UNIVERSIDADE DE BRASLIA INSTITUTO DE CINCIAS .Ao decidir focar minha monografia na antropologia

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of UNIVERSIDADE DE BRASLIA INSTITUTO DE CINCIAS .Ao decidir focar minha monografia na antropologia

  • UNIVERSIDADE DE BRASLIA

    INSTITUTO DE CINCIAS SOCIAIS

    DEPARTAMENO DE ANTROPOLOGIA

    Mulheres, ampolas e msculos: o uso de esterides anabolizantes em academias de

    ginstica.

    BRBARA DE S NAVES

    BRASLIA

    2013

  • Mulheres, ampolas e msculos: o uso de esterides anabolizantes em academias de

    ginstica.

    BRBARA DE S NAVES

    Orientador: Prof. Dr. Carlos Emanuel Sautchuk

  • Meus sinceros agradecimentos

    A minha famlia. Em especial aos meus pais, Osvaldo e Cludia, por terem priorizado a minha

    educao. Por acreditarem sempre em mim, antes de qualquer pessoa, independentemente dos

    resultados.

    Ao Gabriel, por todo amor, pacincia e companheirismo. Por sempre me incentivar e sempre

    acreditar em mim.

    Aos meus amigos, pela compreenso enquanto estive ausente e por todo o apoio.

    Ao professor Carlos por ter aceitado me orientar, por ter estado sempre presente, pela

    pacincia e por todo o conhecimento transmitido.

    A todos os professores do DAN, por todos esses anos de ensinamentos e trocas.

    professora Soraya por ter aceitado participar da minha banca.

    quelas que aceitaram conversar comigo sobre suas rotinas e seus corpos.

  • RESUMO

    Atualmente, com o fenmeno contemporneo do culto ao copo, percebe-se que o consumo de

    esterides anabolizantes e suplementos alimentares, em academias de ginstica, vm sendo

    feito cada vez mais por pessoas saudveis visando o ganho de massa muscular, fora,

    disposio e o fim da adiposidade. O objetivo desta monografia - a partir de uma etnografia

    em uma academia de Braslia conhecer e analisar os processos pelos quais as mulheres se

    submetem na busca pela otimizao da aparncia fsica. A rotina das mulheres foi o ponto de

    partida para a anlise, ou seja, como praticam musculao, quais dietas fazem, quais regras

    seguem, quais anabolizantes e/ou suplementos consumiam etc. Observando os dados obtidos,

    conclui-se que o corpo e os processos pelos quais ele passa visto como um fenmeno

    social capaz de influenciar e sofrer influncia de outros fenmenos sociais, contribuindo para

    a construo de percepes e de relaes sociais. H uma preocupao em problematizar o

    consumo de esterides anabolizantes e suplementos alimentares para uma melhor

    compreenso do universo no qual os mesmos esto inseridos.

    Palavras-chave: Esterides anabolizantes. Suplementos Alimentares. Culto ao corpo.

    Musculao. Subjetividade.

  • 1

    Sumrio

    Introduo ................................................................................................................................. 1

    Captulo 1 - Entre ampolas, anilhas e questes ticas: pesquisando com malhadoras. ..... 4

    O objeto da pesquisa ................................................................................................................... 4

    O uso proibido ............................................................................................................................ 8

    A insero no campo: entre o corpo e a lei............................................................................... 10

    Ser mulher e antroploga em um campo de pesquisa. ............................................................. 14

    Malhao etnogrfica ............................................................................................................... 17

    As Entrevistadas ....................................................................................................................... 22

    Captulo 2- Musculao e manejo do metabolismo corporal: exerccios, suplementos e

    anabolizantes. .......................................................................................................................... 27

    Musculao ............................................................................................................................... 27

    A relao entre a musculao e o uso de esterides anablico-andrognicos entre o pblico

    feminino. ................................................................................................................................... 29

    Rotinas, dietas, objetivos e procedimentos. .............................................................................. 34

    1.1 Objetivos ......................................................................................................................... 35

    1.2 Rotinas ............................................................................................................................ 39

    1.3 Dietas .............................................................................................................................. 40

    1.4 Procedimentos ................................................................................................................. 44

    A relao entre musculao e uso de suplementos alimentares. .............................................. 50

