of 12/12
1 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES O DESEMBARGADOR ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS, presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, tendo em vista o contrato celebrado com a Fundação Carlos Chagas, faz saber que fará realizar, em locais, datas e horários a serem oportunamente divulgados, Concurso Público para provimento de cargos pertencentes ao Quadro de Pessoal do Tribunal, o qual reger-se-á de acordo com as Instruções Especiais, que ficam fazendo parte integrante deste Edital. INSTRUÇÕES ESPECIAIS INSTRUÇÕES ESPECIAIS INSTRUÇÕES ESPECIAIS INSTRUÇÕES ESPECIAIS I. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1. O Concurso Público realizar-se-á sob a responsabilidade da Fundação Carlos Chagas, obedecidas as normas deste Edital. 2. O Concurso destina-se ao provimento de 45 (quarenta e cinco) cargos de Técnico Judiciário, ensino médio (antigo 2º grau), e 21 (vinte e um) cargos de Analista Judiciário, ensino superior, criados pela Lei nº 11.202/2005, com especificidades descritas pela Resolução n° 08/2006, do Egrégio Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, e mais 05 (cinco) cargos de Técnico Judiciário, ensino médio (antigo 2º grau), e 02 (dois) cargos de Analista Judiciário, ensino superior, oriundos dos cargos atualmente vagos da Secretaria do TRE/PB, de acordo com o Processo Administrativo nº 2438/2006, distribuídos conforme tabela constante do item 3 deste Capítulo, dos que vierem a vagar ou forem criados dentro do prazo de validade previsto neste Edital, e, ainda, à criação de cadastro reserva. 2.1 As vagas constantes do item 3 deste Capítulo, poderão ser alteradas a qualquer tempo em decorrência de concursos de remoção realizados no âmbito da Justiça Eleitoral. 3. Os cargos, os códigos de opção, a escolaridade/pré-requisitos, a remuneração inicial e as vagas são os estabelecidos a seguir: Ensino Superior Completo Carreira Nº DE VAGAS Carreira/ Cargo Área de Atividade Especialidade Código de Opção Escolaridade/Pré-requisitos (a serem comprovados no ato da posse) Remuneração Inicial**** (vencimento + GAJ) (R$) Total** Portadores de Deficiência*** Judiciária Direito A01 Curso superior completo em Direito, devidamente reconhecido. 6.551,52 6 1 Administrativa Dispensada a Especialidade B02 Curso superior completo, devidamente reconhecido, observado, quanto ao magistério, a licenciatura plena. 6.551,52 5 1 Administrativa Contabilidade C03 Curso superior completo em Ciências Contábeis, devidamente reconhecido e Registro no Conselho Regional de Contabilidade. 6.551,52 1 0 Apoio Especializado Enfermagem D04 Curso superior completo em Enfermagem, devidamente reconhecido e Registro no Conselho Regional de Enfermagem. 6.551,52 Cadastro Reserva* 0 Apoio Especializado Analista de Sistemas E05 Curso superior completo na área de Informática, devidamente reconhecido, não sendo aceito grau de Licenciatura. 6.551,52 4 1 Apoio Especializado Biblioteconomia F06 Curso superior completo em Biblioteconomia, devidamente reconhecido e registro no Conselho Regional de Biblioteconomia. 6.551,52 1 0 Apoio Especializado Médico do Trabalho G07 Curso superior completo em Mecicina, devidamente reconhecido e Registro no Conselho Regional de Medicina e especialização em Medicina do Trabalho. 6.551,52 1 0 Apoio Especializado Odontologia H08 Curso superior completo em Odontologia, devidamente reconhecido e Registro no Conselho Regional de Odontologia. 6.551,52 1 0 Apoio Especializado Fisioterapia I09 Curso superior completo em Fisioterapia, devidamente reconhecido e Registro no Conselho Regional de Fisioterapia. 6.551,52 1 0 Apoio Especializado Psicologia J10 Curso superior completo em Psicologia, devidamente reconhecido e Registro no Conselho Regional de Psicologia. 6.551,52 1 0 Apoio Especializado Engenharia Civil K11 Curso superior completo em Engenharia Civil, devidamente reconhecido e Registro no CREA. 6.551,52 1 0 Analista Judiciário Apoio Especializado Arquivologia L12 Curso superior completo em Arquivologia, devidamente reconhecido. 6.551,52 1 0 Legenda: * Cadastro Reserva: vagas que surgirem ou forem criadas no prazo de validade do Concurso. ** Total de Vagas (incluindo-se a reserva para Candidatos Portadores de Deficiência). *** Reserva de Vagas para Candidatos Portadores de Deficiência, em atendimento ao Decreto Federal nº 3.298/99. **** Observada a aplicação da Lei n° 11.416/06. Fundação Carlos Chagas

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA CONCURSO

  • View
    221

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA CONCURSO

  • 1

    TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARABATRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARABATRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARABATRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARABA

    CONCURSO PBLICOCONCURSO PBLICOCONCURSO PBLICOCONCURSO PBLICO

    EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIESEDITAL DE ABERTURA DE INSCRIESEDITAL DE ABERTURA DE INSCRIESEDITAL DE ABERTURA DE INSCRIES

    O DESEMBARGADOR ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS, presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraba, tendo

    em vista o contrato celebrado com a Fundao Carlos Chagas, faz saber que far realizar, em locais, datas e horrios a serem

    oportunamente divulgados, Concurso Pblico para provimento de cargos pertencentes ao Quadro de Pessoal do Tribunal, o

    qual reger-se- de acordo com as Instrues Especiais, que ficam fazendo parte integrante deste Edital.

    INSTRUES ESPECIAISINSTRUES ESPECIAISINSTRUES ESPECIAISINSTRUES ESPECIAIS

    I. DAS DISPOSIES PRELIMINARES

    1. O Concurso Pblico realizar-se- sob a responsabilidade da Fundao Carlos Chagas, obedecidas as normas deste Edital.2. O Concurso destina-se ao provimento de 45 (quarenta e cinco) cargos de Tcnico Judicirio, ensino mdio (antigo 2 grau), e 21 (vinte e um) cargos de Analista Judicirio, ensino superior,

    criados pela Lei n 11.202/2005, com especificidades descritas pela Resoluo n 08/2006, do Egrgio Tribunal Regional Eleitoral da Paraba, e mais 05 (cinco) cargos de Tcnico Judicirio,ensino mdio (antigo 2 grau), e 02 (dois) cargos de Analista Judicirio, ensino superior, oriundos dos cargos atualmente vagos da Secretaria do TRE/PB, de acordo com o ProcessoAdministrativo n 2438/2006, distribudos conforme tabela constante do item 3 deste Captulo, dos que vierem a vagar ou forem criados dentro do prazo de validade previsto neste Edital, e, ainda, criao de cadastro reserva.2.1 As vagas constantes do item 3 deste Captulo, podero ser alteradas a qualquer tempo em decorrncia de concursos de remoo realizados no mbito da Justia Eleitoral.

    3. Os cargos, os cdigos de opo, a escolaridade/pr-requisitos, a remunerao inicial e as vagas so os estabelecidos a seguir:

    Ensino Superior Completo

    Carreira N DE VAGAS

    Carreira/Cargo

    rea deAtividade

    Especialidade

    Cdigo deOpo

    Escolaridade/Pr-requisitos(a serem comprovados no ato da posse)

    Remunerao Inicial****(vencimento + GAJ)

    (R$) Total**Portadores deDeficincia***

    Judiciria Direito A01Curso superior completo em Direito, devidamentereconhecido.

    6.551,52 6 1

    AdministrativaDispensada aEspecialidade

    B02Curso superior completo, devidamentereconhecido, observado, quanto ao magistrio, alicenciatura plena.

    6.551,52 5 1

    Administrativa Contabilidade C03Curso superior completo em Cincias Contbeis,devidamente reconhecido e Registro no ConselhoRegional de Contabilidade.

    6.551,52 1 0

    ApoioEspecializado

    Enfermagem D04Curso superior completo em Enfermagem,devidamente reconhecido e Registro no ConselhoRegional de Enfermagem.

    6.551,52CadastroReserva*

    0

    ApoioEspecializado

    Analista deSistemas

    E05Curso superior completo na rea de Informtica,devidamente reconhecido, no sendo aceito graude Licenciatura.

    6.551,52 4 1

    ApoioEspecializado

    Biblioteconomia F06Curso superior completo em Biblioteconomia,devidamente reconhecido e registro no ConselhoRegional de Biblioteconomia.

    6.551,52 1 0

    ApoioEspecializado

    Mdico doTrabalho

    G07Curso superior completo em Mecicina, devidamentereconhecido e Registro no Conselho Regional deMedicina e especializao em Medicina do Trabalho.

    6.551,52 1 0

    ApoioEspecializado

    Odontologia H08Curso superior completo em Odontologia, devidamentereconhecido e Registro no Conselho Regional deOdontologia.

    6.551,52 1 0

    ApoioEspecializado

    Fisioterapia I09Curso superior completo em Fisioterapia, devidamentereconhecido e Registro no Conselho Regional deFisioterapia.

    6.551,52 1 0

    ApoioEspecializado

    Psicologia J10Curso superior completo em Psicologia, devidamentereconhecido e Registro no Conselho Regional dePsicologia.

    6.551,52 1 0

    ApoioEspecializado

    Engenharia Civil K11Curso superior completo em Engenharia Civil,devidamente reconhecido e Registro no CREA.

    6.551,52 1 0

    AnalistaJudicirio

    ApoioEspecializado

    Arquivologia L12Curso superior completo em Arquivologia,devidamente reconhecido.

    6.551,52 1 0

    Legenda:

    * Cadastro Reserva: vagas que surgirem ou forem criadas no prazo de validade do Concurso.

    ** Total de Vagas (incluindo-se a reserva para Candidatos Portadores de Deficincia).

    *** Reserva de Vagas para Candidatos Portadores de Deficincia, em atendimento ao Decreto Federal n 3.298/99.

    **** Observada a aplicao da Lei n 11.416/06.

    FundaoCarlos Chagas

  • 2

    Ensino Mdio (antigo 2 Grau) Completo

    Carreira N DE VAGAS

    Carreira/Cargo

    rea deAtividade

    Especialidade

    Cdigo deOpo

    Escolaridade/Pr-requisitos

    (a serem comprovados no ato da posse)

    Remunerao Inicial***(vencimento + GAJ)

    (R$) Total*Portadores deDeficincia**

    AdministrativaDispensada aEspecialidade

    M13Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente devidamente reconhecido.

    3.993,09 19 1

    Administrativa Contabilidade N14Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emContabilidade, ambos devidamente reconhecidos.

    3.993,09 6 1

    ApoioEspecializado

    Eletrnica P15Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ou equivalente ecurso de formao em Tcnico em Eletrnica, ambosdevidamente reconhecidos.

    3.993,09 2 1

    ApoioEspecializado

    Rede deComputadores

    Q16

    Ensino mdio completo (antigo 2 grau), ou cursotcnico equivalente, ambos devidamentereconhecidos, acrescidos de cursos de informticaou disciplinas equivalentes, totalizando, no mnimo,180 horas/aula, devidamente comprovadas.

    3.993,09 2 1

    ApoioEspecializado

    Programador deSistemas

    R17

    Ensino mdio completo (antigo 2 grau), ou cursotcnico equivalente, ambos devidamentereconhecidos, acrescidos de cursos deprogramao de sistemas ou disciplinasequivalentes, totalizando, no mnimo, 180horas/aula, devidamente comprovadas.

    3.993,09 4 1

    ApoioEspecializado

    Taquigrafia S18Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emTaquigrafia, ambos devidamente reconhecidos.

    3.993,09 2 1

    ApoioEspecializado

    Higiene Dental T19Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emHigiene Dental, ambos devidamente reconhecidos.

    3.993,09 2 1

    ApoioEspecializado

    Enfermagem U20

    Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emEnfermagem, devidamente reconhecidos e Registrono Conselho Regional de Enfermagem.

