Trabalho doméstico

  • Published on
    16-Dec-2014

  • View
    494

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

<ul><li> 1. TRABALHADORDOMSTICOALBERTO EMILIANO DE OLIVEIRA NETOMestre em Direito do Trabalho pela PUC/SPProcurador do Trabalho PRT 9alberto.oliveira@mpt.gov.br@albertoemiliano</li></ul><p> 2. Tutela jurdica A CLT expressamente limita aaplicao da tutela jurdica queapresenta aos trabalhadoresdomsticos, rurais e aquelescontratados pela AdministraoPblica em regime jurdico prprio(CLT, artigo 7). 3. Conceito Aquele que presta servios denatureza contnua e de finalidadeno lucrativa pessoa ou famlia no mbito residencial(Lei n. 5.859/72, artigo 1). 4. Requisitos Continuidade, onerosidade,pessoalidade, subordinao. Atividade no lucrativa Residncia 5. Requisitos Substituio do requisito noeventual, presente no artigo 3 daCLT, pela continuidade com oobjetivo claro de afastar da tutelajurdica os trabalhadoresdiaristas. 6. Diarista TRT-PR-26-04-2011 EMPREGADA DIARISTA -HABITUALIDADE E CONTINUIDADE - VNCULO DEEMPREGO QUE NO SE RECONHECE - O conceito dehabitualidade, previsto no artigo 3 da CLT, no se aplica aoempregado domstico, cuja profisso regulamentada por leiespecfica, que prev a continuidade da prestao de servios,sendo insuficiente a mera habitualidade. Observe-se quecontinuidade e habitualidade no se confundem. Aquela estintimamente ligada prestao de labor dia aps dia,enquanto esta ltima vincula-se necessidade habitual doempregador, que pode no ser diria. 7. Diarista A questo bem esclarecida pelo decreto n 71.885-73, que reconheceu o direito s frias, no seu artigo6, aps cada perodo contnuo de 12 meses. Aeventualidade do trabalho da diarista se caracterizatanto pela ausncia de continuidade como no fato deque a freqncia pode ser alterada no curso darelao (TRT-PR-02126-2010-322-09-00-1-ACO-14458-2011 - 4A. TURMA - Relator: MRCIADOMINGUES). 8. Diarista TRT-PR-28-05-2010 DIARISTA. PRESTAO DESERVIOS EM TRS DIAS POR SEMANA.CONFIGURAO DE VNCULO DE EMPREGO.O artigo 1 da Lei n 5.859/1972 define o empregadodomstico como aquele que presta servios denatureza contnua e de finalidade no lucrativa pessoa ou famlia, no mbito residencial destas. Acontinuidade, portanto, elemento essencial para aconfigurao do vnculo de emprego domstico. 9. Diarista Evidenciado que a prestao de servios ocorreu emtrs dias por semana, pode-se, conformeentendimento da maioria desta 3 Turma, enquadrara trabalhadora no conceito de empregada domsticae reconhecer a existncia de vnculo de emprego.Recurso da reclamante conhecido e provido (TRT-PR-00306-2009-089-09-00-9-ACO-16011-2010 -3A. TURMA - Relator: ALTINO PEDROZO DOSSANTOS - Publicado no DJPR em 28-05-2010). 10. Diarista TRT-PR-16-06-2009 Diarista x EmpregadoDomstico. Um dia fixo semanal. 15 anos. Nose pode considerar eventual a prestao de servios durantequase 15 anos, ainda que em apenas uma vez por semana,notadamente se em dia fixo! Presente est o carter decontinuidade estatudo no Artigo 1 da Lei do EmpregadoDomstico (Lei 5859/72).(TRT-PR-03383-2008-892-09-00-8-ACO-18765-2009 - 2A. TURMA - Relator: MRCIODIONSIO GAPSKI - Publicado no DJPR em 16-06-2009). 11. Diarista TRT-PR-06-02-2009 INEXISTNCIA DECONTINUIDADE NA PRESTAO DE SERVIOS -VNCULO DE EMPREGO DOMSTICO - NOCONFIGURAO - A prestao de servios domsticos porapenas meio perodo, uma ou duas vezes por semana, noconfigura a continuidade na prestao de servios (art. 1 daLei n 5.859/1972) capaz de configurar o vnculo de empregono interregno ora discutido no recurso ordinrio (TRT-PR-04787-2007-069-09-00-5-ACO-03848-2009 - 4A. TURMA -Relator: SRGIO MURILO RODRIGUES LEMOS -Publicado no DJPR em 06-02-2009). 12. Requisitos A ausncia de lucro no servioprestado diz respeito prestaono mbito de residncias cujanatureza no diz respeito aresultados comerciais ouindustriais. 