of 41 /41
TREINAMENTO DE PONTE ROLANTE – 8 HORAS SCAlarte – Consultoria, Treinamentos e Serviços TEL:. 21 30122231 ou 995488811 Professor / Instrutor Felipe Travassos Rio De Janeiro - Brasil

treinamento de ponte rolante

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Treinamento para usuarios de ponte rolante

Text of treinamento de ponte rolante

Page 1: treinamento de ponte rolante

TREINAMENTO DE PONTE ROLANTE – 8 HORAS

SCAlarte – Consultoria, Treinamentos e Serviços

TEL:. 21 30122231 ou 995488811

Professor / Instrutor Felipe Travassos

Rio De Janeiro - Brasil

Page 2: treinamento de ponte rolante

TREINAMENTO - Ponte rolante Introdução SCALARTE

Ponte rolante – Equipamento aéreo sobre trilhos, utilizado no transporte e movimentação de cargas e materiais dentro de um espaço físico pré determinado.

Pórticos e Monovias – São sistemas utilizados para possibilitar o içamento e o deslocamento de cargas.

Talhas – Equipamento de elevação de carga, podendo ser manual ou elétrica.

ART – Anotação de Responsabilidade Técnica

Uma máquina de elevação do tipo guindaste de ponte. Os principais equipamentos que fazem parte das máquinas de elevação são os seguintes: guindaste, ponte rolante, elevador e guincho.

No Brasil a norma da ABNT que rege o projeto e a construção de máquinas de elevação é a NBR 8400 - Cálculo de Equipamentos para Elevação e Movimentação de Carga - de 1984.

São necessários os seguintes dados técnicos para o desenvolvimento de um projeto de uma ponte rolante: objetivo do equipamento, classificação dos mecanismos e estruturas conforma a norma NBR 8400, tensão elétrica de alimentação, ambiente de trabalho, sistemas de controle de rotação dos motores elétricos, carga útil, tipo do controle de movimentos, dispositivo de fixação da carga, vão, altura de elevação, velocidades dos movimentos, comprimento do caminho de rolamento, disponibilidade física e dimensional do local de operação do equipamento e intermitência (%) e classe de partida para os motores elétricos, conforme a norma NBR 8400.

Page 3: treinamento de ponte rolante

NR-12 – SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Atualizações D.O.U. Portaria SSST n.º 12, de 06 de junho de 1983 14/06/83 Portaria SSST n.º 13, de 24 de outubro de 1994 26/10/94 Portaria SSST n.º 25, de 28 de janeiro de 1996 05/12/96 Portaria SSST n.º 04, de 28 de janeiro de 1997 04/03/97 Portaria SIT n.º 197, de 17 de dezembro de 2010 24/12/10 (Redação dada pela Portaria SIT n.º 197, de 17/12/10) Princípios Gerais 12.1. Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas,

princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece

requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho nas fases de projeto e de utilização de máquinas e

equipamentos de todos os tipos, e ainda à sua fabricação, importação, comercialização, exposição e cessão a qualquer

título, em todas as atividades econômicas, sem prejuízo da observância do disposto nas demais Normas

Regulamentadoras – NR aprovadas pela Portaria nº 3.214, de 8 de junho de 1978, nas normas técnicas oficiais e, na ausência ou

omissão destas, nas normas internacionais aplicáveis.

Page 4: treinamento de ponte rolante

12.1.1. Entende-se como fase de utilização a construção, transporte, montagem, instalação, ajuste, operação, limpeza,

manutenção, inspeção, desativação e desmonte da máquina ou equipamento.

12.2. As disposições desta Norma referem-se a máquinas e equipamentos novos e usados, exceto nos itens em que

houver menção específica quanto à sua aplicabilidade.

12.3. O empregador deve adotar medidas de proteção para o trabalho em máquinas e equipamentos, capazes de garantir

a saúde e a integridade física dos trabalhadores, e medidas apropriadas sempre que houver pessoas com deficiência

envolvidas direta ou indiretamente no trabalho

12.4. São consideradas medidas de proteção, a ser adotadas nessa ordem de prioridade:

a) medidas de proteção coletiva;

b) medidas administrativas ou de organização do trabalho; e

c) medidas de proteção individual.

