Tribunal de Contas .Tribunal de Contas – 6 – 001 ─ «em virtude do cancelamento do concurso

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Tribunal de Contas .Tribunal de Contas – 6 – 001...

  • Tribunal de Contas

    Mod.

    TC

    1

    99

    9.0

    01

    Acrdo n. 12 /2015-14. ABR-1.S/PL

    Recurso n. RO n. 02/2015-SRATC

    Processo n 55/2014

    Relator: Conselheiro Jos Mouraz Lopes

    Acordam os Juzes do Tribunal de Contas, em plenrio da 1. Seco:

    I RELATRIO

    1. Atlnticoline, SA, interps recurso ordinrio, para o Plenrio da 1 Seco, da

    Deciso n. 1 de 2015, que recusou o visto ao contrato de fretamento de um

    navio destinado a realizar o servio de transporte martimo de passageiros e

    viaturas entre as ilhas da Regio Autnoma dos Aores, celebrado entre a

    recorrente e a Hellenic Shipping- Transportes Martimos. Lda, com base na

    alnea c) do n 3 do artigo 44 da LOPTC.

    2. A recorrente, nas suas alegaes, apresentou as seguintes concluses:

    1. O presente recurso tem por objeto a deciso da Seco Regional do Tribunal de Contas,

    datada de 13 de janeiro de 2015, que decidiu recusar o visto ao Contrato de Fretamento

    de um navio destinado a realizar o servio de transporte martimo de passageiros e

    viaturas entre as ilhas da Regio Autnoma dos Aores, nas operaes comerciais dos

    anos de 2015 e 2016, com eventual prorrogao para a operao comercial do ano de

    2017, celebrado com a sociedade Hellenic Shipping Transportes Martimos, Lda,

    nos termos das alneas a) e c) do n. 3 do artigo 44. da LOPTC, uma vez o contrato

  • Tribunal de Contas

    2

    Mod.

    TC

    1

    99

    9.0

    01

    submetido a fiscalizao prvia foi celebrado na sequncia da realizao de um ajuste

    direto, escolhido com fundamento na alnea a) do n. 1 do artigo 27. do CCP.

    2. A questo central (uma vez que todos as outras questes esto dependentes e sero

    consequncias diretas daquela) ser aferio se entre o contrato de fretamento inicial,

    celebrado em 24-01-2013 e o contrato celebrado em 02-12-2014, existe conformidade

    com um projeto de base comum ou no, no sentido previsto no artigo 27., n. 1, alnea

    a) do Cdigo dos Contratos Pblicos.

    3. A deciso recorrida ao entender que no existe um projeto base comum, nem se v que

    tal se pudesse conceber, pois em conformidade com o disposto na alnea a) do artigo

    1. das Instrues para elaborao de projetos de obras, aprovas pela Portaria n. 701-

    H/2008, de 29 de julho, o projeto base, o documento a elaborar pelo Projetista,

    correspondente ao desenvolvimento do Estudo prvio aprovado pelo Dono da Obra,

    destinado a estabelecer em definitivo, as bases a que deve obedecer a continuao do

    estudo, sob a forma de Projeto de execuo violou o disposto no artigo 27., n. 1, alnea

    a) do Cdigo dos Contratos Pblicos.

    4. Tal entendimento da deciso recorrida contraria a prpria natureza das coisas ao exigir

    formalismos e documentos que so prprios e exclusivos de contratos de empreitadas de

    obras pblicas para contratos de prestaes/aquisies de servios.

    5. O legislador clara e expressamente possibilita que haja, a par, da repetio de novas

    obras, repetio de novos servios, pela confrontao do artigo 24. com o artigo 27.

    do CCP

    6. Obviamente, apesar de historicamente tal regime de repetio ter surgido no mbito das

    empreitadas das obras pblicas, hoje em dia, a possibilidade de repetio foi

    expressamente alargada tambm s prestaes de servios; o que implica, de uma forma

    lgica e coerente, fazer as respetivas adaptaes nas densificaes tcnico-jurdicas do

    regime das empreitadas para o regime de prestao/aquisio de servios.

    7. Assim, no mbito do artigo 27., n. 1, alnea a) quando o legislador exige projeto base

    comum tal no pode nunca consubstanciar a apresentao de projetos de cariz tcnica

    arquitetnica e/ou engenharia civil, elaboradores por projetistas (arquitetos ou

    engenheiros), sob pena de caducidade da norma por ser impossvel a sua previso e

    verificao na realidade dos factos.

    8. A deciso recorrida ao chamar colao as Instrues para elaborao de projetos de

    obras, aprovas pela Portaria n. 701-H/2008, de 29 de julho est a exigir procedimentos

    e documentos que dizem respeito a procedimentos de obras pblicas, que naturalmente

  • Tribunal de Contas

    3

    Mod.

    TC

    1

    99

    9.0

    01

    no pode ser utilizados, nem aplicados, diretamente nos processos de prestaes de

    servios, pois tal viola a diferente natureza das aquisies de servios em causa.

    9. Como projeto base comum, a que alude o n. 1, alnea a) do artigo 27. do Cdigo dos

    Contratos Pblicos, dever ser entendido, neste contrato de prestao de servios, a

    prestao pela Atlnticoline do servio pblico de transporte martimo de passageiros e

    viaturas em todo o arquiplago dos Aores, com recurso ao fretamento de navios a

    tempo. Ou seja, exatamente a satisfao das mesmas necessidades pblicas garantir

    servio de transporte, com recurso s mesmas solues tcnicas e jurdica fretamento de

    navios a tempo.

