UD 1 – CONVENÇÕES CARTOGRÁ ivanildo/prodcart/UD1.pdf · escalas gráfica e numérica, escala de…

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    UD 1 CONVENES CARTOGRFICAS

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Produto o resultado de um trabalho, com valor agregadoEx: um objeto, um conceito, um evento.

    Para obter um produto necessrio:1) Concepo: baseada na necessidade, visando a atender um ou mais objetivos;

    2) Projeto: procurando aplicar os conhecimentos existentes para atender s necessidades e atingir os objetivos propostos;

    3) Execuo: implementao do que foi especificado no projeto;

    4) Controle de qualidade: verificao da eficcia do produto na soluo do problema proposto e da conformidade com as especificaes do projeto;

    5) Distribuio: disponibilizao do produto ao cliente;

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Produto relacionado comunicao

    1) Emissor: o responsvel por transmitir a mensagem;

    2) Receptor: o universo de pessoas que receber a mensagem;

    3) Mensagem: contedo a ser transmitido;

    4) Meio: forma de transmisso da mensagem;

    5) Cdigo: convenes usadas para registrar a mensagem ao meio, inteligveis a um dado conjunto de usurios.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Produto cartogrfico

    Conjunto de informaes posicionadas em um sistema geodsico de referncia a serem transmitidas a um conjunto de usurios empregando convenes prprias da finalidade proposta.

    Convenes

    Finalidade

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Produtos (e servios) cartogrficos na atualidade

    Cartas Topogrficas;Mapas temticos Impressos;Plantas de reas Patrimoniais;Bases Cartogrficas Digitais (arquivos vetoriais e bancos de dados);Modelos Digitais de Elevao;Ortofotos e ortofotocartas;Cartas-Imagem;Listas de Coordenadas;Sistemas de Informao Geogrficas SIG;Servidores de Mapas pela WEB (WMS);Servidores de Feies pela WEB (WFS);Infra-estrutura de Dados Espaciais.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    ISO/TC211 O objetivo do comit tcnico especializado :

    estabelecer um conjunto de padres para as informaesrelacionadas a objetos e fenmenos direta ou indiretamente

    associados com um lugar na Terra.Estes padres podem especificar, para a informao geogrfica,

    mtodos, ferramentas e servios de gerenciamento de dados (inclusive definio e descrio), aquisio, processamento,

    anlise, acesso, apresentao e transferncia de tais dados (osgeogrficos) na forma digital/eletrnica entre diferentes usurios,

    sistemas e localidades.

    (Traduo livre: http://www.isotc211.org/scope.htm#scope)

    A lista de padres j publicados est em http://www.iso.org/iso/iso_catalogue/catalogue_tc/catalogue_tc_browse.htm?com

    mid=54904

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    O Consrcio OpenGIS (Open Geospatial Consortium, Inc. - OGC) uma organizao internacional sem fins lucrativos para padronizao voluntria e consensual, que est frente do desenvolvimento de padres para servios geoespaciais e baseados em localizao (location based services LBS).

    Padres publicados: CityGML, Geography Markup Language (GML), Keyhole Markup Language (KML), Web Coverage Service (WCS), Web Feature Service (WFS), Web Map Context, Web Map Service(WMS), Web Processing Service (WPS).

    O desenvolvimento (e publicao) de padres permite implementar solues que podem interagir diretamente com outras produzidas por outros desenvolvedores (interoperabilidade).

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    C 21-30 este Manual tem por finalidade a adoo de abreviaturas, siglas, smbolos e convenes cartogrficas no mbito do Ministrio da Defesa, a fim de simplificar a escrita de documentos, no nvel administrativo e no mbito operacional, que, pela natureza e destinao militar, possam ser assim redigidos.

    Os smbolos constantes deste Manual so convenes compostas de desenhos, nmeros, letras, abreviaturas ou siglas e cores, empregadas para identificar graficamente em cartas, calcos, esquemas, plantas, croquis ou plotagens, elementos constituintes das Foras Armadas ou a elas relacionados.

    As convenes constantes no Captulo sobre convenes cartogrficas esto de acordo com o Manual Tcnico T 34-700 elaborado pela Diretoria do Servio Geogrfico do Exrcito Brasileiro.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    T 34-700 estabelece as normas para a representao dos acidentes naturais e artificiais destinados confeco de cartas topogrficas e similares nas escalas de 1:25.000, 1:50.000, 1:100.000 e 1:250.000.

    De acordo com o previsto no Decreto-Lei n243, de 28 de fevereiro de 1967, que estabelece as diretrizes e bases das atividades cartogrficas e correlatas executadas no Brasil, as prescries contidas neste manual so de uso obrigatrio por todas as organizaes, civis e militares, que venham a executar, em territrio nacional, os documentos cartogrficos nas escalas de 1:25.000, 1:50.000, 1:100.000 e 1:250.000.