    3.993,09 1 0

    ApoioEspecializado

    Operador deComputador

    W21

    Ensino mdico completo (antigo 2 grau), ou cursotcnico equivalente, ambos devidamentereconhecidos, acrescidos de cursos de informticaou disciplinas equivalentes, totalizando, no mnimo,120 horas/aula, devidamente comprovadas.

    3.993,09 7 1

    rea ServiosGerais

    Eletricidade eTelecomunicaes

    X22

    Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emEletricidade e telecomunicaes, ambosdevidamente reconhecidos.

    3.993,09 2 1

    rea ServiosGerais

    Edificaes Y23Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emEdificaes, ambos devidamente reconhecidos.

    3.993,09 2 1

    TcnicoJudicirio

    rea ServiosGerais

    Mecnica Z24Ensino mdio completo (antigo 2 grau) ouequivalente e curso de formao em Tcnico emMecnica, ambos devidamente reconhecidos.

    3.993,09 1 0

    Legenda:

    * Total de Vagas (incluindo-se a reserva para Candidatos Portadores de Deficincia).** Reserva de Vagas para Candidatos Portadores de Deficincia, em atendimento ao Decreto Federal n 3.298/99.*** Observada a aplicao da Lei n 11.416/06.

    4. Os candidatos nomeados estaro subordinados ao Regime Jurdico dos ServidoresPblicos Civis da Unio (Lei n 8.112/90, com as alteraes posteriores) Lei n 8.868/94e Lei n 11.416/06.4.1 A Classe e Padro de Ingresso para todos os cargo A-1.

    5. Os candidatos aos cargos em Concurso ficaro sujeitos carga horria mxima de 40(quarenta) horas semanais, na forma do art. 19 da Lei n 8.112/90, exceto o cargo deAnalista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Odontologia, Fisioterapia ePsicologia, cuja jornada de trabalho de 30 (trinta) horas semanais e Analista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Mdico do Trabalho, que de 20 (vinte) horassemanais.

    6. A descrio das atribuies dos cargos constam no Anexo II deste Edital.7. O contedo programtico consta no Anexo III deste Edital.

    II. DOS REQUISITOS PARA INVESTIDURA NOS CARGOS

    1. O candidato aprovado no concurso de que trata este Edital ser investido no cargo seatender s seguintes exigncias, na data da posse:a) ser brasileiro nato ou naturalizado ou portugus em condio de igualdade de direitos

    com os brasileiros; no caso de ser portugus, comprovar a condio de igualdade egozo dos direitos polticos na forma do art. 12, 1, da Constituio da Repblica;

    b) ter idade mnima de 18 (dezoito) anos;c) gozar dos direitos polticos;d) estar em dia com as obrigaes eleitorais;e) estar em dia com os deveres do Servio Militar, para os candidatos do sexo

    masculino;f) possuir os documentos comprobatrios da escolaridade e pr-requisitos constantes no

    item 3 do Captulo I e os documentos constantes no item 6 do Captulo XII, deste Edital;g) ter aptido fsica e mental para o exerccio das atribuies do cargo;h) no haver sofrido, no exerccio da funo pblica, as penalidades previstas no art.

    137 e seu pargrafo nico, da Lei n 8.112/90;i) no pertencer a diretrio de partido poltico ou exercer qualquer atividade

    partidria (art. 365 do Cdigo Eleitoral);j) possuir bons antecedentes.

    2. O candidato que, na data da posse, no reunir os requisitos enumerados no item 1deste Captulo perder o direito investidura no referido cargo.

    III. DAS INSCRIES

    1. A inscrio do candidato implicar o conhecimento e a tcita aceitao das normas econdies estabelecidas neste Edital, em relao s quais no poder alegardesconhecimento.1.1 Objetivando evitar nus desnecessrio, o candidato dever orientar-se no sentido de

    recolher o valor da inscrio somente aps tomar conhecimento de todos requisitos econdies exigidas para o Concurso.

    2. As inscries ficaro abertas, atravs da Internet, de acordo com o item 4 deste Captulo,no perodo de 08 a 22/02/2007, at s 20h30min (horrio de Braslia), e nas agnciascredenciadas da CAIXA Caixa Econmica Federal, a seguir relacionadas, no perodo de08 a 23/02/2007, em seus respectivos horrios de expediente:JOO PESSOA - PBAg. Cabo Branco - Rua Miguel Couto, 221 - CentroAg. CEFET Jaguaribe - Av. Primeiro de Maio, 720 - JaguaribeAg. Cidade Antiga - Rua Gama e Melo, 126 - VaradouroAg. Cruz das Armas - Av. Cruz das Armas, 516 - Cruz das ArmasAg. Epitcio Pessoa - Av. Presidente Epitcio Pessoa, 1521 - TambauzinhoAg. Manaira Shopping - Rua Flavio R. Coutinho, 805 - ManairaAg. Ministro Jos Amrico - Av. Ministro Jos Amrico de Almeida, 596 - Bairro da TorreAg. Praia de Tamba - Av. Senador Rui Carneiro, 241 - MiramarAg. Trincheiras - Rua das Trincheiras, 91 - Centro

    CAMPINA GRANDE - PBAg. Borborema - Av. Presidente Joo Pessoa, 43 - CentroAg. Campina Grande - Rua Presidente Epitcio Pessoa, 42 - CentroAg. FIEP - Av. Manoel Guimares, 195 - Jos Pinheiro

    PATOS - PBAg. Patos Av. Epitcio Pessoa, 267 - Centro

    SOUSA - PBAg. Sousa - Rua Coronel Jos Gomes de S, s/n - Centro

    3. Para inscrever-se nas agncias da CAIXA credenciadas, o candidato dever, no perododas inscries:

  • 3

    3.1 Apresentar-se nas agncias da CAIXA, relacionadas no item 2 deste Captulo, e:a) solicitar o material de inscrio, que dever ser fornecido gratuitamente,

    contendo o Edital de Abertura de Inscries, Programas e Ficha de Inscrio,referente ao Concurso Pblico;

    b) ler as informaes relativas ao Concurso Pblico, preencher a Ficha deInscrio e assinar o requerimento constante do verso da Ficha de Inscrio;

    c) apresentar-se munido de documento de identidade. So consideradosdocumentos de identidade: Carteiras e/ou Cdulas de Identidade expedidaspelas Secretarias de Segurana, pelas Foras Armadas, pelo Ministrio dasRelaes Exteriores e pela Polcia Militar; Cdula de Identidade paraEstrangeiros; Cdulas de Identidade fornecidas por rgos ou Conselhos deClasse que, por Lei Federal, valem como documento de identidade como, porexemplo, as Carteiras do CREA, OAB, CRC, CRM etc.; Carteira de Trabalho ePrevidncia Social, bem como Carteira Nacional de Habilitao (com fotografiana forma da Lei n 9.503/97);

    d) entregar a Ficha de Inscrio devidamente preenchida e assinada, frente everso;

    e) pagar a importncia indicada a seguir, a ttulo de ressarcimento de despesas commaterial e servios:- Ensino Superior Completo: R$ 67,00 (sessenta e sete reais)

    Para os cargos de: Analista Judicirio - rea Judiciria Especialidade Direito,Analista Judicirio - rea Administrativa (dispensada a especialidade), AnalistaJudicirio - rea Administrativa - Especialidade Contabilidade, AnalistaJudicirio - rea Apoio Especializado - Especialidade Enfermagem, AnalistaJudicirio - rea Apoio Especializado - Especialidade Analista de Sistemas,Analista Judicirio - rea Apoio Especializado - EspecialidadeBiblioteconomia, Analista Judicirio - rea Apoio Especializado -Especialidade Mdico do Trabalho, Analista Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Odontologia, Analista Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Fisioterapia, Analista Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Psicologia, Analista Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Engenharia Civil e Analista Judicirio - reaApoio Especializado - Especialidade Arquivologia.

    - Ensino Mdio Completo: R$ 42,00 (quarenta e dois reais)Para os cargos de: Tcnico Judicirio - rea Administrativa (dispensada aespecialidade), Tcnico Judicirio - rea Administrativa - EspecialidadeContabilidade, Tcnico Judicirio - rea Apoio Especializado - EspecialidadeEletrnica, Tcnico Judicirio - rea Apoio Especializado - EspecialidadeRede de Computadores, Tcnico Judicirio - rea Apoio Especializado -Especialidade Programador de Sistemas, Tcnico Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Taquigrafia, Tcnico Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Higiene Dental, Tcnico Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Enfermagem, Tcnico Judicirio - rea ApoioEspecializado - Especialidade Operador de Computador, Tcnico Judicirio -rea Servios Gerais - Especialidade Eletricidade e Telecomunicaes,Tcnico Judicirio - rea Servios Gerais - Especialidade Edificaes eTcnico Judicirio - rea Servios Gerais - Especialidade Mecnica.

    3.1.1 A Ficha de Inscrio ser retida pela CAIXA aps sua autenticao.3.2 No valor da inscrio esto includas as despesas da CAIXA relativas inscrio.3.3 O pagamento do valor da inscrio poder ser efetuado em dinheiro ou cheque do prprio

    candidato. Os pagamentos efetuados em cheque somente sero considerados quitadosaps a respectiva compensao.3.3.1 Em caso de devoluo do cheque, qualquer que seja o motivo, considerar-se-

    automaticamente sem efeito a inscrio.3.4 Ser permitida a inscrio por procurao nas agncias da CAIXA, mediante entrega

    do original da mesma, acompanhada de cpia autenticada do documento deidentidade do candidato e apresentao da identidade do procurador.3.4.1 Dever ser apresentada uma procurao para cada candidato, que ficar retida.3.4.2 Na procurao particular no h necessidade de reconhecimento de firma.

    3.5 O candidato ou seu procurador responsvel pelas informaes prestadas na Ficha deInscrio, arcando o candidato com as conseqncias de eventuais erros nopreenchimento daquele documento.

    4. Para inscrever-se via Internet, o candidato dever acessar o endereo eletrnicowww.concursosfcc.com.br durante o perodo das inscries e, atravs dos links referentesao Concurso Pblico, efetuar sua inscrio, conforme os procedimentos estabelecidosabaixo:4.1 Ler e aceitar o Requerimento de Inscrio, preencher o Formulrio de Inscrio e

    transmitir os dados pela Internet.4.2 Efetuar o pagamento da importncia referente inscrio, a ttulo de ressarcimento

    de despesas com material e servios, da Internet e bancrias, de acordo com asinstrues constantes no endereo eletrnico, at a data limite para encerramentodas inscries, 23/02/2007, no valor correspondente opo de cargo, conformeestabelecido no item 3.1, letra e.

    4.3 Em caso de feriado ou evento que acarrete o fechamento de agncias bancrias nalocalidade em que se encontra o candidato, o boleto dever ser pagoantecipadamente.

    4.4 O candidato que realizar sua inscrio via Internet poder efetuar o pagamento dovalor da inscrio por boleto bancrio, pagvel em qualquer banco.4.4.1 O boleto bancrio, disponvel no endereo eletrnico

    www.concursosfcc.com.br, dever ser impresso para o pagamento do valor dainscrio, aps a concluso do preenchimento da ficha de solicitao deinscrio on-line.

    4.5 A partir de 02/03/2007, o candidato dever conferir no endereo eletrnico daFundao Carlos Chagas se os dados da inscrio efetuada pela Internet foramrecebidos e o valor da inscrio foi pago. Em caso negativo, o candidato deverentrar em contato com o Servio de Atendimento ao Candidato SAC da FundaoCarlos Chagas, (0XX11) 3721-4888, de segunda a sexta-feira, teis, das 9 s 17horas (horrio de Braslia), para verificar o ocorrido.

    4.6 As inscries efetuadas via Internet somente sero confirmadas aps a comprovaodo pagamento do valor da inscrio.

    4.7 As solicitaes de inscrio via Internet, cujos pagamentos forem efetuados aps a data deencerramento das inscries, no sero aceitas.