    Razes do consumo de suplementos alimentares. .................................................................... 52

    A eficcia dos suplementos alimentares. .................................................................................. 54

    Os efeitos dos suplementos alimentares. .................................................................................. 55

    Captulo 3 - O uso de anabolizantes pelas mulheres ........................................................... 57

    H malhadoras e malhadoras. ................................................................................................... 57

    Entre efeitos e eficcias: a gesto ntima dos ganhos e dos riscos dos anabolizantes. ............. 61

    Legitimidade moral da substncia ilegal .................................................................................. 68

    Consideraes Finais .............................................................................................................. 72

    Referncias Bibliogrficas ..................................................................................................... 77

    Anexos ...................................................................................................................................... 81

  • 1

    Introduo

    O tema desta presente dissertao de graduao surgiu de uma inquietao pessoal

    derivada de constantes notcias, difundidas pelos meios de comunicao, referentes aos

    cuidados com o corpo. Quase sempre, esses cuidados estavam relacionados academia (na

    maioria das vezes especificamente relacionadas musculao), tanto em relao ao bem-estar

    e sade, como em relao esttica. Alm disso, sempre as ideias de disciplina, esforo e

    dedicao tambm estavam relacionadas musculao.

    Pode-se observar, dentro desses discursos expostos acima, a mxima defendida por Le

    Breton em Adeus ao corpo, quando o mesmo diz que o corpo torna-se um rascunho, uma

    matria-prima com maleabilidade e plasticidade.

    A relao do indivduo com seu corpo ocorre sob a gide do domnio de si. O

    homem contemporneo convidado a construir o corpo. Conservar a forma,

    modelar sua aparncia, ocultar o envelhecimento ou a fragilidade, manter a sua

    sade potencial. O corpo hoje um motivo de apresentao de si. (...) (Le Breton,

    2011, p.30).

    O extremo contemporneo erige o corpo como a realidade em si, como simulacro do

    homem por meio do qual avaliada a qualidade de sua presena e no qual ele

    mesmo ostenta a imagem que pretende dar aos outros. por seu copo que voc

    julgado e classificado, diz, em suma, o discurso de nossas sociedades

    contemporneas. Nossas sociedades consagram o corpo como emblema de si.

    melhor constru-lo sob medida para derrogar ao sentimento da melhor aparncia. (Le

    Breton, 2011, p.31).

    Ento, essas constantes associaes, como dito, despertaram uma inquietao, e at

    mesmo certo incmodo, a priori. Contudo, aps essas primeiras sensaes, essas constantes

    associaes fizeram com que meu interesse pelo estudo da antropologia do corpo aflorasse.

    Alm, tambm, de despertar a curiosidade de investigar se essas percepes observadas na

    teoria tambm poderiam ser observadas na prtica.

    No levantamento bibliogrfico feito, no foi encontrado nenhum artigo ou pesquisa

    que relatasse detalhadamente, assim como o fizeram com os homens, os procedimentos pelos

    quais as mulheres passam quando resolvem modificar seus corpos. Por mais que haja estudos

    sobre o tema, como esta dissertao pode comprovar, j que tem sua metodologia baseada

  • 2

    tambm em levantamento bibliogrfico, ainda h uma carncia muito grande com relao ao

    entendimento desse assunto dentro dos estudos cientficos.

    H poucos estudos antropolgicos ou sociolgicos sobre o tema. A maioria dos

    estudos sobre o uso de anabolizantes e suplementos pertence a outras reas de conhecimento,

    como a educao fsica, nutrio, farmcia e psicologia. Por esse motivo, esses estudos so

    muito voltados aos aspectos fisiolgicos que o uso de tais substncias acarreta ao corpo,

    analisando os aspectos qumicos e biolgicos de cada substncia, analisam tambm como o

    consumo afeta o rendimento fsico das pessoas, ou so voltados para o entendimento do

    porqu do uso.

    Ao decidir focar minha monografia na antropologia do corpo, e estudando mais sobre

    o assunto, pude perceber que havia muitas pesquisas sobre homens dentro de academias, e a

    relao entre os mesmos e o uso, principalmente, de esterides anabolizantes. Por isso, fez-se

    interessante voltar este estudo s mulheres