Tipos de galáxias Classificações das elípticas ...w3.ufsm.br/rogemar/fsc819/aulas/06-gal-  · Tipos…

Embed Size (px)

Text of Tipos de galáxias Classificações das elípticas ...w3.ufsm.br/rogemar/fsc819/aulas/06-gal-  ·...

Galxias Elpticas

Tipos de galxiasTipos de galxias

Classificaes das elpticasClassificaes das elpticas

Caractersticas geraisCaractersticas gerais

Determinao da massaDeterminao da massa

Perfil de brilhoPerfil de brilho

Formao e EvoluoFormao e Evoluo

Marlon R. Diniz

Classificao de Hubble

M89

E0E2

E6

S0

Sa

Sb

Sc

M32

M110

NGC 7049

NGC 660NGC 7479

NGC 1300

NGC 7217NGC 4622

M51

SBaSBb

SBc

Subdiviso das Galxias Elpticas

A classe de uma galxia elptica obtida

dividindo-se a diferena entre o

comprimento do seu eixo maior menos o

menor, pelo eixo maior e multiplicando o

resultado por dez.

Assim, a galxia M110 uma E6.

Eixo maior = 8,7 arcmin

Eixo menor = 3,4 arcmin

Subdiviso das Galxias Elpticas

Elas abrangem uma ampla faixa de galxias que diferem na luminosidade e tamanhos.

Elpticas Normais: gE's, E's e cE's.

Elpticas Ans: dE's < brilho superficial e metalicidade do que as cE's.

Galxias cDs:Luminosas e possuem um raio de at 1Mpc.

Galxias BCD's:An compacta azul.

Galxias dSph's:Baixa luminosidade brilho superficial.

M87 - cD

Leo I dSph's

Centaurs A - gE

Apresentam geometria esferoidal ou elipsoidal, pouca estrutura

interna (praticamente sem gs, braos espirais, disco e

poeira).

Seus tamanhos incluem desde as menores at as maiores

galxias, num extremo h as elpticas ans, pequenas, meros

agrupamentos de poucos milhes de estrelas, geralmente com

distribuio esparsa de aparncia dbil e difusa. Elas

espalham-se entre as maiores e devem conter quantidades

significativas de matria escura para mant-las coesas.

No outro extremo temos as elpticas gigantes, presentes apenas em regies de aglomerados

galcticos, com centenas de bilhes de estrelas. As cD's apresentam mltiplos ncleos no

centro, sugerindo que se formaram por fuso de galxias menores.

Caractersticas das Galxias Elpticas

Caractersticas das Galxias Elpticas

Quase todas as estrelas so amarelas ou vermelhas, e raramente h sinal de

formao estelar. Tais estrelas, indicam que a formao estelar cessou h muito

tempo.

Cada estrela descreve sua prpria rbita em torno da densa regio central. A coliso entre duas estrelas remota.

As rbitas das estrelas variam muito, de crculos a elpses

muito alongadas e no esto confinadas a uma direo

especfica.

Com exceo das BCDs, galxias elpticas so

avermelhadas quando observadas no tico.rbitas estelares

Caractersticas das Galxias Elpticas

Quando detecta-se gs quente em

elpticas, pela emisso de raios X,

sua temperatura ~107 K.

Pela emisso do H, detecta-se um

gs a ~104 K.

O gs frio, ~100 K, detectado a

partir da linha de 21cm do HI e

pelas linhas moleculares do CO.

A metalicidade para galxias

elpticas e lenticulares aumenta em

direo ao centro da galxia.

Propriedade Galxias Elpticas

Massa Solar 105 a 1013

Dimetro (1013 pc) 1 - 1000

Luminosidade 106 a 1012

Populao estelar Velha

Tipo espectral G e K

Gs muito pouco

Poeira muito pouca

Cor amarelada

Estrelas mais velhas 1010 anos

Estrelas mais jovens 1010 anos

Massa das Galxias Elpticas

Como as rbitas so randmicas em galxias elpticas, utilizamos o teorema do Virial para

calcular sua massa.

EG + 2EC = 0

M = 2V2R/G

V a medida da disperso estelar;R o raio mdio da galxia;G a constante gravitacional.

2EC = MV2

EG = -GM2/2R

Perfil de Brilho

Galxias Es e cDs apresentam o perfil de Vaucouleurs.

Galxias dSphs e dEs apresentam um

distribuio diferente

Para elpticas normais o brilho superficial decresce com o aumento da luminosidade

Perfil de brilho de uma galxia cD versus o perfil de

Vauculeurs

Formao e evoluo das Galxias Elpticas

muito mais difcil entender a formao e evoluo de galxias do que estrelas,

simplesmente porque galxias so mais complexas que estrelas.

Para estrelas, basta sabermos a sua massa inicial e possvel determinar como ser

sua evoluo, alm disso, vemos regies de formao estelar.

Independente da estrela, ela sempre um objeto esfrico formado por gs,

principalmente Hidrognio.

As galxias tm estrelas que se distribuem de forma diferente pelo disco, halo, bojo,

etc., temos gs, principalmente, atmico e molecular e para piorar no observamos o

nascimento de uma galxia, ou seja, no temos regies de formao de galxias.

Para galxias no temos um modelo de evoluo, toda vez que discutimos porque uma

galxia tem tal aparncia feito somente um modelo para a galxia em questo.

H interaes entre as galxias, que dificultam o entendimento das primeiras fases de

evoluo.

Formao e evoluo das Galxias Elpticas

H dois cenrios para a formao de galxias, um deles que as galxias se formavam de grandes condensaes de gs para formarem estrelas (de cima para baixo), outro que primeiramente as estrelas se formavam em pequenos grupos e posteriormente se fundiam para formarem estruturas maiores.

1,5 bilho de anos 2,6 bilhes de anos 5 bilhes de anos 7,4 bilhes de anos

Matria condensando em filamentos, no interior formavam protogalxias.

Filamentos tornam-se mais definidos, protogalxias irregulares esto se fundindo em galxias irregulares maiores.

Filamentos de matria esto se tornando cadeias de galxias no interior de galxias maduras, incluindo elpticas que se formaram das galxias irregulares.

Mais matria cai nos filamentos, onde h aglomerados de galxias, contendo galxias elpticas gigantes.

Formao e evoluo das Galxias Elpticas

O modelo mais aceito atualmente de evoluo galctica sugere que as galxias se transformam por colises e interaes. O gs intergalctico est sendo continuamente absorvido pelas galxias.

No universo jovem, as primeiras galxias que se formaram eram pequenas e irregulares ou esferoidais. A medida que aglutinavam mais material e se fundiam, desenvolviam mais estrutura interna, originando as primeiras espirais.

Quando as espirais se fundiam, o gs era ejetado e suas estrelas passam a seguir rbitas aleatrias (se transformavam em elpticas), se houvesse gs suficiente ele cairia de volta na elptica e formaria um novo disco de gs e poeira, podendo desenvolver braos espirais.

Nesta poca as nicas estrelas restantes da galxia original eram amarelas e vermelhas, o que explica o predomnio desse tipo de estrelas nos bojos de espirais.

Em regies onde muitos desses eventos ocorreram, o gs disponvel foi todo retirado, at que todas as galxias tomaram a forma de elpticas, que fundiam-se ocasionalmente para compor sistemas ainda maiores, como as galxias cD.

Slide 1Slide 2Slide 3Slide 4Slide 5Slide 6Slide 7Slide 8Slide 9Slide 10Slide 11Slide 12