The Brazilian Post - Issue 91 - Portuguese

Embed Size (px)

DESCRIPTION

The Brazilian Post - Issue 91 - Portuguese

Text of The Brazilian Post - Issue 91 - Portuguese

  • Gaby Amarantos Lucas Santtana & Graveola Mais Um! Novos sons do BrasilQuinta-feira 25 de Julho, Beyond Barbican: Village Underground

    barbican.org.ukbarbican.org.uk

    The Brazil who knows Brasil O Globo

    July 16th 29th 2013

    LONDON EDITION

    www.brazilianpost.co.uk Issue n. 91

    Neste vero, o Reino Unido recebe vrios msicos tupiniquins. Para ns, brasileiros morando em terras britnicas, ser uma oportunidade rara de curtir de perto tanto a nova gerao quanto os clssicos que fazem nossa msica to rica. Leia mais nas pginas 2 e 8 >>

    BRASILRealidade do SUS (Sistema nico de Sade) volta pauta com programa Mais Mdicos >> Pg03

    GUIDE Clube do Choro UK, de casa nova, volta a se reunir no ltimo final de semana do ms >> Pg15

    SONS DO BRASIL

  • 02 | July 16th 29th 2013

    CulturaDOS CLSSICOS AOS NOVOS

    Vero ingls ao som brasileiroGilberto Gil, Hermeto Pascoal, Gaby Amarantos, Lucas Santtana... Todos eles estaro por aqui

    Da Redao

    Pergunte a um gringo o que ele sabe sobre msica brasileira. Samba, ele deve responder instintivamente. Mas que nada, escrita por Jorge Ben Jor e cantada no mundo todo por Srgio Mendes, provavelmente ele conhea, assim como algumas msicas da Bossa Nova, como Garota de Ipanema. Talvez saiba algo sobre a Tropiclia, tema de documentrio que acaba de chegar ao Reino Unido. Ou at, quem sabe, j tenha ouvido alguns sons novos que surgiram recentemente e mostram a grande diversidade do Brasil em suas manifestaes culturais.

    De uma maneira ou de outra, neste Reino Unido multicultural, especialmente em Londres, estamos todos cada vez mais abertos a influencias culturais e musicais de todos os cantos do mundo. Nos ltimos anos os gringos tm apreciado cada vez mais nossa msica; h muitas noites brasileiras pela capital britnica. Neste vero, o Reino Unido recebe vrios

    msicos do Brasil e para ns, brasileiros morando em terras britnicas, ser uma oportunidade rara de curtir de perto tanto a nova gerao quanto os clssicos que fazem nossa msica to rica.

    Novos sons do Brasil Com curadoria da Mais Um Discos e produzido pelo Barbican, a festa Mais Um! New sounds of Brasil apresenta trs artistas brasileiros que fazem parte da cena musical contempornea do pas com shows em Bristol (24/7) e Londres (25/7).

    De Belm do Par vem Gaby Amarantos e seu tecnobrega tropical. O som que fazemos uma nova sonoridade que remete a uma Amaznia moderna, trazendo para quem escuta a percepo de um novo Brasil, vibrante, moderno e forte, com sintetizadores e guitarras tpicas com levadas paraenses e tambores indgenas. extico, envolvente e danante, disse Gaby ao

    The Brazilian Post.Perguntada sobre o que o pblico

    pode esperar do show, especialmente aqueles que no entendem o portugus, ela disse que a musica uma das maiores fontes de comunicao que existem e rompe qualquer fronteira de lngua, tenho certeza que o povo vai se jogar no batido, danar, suar e tremer os ombros at chegar aos cabelos e tomar conta do corpo inteiro.

    Lucas Santtana, por sua vez, um cantor e compositor aventureiro, moderno, que vem da Bahia e mistura ritmos brasileiros com dub, afro-beat, hip-hop e muito mais. Como a Rolling Stone dos Estados Unidos escreveu, ele apaga a linha entre a o acstico e a msica eletrnica.

    A msica que fao essencialmente urbana e cosmopolita. Ela traz referncias que esto presentes em todas as cenas musicais ao redor do mundo,

    disse Lucas Santtana. Ele nos contou ainda que sua banda de rock favorita a inglesa Radiohead e que tocar em Londres ser uma oportunidade de dar de volta tudo que assimilei da minha maneira desde os Beatles at hoje.

    Por ltimo, mas no menos importante, tem a banda mineira Graveola, de Belo Horizonte, que vai abrir a festa com seu som que mistura diversos ritmos, do rock ao samba, num novo tropicalismo que, no final das contas, no deve ser rotulado disso ou daquilo. Cerys Matthews, crtico musical da BBC, descreveu o disco como delicioso. No consigo me cansar deste som, ele escreveu.

    O diretor da Mais Um Discos, Lewis Robinson, afirmou que o objetivo mostrar para as pessoas o que h de mais interessante na cena musical brasileira hoje. Queremos mostrar que o Brasil tem uma cena musical incrivelmente saudvel, diversa e vibrante, com msicos experimentando diferentes gneros, da mesma maneira que na Europa e nos Estados Unidos, e mostrar o Brasil alm dos clichs.

    Lewis acredita que, seja pela Copa do Mundo e Olimpada, ou pelos protestos, todos parecem estar de olhos abertos sob o Brasil, ento hora de o pas mostrar ao mundo a riqueza de sua cultura, e que h muito mais alm de Srgio Mendes e futebol na praia.