Page 5: treinamento de ponte rolante

Sistemas de segurança – NR12 ---- Cuidados 12.38. As zonas de perigo das máquinas e equipamentos devem possuir sistemas de segurança, caracterizados por

proteções fixas, proteções móveis e dispositivos de segurança interligados, que garantam proteção à saúde e à

integridade física dos trabalhadores.

12.38.1. A adoção de sistemas de segurança, em especial nas zonas de operação que apresentem perigo, deve considerar

as características técnicas da máquina e do processo de trabalho e as medidas e alternativas técnicas existentes, de modo

a atingir o nível necessário de segurança previsto nesta Norma.

12.39. Os sistemas de segurança devem ser selecionados e instalados de modo a atender aos seguintes requisitos:

a) ter categoria de segurança conforme prévia análise de riscos prevista nas normas técnicas oficiais vigentes;

b) estar sob a responsabilidade técnica de profissional legalmente habilitado;

c) possuir conformidade técnica com o sistema de comando a que são integrados;

d) instalação de modo que não possam ser neutralizados ou burlados;

e) manterem-se sob vigilância automática, ou seja, monitoramento, de acordo com a categoria de segurança requerida,

exceto para dispositivos de segurança exclusivamente mecânicos; e

f) paralisação dos movimentos perigosos e demais riscos quando ocorrerem falhas ou situações anormais de trabalho.

12.40. Os sistemas de segurança, de acordo com a categoria de segurança requerida, devem exigir rearme, ou reset

manual, após a correção da falha ou situação anormal de trabalho que provocou a paralisação da máquina.

12.41. Para fins de aplicação desta Norma, considera-se proteção o elemento especificamente utilizado para prover

segurança por meio de barreira física, podendo ser:

a) proteção fixa, que deve ser mantida em sua posição de maneira permanente ou por meio de elementos de fixação

que só permitam sua remoção ou abertura com o uso de ferramentas específicas; e

b) proteção móvel, que pode ser aberta sem o uso de ferramentas, geralmente ligada por elementos mecânicos à

estrutura da máquina ou a um elemento fixo próximo, e deve se associar a dispositivos de intertravamento.

Page 6: treinamento de ponte rolante

12.42. Para fins de aplicação desta Norma, consideram-se dispositivos de segurança os componentes que, por si só ou interligados ou associados a proteções, reduzam os riscos de acidentes e de outros agravos à saúde, sendo classificados em: a) comandos elétricos ou interfaces de segurança: dispositivos responsáveis por realizar o

monitoramento, que verificam a interligação, posição e funcionamento de outros dispositivos do sistema e impedem a ocorrência de falha que provoque a perda da função de segurança, como relés de segurança, controladores configuráveis de segurança e controlador lógico programável - CLP de segurança;

b) dispositivos de intertravamento: chaves de segurança eletromecânicas, com ação e ruptura positiva, magnéticas e eletrônicas codificadas, optoeletrônicas, sensores indutivos de segurança e outros dispositivos de segurança que possuem a finalidade de impedir o funcionamento de elementos da máquina sob condições específicas;

c) sensores de segurança: dispositivos detectores de presença mecânicos e não mecânicos, que atuam quando uma pessoa ou parte do seu corpo adentra a zona de perigo de uma máquina ou equipamento, enviando um sinal para interromper ou impedir o início de funções perigosas, como cortinas de luz, detectores de presença optoeletrônicos, laser de múltiplos feixes, barreiras óticas, monitores de área, ou scanners, batentes, tapetes e sensores de posição;

d) válvulas e blocos de segurança ou sistemas pneumáticos e hidráulicos de mesma eficácia;

e) dispositivos mecânicos, como: dispositivos de retenção, limitadores, separadores, empurradores, inibidores,

defletores e retráteis; e

f) dispositivos de validação: dispositivos suplementares de comando operados manualmente, que, quando aplicados de modo permanente, habilitam o dispositivo de acionamento, como chaves seletoras bloqueáveis e dispositivos bloqueáveis.

Page 7: treinamento de ponte rolante

Riscos adicionais – NR 12 12.106. Para fins de aplicação desta Norma, devem ser considerados os seguintes riscos adicionais:

a) substâncias perigosas quaisquer, sejam agentes biológicos ou agentes químicos em estado sólido, líquido ou gasoso,

que apresentem riscos à saúde ou integridade física dos trabalhadores por meio de inalação, ingestão ou contato com

a pele, olhos ou mucosas;

b) radiações ionizantes geradas pelas máquinas e equipamentos ou provenientes de substâncias radiativas por eles

utilizadas, processadas ou produzidas;

c) radiações não ionizantes com potencial de causar danos à saúde ou integridade física dos trabalhadores;

d) vibrações;

e) ruído;

f) calor;

g) combustíveis, inflamáveis, explosivos e substâncias que reagem perigosamente; e

h) superfícies aquecidas acessíveis que apresentem risco de queimaduras causadas pelo contato com a pele.

