Usucapião de Bens Imóveis

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Usucapião de Bens Imóveis

  • 9

    Revista Eletrnica Direito, Justia e Cidadania Volume 2 n 1 - 2011

    Usucapio de Bens Imveis

    Fabio Monteiro Pinheiro

    1

    Guilherme Luiz M. R. Gonalves 2

    Resumo Diante da realidade a cerca da regularizao imobiliria no Brasil, que possui inmeras propriedades que no possuem o devido registro imobilirio e se encontram sem condies de venda atravs de financiamento bancrio, que hoje uma das principais maneiras de se adquirir um imvel, se faz necessrio, portanto, o conhecimento de maneiras para que se regularize a situao com relao a propriedade e seu devido registro imobilirio, e a usucapio uma forma de se obter essa regularizao, atravs do lapso temporal, e preenchidos os requisitos expressos em lei. Necessrio se faz, tambm, o conhecimento de alguns conceitos como posse, propriedade e a prpria usucapio de bens imveis, para que assim se possa agir e obter a regularizao da propriedade. A usucapio de bens imveis uma maneira de se regularizar a situao de propriedades que no possuem o devido registro imobilirio. Mas para que se possa us-la com eficincia, se faz necessrio o real conhecimento de suas espcies, bem como de seus requisitos, para que assim se aplique o adequado a cada situao e a cada propriedade.

    Palavras-Chave: Usucapio, Imveis, Posse, Propriedade.

    1 Bacharel em Cincias Jurdicas pela Faculdade de Administrao e Cincia Contbeis de So Roque FAC, 2010.

    2 Professor na Faculdade de Administrao e Cincias Contbeis de So Roque. FAC So Roque. Advogado.

  • 10

    Revista Eletrnica Direito, Justia e Cidadania Volume 2 n 1 - 2011

    INTRODUO

    O presente trabalho de concluso de curso tem por objeto a anlise sobre o

    instituto da usucapio de bens imveis no direito brasileiro, com a sua origem

    histrica, a sua definio, seus contornos gerais, sua previso legal em nosso

    ordenamento jurdico, suas modalidades e seus procedimentos jurdicos a serem

    adotados.

    Com esse estudo pretenderemos verificar que a usucapio de bens imveis,

    em suas diversas modalidades, mostra-se como importante instrumento na

    regularizao da questo fundiria, seja urbana, seja rural, favorecendo, inclusive, a

    concretizao do princpio constitucional da funo social da propriedade. Isso,

    deve-se segurana da posse que dada queles que preencham os requisitos

    exigidos para a configurao do instituto, atravs da titularidade da propriedade

    ento conferida.

    Como poderemos verificar, importante papel exerce a usucapio, pois, sem

    ela, a propriedade seria provisria e reinaria uma incerteza permanente e universal,

    que teria como conseqncia uma perturbao geral. O fundamento bsico

    realmente o bem comum (Barrufini, 1.998, p. 27).

    Trata-se de um estudo que merece ateno por ser a usucapio de bens

    imveis um dos modos de aquisio originria da propriedade de bens imveis,

    mediante o prolongamento da posse e o preenchimento, pelo possuidor, dos demais

    requisitos exigidos legalmente para sua configurao, o qual muitas pessoas no

    esto familiarizadas com esse instituto.

    Espero que o presente estudo voltado para a usucapio de bens imveis

    possa direcionar, todos que no estiverem familiarizados com o mesmo,

    colaborando com a legalizao de muitas propriedades as quais no possuem ainda

    o devido registro imobilirio e se enquadram a aplicao da usucapio de bens

    imveis.

    Este trabalho foi realizado por meio de pesquisa bibliogrfica, onde foram

    utilizados livros, revistas, web sites, legislao, artigos e apostilas que abordam o

    tema.

    Este trabalho ser dividido em seis captulos, alm desta introduo.

  • 11

    Revista Eletrnica Direito, Justia e Cidadania Volume 2 n 1 - 2011

    No captulo Noes Gerais de Posse e Propriedade sero abordados os

    institutos da posse e da propriedade.

    No captulo Usucapio de Bens Imveis dada uma visualizao geral do

    instituto, bem como seu conceito e sua origem histrica.

    No captulo Usucapio de Bens Imveis e suas Espcies no Direito

    Brasileiro abordarei as espcies do instituto, bem como seus requisitos.

    No captulo Regulamentao da Usucapio de Bens Imveis no Direito Civil

    Brasileiro apresentarei a previso legal do instituto da usucapio de bens imveis

    em nosso ordenamento jurdico.

    No captulo Procedimentos Jurdicos da usucapio de Bens Imveis

    demonstrarei os procedimentos jurdicos da ao de usucapio de bens imveis a

    serem adotados, bem como a natureza jurdica da sentena que confere usucapio.

    No captulo Contagem do Prazo para Usucapio Quando Iniciado na

    Vigncia do Cdigo Anterior dado um entendimento sobre o prazo exigido para

    caracterizao da usucapio, nos casos em que se iniciou a contagem do prazo na

    vigncia de nosso antigo Cdigo Civil.

