UNIVERSIDADE POTIGUAR UnP PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ?· 2.2.1 Ficha de avaliação A ficha de avaliação…

Embed Size (px)

Text of UNIVERSIDADE POTIGUAR UnP PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ?· 2.2.1 Ficha de avaliação A ficha de...

UNIVERSIDADE POTIGUAR UnP PR-REITORIA ACADMICA

ESCOLA DA SADE CURSO DE EDUCAO FSICA BACHARELADO

LARA MNICA SANTIAGO SANTANA VASCONCELOS PEDRO LUCAS LIMA DO NASCIMENTO MARINHO

A INFLUNCIA DA PRTICA DE DANA DO VENTRE SOBRE A PERCEPO DA IMAGEM CORPORAL DE MULHERES

NATAL 2015

LARA MNICA SANTIAGO SANTANA VASCONCELOS PEDRO LUCAS LIMA DO NASCIMENTO MARINHO

A INFLUNCIA DA PRTICA DE DANA DO VENTRE SOBRE A PERCEPO DA IMAGEM CORPORAL DE MULHERES

Artigo apresentado Universidade Potiguar UnP, como parte dos requisitos para obteno do ttulo de Bacharel em Educao Fsica.

Orientador: Prof. MSc. Sanderson Soares da

Silva

Coorientador: Prof. MSc. Kalina Veruska

Masset

NATAL

2015

AGRADECIMENTOS

Agradeo aos meus pais Mnica Santiago e Alessandro Vasconcelos.

Aos meus avs maternos Aurora Santiago e Wirson Santana. Minhas tias Michelle

Santiago e Dbora Santiago.

A minha dupla, Pedro Marinho.

Aos professores Sanderson Soares da Sivla e Kalina Versuska Masset.

A coordenao do curso.

Aos diretores e as alunas das escolas de dana participantes.

Lara Mnica Santiago Santana Vasconcelos

Agradeo a Deus por me dar fora e oportunidade realizar este grande sonho.

Agradeo aos meus pais, Ednaldo Marinho e Gerluse Maria e, a minha irm, Maria

Eduarda Marinho, por sempre estarem ao meu lado enfrentando todas as lutas de

nossas vidas.

Aos meus avs maternos, Valdermar do Nascimento e Ilzene do Nascimento, por

colaborarem de todas as formas possveis para minha formao.

As minhas tias maternas, pois sempre me apoiaram e me deram suporte para que

eu pudesse conquistar muitas coisas at hoje, sendo uma delas a minha graduao.

A minha dupla do trabalho de concluso de curso, Lara Vasconcelos, por sua

colaborao e amizade nesses quatro anos de curso.

Ao meu Orientador, Professor Sanderson Soares da Silva, e a minha Co-

orientadora, Professora Kalina Veruska Masset, a quem me espelho e espelharei em

toda minha vida profissional.

Pedro Lucas Lima do Nascimento Marinho

A INFLUNCIA DA PRTICA DE DANA DO VENTRE SOBRE A PERCEPO

DA IMAGEM CORPORAL DE MULHERES1

Lara Mnica Santiago Santana Vasconcelos2

Pedro Lucas Lima do Nascimento Marinho3

Sanderson Soares da Silva4

RESUMO

A dana do ventre ganha cada vez mais adeptos, no entanto, por haver um mito de

que a prtica dessa dana aumente o tamanho da barriga, acredita-se que muitas

pessoas desistem de pratic-la em funo dele. A imagem corporal a imagem que

a pessoa tem do prprio corpo e estudos apontam para uma maior distoro da

imagem e insatisfao corporal em mulheres. O objetivo do estudo foi avaliar a

influncia da prtica da dana do ventre na percepo da imagem corporal em

mulheres e avaliar possveis alteraes na insatisfao corporal e nas variveis

antropomtricas (IMC, permetro abdominal e percentual de gordura). Trata-se de

um estudo longitudinal e a amostra foi composta por 50 mulheres entre 18 e 59

anos, praticantes de dana do ventre. A escala de silhuetas foi utilizada para avaliar

a percepo da imagem corporal e a insatisfao corporal. Foram realizadas duas

avaliaes, com intervalo de oito semanas entre elas. No houve resultados

significativos para a percepo da imagem corporal, insatisfao corporal e IMC. O

permetro abdominal e o percentual de gordura diminuram significativamente

(2,72% e 6,34%, respectivamente). Em oito semanas, a prtica da dana do ventre

no alterou significativamente a percepo da imagem corporal, insatisfao

corporal e IMC, mas resultou em alteraes positivas tanto no permetro abdominal

quanto no percentual de gordura.

Palavras-chave: Dana do ventre. Imagem corporal. Mulheres.

1 Artigo apresentado Universidade Potiguar UnP, como parte dos requisitos para obteno do ttulo de

Bacharel em Educao Fsica. 2 Graduanda em Educao Fsica Bacharelado pela Universidade Potiguar.

