TERMO DE REFERÊNCIA - .O potencial impactante que os produtos de limpeza sintéticos possuem pode

Embed Size (px)

Text of TERMO DE REFERÊNCIA - .O potencial impactante que os produtos de limpeza sintéticos possuem pode

  • ICMBio/PARNASO/Unidade de Administrao.e Finanas Termo de Referncia suporte Logstico 1

    1. DO OBJETO 1.1 Registro de Preos para contratao de empresa(S) especializada na prestao de servios de limpeza, asseio e conservao predial, visando a obteno de adequadas condies de salubridade e higiene, com a disponibilizao de mo-de-obra, saneantes domissanitrios, materiais e equipamentos, a serem realizados no Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade- ICMBio, nas Unidades Vinculadas Unidade Avanada de Administrao e Finanas 443036, a saber: No Estado do Rio de Janeiro - Parque Nacional da Serra dos rgos, Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, rea de Proteo Ambiental de Guapimirim, rea de Proteo Ambiental de Petrpolis, Estao Ecolgica da Guanabara, rea de Proteo Ambiental da Bacia do Rio So Joo Mico-Leo-Dourado, Reserva Biolgica do Tingu, Reserva Biolgica de Unio, Reserva Biolgica de Poo das Antas, Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo; no Estado do Esprito Santo Floresta Nacional de Goytacazes, Floresta Nacional do Rio Preto, Floresta Nacional de Pacotuba, Reserva Biolgica de Comboios, Reserva Biolgica de Crrego Grande, Reserva Biolgica do Crrego do Veado, Reserva Biolgica Augusto Ruschi e Reserva Biolgica de Sooretama, bem como qualquer Unidade que venha a ser vinculada a UASG do Parque Nacional da Serra dos rgos, de acordo com o especificado neste Termo de Referncia e com as condies, especificaes e quantidades estabelecidas no Edital e anexos.

    2. DA JUSTIFICATIVA DA CONTRATAO 2.1 Justifica-se a realizao do Registro de Preos para a contratao pretendida, vista do disposto no Decreto 2.271/97 que regulamenta a

    contratao de atividades acessrias consecuo da atividade pblica - bem como as disposies da Instruo Normativa n 02, de 30 de abril de 2008, especialmente o procedimento para a contratao de servios contnuos de limpeza, conservao, higienizao e dedetizao, com a finalidade de garantir perfeitas condies de asseio nas instalaes pertencentes ao patrimnio do ICMBio a fim de atingir, com eficcia e eficincia, as metas institucionais por ele propostas.

    2.2 A pretensa e futura contratao prover as

    Unidades com a manuteno da higidez necessria nas reparties para a realizao de sua misso institucional e garantir um atendimento ao fluxo de visitao de forma a reduzir os riscos de movimentao antrpica, especialmente idosos, portadores de necessidades especiais e crianas, garantindo um ambiente saudvel de visitao. Atividades tais como limpeza, copa e cozinha e conservao de reas verdes, sero objetivados, uma vez que

    MINISTRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAO DA BIODIVERSIDADE

    DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAO E LOGSTICA

    PARQUE NACIONAL DA SERRA DOS RGOS UNIDADE AVANADA DE ADMINISTRAO E FINANAS

    TERMO DE REFERNCIA

    Motivao:

    Benefcios diretos e indiretos que resultaro da contratao:

  • ICMBio/PARNASO/Unidade de Administrao.e Finanas Termo de Referncia suporte Logstico 2

    proporcionaro aos tcnicos e analistas do Instituto a possibilidade de execuo das polticas pblicas ambientais e o atendimento sociedade.

    2.3: As disposies da Portaria 115/2008 definiram

    como atribuies das Unidades Gestoras do Instituto Chico Mendes a responsabilidade de gesto e execuo oramentrio-financeira das Unidades de Administrao de seu entorno. No caso do PARNASO, a responsabilidade de administrao compreende as Unidades do Parque Nacional da Serra dos rgos, Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, rea de Proteo Ambiental de Petrpolis, rea de Proteo Ambiental de Guapimirim, rea de Proteo Ambiental de Petrpolis, rea de Proteo Ambiental da Bacia do Rio So Joo, Reserva Biolgica de Poo das Antas, Reserva Biolgica Unio, Reserva Biolgica do Tingu, Reserva Biolgica Sooretama, Reserva Biolgica Crrego Grande, Reserva Biolgica Augusto Ruschi, Reserva Biolgica Crrego do Veado, Reserva Biolgica Comboios, Floresta Nacional dos Goytacazes, Floresta Nacional Rio Preto, Floresta Nacional Pacotuba, Estao Ecolgica da Guanabara e Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo. Estando, portanto, com a responsabilidade de provimento das Unidades de Conservao dos Estados do Rio de Janeiro e Espirito Santo, como UGE (Unidade Gestora Executora), faz-se necessria a contratao dos servios essenciais realizao de apoio s atividades institucionais, permitindo garantir de forma sustentvel as condies de salubridade e conservao de patrimnio e documentos, pugnando pelos requisitos da eficincia determinados no art. 37 da Carta Magna.

    2.4: Assim, o presente Termo de Referncia tem por objetivo definir o conjunto de elementos tcnicos

    que nortearo o procedimento licitatrio para a contratao de empresa(s) do ramo para prestao, de forma contnua dos servios acima citados para as unidades elencadas no item anterior.

