Tentação ao pôr do sol - trecho

  • View
    652

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. O Arqueiro Gerald o Jordo Pereira (1938-2008) comeou sua carreira aos 17 anos, quando foi trabalhar com seu pai, o clebre editor Jos Olympio, publicando obras marcantes como O menino do dedo verde, de Maurice Druon, e Minha vida, de Charles Chaplin. Em 1976, fundou a Editora Salamandra com o propsito de formar uma nova gerao de leitores e acabou criando um dos catlogos infantis mais premiados do Brasil. Em 1992, fugindo de sua linha editorial, lanou Muitas vidas, muitos mestres, de Brian Weiss, livro que deu origem Editora Sextante. F de histrias de suspense, Geraldo descobriu O Cdigo Da Vinci antes mesmo de ele ser lanado nos Estados Unidos. A aposta em fico, que no era o foco da Sextante, foi certeira: o ttulo se transformou em um dos maiores fenmenos editoriais de todos os tempos. Mas no foi s aos livros que se dedicou. Com seu desejo de ajudar o prximo, Geraldo desenvolveu diversos projetos sociais que se tornaram sua grande paixo. Com a misso de publicar histrias empolgantes, tornar os livros cada vez mais acessveis e despertar o amor pela leitura, a Editora Arqueiro uma homenagem a esta figura extraordinria, capaz de enxergar mais alm, mirar nas coisas verdadeiramente importantes e no perder o idealismo e a esperana diante dos desafios e contratempos da vida.