12.107. Devem ser adotadas medidas de controle dos riscos adicionais provenientes da emissão ou liberação de agentes

químicos, físicos e biológicos pelas máquinas e equipamentos, com prioridade à sua eliminação, redução de sua emissão

ou liberação e redução da exposição dos trabalhadores, nessa ordem.

12.108. As máquinas e equipamentos que utilizem, processem ou produzam combustíveis, inflamáveis, explosivos ou

substâncias que reagem perigosamente devem oferecer medidas de proteção contra sua emissão, liberação, combustão,

explosão e reação acidentais, bem como a ocorrência de incêndio.

Page 8: treinamento de ponte rolante

Objetivos – TREINAMENTO SCALARTE

Sensibilizar os operadores de Ponte Rolante quanto a necessidade de neutralizar ao máximo a possibilidade de provocar acidentes.

Adoção de procedimentos de rotina pautadas pelas normas de segurança.

Cumprimento ao disposto na NR-11 da Port. 3214/78 MTb.

Page 9: treinamento de ponte rolante

Operador Somente pessoas habilitadas, treinadas e aprovadas nos testes

específicos podem ser autorizadas a operar Pontes Rolantes.

Todos os operadores de Pontes Rolantes devem ser submetidos à exames médicos específicos, e só poderão operar tais equipamentos se considerados aptos pelo médico.

Pessoa habilitada e treinada, com conhecimento técnico e funcional do equipamento.

É o responsável direto pela segurança da operação, pessoas e demais bens interligados a ela.

Normas de Segurança para Operadores de Ponte Rolante

As normas constantes deste manual foram preparadas para orientar os operadores de Pontes Rolantes, estabelecendo procedimentos necessários no desenvolvimento de um trabalho correto e seguro.

O seu cumprimento contribuirá para prevenção de acidentes nesta atividade, e é obrigatório para todos os operadores de Pontes Rolantes

Page 10: treinamento de ponte rolante

Lembre-se sempre, segurança é responsabilidade de todos !!!

Responsabilidade Dos Operadores

Aplicar este procedimento e utilizar o manual de operação do equipamento.

CUIDADO – Um ERRO pode ser Fatal

Efetuar a Inspeção Diária, seja visual e/ou funcional, antes de ligar o equipamento e ou durante o funcionamento do equipamento quando necessário, verificando os seguintes itens:

• Cabos, Correntes e Ganchos, como: trincas, sinais de corrosão, fios ou elos partidos, quebrados ou

Trincados / amassamentos / desgastes anormais /Anomalias

• Parte Elétrica, como: estado de conservação das botoeiras de comando, sinalização das botoeiras de comando, fios sem isolamento;

• Freio (tempo de parada, atuação firme e absolutamente segura). Para o freio vertical, seguir orientações do Manual da Ponte. Para o freio horizontal das pontes da Fundição PL2/3, seguir instruções, deste procedimento;

• Travas (funcionamento correto das mesmas);

• Vazamentos.

------ Utilizar os EPI (Equipamentos de Proteção Individual) necessários para exercício da atividade, como:

• Capacete (somente na Fundição de Ferro)

• Luvas

• Óculos

• Protetores Auriculares

• Botinas de Segurança com biqueira de aço ou outro.

Page 11: treinamento de ponte rolante

RESPONSABILIDADES

Engenharia Industrial

Projetar e regularizar instalações de equipamentos de levantamento e movimentação de cargas de acordo com as normas vigentes;

Exigir Memorial de Cálculo e ART junto aos projetos;

Sinalizar os equipamentos com a capacidade máxima de carga do conjunto (Pórtico+talha ou trilho+monovia, etc.)

Da Segurança do Trabalho - Industrial

Treinar e capacitar os operadores para operação de ponte rolante, de acordo com NR-11.

Emitir, controlar e fiscalizar os seguintes documentos:

a) autorização de Operação de Ponte Rolante;

b) cópia dos Certificados.