    4.8 O candidato inscrito via Internet no dever enviar cpia do documento de identidade,sendo de sua exclusiva responsabilidade a informao dos dados cadastrais no ato deinscrio, sob as penas da lei.

    4.9 A Fundao Carlos Chagas e o Tribunal Regional Eleitoral da Paraba no seresponsabilizam por solicitaes de inscries via Internet no recebidas por motivode ordem tcnica dos computadores, falhas de comunicao, congestionamento daslinhas de comunicao, bem como outros fatores de ordem tcnica queimpossibilitem a transferncia de dados.

    4.10 O descumprimento das instrues para inscrio via Internet implicar a noefetivao da inscrio.

    5. Ao inscrever-se, o candidato dever indicar na Ficha de Inscrio ou no Formulrio deInscrio via Internet:5.1 O Cdigo da Opo de Cargo para o qual pretende concorrer, conforme tabela

    constante no item 3 do Captulo I deste Edital, e da barra de opes do Formulrio deInscrio via Internet.

    5.1.1 O candidato que deixar de indicar na Ficha de Inscrio ou no Formulrio deInscrio via Internet o Cdigo da Opo de Cargo ou fizer indicao de cdigoinexistente, ter sua inscrio cancelada.

    5.2 O Cdigo da Opo de Cidade onde deseja realizar a Prova Objetiva/Discursiva -Redao, conforme tabela constante do Anexo I deste Edital, e da barra de opesdo Formulrio de Inscrio via Internet.5.2.1 O candidato que deixar de indicar na Ficha de Inscrio ou no Formulrio de

    Inscrio via Internet o Cdigo da Opo de Cidade de Prova, fizer indicaode cdigo inexistente ou indicar mais de uma opo, ser, automaticamente,designado para realizar as provas na cidade de Joo Pessoa - PB.

    6. Ao inscrever-se no concurso, recomendado ao candidato observar atentamente asinformaes sobre a aplicao das provas (Captulo VI, itens 1 e 2) uma vez que s poderconcorrer a um cargo por nvel de escolaridade exigido.6.1 O candidato que efetivar mais de uma inscrio por nvel de escolaridade exigido,

    ter a(s) primeira(s) inscrio(es) cancelada(s). No sendo possvel identificar a(s)primeira(s) inscrio(es) efetivada(s) todas sero canceladas.

    7. O candidato que tiver interesse em concorrer com duas inscries, desde que observado odisposto no item 6 deste Captulo, dever, obrigatoriamente, indicar a mesma cidade deprova para as duas opes.7.1 O candidato que efetuar duas inscries e que no atender ao disposto no item 7

    ter as duas inscries canceladas.8. As informaes prestadas na Ficha de Inscrio/Formulrio de Inscrio via Internet sero

    de inteira responsabilidade do candidato, reservando-se o Tribunal Regional Eleitoral daParaba e a Fundao Carlos Chagas o direito de excluir do Concurso Pblico aquele queno preencher esse documento oficial de forma completa, correta e legvel e/ou fornecerdados inverdicos ou falsos.

    9. Efetivada a inscrio, no sero aceitos pedidos para alterao de Opo de Cargo e/ou deCidade de Realizao da Prova Objetiva/Discursiva - Redao, bem como no haverdevoluo da importncia paga em hiptese alguma.9.1 No sero aceitos pedidos de iseno de pagamento do valor da inscrio.

    10. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraba e a Fundao Carlos Chagas eximem-se dasdespesas com viagens e estada dos candidatos para prestar as provas do Concurso.

    11. No sero aceitas inscries por depsito em caixa eletrnico, via postal, fac-smile (fax),transferncia ou depsito em conta corrente, DOC, ordem de pagamento, condicionais e/ouextemporneas ou por qualquer outra via que no as especificadas neste Edital.

    12. No sero aceitas as solicitaes de inscrio que no atenderem rigorosamente aoestabelecido neste Edital.

    13. O candidato no portador de deficincia que necessitar de condio especial para realizao daprova dever solicit-la at o trmino das inscries, via Sedex ou Aviso de Recebimento (AR), Fundao Carlos Chagas (Ncleo de Execuo de Projetos Ref.: Solicitao TRE/PB Av.Prof. Francisco Morato, 1565, Jardim Guedala So Paulo SP CEP 05513-900).13.1 O candidato que no o fizer at o trmino das inscries seja qual for o motivo

    alegado, poder no ter a condio atendida.13.2 O atendimento s condies solicitadas ficar sujeito anlise de viabilidade e

    razoabilidade do pedido.14. A candidata que tiver necessidade de amamentar, durante a realizao da Prova

    Objetiva/Discursiva - Redao, dever levar um acompanhante que ficar em salareservada e que ser responsvel pela guarda da criana.14.1 No haver compensao do tempo de amamentao ao tempo de prova da candidata.

    IV. DAS INSCRIES PARA CANDIDATOS PORTADORES DEDEFICINCIA

    1. s pessoas portadoras de deficincia que pretendam fazer uso das prerrogativas que lhesso facultadas no inciso VIII do artigo 37 da Constituio Federal e na Lei n 7.853/89, assegurado o direito de inscrio para os cargos em concurso pblico, cujas atribuiessejam compatveis com a deficincia de que so portadoras, observadas as exigncias deescolaridade, aptido e qualificao profissional.

    1.1 A descrio das atribuies dos cargos constam no Anexo II deste Edital.2. Em cumprimento ao disposto no 2 do art. 5 da Lei n 8.112/90, bem como na forma do

    Decreto Federal n 3.298, de 20 de dezembro de 1999, ser-lhes- reservado o percentual de5% (cinco por cento) das vagas existentes, que vierem a surgir ou forem criadas no prazode validade do Concurso.2.1 Conforme 2 do art. 37 do Decreto Federal n 3.298/99, caso a aplicao do

    percentual de que trata o item 2 resulte em nmero fracionado, este ser elevado ato primeiro nmero inteiro subseqente.

    3. No obsta inscrio ou ao exerccio do cargo o uso de equipamentos ou outros meios quehabitualmente utilize ou a necessidade de preparao do ambiente fsico.

    4. Consideram-se pessoas portadoras de deficincia aquelas que se enquadram nascategorias discriminadas no art. 4 do Decreto Federal n 3.298/99 e suas alteraes.4.1 Nos termos do artigo 4, do Decreto n 3.298/99 e alteraes posteriores considerada

    pessoa portadora de deficincia a que se enquadra nas seguintes categorias:4.1.1 Deficincia fsica: alterao completa ou parcial de um ou mais segmentos do

    corpo humano, acarretando o comprometimento da funo fsica, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia,tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputao ouausncia de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidadecongnita ou adquirida, exceto as deformidades estticas e as que noproduzam dificuldades para o desempenho das funes.

    4.1.2 Deficincia auditiva: perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e umdecibis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas freqncias de 500 Hz,1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz.

    4.1.3 Deficincia visual: cegueira, na qual a acuidade visual igual ou menor que0,05 no melhor olho, com a melhor correo ptica; a baixa viso, que significaacuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correo ptica;os casos nos quais a somatria da medida do campo visual em ambos os olhosfor igual ou menor que 60; ou a ocorrncia simultnea de quaisquer condiesanteriores;

    4.1.4 Deficincia mental: funcionamento intelectual significativamente inferior mdia,com manifestao antes dos dezoito anos e limitaes associadas a duas oumais reas de habilidades adaptativas, tais como: comunicao; cuidado pessoal;habilidades sociais; utilizao dos recursos da comunidade; sade e segurana;habilidades acadmicas; lazer; e trabalho.

    4.1.5 Deficincia mltipla: associao de duas ou mais deficincias.5. As pessoas portadoras de deficincia, resguardadas as condies especiais previstas no

    Decreto Federal n 3.298/99, particularmente em seu art. 40, participaro do Concurso emigualdade de condies com os demais candidatos, no que se refere ao contedo dasprovas, avaliao e aos critrios de aprovao, ao dia, horrio e local de aplicao dasprovas, e nota mnima exigida para todos os demais candidatos. Os benefcios previstosno referido artigo, 1 e 2, devero ser requeridos por escrito, durante o perodo dasinscries, via SEDEX, Fundao Carlos Chagas.

    6. O candidato dever declarar, quando da inscrio, ser portador de deficincia, especificando-a naFicha/Formulrio de Inscrio via Internet e, no perodo das inscries, dever encaminhar viaSEDEX ou Aviso de Recebimento (AR), Fundao Carlos Chagas (A/C Ncleo de Execuo deProjetos Ref.: Laudo Mdico - Concurso Pblico do TRE/PB Av. Professor Francisco Morato,1565, Jardim Guedala So Paulo SP CEP 05513-900), os documentos a seguir:

  • 4

    a) Laudo Mdico, original e expedido no prazo mximo de 90 (noventa) dias antesdo trmino das inscries, atestando a espcie e o grau ou nvel de deficincia,com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional deDoena CID, bem como a provvel causa da deficincia, inclusive para assegurarpreviso de adaptao da sua prova. Anexar ao Laudo Mdico o seu nome,documento de identidade (RG), nmero do CPF, telefone e opo de Cargo e Cidadede Realizao de Prova.

    b) O candidato portador de deficincia visual, alm do envio da documentao indicadana letra a deste item, dever solicitar, por escrito, at o trmino das inscries, aconfeco de prova especial em Braile ou Ampliada, especificando o tipo dedeficincia.

    c) O candidato portador de deficincia que necessitar de tempo adicional e/ou leitura deprova para realizao das provas, alm do envio da documentao indicada na letraa deste item, dever encaminhar solicitao, por escrito, at o trmino dasinscries, com justificativa acompanhada de parecer emitido por especialista darea de sua deficincia.

    6.1 Aos deficientes visuais (cegos) que solicitarem prova especial em Braile serooferecidas provas nesse sistema e suas respostas devero ser transcritas tambmem Braile. Os referidos candidatos devero levar para esse fim, no dia da aplicaoda prova, reglete e puno podendo, ainda, utilizar-se de soroban.

    6.2 Aos deficientes visuais (amblopes) que solicitarem prova especial ampliada serooferecidas provas nesse sistema, com tamanho de letra correspondente a corpo 24.

    6.3 Os candidatos que, dentro do prazo do perodo das inscries, no atenderem osdispositivos mencionados no: Item 6 letra a Sero considerados como no portadores de

    deficincia. Item 6 letra b No tero a prova especial preparada, seja qual for o

    motivo alegado. Item 6 letra c No tero tempo adicional para realizao das provas e/ou

    pessoa designada para a leitura da prova, seja qual for o motivo alegado.7. O candidato portador de deficincia que no realizar a inscrio conforme instrues

    constantes neste Captulo, no poder impetrar recurso em favor de sua situao.

    8. A publicao do resultado final do Concurso Pblico ser feita em duas listas, contendo aprimeira, a pontuao de todos os candidatos, inclusive a dos portadores de deficincia, e asegunda somente a pontuao destes ltimos.

    9. O candidato portador de deficincia aprovado no concurso dever submeter-se perciamdica a ser realizada pela Equipe Multiprofissional designada pelo Tribunal RegionalEleitoral da Paraba, com a finalidade de verificar se a deficincia se enquadra na previsodo art. 4 e seus incisos do Decreto Federal n 3.298/99 e suas alteraes, assim como seh compatibilidade ou no da deficincia com as atribuies do cargo a ser ocupado, nostermos do art. 44 da referida norma, observadas as seguintes disposies:9.1 A avaliao, em carter terminativo, de que trata este item, ser realizada por equipe

    prevista pelo art. 43 do Decreto Federal n 3.298/99 e suas alteraes.9.2 A avaliao ficar condicionada apresentao, pelo candidato, de documento de

    identidade original e laudo mdico, o mesmo encaminhado no perodo dasinscries, que ateste a espcie e o grau ou nvel de deficincia, com expressareferncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doena CID, bem como a provvel causa da deficincia.

    9.3 No haver segunda chamada, seja qual for o motivo alegado para justificar o atrasoou a ausncia do candidato portador de deficincia avaliao tratada no item 9.

