Trabalho Doméstico no Brasil - ilo.· O trabalho doméstico é uma significativa fonte de ocupação

Embed Size (px)

Text of Trabalho Doméstico no Brasil - ilo.· O trabalho doméstico é uma significativa fonte de...

no Brasil:DomsticoTrabalho

Escritrio noBrasil

rumo ao reconhecimento institucional

Organizao Internacional do TrabalhoEscritrio no Brasil

Braslia, 2010

Copyright Organizao Internacional do Trabalho 20101 edio 2010

As publicaes da Organizao Internacional do Trabalho gozam da proteo dos direitos autorais sob o Protocolo 2 da Conveno Universal do Direito do Autor. Breves extratos dessas publicaes podem, entretanto, ser reproduzidos sem autorizao, desde que mencionada a fonte. Para obter os direitos de reproduo ou de traduo, as solicitaes devem ser dirigidas ao Departamento de Publicaes (Direitos do Autor e Licenas), International Labour Office, CH-1211 Geneva 22, Sua, ou por email: pubdroit@ilo.org Os pedidos sero bem-vindos.

As bibliotecas, instituies e outros usurios registrados em uma organizao de direi-tos de reproduo podem fazer cpias, de acordo com as licenas emitidas para este fim. A instituio de direitos de reproduo do seu pas pode ser encontrada no site www.ifrro.org

Dados de catalogao da OIT

Trabalho domstico no Brasil : rumo ao reconhecimento institucional / Organizao Internacional do Trabalho, Escritrio no Brasil. - Brasilia: ILO, 20101 v.

ISBN: 9789228235913; 9789228235920 (pdf)

Organizao Internacional do Trabalho, Escritrio no Brasil.

trabalho domstico / trabalhador domstico / Brasil

08.17.1

As designaes empregadas nas publicaes da OIT, segundo a praxe adotada pelas Naes Unidas, e a apresentao de material nelas includas no significam, da parte da Organizao Internacional do Trabalho, qualquer juzo com referncia situao legal de qualquer pas ou territrio citado ou de suas autoridades, ou delimitao de suas fronteiras.A responsabilidade por opinies contidas em artigos assinados, estudos e outras con-tribuies recai exclusivamente sobre seus autores, e sua publicao pela OIT no sig-nifica endosso s opinies nelas expressadas.Referncias a firmas e produtos comerciais e a processos no implicam qualquer aprovao pela Secretaria Internacional do Trabalho, e o fato de no se mencionar uma firma em particular, produto comercial ou processo no significa qualquer desaprovao.

As publicaes da OIT podem ser obtidas nas principais livrarias ou no Escritrio da OIT no Brasil: Setor de Embaixadas Norte, Lote 35, Braslia - DF, 70800-400, tel.: (61) 2106-4600, ou no International Labour Office, CH-1211. Geneva 22, Sua. Catlogos ou listas de novas publicaes esto disponveis gratuitamente nos endereos acima, ou por email: vendas@oitbrasil.org.br

Visite nosso site: www.oit.org.br

Impresso no Brasil

Esta publicao foi produzida no mbito do Programa Interagencial de Promoo da Igualdade de Gnero, Raa e Etnia (BRA/08/51M/UND), financiado pelo Governo Espanhol, e pelo Projeto Gender Equality in the World of Work (INT/09/61/NOR), financiado pelo Governo Noruegus.

Organizao Internacional do Trabalho (OIT)Diretora do Escritrio da OIT no BrasilLas Abramo

Programa Interagencial de Promoo da Igualdade de Gnero, Raa e Etnia

Fundo de Desenvolvimento das Naes Unidas para a Mulher (UNIFEM)Agncia LderRepresentante para Brasil/ Diretora Regional para Cone SulRebecca Reichmann Tavares

Coordenadora do Programa Interagencial de Promoo da Igualdade de Gnero, Raa e EtniaAngela Fontes

Coordenadora do Programa de Promoo da Igualdade de Gnero

e Raa no Mundo do Trabalho da OIT-BrasilPonto focal da OIT-Brasil para o Programa Interagencial de Promoo da Igualdade de Gnero, Raa e EtniaMarcia Vasconcelos

Oficial de Projetos de Promoo da Igualdade de Gnero e Raa no Mundo do Trabalho da OIT-BrasilRafaela Egg

Assistente de Projetos de Promoo da Igualdade de Gnero e Raa no Mundo do Trabalho da OIT-BrasilAdalgisa Soares

ElaboraoJudith Karine Cavalcanti Santos

RevisoLuciana de Souza Ramos

Coordenao geralMarcia Vasconcelos

Coordenao pela Secretaria de Polticas de Promoo da Igualdade Racial (SEPPIR)Cristina de Ftima Guimares

Projeto GrficoLuciano Mendes

Apresentao

Prlogo

Trabalho domstico: cenrio legal e poltico brasileiro

O Programa Trabalho Domstico Cidado em gestao: dilogos institucionais

Nasce o Programa Trabalho Domstico Cidado

O Programa Trabalho Domstico Cidado em execuo

Primeiros resultados do Programa Trabalho Domstico Cidado

A segunda fase do Programa Trabalho Domstico Cidado

Ampliando as aes para o Trabalho Domstico

Trabalho Domstico e polticas pblicas: avanos e desafios

Referncias Bibliogrficas

7

11

17

23

29

35

43

49

53

61

69

Sumrio

Apresentao

O trabalho domstico representa, em vrios pases, uma par-cela significativa das atividades desempenhadas pelas mulhe-res, em especial negras e indgenas. Em grande parte, essas mulheres vivenciam relaes precrias de trabalho, com pou-co reconhecimento governamental e quase nenhuma regula-mentao, sem a devida valorizao social e com baixa auto--estima. A discusso sobre este tema tem sido conduzida no mbito internacional pela Organizao Internacional do Tra-balho (OIT) como um ponto fundamental para a promoo do trabalho decente e para a efetiva igualdade de gnero e raa no mundo do trabalho.