Do Ambulatório Médico

Realizar exames de saúde ocupacionais necessários para o exercício da atividade.

Da Manutenção

Definir e realizar a manutenção corretiva e preventiva do equipamento, bem como, a periodicidade da manutenção dos itens, como: basculamento, elevação, cabos, trilhos, roldanas e lubrificação dos freios, entre outros;

Tomar as devidas providências, mediante as irregularidades do equipamento, levantadas pelo

Formulário de Inspeção Diária, enviadas pela Chefia / Operadores de ponte rolante e registradas no

SIM – Sistema Informatizado de Manutenção;

Manter atualizado o cadastro e o histórico de manutenção de equipamentos de levantamento e movimentação de cargas no Sistema de Manutenção;

Page 12: treinamento de ponte rolante

Manutenção, inspeção, preparação, ajustes e reparos. NR 12

12.111. As máquinas e equipamentos devem ser submetidos à manutenção preventiva e corretiva, na forma e

periodicidade determinada pelo fabricante, conforme as normas técnicas oficiais nacionais vigentes e, na falta destas, as

normas técnicas internacionais.

12.111.1. As manutenções preventivas com potencial de causar acidentes do trabalho devem ser objeto de planejamento

e gerenciamento efetuado por profissional legalmente habilitado.

12.112. As manutenções preventivas e corretivas devem ser registradas em livro próprio, ficha ou sistema informatizado,

com os seguintes dados:

a) cronograma de manutenção;

b) intervenções realizadas;

c) data da realização de cada intervenção;

d) serviço realizado;

e) peças reparadas ou substituídas;

Page 13: treinamento de ponte rolante
Page 14: treinamento de ponte rolante

ERRO GRAVE – RISCO DE ACIDENTE

Page 15: treinamento de ponte rolante

PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO PONTE ROLANTE – O Equipamento

Page 16: treinamento de ponte rolante

REGRAS GERAIS – OPERAÇÃO - CUIDADO

NÃO PERMITA PESSOAS NA ÁREA EM QUE ESTIVER SENDO MOVIMENTADA A CARGA;USE SEMPRE CALÇOS QUADRADOS PARA APOIAR A CARGA NO PISO;NÃO POSICIONE AS MÃOS / PÉS DEBAIXO DA CARGA;NUNCA SUSPENDA OU DESÇA PESSOAS COM A PONTE;NUNCA ESTIQUE REPENTINAMENTE CABOS OU CORRENTES;É TERMINANTEMENTE PROIBIDO ULTRAPASSAR A CAPACIDADE MÁXIMA DE CARGA ESTABELECIDA NO EQUIPAMENTO;MANTER DISTÂNCIA MÍNIMA DE 2 METROS ENTRE AS CARGAS SUSPENSAS POR PONTES ROLANTES QUE TRABALHEM NO MESMO TRILHO;

EVITAR O ESMAGAMENTO DE CORRENTES / CABOS DE AÇO AO ABAIXAR A CARGA;CUIDADO COM AS CINTAS DE CARGA• ISSO PODE CUSTAR BEM CARO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA.

Comunicar à Chefia das irregularidades levantadas na Inspeção Diária.

Evitar gambiarras – Quebra galhos – Jeitinho

Antes de levantar a carga, verifique sempre se os cabos ou correntes não estão cruzados;

Não forcar correntes e/ou cabos presos ou dobrados;

Não utilizar cintas danificadas

Page 17: treinamento de ponte rolante

CUIDADOS CABOS DE AÇO

Realizar testes periódicos em ganchos, correntes e cabos de aço. Aplicar este procedimento e utilizar o manual de operação do equipamento

Page 18: treinamento de ponte rolante

CABOS DE AÇO

Page 19: treinamento de ponte rolante

REGRAS GERAIS - OPERAÇÃOUSAR PROTETORES PARA OS CABOS QUANDO ESTES SE APOIAREM EM CANTOS VIVOS DA CARGA.