    9.4 Verificada a incompatibilidade entre a deficincia e as atribuies do cargo postulado,o candidato ser eliminado do certame.

    9.5 Se a deficincia do candidato no se enquadrar na previso do art. 4 e seus incisosdo Decreto Federal n 3.298/99 e suas alteraes, ele ser classificado em igualdadede condies com os demais candidatos.

    10. Ser eliminado da lista de deficientes o candidato cuja deficincia assinalada, na Ficha deInscrio, no se constate, devendo o mesmo constar apenas na lista de classificao geral.

    11. As vagas definidas no item 2 deste Captulo que no forem providas por falta de candidatosportadores de deficincia, por reprovao no concurso ou na percia mdica, seropreenchidas pelos demais candidatos, com estrita observncia ordem classificatria.

    12. A no observncia, pelo candidato, de qualquer das disposies deste Captulo implicar aperda do direito a ingressar nas vagas reservadas a deficientes.

    13. Aps a investidura do candidato, a deficincia no poder ser argida para justificar aconcesso de aposentadoria.

    V. DAS PROVAS

    1. O Concurso constar das provas, contedos, nmero de questes, peso e durao, conforme quadro a seguir:

    Ensino Superior Completo

    Carreira

    Carreira/Cargo rea de Atividade EspecialidadeContedo das Provas N de Questes Peso

    Durao dasProvas

    Judiciria DireitoCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOSPROVA DISCURSIVA - REDAO

    2040

    132

    AdministrativaDispensada aEspecialidade

    CONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOSPROVA DISCURSIVA - REDAO

    2040

    132

    4 HORAS

    Administrativa ContabilidadeCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado EnfermagemCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado Analista de SistemasCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado BiblioteconomiaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado Mdico do TrabalhoCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado OdontologiaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado FisioterapiaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado PsicologiaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado Engenharia CivilCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Analista Judicirio

    Apoio Especializado ArquivologiaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    3 HORAS

    Ensino Mdio (antigo 2 Grau) Completo

    Carreira

    Carreira/Cargo rea de Atividade EspecialidadeContedo das Provas N de Questes Peso

    Durao dasProvas

    AdministrativaDispensada aEspecialidade

    CONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Administrativa ContabilidadeCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado EletrnicaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado Rede de ComputadoresCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado Programador de SistemasCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado TaquigrafiaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOSPROVA PRTICA DE TAQUIGRAFIA

    2040

    132

    Apoio Especializado Higiene DentalCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado EnfermagemCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Apoio Especializado Operador de ComputadorCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    rea Servios GeraisEletricidade e

    TelecomunicaesCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    rea Servios Gerais EdificaesCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    Tcnico Judicirio

    rea Servios Gerais MecnicaCONHECIMENTOS BSICOSCONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2040

    13

    3 HORAS

  • 5

    2. As provas de Conhecimentos Bsicos e Conhecimentos Especficos constaro de questesobjetivas de mltipla escolha e versaro sobre o Contedo Programtico constante doAnexo III deste Edital.

    3. As Provas Discursivas - Redao para os cargos de Analista Judicirio rea Judiciria Especialidade Direito e Analista Judicirio rea Administrativa (dispensada aespecialidade) sero realizadas no mesmo dia/perodo das Provas Objetivas, conformedisposto no Captulo VI deste Edital.

    4. A Prova Prtica para o cargo de Tcnico Judicirio - rea Apoio Especializado Especialidade Taquigrafia ser realizada em poca posterior, de acordo com o disposto noCaptulo IX deste Edital.

    VI. DA PRESTAO DAS PROVAS

    1. A aplicao das provas est prevista para o dia 15/04/2007 (Provas Objetivas para todos oscargos, e Discursiva - Redao para os cargos de Analista Judicirio - rea Judiciria Especialidade Direito e Analista Judicirio - rea Administrativa (dispensada aespecialidade) e para os dias 28 e 29/07/2007 (Prova Prtica para o cargo de TcnicoJudicirio rea Apoio Especializado Especialidade Taquigrafia).1.1 As Provas Objetivas para todos os cargos, e Discursiva - Redao para os cargos de

    Analista Judicirio - rea Judiciria Especialidade Direito e Analista Judicirio -rea Administrativa (dispensada a especialidade) sero realizadas nas cidades deJoo Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa, Estado da Paraba, conformeopo de Cidade de Prova indicada pelo candidato, na Ficha de Inscrio ou noFormulrio de Inscrio via Internet, de acordo com o subitem 5.2 do Captulo IIIdeste Edital. A Prova Prtica de Taquigrafia para o cargo de Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Taquigrafia, ser realizada na cidade deJoo Pessoa - PB, independentemente da opo de cidade de realizao da ProvaObjetiva.

    1.2 A aplicao das provas nas datas previstas depender da disponibilidade de locaisadequados realizao das mesmas.

    1.3 Caso o nmero de candidatos inscritos exceda oferta de lugares adequadosexistentes nos colgios localizados nas cidades indicadas no subitem 1.1 desteCaptulo, a Fundao Carlos Chagas reserva-se o direito de aloc-los em cidadesprximas s determinadas para aplicao das provas, no assumindo, entretanto,qualquer responsabilidade quanto ao transporte e alojamento desses candidatos.

    1.4 Havendo alterao da data prevista, as provas podero ocorrer em sbados,domingos e feriados.

    2. As Provas para os cargos de Analista Judicirio e Tcnico Judicirio sero aplicadas nomesmo dia, em perodos distintos.

    3. A confirmao da data e as informaes sobre horrios e locais sero divulgadasoportunamente atravs de Editais de Convocao para Provas a serem publicados no DirioOficial da Unio e Dirio da Justia do Estado da Paraba, atravs de Cartes Informativosque sero encaminhados aos candidatos por meio dos Correios. Para tanto, fundamentalque o endereo constante na Ficha de Inscrio esteja completo e correto, inclusive comindicao do CEP.3.1 No sero postados Cartes Informativos de candidatos cujo endereo na Ficha de

    Inscrio esteja ilegvel e/ou incompleto ou sem indicao do CEP.3.2 A comunicao feita por intermdio dos Correios meramente informativa. O candidato

    dever acompanhar no Dirio Oficial da Unio e no Dirio da Justia do Estado daParaba a publicao do Edital de Convocao para realizao das provas.3.2.1 O envio de comunicao pessoal dirigida ao candidato, ainda que extraviada

    ou por qualquer motivo no recebida, no desobriga o candidato do dever deconsultar o Edital de Convocao para Provas.

    4. O candidato que no receber o Carto Informativo at o 3 (terceiro) dia que antecede aaplicao das provas, dever:a) entrar em contato com o Servio de Atendimento ao Candidato SAC da Fundao

    Carlos Chagas, pelo telefone (0XX11) 3721-4888, de segunda a sexta-feira, teis,das 9 s 17 horas ou consultar o site da Fundao Carlos Chagas:www.concursosfcc.com.br ou

    b) dirigir-se ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraba, com sede na Av. Princesa Isabeln 201 - Centro Joo Pessoa PB, de segunda a sexta-feira, teis, das 12 s 19horas, para verificar em listas afixadas, o horrio e o local definidos para a realizaode sua prova ou consultar o site do TRE/PB: www.tre-pb.gov.br.

    5. Ao candidato s ser permitida a realizao das provas na respectiva data e no localconstantes nas listas afixadas, no Carto Informativo, no site da Fundao Carlos Chagas eno site do Tribunal Regional Eleitoral da Paraba.

    6. Os eventuais erros de digitao verificados no Carto Informativo enviado ao candidatoquanto a nome, nmero de documento de identidade, sexo, data de nascimento, etc.devero ser corrigidos somente no dia das respectivas provas em formulrio especfico.

    7. Caso haja inexatido na informao relativa opo de Cargo, opo de Cidade de Provae/ou condio de portador de deficincia, o candidato dever entrar em contato com oServio de Atendimento ao Candidato SAC da Fundao Carlos Chagas com, no mnimo,48 (quarenta e oito) horas de antecedncia da data de realizao da prova, pelo telefone(0XX11) 3721-4888.7.1 A alterao de Cargo e/ou Cidade de Prova somente ser processada na hiptese de

    o dado expresso pelo candidato em sua Ficha de Inscrio ter sido transcritoerroneamente para o Carto Informativo, nas listas afixadas e disponibilizado nossites da Fundao Carlos Chagas e do Tribunal Regional Eleitoral da Paraba.

    7.2 No ser admitida troca de Cdigo de Opo de Cargo e/ou Cidade de Prova.7.3 O candidato que no entrar em contato com o SAC no prazo mencionado dever

    arcar, exclusivamente, com as conseqncias advindas de sua omisso.8. Somente ser admitido sala de provas o candidato que estiver portando documento de

    identidade original que bem o identifique, como: Carteiras e/ou Cdulas de Identidade expedidaspelas Secretarias de Segurana, pelas Foras Armadas, pela Polcia Militar, pelo Ministrio dasRelaes Exteriores; Cdula de Identidade para Estrangeiros; Cdulas de Identidade fornecidaspor rgos ou Conselhos de Classe que, por fora de Lei Federal, valem como documento deidentidade, como por exemplo, as da OAB, CREA, CRC etc.; Carteira de Trabalho e PrevidnciaSocial, bem como Carteira Nacional de Habilitao (com fotografia na forma da Lei n 9.503/97).8.1 Os documentos devero estar em perfeitas condies, de forma a permitir, com

    clareza, a identificao do candidato.8.2 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realizao das

    provas, documento de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto,dever ser apresentado documento que ateste o registro da ocorrncia em rgopolicial, expedido h, no mximo, 30 (trinta) dias, ocasio em que ser submetido identificao especial, compreendendo coleta de assinaturas e de impresso digitalem formulrio prprio.

    9. No haver segunda chamada ou repetio de prova.9.1 O candidato no poder alegar desconhecimentos quaisquer sobre a realizao da

    prova como justificativa de sua ausncia.9.2 O no comparecimento s provas, qualquer que seja o motivo, caracterizar

    desistncia do candidato e resultar em sua eliminao no Concurso Pblico.10. A Fundao Carlos Chagas, objetivando garantir a lisura e a idoneidade do Concurso Pblico

    o que de interesse pblico e, em especial, dos prprios candidatos bem como suaautenticidade, solicitar aos candidatos, quando da aplicao das provas, a autenticaodigital das Folhas de Respostas personalizadas. Na hiptese de o candidato no autentic-la digitalmente, dever registrar sua assinatura, em campo especfico, por trs vezes.

    11. Nas Provas Objetivas, o candidato dever assinalar as respostas na Folha de Respostaspersonalizada, que ser o nico documento vlido para a correo da prova. Opreenchimento da Folha de Respostas ser de inteira responsabilidade do candidato quedever proceder em conformidade com as instrues especficas contidas na capa doCaderno de Questes, tambm personalizada. Em hiptese alguma haver substituio daFolha de Respostas por erro do candidato.11.1 Os prejuzos advindos de marcaes feitas incorretamente na Folha de Respostas

    sero de inteira responsabilidade do candidato.12. O candidato dever comparecer ao local designado munido de caneta esferogrfica de tinta

    preta, lpis preto n 2 e borracha.12.1 O candidato dever preencher os alvolos, na Folha de Respostas da Prova

    Objetiva, com caneta esferogrfica de tinta preta ou refor-los com grafite na corpreta, se necessrio.

    12.2 No sero computadas questes no assinaladas ou que contenham mais de umaresposta, emenda ou rasura, ainda que legvel.

    12.3 Durante a realizao das provas, no ser permitida nenhuma espcie de consulta oucomunicao entre os candidatos, nem a utilizao de livros, cdigos, manuais, impressosou quaisquer anotaes.

