Unidade 3: Os papéis no PBL Introdução Roles in PBL - P.pdf · Esta unidade explica cada papel no

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Unidade 3: Os papéis no PBL Introdução Roles in PBL - P.pdf · Esta unidade explica cada papel...

  • Introduo Esta unidade ir identificar os diferentes papis que os formandos podem ter na Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL). Como mencionado anteriormente o PBL um processo colaborativo que envolve um grupo de formandos a trabalharem juntos. No PBL cada pessoa tem um papel que desenvolve um conjunto diferente de competncias. Como resultado, cada pessoa deve assumir um papel diferente de cada vez que se envolver num novo problema PBL. A si, enquanto formando, ser-lhe- delegado um papel pelo facilitador, ou voc poder escolher um papel. Esta unidade explica cada papel no processo PBL e o que exigido ao formando nesse papel. Lio 1: Lder da discusso Lio 2: Registo/Escriba Lio 3: Observador Lio 4: Membros do grupo Lio 5: Colaborao entre papis Grande parte do contedo retirado do texto 'Traando o papel do tutor'.

    Lio 1: Lder da discusso

    O lder da discusso tambm conhecido como o presidente, ou o secretrio. efetivamente responsvel pela conduo do processo PBL na perspetiva dos formandos. Ao tomar a responsabilidade de lder da discusso o formando constri competncias de gesto e liderana. Nas fases de abertura e encerramento o lder da discusso o principal responsvel pela execuo das reunies PBL. Antes e durante essas reunies o lder da discusso deve:

    Preparar a agenda (ver appendix 1 para exemplo de agenda) para as reunies intercalares e finais (na reunio inicial o lder de discusso nomeado). A agenda deve ter uma estrutura para a discusso. A equipa deve ser consultada no incio da reunio no sentido de saber se aceita a agenda ou se existem alteraes. O ndice dos contedos a analogia usada para descrever a natureza da agenda. Helela e Fagerholm (2008) tambm sugerem questionar se existe uma agenda alternativa para estimular a discusso e o uso de mapas conceptuais, se necessrio. O objetivo da agenda o de incentivar a explorao e criatividade.

    Unidade 3:

    Os papis no PBL

    Leitura suplementar Tracing the role of the tutor

    http://www.haaga-helia.fi/sites/default/files/Kuvat-ja-liitteet/Palvelut/Julkaisut/pbl.pdf

  • Discutir o tutorial (apresentado na prxima lio e em appendix 2 for a sample tutorial memo) no incio da reunio para as reunies intercalares e de encerramento.

    Certificar-se que as reunies funcionam de uma maneira positiva, que minimiza conflitos e que existe uma atitude 'pode fazer' onde todos se sentem confiantes em si mesmos e no que esto a fazer. Garantir que as pessoas se respeitam reciprocamente e ouvem as opinies uns dos outros.

    Garantir que todos os participantes participam igualmente, seduzindo os participantes tmidos e refreando de forma educada os que dominam. Certificar-se que aqueles que falam no so interrompidos, mas se uma pessoa est a falar por muito tempo pedir-lhe educadamente para dizer o que tem a dizer com mais brevidade. Uma tcnica tipo torneio pode ser boa para incentivar os participantes tmidos, solicitando a cada pessoa o seu contributo para a discusso (ser discutido mais frente na Unidade 8).

    Certificar-se de que todas as etapas PBL so concludas adequadamente o suficiente para resolver o problema, e de que a discusso no se desvia da tarefa em apreo. (praticar escuta ativa e conversas responsveis como discutido na Unidade 2),

    Incentivar o apoio mtuo. Incentivar os membros da equipa a serem respeitosos uns com os outros - travando o comportamento descorts - e a partilhar equitativamente as tarefas. (como referido na Unidade 2).

    Certificar-se de que as tarefas de baixa prioridade no dominam.

    Resumir cada item da agenda, antes de passar frente, e resumir a discusso no final.

    Delegar objetivos claros relativamente a cada membro da equipa.

    Questionar e sondar os membros da equipa pensando em incentivar os modelos mentais. Por exemplo, se um dos membros da equipa menciona que o problema pode ser o resultado de um determinado elemento, perguntar-lhe como/porqu acha que esse elemento tem impacto no problema.

    Fazer a ponte entre conceitos que possam estar relacionados. Por exemplo "Acho que o John disse algo semelhante no incio, o problema que voc esboou pode ser o resultado da questo que o John discutiu".

    Lio 2: Registo/Escriba O registo, tambm conhecido como o escriba, mantm a ata da reunio (conhecido como memorando tutorial) e circula-a por todos para que todos o possam rever. No papel de escriba o membro da equipa desenvolve comunicao escrita e competncias analticas.

