Treino de Estafetas

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Treino de Estafetas

  • PUBLICAO BIMESTRAL JUNHO/JULHO 2006 N1

    Pontos chave a ter em conta

    O momento da transmisso tende a

    focalizar muitas das vezes toda a ateno (e

    o interesse) do atleta, mas este no mais

    do que a consequncia, a parte visvel, do

    bom desenrolar das aces que o

    precederam. Por isso mesmo sobre estas

    aces que deve centrar-se a ateno do

    tcnico, que em funo do tipo de estafetas

    a praticar, dever procurar incutir nos seus

    atletas seguintes factores:

    Para as estafetas por pistas

    A coordenao deve ser perfeita entre a

    partida do receptor e a passagem do

    portador pela marca pr-estabelecida.

    A chegada do portador e o incio do

    movimento do receptor devem realizar-se

    sempre velocidade mxima.

    Os dois companheiros (portador e

    receptor) devem continuar o esforo de

    velocidade de corrida durante a fase de

    transmisso do testemunho.

    O receptor deve evitar a reduo da

    velocidade na fase de colocao do brao.

    O receptor deve colocar o seu brao sem

    oscilao, de forma a permitir uma

    transmisso rpida (mximo dois apoios).

    Para as estafetas " corda"

    O portador no deve apresentar o

    testemunho, esticando o brao sua

    frente, demasiado cedo, pois contribuiria

    para diminuir a sua velocidade final.

    Em funo da velocidade de aproximao

    do seu companheiro, o receptor, deve

    agarrar com fora o testemunho, no incio

    da zona, se a chegada for complicada, ou

    acelerar primeiro um pouco se a

    aproximao do colega ainda for eficaz.

    Princpios Pedaggicos a respeitar

    A maioria das vezes ser preciso dar

    preponderncia aos esforos de tipo

    alctico que, para alm do seu impacto

    psicolgico, sero os mais indicados para

    conseguir, com verdadeiras exigncias de

    aprendizagem (velocidade de corrida

    elevada), os objectivos tcnicos

    propostos.

    Quando pretendermos estabelecer ajustes

    de velocidade ou definio de marcas,

    deve-se trabalhar sistematicamente

    velocidade mxima (fim da corrida do

    portador e incio do movimento do

    receptor) tendo como objectivo de obter

    uma resposta constante dos

    companheiros.

    Ter-se- o cuidado de mudar com

    frequncia os papis para evitar qualquer

    tipo de especializao precoce.

    Quando se realizarem exerccios de

    reaco a um sinal, preciso variar

    constantemente tanto a natureza dos ditos

    sinais como a postura de partida e de

    observao do atleta.

    De igual forma devemos modificar os

    lugares onde se efectuaro as

    transmisses (curvas, linhas rectas, etc.)

    para provocar uma melhor adaptabilidade

    dos companheiros.

    Na mesma lgica, tentaremos no fazer

    trabalhar sempre juntos os mesmos

    companheiros.

    As zonas de transmisso podero sofrer

    variaes de tamanho e inclusive sero

    suprimidas em determinadas situaes de

    aprendizagem (por ex.: estafetas de ida e

    volta entre dois pontos).

    Ao abordar a aprendizagem da tcnica de

    transmisso, devero abordar-se todos os

    estilos de passagem do testemunho (por

    cima, por baixo, com troca ou no de mo,

    etc.), e as tcnicas de todos os tipos de

    estafetas (em linha e por pistas).

    O interesse das corridas de estafetas

    As corridas de estafetas constituem uma

    categoria de provas um pouco parte no

    mundo do atletismo. Com efeito, de entre

    todas as especialidades atlticas, s estas

    conseguem mobilizar to bem as

    capacidades de adaptao e deciso.

    Alm disso, a solidariedade e ajuda mtua

    que se estabelece no seio de uma equipa

    de estafetas, a partilha de respon-

    sabilidades, e a sua passagem de individual

    a colectiva, fazem da corrida de estafetas

    uma actividade de grande riqueza

    educativa.

    Para os atletas elas so quase sempre uma

    grande fonte de motivao, sendo esta a

    fonte do verdadeiro progresso.

    Editorial

    A publicao deste Boletim Atletismo surge

    da inteno de disponibilizar material de

    apoio tcnico, e informaes relevantes,

    que possam ser teis para aqueles que

    mais de perto trabalham com os atletas.

    Neste primeiro nmero, quase

    exclusivamente dedicado s corridas de

    estafetas, procura-se no s motivar clubes,

    tcnicos e atletas para participar no

    Campeonato Regional de Estafetas da

    AAVC como a fornecer algum apoio terico

    e uma compilao de exerccios, de fcil

    implementao em termos de treino, que se

    espera poderem vir a ser teis aos clubes e

    tcnicos.

    Pela sua importncia tem tambm

    desataque neste nmero a realizao da

    "Jornada Tcnica 2006" da AAVC, com a

    presena de dois prelectores de nvel

    nacional, Jos Barros e Antnio Graa, para

    abordarem temticas relacionadas com os

    Saltos e o Meio-Fundo. Apela-se

    participao de todos (Tcnicos, Dirigentes

    e Atletas) para que seja possvel tornar

    esta iniciativa proveitosa.