Page 20: treinamento de ponte rolante

ACIDENTE FATAL EM OPERAÇÃO DE DESCARREGAMENTO DE TUBOSO QUE ACONTECEU:

DURANTE ATIVIDADE DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS, EM OPERAÇÃO DE DESCARREGAMENTO E DESFILE DE TUBOS (TRÊS TUBOS DE 8 POLEGADAS, 12 METROS DE COMPRIMENTO E PESO APROXIMADO DE 800 KG CADA) PARA SUBSTITUIÇÃO DE DUTOS EM TUBOVIA, UTILIZANDO DUAS CINTAS, UMA COM CAPACIDADE DE 4000 KG E OUTRA DE 6000 KG, OCORREU O ROMPIMENTO DA CINTA DE MENOR CAPACIDADE, FAZENDO COM QUE OS TUBOS ATINGISSEM O MOTORISTA DA CARRETA EQUIPADA COM GUINDAUTO, QUE FALECEU.

Page 21: treinamento de ponte rolante

Deslocamento de cargas e materiais, no sentido vertical, horizontal e longitudinal. Movimentação de Cargas ------------ cuidado – só pessoa treinada /autorizada

no local

• Isole o Local – sinalize a área de trabalho

• A área deve estar livre para o içamento – local limpo

• Mínimo de dois funcionários no local

• Somente pessoas na área autorizadas e treinadas

• Utilize seus EPI’s recomendados

• Na dúvida pergunte sempre ao amigo

• Aproxime-se da carga

• Avalie peso e demais condições da carga

• Conheça a capacidade da Ponte Rolante

• Selecione o cabo de aço auxiliar de acordo com o tipo de carga e peso.

Verifique ângulo dos cabos. Consulte a tabela de pesos e capacidade dos cabos e fitas sempre

• Fixe a carga adequadamente

• Proceda ao içamento lentamente e com cuidado

• Use velocidade reduzida

• Redobre a atenção ao operar da cabine e/ou controle

• Utilizar aviso sonoro durante movimentação horizontal

Page 22: treinamento de ponte rolante

ACIDENTES NÃO TEM HORA

Page 23: treinamento de ponte rolante

CUIDADO COM O Equipamento . Forçar o Motor pode danificar os Sistemas.

Page 24: treinamento de ponte rolante

Conhecendo melhor o Equipamento

Page 25: treinamento de ponte rolante

Cuidados com os motores

Manutenção – Eletricista ou Mecânico

Page 26: treinamento de ponte rolante

Elevação de Cargas • Certifique-se que há espaço

suficientemente para levantar a carga

• Tome cuidado especial com as instalações aéreas, tais como, tubulações de água, gás, elétricas, etc .

• Observe se a carga está segura, especialmente no caso de peças soltas

• Levante a carga um pouco, se ela inclinar para um dos lados, abaixe-as e acerte o balanceamento;

• Não passe com a carga sobre pessoas e nem permita que elas passem ou permaneçam

sob a carga.

Page 27: treinamento de ponte rolante

EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE LAÇOS ,CABOS E FITAS PARA IÇAMENTO DE CARGAS TODOS DEVEMOS TER CUIDADOS.

Cintas, eslingas, correntes e cabos de aço

Page 28: treinamento de ponte rolante

Operação de controle com Cabine • Ligar a chave geral que está localizada no painel da cabine. • Acionar o botão que aciona os controles da ponte “liga/desliga”. • A alavanca da direita levanta e abaixa o gancho (para cima/ para baixo). • A alavanca do centro move o sentido da ponte rolante (esquerda/direita translado) • A alavanca da esquerda move o carro talha “para frente / para trás.”

Controle com Botoeira (com fio)

• Botão de Emergência (botoeira vermelha) • Movimentar para cima • Movimentar para baixo • Movimentar para direita • Movimentar para esquerda

Controle com Botoeira Via Rádio (sem fio) • Ligar chave Liga/Desliga • Início de operação (Ativar) • Emergência (Desativar se necessário) • Luzes (CUIDADO) • Operação da botoeira movimentos verificar • Pane na botoeira (rádio). • Desligar - usar chave liga desliga, colocar posição desliga Obs. Caso não funcione a botoeira rádio, descer a botoeira com cabo que está fixada sobre

a viga caixão da ponte. Chamar a manutenção/Supervisor/Segurança do Trabalho/Gerência.

Page 29: treinamento de ponte rolante

Manutenção / Prevenção – Atenção - PerigoA manutenção de Pontes Rolantes deve ser executada por profissionais especializados, e antes de qualquer serviço desta natureza o equipamento deve ser desenergizado e instalado sinalização de alerta no quadro de energia e de comando.

11.1.3.1 Especial atenção será dada aos cabos de aço, cordas, correntes, roldanas e ganchos que deverão ser inspecionados, permanentemente, substituindo-se as suas partes defeituosas.