    13. Motivar a eliminao do candidato do Concurso Pblico, sem prejuzo das sanes penaiscabveis, a burla ou a tentativa de burla a quaisquer das normas definidas neste Edital ou aoutros relativos ao Concurso, nos comunicados, nas Instrues ao Candidato ou nasInstrues constantes da prova, bem como ao tratamento incorreto e descorts a qualquerpessoa envolvida na aplicao das provas.

    14. Ser excludo do Concurso Pblico o candidato que:a) apresentar-se aps o horrio estabelecido, inadmitindo-se qualquer tolerncia;b) no comparecer s provas, seja qual for o motivo alegado;c) no apresentar documento que bem o identifique;d) ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento do fiscal;e) ausentar-se do local de provas antes de decorrida uma hora do incio das provas;f) fizer anotao de informaes relativas s suas respostas no comprovante de

    inscrio ou em qualquer outro meio, que no o fornecido pela Fundao CarlosChagas no dia da aplicao das provas;

    g) ausentar-se da sala de provas levando Folha de Respostas, Caderno de Questesou outros materiais no permitidos, sem autorizao;

    h) estiver portando armas, mesmo que possua o respectivo porte;i) lanar mo de meios ilcitos para a execuo das provas;j) no devolver integralmente o material recebido;l) for surpreendido em comunicao com outras pessoas ou utilizando-se de livro,

    anotao, impresso no permitido ou mquina calculadora ou similar;m) estiver fazendo uso de qualquer tipo de aparelho eletrnico ou de comunicao (bip,

    telefone celular, relgios digitais, walkman, agenda eletrnica, notebook, palmtop,receptor, gravador ou outros equipamentos similares), bem como protetores auriculares;

    n) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamentoindevido.

    15. O candidato que estiver portando equipamento eletrnico como os indicados na alnea m,ter o aparelho desligado.15.1 Os aparelhos eletrnicos devero permanecer desligados at a sada do candidato

    do local de realizao das provas.16. O candidato ao terminar a prova entregar ao fiscal, juntamente com a Folha de Respostas,

    o Caderno de Questes personalizado.17. A Fundao Carlos Chagas no se responsabilizar por perda ou extravio de documentos

    ou objetos ocorridos no local de realizao das provas, nem por danos neles causados.18. No dia da realizao das provas, na hiptese de o nome do candidato no constar nas

    listagens oficiais relativas aos locais de prova estabelecidos no Edital de Convocao, aFundao Carlos Chagas proceder a incluso do candidato, mediante a apresentao docomprovante de inscrio autenticado pela CAIXA ou boleto bancrio com comprovao depagamento, com o preenchimento de formulrio especfico.18.1 A incluso de que trata o item 18 ser realizada de forma condicional, e ser

    analisada pela Fundao Carlos Chagas, na fase do Julgamento das ProvasObjetivas, com o intuito de se verificar a pertinncia da referida inscrio.

    18.2 Constatada a improcedncia da inscrio de que trata o item 18, a mesma serautomaticamente cancelada sem direito a reclamao, independentemente dequalquer formalidade, considerados nulos todos os atos dela decorrentes.

    19. Quando, aps a prova, for constatado, por meio eletrnico, estatstico, visual ou grafolgico,ter o candidato utilizado processos ilcitos, sua prova ser anulada e ele serautomaticamente eliminado do concurso.

    20. No haver, por qualquer motivo, prorrogao do tempo previsto para a aplicao dasprovas em virtude de afastamento do candidato da sala de prova.

    21. Em hiptese nenhuma ser realizada qualquer prova fora do local e horrio determinados.22. Por razes de ordem tcnica, de segurana e de direitos autorais adquiridos, a Fundao

    Carlos Chagas no fornecer exemplares dos Cadernos de Questes a candidatos ou ainstituies de direito pblico ou privado, mesmo aps o encerramento do Concurso Pblico.As questes das Provas Objetivas e respectivas respostas consideradas como certas serodivulgadas no endereo eletrnico www.concursosfcc.com.br, em data a ser comunicada nodia da aplicao das provas.

    VII. DO JULGAMENTO DAS PROVAS OBJETIVAS

    1. As provas de Conhecimentos Bsicos e de Conhecimentos Especficos tero carterhabilitatrio e classificatrio e sero avaliadas, cada uma, na escala de 0 (zero) a 10 (dez).

    2. Sero aprovados somente os candidatos que obtiverem, simultaneamente, no mnimo 60%de acerto na prova de Conhecimentos Bsicos e no mnimo 60% de acerto na prova deConhecimentos Especficos.

    VIII. DA PROVA DISCURSIVA - REDAO

    1. A Prova Discursiva - Redao ser aplicada para todos os candidatos inscritos nos cargosde Analista Judicirio rea Judiciria Especialidade Direito e Analista Judicirio reaAdministrativa (dispensada a especialidade) e somente ser avaliada a dos candidatoshabilitados nas provas objetivas, na forma do Captulo VII.

    2. A Prova Discursiva - Redao versar sobre tema relacionado com disciplinas indicadas noEdital, observado o contedo programtico dele constante.

    3. A redao ser avaliada considerando-se:3.1 Estrutura e contedo: pertinncia ao tema, respeito modalidade de texto proposta,

    clareza e lgica na exposio das idias. Este tpico valer de 0 (zero) a 5 (cinco)pontos.

    3.2 Expresso: domnio correto da norma culta da Lngua Portuguesa e das estruturasda lngua (adequao vocabular, ortografia, morfologia, sintaxe e pontuao). Estetpico valer de 0 (zero) a 5 (cinco) pontos.

    4. Ser atribuda nota ZERO redao nos seguintes casos:4.1 fugir ao tema proposto;4.2 apresentar textos sob forma no articulada verbalmente (apenas com desenhos,

    nmeros e palavras soltas ou forma em verso);4.3 for assinada fora do local apropriado;4.4 apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificao do candidato;

  • 6

    4.5 for escrita a lpis, em parte ou na sua totalidade;4.6 estiver em branco;4.7 apresentar letra ilegvel.

    5. A folha de texto definitivo da prova discursiva no poder ser assinada, rubricada, nemconter, em outro local que no o apropriado, qualquer palavra ou marca que a identifique,sob pena de sua anulao.

    6. A folha de texto definitivo ser o nico documento vlido para a avaliao da provadiscursiva. A folha para rascunho de preenchimento facultativo e no valer para talfinalidade.

    7. A Redao dever ter uma extenso mnima de 20 linhas e mxima de 30 linhas.8. A prova de Redao ter carter habilitatrio e classificatrio e ser avaliada na escala de 0

    (zero) a 10 (dez) pontos, considerando-se habilitado o candidato que nela obtiver nota igualou superior a 6 (seis).

    9. O candidato no habilitado ser excludo do Concurso.

    IX. DA PROVA PRTICA PARA O CARGO DE TCNICO JUDICIRIO -REA APOIO ESPECIALIZADO - ESPECIALIDADE TAQUIGRAFIA

    1. A prova prtica ser realizada na cidade de Joo Pessoa - PB, sob competncia eresponsabilidade exclusiva da Fundao Carlos Chagas.

    2. Para a Prova Prtica de Taquigrafia sero convocados todos os candidatos habilitados naProva Objetiva, na forma do Captulo VII, e ser aplicada de acordo com as instrues e oscritrios de avaliao preestabelecidos e divulgados abaixo.

    3. Da Realizao da Prova: 3.1 O candidato dever preencher a identificao no espao a ela reservado na Folha de

    Prova. 3.2 A prova que apresentar sinal, expresso ou conveno que possibilite sua

    identificao ser atribuda nota 0 (zero), eliminando-se em conseqncia ocandidato do Concurso.

    3.3 Ser excludo do Concurso o candidato que for surpreendido, durante a realizao daprova, em comunicao com outros candidatos, utilizando-se de livros, notas oumateriais e equipamentos no permitidos, bem como o candidato que se ausentar dolocal de prova sem o acompanhamento do fiscal.

    3.4 O candidato, ao terminar a prova, entregar ao fiscal, juntamente com a Folha deDecifrao, o bloco com o registro taquigrfico.

    3.5 A sada do candidato somente ser permitida aps 30 (trinta) minutos do incio dadecifrao.

    4. Critrio de Avaliao: 4.1 A prova ter carter classificatrio e eliminatrio e ser avaliada na escala de 0

    (zero) a 10 (dez) pontos, considerando-se habilitado o candidato que nela obtivernota igual ou superior a 6 (seis).

    4.2 A prova consistir em: registro taquigrfico, durante 5 (cinco) minutos, de texto previamente a ser

    sorteado e ditado em velocidade varivel e crescente, de 80 (oitenta) a 90(noventa) palavras por minuto.

    decifrao do texto, obrigatoriamente, em microcomputador PC (Pentium ouequivalente), sistema operacional Windows 95 ou posterior e editor de texto Wordfor Windows 97 ou superior, pelo prazo de 1 hora, no sendo permitido aocandidato o uso de mquina prpria.

    4.3 A correo da prova ser efetuada com base no texto digitado, conforme os seguintescritrios:

    ERROS NOTA MXIMA

    No havendo erro 100 a 5 (inclusive) 9,50

    5 (exclusive) a 10 (inclusive) 9,0010 (exclusive) a 16 (inclusive) 8,5016 (exclusive) a 22 (inclusive) 8,0022 (exclusive) a 28 (inclusive) 7,5028 (exclusive) a 34 (inclusive) 7,0034 (exclusive) a 40 (inclusive) 6,5040 (exclusive) a 48 (inclusive) 6,0048 (exclusive) a 53 (inclusive) 5,50

    Mais de 60 1,00

    4.4 Critrios para contagem de erros: palavra omitida, acrescida ou substituda, sem alterao de sentido: 0,5 (zero

    vrgula cinco) erro; palavra omitida, acrescida ou substituda, com alterao do sentido: 1 (um) erro; os erros de palavras, desde que conseqentes, sero contados uma nica vez

    (por exemplo, se o texto diz "... um escolar" e o candidato escreveu "... umaescola", o erro ser contado uma nica vez por conseqente);

    palavras soltas, erradas, sem formar sentido: 1 (um) erro por palavra; no caso de concorrncia de erros (por exemplo, omisso de 5 (cinco) palavras

    e substituio por 3 (trs) erradas, computar-se- o nmero maior de erros.4.5 Os rascunhos no sero considerados, em hiptese alguma.

    5. O candidato no habilitado ser excludo do Concurso.

    X. DA CLASSIFICAO DOS CANDIDATOS

    1. Para os candidatos aos cargos de Analista Judicirio rea Judiciria EspecialidadeDireito e Analista Judicirio rea Administrativa (dispensada a especialidade), a notafinal de aprovao no Concurso corresponder mdia aritmtica ponderada das notas desuas provas, utilizando-se os seguintes pesos:a) prova de Conhecimentos Bsicos: peso 1 (um);b) prova de Conhecimentos Especficos: peso 3 (trs);c) prova discursiva: peso 2 (dois).

    2. Para os candidatos ao cargo de Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Taquigrafia, a nota final de aprovao no Concurso corresponder mdiaaritmtica ponderada das notas de suas provas, utilizando-se os seguintes pesos:a) prova de Conhecimentos Bsicos: peso 1 (um);b) prova de Conhecimentos Especficos: peso 3 (trs);c) prova Prtica: peso 2 (dois).

    3. Para os candidatos aos cargos de Analista Judicirio rea Administrativa - EspecialidadeContabilidade, Analista Judicirio rea Apoio Especializado EspecialidadeEnfermagem, Analista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Analista deSistemas, Analista Judicirio rea Apoio Especializado EspecialidadeBiblioteconomia, Analista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Mdicodo Trabalho, Analista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Odontologia,Analista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Fisioterapia, AnalistaJudicirio rea Apoio Especializado Especialidade Psicologia, Analista Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Engenharia Civil, Analista Judicirio rea

    Apoio Especializado Especialidade Arquivologia, Tcnico Judicirio reaAdministrativa (dispensada a especialidade), Tcnico Judicirio rea Administrativa Especialidade Contabilidade, Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Eletrnica, Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado EspecialidadeRede de Computadores, Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado EspecialidadeProgramador de Sistemas, Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Higiene Dental, Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Enfermagem, Tcnico Judicirio rea Apoio Especializado Especialidade Operador de Computador, Tcnico Judicirio rea Servios Gerais Especialidade Eletricidade e Telecomunicaes, Tcnico Judicirio rea ServiosGerais Especialidade Edificaes e Tcnico Judicirio rea Servios Gerais Especialidade Mecnica, a nota final de aprovao no Concurso corresponder mdiaaritmtica ponderada das notas de suas provas, utilizando-se os seguintes pesos:a) prova de Conhecimentos Bsicos: peso 1 (um);b) prova de Conhecimentos Especficos: peso 3 (trs).