    Rui Costa

    Director Tcnico Regional

  • -XQKR--XQKR-XXOOKKRRQQ

    $VVRF$VVRFLLDomDomRRGHGH$$WOHWOHWWLVPLVPRRGHGH99LDQLDQDDGR&DVWGR&DVWHHOROR

    Entrega por Baixo Quem recebe estende mo para trs ao

    nvel da bacia. o testemunho entregue de forma

    ascendente entre o indicador e o polegar(que devem estar bem afastados) doatleta que recebe. (distncia entre osatletas 2m)

    Vantagens Uma tcnica relativamente segura Permite ganhar terreno

    Desvantagens Obriga a ajeitar o testemunho para

    transmitir

    Entrega por Cima Quem recebe estende a palma da mo,

    virada para cima, para trs na horizontal. O atleta deve entregar o testemunho de

    forma descendente e coloc-lo na palmada mo (que deve estar bem aberta) doatleta que recebe. (2 metros)

    Vantagens A mais usada por equipas experientes O testemunho fica pronto a ser

    transmitido

    Desvantagens Menos segura. Exige mais treino

    Transmisso Visual Quem recebe fica virado para a parte

    interior da pista e colocando a moesquerda no ar.

    Quem entrega coloca o testemunhobem alto na mo direita.

    O atleta receptor pega no testemunhocom a mo esquerda e muda-o logopara a mo direita

    Vantagens Usada nas estafetas longas (4x400 ) Adapta-se melhor velocidade de

    transmisso neste tipo de provas.

    Transmisso alternada(passagem do testemunho sem troca de mo)

    Se o portador levar o testemunho na mo direita a recepodeve ser feita com a mo esquerda, se levarem na esquerdatransmitem para a direita.

    Isto permite: Permite aos corredores correrem lado a lado, desfasados

    do colega e no atrs deles, no perturbando assim acorrida.

    A troca de mo pode perturbar a velocidade da corrida Os corredores nas curvas recebem na mo direita podendo

    assim aproximar-se do limite interior nas curvas Adapta-se melhor velocidade de transmisso neste tipo de

    provas.Procurando ganhar terreno no percurso em curva, correndo pordentro do seu corredor, os atletas devem levar o testemunho nasua mo direita (1 e 3 percurso). Quem corre nas rectas levaassim o testemunho na mo esquerda (2 e 4 percurso).

    Estafeta4x100 m

    Tcnica sem troca de mo

    Distncia mxima corrida pelos atletas Corredor do 1 percurso corre, no mximo, at 110m Corredor do 2 percurso corre, usando zona de balano, at 130m Corredor do 3 percurso corre, usando zona de balano, at 130m Corredor do 4 percurso corre, usando zona de balano, at 120m

    Tcnicas de transmisso do testemunho

    Mtodo de transmisso alternada do testemunho

  • -XQKR--XQKR-XXOOKKRRQQ

    $VVRF$VVRFLLDomDomRRGHGH$$WOHWOHWWLVPLVPRRGHGH99LDQLDQDDGR&DVWGR&DVWHHOROR

    Progresso Pedaggica (2passo)

    INTRODUO DA TRANSMISSO NO VISUAL Em pares, entregar e receber o testemunho,

    primeiro a andar e depois a trote. Introduzir as tcnicas de transmisso por baixo e

    por cima. Repetir o exerccio em grupos de quatro, passando

    o testemunho direita-esquerdaOBJECTIVO: Introduzir a transmisso no visual

    Progresso Pedaggica (3passo)

    TRANSMISSES EM VELOCIDADE PROGRESSIVA

    Trabalho em pares. Passar o testemunho a uma velocidade mdia para

    aumentar a velocidade aos 50-70 m. (2 a 3 transmisses)

    Usar as duas diferentes tcnicas de transmisso -por baixo e por cima.

    OBJECTIVO: Adaptar a tcnica de transmisso a um nvel de velocidademaior.

    Progresso Pedaggica (4passo)

    DEFINIR A MARCA E A POSIO DE PARTIDA

    Colocar a marca e treinar as sadas da posio departida.

    Usar vrias posies de partida (sem contacto como solo e com uma ou duas mos).

    O atleta que entrega aproxima-se a uma velocidadesub-maximal.

    OBJECTIVO: Introduzir a fase de preparao da transmisso no visual.

    Progresso Pedaggica (5passo)

    TESTE E COMPETIO (1) Velocidade do testemunho: Cronometrar o

    tempo que o testemunho leva de A a B.

    (2) Competio em pares: Os pares mais rpidosutilizam as pistas de fora.

    OBJECTIVO: Adaptar a tcnica de transmisso velocidade e condiesda prova.

    (1)(2)

    Progresso Pedaggica (6passo)

    SEQUNCIA COMPLETA Equipas de quatro atletas em pistas separadas

    com e sem adversrios. Usar distncias diferentes (4x 50m ou 4x 75m) e

    velocidades diferentes.OBJECTIVO: Praticar a sequncia completa em diferentes condies.

    Progresso Pedaggica (1passo)

    INTRODUO DA TRANSMISSO VISUAL Um grupo corre ao acaso numa rea de 40 m. Um

    testemunho para cada dois atletas. Os atletas devem passar o testemunho pela frente,

    pelo lado e por trs Trabalhando em pares devem praticar a

    transmisso visual