13. Requisitos To somente pessoas fsicaspodero figurar como partes narelao contratual envolvendo otrabalho domstico. 14. Requisitos (...) Assim, no se pode considerar que aprestao de servios da autora nacondio de empregada domstica, medida que laborava no estabelecimentocomercial do reclamado, atendendoclientes e operando o caixa. Sentena quese mantm (TRT-PR-01614-2010-659-09-00-2-ACO-12711-2011 - 4A.TURMA - Relator: SRGIO MURILO RODRIGUES LEMOS - Publicado noDEJT em 19-04-2011). 15. Modalidades Cozinheiro, governanta, bab,lavadeira, faxineiro, vigia, motoristaparticular, jardineiro, acompanhantede idosos, caseiro (stio ou localonde exerce a sua atividade nopossui finalidade lucrativa), entreoutras. 16. Garantias Constitucionais Todos so iguais perante a lei, sem distinode qualquer natureza, garantindo-se aosbrasileiros e aos estrangeiros residentes noPas a inviolabilidade do direito vida, liberdade, igualdade, segurana e propriedade (CF, artigo 5). 17. Garantias Constitucionais So direitos sociais a educao, asade, a alimentao, o trabalho, amoradia, o lazer, a segurana, aprevidncia social, a proteo maternidade e infncia, a assistnciaaos desamparados, na forma destaConstituio (CF, art. 6). 18. Garantias Constitucionais So assegurados categoria dos trabalhadoresdomsticos os direitos previstos nos incisosIV, VI, VIII, XV, XVII, XVIII, XIX, XXI eXXIV, bem como a sua integrao previdncia social (CF, artigo 7, nico). 19. Garantias constitucionais A Conveno n. 189 da OIT (2011)reconhece as condies especficas sobas quais o trabalho domstico executado, bem como a necessidade decomplementao da legislao a fim deque tais trabalhadores possam exercerplenamente seus direitos (pendente deratificao pelo Governo Brasileiro). 20. Garantias constitucionais Pargrafo nico. So assegurados categoriados trabalhadores domsticos os direitosprevistos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X,XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI,XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIIIe, 21. Garantias Constitucionais atendidas as condies estabelecidas em lei eobservada a simplificao do cumprimentodas obrigaes tributrias, principais eacessrias, decorrentes da relao de trabalhoe suas peculiaridades, os previstos nos incisosI, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem comoa sua integrao previdncia social.(Redao dada pela EmendaConstitucional n 72, de 2013). 22. Antes da EC n. 72/13 IV - salrio mnimo; VI - irredutibilidade do salrio, salvo odisposto em conveno ou acordo coletivo; VIII - dcimo terceiro salrio com base naremunerao integral ou no valor daaposentadoria; XV - repouso semanal remunerado,preferencialmente aos domingos; 23. Antes da EC n. 72/13 XVII - gozo de frias anuais remuneradascom, pelo menos, um tero a mais do que osalrio normal; XVIII - licena gestante, sem prejuzo doemprego e do salrio, com a durao de centoe vinte dias; XIX - licena-paternidade, nos termos fixadosem lei; 24. Antes da EC n. 72/13 XXI - aviso prvio proporcional ao tempo deservio, sendo no mnimo de trinta dias, nostermos da lei; XXIV - aposentadoria; integrao previdncia social. 25. EC n. 72/13 VII - garantia de salrio, nunca inferior aomnimo, para os que percebem remuneraovarivel; X - proteo do salrio na forma da lei,constituindo crime sua reteno dolosa; 26. EC n. 72/13 XIII - durao do trabalho normal nosuperior a oito horas dirias e quarenta equatro semanais, facultada a compensao dehorrios e a reduo da jornada, medianteacordo ou conveno coletiva de trabalho; XVI - remunerao do servio extraordinriosuperior, no mnimo, em cinqenta por cento do normal; 27. EC n. 72/13 XXII - reduo dos riscos inerentes aotrabalho, por meio de normas de sade,higiene e segurana; XXVI - reconhecimento das convenes eacordos