of 4 /4
palavra Quaresma vem do Latim, quadragésima, e é utilizada para designar o período de 40 dias que ante- cedem a maior festa do Cristianismo: a Ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Páscoa. A prática da Quaresma data do século 4. A Quaresma começa na Quarta-feira de Cinzas e termina ao anoitecer da Quinta-feira Santa, antes da Missa da Santa Ceia. A celebração da missa também chamada de Missa da Instituição da Eucaristia (conhecida como Missa do Lava Pés), marca o início do Tríduo Pascal. Com o período da Quaresma, os católicos realizam a preparação para a Páscoa. O período é reservado para a reflexão e a conversão espiri- tual. Ou seja, o católico deve se aproximar de Deus, visando o crescimento espiritual. Os fiéis são convidados a fazer uma comparação entre suas vidas e a mensagem cristã expressa nos Evangelhos. Esta comparação significa um recomeço, um renascimento para as questões espirituais e de crescimento pessoal. O cristão deve intensificar a prática dos princípios essen- ciais de sua fé com o objetivo de ser uma pessoa melhor e proporcionar o bem para os demais. Essencialmente, o período é um retiro espiritual voltado à reflexão, onde os cristãos se recolhem em oração e penitência para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo, ressuscitado no Domingo de Páscoa. Assim, retomando questões espirituais, simbolicamente o cristão está renascendo como Cristo. Todas as religiões têm períodos voltados à reflexão, eles fazem parte da disciplina religiosa. Cada doutrina religiosa tem seu calendário específico para seguir. Cerca de duzentos anos após o nascimento de Cristo, os cristãos começaram a preparar a festa da Páscoa com três dias de oração, meditação e jejum. Por volta do ano 350, a Igreja aumentou o tempo de preparação 40 dias. Assim surgiu a Quaresma. O que significam os 40 dias Na Bíblia, o número 4 simboliza o universo material. Os zeros que o seguem significam o tempo de nossa vida na terra, suas provações e dificuldades. Portanto, a duração da Quaresma está baseada no símbolo deste número na Bíblia. Nela, são relatadas as passagens dos 40 dias do dilúvio, dos 40 anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, dos 40 dias de Moisés e de Elias na montanha, dos 40 dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública, dos 400 anos que durou a estada dos judeus no Egito, entre outras. Esses períodos vêm sempre antes de fatos importantes e se relacionam com a necessidade de ir criando um clima adequado e dirigindo o coração para algo que vai acontecer. A Igreja católica propõe, por meio do Evangelho procla- mado na Quarta-feira de Cinzas, três grandes linhas de ação: a oração, a penitência e a caridade. Não somente durante a Quaresma, mas em todos os dias de sua vida, o cristão deve buscar o Reino de Deus, ou seja, lutar para que exista justiça, a paz e o amor em toda a humanidade. Os cristãos devem então Quaresma e Páscoa recolher-se à reflexão para se aproximar de Deus. Esta busca inclui a oração, a penitência e a caridade, esta última como uma conseqüência da penitência. O percurso da Quaresma é acompanhado, no Brasil, pela Campanha da Fraternidade, uma atividade ampla de evangeli- zação para os cristãos e pessoas de boa vontade buscarem a transformação da sociedade. A CF é um instrumento para desen- volver o espírito quaresmal de conversão e renovação interior, a partir da realização de ações comunitárias, uma verdadeira penitência para a preparação da Páscoa. Este ano, a CF tem como tema “Fraternidade de Saúde Pública” e o lema “Que a saúde se difunda sobre a Terra”. Como se calcula a data do domingo de Páscoa A Páscoa sempre acontece na primeira lua cheia após a Primavera na Europa (Outono aqui no Brasil). A Primavera tem um enorme significado de vida, pois durante o inverno toda a na- tureza fica morta, ressurgindo com o início de uma nova estação. Podemos fazer uma analogia da Primavera com a Ressurreição de Jesus, que vence a morte. Descoberto o dia da primeira lua cheia da Primavera, passa- -se a contar os 40 dias para trás, sem incluir os domingos, e chega-se à data que será a Quarta-feira de Cinzas e o início da Quaresma. Por essa razão, a Páscoa, assim como a Sexta-feira Santa, e a Quinta-feira Santa são datas móveis. A Páscoa, celebração da ressurreição de Jesus, é o ápice das festividades que começam na quarta-feira de Cinzas e vão até a Semana Santa que a antecede. A semana da Páscoa tem início no domingo de Ramos, relembrando a entrada de Jesus em Jerusalém e vai até o sábado Santo, quando a Igreja, em vigília, reflexão e oração, está esperando o grande milagre da Ressurreição. Fonte: www.auxiliadora.org.br., dos padres Salesianos Nosso pessoal de Recepção é o assunto da página 3. O segredo de progredir é começar. O segredo de começar é dividir as tarefas árduas e complicadas em tarefas pequenas e fáceis de executar. E, depois, começar pela primeira. Mark Twain Ano 15 Março/2012 N o 173