    As especificaes contidas neste manual so aplicveis s fases do mapeamento, nas quais necessrio o uso de simbologia convencional.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    A apresentao deste manual feita em 2 partes complementares:

    1 Parte Normas para o Emprego dos Smbolos - define os conceitos,indica os procedimentos e estabelece as normas para o emprego dos smbolos convencionais, constantes da 2 Parte, de modo a dirimir possveis dvidas.

    2 Parte Catlogo de Smbolos - estabelece o formato e as dimenses dos smbolos convencionais, bem como os tipos e as dimenses das letras a serem utilizadas nas legendas lanadas nas cartas.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Sempre que possvel e desde que tal fato no sobrecarregue o desenho final, os acidentes constantes da carta devem ser representados em escala, de acordo com sua grandeza real e as particularidades de sua natureza.

    Os formatos e as dimenses das convenes especificadas na 2Parte deste manual referem-se aos smbolos representveis em escala e aos smbolos mnimos.

    Quando um acidente for estreito, porm de comprimento compatvel com a representao em escala, dever ser usada as prescries do smbolo mnimo, para representar sua largura, sendo traados em escala sua forma e comprimento.

    As convenes cartogrficas apresentadas procuram representar, da forma mais expressiva, os diversos acidentes naturais e artificiais que devam constar das cartas topogrficas.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    As legendas cartogrficas devem ser lanadas com clareza, de modo que possam ser consultadas sem mudana na posio normal de leitura.

    As legendas devem ser lanadas de modo a abranger todo o acidente nomeado. No entanto, quando a extenso deste for grande o suficiente para prejudicar a fcil leitura, deve ser feita a repetio da legenda, tantas vezes quanto necessrio.

    A escolha do tamanho das letras, quando no especificado, deve ser feita criteriosamente, de modo a obter uma gradao proporcional importncia relativa do acidente representado, em funo da rea ocupada pelo mesmo na carta. O acidente geogrfico que der origem ao nome da carta deve ter o tamanho da sua letra aumentada de um corpo.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    As legendas de localidades, regies, edificaes e acidentes orogrficos isolados so lanadas ao longo dos paralelos das quadrculas;

    Nas serras, cursos dgua, vias de transporte e demais acidentes, a legenda lanada ao longo de suas representaes;

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    ABREVIATURAS Em princpio, os nomes devem ser escritos por extenso. As abreviaturas constantes do Anexo A da 1 Parte, sdevem ser usadas numa das situaes a seguir:

    a) o catlogo de smbolos prev sua utilizao;

    b) as dimenses do objeto no permitem o lanamento dos nomes por extenso.

    c) o uso de nomes por extenso prejudica a clareza.

    Rede Ferroviria Federal S. A.

    (www.rffsa.gov.br)

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Folha Modelo tem a finalidade de estabelecer uma padronizao no formato e no aspecto das cartas confeccionadas pelas vrias organizaes. Ela define, para cada uma das escalas: a situao relativa rea ocupada; as informaes marginais; os tipos de letras das inscries marginais; e as espessuras das linhas das quadrculas.

    De acordo com o Decreto-Lei n 243, de 28 de fevereiro de 1967, as folhas-modelo so de uso obrigatrio e devem ser editadas a cada cinco anos.

    A Diretoria de Servio Geogrfico (DSG) estuda a alterao da folha-modelo em vigor.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Leitura interna e externa

    Quando se consideram os elementos contidos na legenda, efetua-se a leitura interna da carta. A legenda facilita a identificao dos elementos e permite agrup-los conforme suas caractersticas.

    Ao se considerarem os elementos perifricos - ttulo, escala, coordenadas geogrficas, sistema de projeo, dentre outros efetua-se a leitura externa da carta.

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    rgo responsvel: Estabelece o rgo responsvel pelo produto cartogrfico, no implicando que este esteja envolvido em todas as fases para construo do mesmo. Aparece no canto superior esquerdo e mostra os rgos de subordinao (1 e 2 linhas) e o rgo executante (3 linha).

  • PRODUO CARTOGRFICA

    1Semestre de 2011

    Ttulo: O ttulo da folha determinado pela caracterstica topogrfica mais relevante da rea representada. Pode ser a localidade de maior populao, curso dgua mais importante ou algum outro aspecto relevante. Ao lado esquerdo do ttulo aparece o emblema da organizao e acima o grau de sigilo do documento.

    O Decreto n. 4.553/2002 aborda os critrios de classifica