A manutenção preventiva deve visar sempre:

Basculamento / Elevação

Cabos e seus acessórios

Trilhos e Roldanas

Lubrificação geral

Freios

Elétrica / Comandos

Inspeções Diárias

Visuais: Realizadas antes de ligar o equipamento

(cabos, ganchos, cabos auxiliares, fiação, estado da botoeiras, travas, vazamentos, etc...)

Funcionais: Realizadas durante o funcionamento do equipamento (comandos, freios, trepidações, sirenes, etc...)

Comunicar à Chefia das irregularidades levantadas na Inspeção Diária da Ponte Rolante. Paralisar a Operação.

Page 30: treinamento de ponte rolante

Responsabilidades Das Chefias

Treinar seus funcionários para operação na Ponte Rolante

Cumprir e fazer cumprir este procedimento na integra, contribuindo com o programa de Segurança Trabalho e Saúde Ocupacional.

Obs. É estritamente proibida a operação de ponte rolante por pessoas não habilitadas e não autorizadas pela Segurança Industrial.

Dos Operadores

Fazer a inspeção diária no equipamento antes de iniciar a operação

Operar a Ponte Rolante de forma segura evitando manobras bruscas

Não fazer manutenção, gambiarras, mudanças no equipamento

Parar o Equipamento e chamar o supervisor quando houver problemas

Utilizar os EPI’s recomendados pela Segurança do Trabalho. (NR06)

MEDIDAS DISCIPLINARES (NR06)

A não observância desta norma caracteriza ato de indisciplina e/ou insubordinação, passível de aplicação de penas disciplinares, conforme legislação vigente, cabendo à Gerência de Recursos Humanos, juntamente com a Gerência da área envolvida, analisar a ocorrência e determinar a aplicação das medidas disciplinares

Identificação do Operador

Todos os operadores de equipamentos móveis de transporte (guinchos, empilhadeiras, pontes-rolantes) serão identificados por um crachá específico, que deverá constar nome, foto, tipo de equipamento autorizado a operar, prazo de validade, data e assinatura do emitente;

O operador deverá ostentar o seu crachá em local visível para facilitar sua identificação.

Page 31: treinamento de ponte rolante

11.3.2 O material armazenado deverá ser disposto de forma a evitar a obstrução de portas, equipamentos contra

incêndio, saídas de emergências, etc. 11.3.3. Material empilhado deverá ficar afastado das estruturas laterais do

prédio a uma distância de pelo menos 0,50m (cinquenta centímetros). 11.3.4 A disposição da carga não deverá dificultar o trânsito, a iluminação, e o

acesso às saídas de emergência. 11.3.5 O armazenamento deverá obedecer aos requisitos de segurança especiais

a cada tipo de material.

NR 11 - TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAIS

Publicação D.O.U.

Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

Alterações/Atualizações D.O.U.

Portaria SIT n.º 56, de 17 de julho de 2003 06/07/03

Portaria SIT n.º 82, de 01 de junho de 2004 02/06/04

Page 32: treinamento de ponte rolante

ARMAZENAMENTO DE MATERIAL

Page 33: treinamento de ponte rolante

Organização = Segurança no Trabalho = Lucro para todos

Page 34: treinamento de ponte rolante

MEDIDAS DE PROTEÇÃO – APRANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS

Page 35: treinamento de ponte rolante

ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA ÁREA.MEDIDAS DE PROTEÇÃO

Page 36: treinamento de ponte rolante

RESPEITO A SINALIZAÇÃO

Page 37: treinamento de ponte rolante

SINALIZAÇÃO CONVENCIONAL DE PONTES ROLANTES NA OPERAÇÃO

Page 38: treinamento de ponte rolante

SINALIZAÇÃO

Page 39: treinamento de ponte rolante

MODELO - ETIQUETA DE CINTA DE CARGA

Page 40: treinamento de ponte rolante

SUA FAMÍLIA ESPERA POR VOCÊ INTEIRO E COM SAÚDE.TRABALHE COM SEGURANÇA.

Page 41: treinamento de ponte rolante

“QUALQUER UM PODE OPERAR PONTES ROLANTES, MAS SOMENTE OPERADORES TREINADOS CONSEGUE FAZE-LO COM SEGURANÇA”.

Parabéns agora só falta a Aula prática.

Lembre-se a responsabilidade civil e criminal é de todos.