    3. O Ministrio Pblico emitiu parecer concluindo pela improcedncia do recurso

    porquanto no se vislumbra a existncia de um projeto debase comum, que

    implica uma pluralidade de necessidades satisfeitas com recurso a uma

    pluralidade de contratos.

    II FUNDAMENTAO

    4. A matria de facto em causa dada como assente e que consta da deciso

    recorrida a seguinte:

    a) Em 23-02-2010 foi celebrado, entre a Regio Autnoma dos Aores, o Fundo

    Regional de Apoio Coeso e ao Desenvolvimento Econmico e a Atlnticoline,

    S.A., o Contrato de Gesto de Servios de Interesse Econmico Geral relativo

    construo e explorao de navios de transporte de veculos e passageiros entre

    as ilhas do arquiplago dos Aores, pelo perodo mximo de 10 anos a contar de

    08-11-20051, nos termos do qual compete Atlnticoline, S.A., designadamente,

    Garantir a qualidade, continuidade e regularidade do servio pblico de

    transporte martimo de veculos e passageiros entre as ilhas do arquiplago dos

    Aores (alnea d) do n. 1 da clusula 1. e clusula 7.);

    1 Em 06-02-2014 foi alterado o n. 2 da clusula 7. do contrato, passando este a vigorar pelo perodo

    mximo de 12 anos a contar de 8 de novembro de 2005.

  • Tribunal de Contas

    4

    Mod.

    TC

    1

    99

    9.0

    01

    b) Em 18-07-2012, o Conselho de Administrao da Atlnticoline, S.A., deliberou

    iniciar os procedimentos pr-contratuais para a adjudicao do

    FRETAMENTO DE NAVIOS DESTINADOS OPERAO DE

    PASSAGEIROS 2013 E 2014, nos termos do artigo 36. do Cdigo dos

    Contratos Pblicos, escolhendo o Concurso Pblico, com publicao no Jornal

    Oficial das Comunidades (), para o perodo de dois anos e eventual

    prorrogao por mais um;

    c) De acordo com o programa do concurso, este tem por objeto a escolha da

    proposta que servir de base outorga de dois contratos de fretamento a tempo,

    de longa durao, de dois navios, sendo um de tipo RO-RO PAX FERRY e

    outro do tipo HSC RO-RO PAX FERRY, sendo a adjudicao feita por lotes,

    correspondendo cada lote a um contrato de fretamento por cada navio (artigos

    1. e 5.);

    d) O artigo 21. do programa do concurso tem o seguinte teor:

    Artigo 21.

    Novos servios

    Nos termos e para os efeitos do disposto na subalnea iv) da alnea a) do n. 1

    do artigo 27. do Cdigo dos Contratos Pblicos, desde j se indica a

    possibilidade de adoo de um ajuste direto para a celebrao de um futuro

    contrato de aquisio de novos servios que consistam na repetio de servios

    similares objeto do presente concurso pblico.

    e) O aviso de abertura do concurso foi publicado no Dirio da Repblica, em

    06-08-2012, e no Jornal Oficial da Unio Europeia, em 11-08-2012;

    f) Em 03-12-2012, o Conselho de Administrao da Atlnticoline, S.A., deliberou

    adjudicar o fretamento do navio tipo RO-RO PAX FERRY2 (Lote A) ao

    concorrente Hellenic Seaways Maritime, S.A., nico opositor ao concurso;

    g) Em 24-01-2013 foi celebrado, entre a a Atlnticoline, S.A. e a Hellenic Seaways

    Maritime, S.A., o contrato de fretamento de um navio destinado a realizar o

    servio de transporte martimo de passageiros e viaturas entre as ilhas da Regio

    2 Navio Express Santorini.

  • Tribunal de Contas

    5

    Mod.

    TC

    1

    99

    9.0

    01

    Autnoma dos Aores, nas operaes comerciais dos anos 2013 e 2014, com

    eventual prorrogao para a operao comercial do ano de 20153, pelo preo de

    5 300 000,00 euros, e com o prazo de 24 meses, eventualmente prorrogvel por

    mais 12 meses, pelo preo de 2 500 000,00 euros;

    h) Em 01-07-2014 foi celebrado, entre a Atlnticoline, S.A., a Hellenic Seaways

    Maritime, S.A., e a Hellenic Shipping Transportes Martimos, L.da, o 1.

    adicional ao contrato celebrado em 24 de janeiro de 2013 (fretamento de navio

    destinado operao de passageiros 2013 e 2014 Navio A), atravs do qual a

    Hellenic Seaways Maritime, S.A., cede a sua posio contratual Hellenic

    Shipping Transportes Martimos, L.da, com efeitos a 04-07-20144;

    i) Em 20-10-2014, o Conselho de Administrao da Atlnticoline, S.A. deliberou:

    iniciar os procedimentos pr-contratuais para a adjudicao do

    FRETAMENTO DE NAVIO DESTINADO OPERAO DE

    PASSAGEIROS 2015 E 2016, nos termos do artigo 36. do Cdigo dos

    Contratos Pblicos;

    Escolher o ajuste direto como procedimento pr-contratual, com fundamento

    na subalnea iv) da al