coletivos de trabalho; XXX - proibio de diferena de salrios, deexerccio de funes e de critrio de admissopor motivo de sexo, idade, cor ou estado civil; 28. EC n. 72/13 XXXI - proibio de qualquer discriminaono tocante a salrio e critrios de admisso dotrabalhador portador de deficincia; XXXIII - proibio de trabalho noturno,perigoso ou insalubre a menores de dezoito ede qualquer trabalho a menores de dezesseisanos, salvo na condio de aprendiz, a partirde quatorze anos; 29. EC n. 72/13 requisitos da lei (...) atendidas as condies estabelecidas emlei e observada a simplificao documprimento das obrigaes tributrias,principais e acessrias, decorrentes da relaode trabalho e suas peculiaridades (...) 30. EC n. 72/13 requisitos da lei I - relao de emprego protegida contradespedida arbitrria ou sem justa causa, nostermos de lei complementar, que preverindenizao compensatria, dentre outrosdireitos; II - seguro-desemprego, em caso dedesemprego involuntrio; 31. EC n. 72/13 requisitos da lei III - fundo de garantia do tempo de servio; IX - remunerao do trabalho noturnosuperior do diurno; XII - salrio-famlia pago em razo dodependente do trabalhador de baixa renda nostermos da lei; 32. EC n. 72/13 requisitos da lei XXV - assistncia gratuita aos filhos edependentes desde o nascimento at 5 (cinco)anos de idade em creches e pr-escolas; XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho,a cargo do empregador, sem excluir aindenizao a que este est obrigado, quandoincorrer em dolo ou culpa; 33. No estendidos V - piso salarial proporcional extenso e complexidade do trabalho; XI - participao nos lucros, ou resultados,desvinculada da remunerao, e,excepcionalmente, participao na gesto daempresa, conforme definido em lei; XIV - jornada de seis horas para o trabalhorealizado em turnos ininterruptos derevezamento, salvo negociao coletiva; 34. No estendidos XX - proteo do mercado de trabalho damulher, mediante incentivos especficos, nostermos da lei; XXIII - adicional de remunerao para asatividades penosas, insalubres ou perigosas,na forma da lei; XXVII - proteo em face da automao, naforma da lei; 35. No estendidos XXIX - ao, quanto aos crditos resultantesdas relaes de trabalho, com prazoprescricional de cinco anos para ostrabalhadores urbanos e rurais, at o limite dedois anos aps a extino do contrato detrabalho; 36. No estendidos XXXII - proibio de distino entre trabalhomanual, tcnico e intelectual ou entre osprofissionais respectivos; XXXIV - igualdade de direitos entre otrabalhador com vnculo empregatciopermanente e o trabalhador avulso 37. Remunerao e o combate discriminao Quanto garantia do salrio mnimo para oscontratos com remunerao varivel, no comum no contrato domstico a inclusosobre a remunerao de gratificaes ouprmios por se tratar de modalidade maisafeta atividade comercial. 38. Remunerao e combate discriminao Princpio da intangibilidade salarial:vedao de descontos ao salrio dotrabalhador pelo empregador. Costume: periodicidade mensal e 5dia til do ms subsequente (CLT,artigo 459). 39. Remunerao e combate discriminao No contrato de trabalho firmado com otrabalhador domstico o legislador vedouexpressamente a realizao de descontos peloempregador no salrio do empregado porfornecimento de alimentao, vesturio,higiene ou moradia (Lei n. 5.859/72, artigo2-A). 40. Remunerao e combate discriminao A isonomia salarial e a vedao discriminao no mercado de trabalho tmcomo fundamentos os princpiosconstitucionais da igualdade e da nodiscriminao (CF, artigos 3, IV, 5, caput). 41. Remunerao e combate discriminao CLT (analogia) - combate a prticasdiscriminatrias no mercado de trabalhofundadas em gnero e o regramento destinado equiparao salarial (CLT, artigos 373-A,460 e 471). 