tamanho da poro e a presena de gordura trans notificada em alimentos industrializados brasileiros, considerando as informaes do rtulo disponveis aos consumidores.

    Metodologia

    Coleta de dados

    Foi realizado estudo transversal no qual foram analisados todos os alimentos industrializados disponveis venda em um grande supermercado de Florianpolis-SC, capital de estado no sul do Brasil. Foi escolhido aleatoriamente um dos supermercados pertencente a uma rede com 21 lojas na Regio Sul.

    Da lista de alimentos industrializados disponveis no supermercado selecionado, excluram-se aqueles para os quais no se aplica a legislao brasileira sobre rotulagem nutricional14 e/ou aqueles que no apresentavam gordura adicionada na composio, conforme detalhado na lista de ingredientes. Alm disso, excluram-se os produtos que no apresentavam a poro na informao nutricional; produtos em p que no forneciam informaes sobre rendimento, bem como aqueles que apresentavam a determinao do tamanho da poro somente por medida caseira.

    Mediante formulrio previamente testado, foram coletadas informaes nos rtulos dos alimentos industrializados, incluindo a identificao do produto (tipo, nome comercial, sabor e marca), informaes nutricionais (tamanho da poro em gramas ou mililitros e informao de contedo de gordura trans) e citao de componente com gordura trans na lista de ingredientes. Variaes do mesmo produto alimentcio em embalagens de tamanhos diferentes foram registradas como um novo produto, pois nem todos apresentavam pores similares.

    A coleta de dados foi realizada em maio de 2010 por nutricionistas treinados, aps obteno de autorizao da direo do supermercado.

  • Tamanho da poro e gordura trans: os rtulos de alimentos industrializados brasileiros esto adequados?

    Demetra; 2015; 10(1); 43-60 47

    Anlise dos dados

    As informaes foram duplamente digitadas em duas bases de dados distintas, posteriormente validadas para conferncia de possveis erros de digitao.

    O tamanho da poro de cada produto alimentcio foi categorizado de acordo com a adequao RDC no 359/2003,19 conforme demonstrado na tabela 1.

    Tabela 1. Classificao do tamanho da poro em g ou ml declarada no rtulo em relao poro recomendada pela RDC n359/2003, legislao brasileira sobre rotulagem nutri-cional. Brasil, 2010.

    Classificaoa SignificadoAdequao segundo a legislao brasileirab

    130%Poro maior que 30% do tamanho da

    poro recomendada em g ou mlInadequada

    aClassificao do tamanho da poro em g ou ml declarada no rtulo em relao poro recomendada pela legislao. bRDC n359/2003.

    Para os alimentos classificados como prontos para o consumo, para os quais a legislao no estabelece o tamanho da poro de referncia, foi calculada a densidade energtica mediante a estimativa de quilocalorias para cada 100 gramas do produto correspondente. Esta varivel foi posteriormente classificada em trs categorias: 100, 101-200 e > 200 kcal/100g. Para cada uma das categorias, foram calculados a mediana do tamanho da poro e o intervalo interquartil.

  • Demetra: alimentao, nutrio & saDe

    Demetra; 2015; 10(1); 43-6048

    Para determinar a presena de gordura trans nos alimentos industrializados, considerou-se a presena das seguintes denominaes especficas de gorduras trans na lista de ingredientes: gordura vegetal hidrogenada, gordura vegetal parcialmente hidrogenada, leo vegetal parcialmente hidrogenado e leo vegetal hidrogenado.15,20 Ressalta-se que a gordura vegetal, quando completamente hidrogenada, uma gordura slida, que no contm cidos graxos trans e no tem aplicao prtica em alimentos.21 Em funo disto, considerou-se que a denominao gordura vegetal hidrogenada indica a presena de gordura trans,21 passvel de ser aplicada na produo de alimentos. Alm disso, como gorduras, cremes vegetais e margarinas podem ou no conter gordura trans, estes itens foram includos como denominaes alternativas da presena de gordura trans, com o objetivo de evitar a excluso de alimentos passveis de conter estes ismeros.22,23 Esses componentes foram definidos com base em evidncias cientficas que mostram, por anlises f