2. Para Teresa Medeiros. Na estrada da vida, voc a amiga que me guia para evitar buracos, desvios e sinais vermelhos. O mundo um lugar melhor porque voc existe. Sempre com amor, L.K. 3. C A P T U LO 1 Londres Hotel Rutledge Maio de 1852As chances de Poppy Hathaway conseguir um casamento satisfatrio estavam prestes a ser arruinadas e tudo por causa de um furo. Infelizmente ela havia perseguido Dodger por metade do hotel antes de se dar conta de que o bicho, como era de sua natureza, seguia em zigue-zague. Dodger chamou Poppy em desespero. Volte. Eu lhe darei um biscoito. Ou uma das minhas fitas de cabelo, qualquer coisa! Ah, eu vou transform-lo em uma echarpe... Poppy jurou que, assim que capturasse o animal de estimao da irm, avisaria gerncia do hotel que Beatrix abrigava criaturas selvagens na sute da famlia, o que com toda a certeza contrariava as normas do estabelecimento. claro que isso poderia resultar na expulso de todo o cl Hathaway das instalaes. Mas, no momento, ela no estava se importando com isso. Dodger roubara uma carta de amor que lhe fora enviada por Michael Bayning, e nada no mundo era mais importante do que recuper-la. S faltava Dodger deixar aquela maldita carta em algum lugar pblico onde fosse descoberta. E Poppy perderia para sempre a chance de se casar com um jovem respeitvel e maravilhoso. Dodger disparou pelos corredores luxuosos do hotel Rutledge em movimentos sinuosos, longe do alcance de Poppy. A carta estava nas longas presas dianteiras do animal. Enquanto corria atrs dele, Poppy rezava para no ser vista. No importava que o hotel fosse bastante conceituado: uma jovem respeitvel jamais deveria sair sozinha de sua sute. Porm, a Srta. Marks, sua acompanhante, ainda estava na cama. E Beatrix fora dar um passeio bem cedo com Amelia, a irm mais velha. Voc vai me pagar por isso, Dodger! O animal travesso achava que tudo no mundo fora criado para diverti-lo. No havia cesto ou recipiente que ele deixasse de remexer ou virar de cabea para baixo, nem meias, pentes ou lenos que lhe passassem despercebidos. 7 4. Dodger roubava pertences pessoais e os deixava em pilhas sob cadeiras e sofs, tirava soneca nas gavetas de roupas limpas e, pior de tudo, era to divertido em suas estrepolias que toda a famlia Hathaway estava sempre relevando seu comportamento. Quando Poppy reclamava das traquinagens do furo, Beatrix sempre se desculpava prometendo que ele no voltaria a agir daquele jeito, e parecia sinceramente surpresa quando Dodger no dava ouvidos a seus sermes rigorosos. Mas como amava muito a irm caula, tentara conviver com aquele mascote to inoportuno. Dessa vez, porm, Dodger fora longe demais. O furo parou em um canto, olhou em volta para ter certeza de que ainda estava sendo perseguido e, em sua empolgao, fez uma pequena dana da guerra, uma srie de saltos laterais que exprimiam pura alegria. Mesmo naquele momento, quando queria assassin-lo, Poppy no conseguia deixar de reconhecer que ele era adorvel. Ainda assim voc vai morrer disse-lhe, aproximando-se da forma menos ameaadora possvel. Entregue-me a carta, Dodger. O furo atravessou correndo as colunas de um fosso de ventilao que espalhava sua luz por trs andares at o mezanino. Com raiva, Poppy se perguntou at onde precisaria persegui-lo. Ele podia ir bem longe, e o Rutledge era uma construo imensa, que ocupava cinco quarteires inteiros no bairro dos teatros. Isso balbuciou ela baixinho o que acontece quando se faz parte da famlia Hathaway. Transtornos... animais selvagens... incndios... maldies... escndalos... Poppy amava muito sua famlia, mas tambm sonhava com uma vida tranquila, normal, o que no parecia possvel para um Hathaway. Queria paz. Previsibilidade. Dodger atravessou a entrada dos escritrios do Sr. Brimbley, o supervisor do terceiro andar. Era um homem idoso com um bigode branco e farto, de pontas cuidadosamente enceradas. Como os Hathaways j haviam se hospedado no Rutledge muitas vezes, Poppy sabia que Brimbley relatava aos superiores todos os detalhes do que ocorria em seu andar. Se ele descobrisse o que ela estava procurando, confiscaria a carta e o relacionamento de Poppy com Michael seria revelado. E o pai de Michael, lorde Andover, nunca aprovaria aquela unio se houvesse a mnima suspeita de comportamento inapropriado. Poppy retomou o flego e se encostou na parede, enquanto Brimbley deixava seu escritrio com dois funcionrios do hotel. 8 5. V direto recepo. Imediatamente, Harkins dizia. Quero que investigue a questo relativa s cobranas feitas para o quarto do Sr. W. Ele costuma alegar que esto incorretas, ainda que, de fato, estejam certas. De agora em diante, acho que o melhor fazer com que ele assine um recibo sempre que consumir algo. Sim, Sr. Brimbley. Os trs homens seguiram pelo corredor, afastando-se de Poppy. Com cuidado, ela se esgueirou at a entrada dos escritrios e espiou pelo umbral. Os dois gabinetes interligados pareciam desocupados. Dodger! sussurrou ela com urgncia e o viu esconder-se debaixo de uma cadeira. Dodger, estou mandando voc vir aqui! O que, claro, fez com que o animal desse mais pulinhos empolgados. Mordendo o lbio inferior, Poppy atravessou a soleira. O escritrio principal era espaoso e mobiliado com uma escrivaninha imensa apinhada de livros contbeis e papis. Uma poltrona estofada de couro bord fora empurrada em direo mesa, enquanto outra estava junto a uma lareira vazia com um console de mrmore. Dodger estava ao lado da escrivaninha, observando Poppy com olhos brilhantes. Os bigodes dele se contorciam sobre a cobiada carta. Ele ficou bem quieto, sustentando o olhar de Poppy enquanto ela se aproximava aos poucos. Isso mesmo ela o tranquilizou, estendendo a mo lentamente. Voc um bom garoto, um belo garoto... espere bem a e eu vou pegar a carta, lev-lo de volta ao quarto e lhe dar... Argh! No instante em que ela ia segurar a carta, Dodger deslizou sob a escrivaninha, levando-a consigo. Tomada de fria, Poppy olhou em volta em busca de qualquer coisa com que pudesse cutucar Dodger e obrig-lo a deixar o esconderijo. Ao ver um candelabro de prata sobre a lareira, tentou retirar a vela, mas ela no saa do lugar e o candelabro estava preso prateleira. Diante do olhar atnito de Poppy, toda a parede nos fundos da lareira rodou silenciosamente. Ela se espantou com o apuro mecnico da porta, que girava em um movimento harmonioso e automtico. O que parecera ser uma slida parede de tijolos no passava de uma fachada com textura. Alegremente, Dodger disparou da escrivaninha e penetrou na abertura. Que encrenca disse Poppy, sem flego. Dodger, no ouse fazer isso! Mas o furo nem prestou ateno. E, para piorar, ela ouviu o rumor da voz do Sr. Brimbley, que retornava ao escritrio. 9 6. ... claro que o Sr. Rutledge deve ser informado. Inclua tudo no relatrio. E, por favor, no se esquea... Poppy no tinha tempo para refletir sobre suas opes ou as consequncias do que iria fazer, ento entrou pela lareira e a porta se fechou atrs de si. Ela estava num lugar quase tomado pela escurido enquanto aguardava, esforando-se para ouvir o que acontecia no escritrio. Aparentemente, a presena dela no fora notada. O Sr. Brimbley continuava a falar alguma coisa relacionada a relatrios e questes de limpeza e manuteno. Passou pela cabea de Poppy que ela talvez precisasse esperar muito tempo at que o supervisor decidisse deixar o cmodo de novo. Ou ento teria que encontrar outra sada. Naturalmente ela poderia voltar pela lareira e anunciar sua presena ao Sr. Brimbley. Mas no podia sequer imaginar quantas explicaes precisaria dar e como isso seria constrangedor. Olhando para trs, percebeu que aquilo era um longo corredor, com uma fonte de luz difusa localizada em algum ponto acima. A passagem era iluminada por uma abertura parecida com aquelas que os antigos egpcios utilizavam para ver estrelas e planetas. Ela podia ouvir o furo arrastando-se em algum lugar prximo. Pois bem, Dodger murmurou ela. Voc nos colocou nessa encrenca. Por que no me ajuda a encontrar uma porta? Obediente, Dodger avanou pelo corredor e desapareceu nas sombras. Poppy soltou um suspiro e o seguiu. Ela no se permitia entrar em pnico. Havia aprendido, nas muitas vezes em que os Hathaways enfrentaram grandes problemas, que perder a cabea nunca ajudava a resolver a situao. Enquanto Poppy avanava pela escurido, mantinha a ponta dos dedos contra a parede para no perder o equilbrio. Tinha avanado apenas alguns metros quando ouviu um som de algo raspando. Paralisada, esperou e prestou ateno. Tudo estava em silncio. Mas seus nervos estavam tensos e seu corao comeou a bater mais depressa quando ela viu a luz de uma lamparina adiante. Depois a luz se apagou.