No Brasil, o trabalho domstico passou por um perodo lon-go de invisibilidade e no abordagem por parte das polticas pblicas. Ainda hoje possvel identificar a condio de vul-nerabilidade desta categoria profissional que se evidencia nos baixos nveis de rendimento, na alta informalidade, na di-ficuldade de acesso educao e formao profissional, na persistncia do trabalho infantil e adolescente e na exposio violncia e acidentes de trabalho. Desde 2003, o Governo brasileiro tem realizado esforos para garantir os direitos das

8

trabalhadoras domsticas, por meio de estratgias diferencia-das que vo desde a programas de elevao da escolaridade e qualificao profissional at medidas de estmulo sua for-malizao. A elaborao coletiva e participativa de polticas pblicas especficas para esta categoria tem sido a marca desse esforo.

Essa publicao foi organizada com o objetivo de apresen-tar uma sntese das principais aes realizadas nesse m-bito pela Secretaria de Polticas de Promoo da Igualdade Racial (SEPPIR) da Presidncia da Repblica, com destaque para aquelas desenvolvidas no Programa Trabalho Domstico Cidado. Cobrindo o perodo de 2006 a 2009, a publicao tem o propsito de dar visibilidade aos esforos conjugados de diferentes instituies e oferecer uma reflexo que con-tribua para a formulao de aes futuras, mostrando como o trabalho domstico, a partir da contribuio do Programa Trabalho Domstico Cidado, tornou-se uma questo pbli-ca e institucionalizada na ao do Estado brasileiro e demais atores sociais,

Resultado, portanto, da preocupao deste governo com o de-vido reconhecimento da importncia do trabalho domstico no desenvolvimento econmico e social do Pas, esta publica-o tem um sentido ainda maior neste ano de 2010, no qual a 99 Reunio da Conferncia Internacional de Trabalho da OIT abordou, como um de seus temas centrais, o trabalho decente para as trabalhadoras domsticas.

Agradecemos o trabalho e o empenho de Judith Karine Ca-valcanti Santos, pesquisadora e consultora da OIT, no levan-tamento, sistematizao das informaes e elaborao das

9

reflexes aqui apresentadas. Este trabalho no teria sido pos-svel sem o acompanhamento e apoio da equipe da Subsecre-taria de Polticas de Aes Afirmativas da SEPPIR, especial-mente da Assessora Cristina Guimares e do Assistente Joo Lima, e da equipe de promoo da igualdade de gnero e raa no mundo do trabalho da OIT-Brasil, constituda por Marcia Vasconcelos, Rafaela Egg e Adalgisa Soares.

Esperamos que o resgate das aes realizadas fornea subs-dios para os avanos necessrios superao das desigual-dades e ao fortalecimento dos direitos das trabalhadoras do-msticas, possibilitando, assim, o exerccio desta importante atividade profissional em condies dignas.

Eli Ferreira de Arajo

Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Polticas de Promoo da Igualdade Racial da Presidncia da Repblica

Las Abramo

Diretora do Escritrio da Organizao Internacional do Trabalho no Brasil

Prlogo

O trabalho domstico uma significativa fonte de ocupao para muitas mulheres no mundo e porta de entrada no mer-cado de trabalho para as mulheres mais pobres. A demanda pelo trabalho domstico remunerado tem crescido em todas as partes do mundo. Mudanas na estrutura familiar e na or-ganizao do trabalho contribuem tremendamente para isso. A entrada massiva das mulheres no mercado de trabalho e a freqente insuficincia ou ausncia de polticas pblicas, programas e aes que promovam a conciliao entre o tra-balho e a vida familiar so aspectos marcantes destas mudan-as. Contribuem ainda para este quadro o envelhecimento da populao e a intensificao da jornada de trabalho nos anos mais recentes.

Apesar de sua contribuio sociedade e economia, o tra-balho domstico subvalorizado e pouco regulamentado, sendo uma das ocupaes que apresenta os maiores dficits de trabalho decente. Em funo de suas caractersticas e de seu entrelaamento com aspectos fundamentais da organi-zao social e das desigualdades de gnero e raa como a diviso sexual do trabalho e a desvalorizao do trabalho

12

reprodutivo o trabalho domstico marcado pela invisibi-lidade, pela subvalorizao e por situaes de precariedade e informalidade. Tudo isso contribui para que esta atividade no seja percebida como uma profisso como todas as ou-tras.

No Brasil, o trabalho domstico realizado primordialmente por mulheres, em sua maioria negras.