    2.5: Todo o planejamento para a realizao das futuras contrataes oriundas deste Termo de Referncia

    baseia-se nas contrataes realizadas anteriormente por rgos da Administrao Pblica, especialmente Unidades Gestoras do Ministrio do Meio Ambiente pertencentes Administrao Indireta, com as devidas atualizaes requeridas pela Agenda Ambiental da Administrao Pblica A3P do Ministrio do Meio Ambiente, bem como s disposies da IN 02/08, especialmente sobre a anlise de impactos ambientais. Os produtos de limpeza sempre estiveram atrelados a problemas ambientais. Antes mesmo do aparecimento dos produtos sintticos, o sabo j apresentava o problema de deixar as guas muito alcalinas (duras), deixando tambm uma pelcula insolvel sobre a superfcie da gua. Acontece que geralmente os produtos utilizados nos servios de limpeza em licitaes pblicas consistem apenas nos mais simples e baratos, mas com alta carga qumica sinttica em sua formulao. Produtos que possuem alta eficcia na conservao do patrimnio, porm com grande impacto nesses locais. Pensando-se em Unidades de Conservao, o problema torna-se exponencialmente mais grave. Atualmente, os nveis de fosfatos nos detergentes so controlados pelo ordenamento jurdico brasileiro e internacional. Entretanto, o acmulo dessas substncias nos rios, lagos e praias que recebem esgotos, podem prejudicar a vida de toda a biota que vive nestes locais, o que representa um contra-senso com a misso do rgo. Outro problema que muitos produtos de limpeza possuem substncias base de cloro. O cloro, em p ou em pastilhas usado para desinfeco de piscinas, contm estabilizadores e outras substncias muito prejudiciais como o mercrio e outros metais

    Conexo entre a contratao e o planejamento existente:

    Natureza dos servios continuados:

    Referncia a estudos anteriores:

  • ICMBio/PARNASO/Unidade de Administrao.e Finanas Termo de Referncia suporte Logstico 3

    pesados. Esses metais no s contaminam a gua da piscina, mas tambm, as guas subterrneas, atravs das descargas da gua de lavagem de filtro de areia, chegando aos oceanos. importante ressaltar que a poluio das guas nos rios, lagos, mares e oceanos ocorre no apenas pelo despejo individual de uma substncia ou outra, mas tambm pela reao qumica resultante da soma dos inmeros produtos de limpeza que usamos como: detergentes, sabo em p, sabonetes, desinfetantes, limpa-vidros, gua sanitria (com 2% de cloro ativo), amonaco, entre outros. O potencial impactante que os produtos de limpeza sintticos possuem pode causar danos ao homem e ao meio ambiente. Por essa razo devem ser usados de forma moderada, cuidadosa e, quando possvel, substitudos por outros mtodos e produtos menos agressivos aos ecossistemas. Optar por produtos de limpeza de bases e formulaes naturais so uma soluo. H algumas marcas disponveis no mercado que possuem formulao adequada e suficiente para limpeza, a partir de ingredientes de fontes renovveis. Como exemplos temos as marcas Cassiopia, Power Roll, Astria, NovoClean, RL, marcas produtos das linhas ecolgicas no contm derivados de petrleo, tensoativos, fosfatos ou produtos de origem animal ou testados em animais. Alm de se optar por produtos ecolgicos, o Estado deve tambm tomar pequenas providncias no dia-a-dia para diminuir o impacto ambiental dos produtos de limpeza convencionais, como algumas sugestes abaixo transcritas: No permitir, salvo excees justificadas, adquirir produtos em cuja frmula constem

    componentes como cloro, formaldedo e solventes. No comprar produtos, sem embalagem prpria ou rtulos que descreva os contedos qumicos e indique o fabricante;

    Procurar conhecer e testar os produtos de limpeza ecolgicos que existem no

    mercado. Dentro dos produtos industrializados existe grande mistura de substncias que podem no estar indicadas nos rtulos.

    Dar preferncia aos produtos que tenham selo de certificao. Isso significa que a

    empresa passou por uma sobre os processos e matrias-primas utilizadas. 3. DO FUNDAMENTO LEGAL E OBJETIVO DA FUTURA CONTRATAO 3.1 A contratao de pessoa jurdica para execuo das atividades previstas neste Termo de Referncia encontra amparo legal na Lei n 10.520, de 17 de julho de 2002, no Decreto n 5.450, de 31 de maio de 2005, no Decreto n 3.722, de 9 de janeiro de 2001, Decreto n 3.931, de 19 de setembro de 200; no Decreto n 2.271, de 7 de julho de 1997 e, subsidiariamente, na Lei n 8.666, de 21 de junho de 1993, na Instruo Normativa n 5, de 21 de julho de 1995, e na Instruo Normativa n 02, de 30 de abril de 2008, bem como no que couber s disposies do Cdigo de Defesa do Consumidor. 4. DAS DEFINIES: I - SERVIOS CONTINUADOS so aqueles cuja interrupo possa comprometer a continuidade das atividades da Administrao e cuja necessidade de contratao deva estender-se por mais de um exerccio financeiro e continuamente;

  • ICMBio/PARNASO/Unidade de Administrao.e Finanas Termo de Referncia suporte Logstico 4

    II - SERVIOS NO-CONTINUADOS so aqueles que tm como escopo a obteno de produtos especficos