    4. Os candidatos que obtiverem mdia final igual ou superior a 6 (seis) sero classificados porcargo, em ordem decrescente das mdias finais.

    5. Os candidatos que no obtiverem mdia final igual ou superior a 6 (seis) sero consideradosreprovados e eliminados do Concurso Pblico.

    6. Na hiptese de igualdade de nota final ter preferncia, aps a observncia do Pargrafonico do art. 27 da Lei n 10.741 (Lei do Idoso), sucessivamente, o candidato que:a) Obtiver a maior nota na prova de Conhecimentos Especficos;b) Obtiver a maior nota na prova de Redao, quando for o caso;c) Obtiver o maior nmero de acertos nas questes de Portugus;d) Tiver maior idade.

    7. Ser publicado o resultado final do Concurso em duas listas, em ordem decrescente declassificao por cargo, contendo a primeira a classificao de todos os candidatos, includaa dos portadores de deficincia, e a segunda, somente a classificao destes ltimos.

    XI. DOS RECURSOS

    1. Ser admitido recurso quanto:a) aplicao das provas;b) s questes das provas e gabaritos preliminares;c) ao resultado das provas;d) vista da Prova de Redao.

    2. O prazo para interposio de recurso ser de 2 (dois) dias teis aps a concretizao doevento que lhes disser respeito (aplicao das provas, formulao das questes das provas,divulgao de gabaritos preliminares, divulgao do resultado das provas e vista da Provade Redao), tendo como termo inicial o 1 dia til subseqente data do evento a serrecorrido.

    3. Admitir-se- um nico recurso por candidato, para cada evento referido no item 1, desteCaptulo, devidamente fundamentado, sendo desconsiderado recurso de igual teor.

    4. Os recursos devero ser remetidos atravs dos Correios, por SEDEX, Fundao CarlosChagas (Servio de Atendimento ao Candidato - SAC - Ref.: Recurso TRE/PB, Av.Professor Francisco Morato, 1565 Jardim Guedala, So Paulo SP, CEP 05513-900).4.1 O recurso interposto fora do respectivo prazo no ser aceito, sendo considerada,

    para tanto, a data da postagem.4.2 No sero aceitos os recursos interpostos em prazo destinado a evento diverso do

    questionado.5. Os candidatos devero enviar o recurso em trs vias (original e duas cpias). Os recursos

    devero ser digitados ou datilografados. Cada questo ou item dever ser apresentado emfolha separada, identificada conforme modelo a seguir.

    Modelo de Identificao de Recurso

    Concurso: TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARABACandidato: ____________________________________________________________N do Documento de Identidade: __________________________________________N de Inscrio: ________________________________________________________Carreira/Cargo: ________________________________________________________Tipo de Gabarito: ________________(apenas para recursos sobre o item 1, "b")N da Questo: _________________ (apenas para recursos sobre o item 1, "b")Fundamentao e argumentao lgica:Data: _____/_____/_____Assinatura: ____________________________________________________________

    6. Ser concedida vista da Prova Discursiva - Redao, aos candidatos que a requererem noprazo de 2 (dois) dias teis aps a divulgao do resultado.6.1 O requerimento dever conter a identificao do candidato, a fundamentao e a

    argumentao lgica que motivou o pedido de vista, a data e a assinatura docandidato e dever ser remetido via SEDEX, Fundao Carlos Chagas (Servio deAtendimento ao Candidato - SAC - Ref.: Vista de Prova TRE/PB, Av. ProfessorFrancisco Morato, 1565 Jardim Guedala, So Paulo SP, CEP 05513-900).6.1.1 O pedido de vista de prova interposto fora do respectivo prazo no ser aceito,

    sendo considerada, para tanto, a data da postagem.6.2 A vista da Prova de Redao ser realizada atravs do site da Fundao Carlos

    Chagas (www.concursosfcc.com.br), em data e horrio a serem oportunamentedivulgados no Dirio Oficial da Unio e Dirio da Justia do Estado da Paraba.6.2.1 As instrues para a vista de prova sero disponibilizadas no site da

    Fundao Carlos Chagas.7. No sero aceitos pedidos de vista da Prova Discursiva Redao ou recursos interpostos

    por fac-smile (fax), telex, Internet, telegrama ou outro meio que no seja o especificadoneste Edital.

    8. A Banca Examinadora constitui ltima instncia para recurso, sendo soberana em suasdecises, razo pela qual no cabero recursos adicionais.

    9. Os recursos interpostos em desacordo com as especificaes contidas neste Captulo nosero avaliados.

    10. O(s) ponto(s) relativo(s) (s) questo(es) eventualmente anulada(s) ser(o) atribudo(s) atodos os candidatos presentes prova, independentemente de formulao de recurso.

    11. O gabarito divulgado poder ser alterado, em funo dos recursos impetrados e as provassero corrigidas de acordo com o gabarito oficial definitivo.

    12. Na ocorrncia do disposto nos itens 10 e 11, poder haver, eventualmente, alterao daclassificao inicial obtida para uma classificao superior ou inferior ou, ainda, poderocorrer a desclassificao do candidato que no obtiver a nota mnima exigida para a prova.

    13. As decises dos recursos sero dadas a conhecer, coletivamente, e apenas quanto aospedidos que forem deferidos.

    XII. DO PROVIMENTO DOS CARGOS

    1. O provimento dos cargos ficar a critrio da Administrao do Tribunal Regional Eleitoral daParaba e obedecer, rigorosamente, ordem de classificao por cargo, conforme a opofeita no ato da inscrio e de acordo com as necessidades do Tribunal.

  • 7

    2. Excetuando-se os cargos de Analista Judicirio, rea Judiciria e os demais cargosespecializados, que so afetos Secretaria do Tribunal, o provimento dos cargos poderocorrer em qualquer dos municpios da rea de abrangncia do Tribunal (Capital/Secretariae Interior/Zonas Eleitorais).

    3. O candidato nomeado que, por qualquer motivo, no tomar posse ter o ato de nomeaotornado sem efeito.

    4. No caso de desistncia formal da nomeao, prosseguir-se- a nomeao dos demaiscandidatos habilitados, observada a ordem classificatria.

    5. O candidato dever permanecer, no mnimo, durante o perodo de 36 meses, lotado e emexerccio na unidade em que tenha sido inicialmente lotado, exceto se habilitado para outralocalidade em concurso de remoo realizado no mbito da Justia Eleitoral.

    6. O candidato convocado para nomeao dever apresentar os seguintes documentos nadata da posse:a) Comprovao dos pr-requisitos/escolaridade constantes no item 3 do Captulo I

    deste Edital;b) Certido de nascimento ou casamento;c) Ttulo de eleitor, com o comprovante de votao na ltima eleio ou certido de

    quitao eleitoral fornecida pelo cartrio eleitoral;d) Certificado de Reservista ou de Dispensa de Incorporao, para os candidatos do

    sexo masculino;e) Cdula de Identidade;f) Cpia da ltima declarao de Imposto de Renda apresentada Secretaria da

    Receita Federal, com as devidas atualizaes e/ou complementaes ou, no caso deo nomeado no ser declarante, declarao firmada por ele prprio, nos termos da Lein 8.370/93, Lei n 8.429/92 e Instruo Normativa n 05/94-TCU;

    g) CPF;h) Documento de inscrio no PIS ou PASEP;i) Trs fotos 3x4, recentes;j) Declarao de acumulao de cargo ou funo pblica, quando for o caso, ou sua negativa;k) Declarao fornecida pelo(s) rgo(s) em que trabalhou anteriormente de no ter sofrido,

    no exerccio de funo pblica, as penalidades enumeradas no art. 137 e seu pargrafonico da Lei n 8.112/90;

    l) Folha de antecedentes da Polcia Federal dos Estados em que haja residido nosltimos 5 (cinco) anos;

    m) Folha de antecedentes da Polcia Estadual dos Estados em que haja residido nosltimos 5 (cinco) anos;

    n) Declarao firmada pelo nomeado de que no percebe proventos de inatividade, sejapela Unio, por Estado ou por Municpio;

    o) Certido fornecida pelo Cartrio da Zona Eleitoral onde esteja inscrito o nomeado,constando que o mesmo no filiado a partido poltico;

    p) Declarao firmada pelo nomeado, sob as penas da lei, de que no exerce qualqueratividade poltico-partidria;

    q) Declarao firmada pelo nomeado, sob as penas da lei, de que possui bonsantecedentes.

    6.1 No sero aceitos protocolos dos documentos exigidos, nem fotocpias ouxerocpias no autenticadas.

    7. A no apresentao dos documentos comprobatrios fixados no presente Captulo, dentro do prazolegal, implicar que seja tornado sem efeito o ato de nomeao.

    8. Alm da apresentao dos documentos relacionados no item 6 deste Captulo, a posse docandidato ficar condicionada realizao de inspeo mdica e psiquitrica, mediante aapresentao dos documentos abaixo:a) laudo mdico expedido pelo Servio de Assistncia Mdica e Social do TRE/PB ;b) atestado emitido por mdico psiquiatra.8.1 Os candidatos habilitados em vagas reservadas a deficientes tambm devero apresentar

    os dois laudos de que tratam os itens a e b, sem prejuzo das exigncias estabelecidasno Captulo IV deste Edital.

    8.2 Dado o seu carter eliminatrio, o no comparecimento inspeo mdica epsiquitrica na data e horrio agendado pelo Tribunal implicar a sua eliminao doConcurso.

    8.3 No sero admitidos, em nenhuma hiptese, pedidos de reconsiderao ou recurso dojulgamento obtido na inspeo mdica e psiquitrica.

    8.4 A Secretaria de Recursos Humanos do TRE/PB convocar os candidatos para ainspeo mdica constante do item a e os informar dos exames laboratoriais ecomplementares a ser por eles apresentados naquela ocasio.8.4.1 Os exames laboratoriais e complementares, bem como o exame por mdico

    psiquiatra sero realizados s expensas dos candidatos e serviro comoelementos subsidirios inspeo mdica constante do item a.

    8.4.2 A inspeo mdica dever ser providenciada e concluda dentro do prazomximo previsto em lei (30 dias), a contar da publicao do ato de nomeao.

    9. Os candidatos aprovados e classificados no nmero de vagas oferecidas sero convocadospara, no prazo de cinco dias teis, optar pelas localidades onde houver vaga.9.1 Havendo coincidncia de opes, essa ser resolvida de acordo com a ordem de

    classificao dos candidatos.9.2 O candidato que no atender, tempestivamente, convocao referida no item 9,

    perder o direito opo pela localidade onde houver vaga, que ser definida pelopresidente do TRE/PB.

    9.3 O local onde o candidato realizou as provas objetiva e discursiva no ter qualquerinfluncia para efeito de sua opo.

    10. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraba, no momento do recebimento dos documentos para aposse, afixar 1 (uma) foto 3x4 do candidato no Carto de Autenticao Digital - CAD e, naseqncia, coletar a assinatura do candidato e proceder autenticao digital no Carto.

    11. A falta de comprovao de qualquer dos requisitos para investidura at a data da posse ou aprtica de falsidade ideolgica em prova documental acarretaro cancelamento da inscriodo candidato, sua eliminao do respectivo concurso pblico e anulao de todos os atoscom respeito a ele praticados pelo Tribunal, ainda que j tenha sido publicado o edital dehomologao do resultado final, sem prejuzo das sanes legais cabveis.