42. Limitao da jornada de trabalho A limitao da jornada de trabalho representamarco divisor de guas a respeito do contratode trabalho firmado com trabalhadordomstico. 8 horas dirias e 44 horas semanais. 43. Limitao da jornada de trabalho A jornada extraordinria tambm serpossvel desde que o empregador proceda adevida remunerao do adicionalconstitucional de 50% em relao ao valor dahora normal. 44. Limitao da jornada de trabalho Sistemas de compensao da jornada poderoser aplicados, necessitando, contudo, deacordo ou conveno coletiva de trabalho aser firmado com o sindicato profissionalrespectivo (vigias, babs e cuidadores deidosos) 45. Limitao da jornada de trabalho O registro da jornada ficar a critrio doempregador, ao passo que a Lei n. 5.859/72no faz meno a respeito. Aplicao analgica da CLT, cujo artigo 74, 2,estabelece a obrigatoriedade do registro tosomente para os empregadores com mais de 10trabalhadores contratados. 46. Limitao da jornada de trabalho Intervalo para descanso e alimentao -matria afeita legislaoinfraconstitucional. A CLT assegura o intervalo entre 1 e 2horas para a jornada diria excedente a 6horas (CLT, artigo 71). 47. Limitao da jornada de trabalho Intervalo para descanso e alimentao matria relacionada sade do trabalhador,cuja tutela, tambm estendida aos domsticos(CF, artigo 7, XXII). 48. Limitao da jornada de trabalho Limites negociao coletiva. Smula 437 TST. II - invlida clusula de acordo ouconveno coletiva de trabalho contemplandoa supresso ou reduo do intervalointrajornada porque este constitui medida dehigiene, sade e segurana do trabalho,garantido por norma de ordem pblica (art. 71da CLT e art. 7, XXII, da CF/1988), infenso negociao coletiva. (...) 49. Limitao da jornada de trabalho Jornada parcial regulada pelo artigo58-A da CLT, cuja aplicao aostrabalhadores domsticos, por hora,no seria possvel. 50. Meio ambiente e tutela do menor A tutela do meio ambiente do trabalho temamplo fundamento constitucional: princpioda dignidade da pessoa humana; funo socialda propriedade; a classificao da sade comodireito social; a reduo dos riscos inerentesao trabalho por meio de normas de sade,higiene e segurana; 51. Meio ambiente e tutela do menor a ordem social fundada no primado dotrabalho; bem como na tutela do meioambiente propriamente dito (CF, artigos 1,III, 5, XXIII, 6, 7, XXII, 170, III, 193 e 225). 52. Meio ambiente e tutela do menor A reduo dos riscos inerentes ao trabalho pormeio de normas de sade, higiene esegurana, inquestionavelmente, passa aintegrar o rol de direitos dos trabalhadoresdomsticos por conta da Emenda Constituion. 72/13. 53. Meio ambiente e tutela do menor O Ministrio do Trabalho e Emprego, at opresente momento, instituiu 36 normasregulamentadoras - NR, cujo contedo dizrespeito a vrios aspectos da segurana emedicina do trabalho. 54. Meio ambiente e tutela do menor Os regulamentos aplicados a grandesindstrias e empreendimentos comerciaisrequerem a devida parcimnia do operador dodireito quando se tratar de contrato detrabalho firmado com trabalhador domstico. 55. Meio ambiente e tutela do menor No que tange vedao do trabalho noturno,perigoso e insalubre aos menores de 18 anos(CF, artigo 7, XXXIII), a OIT conceituatrabalho infantil domstico como atividadesrealizadas por pessoas menores de 18 anosfora de sua famlia nuclear e pelas quaispodem ou no receber alguma remunerao. 56. Meio ambiente e trabalho do menor A Conveno n. 182 da OIT estabelece comoas piores formas de trabalho infantil, a seremdefinidas pela legislao nacional ou pelaautoridade competente, aquelas que, por suanatureza ou pelas circunstncias em que soexecutados, so susceptveis de prejudicar asade, a segurana e a moral da criana(artigos 3, d, e 4, 1). 57. Meio ambiente e tutela do menor O Decreto n. 6.481/08 estabelece a proibiodo trabalho domstico para...</p>

Recommended

View more >