    1. NOES GERAIS DE POSSE E PROPRIEDADE

    Para entendermos a definio de usucapio de bens imveis necessrio o

    conhecimento da posse e seus efeitos, bem como o de propriedade.

    Posse a possibilidade de disposio fsica da coisa com nimo de t-la

    como sua e de defend-la contra terceiros, a posse a exteriorizao ou visibilidade

    do domnio, a posse um fato que protegido pela lei, conforme pensamento de

    Slvio Rodrigues: Portanto a posse uma situao de fato que protegida pelo

    legislador. (Rodrigues, 2007, p. 16).

    Outro ilustre autor que tambm entende ser a posse um fato que protegido

    pela legislao Silvio de Salvo Venosa:

    Desse modo, a doutrina tradicional enuncia ser a posse relao de fato entre a pessoa e a coisa. A ns parece mais acertado afirmar que a posse trata de estado de aparncia juridicamente relevante, ou seja, estado de fato protegido pelo direito. (Venosa, 2005, p. 46).

  • 12

    Revista Eletrnica Direito, Justia e Cidadania Volume 2 n 1 - 2011

    A posse tem dois efeitos bsicos, sendo o primeiro a proteo possessria

    (interdicta), que se trata da tutela possessria, que consiste em a pessoa poder se

    valer do instrumento processual para proteger a relao jurdica. So as aes de

    manuteno, de reintegrao e o interdito proibitrio. E o segundo a possibilidade

    de gerar usucapio, que a possibilidade de transformar a posse em propriedade.

    Para Slvio Rodrigues, esses efeitos esto ligados ao conceito de posse, pelo fato de

    a legislao atender a uma preocupao social, e no apenas proteger o possuidor:

    No se pode compreender o conceito de posse sem analisar dois dos seus principais efeitos, ou seja, a proteo possessria e a possibilidade de gerar a usucapio. Porque, tanto no exame de um como no do outro efeito, evidencia-se o fato de que toda a legislao respeitante posse atende a uma preocupao de interesse social, e no apenas ao intuito de proteger a pessoa do possuidor. Alis, tendo em vista o carter dinmico da posse, seu conceito est intimamente ligado a essas duas conseqncias que dela derivam. (Rodrigues, 2007, p. 17).

    Conforme Venosa, a posse permite ao possuidor o exerccio do direito de

    propriedade, sendo que quem no tiver a posse da coisa, no poder us-la.

    Assim, a posse o fato que permite e possibilita o exerccio do direito de propriedade. Quem no tem a posse no pode utilizar-se da coisa. Essa a razo fundamental, entre outras, de ser protegido esse estado de aparncia, como vimos. Sem proteo posse, estaria desprotegido o proprietrio. (Venosa, 2005, p. 48).

    A propriedade uma garantia fundamental do homem conforme nos ensina

    nossa Constituio Federal vigente em seu artigo 5. A lei prev a inviolabilidade,

    possuindo a propriedade status de direito fundamental. a garantia fundamental,

    que d ao homem o poder de usar, gozar e fruir da coisa, tendo poder sobre ela,

    mas tambm limitaes econmicas e sociais.

    Artigo 5. Todos so iguais perante a lei, sem distino de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no Pas a inviolabilidade do direito vida, liberdade, igualdade, segurana e propriedade, nos termos seguintes: (Brasil, 2008, p. 35).

  • 13

    Revista Eletrnica Direito, Justia e Cidadania Volume 2 n 1 - 2011

    Nosso Cdigo Civil vigente trs em seu artigo 1.225, inciso I, ser a

    propriedade um direito real So direitos reais: I a propriedade; (Brasil, 2008, p.

    208). Consoante a isso, Silvio Rodrigues nos d o entendimento de que se trata de

    um direito que recai diretamente sobre a coisa, e que o titular de tal direito que ter

    direito sobre a coisa.

    Trata-se bvio, de um direito real, ou seja, de um direito que recai diretamente sobre a coisa e que independe, para o seu exerccio, de prestao de quem quer que seja. Ao titular de tal direito conferida a prerrogativa de usar, gozar e dispor da coisa, bem como de reivindic-la de quem quer que injustamente a detenha. (Rodrigues, 2007, p. 76).

    Diferentemente da posse, que se trata de um fato, a propriedade se configura

    como direito, conforme nos ensina Maria Helena Diniz.

    Poder-se- definir, analiticamente, a propriedade, como sendo o direito que a pessoa fsica ou jurdica tem, dentro dos limites normativos, de usar, gozar e dispor de um bem, corpreo ou incorpreo, bem como de reivindic-lo de quem injustamente o detenha. (Diniz, 2008, p. 114).

    Podemos ento entender ser a propriedade, uma conseqncia da posse

    exercida, no caso especfico da usucapio, pois, com o exerccio da posse,

    preenchidos os requisitos legais, se ter a propriedade do b