    XIII. DAS DISPOSIES FINAIS

    1. A inscrio importar no conhecimento das presentes instrues e na aceitao tcita dascondies do concurso, tais como se acham estabelecidas no Edital e nas normas legaispertinentes.

    2. O prazo de validade do presente concurso de 2 (dois) anos, a contar de sua homologao,podendo ser prorrogado por igual perodo, a critrio da Administrao do Tribunal.2.1 O Tribunal poder homologar por atos diferentes e em pocas distintas o resultado

    final dos diversos cargos deste Concurso.3. Todos os atos relativos ao presente Concurso, convocaes, avisos e resultados sero

    publicados no Dirio Oficial da Unio e Dirio da Justia do Estado da Paraba.4. Sero publicados no Dirio Oficial da Unio e no Dirio da Justia do Estado da Paraba,

    apenas os resultados dos candidatos que lograrem classificao no Concurso.5. A Fundao Carlos Chagas disponibilizar o Boletim de Desempenho nas provas para

    consulta, por meio do CPF e do nmero de inscrio do candidato, no endereo eletrnicowww.concursosfcc.com.br, aps a publicao dos resultados na Imprensa Oficial, conformeitem 7 do Captulo X e item 4 deste Captulo.

    6. Todos os clculos descritos neste edital relativos s provas sero realizados com 2 (duas)casas decimais, arredondando-se para cima sempre que a 3 (terceira) casa decimal formaior ou igual a 5 (cinco).

    7. No haver justificativa para o no-cumprimento dos prazos determinados, nem seroaceitos documentos aps as datas estabelecidas.

    8. A aprovao e a classificao no Concurso geram para o candidato apenas expectativa dedireito nomeao.

    9. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraba reserva-se o direito de proceder s nomeaes, emnmero que atenda as necessidades do servio, de acordo com a disponibilidade oramentria eas vagas existentes.

    10. Os candidatos habilitados podero, a critrio do TRE/PB, ser nomeados por outro rgo do PoderJudicirio da Unio, obedecida a respectiva classificao e convenincia administrativa, com aobservncia de identidade dos cargos, rea/especialidade e do expresso interesse do candidato.

    11. O candidato aprovado no concurso pblico poder desistir do respectivo certame, definitivaou temporariamente.11.1 A desistncia dever ser efetuada mediante requerimento endereado ao presidente

    do TRE/PB, at o dia til anterior data da posse.11.2 No caso de desistncia temporria, o candidato renunciar sua classificao e ser

    posicionado em ltimo lugar na lista dos aprovados.12. No sero fornecidos atestados, certificados ou certides relativos habilitao, classificao, ou

    nota de candidatos, valendo para tal fim a publicao do resultado final e homologao em rgode divulgao oficial.

    13. Os casos em que houver omisso ou forem duvidosos sero resolvidos pela FundaoCarlos Chagas e pela Administrao do Tribunal Regional Eleitoral da Paraba, no que acada um couber.

    14. A qualquer tempo poder-se- anular a inscrio, prova ou tornar sem efeito a nomeao docandidato, desde que verificadas falsidades ou inexatides de declaraes ou irregularidades nainscrio, nas provas ou nos documentos.

    15. As despesas relativas participao do candidato em concurso pblico para provimento decargo do Tribunal e apresentao para posse e para exerccio correro s suas expensas.

    16. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraba e a Fundao Carlos Chagas no se responsabilizampor quaisquer cursos, textos, apostilas e outras publicaes referentes a este concurso.

    17. Legislao com entrada em vigor aps a data de publicao deste Edital, bem comoalteraes em dispositivos de lei e atos normativos a ele posteriores, no sero objeto deavaliao nas provas do Concurso.

    18. Em caso de alterao dos dados pessoais (nome, endereo, telefone para contato)constantes na Ficha/Formulrio de Inscrio, o candidato dever dirigir-se:18.1 sala de coordenao do local em que estiver prestando provas e solicitar a correo;18.2 aps a realizao das provas, ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraba, Av. Princesa

    Isabel n 201 - Centro Joo Pessoa PB, para atualizar os dados.19. de responsabilidade do candidato manter seu endereo e telefone atualizados para

    viabilizar os contatos necessrios, sob pena de quando for nomeado, perder o prazo paratomar posse, caso no seja localizado.

    20. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraba e a Fundao Carlos Chagas no seresponsabilizam por eventuais prejuzos ao candidato decorrentes de:a) endereo no atualizado;b) endereo de difcil acesso;c) correspondncia devolvida pela ECT por razes diversas de fornecimento e/ou

    endereo errado do candidato;d) correspondncia recebida por terceiros.

    21. Os itens do Edital podero sofrer eventuais alteraes, atualizaes ou acrscimos enquanto noconsumada a providncia ou evento que lhes disser respeito, at a data da convocao doscandidatos para as provas correspondentes, circunstncia que ser mencionada em Edital ouaviso a ser publicado.

    ANEXO I

    TABELA DE OPES DE CIDADE DE REALIZAO DA PROVATABELA DE OPES DE CIDADE DE REALIZAO DA PROVATABELA DE OPES DE CIDADE DE REALIZAO DA PROVATABELA DE OPES DE CIDADE DE REALIZAO DA PROVAOBJETIVA/DISCURSIVA - REDAOOBJETIVA/DISCURSIVA - REDAOOBJETIVA/DISCURSIVA - REDAOOBJETIVA/DISCURSIVA - REDAO

    CDIGO DE OPO CIDADE DE PROVA

    01 JOO PESSOA

    02 CAMPINA GRANDE

    03 PATOS

    04 SOUSA

    ANEXO II

    DESCRIO DAS ATRIBUIES DOS CARGOSDESCRIO DAS ATRIBUIES DOS CARGOSDESCRIO DAS ATRIBUIES DOS CARGOSDESCRIO DAS ATRIBUIES DOS CARGOS

    ANALISTA JUDICIRIO REA JUDICIRIA ESPECIALIDADE DIREITODescrio sumriaExecutar atividades privativas de bacharel em Direito relacionadas com processamento de feitos,apoio a julgamentos e execuo de mandados.

    ANALISTA JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA (dispensada a especialidade)Descrio sumriaRealizar as atividades de nvel superior relacionadas com as funes de administrao de recursoshumanos, materiais e patrimoniais, oramentos e financeiros, controle interno, bem como as dedesenvolvimento organizacional e de suporte tcnico e administrativo s unidades organizacionais.

    ANALISTA JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA ESPECIALIDADE CONTABILIDADEDescrio sumriaRealizar as atividades de nvel superior relacionadas com anlise contbil e auditoria.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ENFERMAGEMDescrio sumriaRealizar as atividades de nvel superior relacionadas com os servios de enfermagem,supervisionando a rea tcnica.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ANALISTA DESISTEMASDescrio sumriaRealizar atividades de nvel superior relacionadas com desenvolvimento, implantao e manutenode sistemas informatizados.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADEBIBLIOTECONOMIADescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas com manuteno, conservao, divulgao erecuperao de acervos bibliogrfico e de multimeios, bem como implantao e desenvolvimento debibliotecas.

  • 8

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE MDICO DOTRABALHODescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas a exames mdicos de sade ocupacional,procedendo a exames clnicos, anagnese ocupacional, requisitando exames complementares comvistas a determinar aptido dos servidores, alm de realizar inspeo mdica e percias mdicasindividuais e atuar como componente de juntas mdicas, prestando atendimento ambulatorial eemergencial e assistncia mdica preventiva e curativa.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ODONTOLOGIADescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas com diagnstico e tratamento odontolgico.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE FISIOTERAPIADescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas com o planejamento, coordenao, orientao eexecuo das atividades fisioterpicas, elaborando diagnstico e indicando recursos adequados acada caso.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE PSICOLOGIADescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas com a assistncia psicolgica, nos diversosramos da psicologia. Promover diagnsticos e orientaes organizacionais, bem como orientaofuncional e profissional.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ENGENHARIA CIVILDescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas com projetos de edificao, reforma emanuteno de prdios e edifcios.

    ANALISTA JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ARQUIVOLOGIADescrio sumriaExecutar atividades de nvel superior relacionadas com registro, traduo e reviso de notastaquigrficas.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ELETRNICADescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com a eletrnica.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE REDE DECOMPUTADORESDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com a rede de computadores.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE PROGRAMADORDE SISTEMASDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com a programao de sistemasinformatizados.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE TAQUIGRAFIADescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com o registro, traduo e reviso de notastaquigrficas.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE HIGIENE DENTALDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com a higiene dental e de preparao doatendimento odontolgico.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE ENFERMAGEMDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com os servios de enfermagem.

    TCNICO JUDICIRIO REA APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE OPERADOR DECOMPUTADORDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com operao e manuteno deequipamentos de informtica.

    TCNICO JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA (dispensada a especialidade)Descrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com as funes de recursos humanos,materiais e patrimoniais, oramentrios e financeiros, controle interno, bem como as dedesenvolvimento organizacional e suporte tcnico e administrativo s unidades organizacionais.

    TCNICO JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA ESPECIALIDADE CONTABILIDADEDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com controle contbil, oramentrio efinanceiro.

    TCNICO JUDICIRIO REA SERVIOS GERAIS ESPECIALIDADE ELETRICIDADE ETELECOMUNICAESDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas a instalao e manuteno de redes deeletricidade e de telecomunicaes.

    TCNICO JUDICIRIO REA SERVIOS GERAIS ESPECIALIDADE EDIFICAESDescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com projetos de edificao, reforma emanuteno de prdios e edifcios.

    TCNICO JUDICIRIO REA SERVIOS GERAIS ESPECIALIDADE MECNICADescrio sumriaExecutar atividades de nvel intermedirio relacionadas com manuteno e conservao de veculosautomotivos.

    ANEXO III

    CONTEDO PROGRAMTICO

    Observaes: Considerar-se- a legislao vigente at a data da publicao do Edital deAbertura de Inscries.

    ANALISTA JUDICIRIO REA JUDICIRIA ESPECIALIDADE DIREITOANALISTA JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA (dispensada a especialidade)

    CONHECIMENTOS BSICOS

    PORTUGUS Ortografia oficial. Acentuao grfica. Flexo nominal e verbal. Pronomes:emprego, formas de tratamento e colocao. Emprego de tempos e modos verbais. Vozes do verbo.Concordncia nominal e verbal. Regncia nominal e verbal. Ocorrncia de crase. Pontuao.Redao (confronto e reconhecimento de frases corretas e incorretas). Inteleco de texto.NOES DE INFORMTICA Conceitos bsicos. Software e hardware. Noes do ambienteWindows XP. Editor de texto Word. Conceitos de Internet e Intranet. Internet Explorer. Correioeletrnico (webmail). Cpias de segurana (backup). Conceito e organizao de arquivos(pastas/diretrios). Noes bsicas de armazenamento de dados.