3 Graduando em Educao Fsica Bacharelado pela Universidade Potiguar.

4 Orientador. Professor da Universidade Potiguar.

SUMRIO

1 INTRODUO........................................................................................... 5

2 METODOLOGIA........................................................................................ 6

2.1 AMOSTRA.................................................................................................. 6

2.2 INSTRUMENTOS....................................................................................... 7

2.3 PROCEDIMENTOS.................................................................................... 8

2.4 ANLISE DE DADOS................................................................................ 10

3 RESULTADOS........................................................................................... 10

4 DISCUSSO.............................................................................................. 13

5 CONSIDERAES FINAIS....................................................................... 14

REFERNCIAS.......................................................................................... 17

5

1 INTRODUO

A dana do ventre vem se fortalecendo como prtica alternativa, devido a

seus vrios benefcios fsicos e psicolgicos, podendo ser praticada por mulheres de

todas as faixas etrias e tipos fsicos (ABRO; PEDRO, 2005; BENCARDINI,

2009).

A prtica da dana do ventre envolve uma tcnica prpria que, dentre outras,

realiza contraes isomtricas, contribuindo para o aumento do gasto calrico e a

queima de gorduras (KUSSUNOKI; AGUIAR, 2008). Nesse sentido, sugere-se que

ela promove diversas alteraes fsicas e fisiolgicas em suas praticantes, auxilia na

correo da postura corporal, melhora o funcionamento do intestino, diminuindo

clicas menstruais, fortalece a musculatura plvica, aumenta a circulao sangunea

nos rgos reprodutores e no aparelho urinrio, aprimorando a sade da mulher de

um modo geral. Esteticamente, modela e reduz as medidas da cintura, e,

psicologicamente, aumenta a autoestima (KUSSUNOKI, 2011).

Por outro lado, ganha cada vez mais adeptos por tratar o indivduo de forma

integral, considerando corpo e mente (RIBAS; HAAS; GONALVES, 2013) e

desenvolve uma maior conscincia corporal (BENCARDINI, 2009).

Em relao esttica corporal, como se trata de uma dana que expe de

uma forma mais frequente a regio abdominal, frequentemente os profissionais da

rea so questionados sobre o mito de que a prtica da dana do ventre causa um

aumento da barriga, contrastando com os pressupostos de aumento do gasto

calrico, diminuio da gordura corporal e consequentemente uma maior

aproximao com os padres estticos da contemporaneidade. No entanto, o que se

percebe, na maioria das vezes, a busca da dana com a preocupao e busca

constante do padro de beleza imposto pela mdia, retratado pelo corpo de modelos,

artistas e atletas pessoas encaixadas dentro do suposto padro ideal de beleza

(KUSSUNOKI; AGUIAR, 2008; KUSSUNOKI, 2011).

Segundo Kussunoki (2011), a plateia, principalmente a feminina, costuma

fazer as observaes em relao ao corpo das bailarinas de dana do ventre,

associando a barriguinha, comum a estas bailarinas, como uma consequncia da

prtica ou uma necessidade esttica da prpria dana.

6

Ao focarmos na imagem corporal podemos defini-la como a imagem mental

que temos de nosso prprio corpo. Nesse contexto, alguns estudos tm mostrado

maior prevalncia de distoro da imagem corporal e insatisfao corporal

depreciao que o indivduo tem com sua aparncia fsica entre indivduos do

gnero feminino (FORTES; ALMEIDA; FERREIRA, 2013). Isso se deve,

principalmente, pela mudana do modelo de beleza, com a diminuio do manequim

considerado ideal, gerando conflito entre o corpo real e ideal, imposto pela mdia.

Esse conflito estimula a busca de solues como dietas e cirurgias plsticas, muitas

vezes prejudiciais sade (SECCHI; CAMARGO; BERTOLDO, 2009).

Por outro lado, a organizao da imagem corporal formada pela interao

entre os lados fisiolgico, neural e emocional, alm do fator social. Nesse sentido,

podemos inferir que um dos fatores que frequentemente pode alterar a nossa

percepo da prpria imagem corporal estaria ligado aos fatores emocionais, sujeito

s inmeras variaes fisiolgicas, psicolgicas e ambientais que acometem

qualquer indivduo ao longo do tempo (BARROS, 2005). Especificamente podemos

destacar a idade, o sexo, a etnia e o ndice de massa corporal, o autoconceito, a

autoestima, a famlia, os amigos, os meios de comunicao e a prtica regular de

exerccio fsico (GONALVES; MARTINEZ, 2014).

Dessa forma, o objetivo geral deste trabalho foi avaliar a possvel influncia

da dana do ventre na percepo da imagem corporal em mulheres. Buscou-se,

tambm, avaliar possveis alteraes na insatisfao corporal das mulheres com a

prtica de dana do ventre e, alm disso, avaliar possveis alteraes nas variveis

antropomtricas ndice de massa corporal (IMC), permetro abdominal e percentual

de gordura em praticantes d