    Com os olhos sob o Brasil, ele argumentou, agora voc tem um perodo de trs anos para mostrar ao mundo suas verdadeiras cores e determinar qual ser cara cultural do pas aps os mega eventos esportivos.

    Continua na pgina 8 >>

    vero! E podemos dizer isso de boca cheia, aps semanas atpicas na terra da rainha. Muito sol, calor e coisa para fazer o que no falta na nossa agitada Londres. Por isso nesta edio o The Brazilian Post traz para voc o que vai rolar de som brasuca para agitar ainda mais o vero ingls!

    Opes que no vo faltar! Do clssico ao contemporneo, desde Gilberto Gil, Milton Nascimento e Hermeto Pascoal, at a mistura da chamada Beyonc tupiniquim, Gaby Amarantos, a batida

    de Lucas Santtana e o som dos mineiros Gaveola. As novidades verde-amerelas fazem parte da programao do festival da Mais um Discos, produtora independente que est apresentando nossa nova safra de msicos para os gringos na Europa. Leia mais nas pginas 2 e 8.

    Tambm, na onda quente do vero, o Clube do Choro UK (CCUK) apresenta sua nova casa: o Cecil Sharp House Folk. Local perfeito para demonstrar a integrao que o CCUK conquistou com a cultura inglesa, atravs da difuso

    cultural pela msica, culinria, dana. Alm da roda de choro, o evento conta com workshops de instrumentos musicais como pandeiro e cavaquinho, de dana, feijoada e muito mais! Confira na pgina 15 do TBP Guide.

    Na pgina 03 desta edio, voc encontrar um pouco mais sobre a questo dos mdicos no Brasil. Um dos debates mais acentuados aps a onda de manifestaes que iniciaram em junho e a medida provisria do Governo Federal que instituiu o programa Mais Mdicos no pas.

    desta maneira que apresentamos esta edio, acreditando que na diversidade dos temas abordados em cada editoria, tentamos cumprir uma importante misso: mostrar a cara do Brasil num momento nico da histria do pas; seja com as manifestaes locais ou com a massiva exposio verde-amerela no exterior projetada pelos prximos mega eventos que o pas sediar.

    Boa leitura!Ana Toledo

    ana@brazilianpost.co.uk

    Editora Chefe

    EDITORIAL

    Banda Graveola

  • Brasil | 03

    SADE

    Falta de mdicos: de quem a culpa?Por Fernando Maia*

    H cinco anos, eu era muito mais idealista. Acreditava no SUS (Sistema nico de Sade), na possibilidade de garantir um bom sistema pblico de sade para a populao. Escolhi uma especialidade quase esquecida, minguante, a Medicina Preventiva e Social. Minha vontade era trabalhar na gesto do SUS, buscando a melhoria da ateno.

    Logo no incio da residncia, me deparei com um dos problemas to na moda nas discusses ultimamente: a falta de mdicos. Na unidade em que eu estagiava, um dos mdicos estava se despedindo, pois seu contrato havia acabado. Ele no queria sair da unidade, ele no tinha outro vnculo, ele no estava se mudando em busca de um salrio maior. Ele saiu porque seu vnculo com o municpio havia terminado. Da mesma forma que ele, vrios outros tambm saram na mesma poca.

    Aps algumas andanas pelo pas, trabalhando como mdico e como sanitarista, presenciei que de fato faltam mdicos. Em municpios grandes, pequenos, mdios, quase sempre h algum dficit de profissionais. relativamente fcil conseguir algum emprego em qualquer regio do pas. Claro que os melhores empregos sempre so mais concorridos. Afinal, se eu tenho oito mdicos numa localidade, e dez vagas, os profissionais vo procurar as que tm melhores condies de trabalho. E por que algumas vagas no so preenchidas? Os motivos so diversos, e no sei dizer qual prioritrio, depende muito de cada profissional.

    Materiais e equipamentos disponveis costumam importar bastante. No d para trabalhar sem o mnimo necessrio. Isso envolve luvas, seringas, medicaes, sabonete, lcool, e tantas outras coisas bsicas que muitas vezes faltam em algumas unidades. J atendi uma paciente que precisava de uma medicao injetvel para enjoo, e tive que encaminh-la para outra unidade, pois no tinha medicaes injetveis. Na verdade, no tinha nem soro, nem equipo, tampouco medicaes injetveis.

    Vnculo de trabalho tambm algo importante. Muitas vezes os mdicos so contratados por pessoa jurdica, ou como prestadores de servio autnomos. Nesses casos, alm de frequentes atrasos e calotes, tambm esto sujeitos a demisses por divergncias com os prefeitos ou secretrios. Outra forma comum so os contratos temporrios, que garantem uma estabilidade s por determinado perodo, que geralmente no ultrapassa quatro anos.

    Morar distante dos grandes centros uma escolha, que acarreta uma srie de mudanas na vida da pessoa. Existe menos violncia, o ar mais puro, menor a correria, o contato com a natureza maior. E necessrio abdicar

    de cinema, teatro, internet banda larga, opes de lazer, diversidade de bares e restaurantes, etc. muito fcil criticar via internet, enquanto aguarda a hora de ir para o cinema, os profissionais mdicos que no vo para o interior. Difcil repensar a vida e abrir mo de coisas que te agradam e de fato se mudar para o interior.

    Para quem trabalha nas periferias das grandes cidades, outra questo se aflora: violncia. Ouvir tiroteios, ser agredido verbalmente (ou at fisicamente),