    CONHECIMENTOS ESPECFICOS

    ANALISTA JUDICIRIO REA JUDICIRIA ESPECIALIDADE DIREITO

    DIREITO CONSTITUCIONAL Constituio: conceito, objeto e classificao; supremacia daConstituio; aplicabilidade das normas constitucionais; interpretao das normas constitucionais.Controle de constitucionalidade. Princpios fundamentais. Direitos e garantias fundamentais: direitose deveres individuais e coletivos; nacionalidade; direitos polticos; partidos polticos. AdministraoPblica: disposies gerais; servidores pblicos. Organizao dos poderes: Poderes Legislativo eExecutivo. Poder Judicirio: disposies gerais; Supremo Tribunal Federal; Tribunal SuperiorEleitoral, Tribunais Regionais Eleitorais e Juzes Eleitorais. Funes essenciais Justia: MinistrioPblico; Advocacia Pblica; Advocacia e Defensoria Pblica. Mandado de Segurana.DIREITO ELEITORAL Cdigo Eleitoral (Lei n 4.737/65): Introduo (arts. 1 a 11, com asalteraes da Constituio da Repblica de 1988; das Leis ns 6.091/74 e 9.504/97 e da Resoluon 21.538/03/TSE). Composio e Competncia dos rgos da Justia Eleitoral: Tribunal SuperiorEleitoral. Tribunais Regionais Eleitorais. Juzes Eleitorais. Juntas Eleitorais (arts. 12 a 41, com asalteraes da Constituio da Repblica de 1988; do Decreto-Lei n 441/1969; da Lei Complementarn 86/1996 e da Lei 9.504/97). Alistamento Eleitoral: Da Qualificao e Inscrio (arts. 42 a 50, comas alteraes das Leis ns 6.996/82, 7.332/85 e 8.868/94 e da Resoluo n 21.538/03/TSE). DoCancelamento e da excluso de eleitores (arts. 71 a 81). Eleies: Do Sistema Eleitoral (art. 82 a86). Da Representao Proporcional. Das Mesas Receptoras. Dos Diplomas. Das Nulidades daVotao. Das Garantias Eleitorais (com as alteraes da Constituio da Repblica de 1988; da LeiComplementar n 64/90 e da Lei n 9.504/97). Recursos (arts. 257 a 282, com as alteraes das Leisns 4.961/66 e 9.840/99). Disposies Penais: Disposies Preliminares. Dos Crimes Eleitorais. DosProcessos das Infraes (arts. 283 a 364, com as alteraes das Leis ns 9.504/97 e 10.732/03).Ao de Impugnao de Mandato Eletivo (art. 14, 10 e 11 da Constituio da Repblica de 1988).Resoluo n 21.538/03/TSE: Do Alistamento. Da Transferncia. Da Segunda Via. DoRestabelecimento de Inscrio Cancelada por Equvoco. Do Formulrio de Atualizao da Situaodo Eleitor. Do Ttulo Eleitoral. Do Acesso s Informaes Constantes do Cadastro (art. 1 ao 58). DaHiptese do Ilcito Penal. Da Restrio de Direitos Polticos. Da Reviso do Eleitorado. DaJustificao do No-Comparecimento Eleio (com a alterao do Acrdo n 649/TSE, de15/2/2005, publicado no Dirio do Judicirio de 18/03/2005). Lei das Inelegibilidades: LeiComplementar n 64/90 (arts. 1 a 28, com a alterao da Lei Complementar n 81/94). Lei n9.504/97 Lei das Eleies: Das Condutas Vedadas aos Agentes Pblicos em CampanhasEleitorais. Disposies Finais. Lei n 9.096/95 Lei Orgnica dos Partidos Polticos: DisposiesPreliminares. Da Criao e do Registro dos Partidos Polticos (com a alterao da Lei n 9.259/96).Da Filiao Partidria (com a alterao da Lei 9.504/97. Da Prestao de Contas. Do FundoPartidrio (com a alterao da Lei 9.504/97).DIREITO ADMINISTRATIVO Administrao Pblica. Estrutura administrativa: entidades polticas eadministrativas; rgos e agentes pblicos. Atividade administrativa: conceito; natureza e fins;princpios bsicos; poderes e deveres do administrador pblico; o uso e o abuso de poder. PoderesAdministrativos: vinculado; discricionrio; hierrquico; disciplinar; regulamentar; e de polcia. AtosAdministrativos: conceito; requisitos; atributos. Licitao: princpios, dispensa, inexigibilidade,modalidades e tipos. Contratos Administrativos: conceito; caractersticas. Inexecuo do contrato:causas justificadoras, conseqncias. Responsabilidade civil do Estado: responsabilidade objetiva;reparao do dano. Lei n 8.429/92 (Lei de improbidade administrativa).DIREITO CIVIL Lei de Introduo ao Cdigo Civil: vigncia da lei; aplicao da lei no tempo e noespao; integrao e interpretao. Pessoas naturais e jurdicas: personalidade; capacidade; direitosde personalidade. Domiclio. Fatos e atos jurdicos. Negcios jurdicos: requisitos; defeitos,modalidades, nulidade e anulabilidade. Forma e prova dos atos jurdicos. Atos ilcitos. Abuso dedireito. Responsabilidade civil. Caso fortuito e fora maior. Prescrio e decadncia.DIREITO PROCESSUAL CIVIL Da jurisdio: conceito; modalidades; poderes; princpios ergos. Da ao: conceito; natureza jurdica; condies; classificao. Competncia: conceito;competncia territorial; objetiva e funcional; modificao e conflito; conexo e continncia. Processoe procedimento: natureza e princpios; formao; suspenso e extino; pressupostos processuais;tipos de procedimentos. Prazos: conceito; classificao; princpios; contagem; precluso. Sujeitos doprocesso: das partes e dos procuradores; do Juiz; do Ministrio Pblico e dos Auxiliares da Justia.Atos processuais. Petio inicial: conceito, requisitos. Citao. Resposta do ru: contestao;excees; revelia. Audincia. Sentena: requisitos; publicao. Coisa julgada: conceito; limitesobjetivos e subjetivos; coisa julgada formal e coisa julgada material. Recursos: conceito;fundamentos; princpios; pressupostos de admissibilidade; efeitos. Nulidades.DIREITO PENAL Aplicao da lei penal: princpios da legalidade e da anterioridade; a lei penal notempo e no espao; o fato tpico e seus elementos. Crime: consumado, tentado e impossvel;desistncia voluntria e arrependimento eficaz; arrependimento posterior; crime doloso e culposo.Imputabilidade penal: do concurso de pessoas; do concurso de crimes. Penas: espcies; efeitos dacondenao e da reabilitao. Ao penal pblica: extino da punibilidade. Crimes contra aAdministrao Pblica. Crimes de abuso de autoridade.DIREITO PROCESSUAL PENAL Princpios gerais: aplicao da lei processual no tempo, noespao e em relao s pessoas; sujeitos da relao processual. Inqurito policial. Ao penal:conceito; condies; pressupostos processuais; ao penal pblica: titularidade, condies deprocedibilidade; denncia: forma e contedo, recebimento e rejeio. Jurisdio: competncia -critrios de determinao e modificao; incompetncia: efeitos; das questes e processosincidentes. Juiz; Ministrio Pblico; acusado; defensor; Assistentes e Auxiliares da Justia. Priso eliberdade provisria. Citaes e intimaes: forma, lugar e tempo. Atos das partes, dos juzes, dosauxiliares da justia e de terceiros. Prazos: caractersticas, princpios e contagem. Sentena:conceito; requisitos; classificao; publicao; intimao; sentena absolutria: providncias eefeitos; sentena condenatria: fundamentao da pena e efeitos; da coisa julgada. (art. 89 da Lei n9.099/1995). Nulidades. Habeas-corpus.NORMAS APLICVEIS AOS SERVIDORES PBLICOS FEDERAIS Regime Jurdico dosServidores Pblicos Civis da Unio: Lei n 8.112/90: provimento e vacncia; regime disciplinar.Processo Administrativo Disciplinar (Lei n 9.784/99).REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARABA Resoluo TRE-PB n 09/97NOES DE ADMINISTRAO PBLICA Planejamento, recrutamento e seleo de pessoal.Descrio, anlise, avaliao e classificao de cargos. Avaliao de desempenho. Higiene esegurana no trabalho. Treinamento e desenvolvimento de pessoal. Funes e objetivos daadministrao de material. Classificao e especificao de materiais. Administrao da qualidade.Gesto de estoque: modelos de gesto, variveis, tcnicas. Classificao ABC. Compras:informaes bsicas, registros, cadastro de fornecedores, seleo de fornecedores,acompanhamento de pedidos. Recepo de materiais. Estocagem de materiais. Expedio edistribuio. Inventrios.

    CONHECIMENTOS ESPECFICOSANALISTA JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA (dispensada a especialidade)

    DIREITO CONSTITUCIONAL Constituio: conceito, objeto e classificao; supremacia daConstituio; aplicabilidade das normas constitucionais; interpretao das normas constitucionais.Princpios fundamentais. Direitos e garantias fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos;nacionalidade; direitos polticos; partidos polticos. Administrao Pblica: disposies gerais;servidores pblicos. Organizao dos poderes: Poderes Legislativo e Executivo. Poder Judicirio:disposies gerais; Supremo Tribunal Federal; Tribunal Superior Eleitoral, Tribunais RegionaisEleitorais e Juzes Eleitorais. Funes essenciais Justia: Ministrio Pblico; Advocacia Pblica;Advocacia e Defensoria Pblica. Mandado de Segurana.DIREITO ELEITORAL Cdigo Eleitoral (Lei n 4.737/65): Introduo (arts. 1 a 11, com asalteraes da Constituio da Repblica de 1988; das Leis ns 6.091/74 e 9.504/97 e da Resoluon 21.538/03/TSE). Composio e Competncia dos rgos da Justia Eleitoral: Tribunal SuperiorEleitoral. Tribunais Regionais Eleitorais. Juzes Eleitorais. Juntas Eleitorais (arts. 12 a 41, com asalteraes da Constituio da Repblica de 1988; do Decreto-Lei n 441/69; da Lei Complementar n

  • 9

    86/96 e da Lei n 9.504/97). Alistamento Eleitoral: Da qualificao e inscrio (arts. 42 a 50, com asalteraes das Leis ns 6.996/82, 7.332/85, 8.868/94 e da Resoluo n 21.538/03/TSE). Docancelamento e da excluso de eleitores (arts. 71 a 81). Eleies: Do sistema eleitoral. Darepresentao proporcional. Lei n 9.504/97 Lei das Eleies: Disposies gerais e coligaes(arts.1 ao 9). Do sistema eletrnico de votao e totalizao dos votos (com as alteraes da Lei n10.740/03). Lei n 9.096/95 Lei dos Partidos Polticos: Disposies preliminares. Da criao e doregistro dos partidos polticos (com a alterao da Lei n 9.259/96). Da filiao partidria (com aalterao da Lei n 9.504/97).DIREITO ADMINISTRATIVO Atos Administrativos: conceito; requisitos; atributos. Licitao:princpios, dispensa, inexigibilidade, modalidades e tipos. Contratos Administrativos: conceito;caractersticas. Inexecuo do contrato: causas justificadoras, conseqncias. Lei n 8.429/92(Lei de improbidade administrativa).DIREITO CIVIL Lei de Introduo ao Cdigo Civil: vigncia da lei; aplicao da lei no tempo eno espao; integrao e interpretao. Pessoas naturais e jurdicas: personalidade; capacidade;direitos de personalidade. Domiclio. Fatos e atos jurdicos. Negcios jurdicos: requisitos;defeitos, modalidades, nulidade e anulabilidade. Forma e prova dos atos jurdicos. Atos ilcitos.Abuso de direito. Responsabilidade civil. Caso fortuito e fora maior. Prescrio e decadncia.DIREITO PROCESSUAL CIVIL Da jurisdio: conceito; modalidades; poderes; princpios ergos. Da ao: conceito; natureza jurdica; condies; classificao. Competncia: conceito;competncia territorial; objetiva e funcional; modificao e conflito; conexo e continncia.Processo e procedimento: natureza e princpios; formao; suspenso e extino; pressupostosprocessuais; tipos de procedimentos. Prazos: conceito; classificao; princpios; contagem;precluso. Sujeitos do processo: das partes e dos procuradores; do Juiz; do Ministrio Pblico edos Auxiliares da Justia. Atos processuais. Petio inicial: conceito, requisitos. Citao.Resposta do ru: contestao; excees; revelia. Audincia. Sentena: requisitos; publicao.Coisa julgada: conceito; limites objetivos e subjetivos; coisa julgada formal e coisa julgadamaterial. Recursos: conceito; fundamentos; princpios; pressupostos de admissibilidade; efeitos.Nulidades.DIREITO PENAL Aplicao da lei penal: princpios da legalidade e da anterioridade; a lei penalno tempo e no espao; o fato tpico e seus elementos. Crime: consumado, tent