  • Na reunio, a equipa deve decidir a que data o memorando deve ser publicado. Deve ser suficientemente cedo para dar tempo aos membros da equipa de rever o memorando antes da prxima reunio. No incio das reunies intercalares e finais a equipa discute e d opinio (feedback) sobre o memorando (no mais de 5 minutos devem ser alocados a este momento). "Um bom memorando tutorial (ata) reflete o contedo da discusso. Por vezes, a discusso pode ziguezaguear de ponto para ponto. O escriba, no entanto, deve estruturar o memorando logicamente de acordo com o contedo da conversa. Noutras palavras, a estrutura deve basear-se nos temas e conceitos em vez de numa sequncia cronolgica dos comentrios na discusso. Os conceitos poderiam ser, de alguma forma, visualmente destacados e seguidos de explicaes e exemplos prticos dados na discusso do tutorial. Alm disso, o escriba deve incluir uma lista simples das principais palavras-chave no fim da discusso de encerramento. Com base no contedo do memorando, o registo/escriba deve selecionar essas palavras-chave de acordo com seu prprio critrio. O escriba no deve adicionar contedo exterior discusso, a menos que acordado especificamente na mesma. Por exemplo, se a equipa no teve tempo para refletir sobre algo que foi brevemente mencionado, a equipa pode decidir que o escriba adicione essa informao como um apndice ao memorando "(Helela e Fagerholm, 2008).

    Durante a reunio o escriba pode pedir esclarecimentos sobre os itens da discusso que precisam de mais detalhe para que este possa produzir o seu memorando. Abaixo est uma lista de itens que um memorando tutorial poder conter para as reunies de abertura, intercalares e de encerramento. Reunies de abertura (Helela and Fagerholm 2008): Memo tutorial

    Discusso: Descrio de como a equipa aborda o tema identificado no incio.

    Problema: O ttulo do problema na forma de pergunta, declarao ou conceito.

    Categorizao do debate (brainstorming): Realar os conceitos de que as equipas falaram relativamente s rubricas classificadas da sesso de brainstorming. (ilustraes podem ser usadas).

    Objetivos de aprendizagem: Os objetivos acordados, tarefas com base na abordagem escolhida para resolver o problema. Como estes objetivos de aprendizagem foram alocados aos membros da equipa.

    Feedback do observador: O feedback pessoal que o observador deu a cada membro da equipa.

    Palavras-chave: Dos principais temas abordados na reunio PBL.

  • Reunies intercalares: Memo tutorial

    Discusso dos resultados do memorando tutorial da reunio anterior.

    Discusso dos conceitos (qualquer um daqueles que no foi discutido na reunio de abertura).

    Feedback do observador: o feedback pessoal que o observador deu a cada membro.

    Palavras-chave: dos principais temas abordados na reunio PBL.

    Reunies de encerramento (Helela and Fagerholm 2008): Memo tutorial

    Resumo da discusso do memorando tutorial da reunio anterior.

    Objetivos de aprendizagem: identificao dos objetivos de aprendizagem apontados na sesso anterior e como foram alcanados.

    Discusso: discusso bem estruturada dos resultados da aprendizagem (incluindo teoria e aplicao).

    Fonte: fontes do autoestudo usadas pelos participantes.

    Avaliao das tarefas e resultados da aprendizagem - foi eficaz, porqu/porque no? O que poderia ter sido feito de diferente.

    Feedback do observador: baseado nas dinmicas de grupo.

    Palavras-chave - selecionados com base nos principais tpicos discutidos na sesso.

    Dicas para o registo/escriba

    Esteja preparado Ter o material correto (caneta e papel e/ou gravao de vdeo/udio, se necessrio) Leia a agenda antes da reunio Familiarize-se com o que cada um na reunio para que possa referi-los corretamente

    no memo

    Ouvir uma competncia fundamental. Tambm importante no gravar palavreado, mas sim resumir as partes mais importantes da reunio, registando apenas os factos e no as opinies.

    No final da reunio resumir e esclarecer as suas notas com outros membros da equipa.

  • Lio 3: Observador

    O observador tem um papel extremamente importante no processo PBL. O PBL desenvolve formandos equilibrados com competncias profissionais, interpessoais e tcnicas. O papel do observador consiste em agir como um elemento externo examinando como o grupo interage e como cada pessoa participa na reunio. O membro da equipa neste papel desenvolve competncias de escuta, de feedback e do uso da crtica construtiva para melhorar o desempenho. Este papel tambm tem impacto sobre o desempenho dos outros membros da equipa e pode auxiliar no desenvolvimento da autoconfiana e em se considerar as crticas de forma construtiva. O papel do observador est limitado s reunies (portanto, s fases de abertura e encerramento), no observando o autoestudo dos membros da equipa a no ser que isso seja discutido nas reunies. O observador no deve participar na discusso. De acordo com Helela e Fagerholm, 2008, os formandos sentem que "aprender a manter a boca fechada uma experincia educativa". O que o observador pode avaliar est na tabela abaixo (Helela e Fagerholm, 2008):

    Item Explicao

    Discusso na generalidade

    Nvel, profundidade e qualidade da discusso

    Lder da discusso

    Preparao

    Capacidade de envolver os par