Unigente edição 173

Embed Size (px)

DESCRIPTION

UniGente – órgão de divulgação da Sociedade Visconde de São Leopoldo, dirigido aos funcionários administrativos. Produzido pela Coordenadoria de Comunicação Social. Conselho Editorial: professores Marcelo Di Renzo e Maria Aparecida Esteves Martins e coordenadora de RH, Marilza Borges Augusto. Editor: Antonio Fernando C. Santos – MTb 10305/SP.

Text of Unigente edição 173

  • palavra Quaresma vem do Latim, quadragsima, e utilizada para designar o perodo de 40 dias que ante-cedem a maior festa do Cristianismo: a Ressurreio de

    Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Pscoa. A prtica da Quaresma data do sculo 4. A Quaresma comea na Quarta-feira de Cinzas e termina ao anoitecer da Quinta-feira Santa, antes da Missa da Santa Ceia. A celebrao da missa tambm chamada de Missa da Instituio da Eucaristia (conhecida como Missa do Lava Ps), marca o incio do Trduo Pascal. Com o perodo da Quaresma, os catlicos realizam a preparao para a Pscoa. O perodo reservado para a reflexo e a converso espiri-tual. Ou seja, o catlico deve se aproximar de Deus, visando o crescimento espiritual. Os fiis so convidados a fazer uma comparao entre suas vidas e a mensagem crist expressa nos Evangelhos. Esta comparao significa um recomeo, um renascimento para as questes espirituais e de crescimento pessoal.

    O cristo deve intensificar a prtica dos princpios essen-ciais de sua f com o objetivo de ser uma pessoa melhor e proporcionar o bem para os demais. Essencialmente, o perodo um retiro espiritual voltado reflexo, onde os cristos se recolhem em orao e penitncia para preparar o esprito para a acolhida do Cristo Vivo, ressuscitado no Domingo de Pscoa. Assim, retomando questes espirituais, simbolicamente o cristo est renascendo como Cristo. Todas as religies tm perodos voltados reflexo, eles fazem parte da disciplina religiosa. Cada doutrina religiosa tem seu calendrio especfico para seguir.

    Cerca de duzentos anos aps o nascimento de Cristo, os cristos comearam a preparar a festa da Pscoa com trs dias de orao, meditao e jejum. Por volta do ano 350, a Igreja aumentou o tempo de preparao 40 dias. Assim surgiu a Quaresma.

    O que significam os 40 diasNa Bblia, o nmero 4 simboliza o universo material. Os

    zeros que o seguem significam o tempo de nossa vida na terra, suas provaes e dificuldades. Portanto, a durao da Quaresma est baseada no smbolo deste nmero na Bblia. Nela, so relatadas as passagens dos 40 dias do dilvio, dos 40 anos de peregrinao do povo judeu pelo deserto, dos 40 dias de Moiss e de Elias na montanha, dos 40 dias que Jesus passou no deserto antes de comear sua vida pblica, dos 400 anos que durou a estada dos judeus no Egito, entre outras.

    Esses perodos vm sempre antes de fatos importantes e se relacionam com a necessidade de ir criando um clima adequado e dirigindo o corao para algo que vai acontecer.

    A Igreja catlica prope, por meio do Evangelho procla-mado na Quarta-feira de Cinzas, trs grandes linhas de ao: a orao, a penitncia e a caridade. No somente durante a Quaresma, mas em todos os dias de sua vida, o cristo deve buscar o Reino de Deus, ou seja, lutar para que exista justia, a paz e o amor em toda a humanidade. Os cristos devem ento

    Quaresma e Pscoa

    recolher-se reflexo para se aproximar de Deus. Esta busca inclui a orao, a penitncia e a caridade, esta ltima como uma conseqncia da penitncia.

    O percurso da Quaresma acompanhado, no Brasil, pela Campanha da Fraternidade, uma atividade ampla de evangeli-zao para os cristos e pessoas de boa vontade buscarem a transformao da sociedade. A CF um instrumento para desen-volver o esprito quaresmal de converso e renovao interior, a partir da realizao de aes comunitrias, uma verdadeira penitncia para a preparao da Pscoa. Este ano, a CF tem como tema Fraternidade de Sade Pblica e o lema Que a sade se difunda sobre a Terra.

    Como se calcula a data do domingo de PscoaA Pscoa sempre acontece na primeira lua cheia aps a

    Primavera na Europa (Outono aqui no Brasil). A Primavera tem um enorme significado de vida, pois durante o inverno toda a na-tureza fica morta, ressurgindo com o incio de uma nova estao. Podemos fazer uma analogia da Primavera com a Ressurreio de Jesus, que vence a morte.

    Descoberto o dia da primeira lua cheia da Primavera, passa--se a contar os 40 dias para trs, sem incluir os domingos, e chega-se data que ser a Quarta-feira de Cinzas e o incio da Quaresma. Por essa razo, a Pscoa, assim como a Sexta-feira Santa, e a Quinta-feira Santa so datas mveis.

    A Pscoa, celebrao da ressurreio de Jesus, o pice das festividades que comeam na quarta-feira de Cinzas e vo at a Semana Santa que a antecede. A semana da Pscoa tem incio no domingo de Ramos, relembrando a entrada de Jesus em Jerusalm e vai at o sbado Santo, quando a Igreja, em viglia, reflexo e orao, est esperando o grande milagre da Ressurreio.

    Fonte: www.auxiliadora.org.br., dos padres Salesianos

    Nosso pessoal de Recepo o assunto da pgina 3.

    O segredo de progredir comear.O segredo de comear dividir as tarefas rduas e complicadas em tarefas pequenas e fceis de executar.E, depois, comear pela primeira.Mark Twain

    Ano 15 Maro/2012 No 173

  • Fabiana

    Marclia

    ssim como as notas musicais, objeto do Curiosidades da edio anterior, a denomi-nao dos meses do ano tambm tem suas

    explicaes.Originalmente eram 10 meses, depois passaram

    a ser 12. Veja a seguir como esses nomes surgiram.Janeiro: homenagem ao deus Janus, protetor dos lares.Fevereiro: ms do festival romano da purificao dos pecados, a Februlia. Maro: em homenagem a Marte, o deus guerreiro.Abril: derivado do latim aperire (o que abre). Maio: acredita-se que se origine de Maia, a deusa do crescimento das plantas. Junho: ms que homenageia Juno, a protetora das mulheres.Julho: no primeiro calendrio romano, de 10 meses, era chamado de quintilis, o 5 ms. Foi rebatizado por Julio Csar.Agosto: inicialmente nomeado sextilis porque era o 6 ms, teve seu nome alterado para ho-menagear Csar Augusto.Setembro: era o stimo ms. Vem do latim septem. Outubro: na contagem dos romanos, era o oitavo ms. Novembro: vem do latim novem, o nono.Dezembro: era o dcimo ms.

    Os 12 meses do ano Para comemorar os 110 anos da escola, vamos iniciar uma srie de testes tendo como tema o Liceu Santista.

    A escola foi criada por Anlia Franco em 1902, com o nome de:

    1) Ateneu Santista2) Liceu Santista3) Liceu Feminino Santista4) Associao Feminina Santista5) Escola Normal Santista

    O teste da edio 172 perguntava que acontecimentos marcaram os dias 28 de janeiro e 6 de fevereiro de 1986 na vida da universidade. E a resposta correta a da alternativa 5: aprovao, pelo CFE, do parecer de reconhecimento e assinatura, pelo ministro da Educao, Marco Maciel, da respectiva portaria.

    Entre os cupons enviados com a resposta correta, o sorteado foi o da Ktia Santos Euzbio (Ceite/CDI). Na foto, ela recebe o prmio do seu colega de setor, Marcelo da Fonseca.

    Estamos dando as boas vindas a dois novos colegas. So eles: Fabiana Silva Simo (Secre-taria/CDI) e Marclia Martins da Silva (Secretaria/Campus Boqueiro. Sucesso que desejamos.

    A Rosana Aguida de Almda, do Liceu Santista, acrescen-tou um Nunes ao seu sobrenome porque no dia 7 de janeiro casou-se com Nilo Nunes. Felicidades ao casal so os votos do UniGente e dos colegas de trabalho.

    E quem chegou, dia 18 de fevereiro, foi a Marissol de SantAna Lora, para a alegria do papai Vladimir Bento Lora, Protocolo/CDI. Felicidades e muita sade so os votos da

    equipe do UniGente e dos colegas.

  • onsiderada a porta de entrada de qualquer organizao, a recepo responsvel pela qualidade do primeiro atendimento ao pblico.

    Na UniSantos, as equipes de recepcionistas aten-dem aquelas pessoas que visitam os cmpus para estudar, participar de eventos, conhecer os cursos, as profisses e as instalaes, entre tantas outras finalidades. A Recepo atende no Dom Idlio, no Dom David e no Boqueiro e est vinculada ao Setor de Relaes Pblicas.

    A coordenadora de Relaes Pblicas, Lilian Matheus Marques, acredita que a qualidade do atendimento somente torna-se possvel por meio do conhecimento da cultura e do clima organizacionais, da contnua capacitao dos funcionrios, do desen-volvimento profissional, do incentivo participao de todos na formao das polticas de atendimento e, principalmente, da defini-o clara para todos os integrantes dos propsitos da Instituio em atender bem. Como relaes pblicas de formao e especializao em Marketing, Lilian de-fende um perfil pessoal e profissional para quem integra a equipe. Pessoalmente, o funcionrio precisa ter boa comunicao, educao, simpatia, gostar de servir, ser gentil, ter equilbrio emocional e, acima de tudo, gostar de gente; j o seu perfil profis-sional exige predisposio para entender a Instituio como um todo, estar em contato com as rotinas da Universidade e ter conhecimento do que acontece.

    Na recepo, a porta da frente da Universidade

    Na formao inicial da equipe, todo esse traba-lho foi objeto de amplo treinamento e preparao do pessoal, preocupao que se renova quando h necessidade de introduo de novos elementos ao grupo.

    A equipe congrega um total de funcionrios cons-cientes de que cada um representa o todo e o todo representa a Universidade. No Cmpus Dom Idlio Jos Soares esto Ana Paula de Souza Cunha, Israel Cordeiro da Silva Filho, Lenice Bispo dos Santos, Rosimeire de Jesus Peixoto, Simone da Silva e Shirlei Aparecida Ribeiro Freire; no Boqueiro: Mariclaudia Pereira Henrique, Maria da Penha Silva e Vivian Maia; e no Dom David Pico: Samuel Marinho Espndola e Vanderlei Aparecido Garcia.

  • om o lanamento do selo comemorativo, o Liceu San-tista est iniciando as come-

    moraes dos seus 110 anos, que acontece dia 5 de agosto. O selo de autoria do publicitrio e produtor grfico, Hermenegildo Rafael Menin, professor da UniSantos.

    Criado em 1902 pela Associao Feminina Santista, o Liceu passou a ser administrado pela Sociedade Visconde de So Leopoldo em 1977. Durante esse perodo, tornou-se

    UniGente rgo de divulgao da Sociedade Visconde de So Leopoldo, dirigido aos funcionrios administrativos. Produzido pela Coordenadoria de Comunicao Social. Conselho Editorial: professores Marcelo Di Renzo e Maria Aparecida Esteves Martins e coordenadora de RH, Marilza Borges Augusto. Editor: Antonio Fernando C. Santos MTb 10305/SP. Fotos desta edio:Lilian de Oliveira Menezes e Arquivo UniGente. Produo Grfica: Matiz Comunicao. Impresso: Grfica Everest. Endereo da Sociedade Visconde de So Leopoldo: Rua Euclides da Cunha, 241 Bairro Pompeia Santos/SP.

    Liceu comea as comemoraes

    Enriquecimento profissional e reflexo foram vivenciados pelos funcionrios do Liceu Santista, dia 17, em encontro de atualizao de conhecimentos e novas perspectivas de atuao. O encontro seguiu os moldes dos encontros anuais de professores e tambm teve a participao de estagirios da escola.

    Atividade fsica de alongamento, com o fisiote-rapeuta Josenildo Arajo, deu incio ao encontro que abordou temas do dia a dia da instituio;

    Funcionrios do Liceu participam de encontro

    palestra sobre o prazer da leitura, com a con-vidada especial, professora mestra Celinha do Nascimento; treinamento de primeiros socorros, com as enfermeiras Maria Carla Moraes da Silva e Roberta Rodrigues Pereira Schott; apresenta-o do tema Voc pode fazer a diferena, pela psicloga Flvia Gonzalez e pelo coordenador de Pastoral, Srgio Pereira Nogueira Jnior; e uma oficina de higiene com a nutricionista Carina Schena envolveram os participantes.

    Ao trmino do encontro, a diretora professora Claudia Cristina Santiago conversou com o grupo sobre o trabalho dirio na escola, a relao de interdependncia entre os setores e a importncia de ser feliz fazendo o que se gosta.

    Palestra sobre o prazer da leitura, pela professora Celinha do Nascimento

    uma das escolas mais conceituadas da regio, por onde passaram alunos que hoje brilham em diversas reas de atuao profissional.

    Destacam-se suas modernas instalaes, com mais de 14 mil metros quadrados, na Avenida Francisco Glicrio, 642, e diver-sos projetos pioneiros como o Ensino Bilngue, Mente Inovadora

    e Robtica, alm de sua parceria com a Rede Salesiana de Ensino